Pensamento e disciplina

Obsessão – como se livrar de um espírito obsessor

obsessora

Ouça este artigo na voz do autor

Você quer saber como se livrar de um espírito obsessor? A obsessão, quase sempre, é provocada por nós mesmos…

Você já ouviu falar que a verdade dói? Pois é. As verdades que não queremos ouvir doem. As verdades que se relacionam a nós ou aos nossos entes queridos são difíceis de engolir. Nessa categoria de verdades, talvez nenhuma seja mais dolorosa do que o chamado à responsabilidade. É duro de encarar essa verdade, mas o fato é que somos responsáveis por nós mesmos, pelo que nos acontece, pelas nossas companhias, pelo nosso ambiente…

Você tem o costume de se queixar da vida? Acha que as coisas que lhe acontecem são injustas? Você tem a vida que merece e colhe o que plantou. Se não está bom, você precisa reconhecer que não plantou coisas muito boas. Trate de mudar o plantio desde já, para colher coisas melhores num futuro próximo.

No meio espírita, há uma classe especial de bode expiatório. O obsessor. As pessoas em geral põem a culpa de suas mazelas no governo, nos pais, nos filhos, no tempo, na sociedade, na vizinha invejosa. Mas os espíritas e simpatizantes têm, além desses fatores, o obsessor. Se algo dá errado, há um espírito obsessor atrapalhando. Se a família está desunida, o culpado é o espírito obsessor. Se existe desemprego, ou doença, ou vício, a culpa é do obsessor.

Obsessão - a verdade dói...
Obsessão – a verdade dói…

Sempre somos influenciados de alguma forma pelos espíritos desencarnados. Nossos pensamentos sintonizam com outros pensamentos semelhantes. Mas é uma atitude muito simplista atribuir a causa de nossos problemas pessoais a supostas obsessões.

Todos estamos sujeitos à má influência e à companhia perniciosa de espíritos pouco adiantados. Mas de que maneira esses espíritos são atraídos até nós? Não são nossos próprios desejos inconfessáveis que os atraem? Não são nossas emoções desequilibradas que exercem essa atração sobre eles? Quem convida quem?

Quem são as suas companhias no dia-a-dia? Você escolhe suas companhias habituais. Você escolhe seus amigos, você escolhe com quem conversar, você escolhe com quem trocar ideias, você decide quem é merecedor da sua intimidade. Você faz isso conscientemente. Pode errar nas escolhas, mas sabe que está escolhendo, sabe que está decidindo. A única diferença em relação aos desencarnados é que você não os convida conscientemente. Você não formaliza o convite para que eles façam parte da sua vida, para que eles privem da sua intimidade. Mas você é tão responsável por suas companhias invisíveis quanto pelas suas companhias visíveis.

Os pensamentos que você emite são convites claros para que espíritos desencarnados que pensem de maneira semelhante se aproximem de você. Quando você dá vazão a pensamentos doentios, a desejos ocultos, a paixões violentas, a toda espécie de vícios, imediatamente você sente uma energia diferente, a energia associada a esse tipo de pensamentos. Essa sensação é compartilhada e realimentada por espíritos infelizes que incentivam você a permanecer nessa frequência vibratória. Por isso tanta dificuldade em controlar pensamentos negativos e doentios.

Cada hábito indigno, cada pensamento, palavra ou ação vergonhosa cometida por você, cada mau costume que você adquire, ao longo dos séculos, reencarnação após reencarnação, vai compelindo você a essas correntes de pensamento perturbadoras, vai formando ligações entre você e espíritos infelizes.

Não culpe qualquer espírito por estar lhe acompanhando e eventualmente lhe atrapalhando os passos. Quer modificar suas companhias espirituais? Modifique-se. Quer ser merecedor de boas influências, de apoio e estímulo por parte da espiritualidade? Faça a sua parte. Reforme-se. Hoje há uma frase muito difundida que diz que “quando você muda, o mundo muda”. É verdade. Quando você muda, mudam as suas companhias, muda o ambiente à sua volta, muda o seu poder de influência sobre os que o cercam, encarnados e desencarnados. A verdade dói? Pode ser, mas a verdade liberta… 

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

181 Comentários

  1. Tudo isso dói sabe! To perdido! Não entendo pq mesmo tendo sofrido horrores com ela, e ela seguindo usando um comportamento dominante eu sinto falta dela! Racionalizando eu acho q não me desapego dela por causa do sexo em q a gente tem muita química! E penso que como em alguns dias nao consigo parar de pensar nela acabo atraindo ela de volta pra mim e então como nossas diferenças e mágoas voltam a dominar nossa relação ela se afasta me deixando falar sozinho tentando resolver nossos problemas! E nesse momento ela me ignora totalmente! Fico falando sozinho por algum tempo q suponho serem 5 a 7 dias e depois desisto! E sempre quando desisto ela volta! Apesar de eu pedir e implorar q me deixe! Pedir pra nao brincar comigo! Dizer q mágoa oq ela está fazendo! Pq quando nos afastamos e começo a esquecer, ela aparece, me convida pra motéis e cinema e passeios q faziamos qnd éramos namorados, e me pego fazendo mil esforços pra conseguir atingir as expectativas q ela impõe! Porém após certo tempo me entrego e acabo sempre da mesma maneira, com ela me dominando, dizendo tudo q devo fazer pra conquista-lá e sendo acusado e culpado de todos nossos desencontros, nos vemos algumas vezes, faço as coisas que ela pede de mim, agradando-a totalmente, e enfim, quando consigo agrada-lá e ela se demonstra envolvida por mim, novamente ela se foca em algum erro que cometie nossa relação volta ao zero! Por isso q desejo q nossa briga pare e eu consiga ser um pai de verdade pra minha filha!

  2. Penso em escrever e me faltam palavras de tantos erros. Desde meus 15 anos de idade, abandonei o caminho mais correto, a princípio sem conhecimento de estar cometendo isso, mas ao longo dos anos fui tomando consciência de meus atos! Fui dotado de certa inteligência! Não uma inteligência anormal mas uma inteligência suficiente para me proporcionar exito em muitos possíveis caminhos que escolhesse! Da 1 a 8 série era o melhor aluno de minha classe! Porém por fatores que na época me revoltavam e que hoje do alto dos meus 33 anos me parecem muito mais simples e explicaveis me afastei do bom caminho, dos estudos e comecei a me envolver com drogas! Minha trajetória no mundo das drogas teve muitas indas e vindas, e de uma maneira inconstante segui minha vida, passando por abismos e renascimentos, e alternando diversas fases de vida. Ao longo destes anos, conheci o espiritismo, através de diversos livros com os quais fui tendo contato! Então de certa maneira alguns conceitos entraram em minha vida, fazendo ampla diferença no momento em que entravam e logo após esmaecendo e caindo no esquecimento! De uns tempos pra cá, nesses ultimos digamos 2 anos, devido a um relacionamento muito destrutivo e uma incursão destrutiva no mundo da cocaína e álcool, acabei, entre alternando momentos bons e ruins e a busca constante por esclarecimento, me aprofundando nos livros espiritas, lendo muitas obras de chico xavier, o livro dos espíritos, o evangelho segundo o espiritismo, entre outros títulos muito esclarecedores! Passei a frequentar mais centros espíritas! Porém devo dizer, que apesar de ser um leitor ávido, de estar buscando respostas, tenho um grande problema no que diz respeito a disciplina, tanto mental como física! E não consigo abandonar com facilidade meus problemas e falhas de caráter! Sabe, o que mais me dói é perceber quem eu sou quase com clareza, pesquisar sobre meus erros e problemas e apesar de encontrar respostas continuar recaindo a eles! O que me dói também, é quando faço um inventário moral da minha vida, e encontro atitudes tão sérias e graves, que o peso delas parece me abalar de forma profunda! Sou uma pessoa bem esclarecida! Sei no que acredito, enxergo e pesquiso meus problemas, mesmo assim, este ano, vivi uma sequência de eventos tão traumáticos que mesmo com minha consciência tentando racionalizar e assumir a culpa pelos problemas que me aconteceram, acabei durante algum período de tempo, de 10 a 20 dias, sentindo extrema pena de mim mesmo e culpando incessantemente minha ex namorada pelos meus infortúnios! Mesmo sabendo que ela teve influência em muito do que me aconteceu, agora penso que se eu passei pelo que passei foi porque apesar dos vários indícios que tive de que deveria encerrar nossa relação, resolvi ignorar e persistir na relação, mesmo tendo durante várias vezes sofrido consequências muito sérias por fatores resultantes de nossos desentendimentos! De minha parte, continuei buscando auxilio em leituras espirituais e quanto mais li, mais reconheci meus proprios erros nossa relação, assim como enxerguei os erros dela e de uma forma obstinada procurei encontrar respostas e explicações e racionalizar todos nossos dramas! Até ai tudo bem! Só q no fim do ano passado, sempre com iniciativa dela de me agredir, reagi pela primeira vez, nao machucando ela, pois nunca reagi com veemência, mas acertando ela no peito de forma a afasta-lá, após ela ter desferido um chute em meu joelho, que já havia machucado e operado anos atrás na adolescência, que acabou por custar-me uma operação no joelho, após o rompimento dos ligamentos do mesmo, por conta de uma bobagem, que seria uma tv q eu tinha emprestado pra ela e ela nao queria devolver! Após isso, acabamos, mais um entre tantos rompimentos que já haviamos tido! Cheguei a entrar com um processo contra ela por lesão corporal! Passei pela operação do joelho e pelo ano novo sozinho, até que passado pouco mais de um mês, ela resolve voltar a me procurar, me oferece um curso e uma chance de trabalharmos juntos, aceito, desculpo ela apesar de ela nunca admitir que foi seu chute q me fez operar o joelho, Porém reatamos e começamos uma nova fase! Eu sempre me esforçando, mas nunca superando as expectativas dela e quanto mais ela me cobrava mais acabavam aumentando minhas fugas para o álcool e a cocaína, fugas essas que minavam a maioria das tentativas de ficarmos juntos na casa dela como um casal! Ela me convidou a morar com ela! Eu fui! Mas ela nao conseguiu se adaptar as minhas manias e meu jeito de ser, então me mandou de volta! Dei várias ratiadas com minhas responsabilidades, perdendo plantões no serviço perdendo o curso q ela havia me dado e uma outra oportubidade no mesmo curso por negligência! Então nossa relação atinge seu fim! Conosco transando e eu atingindo o orgasmo antes dela, algo raríssimo de ocorrer, ela fica furiosa, me manda lavar lençol, oq recuso na hora diZendo que se ela quisesse lavaria na casa dela, pois ela queria q levasse pra minha casa, me ofende, se retira e vai tomar banho… Durante o banho ela começa a me ridicularizar, dizer q eu nao era homem, que iria chamar outro homem para lhe satisfazer sexualmente já que eu nao era capaz, junto com um monte de chingamentos a minha sexualidade e performance! Eu me encolhi a juntar minhas coisas e em um acesso de raiva a chamei de vagabunda, e que ela fosse e fizesse pois era uma vagabunda! Neste momento ela diz: A não, tá me desrespeitando na minha própria casa, e se bota em mim de socos, chutes, tapas, arranhões, gritos, chingamentos, e eu me encolho e me defendo, apanhando sem reagir e pedindo pra q ela pare e me deixe ir! Neste momento consigo me afastar, mas eu nao estava totalmente vestido, e ela, enquanto eu estava de cueca e camiseta, se agarra na minha camiseta me impedindo de sair da cama! Eu continuava pedindo pra que ela me soltasse e me deixasse ir mas ela nao soltava, nesse momento, na minha cabeça, só oq vinha eram lembranças da vez q ela rasgou minhas calças, arrebentou minha mochila e arrebentou as duas pratas que eu tinha, a de pulso e a do pescoço, somadas a ultima vez q ela tinha me agredido, em que chutou meu joelho e tive de operar e qundo voltamos prometi a ela que ela nunca mais me machucaria! Pois Então me soltei! Ela veio pra cima e tentou bater no meu rosto, reagi e bati na orelha dela, derrubando ela na cama, ela tentou mais uma vez e reprimi da mesma forma. Ela parou de me agredir. Começou a chorar! Disse q eu era um monstro! Eu nao tinha usado força para machucar, somente para espantar e me defender! Ela saiu correndo, eu fui pegar minhas roupas pra ir embora… resumindo, ela me trancou no apto, fiquei mais de 3 h esperando a policia chegar, pacificamente, a policia chegou, fui pra delegacia, fui preso, fui pro presídio central, voltei, minha avó caiu, bateu a kbc, eu trabalhava com ela, fui na empresa, perdi o emprego, minha avó q era uma 2 mae pra mim ficou 1 mes no hospital, desencarnou, vim pra casa e me entreguei a depressão, álcool e cocaina por uns 20 dias… nao bebia e cheirava todos os dias mas pra cada dia q eu usava ficava uns 2 sem sair de casa e depois voltava o ciclo! Comecei a ler livros espíritas, minha revolta e culpa diminuiu, comecei a frequentar centros espíritas, e de repente depois de 30 dias ou quase ela reaparece! Tentei resistir! Disse pra ela tudo q tinha me acontecido! Ela pediu desc, disse q era louca, q se arrependia, me envolveu tudo de novo, e quando percebi já estava correndo atrás dela e ligando e mandando msgs sem q ela me respondesse e com ela me culpando por tudo q aconteceu e desmentindo as desculpas que me pediu! Enfim, voltei ao dominio dela, onde ela manda e eu me revolto, onde ela me explica porque deve mandar na nossa relação e como errei com ela! E onde ela me manipula, aparecendo quando quer sexo, companhia ou precisa de alguma coisa e sumindo quando não quer contato comigo! Me magoando mais e mais! Porém qnd ela me bloqueia e começa a me ignorar tento me libertar e quando estou ficando mais forte e conformado ela volta e nao consigo resistir! E minha consciência sabe de tudo! Mas não consigo me livrar! Hoje mesmo, ela me chamou na casa dela ontem, me destratou pedindo pra eu comprar comida, sai, comprei, ela deitou na cama, comigo, dormiu e eu fui embora, e hj ela me ignorou como se nada tivesse acontecido e eu ainda fosse culpado por querer falar com ela já q ela é solteira e nao me deve satisfação! Bah… desabafei!!!

  3. Boa noite, Desde criança tenho vontade de morrer e renascer com tudo mudado, crio uma situação na minha cabeça, onde acontece algo muito ruim e acabo morrendo, fico dias assim e quando menos esperam eu volto a vida, isso acontece desde os meus 7 anos de idade, eu chegava a passar certas plantas na minha pele pra ver se isso causava algum mal em mim, para estes pensamentos virarem realidade, mas no fundo eu não queria ir. Os motivos pra isso era o constante abuso do meu pai, batia em mim e meus irmão, muito ciumes, maltratava a minha mãe ( isso continua acontecendo atualmente), não lembro ao certo quando começou mas devia ter lá os meus 7 anos, meu pai começou a abusar sexualmente de mim, começando com caricias eu fugia dele, e isso se intensificou ao longo dos anos até eu completar 11 anos de idade, tinha muito medo dele, geralmente me isolava dos meus irmãos e ficava passando o corpo em mim, eu era amedrontada por ele, não tinha reação para contar para as pessoas, e sempre fugia, pulava a janela, com os 11 anos estava trabalhando em uma fazenda e eu estava conversando com um rapaz todos os dias antes de dormir ele percebeu em um dado momento ele colocou uma arma na minha cabeça e me deu uma chave de pescoço, dizendo que ia me matar. Desafiei ele a fazer isso, ele me soltou e nesse dia fui morar com meus avós, hoje tenho 32 anos. Mas o irmão dele também tentou abusar de mim, quando tinha lá os meus 8 anos de idade, eu me lembro até hoje. hoje não suporto a ideia de ver ele perto de mim ele me apavora, me orientaram a perdoar, mas eu não tenho este sentimento de perdão, porque pra mim ele tanto fez e tanto faz, não desejo o mal como fazia antes, mas não suporto a ideia de estar no mesmo ambiente que ele. Mesmo depois de tantos anos os meus pensamentos continuam os mesmos, isso reflete em minha vida sentimental, eu não consigo me desapegar de uma pessoa que diz que me ama, mas nunca sabe o que quer, um dia esta bem comigo e no outro não esta, mesmo ele me traindo diversas vezes, já tentei me desapegar, cortar contato, já impus que mude suas condutas para ficar comigo, porque assim eu não aceito, tenho obsessão por ele. e quando essas coisas acontece comigo, volta a relembrar todo meu passado, as cenas ainda estão nítidas na minha mente, até as palavras. Isso doí demais, porque eu penso que eu também fui responsável por isso ter acontecido, doí pensar que eu não pude frear. Por alguns momentos da minha vida, tive relações sexuais apenas por fazer, saia procurando, e depois me sentia um lixo, culpada, suja, hoje não faço mais isso, me reeduquei, mas confesso que em alguns momentos quando estou pra baixo ainda penso. O meu momento hoje, quando penso no futuro e vejo o quanto tempo que ainda me resta pra viver, fico desanimada e achando que não vai dar tempo pra nada e muito menos aproveitar as coisas que quero fazer, e quando penso nesse meu tempo, penso no tempo da minha mãe e o quanto eu queria ter dado mais pra ela em todos os sentidos da vida e começo a chorar, eu me forço a ir pra frente e mesmo assim paro pensando nisso, há dias bons e outros ruins e quando eu fico obsessiva em relação ao meu relacionamento, tudo muda, sinto um energia negativa, peso nas costas, sentimento de desespero, e a minha cabeça ela voa, fica aérea, não consigo enxergar mais nada além daquilo, sentimento de posse, e muitas vezes tenho sonhos e quando eu acordo e analiso o que sonhei eu tenho certeza que algo vai acontecer e quando acontece automaticamente eu lembro do sonho. Eu não sei o que é isso, nem sei ao certo dizer se isso se trata de espirito obsessor, talvez por acreditar eu deveria ter sido mais forte que isso. Se puder dizer algumas palavras eu agradeço!!

    Obrigada

    Amora

  4. Olá, sou católica praticante (eu e meu marido), tenho 35 anos. Sou casada há pouco mais de dois anos. Logo que me casei, meu marido tornou-se uma pessoa extremamente agressiva, basta ser contrariado. Por motivos extremamente fúteis, ele se transforma, vira um bicho, e quebra o que vê na frente. Já destruiu vários celulares, pratos, quebra carros, quebra as coisas em casa, chegando a se machucar por várias vezes (não me agride). As pessoas que já presenciaram as cenas ficam boquiabertas, pois ele é uma pessoa carinhosa e amiga de todos. Já teve esse tipo de atitude até mesmo com a própria mãe. Lendo seu artigo, devo concluir que realmente há um espírito obsessor em sua companhia. Ele é uma pessoa de baixa auto estima, que pensa que não cresceu na vida (o que não é verdade), e que pensa muito em dinheiro e sucesso profissional. Digo sempre a ele que deve ser grato a Deus pela vida que tem e por tudo o que conquistou (família, amigos, carreira, saúde). Quero ajudá-lo, pois sei que é uma ótima pessoa, que precisa de ajuda, e sei que me ama. Algumas pessoas já começaram a me incentivar em abandoná-lo, mas meu amor por ele me faz nem cogitar essa possibilidade. Não sei o que fazer…

  5. Boa tarde!

    Sou casada há 15 anos, tenho dois filhos e um casamento que na verdade nunca foi 100%, Há uns 8 anos minha sogra faleceu e a partir daí meu casamento piorou. Meu esposo chega a ficar dias sem falar comigo sem motivo algum, me evita o tempo todo. Na verdade não tenho ele como companheiro, nem amigo, nem esposo, simplismente ele não ocupa nenhum espaço que um esposo normalmente ocuparia.
    Dorminos em quartos separados dede que ela faleceu, e deixamos de fazar quase tudo desde o falecimento dela. As vezes ele a chama. Isso pode ser que o espirito dele esta nele?? Não entendo nada de espiritismo. Mas gostaria de saber o que posso fazer. pq jáe stou cansada e abrindo mão do meu casamento. Ainda posso salva-lo??

