Comportamento, Reforma íntima

A necessidade de ser útil ao próximo

ajudar-o-proximo

Artigo publicado originalmente em 26/10/2012

Ouça este artigo na voz do autor

A única maneira de se sentir realizado é fazendo algo de útil em proveito de alguém. Por isso, em algum momento, surge a necessidade de ser útil ao próximo.

Quantas pessoas você conhece que não têm objetivo na vida? Quantas pessoas do seu convívio não veem o menor sentido em nada, apenas vivem por viver? Muitos são os que apenas sobrevivem. Fazem as mesmas coisas sempre, sem pensar o porquê de fazerem o que fazem.

Quantas pessoas você conhece que trabalham a vida inteira numa atividade de que não gostam? Quantas pessoas você sabe que são casadas há anos e anos com alguém de quem não gostam, alguém que mal aturam?

E as pessoas que trocam a vida real pela vida virtual? Passam a vida em função de televisão, rádio, jornal, internet. Acompanham as novelas com mais interesse do que pela própria vida. Acompanham os campeonatos de que seu time participa como se isso acrescentasse algo de importância vital para sua vida.

segurando a mão da idosa
Precisamos ser úteis

Todos precisamos de lazer, todos temos necessidade de descontração. Mas vai uma grande diferença entre o espaço para a diversão diária e o dia tomado por essas atividades artificiais. E a sua própria vida, como é que fica?

O que você vem fazendo da sua vida?  Você já parou pra pensar por que você nasceu? Você deve saber disso, mas é bom lembrar: antes de nascer você se propôs a fazer um monte de coisas! Você quis nascer para realizar! Lembre da sua infância, o mais longe que puder. Lembrou? Vê como você tinha sonhos e planos?

Você queria crescer pra fazer um montão de coisas. Agora você cresceu, e daí? Vai esperar ficar muito velho pra dizer que não dá mais tempo? Sempre é tempo de fazer algo de útil. É isso! É isso que preenche a vida, é isso que dá sentido à vida, é isso que é a vida. Ser útil! E a única maneira de ser útil de verdade é sendo útil ao próximo.

Como escrevo sobre espiritismo, parto do princípio de que você é reencarnacionista. Mas nem é preciso reconhecer a reencarnação para constatar que as pessoas trazem, ao nascer, a vontade firme de se destacarem, de se imortalizarem através de suas obras. Alguns poderosos criam fundações com o seu nome, outros escrevem livros ou criam obras de arte, outros nos legam invenções, outros almejam virar estátuas ou nomes de ruas e praças.

Mas o que dá sentido real à vida é ser útil aos outros. Viver pra si mesmo é bom. Viver em busca de prazeres é bom. Ninguém aqui é santo. Mas enquanto vivemos só pra nós mesmos, por mais prazer que tenhamos, por mais coisas boas e agradáveis que experimentemos, nunca é o suficiente. O prazer alcançado nunca é o bastante. É por isso que quem vive voltado para as coisas materiais, quem vive em função de prazeres materiais, sempre quer mais.

Sempre mais comida, mais álcool, mais drogas, mais roupas e sapatos e bolsas e aparelhos e tudo o que o consumismo oferece, sempre mais sexo, mais jogo, mais velocidade, mais prazeres de todo tipo. Porque o prazer não preenche o vazio no peito, o prazer material não é capaz de suprir a necessidade íntima de ser útil aos outros.

A única maneira de se sentir realizado é fazendo algo de útil em proveito de alguém. Ninguém consegue se sentir realizado, ninguém experimenta a maravilhosa sensação do dever cumprido se não se dedica a fazer alguma coisa de útil a alguém que não seja a si mesmo.

