Comportamento, Família, Sexualidade

Espiritismo e relações amorosas

casal-espirita

Artigo publicado originalmente em 31/10/2012

Ouça este artigo na voz do autor

Através do espiritismo sabemos que grande parte das relações amorosas acontece entre espíritos conhecidos de há muito tempo.

Você acredita que nos encaminhamos para um novo tempo, em que as coisas serão melhores? Você é capaz de perceber que as mudanças já começaram? Nós vivemos durante muitos séculos com o mesmo modelo de sociedade, com o mesmo formato de família, em que cada um tinha o seu papel muito bem definido. Hoje há formatações familiares e amorosas para todos os gostos.

A maior evidência de que estamos atravessando um período de transição é a velocidade com que os costumes e as opiniões estão mudando. A Terra está deixando de ser um planeta de provas e expiações para se tornar um planeta de regeneração. Para isso você e eu estamos nos regenerando. Você sabe que é espírito imortal e que já reencarnou muitas e muitas vezes neste nosso planeta Terra. Pois agora é o momento de abandonarmos nossos velhos preconceitos, nossos padrões culturais ultrapassados.

Espiritismo e relações amorosas

Não sabemos exatamente como vai ser. Não sabemos qual a estrutura da nova sociedade que vai surgir. Justamente por não sabermos é que a sociedade atual vai testando todos os meios possíveis de se alcançar mais liberdade, mais harmonia, mais amor. Para os mais conservadores os novos modelos familiares parecem o caos. Mas é dessa bagunça que virá a solução.

Todos estão procurando a melhor maneira de viver um relacionamento amoroso e familiar. Há uma tentativa desesperada de vivenciar o amor, e com isso antigos padrões vão sendo derrubados e surgem novas possibilidades. Metade das crianças tem os pais separados. É uma pena, pois você sabe que a criança perde a inocência quando se dá conta de que seus pais se separaram. O modelo padronizado, que estamos acostumados a seguir há séculos, é pai, mãe e filho. É o modo natural de formar referências.

Mas é claro que isso funciona quando o relacionamento é o ideal, e a maioria não é. Nunca houve tantas tentativas de se formar um lar, e nunca houve tantos lares desfeitos. Todos têm se permitido testar, casando e descasando, assumindo filhos do parceiro ou juntando filhos de suas uniões anteriores.

Sabemos que grande parte dos relacionamentos amorosos acontece entre espíritos conhecidos de há muito tempo, que voltam a se encontrar na tentativa de consertar antigos estragos, com o propósito de harmonização, perdão e aprendizado. Quando um casal se separa está na verdade interrompendo esse processo de reajuste, adiando para outra oportunidade o reajuste necessário. O problema é que da próxima vez pode ser em piores condições…

Por outro lado, sabemos que há uniões em que se torna impossível a convivência harmônica, e que por questões de segurança física, mental ou emocional estão fadadas ao fracasso. Pela primeira vez em nossa trajetória espiritual neste planeta há uma liberdade tão grande na escolha de parceiros, e isso deixa claro que todos buscam o amor. Mas essa busca ainda é imatura, pois para amar é preciso entrega, e não é isso o que se vê. Ainda se quer mais ser amado do que amar…

Também nunca se viu tanta solidão. Mesmo em pessoas que se relacionam com outras, se observa a solidão íntima, pois não há entrega de parte a parte, talvez por medo de se tornar dependente emocionalmente de alguém, talvez por esperar que possa aparecer alguém mais interessante, talvez por desacreditar que ainda possa existir amor verdadeiro.

Dessa bagunça de filhos de pais separados, de segundos e terceiros casamentos, de padrastos e madrastas e enteados, de pais e mães solteiros, de casais homossexuais buscando reconhecimento e respeito em suas tentativas de formar núcleos familiares, vai surgir uma nova sociedade. As experiências que se mostrarem erradas não serão repetidas; os modelos familiares que não derem certo serão deixados de lado; a liberalidade vai virar liberdade.

Todo aprendizado se dá pelo amor ou pela dor. Quem conseguir amar e ser amado, quem encontrar harmonia no meio dessa sociedade em ebulição, terá aprendido a lição. Quem não conseguir amar, aprenderá pela dor. E você sabe, eu sei, todo mundo sabe que brincar com sentimentos dói. Quem se perde nessa aventura de sexo livre e procura interminável pelo parceiro ideal, fere muitos sentimentos alheios. E quem fere será ferido…

Estamos construindo o amanhã. E o amanhã é para nós mesmos. No nosso próximo passeio pela Terra vamos conferir o resultado de tantas experiências!

Antes de comentar, leia este artigo: Espiritismo e os relacionamentos amorosos

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

367 Comentários

  1. Boa tarde!
    Eu me encontro em uma confusao de sentimentos, nao sei mais o que fazer, ja pensei muitas vezes em desistir tirar minha vida, pra começar dinovo sem erros, fui casada por 16 anos, nao me via feliz nesse casamento, foi ai que começou as traiçoes trai meu ex por 7 anos com o mesmo homen, e acabou que nao aguentei mais o peso dessa traiçao e resolvi acabar com o casamento pois sei que fazia desse homen que eu escolhi como esposo de um lixo, achei que ele merecia ser feliz, bom separada conheci um rapaz com que estou hje a tres anos estamos construindo nossas vidas, ate que conheci um amigo dele, acabamos nos relacionando tambem mais uma vez a historia se repete é como se fosse uma segunda chance pra mim mas nao consigo aprender, detalhe esse amigo é casado tem filhos uma vida estavel, é ele se apaixonou por mim, nao sei mais o que fazer, acho que nessas duas situaçoes ja vivida nao consegui aprender nada, nao aproveitei nenhum momento nenhuma experiencia vivida, hje só espero o pior sei que vou ter que pagar de alguma forma, uma hora terei que aprender, enquanto isso não sei o que fazer com quem ficar já que hje é muita gente envolvida nisso tudo nao sei se gosto de alguem tem momentos em que penso em ser fria nao ter sentimentos, gostaria de ajuda pois sei que estou muito errada, mas nao consigo enxergar

  2. Morel, não sei o que eu faço, namorei seis anos depois essa a minha namorada terminou comigo, por que fui muito egoísta no relacionamento só pensava em mim não estava nem aí pra ela, depois que o nosso relacionamento acabou nos vimos várias vezes, já faz 11 mezes que acabou mais a gente conversa sempre e quarta-feira desta semana ela veio em casa eu a tratei super bem ficamos juntos e tals, algumas semanas atrás por msg eu disse que amava ela, e ela também disse que me amava, só que da pra ver que ela mais namorar comigo e também nem insisto nisso, mais eu sei que ainda ama muito ela é sei que ela gosta de mim ainda, eu já não sei mais o que fazer, depois que o relacionamento acabou minha vida desandou tudo dando errado cheguei até ficar em depressão, eu já não sei mais o que faço.