  6. Olá Morel, seu texto é de grande ajuda para nossa caminhada. Somos o que comemos e somos o que pensamos !
    Tudo é energia e nossos atos e pensamentos certamente vão trazer amigos ou simpatizantes energéticos para nossa vida.

    Mas tenho uma pergunta que ninguém ainda me respondeu:
    Desde criança sou sensível ao mundo espiritual, seja por empatia (hoje entendo assim), seja por visão ou por vezes por audição. No entanto uma criança não nasce com o entendimento à esse respeito e nem sabe do que está acontecendo à sua volta, logo, uma criança não é culpada pelos espíritos que a cercam. Correto ?!!
    Sempre fui quieto e choroso, anti-social pois preferia me isolar, tinha baixa auto-estima, em termos da psicologia atual eu era depressivo.

    Hoje entendo que havia uma influencia espiritual na minha vida e demorei a entender isso, pois apenas depois de uma cirurgia aos 39 anos foi que voltei a me abrir para a espiritualidade.
    Não sou espírita, simpatizo com os esclarecimentos que Kardec trouxe, vejo a boa espiritualidade que vários povos praticam e simpatizo com muitas descobertas que esses também tiveram.

    Hoje busco “fechar a guarda”, mas te pergunto como uma criança pode se defender de obsessores ?

    Abraços e parabéns

  7. É a primeira vez que visito o site e me identifiquei muito com algumas coisas,que realmente estão acontecendo comigo,ou melhor no meu lar.Tudo começou há 4 anos atrás,quando um primo meu foi morto dentro de casa na frente dos meus tios,isso abalou a família e consequentemente há mim.Desencadeie problemas psicológicos que até hoje não foram melhorados,no mesmo ano,questão de 1 mês após essa tragédia em família,uma tia minha muito apegada a mim e ao pessoal da minha casa,descobriu um câncer no pâncreas,minha irmã sempre a acompanhou em seu tratamento,até que no dia 08/10/2014 ela deseencarnou,deixando um filho adotivo,o qual ela pediu que tomassemos conta dele,porém ele sempre foi extremamente rebelde e não aceita que ninguém,tome conta dele já que ele tem 20 anos,mais não tem juízo.Depois de tudo isso,a tranquilidade de minha casa acabou … Minha tia,mãe do meu primo que mataram dentro de casa,vem aqui e fala o nome dele 24 horas por dia,uma revolta daquelas,ela não aceita por ela ter visto tudo,acredito que sempre quando ela vem até minha casa,esse meu primo que creio eu não está num lugar legal,acompanha ela,pois sempre quando estou perto dela não me sinto bem,começo a sentir as piores sensações do mundo,e fico muito nervosa,muitas vezes vou até meu quarto,me tranco lá e faço alguma prece,mais quando esse meu primo vem até minha mente,sinto um pavor,um medo inexplicável.Já quanto a minha tia que morreu de câncer,é totalmente o contrário,sinto uma paz enorme quando lembro dos nossos momentos felizes,mais sinto que ela não esteja bem,pelos problemas que o filho dela vem cometendo,Tenho muita sensibilidade pra sentir presenças,mesmo não querendo,muitas vezes penso que tudo isso é coisa da minha mente,que isso não existe,que quem morreu quer descanso e não tem poder de voltar e se comunicar ou fazer tais coisas,porém mudo de opinião com muita facilidade,já estou perdida porque em casa,só eu faço preces e orações.

  8. Boa noite Morel! Amei o seu texto sobre … Eu tenho 26 anos sou uma
    Pessoa mt divertida , alegro a todos ao meu redor , tenho muitos talentos artísticos e profissionais na minha área ! Tenho um coração enorme .. Mas minha vida simplesmente não vai pra frente , eu tenho pensamentos de morte , desanimo total da vida , irritação , é uma angústia q me leva a chorar por muitas vezes .. Eu era evangélica então fui criada numa
    Doutrina em que espiritismo é pecado .. Mas comecei a me aprofundar no assunto pq sei que não eh normal uma pessoa como eu q tem saúde , viver uma vida tão pequena .. Não consigo focar em nada tenho tantos planos e sonhos .. Eles nunca saíram da minha cabeça , algo me trava eu não sei explicar .. Tenho compulsao alimentar , às vezes bebo e fumo Tb .. E no outro dia me sinto mt mal .. Meus relacionamentos não dão certo .. Eu às vezes pareço ter dupla personalidade .. Tenho mt medo de morrer toda hora penso q vou sofrer um acidente e como será minha morte , por doença ou algo assim .. Se puder me dar uma atencaozinha agradeço obrigada desde já

  9. Olá meu nome é thayna e a 5 anos fui diagnosticada com epilepsia, só que tenho convulsões diferentes da maioria dos epilépticos, só tenho a noite e ja procurei curas espirituais q me informaram que existe um Espírito obsesor perto de mim, um que teria morrido com a mesma doença que me encontro hoje, o mesmo espírito se apresentou em uma mesa e me falou , que quando arruma uma pessoa é dificil desapegar, só que eu não entendo o que eu tenha feito de mal para este espírito para que ele esteja me fazendo tão mal, eu quero viver a minha vida em paz, eu quero ter paz mas longe disso tudo eu presciso muito da sua ajuda me aconselhe

  10. Leonardo, procure um centro espírita e peça tratamento para ela. Um tratamento pelo método apométrico pode ser eficaz. Pesquise sobre Apometria e se há um centro espírita que trabalhe com Apometria na sua região.

  11. Morel, minha esposa há tempos tem tido problemas de “saúde” sem diagnósticos, reclama de dores de cabeça fortes, de muita pressão na nuca, dores pelo corpo, tem mudanças de humor repentinas, estresse excessivo, e com uma certa frequência desmaios, e de um tempo pra cá, ataques de pânico parecendo estar em outro local (não me escuta e não me enxerga, suas pupilas ficam dilatadas, pede por socorro, que não a deixe morrer, que a tire de lá, teme pela sua vida) e quando isso ocorre, normalmente fica com intestino atrapalhado, sendo muito fétidas suas fezes e acompanhado de vômito. Tenho orado durante estas ocorrências e dado a ela sal bento e água benta, e quando tenho o contado destes com ela, ela dá um suspiro como se incomodasse. Isso resumindo bem… Já estou desesperado, com medo e não sei mais o que fazer nesses momento e nem a quem pedir ajuda. O que pode ser, e a quem peço ajuda e como? Obrigado.

  12. Valéria, o espaço é livre para pessoas perguntarem e para pessoas responderem. Talvez você tenha respostas melhores que as minhas. Mas acredito que você tenha um probleminha com a interpretação de textos. Releia minha resposta com calma, palavra por palavra, e reflita.

  13. Caramba, sem querer criticar, mas algumas de suas respostas são péssimas. Se não entende do assunto, não diga que a pessoa é sonâmbula. Se não acredita em certas coisas e não pode ajudar, não faça um site sobre isso.

  14. Deus nos joga num espaço decadente e fala: te vira!
    Não sou, óbvio, ninguém a julgar os desígnios de Deus. Mas as exigências da religião não são acompanhadas da correta instrumentação e apoderamento do ser humano, sendo dito, quando dito, em linguagem figurada.

    Eu já fui puro amor, e espero um dia voltar a sê-lo…

  15. João, é possível, sim, retomar a paz e fazer um relacionamento progredir harmoniosamente. É importante cuidarmos de nosso próprio equilíbrio. Se estamos suficientemente equilibrados, a não ser que o outro esteja muito desequilibrado, ele é induzido pelas nossas boas vibrações. É um exercício constante, diário.

  16. Morel, por vezes, através de seus auspícios, sugestões de leitura e tratamentos busquei a remediação de algumas mazelas em meu relacionamento afetivo. Agradeço- te muito.

    Continuo percebendo muitas reações estranhas, porém. Coisas desproporcionais, agressividade extremada, ciúme raivoso e boicotes emocionais.

    O que dificulta é que estamos afastados. Dessa forma, pergunto, como posso interpelar, auxiliar, mentalizar coisas boas a essa pessoa que tenho tanto apreço, à distância?

    Permaneço com o tratamento apométrico. Orações, leituras, reflexões. Reforma íntima.

    Em suma, é viável um casal retomar felicidade, harmonia e paz, após fortes tribulações, obsessões? Pergunto, pois, a maioria das reflexões mundanas dão conta de relacionamentos descartáveis, trocas em caso de dificuldades.

    Sinto que tanto ela, quanto eu queremos vencer essas dificuldades. Só ainda não chegamos ao ponto de equilíbrio.

    Força e Paz. Obrigado pela leitura de meu comentário.

  17. Thiago, chamo a atenção para os seus guias. Nem sempre os espíritos que se apresentam como nossos guias são espíritos dignos desse nome. Não é normal alguém que trabalha com a sua mediunidade, que tem guias e os incorpora passar pelo que você está passando. Algo está errado. Sugiro que você conheça outras casas, veja como se sente. Procure tratamento com Apometria. Se não conhece, pesquise.

  18. Olá!

    Em primeiro lugar parabenizo o site!

    Venho falar da minha obsessão.

    Diferente de qualquer sintomas emocionais, os meus são físicos. Já faz quase 3 anos que sou atormentado por espíritos.

    Na hora de dormir, ou mesmo sentado em qualquer hora do dia, as cobertas se mexem, cutucam, puxam minhas roupas, sinto energias fortíssimas no alto da minha cabeça, sussurros dentro do colchão, travesseiro, no ambiente, livros caindo, tapas no armário, socos de dentro do colchão para fora, pressão fortíssima na minha cabeça.

    Veja bem, são sintomas físicos! Minha própria namorada, após me conhecer, se tornou uma vítima também.

    Tenho mediunidade, sou umbandista e médium de passagem. Incorporo todos os meus guias, porém, sempre que são chamados me atendem durante a noite. Mas chamá-los todas as noites para dormir é extremamente cansativo.

    Creio que este obsessor me segue aonde eu vou, gostaria de saber como posso me livrar dessa situação. Tenho uma sensibilidade muito forte, consigo sentir todos os meus chakras caso eu o tente, mas acho que esta sensibilidade e mediunidade estão se tornando um tormento para minhas noites de sono.

    Alguma sugestão?

    Grato desde já,

    Thiago.

  19. Rosa, fenômenos assim acontecem; são registrados por cientistas e pessoas idôneas. Mas temos que esgotar todas as possibilidades de equívocos de nossa parte. Uma possibilidade é que você seja sonâmbula. Conheço pessoas sonâmbulas que faziam coisas semelhantes, sem suspeitarem de si mesmas. De qualquer forma, não se impressione. Nada de mal vai lhe acontecer.

  20. Olá Morel,
    É o seguinte, há muitos anos atrás passei por uma situação difícil e que me custou ultrapassar mas lá consegui seguir em frente, as coisas desapareciam de um sítio e passado um tempo encontrava em outro, como exemplo uma noite fui dormir e tinha a porta fechada e com chave metida na fechadura… no outro dia levantei-me e tratei da minha filhota, tomamos o pequeno almoço e quando vim para sair de casa a porta tava fechada mas sem a chave posta na fechadura… a chave tinha desaparecido… por acaso tinha um cópia e sai de casa mas sempre a pensar que coisa estranha… passado uns dias, eu andava a tirar uns cobertores do armário e ao abrir um cobertor cai as chaves que tinham desaparecido. E passaram outras coisas… isso fez já 14 anos… agora além de sentir vários arrepios gelados, a minha aliança de casamento sumiu do meu dedo durante a noite, não a encontro e não entendo, um pano também me apareceu totalmente aberto em cima da tabua de passar a ferro muito depois de eu o guardar em seu sitio… sou emigrante e em Espanha não conheço ninguém de Espiritismo, se me puder aconselhar ficaria grata, muito obrigado.

  21. Malu, uma coisa não tem nada a ver com a outra. O desentendimento de vocês começa com o uso do álcool, que exacerba os ânimos, e termina com reações exageradas de parte a parte. São problemas diferentes – que podem estar interligados, mas merecem abordagens diferentes.

  22. Bom dia Morel! Vivo um relacionamento de 15 anos, já moramos juntos por cinco anos, nos separamos e em Março de 2015, voltamos a morar juntos. Ele tem um filho de 19 anos, e esse rapaz desde que criança, não queria que ficássemos juntos, mais tarde disse que aceitava. Há uns dois anos atrás descobri que ele falava horrores de toda a família com a namorada, inclusive de mim, ninguém me contou, eu vi as conversas numa rede social. Em final de dezembro, ele veio morar conosco. Sabe quando a simples presença da pessoa lhe incomoda, e você começa a sentir uma angustia no peito, era o que estava acontecendo. Minha filha dizia que era por que eu não gostava dele, mas eu não acho isso. Ele começou a ficar espaçoso dentro de casa, eu chegava do trabalho e tinha que ir para meu quarto, porque ele tomava conta da sala. Sempre enfurnado dentro de casa. Domingo saímos, fomos a um churrasco, ele não quis ir, eu e meu companheiro bebemos, quando voltamos tinha um bilhete dizendo que tinha ido pular o carnaval. Eu disse milagres acontecem, e daí começou-se uma discussão, que meu companheiro me xingou, eu joguei roupa dele pela janela e ele me agrediu, eu o arranhei e ele veio de novo, bom, ele saiu de casa, agora perde perdão, diz que perdeu a mulher da vida dele. Eu não sou mulher sem-vergonha para ficar tomando na cara. Nada me tira da cabeça que esse filho dele tem carga negativa. Mas quero acrescentar uma informação, com relação à agressão, já tinha acontecido duas vezes, a última foi há nove anos atrás e ele disse que nunca mais aconteceria. Existe essa possibilidade dele ter atraído isso para nós?

  23. Tem gente que são obcecadas por outras, tenho uma amiga que o ex dela não a deixa em paz, fico pensando: e quando uma pessoa morre mas obcecado por outro talvez a obsessão não acabe também. Imagina que o outro já não quer te deixa em paz em vida será que deixa em paz depois? Eu sempre ouvi que quando atraímos muito os outros e principalmente pessoas desregradas em vários aspectos da vida, é porque somos tipo uma luz que faz elas enxergarem ou que apenas as faz se sentirem bem. Por esse motivo essas pessoas exageram querendo sempre ter nossa presença, e isso me assusta muito.

  24. Sandra, se você se sente perseguida, é porque está na mesma faixa vibratória que esses espíritos. Se você estivesse mais elevada, eles não atingiriam você. Sugiro que comece a frequentar um centro espírita kardecista. Peça atendimento, frequente, leia, se instrua – não tenha pressa. A pressa não é boa conselheira.

  25. Felipe
    Gostaria de pedir sua ajuda, eu fui vítima de uma pessoa que fez uma coisa chamada amarração amorosa para mim, e desde então tem uns espíritos o tempo todo me acompanhando, como se estivessem passando informações da minha vida para esta pessoa, como eu me livro disto?

    Um abraço.

  26. Morel, tenho ido pra Igreja, grupo de orações e missas, mais não sinto a presença de Deus e nem do Espirito Santos, fico angustiado e desesperado, o que posso fazer ?

  27. Olá Morel, achei este site em uma busca e gostaria da sua opinião: eu frequento a doutrina kardecista há alguns anos, e passo por um momento na minha casa que me deixa intrigada. Minha sogra faleceu em julho de 2015, e desde lá meu esposo está com comportamento bem diferente do que tinha antes. Ele puxa briga com tudo, manias, e várias vezes manias que a minha sogra tinha, e faz até mesmo as mesmas expressões faciais, jeito de falar… Está insuportável a convivência. Descobri que um irmão dele que mora a 300 km de nós também está assim. Eu e minha cunhada desconfiamos que poderia ser alguma influência da minha sogra, já que ela tinha muito apego à casa que morava, era muito depressiva e tinha uma ligação forte com estes filhos. Gostaria de saber se isto pode ocorrer e como podemos fazer para ajudá-la e ajudar nossos maridos. Obrigada!

  28. Renata, pode ter se instalado uma forte ligação sintônica entre o espírito que estava prestes a reencarnar através de você e você. Sugiro que você procure um centro espírita que trabalhe com apometria. Se não conhece, pesquise sobre.
    Permaneça vigilante em relação a possíveis influências negativas. Eu não tenho televisão há muito tempo – não há porque sermos bombardeados de uma visão pré-fabricada de negativismo sobre a vida.
    Você vai ficar bem.

  29. Olá, encontrei este site no Google em busca para respostas de algo que está acontecendo em minha vida. Quem sabe pode me ajudar? Frequento o espiritismo há muitos anos já e mesmo tendo fé e acreditando no que aprendo no espiritismo estou passando por uma situação muito ruim. Há dois meses tive um aborto espontâneo e encarei isso muito naturalmente, pra mim foi como se tivesse morrido um corpo e que outro seria fabricado para eu poder engravidar de novo.
    Mas desde que eu sai do hospital, algo mudou em mim. Desde que saí, sentia minha cabeça pesada, dor de barriga, me sentindo mal, medo de ir na rua. Há algumas semanas, algumas notícias ruins me afetaram muito (uma pessoa que conhecia que foi assassinada, além de notícias ruins que passam na TV o tempo todo) e aí há uma semana comecei a ter pensamentos que considero que não são meus: medo de morrer, dúvida em relação à eternidade, pensamentos de que eu não existo, que nada existe, que não tem explicação pra existência do mundo, que meu passado não existe, que tudo é surreal etc. Ao mesmo tempo que penso isso, sinto um peso na minha cabeça, como se eu estivesse flutuando, estivesse fora dessa dimensão. Ao mesmo tempo minha percepção da realidade continua lá, exemplo: sei o que devo fazer no trabalho, em casa etc e mesmo com dificuldade, estou fazendo. Minha fome diminuiu demais, e emagreci dois quilos em três dias. Quando faço meditação com vídeos do youtube eu relaxo muito e essa semana creio que tive um encontro com minha mãe que já desencarnou. Foi muito real e eu fui na casa dela. Quando eu medito, eu durmo e durmo muito bem e acordo sem sentir o peso, acordo normal, depois de um tempo ele volta. Então eu imagino o seguinte: eu estou aqui, com meu espírito ligado ao meu cérebro. E um espírito está do meu lado, o que me causa a sensação do peso e ele influencia meu pensamento. Aí eu penso duas coisas ao mesmo tempo: o meu pensamento, nesta vida, e o dele, com coisas que estão me deixando louca. Será que estou certa em relação ao que esta acontecendo comigo? Marquei um psiquiatra para semana que vem, mas estou com medo dele me lotar de remédios e ser uma coisa totalmente espiritual. Já fui pro atendimento fraterno no centro, estou sendo acompanhada, tomando passe, orando, tomando água fluidificada e coloquei meu nome na reunião mediúnica. Ficaria muito feliz se me ajudasse.

  30. Oi eu vi o seu site e pensei que talvez você possa me ajudar. De uns dois anos pra cá tudo tem dado errado pra mim, eu tinha um ótimo emprego e ganhava muito bem mas não conseguia fazer nada com o que recebia, por mais que poupasse meu dinheiro nunca dava pra nada, acabei perdendo esse emprego, fiquei muito endividada e não consigo arrumar outro, por melhor que seja o meu currículo. Eu visitei uma pessoa médium e ela viu uma mulher atrás de mim, uma pessoa da minha família que morreu e ela tem muito ódio de mim, disse essa médium por que eu quero algo que era dela. Eu acho que pode ser minha avó paterna, estamos brigando na justiça por causa das casas que eram dela e tudo começou depois que briguei com minha tia por causa disso. Eu consegui um emprego, fiquei nele 45 dias o meu primo, filho dessa tia, passou lá, uma semana depois fui mandada embora. E isso não é tudo, eu me sinto muito cansada, desanimada, há alguns meses só pensava em me suicidar, cheguei a amarrar uma corda no pescoço, mas o meu filho acordou e viu e conseguiu impedir. Eu não sei o que fazer, moro numa cidade pequena e não sei pra quem pedir ajuda. Essa médium que me disse isso não mora aqui, eu estou desesperada.