Não há como ver sentido na vida se não for para ser útil aos outros. Quem são os outros? Isso é você quem decide. Seus amigos, seus vizinhos, seus colegas, empregados, alunos, parentes, sua família, os espíritos sofredores, a lista é enorme. Sempre há alguém precisando de você. Sempre há alguém que precisa exatamente do tipo de ajuda que você pode oferecer.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

11 Comentários

  1. Olá professor Morel, pois estou sempre aprendendo com você, por diversas vezes pergunto “devemos der útil aos outros nos prejudicando, abandonando nossa vida e sonhos, como faço para equilibrar o servir ao próximo e a questão de me dedicar horas ao próximo e não cuidar da minha vida, plantar no presente para colher no futuro…” Poderia, por gentileza me indicar artigos sobre isso ou comentar a sua opinião. Obrigada.

  2. Erika, isso é puro preconceito. Toda atividade útil é trabalho. Se for útil a alguém mais do que você, melhor ainda. É possível (e você evidencia isso) ser incalculavelmente mais útil sem uma atividade laboral “oficial” do que dedicando-se a um trabalho profissional com objetivos exclusivamente materiais. Supere o seu próprio preconceito, não dê importância a possíveis opiniões alheias a esse respeito – ou trate de mudar de vida.

  3. Querido Morel,

    Há 4 anos larguei meu emprego para acompanhar meu marido pelos lugares que a empresa nos manda. Hoje com 30 anos, pelo fato de não trabalhar, mudar de cidade a cada semestre e não ter filhos, me sinto inútil.
    Incrivelmente, sou do tipo de pessoa que família, amigos e mesmo desconhecidos gostam de desabafar e pedir conselho. Muitas vezes fico um dia inteiro escutando aqueles que me procuram e gosto de ouvi-los! Porém mesmo sempre me agradecendo pelo que faço ou por uma palavra amiga, não me sinto suficiente… semana que vem estarei em uma missão no Quênia, Africa, para trabalhar como voluntária com as crianças órfãs e nas favelas, mas mesmo assim… não me sinto completa…
    Para falar a verdade me envergonho todas as vezes que me julgam pelo fato de eu ter abandonado meu emprego para me dedicar ao meu marido… me envergonho toda vez que me perguntam o que eu faço e tenho que responder que não trabalho…
    Será que apenas escutando aqueles me procuram já é fazer algo para meu crescimento? Pelo menos espiritualmente falando?
    Desculpe o desabafo…

  4. E quando eu não for mais útil? Quem ficará ao meu lado?
    A utilidade é um campo muito perigoso. Será que estão do meu lado pela minha utilidade? E, como agora, quando já perdi tantas utilidades, será que continuarei com essas pessoas do meu lado? Quem estará do meu lado para me ajudar a subir uma escada ou atravessar uma rua ou vestir uma roupa ou terá paciência de escutar a mesma conversa repetidas vezes? Utilidade X Amor

  5. Saudações
    “Quem não vive para servir não serve para viver”, já dizia o Mahatma Gandhi.E Também temos esta passagem do Evangelho de Jesus: “Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.Marcos 10.45
    Mas é difícil eu servir o meu vizinho, o meu patrão, o comerciante da esquina, o meu parente tal, etc. etc. pois são todos, isso, aquilo… O Planeta Terra é classificado como de provas e expiações então vamos vencer, ou procurar vencer estes obstáculos e seremos Bem Aventurados Filhos de Deus.
    Namastê

  6. É exatamente isso! Mas é difícil que as pessoas entendam. (Lá vem eu com essa mania de me preocupar com o que o outro pensa). Vivemos em um mundo em que tudo que fizermos tem que valer um preço. E se não valer ou, pior se ainda nos tomar tempo, somos considerados malucos, à toas, etc… Mas o melhor é não ligar pro que essas pessoas pensam. É seguir o nosso coração pq enquanto estamos fazendo o bem ao próximo, não há tempo de cometer erros acumulando dívidas ao invés de resgatá-las…

  7. Excelente artigo. E esse principio é da natureza do homem. Esta impressa em nossa alma. Quando somos uteis sentimos um conforto de sentimento interno, paz e alegria. Grande abraco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.