  3. Conheci um homen aos 16 anos me apaixonei e ele também, mas eu não soube demostrar meu sentimento ficamos junto um tempo, depois ele se afastou sem me dizer nada, na verdade nunca terminamos.Ee se casou com outra, mas nunca me esqueci acompanhei ele por muitos anos sem que ele soubese, varias vezes senti vontade de procurar , não tive coragem…aconteceu que ele faleceu, sem que eu pudesse dizer que eu amava…agora soffro com isso sinto falta…sinto que ainda amo! sera que vamos nos encontrar em outras vidas?

  4. Morel, boa tarde.
    Gostei muito do seu artigo e preciso que me ajude, com uma orientação de amor, de sentimento bom e paz entre as pessoas.
    Estive em relacionamento com um rapaz pelo período de quase seis anos. Éramos apaixonados. Embora (hoje), entendo que mais era uma atração física. Durante todo esse tempo sempre me jogou pedra, acusou-me de traições e tal. Tipo, se eu olhasse para outra pessoa, era traição. Um outro rapaz que cruzasse meu caminho era rolo do passado e traição. Se houvesse uma pulga era traição. Sempre atacou as pessoas, os amigos, ninguém nunca prestou, só ele. Ao final, quando descobri inúmeras mentiras dele, aí sim ele passou a me chamar xingar de “N” palavrões que você possa imaginar, publicar na internet que eu era vagabundo, não prestava e um monte de coisas ruins.
    Hoje penso que ele foi dissimulado frente as próprias fraquezas. Daí o porque das mentiras, para encobrir o que na verdade, ele sim fazia.
    E não consigo de jeito nenhum ter mágoa dele e nem ódio. Muito embora, fico psicologicamente abatido, destruído e com sentimento de culpa por ter sustentado tal situação por tanto tempo, por ter construído zelo e amor por ele. Mas aí é que está. Até quando o meu amor por ele, é legítimo antes de me amar.
    Ele jamais tem um berço de reflexão, do perdão. Carrega mágoa, ódio dentro de si. E até hoje me preocupo com o bem estar dele. Embora ele só me ofende e desvirtua toda a verdade entre nós. Ou pelo menos, grande parte dela.
    Todos dizem que tenho que sair, me distrair, mas estou ficando depressivo e não tenho vontade de nada. Nem de trabalhar e nem estudar.
    Fico muito grato se puder me responder.

  5. Morel, boa noite.
    Estou lendo o seu artigo nesse momento como uma forma de aplacar a tristeza interior.
    Eu esperei durante vários anos encontrar a pessoa certa para dar o meu primeiro beijo. Entretanto, ele veio de um modo inesperado. Ele foi roubado por um cara que pouca intimidade tinha. No momento estou me sentindo usada, um verdadeiro lixo. Quando ele me beijou senti me tonta, nauseada, como se saísse para fora do meu corpo para observar aquilo que estava me acontecendo. De fato a culpa foi minha, pois fui eu que dei a corda que me enforcou. Mas o que fazer? Estou confusa. Para a maioria das pessoas isso pode ser considerado anormal, o que eu disse anteriormente, mas o que aconteceu me feriu mortalmente… Gostaria de entender porque me senti assim… Agradeço desde já a atenção

  6. Oii Morel!
    Tenho 19 anos, e há pouco tempo me envolvi com um rapaz de 20 anos, comprometido, ele é juntado com uma outra mulher e mora junto. Se conhecemos quando ela estava grávida faltando 1 mês para ganhar o bebê. Se conhecemos por amigos incomuns e ele tbm trabalha no meu bairro, então eu sempre via ele perto da minha casa.
    Se envolvemos e foi um lance muito profundo, ja tentei sair disso várias vezes pq sempre me senti culpada de estar estragando o relacionamento dele com a mulher. Agora ela já teve o bebê e esta esperando mais um pouco para poder terminar pq disse que quer ficar comigo, que esta apaixonado por mim, que sou completamente diferente da mulher dele, sou amiga, entendo ele nas situações, conto tudo pra ele, entre várias coisas. Além de estarmos tendo um lance, somos bastante amigos, isso que me faz gostar mais dele ainda, somos abertos um ao outro, não temos segredo!
    Só que essa bomba toda estourou, a mãe dele sabe e meus pais tbm sabem, e ambos não concordam e não apoiam, principalmente por causa da filhinha dele agora, então fico dividida e super triste com isso tudo e não sei o que fazer.. Queremos muito ficar juntos. Me sinto muito bem perto dele!
    Só que não consigo entender porque nossas vidas se cruzaram, se damos tão bem, já se relacionamos, somos muito amigos, entendemos um ao outros e será que isso tudo foi em vão? Será que não vamos conseguir ficar juntos?
    Sei que erramos, sabemos dos nossos erros, mas acho que ninguém pode impedir a gente de ser feliz!