  31. Charles, Deus não é um ser, então, para Ele, não faz diferença nenhuma se acreditamos ou não. Pode fazer diferença para nós. O que vale, realmente, são as nossas atitudes, não as nossas crenças. Você pode ser ajudado no centro espírita, sim. Mas é bom que você saiba que o que nós chamamos de obsessores são seres como nós, apenas despojados do corpo físico. Sempre estamos psiquicamente ligados a espíritos encarnados ou desencarnados. Quando essa ligação é negativa, com algum espírito querendo nos prejudicar, dizemos que estamos obsediados. O tratamento no centro espírita geralmente é eficaz. Mas, assim como um doença física, é preciso tratar as causas. Se você tem dor de cabeça, por exemplo, não adianta só tomar remédio para dor de cabeça. É preciso tratar a causa da dor de cabeça. A causa das obsessões são os nossos desajustes: maus pensamentos, más palavras, más ações, sentimentos negativos, emoções desequilibradas.

  32. Olá, eu acredito que tenho espíritos obsessores em mim, e vi aqui que o tratamento envolve orações e crença em Deus, mas eu não acredito em Deus, o que acontece comigo? O centro espírita ainda pode me ajudar mesmo eu não acreditando em Deus?

  33. Bianca, conceitos como a imortalidade do espírito, a reencarnação e a possibilidade de comunicação entre espíritos encarnados e desencarnados independem do Espiritismo. Mas de dois terços da população mundial tem esses conceitos como verdadeiros. Não há como encontrarmos explicações satisfatórias para as inúmeras diferenças entre as pessoas sem levarmos em consideração a reencarnação.
    Todos nós já tivemos inúmeras existências. A cada existência aprendemos algo novo, nos envolvemos com pessoas, fazemos amizades e inimizades, cometemos erros e acertos. Carregamos conosco todos essa bagagem. Embora não recordemos conscientemente as nossas outras existências, as trazemos conosco – isso explica o fato de uns serem mais inteligentes e outros menos; uns serem bons e outros maus; de uns terem mais facilidades e outros menos. Todos nós, espíritos encarnados e desencarnados nos influenciamos uns aos outros através dos nossos sentimentos, pensamentos, desejos, tendências e hábitos. Sempre somos responsáveis por nós mesmos – não podemos colocar a culpa de nossos erros nos espíritos (ou no diabo). Mas que há influência, há. Temos nossos desafetos de outras existências que procuram nos prejudicar. Se fôssemos muito bons, eles não teriam acesso a nós. Mas, como ainda temos muitas falhas, eles se aproveitam dessas falhas para nos “soprarem” pensamentos doentios, raiva, vingança, egoísmo, tristeza, depressão.
    É verdade que só nós mesmos podemos nos ajudar. Mas, quando nos ajudamos, contamos com a ajuda dos bons espíritos, trabalhadores da causa de Jesus. O que você pode fazer por ele é orar. Procure manter bons pensamentos a respeito dele, e esteja disposta a ajudá-lo se ele decidir a se ajudar um dia.
    Sugiro que você leia O Livro dos Espíritos e O Evangelho segundo o Espiritismo – iria esclarecer uma série de dúvidas básicas e facilitar o seu entendimento de uma série de situações. Os dois estão disponíveis em PDF na aba LIVROS no menu deste site.
    Fique com Deus.

  34. Diego, isso é possível. A companhia de um espírito desequilibrado, que não se encaminhou depois do desencarne, pode realmente nos prejudicar. Procure um centro espírita e peça atendimento. Ore muito, procure ler bons livros espíritas. A maneira como você pensar e sentir irá afetá-la, portanto, ao orar e ler livros de alto teor esclarecedor, ela irá se beneficiar.

  35. Olá, li seu artigo, gostei e li suas respostas aos leitores. Gostaria de fazer uma pergunta. Eu estou sempre em busca de respostas no mundo espiritual para entender o que acontece com o meu pai. Sou evangélica, de família católica, tenho dúvidas sobre o mundo espiritual, creio na bíblia e não achei até então algo lá que diga que espírito tem outras vidas ou vaga por aqui, não estou criticando, pelo contrário, não sei tudo e acho que ninguém sabe, acredito que no mundo há muitas coisas que vão além do nosso entendimento. Não tenho preconceito religioso, enquanto católica nem sequer eu me perguntava se existia algo além do ensinado ali, hoje eu acredito que sim, tanto que me encontrei na igreja evangélica. Acredito em Deus em primeiro lugar, mas hoje sei que o lado ruim também existe. Me assusta. Sempre simpatizei com kardecismo. Meu pai há alguns anos tem tido um comportamento que nunca o vi tendo nos 28 anos que tenho de vida. Agressivo, vingativo, briga, ameaça, já foi parar na delegacia, minha mãe está separando dele por causa das traições, ele não tem paz, maltrata todo mundo, parece um demônio, xinga, grita, parece que ficou maluco, que não é ele, mas por vezes chora… eu tentei entender que é espiritual, levei ele em igrejas evangélicas, ele saía de lá bem… mas dias depois voltava tudo de novo, o pastor falou que o único que podia fazer algo por ele era ele mesmo, mas ele não queria fazer, pois sempre se entregava pro mundo. Hoje eu não falo com ele pois me maltratou e maltrata todo mundo, ele mesmo diz ser o demônio às vezes, quando ele está perto eu saio, pois a energia muda, é pesada, é ruim. Quero perdoá-lo, mas espero o dia que ele vai cair em si… O irmão dele é espírita e diz que isso não é espírito nem macumba e sim que ele tem esse caráter… eu não sei nem mais o que achar. Sobre mim tive depressão e síndrome do pânico por anos, tinha ideias suicidas porque achava que era o único jeito de deixar de sofrer com meus pensamentos, morrendo, eram como sugestões. Hoje não mais, porém tenho muita baixa-estima e desde que era criança tenho medo de dormir, principalmente do escuro! Durmo bem assim que tomo coragem, mas dormir me dá medo. Por conta desse clima em casa e da depressão que tive nunca concluí nenhum projeto, aqui dizem que fracassei porque nunca conquistei nada, sempre estive com problemas e larguei os estudos e tudo que me propus a fazer, alguma força maior fazia com que um medo tomasse conta de mim e eu deixava tudo, um pânico. Não tenho inimigos e sou do bem. Será que você pode me ajudar com uma palavra que seja sobre o meu pai? Obrigada.

  36. Morel, meu nome é Diego, tenho 22 anos, minha dúvida é a seguinte: eu e minha avó (mãe da minha mãe) éramos muito apegados, ela faleceu faz uns 8, 9 anos, mas eu sinto que ela não aceitou a passagem, e às vezes sinto uns arrepios, calafrios mesmo estando calor, acredito que não aceitou a morte e ainda está perto de mim, e eu ando com muito desânimo. Pode ser ela que esteja atrapalhando minha vida aqui na Terra?

  37. Olá Morel, adorei suas abordagens e orientações. Sobre pesadelos noturnos, tenho tido sempre, há algum tempo não tinha, mas só os tenho quando estou dormindo na casa do namorado, com o último era assim também, minha vida afetiva é invadida de tal forma que não consigo ter uma relação duradoura com ninguém. Sou médium, trabalho em casa espírita ha anos, faço minhas orações, reforma íntima e sei da lei do retorno. Mas meu casamento foi atacado nos 17 anos de convivência e realmente até esse atual namorado que é médium também, sente a energia pesada e negativa que exercem querendo nos separar, isso é algo meu, não consigo me livrar disso, faco tratamentos sempre, não sei mais o que posso fazer.

  38. Adrieli, procure um centro espírita kardecista e peça um tratamento espiritual. Nunca pague por um trabalho. Persista, você está no caminho. O fato de você ter consciência da sua responsabilidade e não desistir já coloca você próxima da superação. Todos passamos por momentos de maior dificuldade. E, nesses momentos, eles parecem muito longos, como se não fossem terminar nunca. É só impressão. Tenha coragem, confie em Deus e em sua própria capacidade de superação.

  39. Eu queria esclarecer uma dúvida. Em um centro espírita me falaram que eu não consigo emprego por ter um “encosto”. Eu sinto que é verdade porque me sinto muito mal e tenho todos os sintomas. Sei que é por minha culpa, por não elevar meus pensamentos. Mas eu não consigo lidar com a situação, por mais que eu faça nada melhora. Me sinto sem saída, parece que ficarei pra sempre na mesma situação. Não sei como proceder, como superar isso. Como eu faço pra me livrar disso?

  40. Natália, se ela conviveu durante dez anos com a família dele, é natural que eles tenham criado laços e tenham assuntos em comum. Você acha que ela faz isso para provocar você, mas muito provavelmente não é. Você não é casada com a família do seu marido, e você não tem nada a ver com as relações que as pessoas mantêm entre si. Cuide de si mesma, cuide do seu marido, seja uma boa esposa, e não haverá nada para se preocupar com as relações dos outros. Evite pensar sobre isso. Se for difícil controlar o pensamento, ore um Pai nosso sempre que o pensamento vier à sua cabeça.

  41. Larissa, nós somos espíritos, então por que ter medo de espírito? É comum no meio espírita se falara em espírito obsessor, mas a verdade é que nós formamos as nossas companhias espirituais assim como formamos o nosso círculo de amigos e, às vezes, de inimigos. Atraímos más companhias quando temos maus hábitos, principalmente hábitos mentais, como raiva, sede de vingança, revolta, queixumes etc. É bom, sim, você cuidar dos seus hábitos, mas não se preocupe tanto com isso. O que vale, realmente, é o que somos por dentro. É bom você abrir-se para a espiritualidade, procurar se esclarecer, estudar, ler livros espíritas. Quanto mais nos esclarecemos, mais seguros nos tornamos, pois percebemos que não há nada a temer desde que estejamos no bom caminho ensinado por Jesus.
    Não se deixe impressionar; não há nada a temer. Ore e estude.

  42. Olá Morel, eu sou católica, mas confesso que há um bom tempo tenho ido muito pouco à igreja, e hoje pela primeira vez eu fui a um centro espírita tomar passe, e (desculpe a minha ignorância, pois ainda não entendo nada do espiritismo), pois bem, uma das médiuns que sentam atrás da gente começou a passar muito mal, pedindo por remédio e por ajuda, a minha mãe (que também tomou o passe junto comigo) sente muitas dores e toma muitos remédios, eu pensei que isso fosse por causa dela, mas aí a outra médium falou para essa o seguinte “toma esse remédio, vai pro hospital e leve seu amigo com você”. A minha irmã que entende melhor desses assuntos disse que nós podemos estar com um espírito obsessor, e desde então comecei a ler sobre isso e confesso que agora eu estou com muito medo, nunca pensei que eu fosse pessoa ruim, mas realmente levo uma vida de muitas festas e bebedeiras. Você acha que isso pode ser o motivo?? Já estou decidida a mudar, e a frequentar mais a igreja católica e também o centro espírita. Única coisa que eu quero é tirar esse medo que agora eu estou sentindo, e essa vontade que eu tenho de chorar por qualquer coisa, e também a vida inteira sempre fui muito irritada e explosiva, mas tem um medo no meu coração de não conseguir mudar, mas eu quero muito.
    Você pode me dar algum conselho??
    Muito obrigada, desde já.

  43. Boa tarde, faz 4 anos que sou casada, e antes meu esposo foi amigado com uma moça durante dez anos, e ela fica até hoje se aproximando com conversas com a família dele e isso me incomoda demais e percebo que faz isto só para me provocar, como faço para lidar com esta situação, pois ando muito nervosa com isso.

  44. Nathally, não porque tanta preocupação. Seu medo é fruto do seu desconhecimento. Todos nós somos espíritos. Quando desencarnamos, continuamos existindo, só que sem o corpo físico. Procure um centro espírita kardecista e peça atendimento. Às vezes o resultado pode demorar um pouco. Mas o mais importante é você aproveitar a oportunidade para começar a se instruir, ler, assistir palestras, tomar passes, esclarecer-se acerca das coisas espirituais.

  45. Olha, primeiro parabéns pelo artigo, suas palavras parece que foram feitas para mim. Bem, eu nunca fui a algum centro de espiritismo, mas sinto algo em mim já faz 8 anos, meu pai faleceu e parece que está me atormentado, eu vivo estressada, criou coisas na minha cabeça, não durmo à noite. Posso estar errada, mas sonho com coisas ruins e na maioria das vezes sonho com ele. Meu marido não sei se frequenta centro espírita mas ele me diz que toda vez o meu pai senta na beira da cama e fica nos olhando, ele disse que vê, que sente e até se arrepia quando me diz. O fato é que eu não sei se devo acreditar, mas ando mesmo muito atormentada, alucinada e cheia de preocupação. É uma atormentação que dói muito minha cabeça. Ficarei grata desde já se puder me ajudar, não aguento mais.

  46. Luana, é possível que a sua tarefa seja trabalhar num centro espírita. Procure um centro espírita kardecista que dê importância ao estudo. Estudo, procure participar de um grupo de estudos, integre-se aos poucos no centro. Quando o trabalhador está pronto o serviço aparece.
    Sugiro que leia estes artigos: http://www.espiritoimortal.com.br/mediuns-e-transtornos-mentais/ http://www.espiritoimortal.com.br/sera-que-sou-medium/ http://www.espiritoimortal.com.br/para-que-servem-as-praticas-mediunicas-no-centro-espirita/
    Leia também os comentários dos leitores e minhas respostas a eles.

  47. Olá Morel, li o seu artigo, as repostas e comentários, muito bom e verdadeiro em tudo que fala. Acho o espiritismo muito interessante e desde cedo que acredito no espiritismo. Mas já me falaram que estou com um obsessor, desde quando era criança meu pai falava isto porque meus pés ficavam gelados, eu não me importava muito, e não acreditava por achar que era acesso de zelo dele (que já passou por uma situação dessas), mas aos 18 anos (hoje tenho 21) eu tive crises convulsivas, que aconteceram inicialmente até demais, e depois que comecei a tomar medicamentos já ocorreu de tempos em tempos. Meu pai já me levou a alguns médiuns e pais de santo que disseram que sou médium, comecei a estudar sobre isso na internet, e também sobre o obsessor, aí me identifiquei com os sintomas, já fiz um tratamento com uma mãe de santo há 4 meses, mas ainda acontece que sinto vibrações estranhas, e às vezes fico paralisada, mas consciente, isso assusta meus pais, alguns médiuns disseram que são as boas forças espirituais, outros falam que é o obsessor. Fico meio perdida em meio a isso. Já vi que para se ver livre do obsessor devemos melhorar como pessoa e mudar nossa vibração, devemos mudar, mas ainda não sei exatamente em que mudar, tenho a intenção de sempre ajudar as pessoas, esse agora é um dos meus principais objetivos, faço orações pedindo por este espírito também, e vi que se eu não estivesse passando por isso, talvez não iria melhorar como objetivei agora.

  48. Júnior, tomar passes é apenas um paliativo. Para cortar o mal pela raiz é preciso espiritualizar-se. Procure um centro espírita em que se sinta bem, peça tratamento, estude e procure servir ao próximo. O trabalho em benefício do próximo é o melhor remédio para trocar as informações da nossa autoprogramação mental. É um processo longo, que exige esforço e perseverança. Quanto antes começar, melhor.

  49. Desde alguns anos sofro com a parafilia por pés masculinos. Depois que completei 30 anos esse desejo ficou fortíssimo atingindo uma intensidade insuportável. Aliado a isto quase nada mais dá certo na vida, estudos, emprego, e nem precisa dizer que devido a esta perversão sexual os relacionamentos não existem. Em Janeiro de 2004, 4 meses após a morte de um avô materno as coisas começaram sutilmente a degringolar e meu relacionamento com esta pessoa era horrível, com desejos mútuos de morte. Só que ele se foi primeiro há exatos 11 anos. Ele pode estar potencializando essa perversão sexual para com isso arruinar o restante da minha caminhada na Terra?? O que fazer?? Tomo passes e procuro no dia-a-dia evitar pensamentos nocivos e de vingança contra ele e seus entes que aqui permaneceram, verdadeiros cúmplices dele aqui na Terra (pelo meu campo de visão). Qualquer ajuda será bem vinda. Grato.

  50. Sempre sinto algum peso nos ombros, me assusto por achar que tem sempre alguém me olhando, ouço barulhos. Sou da igreja católica, fui batizada, fiz primeira eucaristia e fui crismada, porém tem três anos que não frequento mais a igreja. Ontem resolvi ir à assembleia de Deus e durante o culto inteiro eu senti peso nos ombros, pressão na cabeça e uma fraqueza. O que pode ser isso?

  51. Assiza, foi por isso que Jesus nos disse para nos reconciliarmos com os nossos inimigos enquanto estamos a caminho com eles, ou seja, enquanto estamos encarnados. Ore por eles, deixe de considerá-los como inimigos.

  52. Fabiana, o tratamento desobsessivo num centro espírita kardecista é bom. Mas a solução dos nossos problemas, sejam eles quais forem, exigem mudança. Lembre dos problemas que você já teve em sua vida: não foi preciso mudar alguma coisa para resolvê-los? Pois para mudarmos nossas companhias espirituais precisamos mudar, precisamos nos tornar pessoas melhores, fazer o bem ao próximo.

  53. Boa noite. O marido de uma amiga, possuído por entidades tanto do bem como do mal, e eles não entendem como e por que isso acontece. O que eles poderiam fazer para isso parar, eles sofrem muito com tudo isso, vão a igrejas e continua acontecendo, obrigado desde de já.

  54. Ana Júlia, você é médium, e deve dedicar-se ao estudo do Espiritismo para esclarecer-se. Só assim você terá condições de compreender o que se passa com você. Talvez isso pareça muito cansativo para você, mas é o caminho. Você só vai obter melhoras significativas quando ajudar-se a si mesma, sem esperar por uma “cura milagrosa”. Você sofre influência espiritual, sim, mas todos sofremos.
    Comece a estudar. Veja o centro espírita como um lugar de estudo, não de milagres. O corpo é consequência, a causa é sempre o espírito. Comece estudando O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec. morelfw@yahoo.com.br

  55. Eu sinto muitas dores, nas costas, no peito, me canso muito fácil, tenho tonturas e desmaio. Já me levaram em médicos e todos dizem que não tem nada de errado. Eu acordo quase todos os dias às 3 da manhã, tenho pesadelos, escuto barulhos, vejo pessoas andando em casa quando estou sozinho, vejo pessoas em todos os lugares, mas ninguém mais vê. Isso acontece comigo desde os três anos. E ultimamente só vem piorando. Eu vou frequentemente no centro espírita, mas não estou melhorando. Eu tenho 16 anos e não sei mais o que posso fazer. Não sei se estou doente ou se é algum espírito.

  56. Ariane, antes de mais nada duas correções: Em momento algum Jesus fez tal afirmação, de que crianças que morrem até os sete anos são anjos. Isso é invenção de alguém. Em relação a esse método que você atribui aos umbandistas, isso também é invenção de alguém, pois não há o menor sentido segurar a respiração de alguém seja criança ou adulto, para que um espírito se afaste. Isso é pura crendice, superstição. Isso não pode ser atribuído à Umbanda, que não é minha orientação religiosa mas é religião séria.
    Você estranha que uma criança – ou o espírito de uma criança não vá para a luz”. Somos espíritos, todos nós. Todos somos seres milenares, todos temos inúmeras experiências, todos já tivemos muitas reencarnações. Uma criança pode ser um espírito tão velho ou mais do que um adulto. E é comum que crianças sejam acompanhadas ou perseguidas por espíritos seus conhecidos de outras existências. Todos nós, assim como na existência atual, em outras existências fizemos afetos e desafetos. Esses laços permanecem, nada morre. Quando o espírito reencarna, embora ele permaneça algum anos num corpo frágil de criança, ele continua sendo um espírito milenar com ligações com muitos espíritos com quem conviveu no passado.
    Sugiro que passem a frequentar um centro espírita kardecista em que se sintam bem. A evangelização infantil, que oferecem em muitos centros espíritas, é útil para a orientação da criança, desde cedo, no sentido da espiritualização. Se você simpatiza com o Espiritismo, estude-o. Só o esclarecimento é capaz de nos orientar, cotidianamente, sobre a melhor forma de agir com problemas que sabemos ser do espírito, e não da matéria.

