Sonhos e Projeção astral

Enquanto você dormia…

 

mãe com bebe no colo
Enquanto você dormia…

Ouça este artigo na voz do autor

Enquanto você dormia, à noite passada, é possível que você estivesse matando a saudade de antigos amores fraternos. De vez em quando somos chamados junto aos nossos espíritos queridos.

Você alguma vez já sonhou e ficou triste por ter acordado? Queria ficar dormindo, sonhando, vivendo o que estava vivendo, sentindo o que estava sentindo?

Durante as horas de sono, enquanto o corpo físico repousa, nós ficamos relativamente livres, temporariamente libertos do peso da matéria. O que cada um de nós faz nessas horas? Depende da vontade, do que se passa em nosso íntimo, depende do nosso grau de adiantamento moral, da nossa força mental, depende de uma série de fatores que pouca gente conhece. Isso é estudado profundamente na Projeciologia, do Waldo Vieira.

Mas há ocasiões em que vamos para lugares muito melhores do que os lugares em que vivemos hoje. Fazemos coisas mais agradáveis do que as coisas que costumamos fazer e, o mais importante, convivemos com pessoas de quem sentimos muita falta.

Por mais que você ame quem está ao seu lado, sua família, seus parentes e amigos, nós vivemos em pleno laboratório de pesquisas. A matéria é mais ou menos isso, um laboratório onde testamos nossos conhecimentos e experiências adquiridos através de incontáveis reencarnações e durante os intervalos entre uma reencarnação e outra.

E na turbulência do dia-a-dia, no mundo competitivo e agitado, é raro termos tempo e oportunidade para simplesmente viver. Temos inúmeras responsabilidades aqui. E nem sempre estamos bem certos do que fazemos. Quando reencarnamos, não trazemos um roteiro que possa ser consultado a qualquer hora. É tudo intuitivo…

Quando estamos temporariamente livres da matéria por ocasião do sono, temos a oportunidade de conviver com pessoas a quem muito amamos e que muito nos amam. Cada um de nós tem sua parentela espiritual. Cada um de nós tem laços de amor e amizade com espíritos muito superiores a nós, que zelam por nossa passagem pela matéria. São esses espíritos que muitas vezes nos socorrem em momentos de maior dificuldade, nos incutindo ideias de bom ânimo, de esperança e de certeza de que no final tudo dá certo.

Enquanto o corpo físico está atirado sobre a cama, você pode estar matando a saudade de antigos amores fraternos, ouvindo bons conselhos, assistindo palestras, participando de cursos, relembrando experiências agradáveis de outras vidas como forma de recobrar forças e ânimo pra continuar a tarefa.

Então, quando você acorda, não sabe onde estava, com quem estava ou o quê estava fazendo. Mas sabe que estava num lugar extremamente agradável e calmo, com pessoas amadas, boas e pacíficas, fazendo algo de útil e instrutivo. Você desperta com a convicção de que esteve num lugar que você conhece, esteve com pessoas muito íntimas, e estava tratando de assuntos que você conhece muito bem, você sabe perfeitamente do que se trata, embora seu cérebro físico não tenha essa lembrança.

Quando você acorda e percebe que era um sonho, que a sua realidade é outra, talvez a sua primeira impressão seja de decepção. Você gostaria de ficar por lá, você preferiria que a sua realidade fosse aquela e não esta. Mas logo você se conforma, você sabe, intuitivamente, que voltar pra lá é uma questão de tempo. De tempo e de merecimento.

A sua realidade, hoje, agora, é aqui. Você tem uma enorme responsabilidade aqui. A sua responsabilidade não se restringe às pessoas que você conhece. A sua família não é composta só pelas pessoas que estão encarnadas aqui, com você. Há espíritos desencarnados que fazem parte do seu grupo, que estão inseridos no contexto da sua experiência terrena.

O processo reencarnatório passa por um grande e complexo planejamento, que nós estamos longe de apreender. Mas é muito provável que alguns espíritos contam com você, esperam que você faça o que foi planejado, dependem de você, até certo ponto, para poderem colocar em prática o que foi planejado para eles. Tudo está interligado.