  7. Conheci um rapaz epoca de escola, sempre tivemos amigos em comum, uma dessas festinhas da turma nos aproximamos. Não mantivamos mais contato algum, mudei de cidade, fazer faculdade e ele também, passado 14 anos, eu retornei para cidade natal e ele também, foi quando ele pediu meu contato para um desses amigos e me procurou. namoramos por 10 anos, e agora ele terminou. Foi embora da minha casa e passou semanas sem dar noticias,não ligava, nem mensagens, nada, Eu estava angustiada, mais deixei rolar. Então, ele procurou uma amiga nossa e se abriu, dizendo que eu o magoava, eu tinha carro e ele não, então eu só queria ir em lugares que ele não queria ir, etc. Numa das reuniões da turma, ele foi, eu não. Daí os amigos falaram para ele me procurar, tinha que ter respeito e dar satisfação. Passou mais um mês, eu quieta, frequentando centro, orando por ele e sempre uma luz que me dizia para esperar. Um sabado a tarde, ele me manda uma mensagem, justificando pq sumiu, estava dando um tempo, cabeça não tava lega, falei que estava na rua e conversavamos depois, ele foi aonde eu estava, fiquei a sos com ele, aqueles 2 meses separados ele quis recompensar ali, e sempre fomos muitos companheiros, de conversar muito mesmo, deixei ele desabafar, comprou carro, elogiei, me contou todos detalhes,seu emprego, tudim… mas me falou que estava cabeça confusa e percebi realmente que estava, falei tudo bem, sem pressa, pode pensar com calma, ninguem ta te pressionando a nada,dai soltou baixo uma frase: vamos voltar ao que era…. fingi que não ouvi, pq realmente foi baixo.Ele foi me deixar em casa e pediu p eu ligar outro dia p ir com ele cemiterio, pai dele morreu e ele ainda não tinha ido ao cemiterio, outro dia liguei mas tinha gente casa dele e dai falei q podia deixar p outro dia. No outro dia, estava ele no facebook, conversamos sobre nossos times, tbem deixei ele falar bastante. Vou ficar quieta, só temos amigos em comum, não sei como vai ser, eu tenho saido com todos eles, e ele que eu saiba ta em casa. Vou dar esse tempo a ele. Foi bom pq nesse período que eu fui conhecer o espiritismo, eu me apaixonei. Será que ele vai me procurar?? se realmente ele terminar não quero pelo menos agora ser amiga, nao conseguiria. Mas no fundo, creio que precisavamos desse tempo e que tudo vai retornar ao que era.Pode ser só ilusão, mas pensamento positivo também ajuda

  8. Morel tive 2 filhos com uma pessoa e nos dávamos mto bem porém de 2 meses para cá a nossa vida se tornou um inferno literalmente, a família inteira se intrometeu principalmente a mãe dele, voltei a morar com neu irmão, bom a tempos coisas em casa vinham quebrando, máquina, vopos, tv entre outras coisas e um dia qdo estava com dificuldade p dormi, adormeci e senti uma mão fria nos meus olhos e acordei rezei um pai nosso e voltei a dormir após isso sonhei com um vulto bem negro puxando a cadeira que estava nas minhas mãos e senti dor, bom estamos separados e ele diz que o amor acabou definitivamente, eu acho estranho e está difícil p eu aceitar

  9. Olá Morel! Parabéns pelo texto, sou separada, e graças à doutrina espírita, não me deixei ser levada pela mágoa ou pelo orgulho, independente de ter tido uma separação um tanto que traumática. Recentemente, namorei um homem, por dois meses, e parecia que tinha encontrado realmente um “velho amigo”, nos afinavá-mos em tudo, me apaixonei, ele começou a fazer planos, eu criei expectativas a partir dai, mas na primeira discussão, ele não quis mais,diz ter um trauma que o impede de confiar, enfim, eu pedi desculpas, pedi uma chance, mas ele está irredutível, incrível, como isso dói, porque achei q realmente tinha encontrado “a tampa da minha panela”…tenho tentado com muita oração, meditação, leituras edificantes, mas não consigo tira-lo da cabeça, no meio do trabalho as vezes, do nada, me vem as lembranças à cabeça, e minha vibração fica abalada, e tudo desmorona…já não o tenho mais nas redes sociais, porque isso me afeta. Porque tudo parecia tão perfeito num dia, e no outro, tudo acaba? Sei que Deus quer o melhor pra nós, mas em tão pouco tempo, esse homem poderia realmente fazer parte da minha linha reencarnatória, ou foi só um acaso? O que devo aprender com isso? Que não posso esperar ou criar expectativas? E o pior é que esses relacionamentos são reincidentes na minha vida. Já busquei respostas, sou uma pessoa otimista, bem humorada, tranquila, do bem,se atraímos afins, o que tenho feito de errado? Será que tenho alguma chance de encontrar realmente o amor verdadeiro de um homem? Obrigada.

  10. Márcia, aceite o seu aprendizado. Há outros modos de ser útil, feliz e produtivo. Evite esses pensamentos. Embora não coconscientemente, você está invejando e lançando pensamentos negativos contra pessoas que não tem nada a ver com o que se passa com você – pelo menos não nessa existência. Compreender não basta; é preciso aceitar e seguir em frente. Ter pena de si mesmo é uma das maiores causas do atraso humano.
    Sinto muito se pareço duro. Deus te abençoe.

  11. Obrigada pelo texto, estou tão triste e isso me fez pensar um pouco. Depois que meu noivo terminou comigo e acabar com todos os sonhos que era casar, ter uma tão sonhada menina (tinha até nome, seria Alice) minha vida sentimental foi só decepções. Hoje ele casou e sua esposa está esperando uma menina. Ele está vivendo todos os nossos sonhos com outra pessoa e eu só consigo pensar “por que não comigo? Por que eu também não posso realizar meus sonhos?” descobri que tenho problemas no ovário aí aceitei de vez que o sonho de encontrar um amor e constituir uma família talvez não seja pra mim, que não está nos planos de Deus. Que talvez eu tenha feito muita coisa errada na vida passada e agora eu tenha que aprender uma lição mas como DÓI a solidão.