  57. Olá, eu fui criada em um ambiente católico, mas, confesso, sinto que falta algo. Gosto bastante do Espiritismo Kardecista, mas tenho muito medo (acredito que muito pela minha criação). Tenho gêmeos, e meus filhos têm ficado muito agitados, principalmente à noite, não dormem e choram demais. Um choro diferente, se debatem. Não é de “dor física”, já levei ao médico e estão bem. A minha sogra e meu cunhado são umbandistas e disseram que eles estão com um “encosto”, uma criança que quer brincar com eles o tempo todo. Já vi que fizeram um comentário parecido, mas não consigo entender (na minha criação de católica) como uma criança pode ficar assim, sem ir para luz. Na Bíblia Jesus diz que as crianças que morrem até os 7 anos são anjos. Não consigo entender. E também não gosto muito do modo dos umbandistas resolverem o problema. Já até seguraram a respiração da criança de noite para o “encosto” ir embora. Não gosto disso, acabo brigando com meu marido, na primeira vez que vi fazendo isso chorei muito. Não sei o que fazer.

  58. Maria, eles certamente são influenciados, sim. Mas essa influência parte de espíritos já conhecidos deles há muito tempo, e provavelmente conhecidos seus também. A vida nos oferece chances de nos rearmonizarmos com desafetos que fizemos no passado. No passado, por ignorância e egoísmo, transformamos afetos em desafetos. A vida nos reúne novamente para repararmos o mal praticado e ajudarmos nossos companheiros de erros a se levantarem de sua situação de ignorância. O seu desafio é desenvolver a paciência, a compreensão, e buscar espiritualizar-se sempre mais. Encaminhe-os à evangelização infantil, seja amorosa e consciente do seu dever.

  59. Tinha uma irmã que era muito apegada comigo, me ajudou muito quando me casei e quando minha filha nasceu. Ela adoeceu e faleceu, me pediu que eu cuidasse do seu filho, e hoje eu cuido dele como se fosse meu filho. Só que há 3 anos ele fura todas as suas roupas, as minhas, do meu marido, da minha filha, quebra todos os móveis da casa, tira o piso do chão. já fiz tudo para ele parar e nada, agora minha filha de 6 também esta fazendo o mesmo. Parece que eles sentem satisfação em me ver estressada. Tranco a porta do meu quarto e os restrinjo a algumas áreas da casa e mesmo assim minhas roupas aparecem rasgadas ou furadas. Comecei a frequentar um centro espírita. Só que quando vejo tudo rasgado, cortado ou furado eu me descontrolo e falo coisas horríveis, me arrependendo em seguida. Eles podem estar sendo influenciados por um espírito zombeteiro? Pois percebo que são crianças carinhosas e sabem que estão fazendo coisas erradas.

  60. Muito obrigada Morel, Deus te ilumine e proteja hoje e sempre, poucas pessoas usam seus dons mediúnicos para o bem do próximo sem querer ganhar nada em troca, você é abençoado amigo, já encaminhei o e-mail com pedido de atendimento à distância, muito grata mesmo!!!

  61. Fabiane, como espírita você deve saber que crianças são espíritos tão ou mais velho do que nós adultos. Vou orar por vocês. Deixo um link para atendimento à distância. Os atendimentos são realizados às terças-feiras. Você pode renovar o pedido de atendimento depois de três semanas: https://casadojardim.wordpress.com/atendimento-espiritual-3/atendimento-a-distancia/
    Orem, mantenham bons pensamentos. O medo só atrapalha. Confiem em Deus e agradeçam.

  62. Querido Morel, meu nome é Fabiana e venho desesperadamente, como mãe de uma menininha de 6 anos chamada Karen Kamille Alves, que nasceu dia 31/01/2009, pedir ajuda. Somos espíritas kardecistas e foi comprovado que ela está com um encosto/espírito obsessor que está assombrando ela, nossa casa e prejudicando até nossa família, o comportamento dela também está muito comprometido, o que não entendo é um obsessor em uma criança… mas até agora não conseguimos ajuda com ninguém! Pelo amor de Deus e a caridade de nosso senhor e Mestre Jesus Cristo, nos ajude, que Deus lhe abençoe e ilumine ainda mais, já muito agradecida, a paz de Jesus!

  63. Isabella, essa pergunta você deveria fazer no centro espírita que você frequenta.
    O que os espíritas consideram como “os reais problemas”, para os católicos pode parecer loucura ou coisa pior. Temos que respeitar as suas crenças, assim como queremos que respeitem as nossas.
    Mas, se você se dá bem com eles, não vejo mal nenhum em expor a situação a eles, deixando claro que você os respeita.

  64. Oi, namorei um rapaz que sempre tomou remédio para depressão e ansiedade. Nosso namoro sempre vou conturbado, pois ele ficava sempre com a mente confusa e em uma hora me amava. Depois de uns dias ele mudava o comportamento dele e terminava comigo, dizendo que não sabia se gostava, não queria mais namorar e queria ficar sozinho. Bom, hoje estamos afastados, mas sempre ligo para saber como está. E sou espírita e em um centro que eu fui me disseram que ele tem mediunidade e essas atitudes dele não são dele, e sim de um espírito que está junto dele. Me falaram que ele precisa tomar um passe, que a cura dele estava lá. Mas a família dele é católica e não acredita muito nessas coisas de espíritos. E não sei como ajudá-lo. Já conversei com ele a respeito da espiritualidade e vejo que ele até aceita. Mas não sei como levar ele lá no centro. Devo expor os reais problemas dele para a família?

  65. Oi, Morel,
    Gostaria da sua ajuda. Meu marido bebe com frequencia, porém esse final de semana ele chegou com sintomas estranhos, gritando, chamando por pessoas, dizendo – sai de mim porque você me quer, você não sabe que sou fraco, me deixa em paz – começou a babar, a rosnar alto feito cachorro, não andava, só se arrastava e gritava o tempo todo, pedindo ajuda e mandando ele sair. Ficou também com os olhos muito vermelhos de uma hora pra outra e apontava pra mim sem conseguir falar. Fiquei com muito medo, preciso saber como lidar com isso, me falaram que era um espírito mau. Me ajuda por favor.

  66. Israel, é comum que pessoas “morram mas não desencarnem”; morrem, mas não se desligam da matéria, continuam presas emocionalmente aos seus laços materiais, inclusive (e, talvez, principalmente) a pessoas. Não se impressione, mas é possível que vocês estejam psiquicamente ligados a ponto de você sentir um sintoma da presença dela. Sugiro que procure um centro espírita e peça atendimento.

  67. Olá, Morel! A minha mulher era fumante, faleceu há 15 anos. Porém, desde que ela faleceu eu sinto o cheiro de cigarro dela. Muitas vezes estou com minha namorada e pergunto se ela está sentindo cheiro de cigarro, geralmente ela diz que não está. Nunca fumei, mas me sinto até fumando. Muitas vezes eu sinto aquelas tosses de fumantes. O que será que isso pode ser? Obrigado!

  68. Aline, compreendo a sua dificuldade em entender o que se passa, mas é preciso lembrar que apenas nós somos os responsáveis por buscar respostas para o que nos acontece. É isso o que você está fazendo agora, mas isso poderia já ter sido feito há muito tempo. Se em um lugar não sabem lhe explicar, procure outro. Além disso, há uma vasta literatura a respeito.
    Em primeiro lugar, não há como compreender a mediunidade sem levarmos em consideração dois postulados básicos da Doutrina Espírita: a reencarnação, e consequentemente a pluralidade das existências; e a possibilidade de comunicação entre espíritos encarnados e desencarnados. Respeito a Igreja Católica e seus membros, mas fatos são fatos.
    Vivemos inúmeras existências. A cada existência damos um passo em nossa evolução espiritual. Como somos falíveis, cometemos muitos erros, e a cada reencarnação temos que procurar rearmonizar aquilo que desarmonizamos, reparar os erros que cometemos. Tudo o que sentimos, pensamos, falamos e fazemos fica gravado em nós. Somos o resultado de nós mesmos. A mediunidade é um sintoma de nossas atividades de outras existências. Não é castigo nem dom, é apenas o resultado do que fazemos. Todos temos poderes psíquicos em potencial, mas não usamos, por não sabermos usar, quase nada desses poderes. Quando aprendemos a utilizar um pouco desses poderes, seja através da magia, da mentalização, de práticas religiosas antigas, nós despertamos parte desses poderes latentes em nós. Como quase sempre usamos esses poderes, na passado, para o mal, temos que repararmos o mal que fizemos. A mediunidade, então, é, quase sempre, o resultado prático do nosso próprio desenvolvimento psíquico. Por nossa imperfeição, o resultado desse desenvolvimento se apresenta, quase sempre, de maneira dolorosa.
    Mas, como Deus é infinitamente misericordioso, sempre nos oferece novas oportunidades para aprendermos a sermos bons. Então a mediunidade, que é resultado do que nós mesmos fizemos no passado, em outras existências, serve de instrumento para fazermos o bem. O exercício equilibrado da mediunidade é capaz de esclarecer e consolar espíritos encarnados e desencarnados, acelerando o seu processo evolutivo e amenizando ou curando as suas dores.
    Todas as características com que reencarnamos são resultado do que nós mesmos fizemos em outras existências. Duvidar disso é colocar em dúvida a sabedoria e a bondade de Deus. Podemos, então, nos conformarmos e trabalharmos com as ferramentas que temos à nossa disposição; ou podemos nos revoltar, achar que a vida é injusta, termos pena de nós mesmos e buscarmos uma fuga fácil para tudo o que nos exigir mais trabalho.
    Não existe remédio ou cura para a mediunidade. Não é doença, então não há cura. A mediunidade se caracteriza, antes de mais nada, por uma maior sensibilidade por parte do médium. O médium “capta” pensamentos, sentimentos e energias de encarnados e desencarnados com mais facilidade do que as demais pessoas. Uma pessoas harmonizada, equilibrada, irá captar bons pensamentos, sentimentos e energias. Uma pessoa desarmonizada, desequilibrada, irá captar maus pensamentos, sentimentos e energias.
    Pra aprendermos a controlar os sintomas da mediunidade é preciso estudo, esclarecimento, e, principalmente, atenção para o aspecto moral. O Evangelho de Jesus é o guia seguro para nos mantermos harmonizados e equilibrados.
    Sugiro que comece a estudar a respeito da mediunidade. De preferência, participe de um grupo de estudos mediúnicos num centro espírita kardecista. Conheço, respeito e gosto da Umbanda. Mas você, como católica, talvez se sinta mais “em casa” num centro espírita kardecista.
    A mediunidade é ferramente colocada à nossa disposição para trabalharmos em benefício do próximo. A mediunidade bem conduzida proporciona ao médium o equilíbrio necessário para viver com mais harmonia todos os aspectos da vida.
    Sugiro a leitura desses artigos:
    http://www.espiritoimortal.com.br/o-que-sao-os-sonhos/ http://www.espiritoimortal.com.br/mediuns-e-transtornos-mentais/ http://www.espiritoimortal.com.br/sera-que-sou-medium/ http://www.espiritoimortal.com.br/para-que-servem-as-praticas-mediunicas-no-centro-espirita/ – See more at: http://www.espiritoimortal.com.br/o-espiritismo-e-o-complexo-de-inferioridade-2/#sthash.8hDgvwPm.dpuf

  69. Bom dia, gostaria que me esclarecesse algumas dúvidas. Andei lendo as perguntas e respostas aqui e pude perceber que o que você fala realmente é verdade, o que falta é as pessoas terem um aprofundamento sobre o assunto, principalmente os médiuns, que se deparam com muitas perguntas e não sabem responder ou respondem de forma vazia. Tive essa experiência por diversas vezes. Busquei em um centro de Umbanda que frequentei desde criança respostas mas nunca as tive de forma concreta, apenas me falaram que eu era médium e tinha que participar lá e pronto. Tanto eu quanto minha mãe, porém, íamos lá de vez em quando, pois somos católicos e teve uma época em que não frequentávamos mais, somente depois que minha mãe ficou bem ruim que voltamos e eles dizem que como médium tenho que trabalhar, mas tenho medo e não me sinto bem em trabalhar sendo católica, vai contra tudo que aprendi a vida toda, porém sempre fico ruim com sintomas de depressão querendo morrer e quando vou até levo broncas, pois dizem que sofro porque quero, ainda mais trabalhando em hospital, como eu, acabo pegando sofredores. Mas isso nunca me foi explicado, o que fazer para evitá-los. Desculpe, mas hoje estou em uma dessas semanas de depressão e as pessoas vêm me dizer que ser médium é lindo. Não vejo nada de bonito nisso, na verdade, sendo sincera, acho uma maldição, um castigo, pois até agora só me trouxe coisas ruins. Já teve semanas em que fui carregada para o terreiro mais de uma vez e nunca melhorava. Resolvi ir em outro terreiro que me disse que tem que saber encaminhá-los e esse que eu estava indo não sabe, por isso fiquei sofrendo, mas esse o qual eu frequentava tem mais de 50 anos. Quando questionei o outro terreiro sobre isso me falaram apenas já foi bom mas hoje falta ensinamento, evolução, pois os espíritos evoluem a cada dia, principalmente o que não presta. Gostaria de saber se é possível eu não me sentir bem na Umbanda, pois lá não é o meu lugar? E como melhorar isso que eu sinto às vezes, já fazia uns 5 meses que não sentia e de repente de novo, não quero acabar como minha mãe que hoje toma vários remédios e no último centro espírita que fui disse que se não fosse para eu trabalhar melhor não ir, pois ficar na assistência só iria me fazer mais mal. Gostaria de entender melhor o assunto, mas nunca ninguém me explicou com clareza.

  70. Não sou médico e não posso simplesmente duvidar do diagnóstico dos médicos. Mas é evidente que ela está contatando com espíritos. Aliás, essa situação é muito comum depois de certas doenças ou traumas, ainda mais na idade dela. Qualquer médium, por mais equilibrado que seja, se procurar um psiquiatra será diagnosticado como esquizofrênico, paranoico ou coisa parecida e terá receitados alguns remédios tarja preta. É bom que ela frequente um centro espírita. Se não for possível, deixo um link para atendimento à distância. É importante que as instruções sejam cumpridas: https://casadojardim.wordpress.com/atendimento-espiritual-3/atendimento-a-distancia/

  71. Boa noite.
    Minha avó teve um período que ficou muito doente. Ela chegou a morrer mas voltou à vida um instante depois. E depois desse acontecimento todos acharam que ela adoeceu, pois via pessoas na casa dela. Minha família levou-a em médicos e era diagnosticada com esquizofrenia e Alzheimer. Eu acredito que são espíritos que ela vê, pois ela vê várias pessoas a qualquer hora do dia e fica muito nervosa com isso, xingando todos e tudo. O que o senhor acha que é? Já pedi para o padre benzer a casa e nada aconteceu.

  72. Camila, você parece bastante esclarecida, isso é bom. É preciso termos sempre em mente que o estudo não pode parar. O médium é um instrumento falho, pois somos todos falhos. Aprender a lidar com essa dificuldade requer estudo permanente. Considere que sofredores e mentirosos somos quase todos nós, então não é algo fora do comum que estes tipo bastante comuns se comuniquem através de você. Considere também que, embora isso possa doer em algumas pessoas, o fato é que muitos médiuns (a meu ver a grande maioria) são ignorantes, não dados ao estudo, de poucos recursos intelectuais. Isso inibe a manifestação de espíritos inteligentes. E temos que reconhecer que esses espíritos que conseguem enganar são espíritos inteligentes (embora não avançados moralmente, aliás, como nós). Você, pelas suas características, é o instrumento ideal para os espíritos que se encontram em uma determinada faixa vibratória. Isso não quer dizer que espíritos de outros níveis não poderão se comunicar através de você, mas a tendência é essa.
    Estude sempre, seja grata pela oportunidade de estar sendo útil, e procure não se desgostar dessa tendência. Você deve ter sua cota de enganações no passado para reparar…

  73. Boa tarde! Há aproximadamente 1 ano comecei a psicografar através da escrita. A primeira manifestação do suposto espírito que se dizia “meu mentor espiritual” foi em pleno ambiente da Universidade que estudo. Ele manteve contato comigo por volta de três meses, sempre trazendo mensagens maravilhosas e “de luz”. Me instruiu a ler o livro dos Médiuns, foi quando eu descobri que na verdade este espírito não era quem dizia ser. Ele admitiu que precisava de ajuda e que não queria me prejudicar. Na época, comecei a frequentar um Centro Espírita e lá este espírito foi devidamente encaminhado. Após, muitos outros espíritos começaram a querer se manifestar, me deixando extremamente atucanada e sem controle emocional e psicológico. Sempre frequentei um Centro de Umbanda, que é onde me sinto bem. Neste ano decidi entrar para a corrente deste centro, a fim de desenvolver e aprender a controlar minha mediunidade. Estou há um mês e meio nesta casa de muita luz, sinto que já melhorei muito trabalhando nas linhas de caboclos e pretos-velhos, porém, os espíritos que se comunicam comigo pela escrita continuam sendo sempre os sofredores e os mentirosos. Quando permito que se manifestem, falam muitas besteiras, absurdos até, como coisas desconexas, nomes falsos etc. Eu já não me impressiono mais com os relatos deles, mas me pergunto até quando esta “tipologia” de espírito irá me rondar. Tenho muita fé em Deus, acredito que vou evoluir como médium e ser humano, mas, por vezes, é difícil lidar com essa situação. Por favor, gostaria de um conselho. Obrigada!

  74. Olá Morel Felipe,
    Estou passando por um problema, às vezes eu vejo um homem à noite na minha casa, na porta do meu quarto e no sofá. Este homem anda atrás de mim o tempo todo com sua mão direita no meu ombro, sinto ele andando e me observando. Tem dias que eu nem durmo, pois ele até me beijou à noite. Não sei o que fazer. Me ajude.

  75. Cícero, todos nós já cometemos erros terríveis, nesta e em outras existências. Não falo isso para lhe consolar, é apenas a verdade. Por isso todos têm suas dificuldades. Ninguém colhe aquilo que nós plantamos, só nós mesmos. As dificuldades que os seus familiares enfrentam são as próprias experiências deles. Não estamos num mundo de facilidades. Mas é justamente vencendo as dificuldades que nós evoluímos.
    Um abraço; fique com Deus.

  76. Olá! Bom dia. Estou frequentando a Irradiação Espírita Cristã, em Goiânia, desde Dezembro de 2014.
    Confesso-lhe que estou adorando o estudo espírita. Mas o que quero saber é se aquilo que fiz errado em meu passado pode estar atrapalhando meus filhos que não conseguem as coisas, como um financiamento estudantil (FIES) ou um emprego melhor. E ainda tem minha esposa (evangélica) que sente dores terríveis na coluna, pernas e mãos, e nos exames não se acha nada, a não ser na coluna onde foi constatado uma hernia de disco. Fiz muitas coisas erradas em meu passado, coisas absurdas até. Aguardo uma resposta. Um fraternal abraço.

  77. Everton, a catalepsia do sono ou catalepsia projetiva é relativamente comum, muitas pessoas a experimentam. Foi a partir de um quadro frequente de catalepsias muito angustiantes que me dediquei ao estudo da projeção consciente e aprendi não só a dominar o processo como a tirar proveito disso ao me projetar conscientemente ou ficar lúcido em meio a experiências oníricas.
    Sugiro que leia os seguintes artigos: http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-sonho-lucido/
    http://www.espiritoimortal.com.br/o-que-sao-os-sonhos/
    Quanto ao que você imagina ser uma obsessão, acredito que seja a sintonia com a sua irmão. Os espíritos se comunicam através do pensamento. Somos espíritos. Consciente ou inconscientemente nos comunicamos com as mentes que pensam e sentem semelhantemente a nós. Pela sua proximidade com a sua irmã, há um laço entre vocês que os mantém, até certo ponto, vibratoriamente ligados. Como o estado dela não é dos melhores, essa sintonia faz com que você sinta o que ela sente, embora em grau menor. A ajuda que você deve procurar deve ser neste sentido, de “cortar” essa sintonia. Até porque, em permanecendo essa sintonia, a tendência é que você atrais outras mentes em situação semelhante.
    Quanto à situação da sua irmã, esse estado de perturbação que ela experimenta é inevitável. Com o tempo ela vai se recuperando, se conscientizando, sentindo a necessidade de recomeçar.
    Fique bem.