Por isso, de vez em quando, somos chamados junto aos nossos espíritos queridos. Para relembrar o planejamento, para retificar pontos que fugiram do controle, para modificar estratégias. A sensação que guardamos conosco, as lembranças vagas que ficam, quando despertamos, nos afiançam de que vale a pena se esforçar, vale a pena cumprir com a nossa parte.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

24 Comentários

  1. Recentemente tive uma sequencia de sonhos em que o sentimento era muito bom, tanto que acordei com um abraço muito bom, parecia que tinha acontecido ali naquele momento e quando eu acordei e lembrei veio uma onda de saudade e aperto no coração e não sabia quem era aquele abraço, tratei de dormir para continuar o mesmo sonho. Mas tenho uma pergunta, frequentemente tenho sonhos onde tem lugares e pessoas conhecidas, mas eu não estou em pessoa apenas observando e essas pessoas não tem a feição das pessoas conhecidas que esta em meu pensamento, tem alguma explicação ?

    Obrigada

  2. Olá. Tenho sonhos maravilhosos, em outros ambientes e em contato íntimo com pessoas que nunca vi. Outras vezes, tenho sonho confusos, casas muito estranhas e pessoas diferentes e estou em alguma encrenca.
    Porém, o que me preocupa, são os calafrios desagradáveis que sinto todos os dias ao anoitecer. Sempre no mesmo horário é provocando sensações ruins.

  3. Te agradeço de coração, Morel, pois conseguiu tirar minhas dúvidas. Isso não me assustou porque sei que quase sempre me pego em desdobramento, sei que tenho essas coisas que acontecem comigo, mas não pratico e não entendo muito, só sei que acontece isso porque sou muito curiosa e comecei a procurar na internet sobre essas coisas. Porque antes acontecia com mais freqüência, hoje se tornou menor.

  4. Karen, não há dificuldade alguma em relação a isso. Isso que aconteceu acontece muitas e muitas vezes, com quase todo mundo. É uma capacidade que nós temos e tanto pode acontecer naturalmente, como aconteceu, como pode ser provocada por nossa própria vontade. Acontece que nós, espíritos, usamos muito pouco da nossa capacidade, por isso, quando nós percebemos esses acontecimentos, eles nos parecem extraordinários.
    Você percebeu o que aconteceu porque estava tomada de grande emoção. Vocês se encontraram em espírito. Ele, como espírito que é, percebeu você. Mas não conscientemente. Nossa consciência de espíritos encarnados é superficial, percebemos muito pouco, só o que está na superfície. No Espiritismo essas viagens são conhecidas como desdobramento. Quem se dedica a essa prática a conhece como projeção consciente ou viagem astral. Se o assunto lhe interessa, assista os vídeos do Wagner Borges e do Saulo Calderon. Os dois são praticantes experientes e sabem explicar muito bem. Você muito provavelmente tem a capacidade de desenvolver a projeção consciente, se se dedicar a isso.
    Muitas pessoas têm dificuldade de entender ou mesmo de acreditar que nós nos desdobramos todas as noites e quase sempre vamos em busca de nossas afinidades. Os viciados de todo tipo vão, quase todas as noites, em busca dos seus prazeres. Vamos automaticamente para onde predomina a direção dos nossos pensamentos, sentimentos e energias. Por isso a importância de controlarmos nossos pensamentos. Pessoas com ideia fixa em alguém, seja por raiva, paixão, apego, pode facilmente se tornar uma obsessora, mesmo sem querer.
    Fique com Deus.

  5. Olá, Morel, hoje estou confusa e queria tirar uma dúvida. Há poucos dias meu namorado terminou com nosso relacionamento, há uns dias nos vimos para conversar mas não voltamos e fomos embora como amigos. Essa madrugada me vi indo à casa dele e o vi dormindo, chegando próximo dele sentei ao lado dele e encostei ao lado dele e comecei a chorar, eu sabia que eu estava dormindo, porque sei que tenho essas viagens de vez em quando. Encostado nele ouvia tipo um pensamento saindo da mente dele dizendo que estava com muitas saudades de mim. Depois eu acordei e vi que eu estava chorando de verdade.
    Queria saber se foi possível ele sentir minha presença naquela hora e se é possível ele lembrar desse acontecimento? E porque justamente fui parar na casa dele? Por favor ajude-me a tirar essa dúvida.

  6. Milla, não há dúvida de que essas experiências são reais, e não sonhos. Esses espíritos, muitas vezes, apenas estão precisando de ajuda. Notam que alguns encarnados são capazes de percebê-los e se aproximam.