  12. Morel, queria parabenizar por mais um grande texto! E também gostaria de esclarecer algo à luz do espiritismo.
    Há 10 anos comecei a namorar um rapaz tímido. Ele prometeu que sempre me amaria, seria atencioso e tudo mais, só que depois de 4 meses de namoro ele ficou muito frio e calado, até que terminamos. E depois disso ele sumiu.
    Por dois anos sofri muito por ele, mas quando finalmente estava ficando melhor disso, eis que ele aparece de novo em minha vida. Tentamos voltar algumas vezes, mas nesse caso eu que terminava por medo de que ele me deixasse mais uma vez.
    Ficamos sem nos falar há um tempo, desde que a mãe dele faleceu, porque tentei estender a mão para ajudar em um momento difícil como esse e ele ficava sempre me ignorando. Agora mais uma vez voltamos a nos falar. Um dia eu acabei falando que sentia falta dele e ainda o amava, e ele disse que também me amava e eu era a única que ele queria.
    Mas aí que vem a coisa que eu não entendo. Quando eu abri meu coração para ele e disse tudo o que sentia, falei o porque que eu agi daquela forma quando terminei com ele e perguntei se ele voltaria comigo, ele disse que ele se apegou à solidão e teria que pensar nisso. Deixei para que ele pensasse sobre o assunto e me desse a resposta, mas tudo o que recebi dele foi o silêncio. Há semanas que ele não fala comigo e eu não sei o que fazer e estou perdida nisso tudo. Com isso tenho perdido a vontade de fazer as coisas que gosto, mas estou tentando me manter firme. Tudo o que tenho feito para ele é a prece 83 que está no livro Evangelho Segundo o Espiritismo e pedido a Deus que isso se resolva. Você acha que isso pode ser algum karma que tenho com ele de vidas passadas?
    Abraço e parabéns pelo site!

  13. JJ, era só o que faltava você terem causado esse reboliço todo e agora desistirem de ficar juntos! Uma coisa não tem nada a ver com a outra. O mal provocado por vocês será reparado por vocês mesmos, mais cedo ou mais tarde. O fato de ter consciência do mal causado já é uma grande coisa. Mas agora não é hora de lamentar. Aproveitem a oportunidade e reconstruam suas vidas, com amor, respeito e um renovado senso de responsabilidade.
    Quanto a ser feliz, se por causa dos erros que cometemos não pudéssemos ser felizes, não haveria nenhuma felicidade sobre a Terra, pois todos cometemos erros. Todos merecemos ser felizes. Procure, com o tempo, obter o perdão dos envolvidos – a harmonia deve ser restaurada.

  14. Morel, eu tive um relacionamento que não deu certo há quinze anos, depois me casei de novo, mas eu ainda amo muito esse ex meu minha vida e pensa se um dia vamos ficar juntos, aí eu penso será que e amor de vidas passadas, tenho uma filha com ele, mas sinto que ele me odeia ou finge por orgulho. Por favor me ajude a entender, sofro muito com isso por amo tanto ele.

  15. Minha história é longa, vou tentar resumir.
    Me casei super jovem, e com meu único homem, e com ele fui casada por 16 anos e tive dois lindos filhos, um casamento com problemas como todos mas no geral feliz.
    Sempre fui perante a sociedade uma mulher, esposa exemplar, sempre trabalhei para ajudar em casa, estudei, fiz faculdade, cuidava e ainda cuido dos filhos, do marido, da casa, enfim, para todos o casamento perfeito.
    Meu marido viajava muito, eu sempre estava sozinha, cuidando dos meus filhos, da casa, do trabalho. O que não justifica o meu erro.
    Há 1 ano me envolvi num relacionamento extraconjugal, e pior com uma pessoa muito próxima, também da família, também casado e também com filhos.
    Meu casamento já não andava bem e o dele também não, mas como já disse nada justifica nosso erro.
    O fato é que erramos, magoamos muito várias pessoas, da mesma família, uma família que foi minha família por 16 anos e sempre me recebendo muito bem.
    Me arrependo muito do meu erro, não faria novamente, mas não do meu envolvimento, pois realmente amo essa nova pessoa.
    Hoje estou separada, meu ex-marido já tem outra pessoa.
    O meu “amante” também está separado.
    Destruímos dois casamentos, magoamos muitas pessoas.
    Depois de todo esse estrago, que já foi feito, é errado insistirmos em ficar juntos??? Em levar nossa história adiante e tentar reconstruirmos nossas vidas juntos???
    Por termos causado tanto mal, será que merecemos agora ser felizes juntos???

  16. Olá Morel! Achei esse texto um tanto contraditório com o seu vídeo sobre o divórcio na visão espírita, onde diz que não há a questão de quem se divorcia, voltar em uma situação pior para o resgate. Podemos ter feito a escolha errada, podemos já ter vivido com a pessoa o tempo necessário para tal resgate. E o que dizer de pessoas que se casam novamente após o divórcio e têm uma relação feliz, de respeito, harmoniosa? Não valeria por ser o segundo casamento? Gostaria muito que comentasse. Abraços.

  17. Lucy, A bênção de Deus está sempre à nossa disposição, somos nós que muitas vezes não estamos receptivos a elas. Quando você fala do arrependimento, por exemplo, está dando uma amostra disso. O arrependimento, se não levar a uma transformação efetiva, apenas nos incomoda, apenas nos impede de receber as bênçãos de Deus, pois não nos sentimos intimamente merecedores dessas bênçãos. Se Deus não abençoasse as pessoas que cometem erros, todos nós estaríamos danados.

    Ao cometermos adultério nós contraímos uma dívida, nós nos comprometemos com as pessoas a quem prejudicamos. Isso terá que ser sanado, mais cedo ou mais tarde. É importante perdoar – e merecer ser perdoado.

    Mas, erros à parte, a vida continua, o filho deve ser educado como qualquer filho, com muito amor e os melhores exemplos possíveis. Como disse Jesus À mulher adúltera: “vá e não tornes a pecar”. É só isso; sem dramas.

  18. Olá Morel! Gostaria de entender quando um casal que vivia em adultério resolve deixar seus parceiros oficiais e formar uma família! Tem chance de ser uma união abençoada por Deus ou não? E quando surge um filho desse relacionamento, que ensinamentos devemos tirar? Porque depois de analisar conseguimos enxergar hoje o que não conseguimos enxergar no passado, e o arrependimento é inevitável.