  78. Olá Morel tudo certo?
    Minha irmã cometeu o suicídio ano passado e às vezes tenho sonhos realistas com ela, onde eu me lembro com clareza do que conversamos. Em todos os sonhos a vejo em um lugar escuro, em um desses sonhos ela estava descabelada e eu perguntei a ela como ela havia morrido e ela não soube me responder, estava tentando buscar uma resposta mas estava muito confusa, não conseguindo responder à minha pergunta, depois perguntei a ela se sentiu muita dor, ela me disse que não importava mais e nos abraçamos e depois acordei… Isso foi um encontro mesmo? Outra dúvida: há uns dois meses atrás eu estava dormindo e ”acordei”, porém não conseguia me mover, mas via tudo no quarto exatamente como ele é e num piscar de olhos acordei mesmo e me senti estranho, fui pesquisar e me disseram que eu tive uma catalepsia projetiva, será que foi mesmo? Antes disso acontecer não sabia no que acreditava, mas depois que isso aconteceu passei a acreditar em espíritos, os sonhos bem reais, a catalepsia, enfim se antes tinha alguma dúvida ela foi sanada, posso estar errado mas acredito que não. E depois desse evento minha vida piorou, o desânimo e a indisposição tomaram conta da minha vida, um dia desses tive uma dor insuportável nas costas, do nada, mas depois de tantos relatos no site, vi que se há um obsessor é por que eu permiti e que eu devo ser uma pessoa melhor e também procurar um centro kardecista, enfim clareou a minha mente. O que você tem a dizer no meu caso ? Queria muito que me dissesse. Abraços.

  79. Olá Morel, seu site tem me ajudado muito. Desde 2004 que fiquei viúva que passei por muita coisa, pensei que ia enlouquecer. Em dezembro do ano passado fui pesquisar na net, morrendo de medo, achei um pouco que falava de espírito mas falava de terreiro, não queria frequentar, então falei: – seja o que Deus quiser! – continuei fazendo minhas orações, porque sou católica, mas ano passado minha filha ganhou de uma evangélica o livro de Zíbia Gasparetto Ninguém é de ninguém e em janeiro a entrevista de Divaldo Franco. Deus é muito bom, pois já estou por aqui. Bem, eu vejo e sinto uma uma luz brilhante que fica ao meu lado, depois de um tempo some. Disseram que pode ser uma alma querendo algo, mas já perguntei e não responde. O que você acha? Obrigado.

  80. Luciane, por mais estranho que isso possa parecer, se não tivéssemos problemas jamais evoluiríamos. Só progredimos porque temos que resolver problemas. Aproveite essa oportunidade e espiritualize-se. Essas coisas só acontecem porque estamos espiritualmente desequilibrados. Trate o seu filho com muito amor e compreensão, sem deixar-se dominar por ele. Procure um centro espírita kardecista e procure estudar. Adote o hábito da oração, sem queixar-se, apenas agradecendo.
    Deixo aqui um link para atendimento à distância: https://casadojardim.wordpress.com/atendimento-espiritual-3/atendimento-a-distancia/

  81. Olá Morel, já disse uma vez mas não vi sua resposta, estou passando por uma sensação péssima, sinto que não sou eu mesma, sinto que quando eu falo não sou eu mesma, parece que não estou viva, a cada dia que passa parece que estou menos aqui, é a pior sensação do mundo, e estou com medo, o que o senhor acha que pode ser?

  82. Oi, meu filho Gabriel de 11 anos está há 3 meses com um espírito obsessor, ele tem ataques todos os dias, no início com muita frequência, várias vezes ao dia, agora é só à noite e pela manhã quando é hora de ir para o colégio, está faltando aula, ele xinga muito a gente, quer bater, diz que vai nos matar, vai matar o Gabriel, estou frequentando um centro espírita, me disseram que seria o avô paterno dele que morreu de acidente, foi feito a desobsessão, mas ele não acalma, me falaram também que tem alguma coisa errada na minha casa, eu não me sinto mais bem dentro da minha casa e meu filho não se sente bem no quarto dele, é como se alguém sempre estivesse espiando ele, não sei mais o que fazer, gostaria de uma opinião sua. Obrigado!!

  83. Daniel, não sou umbandista nem candoblecista, sou espírita. Tenho muito respeito pela Umbanda, mas infelizmente ainda há muita mistura com religiões de nação africana e baixa magia. Sugiro que parem de frequentar esses lugares, onde, pelo que percebo, vocês estão sendo pessimamente sugestionados, e procurem um centro espírita kardecista para um tratamento. Frequentem o centro espírita, não tenham pressa na solução do problema, parem de pensar essas bobagens sobre tipos de entidades. Isso não leva a nada. Eduquem-se espiritualmente, esclareçam-se, leiam, estudem, orem, evangelizem-se.

  84. Bom dia Morel. Eu e minha esposa estamos separados há um ano, pois uma entidade estaria proibindo a gente de ficar juntos e nem mesmo podemos ter qualquer tipo de contato. Há um ano atrás ela foi buscar ajuda em um centro de candomblé, e ela disse que fizeram um trabalho pra gente e era uma Padilha que estaria separando a gente, que a gente não poderia falar isso pra ninguém. Ela falou que a gente teria que ficar de quarentena e nesse período ela faria alguns trabalhos e que eu não poderia me envolver, só esperar e mais nada, mas a gente acabou se encontrando algumas vezes e acabou dando tudo errado. Ela fala que se ela aceitar se separar de mim que essa entidade deixa ela, mas que vai tentar de tudo pra conseguir ficarmos juntos. Ela diz que essa suposta Padilha inferniza a vida dela e quando a gente tem contato as coisas ficam pior e além disso tudo, ela está agora depressiva e cheia de problemas de saúde. Pra resumir a história que é bem longa, eu consegui levar ela a um centro de Umbanda que uma amiga minha frequenta, e a entidade não respeitou nem Ogum que estava lá. Na semana seguinte eu fui sozinho e na consulta foi falado pra mim que o que estava com ela não seria uma Padilha e sim um egun. Gostaria de um esclarecimento maior sobre esse egun. Eu li que a tática de um egun é quase sempre inspirar o médium a se distanciar de todo aquele que possa lhe abrir os olhos. Assim, evitando a contradição, estão certos de ter sempre a razão. Aí pensei que esse poderia ser o motivo de nós não podermos ter contato e não podermos falar sobre o assunto com ninguém. Gostaria de saber se um egun pode se passar por uma Padilha pra confundir e atrapalhar o tratamento e se pelo o que comentei aqui se pode ser sim uma Padilha. Gostaria muito de uma ajuda.

  85. Cláudia, o cérebro é uma máquina, não é o cérebro que nos acorda, somos nós, como consciência, que sentimos medo e “fugimos” de volta para o corpo físico.
    Temos outros níveis de consciência que desconhecemos no estado de vigília (quando estamos acordados). Ao dormirmos, acessamos, até certo ponto, outros níveis de consciência, que, dependendo da sensibilidade individual da pessoa (espírito encarnado), será recordado por nós quando despertarmos. Muitas pessoas têm essas experiências, mas poucas são capazes de lembrar.
    Todos influenciamos e somos influenciados permanentemente. Somos vários bilhões de espíritos encarnados e desencarnados na Terra nos influenciando uns aos outros. Essa influência pode ser boa ou má, dependendo do que se passa em nosso íntimo. Não há como evitar a influência que exercemos ou que sofremos, isso é automático. O que podemos fazer é tentarmos controlar a nós mesmos para que as influências sejam boas. E o único meio seguro de controlarmos a nós mesmos é nos dedicando ao nosso autoaprimoramento através do estudo, do esclarecimento e da prática do bem.
    A sua sensibilidade é indício de mediunidade. A mediunidade se caracteriza, antes de mais nada, exatamente por uma maior sensibilidade às influências. Procure um centro espírita e comece a estudar sobre a espiritualidade.

  86. Oi Morel, eu entendo perfeitamente. Nós atraímos, isso é fato. No meu caso não é falta de conhecimento, mas eu não tenho vontade ou forcas pra mudar. Digo “mudar” porque eu sempre fui assim. Sou uma esponja, absorvo energias densas e é assim que me sinto sempre, densa, pesada. Meu vicio é a comida. Todo dia eu tenho 3 horas de paz e tranquilidade que como o que quiser e assisto um bom filme ou durmo, é a melhor parte do meu dia. Eu gosto de aprender, por isso já estou sempre procurando respostas na espiritualidade e confesso que me atraio pelo budismo. Hoje estou frequentando um centro de Umbanda, fazendo um curso sobre mediunidade, e um centro xamânico. Na verdade não me sinto EU, é como se eu estivesse no automático, é como se eu estivesse parada vendo minha vida passar. Eu quero dormir eternamente e viver nos meus sonhos que são ótimos.

  87. Oi, Morel.
    Adorei a leitura, mas eu tive um sonho há alguns anos que eu estava em uma cozinha lavando louça e estava tão mal que lembro olhar para a porta e ver uma parede, nisso eu acordei (dizem que quando o sonho é muito ruim o cérebro nos acorda), era tão ruim o sentimento que eu fiquei mal por dias e não esqueci do sonho. Em 2013, eu mudei de endereço e estava muito triste, não gosto do local onde moro, algo me faz muito mal aqui, eu estava lavando a louça e era a imagem do meu sonho, estava tão triste (havia perdido meu cachorrinho) e o sentimento era aquele ruim do sonho. Eu realmente consegui ir ao meu futuro? Era o meu sonho, a mesma parede, o mesmo peso no corpo, uma sensação ruim. Sinto isso. E ultimamente tenho tido uns sonhos quase acordada, e acordo imediatamente, pois é como se algo muito ruim estivesse se aproximando. Tenho medo de estar vendo o futuro.
    Tenho várias dúvidas sobre os sonhos, mas gostaria de saber como controlar para não permitir que estas coisas ruins me influenciem… tem dias que evito dormir…
    Obrigada!!!

  88. concordo com o q vc diz, mas no meu caso eu não vejo como eu tenha plantado nesta vida o q estou passando: desde meus 12 anos meu pai me trata como fantasma, e hoje, mais de 30 anos depois, ele aproveitou que eu estava péssima com a morte da minha mãe para me ofender dizendo que não me ajudaria em nada, e que eu agora ele mandava em tudo [na casa].
    Com a concordância de toda a família eu fui a filha exemplar até hoje…

    Ele tb detesta todas as pessoas e coisas do mundo, xinga especialmente quem é gentil com ele (pelas costas), mas parece que no meu caso algo vem de outras vidas. Senão… o que posso ter plantado para colher isso? Nada nesta vida, tenho certeza.

    Estou pensando certo?
    Se sim… o que posso fazer? Eu peço ajuda de antepassados, mas sinceramente acho que ninguém me ouve.

    Ele é a pessoa tóxica que dizem. Bem, eu ainda preciso viver na casa dele, caso contrário nem estaria te perguntando nada… Eu sei que é o processo dele… mas o q eu estou fazendo no meio do processo dele eu queria entender.

  89. Adriane, esse negócio aí de “arriar bandeira” não tem nada a ver com Espiritismo. Acho que o seu marido trabalhava em casa de religião de nação africana, que aqui no Sul chamamos de batuque. Isso não tem nada a ver com Espiritismo. É normal que estes lugares sejam frequentados por espíritos de baixa evolução que se ligam aos médiuns para vampirizar suas energias. Sugiro que procurem um centro espírita (kardecista), peçam atendimento, e comecem a frequentá-lo. Para melhorar é preciso ajudar-se, ir em busca de ajuda.

  90. Meu marido trabalhou em um centro espírita por quase 3 anos e depois abandonou. Hoje as coisas não vão bem, mas ele bebe, cai de moto, cada dia bebe mais. O que tem que fazer para ele arriar bandeira?

  91. Moreira, procure um centro espírita kardecista e peça atendimento. Os seus hábitos é você quem deve controlar. Ninguém tem poder sobre você. Se sabe que está bebendo muito e fazendo coisas erradas, pare. É possível que haja alguma má influência espiritual sobre vocês, mas é preciso se ajudar para ser ajudado. Se você não tem o hábito de orar, comece; ore, leia livros espíritas, melhore os seus pensamentos e atitudes e procure ajuda.

  92. Olá, boa tarde. Acho que estou com esse espírito obsessor. As coisas têm dado muito errado após minha esposa tentar suicídio. Ela é funcionária pública, eu trabalho não ganho tão mais ultimamente tem andado muito triste depressivo depois que compramos uma casa em um determinado bairro estou bebendo muito, até envolvi com coisas erradas e muitas dívidas que não conseguimos pagar.

  93. Apesar de acreditar em reencarnação e no poder da mente nunca acreditei que outro espírito desencarnado pudesse influenciar diretamente uma pessoa ainda encarnada. Há cerca de uns 2 anos meu esposo voltava para casa meio embriagado quando tocou o interfone e ao abrir a porta um colega o acompanhava, parecendo ajudá-lo, quando o convidei para entrar, ele deu as costas e saiu andando, fui atrás na escada e ele desapareceu na minha frente; já haviam me alertado para uma presença em casa, no entanto eu não havia acreditado. Meu esposo está passando por um período difícil depois disso, perdendo o emprego e em casa algum tempo após este episódio, tendo outras pessoas também visto vultos na residência mesmo sem comentar o ocorrido; tenho feito orações constantes mas vou pedir ajuda pois está difícil, e ele nega inclusive ajuda profissional, tendo outros acontecimentos como os gatos da casa olhando fixamente para um canto onde não tem ninguém como se houvesse uma pessoa, entre outros. Enfim, como ajudar uma pessoa que parece estar sendo seguida por uma influência má se a pessoa não acredita em nada?

  94. Márcia, não nego, de modo algum, a eficácia desses métodos de baixa magia. Mas muito da sua eficácia se deve ao nosso medo, à nossa suscetibilidade. Além disso, nada de mal nos atinge se não tivermos o mal em nós. Sugiro que procure um centro espírita e peça um tratamento. Jamais pague por qualquer trabalho; isso é indício de baixa espiritualidade. O ideal é que você passe a frequentar um centro espírita e estudar o Espiritismo. Irá renovar suas energias e lhe proporcionar um entendimento racional capaz de formar uma barreira energética que impeça as más influências de lhe atingirem com tanta facilidade.

  95. Olá Morel, boa tarde.

    Tenho uma empresa que está passando por sérias dificuldades financeiras e nela trabalhou uma mulher que em 2012 jogou um pó dentro do escritório e eu peguei neste pó. Deste período para cá nunca mais consegui me equilibrar financeiramente. Tenho pensamentos constantes de morte, de coisas ruins a todo tempo e eles aparecem do nada. Se estou lendo alguma matéria de auto-ajuda, seja o que for, estes pensamentos surgem e não me deixam concentrar na leitura. Só tenho pensamentos negativos e ruins e a minha vida de um modo geral, não está nada bem. Tem algo que eu possa fazer para reverter isto? Te agradeço de coração.

  96. Maria, você tem se entregado a um processo depressivo que não vai lhe ajudar em nada, pelo contrário. Mesmo sabendo que a morte física é uma decorrência natural da vida neste planeta, a partida de uma criança, que todos esperam que passe muito tempo encarnada, nos deixa tristes. Isso é compreensível. Mas não podemos mudar acontecimentos como este. Você deve aproveitar este fato doloroso para espiritualizar-se. Tudo na vida tem um porquê, e de fatos aparentemente negativos podemos (e devemos) tirar lições proveitosas. Procure um centro espírita, assista às palestras, tome passes para renovar suas energias, leia livros espíritas, procure esclarecer-se. Só compreendendo os mecanismos da vida encontramos forças para superar as nossas dificuldades momentâneas. Entregar-se para a depressão é prejudicial a você e a todos que convivem com você. Sua neta certamente está bem, foi socorrida e está dando continuidade à sua evolução. Agradeça a Deus por ter tido o privilégio de conhecê-la, de conviver com ela e de ter aprendido a amar um pouco mais. Mas amor não é apego, e o que nos faz sofrer é o apego. No fundo, se você estiver disposta a admitir, este sofrimento todo é sinal de egoísmo de sua parte. Você está se preocupando com você, está com pena de si pela “perda”. Na verdade não perdemos ninguém. Não perdemos porque a vida continua e não perdemos porque ninguém nos pertence. Só podemos perder aquilo que é nosso, e nossos entes queridos não são nossos, não nos pertencem. Ficando presa ao sofrimento, você também faz sofrer os que convivem com você ou aqueles que gostam e se importam com você. Agindo assim, você está fazendo com que a passagem da sua neta pela Terra tenha sido uma experiência ruim, que só lhe deixou dor e sofrimento. Reaja. Faça com que a passagem dela por aqui tenha valido a pena, não só para ela mesma, mas para os que ficaram, a começar por você. Espiritualize-se, torne-se uma pessoa melhor. Transformando a você mesma a partir deste fato, terá feito com que a passagem dela por aqui tenha sido o elemento transformador da sua vida.

  97. Meu nome é Maria. Minha neta faleceu há 2 meses. Ela estava bem, apesar de ter uma cardiopatia. Teve uma morte súbita que abalou toda a família. Ela estava com 1 ano e 7 meses. Desde então eu parei de trabalhar, minha vida mudou, não consigo mais encontrar alegria em nada. Comecei a ficar agressiva com as pessoas, com vontade de chorar e morrer. Não sou mais a mesma pessoa. Tento voltar à minha vida normal, mas não consigo. Tudo que eu gostava não tem mais importância. Fico desejando ficar sozinha, de preferência num lugar deserto. Antes tinha alegria de viver e medo da morte. Hoje tenho vontade de morrer e não tenho medo da morte. O que está acontecendo comigo? Me ajuda por favor.

  98. Influenciamos e somos influenciados permanentemente. Somos 7 bilhões de espíritos encarnados e mais de 20 bilhões de espíritos desencarnados na Terra. Todos estes espíritos emitem pensamentos, e nós sintonizamos com os pensamentos semelhantes aos nossos. Só isso. Para onde direcionamos o nosso pensamento, lá será o foco de influência de onde sofreremos interferências em nossas vidas. Os responsáveis sempre somos nós. Quem tem o poder de controlar os nossos pensamentos somos nós mesmos. Mesmo que soframos interferências de espíritos encarnados ou desencarnados, essa interferência só é possível porque nós emitimos o pensamento inicial.

  99. Ana, o primeiro ponto que merece atenção é a referência a este (ou estes) espírito como “mau”. Por que mau? Se ele for classificado dessa maneira, sua mãe deve ser classificada como má, pois eles estão na mesma sintonia. Nenhuma influência é possível se não sintonizarmos com a mente que emite (ou recebe) a influência. O acesso dele à sua mãe só é possível porque ela permite. Assim como alguns irmãos evangélicos menos esclarecidos colocam a culpa de tudo no diabo ou demônio, é comum que alguns espíritas não muito chegados aos estudos coloquem a culpa no obsessor. Isso é fugir da própria responsabilidade, isso é “terceirizar” a responsabilidade que só compete a nós mesmos.
    Ora, se ela é médium, o que ela faz que não estuda e se prepara para trabalhar? Se ela se dedicasse aos estudos, se esclarecendo permanentemente através do Evangelho de Jesus e com boas obras espíritas, trabalhando em benefício do próximo, certamente não estaria assim.
    Se ela já não está tão aberta a influências é porque, aos poucos, vai perdendo a sua capacidade mediúnica, que certamente lhe foi dada para que trabalhasse em benefício do próximo, muito provavelmente como uma concessão da alta espiritualidade para que ela tivesse a oportunidade de se rearmonizar consigo mesma e com os seus desafetos encarnados e desencarnados, quitando parte de suas dívidas contraídas em existências anteriores.
    A solução sempre está dentro de nós mesmos, e só a encontramos através do esforço próprio.
    Isso em relação a ela. Você, por sua vez, independente de ela querer se ajudar ou não, cuide de você mesma. Não se deixe atingir. Só somos atingidos por influências externas se mantivermos nosso pensamento voltado para coisas negativas. Não se preocupe, faça a sua parte, oriente-se através da leitura, procure participar de um grupo de estudos no centro espírita. Se o seu centro não der muita atenção ao estudo, analise a possibilidade de procurar outro. Não perca de vista que nada é por acaso. Não sofreríamos más influências se fôssemos santos. Esses desafetos desencarnados possivelmente foram vitimados por vocês em outras ocasiões. Mantenha o amor em seu pensamento, sempre. Deus nos ama a todos, não somos melhores do que nossos irmãos que atualmente cometem erros grosseiros.