  19. Ivan, somos nós que escrevemos o nosso destino, através dos nossos sentimentos, pensamentos, palavras e ações de todos os dias. A ajuda que você pede só você mesmo pode se conceder: esclarecendo-se acerca das coisas espirituais e tirando o foco do problema. Enquanto estiver focado no problema ele não desaparecerá.

  20. Morel Felipe, boa noite.
    Tive um relacionamento opressor durante 12 anos. Me separei Depois me relacionei com uma pessoa, que imaginei ser o amor da minha vida, que me traiu.
    Agora, todas as minhas tentativas de ser feliz no amor naufragam antes do primeiro encontro ou até mesmo antes dele. Será que meu destino é ser sozinho? Fico triste só de pensar nisso. Me ajude, por favor.

  21. Morel. No texto há a menção de que quando um casal se separa, há uma interrupção no processo de ajuste.
    Mas se esse casal harmonicamente optar pela separação, chegar à conclusão unânime de que, nesta vida, para ambos é mais proveitoso que cada um busque novos horizontes, não poderíamos crer que, na verdade, já pode ter sido concluído o processo de ajuste?

  22. Sim, Morel, sei que existem as tarefas e os grupos de estudo. Mas falo dos eventos sociais que as organizações religiosas tem, entende? Me sentiria deslocada estando sozinha neles.

  23. Morel, os centros espíritas, assim como as igrejas, não fazem programações que incluam adultos solteiros. Tem eventos para jovens, crianças, grupos de casais, de terceira idade, de pais com seus filhos, de tudo. E quem não está incluído nesses grupos não pode se integrar? Como posso fazer para que num centro espírita eu não fique somente naquele esquema repetitivo de chegar, assistir a palestra, tomar passe e ir embora quietinha? Não que isso não seja importante, mas gostaria de algo mais. Obrigada.

  24. Só queria agradecer por ter escrito, ou melhor, por escrever. Sempre que me sinto abatida, sem esperanças, me sinto dolorida na alma, eu leio algo relacionado ao espiritismo, faço uma prece.
    Das coisas que mais me angustiam é sentir que tenho tanto amor dentro de mim, pelas pessoas, pelas coisas que parece que me afogo. Infelizmente as pessoas confundem isso, a generosidade e tentam me sugar, de todas as maneiras, seja material, seja me fazendo de penico, contando todos os seus problemas e me deixando emocionalmente carregada.
    Eu procuro evoluir, ser uma pessoa sempre boa, íntegra e me decepciono que o mundo não é assim.
    Eu amo meus amigos, minha família, minha profissão, eu amo tudo, me faltava amor próprio que eu tenho conquistado nos últimos anos, e me sinto tão grata por amar tanto, mas ainda me angustia o quanto me sinto sozinha, é como se me faltasse um pedaço. Engraçado como é a vida, alguns amigos moram longe geograficamente, e eles seriam os meus pedaços, se eu os tivesse e aos familiares de longe, eu estaria satisfeita. Às vezes acho que Deus faz isso pra que eu queira arrumar um par. Às vezes eu peço a Deus que essa solidão seja preenchida com mais amigos, mais família, simplesmente porque a vida amorosa me dói muito.
    Comecei escrevendo pra lhe agradecer e acabei de desabafando… Mas enfim, obrigada por tocar minha alma.

  25. Othon, Raul Teixeira tem razão ao dizer que apometria não é Espiritismo – assim como água fluidificada não é Espiritismo, passe magnético não é Espiritismo. Se é para ficarmos apenas com os assuntos abordados por Allan Kardec, teremos que deixar de lado grande parte das propostas adotadas pelos espíritas e pelos centros espíritas.
    Mas, apesar de concordar com Raul Teixeira, devo dizer que a sua opinião pessoal representa apenas isso – a sua opinião.

  26. Texto muito bom sobre relacionamentos, porém não entendo quando numa proposta espírita se refere a apometria que nada tem a ver com o espiritismo codificado por Kardec. Raul Teixeira nos diz que “apometria não é espiritismo”, então por que citar outras práticas que nada têm a ver com a doutrina dos espíritos?

  27. Vitoria, Deus não tem nada a ver com isso. Você pergunta o que Deus tem para vocês. O que Deus tem a ver com as escolhas de vocês? Não podemos meter Deus em nossas histórias. Somos nós que fazemos escolhas, Vitoria. Você diz que precisa de ajuda pra saber o que está reservado. Não tem nada reservado, Vitoria! Nada, nada, nada. Não existe nada reservado. O que existe é o que nós fazemos das nossas vidas. Você tem um filho em seu ventre, agora. É hora de responsabilidade, de parar de pensar em si e pensar na criança que vai vir ao mundo.
    Você fala da ironia de ter que viver separada do seu ex-namorado. Você tiveram a sua chance no passado, não tiveram? Agora há outras pessoas envolvidas, e elas devem ser respeitadas. Você reclama do seu marido. Será que ele não tem motivos para reclamar de você? Será que em vez de reclamar dele não é mais fácil respeitá-lo e se esforçar para ser uma boa esposa?
    Deus nos ajuda quando nós nos ajudamos, Vitoria. Ajude-se.

  28. Bom dia.
    Estou há uma semana com o coração apertado, pois tenho uma união estável há 5 anos, namorei um mês e por descuido engravidei sem existir amor!
    O único amor que já senti na minha vida foi com o meu primeiro namorado!
    Meu relacionamento com o meu marido é fraco, nós não trocamos carinhos!
    Estou esgotada com essa situação, já tivemos várias vezes brigas e separações mas eu por medo de sofrer preferi voltar!
    Depois de 8 anos pensando e lembrando com muito carinho do meu ex-namorado resolvi mandar uma mensagem via inbox, hoje ele também tem uma união instável, mas na mesma hora ele disse que estava muito emocionado porque ele esperava qualquer coisa menos uma mensagem minha, que eu fui o grande amor da vida dele, e assim começamos a conversar, contei minha vida e ele contou a dele e pelo jeito nos envolvemos muito rápido, não temos certeza!
    Ele pediu pra me ver e eu fui, nós nos abraçamos e conversamos pouco, depois ele mandou uma mensagem dizendo que mexi muito com ele e queria me ver novamente e marcamos e fui! Ficamos por algumas horas, foi tão intenso, parece que intenso não passou pra nós!
    E agora estamos muito confusos pois sabemos que não tem chance nenhuma se ficarmos juntos como casal!
    Ontem nós nos perguntamos o que Deus tem pra nós!
    Queremos muito um ao outro o tempo todo, mas somos proibidos e acho isso uma ironia, porque acontece isso nunca tive coragem de trair meu marido e ele também nunca imaginou traí-la!
    Como viver com isso? não paro de pesar nele e nem ele em mim, preciso de ajuda pra entender o que está reservado, me deem uma luz porque estou perdida, confusa, perturbada!