  100. Olá,
    Preciso de mais orientações.

    Eu e minha família somos espíritas (kardecistas). Bom, Minha mãe é médium, e há uns 3 anos vem apresentando sintomas de que está com um espírito obsessor com ela, resumindo esses 3 anos, ela fica uns 4 meses fora de si, depois uns 6 meses volta ao normal…

    Bom, Quando ela está “mal” (não sei como dizer o termo certo), ela vira outra pessoa, extremamente agressiva, se machuca muito, xinga todos nós, eu, que sou filha, e ao meu pai principalmente, fuma muito, às vezes bebe, inclusive fica com os olhos meio caídos, voz um pouco diferente, e até mesmo um cheiro diferente… Frequentamos o centro espírita, e já nos foi revelado que ela é influenciada por mau espírito, e que inclusive ele tem como foco afetar mais a mim, e também a meu pai. Que isso vem de nossas vidas passadas, eu meu pai e minha mãe… E como minha mãe é médium é por meio dela que ele vem a afetar a mim e meu pai, e a ela também, é claro…

    Costumava ficar muito mal com essa situação, me entregava mesmo, não estudava não me concentrava em mais nada, me sentia culpada se eu fosse fazer algo que me desse prazer… Mas conforme fui estudando o assunto acho que não posso me entregar dessa maneira, pois com esses sentimentos ruins estaria alimentando esses maus espíritos, certo?

    O que devemos fazer? Estamos rezando muito e estou tentando seguir minha vida… No momento minha mãe está voltando a se obsediar, passamos 6 meses de muita paz, e está voltando aos poucos… Já fomos ao centro e o médium que nos conhece disse que hoje ela não está tão “aberta” quanto das outras vezes que esteve mal…

    Tenho medo… Com ela fora de si não conseguimos nem conversar com ela, pedir pra ela orar…

    Agradeço se nos der algumas orientações…

  101. Franciele, as verdades reveladas por Jesus são um caminho sem volta. A conscientização é um caminho sem volta, pois, depois que nos conscientizamos, não há como voltarmos a ser o que éramos antes. Einstein tem uma frase que diz assim: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”. É isso. Com o conhecimento e a conscientização proporcionados pelo Espiritismo, jamis voltaremos à mesma pequeneza espiritual de antes.

  102. Olá, bom dia!
    Bom, eu não tenho graças a Deus nada a reclamar da minha vida, apesar da minha família ser um pouco desunida, mas acho que não fora do normal.
    No entanto, como estou de férias e com muito tempo de sobra, tenho lido bastante sobre o espiritismo, quero conhecer mais sobre, tenho curiosidade e certa afinidade, mas me disseram que pode ser um caminho sem volta.
    O que me aconselhas?

  103. Flávio, o que normalmente chamamos de obsessão é a influência insistente que um espírito exerce sobre nós. Todos nós somos, de algum modo, influenciados por espíritos. Mas nada tira o nosso livre-arbítrio, nada tira a nossa capacidade de escolha. Um espírito só consegue nos influenciar se nós permitirmos. Nós sempre somos responsáveis pelos nossos atos. O que um espírito obsessor pode fazer é potencializar as nossas próprias fraquezas, mas não pode nos obrigar a fazer nada.
    Você disse que em vários lugares falaram que ela é médium. Pessoas com mediunidade são mais suscetíveis, mais facilmente influenciáveis pelos espíritos. Por isso a importância do estudo e trabalho com a mediunidade. A mediunidade deve servir de instrumento para fazer o bem ao próximo. Mas, médium ou não, ela é a responsável pelas suas escolhas.
    A decisão sobre a sua vida compete a você mesmo. De qualquer modo, permanecendo ou não com ela, perdoe e esteja disposto a recomeçar a vida. A vida nos oferece oportunidades de sermos felizes sempre.

  104. Eu e minha esposa sempre fomos unidos, fazíamos tudo juntos, sempre fomos muito felizes, por várias vezes ela estava bem no trabalho e tudo desandava, sempre tinha pessoas que de repente do nada, começavam a persegui-la, eu sempre do lado dela, estudava a nossa situação financeira, aí eu pedia pra ela sair do trabalho, sempre em vários lugares que íamos falavam que ela era médium e que ela tinha que trabalhar, isso senão nada iria dar certo pra ela. Estamos no sexto ano do nosso casamento, faremos 7 em janeiro, e desde o início do ano as coisas não estão legais pra nós, mas do meio do ano pra cá, tudo tem piorado, descobri que ela me traiu e mantém contato com ele, ela largou o serviço em que estava sem dar satisfação a ninguém da empresa, simplesmente não foi mais, descobri que às vezes faz uso de drogas, a nossa vida financeira desandou, ela está fazendo muitas dívidas, foi trabalhar longe de casa e alugou uma casa pra lá pra ficar durante a semana, largou o serviço com uma semana trabalhada, sempre que tento conversar com ela, ela reverte e eu que saio como o errado da história, ela fala que me ama mas não do jeito de antes, falou que queria se separar, e em outro momento fala que tudo vai dar certo, que vamos ficar juntos, ela nega sexo comigo e fala que tem medo de fazer porque tem medo de doer por causa de um tratamento que ela fez e agora descobri que ela está se prostituindo. Será que isso é obsessão ou ela mudou radicalmente mesmo?

  105. Islaine, já que você diz que é espírita, você devia saber que não existe obsessão sem a participação do obsediado. Nenhum espírito pode influenciar alguém se este alguém não permitir. Além disso, não sabemos as causas disso. Temos que respeitar a ligação entre os dois, que não sabemos onde começou. Só é possível afastar o obsessor se o obsidiado quiser se ajudar. E não pense que o pai do seu marido é o culpado e o seu marido é vítima. Essas relações quase sempre são muito antigas, e não sabemos o que um fez para o outro no passado.
    Não busque soluções fáceis. Não vai encontrar. Temos que construir a vida que queremos com a nossa cota de esforço. Pela tratamento para ele no centro espírita ou procure outro centro espírita (kardecista).
    Estude, se esclareça, aprenda o que é o Espiritismo e como as coisas funcionam. Evangelize-se, participe de um grupo de estudos no centro espírita, aprenda com a experiência dos outros. Torne-se uma pessoa melhor. Só assim irá equilibrar a sua vida.

  106. De acordo com a classificação de Martins Peralva, estudioso do Espiritismo, que pouco difere da classificação dada por Allan Kardec na Revista Espírita, os sonhos podem ser comuns, reflexivos ou espíritas. Sonhos comuns são a continuação de nossas disposições físicas ou psicológicas. No seu caso, que tem pesadelos, seria como se você assistisse filmes de terror e depois sonhasse influenciada pelos filmes. Sonhos reflexivos são fragmentos de lembranças, desta ou de outras existências. É comum acessarmos, durante o sono, lembranças de outras existências ou de nossas passagens pelo umbral. E os sonhos espíritas são a atividade do espírito durante o sono. Neste caso, os seus pesadelos seriam as lembranças que você consegue reter do que lhe acontece enquanto você está desdobrada naturalmente por ocasião do sono físico.
    Um tratamento espiritual adequado costuma resolver isso. Desde que nos ajudemos, é claro.

  107. BOM DIA, ESTOU PRECISANDO MUITO DE AJUDA ESPIRITUAL. EU E MEU ESPOSO VIVÍAMOS MUITO BEM ATE IRMOS PARA NOSSA CASA.
    DEPOIS QUE FOMOS PARA O NOSSO CANTINHO ELE COMEÇOU A BEBER EM DOBRO, FICOU VIOLENTO, MUDA DE TEMPERAMENTO FÁCIL, ESTÁ DISTANTE DA FAMÍLIA E NÃO TEM PACIÊNCIA COM NADA, TUDO O IRRITA. SOU ESPÍRITA E SINTO VIBRAÇÕES MUITO FORTES E RUINS VINDO DELE. SENTI MUITO MEDO E DAÍ RESOLVI QUE ELE FOSSE PRA MÃE DELE, MAS O PROBLEMA É QUE O AMO E QUERO MUITO AJUDÁ-LO.
    NA CASA ESPÍRITA ONDE ME CUIDO JÁ ME FALARAM QUE ELE ESTÁ COM O ESPÍRITO DO PAI DELE PERTURBANDO.
    E O ESPÍRITO ESTÁ TENDO CONTROLE TOTAL DELE PORQUE ELE É MUITO FRACO ESPIRITUALMENTE.
    PRECISO SABER O QUE FAÇO PARA QUE ESSE ESPÍRITO OBSESSOR SAIA DELE NO ATO.
    GRATA!

  108. Joselaine, você pede por favor várias vezes, e diz que não conhece nenhum centro espírita. Por que você não procurou um centro espírita? Se você não conhece, procura. Quem procura acha.
    Você diz que sua cabeça está atormentada com imagens e pensamentos ruins e que não sabe como mudar isso. Você nunca orou na vida?
    Você diz que na sua casa nada dá certo. Será que você não está vendo apenas o lado negativo das coisas? Afinal, você diz que o seu marido é uma bos pessoa, e os seus filhos, provavelmente, são saudáveis, e vocês estão juntos, e tenho certeza de que, se você procurar, tem uma série de coisas boas para agradecer. Se nos focarmos só nas coisas negativas, tudo fica sempre cada vez mais negativas. Mude o seu foco. Aprenda a agradecer. Agradeça a Deus pela sua vida, pela sua saúde, pela sua família, pela sua casa, pela sua vontade de viver.
    Nós somos espíritos e já tivemos muitas existências. Em cada existência nos relacionamos com outras pessoas, fazemos amizades e inimizades. Essas relações permanecem. É possível que haja um ou mais espíritos, conhecidos seus de outras existências, influenciando vocês. Mas isso acontece sempre, com todas as pessoas, em maior ou menor grau. Nenhum espírito tem domínio sobre nós. Nós só somos influenciados de acordo com as nossas imperfeições. Um espírito só consegue influenciar alguém de acordo com as fraquezas dessa pessoa. Uma pessoa não vai fazer nada que ela não seria capaz de fazer só por causa da influência de um espírito. O que o espírito pode fazer é influenciar nossos pensamentos diminuindo ou atrapalhando a nossa capacidade de julgamento e raciocínio. Mas compete a cada um de nós resistirmos.
    É preciso espiritualizar-se. Se você tem simpatia pelo Espiritismo procure um centro espírita e comece a frequentar. Estude, leia, assista palestras, aprenda, se esforce para mudar, leve os seus filhos, peça ao seu marido para acompanhá-la. Pratique o Evangelho no Lar com a sua família. Permita que Jesus faça parte da vida de vocês. Quando estamos espiritualmente seguros, com os ensinamentos de Jesu na mente e no coração, nos tornamos mais fortes.
    Não espere milagres. Não existe milagre. Para vencerem as más influências, são vocês que devem se melhorar como seres. Cultivem a oração e estudem, leia livros espíritas, procurem conhecer as coisas espirituais. É o único modo de se fortalecer espiritualmente.
    Não fique esperando ajuda. Peça atendimento no centro espírita, mas sabendo que compete a vocês mesmos se ajudarem. Controlem os seus pensamentos com oração e a leitura de livros espíritas. O Evangelho segundo o Espiritismo é uma boa pedida.

  109. Por favor me ajude, será que isso é algum espírito? Sou casada e várias vezes eu e meu marido passamos por situações estranhas, às vezes estávamos bem e ele saía e vinha algo em minha cabeça e me dizia vai ver o que ele está fazendo e eu pegava ele pendurado em muros sondando a vizinha, e ele me dizia que não sabia o que tinha feito, que algo veio na cabeça dele e falou pra ele fazer isso, mas se fosse só isso eu acharia que ele é quem não prestava, mas ele é uma pessoa boa e jura que me ama, mas tem outras coisas que acontecem. Às vezes quando ele fica bravo ele muda, arregala os olhos, fica muito agressivo, fala que vai se matar, pega faca, às vezes vem pra cima de mim, ele rosna como se fosse um animal, fala nomes feios, ou dormindo ele tem pesadelos, ele geme, grita, mas teve duas vezes que eu fiquei com muito medo, eu acordei e vi que ele estava com a respiração ofegante como se estivesse tendo um pesadelo, só que nesse momento ele começou a me apertar e rosnar como um animal muito feroz, então com o susto eu gritei e o empurrei, mas na hora ele arregalou os olhos e começou a fazer um barulho estranho com a boca, com a língua pra fora, foi horrível, mas eu também percebo em mim uma coisa muito ruim, às vezes estou bem, daí de repente vem algo e me deixa com muita raiva, uma raiva que não é normal, sem sentido, me faz ter vontade de me matar, de sumir, raiva e tristeza tudo junto, e quando eu e meu marido estamos bem um dos meus filhos fica esquisito, eles são pequenos, a de um ano começa a gritar sem motivo, sem controle, é muito esquisito, porque ela não é assim, mas quando todos estamos bem, o que é raro, a minha irmã passa quase pelas mesmas coisas com a família dela, meu filho quando tinha 4 anos falou que tinha uma mulher falando com ele, mas eu estava junto e não tinha ninguém, minha sobrinha também disse que viu um homem andando pela casa dela e minha irmã não viu nada, mas há casos com minha tia e tio, ela se tomasse alguma bebida ficava louca, falava que ia matar, rosnava, arregalava os olhos, parecia um bicho, falava grosso, minha família é perturbada e na minha casa nada dá certo, minha vida parece que está amarrada, me ajude, o que será isso não conheço nenhum centro espírita (obs: o pai do meu cunhado se matou há muito tempo atrás mas mesmo assim o caso dos meus tios vem desde antes.), por favor me ajude, minha cabeça está atormentada com coisas ruins, imagens e pensamentos, não sei como mudar isso.

  110. O que chamam de “encosto” quase sempre são espíritos atraídos por nós mesmos. Temos que entender que somos espíritos. A diferença entre nós e os espíritos desencarnados é que nós estamos temporariamente revestidos de um corpo de carne, só isso.
    Assim como nós nos sentimos atraídos por algumas pessoas (espíritos encarnados), alguns espírito sentem-se atraídos por nós. Nós os atraímos com os nossos pensamentos e atitudes.
    Para que tenhamos só boas companhias espirituais temos que manter só bons pensamentos e atitudes corretas.

  111. Oi Morel

    A menina disse que não cobraria nada de mim, mas gostaria de saber se nesses casos isso pode ser considerado como um “encosto”?! Um espírito que está me seguindo por toda a parte?! Ela disse que só estava seguindo uma missão em ajudar e por isso não iria me cobrar nada, mas achei muito estranho ela oferecer pra eu ir até a casa dela pra fazer um “banho de descarrego” de graça, enfim, fiquei bastante impressionada mesmo, mas depois que li toda sua matéria sobre o assunto já me senti muito melhor.

  112. Oi Morel

    A menina disse que não cobraria nada de mim, mas gostaria de saber se nesses casos isso pode ser considerado como um “encosto” ?! Um espirito que esta me seguindo por toda a parte?! Ela disse q só estava seguindo uma missão em ajudar e por isso não iria me cobrar nada, mas achei muito estranho ela oferecer

  113. Jackie, o Espiritismo não oferece “consultas” nem “banho de descarrego”. Provavelmente você está sendo enganada.
    Você deve estar confundindo Espiritismo (que alguns chamam, para evitar confusão, de “Espiritismo kardecista”) com qualquer religião ou prática espiritualista.
    O Espiritismo jamais cobra por qualquer atendimento, Espiritismo não envolve dinheiro nem qualquer tipo de interesse. Não caia nessa.
    Também não existe isso de “anjo da guarda virar as costas”. Cada um de nós tem um espírito protetor, que não está o tempo todo conosco, mas que jamais nos “vira as costas”. Pode nos deixar por nossa própria conta quando nós teimamos demais em fazer só coisas equivocadas, mas estará conosco sempre que orarmos com sentimento.
    Não se deixe impressionar. Todas as pessoas são, de algum modo, influenciadas por espíritos. Nós somos espíritos. Somos espíritos e estamos num corpo; quando morremos deixamos apenas o corpo, mas permanecemos sendo nós mesmos. E nos influenciamos uns aos outros através do pensamento.
    Procure um centro espírita kardecista, peça atendimento, tome passes, procure ler, se informar, e se acalme.
    Para superar situações como a que você está passando no seu trabalho nós precisamos nos fortalecer espiritualmente. Ore, peça a Jesus que lhe dê calma e tranquilidade.

  114. Oi Morel.

    Devido a vários acontecimentos na minha vida, resolvi procurar sobre este assunto depois de uma pessoa que nem sequer conheço me alertar do problema. Venho passando por uma série de stress e decepções em meu trabalho, uma colega me persegue constantemente, todos o dias e o dia todo, me sugando as energias e me deixando muito mal em várias situações, ela já havia feito a mesma coisa com outra menina e ela teve que pedir as contas no trabalho com 6 quilos a menos, agora a fulana resolveu me colocar no lugar da outra.

    Essa situação começou a me consumir, me deixar com muito ódio, raiva, me sentir um lixo humano e daí começou a contaminar outras pessoas, como relembrar erros de outras pessoas do passado que eu já tinha esquecido, reviver tudo que passei e já perdoei, e assim começou um inferno astral de pensamentos horríveis incontroláveis, tenho me sentido muito cansada, irritada comigo mesma e com o planeta inteiro, um ódio mesmo fora do normal, vontade de chorar… Tudo de ruim mesmo.

    Bem, eis que estava em meu carro no trânsito parado indo passar o final de semana na casa do meu namorado e de repente, uma mulher do carro ao lado pede pra eu abaixar o vidro pra falar alguma coisa. Quando dei a chance, ela muito séria me perguntou “Moça, você acredita em espiritismo? Eu sem entender nada de nada, respondi…”não sei!” E ela disse…. “Moça, você está precisando de ajuda… Pega meu telefone e me liga que eu te explico” trocamos os telefones ali mesmo e depois liguei pra ela. Foi tudo muito estranho, e no telefone ela me disse “o seu anjo da guarda está de costas pra você… Tem um espírito muito ruim junto contigo, você precisa fazer um banho de descarrego e um tratamento.”

    Se eu estivesse em condições normais, diria que a mulher é louca, mas como não é essa a realidade… Ela poderia ser uma luz no fim do túnel que caiu no meu colo. Estou absurdamente assustada em imaginar que posso ter um encosto, tenho PAVOR dessas coisas e estou com medo até de ficar sozinha, não consegui mais dormir depois disso (foi ontem) e hoje mesmo já marquei uma consulta espiritual… Minha pergunta é: qual o nível desse espírito obsessor na minha vida pra outra pessoa sem nem me conhecer ter visto do outro carro!?!?!? Será que é muito grave? Como assim meu anjo da guarda desistiu de mim?! Será que isso é irreversível? Agora além do meu stress e rancores do passado estou paranoica com um bicho atras de mim…

  115. Douglas, por que este espírito que ela vê deve ser um obsessor? Pode ser um espírito familiar, ou um espírito precisando de ajuda, ou, o que é mais provável, alguém com quem ela tenha alguma forte ligação.
    Mas não podemos achar que nossas companhias espirituais seja, obsessores. Até porque, mesmo que estas companhias espirituais estejam nos prejudicando, propositadamente ou não, qualquer espírito só tem acesso a nós se nós permitirmos, através dos nossos pensamentos, sentimentos e atitudes no dia-a-dia.
    Ela deve querer se ajudar. O ideal é procurar um centro espírita, frequentar, pedir atendimento e seguir as orientações. Fatos assim servem para chamar nossa atenção para o aspecto moral, para a atenção que nós devemos dar para as coisas do espírito, para a necessidade de esclarecimento.