  29. D.S., acho que você faz certo em deixar de relacionar-se com ele. Como somos ainda muito falhos, podemos “cair em tentação” e depois nos arrependermos profundamente.
    Podemos atribuir essas atrações a outras existências; mas isso pode ser apenas afinidade entre espíritos, independente de um conhecimento prévio.
    Não querendo que isso sirva de consolo, mas acho positivo conhecermos pessoas com quem nos afinizamos assim, mesmo que nosso desejo fosse um relacionamento mais íntimo. Isso demonstra o quanto podemos amar, e que há, certamente, muitos e muitos espíritos assim com quem nos relacionaríamos harmoniosamente. Se isso não é possível hoje, certamente será possível no futuro.

  30. E. L., não existe casamento feito pela espiritualidade. Pode existir para casais de missionários, o que não é o nosso caso.
    O que você chama de “amor arrebatador” não é amor, é paixão. O amor é eterno, a paixão tem prazo de validade.
    Contos de fadas retratam atração física. Observe as princesas e seus príncipes encantados: eles não conhecem problemas juntos, eles não sabem quase nada um do outro, eles apenas se curtem pela aparência. Isso não é amor.
    Não sei quem “revelou” pra você que isso seria magia. Se esse alguém cobrou alguma coisa por essa “revelação”, desconfie – desconfie muito. Bons espíritos não trabalham com quem cobra para fazer “revelações”.
    Ninguém inocente pode ser influenciado por espíritos “sexólatras”. Só pode ser influenciado sexualmente quem tem tendência pra coisa.
    Se ele tivesse um caráter razoável, mesmo que estivesse influenciado espiritualmente, não abandonaria a filha.

    Conclusão: quando as razões estão aqui, defronte de nossos olhos, não precisamos – nem devemos – buscar causas externas nos espíritos.

  31. Morel, lendo alguns comentários gostaria de pontuar uma questão: infelizmente há, 99,9% são mulheres, pessoas que acreditam ou querem acreditar em amores eternos, em destino, em amor da minha vida. Mesmo que o companheiro as trate mal continuam a achar que as coisas são assim mesmo e que é destino estarem os dois juntos. Me pergunto o quão mal essa educação de príncipes encantados e almas gêmeas tem feito às relações e principalmente às mulheres. Custa-me crer em tanta falta de amor próprio e tanta crendice em carma e almas gêmeas.

  32. Morel, e sobre aquelas pessoas por quem nos encantamos (apaixonamos, amamos, nesse sentido) de uma forma repentina, sem motivos e com nada favorável para o desenrolar dessa relação; mas com reciprocidade nos sentimentos (ao menos é o que me parece) é algo que vale a pena “manter”? Ao meu ver estou em uma “paixão proibida” pois do outro lado tem um homem já comprometido, mas de bons ideais que não deixaria sua família, e eu também não desejaria que isso acontecesse! Enfim, sigo a teoria de que ele já está lá e eu tenho que fazer minha vida, porém não sei se devo largar o contato que temos; limitamo-nos a falar da vida, de política, futebol… qualquer coisa, e estas poucas conversas são os únicos consolos que tenho. Mas me sinto com a obrigação de romper todo e qualquer contato com ele por respeito, faço certo?
    Me desculpe por tamanho desabafo.

  33. Tive um casamento feito pela espiritualidade, com resultado de uma filha. Foi um amor arrebatador, sentíamos pertencentes um ao outro… foi muito lindo, conto de fadas.
    Mas, ao entrar debaixo do mesmo teto, tudo se tornou pesadelo. Conclusão, descobri muita sujeira sexual. Divorciei, dentro de 2 anos… Também foi-me revelado que ele está sob um trabalho de magia negra, feito pela sua ex-mulher, que também tem muitos problemas espirituais… com este trabalho, ele está carregando uma falange de espíritos sexólatras, onde está totalmente hipnotizado, que nem amor pela filha tem… através da internet pega todo tipo de pessoas, sem importar, idade, estado civil e sexo.
    Só queria entender como fica um casamento de amor com frutos, desmanchado por magia negra e a pessoa magiada com tantas relações.

  34. Eu sempre achei que eu e meu marido vivemos em outras vidas, o jeito que nos conhecemos sempre foi intrigante, estamos casados há 21 anos, temos 2 filhos e nos damos muito bem, sem brigas, com muito respeito.

  35. Há cerca de 17 anos eu sou apaixonada por um ex da adolescência. Ele sempre foi um homem muito mulherengo. Durante estes anos procurei ao máximo não me envolver. Conheci outras pessoas e sempre cuidei da minha vida. No início do ano ele começou a me procurar de novo! O sentimento que estava adormecido, despertou com muita força!!! Ele nunca me assumiu como namorada, apesar de quase já ter feito isso. Combinamos muito!!! Todos os amigos dizem que esse negócio é um mal resolvido! Acho que ele gosta de mim mas não larga a vida de solteiro. Ele me escuta, segue os meus conselhos e tem muita confiança em mim, no fundo é um homem sem rumo! Recentemente não aguentei a situação e acabei brigando com ele. Não entendo que amor é este! Sinto que é algo de outras vidas! Já sonhei com uma senhora me dando uma criança de colo e dizendo que era minha e quando perguntei pelo pai, ela me levou até ele; foi um sonho muito forte! Uma certa vez uma amiga disse que sonhou comigo e um certo rapaz, que estávamos felizes e namorando, quando ela me descreveu as características do rapaz quase cair de costa!!! Era ele!! Mostrei uma foto e ela confirmou!! (ela nunca viu ele nem por foto). Soube que a mãe dele havia feito promessa para Nossa Senhora para ficarmos juntos!! Sou uma mulher, bonita, inteligente e forte, contudo esse amor é meu ponto fraco! Compreendi que para Deus existe um tempo para tudo, e que se formos para ficar juntos, este não é o momento!!! Pois ele não estar preparado!!! Me ajude por favor!!!>>>>

  36. Mi, nós construímos o nosso destino. Se o amor é suficientemente forte, as distância podem ser superadas. Mas temos que considerar que a distância também aumenta a fantasia, a idealização – não vemos os defeitos, as falhas, só as coisas boas. Além do mais, qualquer pessoa que já se apaixonou mais de três ou quatro vezes sabe que o alvo da sua paixão sempre parece “a pessoa certa”.

  37. E quando você tem certeza de que encontrou a pessoa certa, ela diz que sente o mesmo por você, mas a distância (um morando em lados opostos do planeta) os impede de ficar juntos? Será que é o destino de ambos viverem infelizes no amor?

  38. Larissa, não posso me arvorar em conselheiro. Seria irresponsável de minha parte dar “pitacos” em situações que desconheço. Só o que posso dizer é que você não deve permitir essa situação. Ele não vai mudar por si só. Se você continuar aceitando, a tendência é continuar ou se agravar. Não permita. Permitir isso é o mesmo que permitir que o patrão nos acuse de desonestidade todos os dias. Você aceitaria ser chamada de ladra todos os dias pelo seu patrão? Acha que não. Ora, se não aceitamos insultos por parte de um desconhecido, como aceitar insultos por parte de alguém que é tão próximo de nós?
    Dependendo do conjunto de crenças de vocês, exija que ele se submeta a tratamento espiritual ou psicológico. Acompanhe-o, incentive-o. Seja uma ótima esposa e amiga, mas não se rebaixe aceitando insultos.

  39. Morel, sou casada faz 1 ano e desde quando me casei meu marido se tornou um homem muito ciumento e inseguro. Ele vive desconfiado. Ele fala que não quer ser enganado, que não merece. Mas sou uma mulher fiel. Nunca tivemos um deslize tanto eu quanto ele. Não sei mais o que fazer, pois estamos vivendo em pé de guerra faz 1 ano. Não tem um dia sequer que não discutimos por desconfiança dele. Será que isso seria memórias passadas de coisas que já viveu em outra vida? O que me aconselha a fazer?

  40. Gabriela, o que nós entendemos por amor não é o amor verdadeiro. O amor é sempre bom. Mas, em nosso estágio evolutivo, isso que chamamos de amor é, quase sempre, o máximo a que pudemos chegar. Então é possível, sim, que uma pessoa que “ame” a outra não consiga expressar esse sentimento da maneira correta, acarretando em desvios e equívocos.

  41. Morel, eu tenho uma amiga que sofreu muito no seu relacionamento anterior, o namorado dela era super ciumento, sempre a agredia tanto fisicamente quanto psicologicamente, namoraram durante alguns meses e terminaram, porém até hoje ele a inferniza e diz que a ama. Bom, esses dias ela foi numa cartomante e essa disse que ele é o amor da vida dela (minha amiga) e se ele mudar e ela não namorar com outro, capaz deles voltarem. O que eu quero saber é se isso é possível, uma pessoa que só maltrata a gente ser o amor da nossa vida?

  42. Namorei uma pessoa por 3 anos, há um mês atrás sumiu, sem um motivo plausível, simplesmente sumiu, quando ligo não atende o celular e diz para a família dele que ele não tem mais nada comigo. Se não houve um término. Como pode isto acontecer, nunca brigamos.

  43. Luciana, não tenho meios de lhe dar essa resposta. Para saber isso, teria que ter acesso ao seu passado de outras existências. Mas acredito que não; esses desencontros são cada vez mais comuns, pela liberdade que temos em nos relacionarmos.

  44. Eu gostaria de saber se minha história faz parte de um carma não resolvido. Namorei um rapaz dois anos e meio. Ele terminou o namoro bruscamente há um ano, voltou arrependido e ciente da bobagem que fez, parece que com o tempo esqueceu tudo e novamente terminou. Eu o tinha como o homem para casar, mas ele sempre viu muito problema na relação e estourava e brigava por qualquer coisa, até que eu não conseguia dialogar, ele explodia e não queria mais falar ou me ver, até terminar. Até onde sei tínhamos o mesmo objetivo e nunca nos treinos, porém ele foi se afastando de mim e jogava toda a culpa doa problemas em mim, era inflexível a mudanças e mesmo com algumas mudanças da minha parte ele não me quis mais, eu o aceitaria como era. Do que se trata o meu caso? Eu não me conformo com o término, apenas entendi que nada posso fazer.

  45. Hum… concordo plenamente com você. Não desejo mal a ele, a questão é que ele bagunçou minha cabeça, me dava remédios quando eu bebia, fui meio que uma cobaia. Ele teve muita maldade e foi mau até o fim, sabe? Eu perdi muito ficando com ele… o normal seria eu ter pânico e nem querer pensar mais no indivíduo. Mas sinto amor… se ele de fato foi mau comigo como penso, isso que não consigo entender, sabe? Deus fará justiça? Obsessão… Será mesmo? Ou teria a ver com carma de outra vida? Quero que saiba que entendo e já pensei nisso tudo que você falou antes! Você é muito atencioso! Está de parabéns! 🙂 e sim… o caminho é a felicidade e o equilíbrio!

  46. Juliana, seus conceitos estão completamente equivocados. Você diz que o ama, mas quer que Deus “faça justiça”. Que justiça? Prejudicá-lo? É assim que você ama? Amor pressupõe liberdade; o que você nutre é sentimento de posse. Você está perdendo a fé porque ele não se machucou como você? Mas que fé é essa que quer que o outro sofra só porque você está sofrendo? Aliás, fé não se perde: ou se tem ou não se tem. Entendo que você tenha sofrido pela maneira como terminou a relação, mas você deve permitir que ele seja feliz (afinal, você não diz que o ama?) e, além disso, você deve ser leal e correta com a pessoa com quem você está se relacionando agora, em vez de ficar obsediando alguém que já passou da sua vida e quer seguir o seu rumo. Isso é obsessão – e todo o mal que porventura isso cause a ele ou a mais alguém será co-responsabilidade sua.
    Largue isso! Permita-se ser feliz! Faça feliz quem está com você! Deixe que ele e a sua nova companheira sejam felizes!