  116. Morel, eu sinto que um espírito obsessor persegue e tenta atrapalhar a vida da minha namorada, principalmente quando ela está dormindo e quando nós estamos deitados para dormir, ela acorda do nada e diz que tem um homem perto dela e me pergunta se eu vejo ele e quando ela acorda ela não lembra de nada disso. Como que eu faço para ajudar ela? Qualquer ajuda é bem vinda…

  117. Jonatas, muitas vezes somos injustos em tratar qualquer espírito que se aproxime de nós como se fosse “obsessor”. Somos nós, quase sempre, que atraímos a companhia de espíritos sem esclarecimento através dos nossos pensamentos mesquinhos e sem controle algum.
    Nenhum espírito pode ter acesso a nós se nós não oferecermos este acesso a ele através do nosso pensamento. A sintonia entre espíritos, sejam encarnados ou desencarnados, se dá sempre através do pensamento.
    Procure um centro espírita e peça atendimento. Siga as instruções. Mude os hábitos, leia livros espíritas, procure novas ocupações físicas e mentais. Mude o foco. O tratamento espiritual é eficaz, mas não resolve nada se não mudarmos o foco.

  118. Talvez eu não saiba como orar, ou simplesmente não oro pelo o que deve ser, mas acho que algum espírito obsessor esteja atrapalhando minha vida, não consigo mais me relacionar com as pessoas, todos de quem me aproximo de repente se afastam, tento me alegrar, tento pensar em coisas boas, mas em seguida vêm coisas que me deixam tristes, se for o obsessor, saber se pode me orientar, temo ser o meu pai, que queira algo e eu não sei o que é… se puder me orientar eu agradeço desde já.

  119. Quem deve se ajudar é você, Jonatas. Você diz que ora todo dia a Deus mas nada muda. Você sabe o que é orar? Você sabe como funciona a oração?
    Se você permanecer chorando, triste, morrendo de pena de si mesmo, tudo ficará cada vez pior. Pare de ter pena de si mesmo. Pare de bancar a vítima. Pare de se queixar. Pare de reclamar. Pare de espalhar sua tristeza por onde você anda. Deve estar difícil para qualquer pessoa conviver com você.
    Esqueça a choradeira e recomece. Procure um centro espírita e peça atendimento. Siga as instruções que lhe passarem. Estude sobre o Espiritismo. Se esclareça. Perceba que o que você pensa e sente é o que você atrai para você. Mude já a sua atitude perante a vida. A escolha é sua. Você pode permanecer se achando um coitado ou pode começar a se preparar, a partir de agora, para construir uma vida nova.
    Indico dois livros para você ler. Não são livros espíritas, mas suas instruções vão fazer bem a você. O poder do Subconsciente, de Joseph Murphy, e O Poder Infinito da sua Mente, de Lauro Trevisan. Se você não puder comprá-los, leia em PDF na internet.
    Pegue sol. Caminhe ao ar livre. Faça exercícios físicos. Não pense em tristeza, não fale em tristeza, não assista programas de televisão que o levem à tristeza, não ouça músicas que o conduzam à tristeza.
    Mude a sua maneira de orar. Sorria em frente ao espelho e agradeça a Deus por lhe conceder todos os dias novas oportunidades. Busque motivos para agradecimento e agradeça. Goste de vocÊ mesmo. Faça afirmações positivas. Não se acha injustiçado. Perceba que você deve estar muito chato ultimamente. Esqueça isso. Perdoe a todos. Perdoe com o coração. Liberte-se dessas coisas que aconteceram e recomece.
    Se houver alguma influência espiritual agindo sobre você o tratamento no centro espírita deve solucionar. Mas nada adianta se você não se ajudar. A cura está em você.

  120. Jorge, qualquer espírito só tem acesso a nós se houver sintonia entre nós e eles. Pessoas moralmente elevadas não sintonizam com espíritos atrasados. Se há de fato espíritos atrasados obsediando você é porque há alguma coisa, no seu passado ou presente, que liga você a eles. Somos espíritos imortais, já tivemos inúmeras existências, nossa bagagem espiritual está repleta de erros graves que cometemos e que permitem que esses espíritos liguem-se a nós.
    O único caminho é o esclarecimento e a prática do bem. Estude, se esclareça, frequente um centro espírita, não espere milagres, participe de um grupo de estudos, leia e estude o Evangelho de Jesus, faça o Evangelho no Lar, perdoe, ore, controle os seus pensamentos, busque novas atividades, pratique exercícios físicos, faça caminhadas ao ar livre, não se considere como vítima.
    Mude. É preciso mudar. Se esperar soluções fáceis, não irá encontrar. Mas se estiver realmente disposto a mudar para melhor, os bons espíritos o ajudarão neste processo.

  121. Que mais fazer quando um espírito maléfico e obsessor, foi colocado na minha vida, através de feitiçaria, para me destruir, e nem com rituais e orações esse espirito abandona o meu lar e me deixa em paz?

  122. Preciso muito da sua ajuda, depois que meu pai morreu há mais de um ano tudo mudou na minha vida, perdi minha noiva a quem eu amava muito e sei que me amava, pouco tempo depois que ele morreu eu morava com minha noiva em outra cidade, algo muito forte me impulsionou a voltar pra terra dos meus pais, nem minha noiva conseguiu me segurar, depois que vim na promessa de um emprego que nunca aconteceu, só vieram coisas ruins na minha vida, terminei meu relacionamento, não consegui arrumar emprego, coisa que antes era tão fácil, meus amigos se afastaram de mim, as pessoas quem conheço de repente se afastam de mim (mulheres), meus amigos se afastaram, até minha mãe parece que perdeu o amor por mim, tive que voltar pra casa, e minha mãe faz de conta que nem existo quase, não consigo tirar minha noiva da cabeça nem por um minuto, apesar de fazer mais de 6 meses que acabou, enfim… perdi tudo, o amor dos meus irmãos e família, e assim tudo um em seguida do outro, vivo triste, chorando, não sei, mais tudo isso foi depois que meu pai morreu, e eu não pude nem vê-lo e nem chegar a tempo do velório, o rapaz da clínica disse que quando foi pra ele morrer, ele estendeu a mão pra o vidro, mas penso que se fosse ele, por que ele atrapalharia minha vida sendo meu pai… não sei o que fazer, oro todo dia a Deus, mas nada muda, continuo na mesma, me ajude se você puder… agradeço.

  123. Viviane, nós permanecemos os mesmos quando desencarnamos. Não nos tornamos melhores ou piores só por termos deixado o corpo físico. É claro que a sua oração surtiu efeito. O que Jesus nos aconselhou? Orar e vigiar. Jesus não nos disse que tínhamos que orar na igreja ou que fazer desobsessão no centro espírita. Só precisamos destes recursos por causa da nossa precariedade espiritual, mas isso não é obrigatório.
    Ore por ele, peça que ele se recupere o melhor possível, que ele seja bem amparado e siga o seu caminho.
    Não existe melhor recurso espiritual do que a oração sincera.
    Fique bem, aproveite a sua vida, que é oportunidade de aprendizado.

  124. Boa noite Morel, já visito o seu site há um bom tempo e desde que comecei a ler as coisas que você escreve, faço um esforço imenso para aplicar suas palavras. Venho de uma família evangélica, mas o espiritismo se tornou uma curiosidade para mim. Nunca fui a nenhum centro pois ainda tenho um certo receio de magoar minha mãe… enfim.
    Eu até comprei o Evangelho segundo o Espiritismo, o Livro do Espíritos e Gênese.
    Vou lendo o Evangelho comparando-o com minha Bíblia e fico pasma como eu nunca havia percebido na bíblia, mensagens como a reencarnação por exemplo.
    Eu só gostaria de saber se é possível se livrar de um espírito obsessor sem o auxílio de um centro espírita? Somente com orações consigo fazer esse espírito entender que ele está no local errado?
    Aconteceu uma coisa muito estranha comigo. E eu preciso de um conselho de uma pessoa confiável, e por incrível que pareça, apesar de não te conhecer pessoalmente, confio plenamente na sua sabedoria. Eu fui apaixonada por um rapaz desde a minha infância. Namoramos, terminamos e reatamos muitas vezes. Mas, quando eu percebi, mesmo gostando muito dele, que esse relacionamento não teria futuro, o abandonei e inciei um outro relacionamento. Ele sempre me procurava e isso sempre atrapalhava todos os relacionamentos que tive. Terminei um noivado por causa dele. Ele me procurava, eu terminava o relacionamento, daí ele sumia. Isso sempre acontecia. Até que um dia ele me procurou, eu disse que estava namorando, e que não o queria mais. Ele não insistiu, e foi embora. Cinco meses depois disso ele faleceu. E eu fiquei extremamente arrasada. Sofri muito. Mas, me casei com o rapaz que namorava na época em que o falecido me procurou.
    Mas confesso que o pensamento no meu ex ainda era frequente. As brigas com meu marido também. E sempre que aconteciam, eu imaginava se eu tivesse aceitado a proposta do meu ex, se eu tivesse me casado com ele, como seria minha vida. Eu achava que essas brigas eram por causa da adaptação da vida a dois. Não eram brigas irreconciliáveis. Mas eram brigas que nos fazia nos distanciarmos. O estranho é que eu sempre sentia uma presença na minha casa. Aí uma amiga me alertou sobre o fato de eu pensar demasiadamente nesse meu ex. Ela disse que isso não era bom. E que meus problemas conjugais poderiam ser por talvez, uma obsessão. Eu sei que a culpa foi minha. Se fosse isso mesmo, eu tinha o chamado, até que um dia, resolvi fazer uma oração para ele. Orei em voz alta como se eu tivesse falando diretamente com ele. Pedi que ele ficasse em paz, que Deus o acolhesse, mas que se ele estivesse aqui, que não era o lugar dele. Fui muito sincera nas minhas palavras e logo em seguida orei diretamente para Deus. Não sei se foi o efeito psicológico, mas meu relacionamento mudou de água para o vinho depois disso. Sempre que me lembro dele, tento pensar positivo e peço a Deus que o ilumine.
    É possível eu ter o atraído para perto de mim? E é possível eu mesmo tê-lo afastado com apenas uma oração? Tenho que obrigatoriamente ir a um centro espírita para que ele tenha paz? Me aconselhe por favor.

  125. Amanda, não é através de uma troca de palavras pela internet que você irá resolver os seus problemas. Não sei a que tipo de centro espírita você foi. Jamais pague por nenhum tratamento. Faça o tratamento indicado, frequente um centro espírita, estude, leia, procure se tornar uma pessoa melhor. Nnehum espírito pode nos influenciar se não formos semelhantes a ele. Se você é obsediada por um espírito, algo em você dá esse acesso a ele. Modifique-se, cristianize-se, seja boa, queira mudar a você mesma e não aos outros.
    É uma longa caminhada. Quanto antes começarmos, melhor.

  126. Oi, fui ao centro espírita e recebi uma carta, lá diz muita coisa que não entendo muito bem o que significa, mas no final diz que tem um espírito obsessor à minha volta, que tenho que fazer um tratamento no centro, juro que não sei o que fazer, creio que minha vida está parada, nunca consigo dar certo com ninguém, parece que a pessoa toma birra de mim da noite para o dia, ando muito triste com isso, realmente vem me afetando muito o lado sobre relacionamento, parece que nunca vou ser feliz no amor, juro que não sei mais o que fazer.

  127. Morel, como dizer a alguém que eu não quero ficar com ela, não tô aguentando mais, ele me perturbar agora 24 horas, , até no centro espírita ele fica em transe atrás de mim, sei que ele deve ser uma pessoa boa para os outros da casa espirita mas, eu não quero mais contato com ele, desculpa o desabafo novamente mas, se eu contar isso a alguém , ninguém acreditaria.

  128. Eu não gostei desse trecho ” No meio espírita, há uma classe especial de bode expiatório. O obsessor. As pessoas em geral põem a culpa de suas mazelas no governo, nos pais, nos filhos, no tempo, na sociedade, na vizinha invejosa. Mas os espíritas e simpatizantes têm, além desses fatores, o obsessor. Se algo dá errado, há um espírito obsessor atrapalhando. Se a família está desunida, o culpado é o espírito obsessor. Se existe desemprego, ou doença, ou vício, a culpa é do obsessor.”

  129. obrigada por ter me respondido vou tentar mas temo pelos meus filhos a situacao e mais complicada pois tenho 4 filhos 1 adolecente e uma menina linda que temo por ela mas vou tentar o meu cunhado esta furtando as minhas coisas como butgao maquina fotografica e ate tapetes e anda com pessoas que ja mataram outras mas se eu que tenho que mudar o mais interesante e que ele tem pais que tem muito mais condicoes de ajudalo eu achei que minha situacao era espiritual pois a vultos dentro do quarto dele onde ele passa sinto cheiro de bebida mesmo ele nao tendo bebido ele delira fala que tem gente batendo nele no quarto dele a muitas velas e fala o tempo todo em um cara que chama de ze pilintra e a mais uma coisa que temo muito pelo meu marido ele e foragido da policia foi condenado por asalto e fugiu e esta aqui na minha casa temo e eu procurei ajuda no saite pois nem sou espirita mas abri meu computador digitei uma coisa e saiu outra vc senti que vc poderia me aconselhar sei que deus so ele pode me ajudar mas o que eu busquei aqui foi conselhos sobre minhas atitudes pois a uma coisa muito importante nisso tudo meu marido e um ex dependente quimico sofremos muito foi uma luta muito pesada mas vencemos a 5 anos ele esta na sobriedade e de repente tudo aquilo retornou na minha casa com meu cunhado tenho medo que meu marido recaia antes era meu pai que morreu com 40 anos porque era alcolatra e por conta do vicio contraiu hiv foi muito doloroso a minha vida se resume desde a minha infancia em vicio convivo e luto como quando eu tinha 14 anos nao desesti do meu marido lutei mais ou menos 14 anos por ele e nunca desisti mas agora eu sinto essa energia negativa que emana do meu cunha do eu oferecop casa comida e ele me rouba vim ate vc pois achei que seria coisas espirituais mas acho que vc tem razao so eu que tenho de mudar eu desisto to cansada nao aguento mais to pior depois de perdido meu nenem mas mesmo assim obrigada pela sua atencao vc e muito especial me despeco de vc

  130. Carla, se você está realmente precisando de ajuda acredito que já tenha procurado um centro espírita. Afinal, quando se quer ser ajudado é preciso se ajudar.
    Se o seu marido não mudou o comportamento com a presença do irmão; se o seu marido não está fazendo as mesmas coisas que o irmão faz; se o irmão não está usando drogas na sua casa; você precisa compreender o seu marido. É irmão dele. Ele está fazendo exatamente o que deve fazer. Poucas pessoas têm essa responsabilidade, poucas pessoas cumprem com o dever de ajudar a quem precisa. E é isso o que o seu marido está fazendo.
    Compreendo que isso possa ser difícil para você. Mas não há como exigir do seu marido que ele deixe de ajudar o irmão.
    Você diz que é você quem está brigando com o seu marido; que é você que tem pensamentos ruins e que deseja que o irmão suma ou morra. Não será você que deve mudar? Não será melhor ter uma conversa civilizada e compreensiva com o seu marido e propor uma solução para assim que for possível?
    Todas as situações que a Vida nos apresenta são oportunidades de aprendizado. Aprenda sobre si mesma. Aprenda a dominar os seus pensamentos, aprenda a orar. E vá em busca de ajuda espiritual. Não é através de um pedido de ajuda num site que os seus problemas irão se resolver. Comece a frequentar um centro espírita kardecista, aprenda, leia, peça atendimento. Espere pela melhor solução, não pela solução que você acha melhor. Quase nunca sabemos o que é o melhor para nós. Não pense apenas em você, há outras pessoas envolvidas. O mundo não gira em torno de nós.

  131. Olá, presiso de ajuda, está morando na minha casa o irmão do meu marido, ele usa drogas, bebe, rouba, faz todo tipo de coisa ruim, meu marido está dando emprego pra ele, acredita que ele vai mudar, mas ele já disse que não vai mudar nunca, vai fumar beber até morrer. Muito bem, eu estou brigando muito com meu marido porque quero que ele saia da minha casa, não gosto da presença dele, não me sinto bem quando ele chega, mas meu marido disse que ele não tem pra onde ir, que tem muita dó dele mas ele tem mãe e pai e eu tenho de aguentar a presenca dele. Quando ele chega eu mudo, começo a ter pensamentos ruins a respeito dele, comeco a desejar que ele sumisse ou morresse, estou com medo dos meus pensamentos pois eu não costumo pensar assim. Há poucos dias eu engravidei, tive um sonho com minha irmã que já faleceu, ela morreu com três dias de vida, mas eu a vi adulta, ele me disse que eu iria ter uma filha mas com 7 semanas de gravidez tive um aborto espontâneo, minha casa está um caos, vivo com dores e cansada. O que eu faço, por favor me responda.

  132. Djulia, este “senhor espírita” não parece ser espírita, pois não existe isso de fazer espírito sair “na marra” e bater com espada de São Jorge.
    Só somos influenciados por espíritos com quem sintonizamos. A sua mãe – e vocês do grupo familiar devem evangelizar-se, estudar o Evangelho de Jesus e procurar um centro espírita kardecista. O tratamento pode ser longo, pois exige esforço, disciplina e vontade de mudar. Não podemos acreditar que um espírito se torne obsessor por nada. Certamente há um longo envolvimento entre encarnado e desencarnado para chegar a este ponto. É preciso perdoar, compreender e amar. Sem isso não adianta.

  133. Morel, minha mãe está passando por um momento muito difícil, ela tem uma irmã já desencarnada que fez muitas coisas ruins na vida terrena, há algum tempo minha mãe começou a ficar mais doente do que o normal, irritada e com um monte de problemas, dor nas costas, cabeça etc, então ela procurou um senhor espírita, que constatou o espírito da irmã dela a obsediando, ele consegue fazer esse espírito sair na marra com muita oração, minha mãe já apanhou até de espada de são jorge pra se livrar do espírito que é tão terrível que até bater no médium bateu, minha mãe não lembra de nada, mas o marido dela sempre está junto e conta que é horrível, esta obsessora diz que não vai desistir e até mesmo quando minha mãe está bem ela aparece e diz que vai levá-la para junto dela, já estou apavorada pois não conseguimos solução, sempre falo para ela orar e pensar positivo, mas não está resolvendo, como será que posso ajudar?

  134. Amanda, todos nós somos influenciados, de algum modo, pelos espíritos. Eles são espíritos como nós, apenas não têm mais o corpo de carne. É claro que na sua família há influência espiritual negativa, o relato relacionado à sua sogra deixa isso claro. Mas essa influência espiritual só é possível porque ela permite. Não existem inocentes. Todos temos aquilo que atraímos com nossos pensamentos, palavras e ações. É muito positivo o fato de você haver se conscientizado da sua possibilidade de ajudar. E a sua ajuda pode ser grande, maior do que você imagina hoje. Se você melhorar significativamente, automaticamente aquelas que a cercam também vão melhorar. Apenas é preciso ter paciência, já que isso não se alcança da noite para o dia. Essa “pressão” na sua vida pode ser um estímulo para que você se dedique a trabalho em benefício do próximo no centro espírita. Se você observar a origem dos trabalhadores de centro espírita – me refiro ao espiritismo “kardecista”- quase a metade começou a trabalhar levado por circunstâncias semelhantes ao que você vive hoje. Pense nisso.
    Fique com Deus. Você tem força.