  47. Olá, eu vivi uma história no momento mais turbulento de minha vida… eu estava em estilhaços psicologicamente, minha alma estava perdida… abusava do álcool. Então o conheci, como um anjo me ensinou o certo do errado, foi paciente… hoje me valorizo muito mais, mesmo depois de ele ter me tratando como um lixo… mas de alguma forma ele me acordou para a vida, pela primeira vez em toda a minha existência me senti viva… ele é neurocientista… e sua pesquisa tinha a ver com comportamento e álcool. Chego a acreditar que o interesse dele por mim foi apenas por causa disso, mas eu sentia uma ligação tão forte que estava evoluindo, melhorando. Porém veio a prisão de um tio. Ele terminou comigo de forma grotesca quando contei alguns detalhes do caso, acho que ficou com medo. haviam me contado que ele era louco e agressivo. Me jogou pelas escadas e me tratou como se eu não existisse. Já faz mais de um ano que a relação acabou, ele logo começou uma nova relação que aconteceu graças às minhas amizades, através de mim ele a conheceu… eu estava tão machucada que fui capaz de perder a dignidade… infelizmente ainda tenho notícias dele e de toda a felicidade que ele tem vivido por a nova namorada ser prima de uma grande amiga… para a minha infelicidade! Por que não conheceu alguém que não tivesse nada a ver com meu círculo de amizades? Fisicamente ela se parece muito comigo… não passo um dia sem lamentar todo esse desentendimento… sinto amor e sinto que ainda estou muito ligada a ele… acredito que nessa vida não ficaremos juntos novamente. Porém não compreendo porque ele me fez tão bem e depois tão mal… e saiu ileso de tudo e eu pior… Estou perdendo a fé. Ele errou tanto comigo e somente eu saí machucada. Será que estou pagando por outra vida? Será que estou doente? Será que eu merecia esse sofrimento? Deus fará justiça? Será que algum dia essa energia que me leva a pensar nele com amor (mesmo ele sendo digno de indiferença ou sentimentos ruins) irá passar? Perdi completamente a vontade de viver, o que ainda me mantém viva é melhorar para que um dia ele veja… Gostaria de compreender tudo isso, porque já faz mais de 1 ano. Também estou em outra relação mas não passo um dia sem lembrar do sorriso e energia…

  48. Tenho 23 anos de casada, desde quando me casei meu marido me trai e eu sempre o perdoei pensando sempre que iria mudar, mas nunca mudou. Ele é um carma na minha vida? Tenho que passar por isso?

  49. Ana, não sei de onde você tirou a ideia de que ele, expulsando você de casa, “terminou o carma”. Carma é uma palavra que vem do sânscrito e quer dizer “ação”. A todo ação corresponde uma reação. Então ele não está terminando nenhum “carma”, pelo contrário.
    Eu não sei o que você fez para que ele e a filha a expulsassem. Por nada, certamente não foi. Mas ninguém é obrigado a ficar com ninguém. Nem tudo o que nós passamos é por erros que cometemos no passado! Você pode não ter cometido nenhum erro contra ele em outras existências, seu erro pode estar sendo insistir numa relação absurda.
    Mas isso quem deve decidir é você.
    Se você se interessa pelo Espiritismo, deve estudar mais. Seus conceitos estão equivocados, e isso atrapalha muito o nosso modo de pensar, as nossas decisões e o nosso posicionamento diante da vida e das pessoas. Recomendo sempre a obra de André Luiz, que você encontra neste site na aba LIVROS no menu.

  50. Quando um termina uma relação amorosa cármica, mas não da maneira correta, ou seja, meu ex-companheiro pediu à filha para me expulsar de casa (já tinha acontecido mais vezes antes, mas eu sempre corria atrás dele durante 8 anos), mas ele não falou nada, nem uma explicação até agora, passados 6 meses. Isso quer dizer que ele terminou a relação cármica comigo definitivamente, certo? E o fato de ter sido a filha e não ele, não acrescenta mais carma para ele? Ou para nós os dois? Se é causa e efeito então é porque eu fiz muito mal para ele? Mas eu é que cedia sempre e corria e ele até me bateu uma vez e eu é que pedi ainda por cima desculpa, ele nunca pediu. Eu acredito na reencarnação e leio muito sobre isso, mas não entendo por que é que se tem que terminar uma relação sem dar uma palavra! Se melhorou o carma dele pedindo à filha para me expulsar, não vai gerar mais carma por não ter tido atitude correta falando comigo e terminando?

  51. Boa noite!!!
    Gostaria de saber por que às vezes temos paixões impossíveis e mesmo tendo consciência disso temos dificuldades em tirar da cabeça.
    Me ajudem… responda por favor!!!

  52. Catima, quando desencarnamos o que prevalece é a nossa sintonia. É como se tivéssemos um peso específico: Se você colocar pequenos objetos com diferentes pessoas num copo com água, verá que alguns afundam, outros ficam no meio do copo e outros ficam na superfície. Quando desencarnamos o que vale é o nosso padrão de sentimentos e pensamentos. Se os componentes de um casas têm uma boa sintonia ente si, e estiverem ambos conscientes, eles se encontram. Mas se estão juntos apenas fisicamente, sem fortes vínculos sentimentais, vai cada um para junto daqueles com quem se afinizam. É a Lei da afinidade.

  53. Eu gostaria de saber se quando um casal que se ama morre junto, cito como exemplo o caso de Cristiano e Allana, eles continuam juntos no além? eles se encontram? eles vão lembrar da vida terrena? eles sabem que morreram juntos? Gostaria muito de entender isto tudo. Se possível, por favor, me responda. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.