  135. Estou tentando promover minha autorreforma, é um caminho difícil! Nasci em uma família espírita, vaguei durante a infância por todos os ambientes da doutrina de Quimbanda ao Candomblé, Umbanda até o Kardecismo, culminando no desligamento do espiritismo, quando estava completando 18 anos. Durante toda minha infância, minha mãe recebia espíritos obsessores que diziam que iriam levá-la de nós. Fui sempre um criança diferente das outras, pois tinha um tumulto familiar tão pesado para administrar que eu pensava diferente de todo mundo que conhecia. E na adolescência me revoltei com tudo e tentei seguir um caminho que me afastasse de tanto sofrimento. Vivi minha fase de adulta jovem já casada, com minha mãe morando conosco, depois de separada de meu pai e em tratamento psiquiátrico ela tornou-se uma pessoa mais normal. Há 8 meses minha sogra perdeu tudo e também veio morar comigo, eu mudei, me tornei uma pessoa amarga e com pensamentos terríveis. Minha sogra usa maconha e bebe todos os dias, meus cães não podem sequer vê-la que latem como se ela fosse um invasor. A rotina da minha casa está sem pé nem cabeça, acordo tarde e tenho que trabalhar em horários alternativos, isso só é possível, pois trabalho com internet. Minha sogra chora todos os dias, e eu comecei a acreditar que ela deve ter algum espírito influenciando ela, pois quando ela sai a casa fica leve. Já quase a expulsamos de casa, mas depois de rezar e perceber minhas atitudes erradas, entendi que devo promover uma reforma de atitudes em mim, para influenciar minha mãe e meu marido de forma construtiva. Será ela mesma que tem esta atitude, ou será um espírito que faz com que ela haja assim? Algum conselho?
    Parabéns pelo blog, agradeço por ler minhas palavras,
    Sinceros Votos de Paz Profunda
    Amanda

  136. Wilson, não podemos confundir a Umbanda com religiões africanas. Umbanda não tem sacrifício de animais. A Umbanda é religião séria, caridosa, fundada no Brasil no início do século vinte. É religião cristã e tem por princípio maior a caridade. Afirmar que espíritos de caboclos ou pretos velhos são obsessores é uma generalização que demonstra desconhecimento ou preconceito. Muitos espíritos elevados apresentam-se no centro espírita como determinada personagem condizente com o meio e se apresenta no terreiro de Umbanda como preto velho ou caboclo, de modo a conquistar confiança e simpatia de outro público que não o espírita. Espíritos que trabalham na Umbanda lidam com espíritos às vezes muito primitivos e atrasados, difíceis de serem tratados na mesa espírita. Não me refiro ao candomblé por não conhecê-lo, e mesmos em religiões de nação africana há trabalhos importantes que merecem ser respeitados. Quanto aos simbolismos, a que você se refere repetidamente, são ainda necessários para muitos espíritos encarnados e desencarnados. Nos enganamos se pensarmos que somos melhores ou mais elevados por valorizarmos a razão.

  137. “As pessoas que são atacadas são principalmente, os levianos, os fracos, os viciados, as pessoas que cultivam, maus pensamentos, maus hábitos, maus desejos, essas pessoas são as mais visadas….
    Não discordo, porém quase todos somos assim nos dias de hoje….

    “Esses espíritos são ignorantes, maldosos, vingativos, maliciosos, espíritos de preto velhos, caboclos, são espíritos obsessores, cuidado para não cair na lábia deles”….
    Discordo. Pretos velhos e Caboclos, que são índios, não são espíritos maus, visto que até eu que sou evangélico tenho um caboclo por guia…

    “Nesses centros de macumbas, umbanda e candomblé existe a matança de animais, os espíritos obsessores pedem tais práticas para poderem sugar os fluidos vitais”.
    Nem todo os centros citados são de fato de matança de animais e nem de espíritos obsessores como você relata, muitos ou a maioria dos centros de umbanda são de caridade e assistência aos espíritos encarcerados.

    “Existem os Espíritos embusteiros, mentirosos, hipócritas e mistificadores do plano astral ou mundo espiritual, esses espíritos são maliciosos, usam nomes falsos, importantes e pomposos, para enganar as pessoas e também tentam usar uma Linguagem suave, melosa, doce, para seduzir e enganar, são os falsos profetas do mundo espiritual, para evitar isso, temos que seguir a Orientação de Kardec.

    “Qualquer comunicação que venha dos espíritos desencarnados tem que passar pelo crivo severo da Razão e da Lógica, para poder ser aceito”.

    Concordo.

    “Portanto, quando um espírito se apresenta num centro (reunião mediúnica) pedindo charutos, cachaça, despachos, sacrifícios de animais, vamos concluir que é um espírito apegado à matéria e aos vícios terrenos, basta analisar o teor moral das coisas que ele fala e pede, e vamos concluir que são espíritos inferiores e atrasados, e muitos deles podem ser maldosos e vingativos, não se deixem iludir”.

    Concordo em parte, já que alguns espíritos usam alguns objetos como charutos ou esfumaçantes como ferramenta de operação, já que os mesmos sabem que nunca poderiam usar um meio mais elevado, visto que os seus atendidos também estão abaixo da luz moral, porém, foi muito bom seus comentários. Muita paz, tá, Wilson.

  138. O Vampirismo
    O vampirismo é praticado por espíritos desencarnados que estão apegados à matéria e aos vícios terrenos, eles querem continuar a ter as sensações da vida terrena, portanto, eles vão procurar pessoas (encarnados) nas quais eles possam se encostar no perispírito da pessoa e sugar os fluidos vitais, num processo chamado de Vampirismo psíquico.
    As pessoas que são atacadas são principalmente, os levianos, os fracos, os viciados, as pessoas que cultivam maus pensamentos, maus hábitos, maus desejos, essas pessoas são as mais visadas. Uma pessoa criteriosa, de pensamentos elevados e positivos e de Conduta moral reta, sempre consegue repelir esses vampiros psíquicos do plano astral. Não havendo sintonia vibratória, os maus espíritos se afastam.
    O Bem repele o mal.
    Nos rituais de sangue ou sacrifícios de animais, encontramos um tipo mais radical de Vampirismo, os espíritos obsessores vão sugar do sangue os fluidos vitais, é por isso que nesses centros de macumbas, umbanda e candomblé existe a matança de animais, os espíritos obsessores pedem tais práticas para poderem sugar os fluidos vitais.
    Esses espíritos são ignorantes, maldosos, vingativos, maliciosos, espíritos de pretos velhos, caboclos, são espíritos obsessores, cuidado para não cair na lábia deles.
    Os Espíritos de Luz nunca vão pedir sacrifícios de animais, velas, charutos, cachaça, despachos.
    O Mestre Allan Kardec explica em seus Livros que é pela LINGUAGEM, que vamos avaliar o estado evolutivo dos Espíritos desencarnados.
    Os Espíritos Elevados e Superiores possuem sempre uma Linguagem pura, digna, lógica, e seus ensinamentos visam sempre a melhoria Moral e Espiritual das pessoas, a sua LINGUAGEM é sempre moralizadora, incentivando as pessoas a praticarem o Bem e as Virtudes.
    Os espíritos inferiores (apegados à matéria) possuem sempre uma Linguagem chula, vulgar, trivial, grosseira, pesada, na sua Linguagem se refletem as paixões humanas, como, o ódio, a raiva, a inveja, o fanatismo, o rancor, os desejos de vingança, o apego aos Vícios do fumo, da bebida, da gula, do jogo, das drogas, eles sempre possuem uma Linguagem moralmente suja.
    Portanto, basta avaliar o teor Moral da LINGUAGEM que os espíritos desencarnados usam em suas comunicações mediúnicas.
    Os Espíritos de Luz jamais vão usar uma Linguagem grosseira, vulgar, trivial, agressiva ou pesada, sua Linguagem reflete o seu estado moral evolutivo.
    Uma outra questão que eu acho muito importante, os Espíritos Elevados são sempre Lógicos e Racionais em seus ensinamentos, Allan Kardec afirmou o seguinte, qualquer ofensa à Razão e à Lógica denuncia um espírito atrasado.
    Existem os Espíritos embusteiros, mentirosos, hipócritas e mistificadores do plano astral ou mundo espiritual, esses espíritos são maliciosos, usam nomes falsos, importantes e pomposos, para enganar as pessoas e também tentam usar uma Linguagem suave, melosa, doce, para seduzir e enganar, são os falsos profetas do mundo espiritual, para evitar isso, temos que seguir a Orientação de Kardec.

    “Qualquer comunicação que venha dos espíritos desencarnados tem que passar pelo crivo severo da Razão e da Lógica para poder ser aceito.”

    Portanto, quando um espírito se apresenta num centro (reunião mediúnica) pedindo charutos, cachaça, despachos, sacrifícios de animais, vamos concluir que é um espírito apegado à matéria e aos vícios terrenos, basta analisar o teor moral das coisas que ele fala e pede, e vamos concluir que são espíritos inferiores e atrasados, e muitos deles podem ser maldosos e vingativos, não se deixem iludir.
    Eles falam macio, cuidado.
    O Mestre Allan Kardec fala em seus Livros que são as imperfeições morais da alma que atraem os maus espíritos, para afastar esses espíritos obsessores temos que cultivar valores morais positivos, cultivar pensamentos elevados e nobres, ter atitudes corretas e honestas, ter uma Conduta Moral reta, praticar a caridade e a fraternidade, quando a pessoa se eleva no Campo Moral ela vai entrar em Sintonia vibratória com os Espíritos Superiores e os Bons Espíritos, atraindo para si uma assistência espiritual positiva.
    Tudo depende das nossas condições Morais e Mentais.
    Os Espíritos Superiores ou os Mestres da Grande LUZ falam em suas Doutrinações, sobre a Causa básica das Obsessões e do Vampirismo psíquico, que são a Cabeça e mãos desocupadas, a palavra irreverente, a boca maledicente, a conversa inútil e fútil prolongada, a atitude hipócrita, o gesto impaciente, a inclinação pessimista, o apego demasiado a coisas e pessoas, o comodismo exagerado, a solidariedade ausente, o desejo de apreço e reconhecimento, fugir para o álcool ou drogas estupefacientes, as paixões exacerbadas, perversões sexuais, crimes, ganância e USURA Maus pensamentos e maus hábitos. Vejamos outras Causas morais. Olhos altivos, Língua mentirosa, Mãos que derramam sangue inocente, Coração que trama projetos iníquos, Pés que se apressam a correr para o mal, Testemunha falsa que profere mentiras E o que semeia contenda entre irmãos. São essas imperfeições morais que atraem os espíritos imundos. O desregramento Moral é a Mãe de todos os vícios, crimes, maldades, falsidade, que perturba e trava a Evolução da Humanidade.

  139. Gil, é importante lembrar que nós somos apenas instrumentos, o trabalho é feito pela espiritualidade. Acredito que tenha sido o tratamento, sim, que a curou. Casos de obsessão como esse não podem ser tratados como se fosse uma simples relação de vítima e algoz. Avítima de hoje foi o algoz ontem…
    É muito provável que seja, sim, esse espírito que tenha aceitado reencarnar como filho da sua sobrinha como tentativa de reajuste. Aobra de André Luiz está cheia de exemplos semelhantes, em que espíritos que têm diferenças no passado se reencontram e, auxiliados e orientados por espíritos mais elevados, combinam, durante o período de sono físico do encarnado, uma nova oportunidade na matéria. Só o amor para rearmonizar. E como mãe e filho fica mais fácil…
    Obrigado pela participação.

  140. Morel, há mais ou menos 3 anos atrás uma sobrinha minha estava num processo obsessivo de subjugação o qual estava sendo tratado pela família e pelos médicos como esquizofrenia e epilepsia. Ela estava com 20 anos na época e nunca tinha tido problemas de saúde antes e de repente começou a ter desmaios e crises convulsivas além de visões e uma série de outras coisas. Como na família eu sou a única espírita, percebi logo que se tratava de obsessão, pois mesmo tomando remédios fortíssimos os sintomas diagnosticados pelos médicos continuavam. Enfim, ela foi levada a igrejas evangélicas e católicas sem sucesso, eu até tentei levá-la ao centro espírita, mas a família não aceitava e o processo obsessivo continuava sem dar trégua, inclusive ela ficou internada na psiquiatria por um tempo. Uma amiga que era dirigente de um centro espírita me disse que eu poderia fazer o tratamento no lugar dela. Eu por muita dó com tudo o que estava acontecendo a ela resolvi fazer o tratamento em seu lugar sem que ninguém da família soubesse. Enfim, foram mais de 6 meses de tratamento e muita oração. Este espírito disse que não ia deixá-la em paz pois ela havia abandonado ele com vários filhos numa outra vida e jurava vingança, inclusive me ameaçou várias vezes por eu estar fazendo o tratamento em seu lugar. Depois de mais ou menos uns 6 ou 7 meses ele resolveu aceitar ajuda e não mais apareceu às sessões. Encerramos o tratamento e esta sobrinha sarou totalmente, e mais ou menos 1 ano depois ela engravidou e hoje tem uma filhinha de 1 aninho.
    A pergunta é: É possivel que este bebê seja esse espírito? será que foi o tratamento que eu fiz pra ela que a curou?

  141. Naninha, esquecemos os fatos do passado, mas ele está dentro de nós. O nosso passado é o que somos hoje. Algumas pessoas se revoltam por deficiências de ordem física ou por problemas ligados à aparência, sem se darem conta de que isso fez parte do planejamento para a reencarnação, exatamente para não recaírem nos mesmos erros passados. Quem reencarna “em perfeitas condições” é porque é capaz de vencer às suas fraquezas sem precisar recorrer a artifícios. Deus não nos dá um fardo que nossos ombros não possam carregar. Se reencarnamos nas condições em que reencarnamos, é porque nos julgamos capazes de vencer a nós mesmos antes do reencarne.
    No caso que você abordou, não são outros aspectos da personalidade que têm prioridade. É justamente a neutralização do seu ponto fraco.
    Fique com Deus.

  142. Boa noite, Morel! Sei que embora sejamos abençoados com o esquecimento de nossos erros de outras vidas, trazemos ainda sequelas, comportamentos de outras vivências. A questão que mais me assusta é a sexual. Veja bem conheço uma pessoa “espírita”, honesta e empenhada em progredir. Infelizmente esta pessoa se vê envolvida em aventuras e tem uma necessidade freqüente de conquistar para suprir um oco que diz sentir. Porque não foi adormecida esta triste tendência nesta atual vida para que ela pudesse desenvolver outros aspectos de sua personalidade? Paz e força para você!

  143. Edilene, necessário não é. Mas a Igreja Católica é uma igreja de massas e tem um a tradição muito antiga. Os rituais e cerimoniais servem como um meio de canalizar a fé. O jejum é hábito milenar seguido pelos mais diversos povos. Jesus tinha esse hábito. A minha experiência me mostra que o jejum facilita a elevação vibratória, a sensibilidade, a inspiração e o intercâmbio espiritual. Eu, que não como carne, acho interessante que haja essa abstinência ao menos durante uns dias. Quanto às encenações, atrai o povo, sensibiliza, ensina, através de imagens, aos que não costumam estudar sobre o assunto.
    Acho válido. Mas é apenas a minha opinião.
    Um abraço, Edilene.

  144. Olá Morel,
    Gostaria de saber a sua opinião sobre os rituais da Igreja Católica para a “Semana Santa”: Jejum, abstinência de carne, as encenações relembrando a Morte de Jesus, será que é necessário tudo isso?
    Um abraço, obrigada!

  145. Não, Debora. São tratamentos de praxe. O passe é uma doação de energia, que é de grande valia, principalmente quando estamos com o nosso próprio fluxo de energias interrompido. O atendimento desobsessivo é importante, mas exige que nós façamos a nossa parte controlando os pensamentos, pensando, falando e praticando o bem. Estamos sempre rodeados de espíritos, portanto, estamos sujeitos à sua influência. Quando não controlamos os nossos pensamentos, palavras e ações, formamos uma espécie de simbiose com espíritos pouco desenvolvidos moralmente. A desobsessão encaminha esses espíritos para tratamento. Mas, se não nos vigiarmos, o processo recomeça.

  146. Olá, eu fui no centro espírita da minha cidade ontem assistir uma palestra. Pedi uma carta psicografada (não sei se é assim que se fala). Na carta dizia que eu precisava de três passes individuais, 15 dias de água fluidificada e de sete atendimentos desobsessivos. Eu não sei como funciona e o porquê desse atendimento. Ninguém me explicou direito o que era. Eu fiquei preocupada. será que tu poderia me explicar o que seria? Isso significa que necessariamente seria algo ruim?

  147. Paula, no site do IIPC, que lhe passei, há informação abundante sobre o tema. O IIPC foi fundado pelo Waldo Vieira, antigo parceiro do Chico Xavier que abandonou oEespiritismo. Embora o enfoque não seja religioso, é perfeitamente adequado ao entendimento espírita.

  148. Compreendo, Morel. Realmente é uma assunto que pouco sabemos a respeito e muito pouco abordado pelo Espiritismo. O que é uma pena, pois tantos sofrem com isso, e as informações disponíveis não passam de informações científicas, e de muito pouco auxílio relacionado aos sofrimentos que esses transtornos causam às pessoas.
    Mas que com certeza, pode não ser de nosso entendimento, mas certamente o auxílio espiritual está presente. E que assim seja!
    Luz e paz pra você!
    Obrigada.

  149. Paula, eu agradeço a sua sugestão. Acontece que trato apenas de assuntos acerca dos quais eu tenho um conhecimento mais direto, não apenas teórico. Não me sentiria à vontade tratando de um tema que praticamente desconheço, embora reconheça a sua importância. As poucas vezes em que tentei escrever sobre um assunto que não faz parte da minha experiêmcia, o que escrevi soou muito artificial. Fique com Deus!

  150. Olá Morel. Gostaria de te dar uma dica. Lógico, que se for da sua vontade. Que tal escrever um artigo sobre transtornos alimentares à luz da Doutrina Espírita? Seria muito interessante, pois quase não tem artigos sobre isso no estudo doutrinário. Eu mesma tenho caso na família e gostaria de entender mais sobre isso.
    Obrigada!

  151. Denise, muito oportuno o seu questionamento. O artigo se refere às pessoas que “usam” a desculpa do obsessor como bode expiatório para os seus problemas. Isso é muito mais comum do que se pensa. Na esmagadora maioria dos casos, seja qual for a origem da obsessão, podemos anulá-la se não dermos guarida a pensamentos, palavras e ações que sintonizem com eles.
    Mas não podemos negar que há casos de perseguições muito sérias que exigem outras soluções. Sabemos de casos de pessoas absolutamente virtuosas, na atual reencarnação, que, apesar disso, sofrem perseguições de espíritos inconformados e vingativos. Isso exige tratamento; não há dúvida.

  152. Bom dia Morel

    Muito bom seu artigo, realmente a verdade dói. Sabe, acho que é preciso muita oração para nos proteger, porque mesmo que a pessoa se esforce para não ter tanto pensamento negativo e boa conduta, parece que uma onda de levinho chega e lá estamos nós de novo envolvidos por esse sentimento ruim que nos faz tanto mal.
    Mas eu me pergunto e quanto aos obsessores de outras vidas? Como você disse mudando os pensamentos e atitudes, poderemos nos “blindar” de influências negativas, mas e daqueles que prejudicamos no passado? Sei que alguns não perdoam e seguem aquele que prejudicou. Humm complicado né? Se você puder me explicar quanto a isso?

  153. Debora, para quem não acredita em reencarnação ou se revolta contra essa ideia, pode ser muito difícil de admitir que colhemos nesta vida coisas que plantamos em reencarnações passadas. Você afirma que sempre teve problemas de saúde, logo, não se pode atribuí-los todos aos seus pensamentos, palavras e ações atuais. Embora só tenhamos a memória consciente da vida atual, somos uma continuidade, somos os mesmos nos vários estágios evolutivos que experimentamos, reencarnação após reencarnação. Você tem uma grande vantagem que é a consciência da sua responsabilidade sobre si mesma. Você está no caminho certo. Força e paz!

  154. Pela primeira vez eu vou comentar no site depois de já ter lido alguns posts. Eu sempre tive problemas de saúde, desde que me conheço por gente. Mas ultimamente eu tenho tido dores incessantes que os médicos afirmam não ser nada. Além de falta de energia e disposição. Eu reconheço que eu penso coisas negativas, inclusive me revolto com as coisas que vejo. Mas sempre acreditei que tudo que a gente faz, volta. Às vezes eu confesso que é difícil não pensar nesse tipo de coisa. Mas eu estou tentando evoluir. E acho que conseguirei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.