  7. Olá Morel, quero relatar um acontecimento e te fazer uma pergunta. Meu marido e eu estávamos dormindo, no momento em que eu comecei a me desdobrar, sonhei comigo saindo do corpo e pude visualizar nós dois na nossa cama dormindo, quando olhei pra frente visualizei uma senhora pequena, com um pano amarrado na cabeça como um lenço, pele bem enrugada e um rosto não muito agradável, tampouco pacificador, no sentido do sonho ela nos via fazendo sexo, como se nos assistisse. Imediatamente que a vi, tudo muito nítido, eu involuntariamente senti dificuldade em falar, a boca abria, eu falava mas não me ouvia, isso durou segundos, até que eu a puxei pelo braço, abri a porta do quarto, e a expulsei de minha casa dizendo: Toma seu caminho, aqui não tem lugar pra você. Vai embora e eu me vi conscientemente fazendo oração do Pai-Nosso enquanto meu espírito a expulsava. Ela usava uma saia muito grande para seu tamanho, era assustador, e ela insistia em ficar na minha casa, entrou no escritório, no banheiro social e eu falava com voz autoritária pra ela sair da minha casa e do condomínio onde moramos, afirmando que ali não tinha nada pra ela, nem espaço, nem nós a queríamos lá. Enquanto isso acontecia eu conseguia sentir meu corpo físico, conseguia sentir arrepios, e um leve mal estar causado por medo. Acordei consciente do sonho. Fiquei muito tempo com medo da minha casa e assombrada com aquela figura. A minha ação depois foi jogar água fluidificada nos cantos da casa e arredores e fazer orações em silêncio pedindo auxílio da humanidade superior para que afastasse os inimigos encarnados e desencarnados. Meu avô tinha um centro espírita kardecista, e já “doutrinou” espíritos, isso foi há muitos anos atrás, e ele me disse que eu tenho mediunidade, e realmente, eu tenho sensações quando a energia do ambiente não é boa, eu tenho forte intuição e sofro arrepios quando parece que algo aproxima de mim, já ocorreu também de estar naquele estágio semiconsciente, sei lá, pegando no sono e ouvir vozes, muito confusas e involuntariamente eu começo na minha mente a fazer oração do Pai-Nosso. Minha pergunta sobre esse sonho é: Eu, enquanto dormia, enquanto acontecia isso, eu poderia estar expulsando ou doutrinando um espírito obsessor ou menos evoluído da minha casa? Visto que essa não foi a primeira vez que falo com autoridade em sonhos onde parece que lido com espíritos maus (não sei como me referir a eles).

  8. Aline, esse é um fenômeno dos mais comuns. Sempre que dormimos nos libertamos parcialmente do corpo físico, contatando com maior ou menos desenvoltura com os espíritos desencarnados ou com outros espíritos encarnados também desdobrados pelo sono. Algumas pessoas não lembram nada, outras lembram vagamente como um sonho, outras (como eu) conseguem manter um maior grau de consciência e perceber, durante essa experiência, que estão desdobrados, fora do corpo físico.
    Essa sua experiência mostra um certo grau de mediunidade em você. Você se desdobrou parcialmente, sua consciência acompanhou seu corpo astral (ou perispírito ou corpo espiritual), mas o seu desdobramento não foi completo. É comum algumas pessoas ficarem conscientes durante parte do período de sono mas não conseguirem sair do corpo físico, num estado que chamam de “paralisia do sono”. Passei por isso muitas vezes; é uma sensação angustiante até aprender-se a ter o domínio das próprias energias.
    O que você viveu foi uma experiência real, em que a sua avó foi visitá-la. Ela chamou a sua atenção para as roupas no chão para que você tivesse certeza de que não se tratou de uma ilusão.
    Estude mais sobre o assunto, procure participar de um grupo de estudos mediúnicos.

  9. Boa tarde!
    Gostaria que o senhor me ajudasse com algumas informações.
    Tenho a impressão de que vi e senti a presença da minha avó que morreu há 8 anos.
    Foram duas vezes já.
    A última foi anteontem, eu estava dormindo e sonhando com ela, reclamando de saudades e chorando pra ela, vi ela chorando no sonho.
    Depois disso acordei de uma vez.
    Aí ouvi a voz dela me chamando, é como se eu estivesse presa na cama, não conseguia me mexer e tocar nela, nem consegui ver nada com clareza, apenas uma luz branca em todo meu quarto, e a imagem dela meio que borrada, e como espectro.
    Mas senti ela abaixando e me abraçando, mas eu estava com os braços presos, não consegui tocá-la.
    A sua voz era suave e acolhedora. Foi uma ótima sensação. E tudo isso aconteceu no meu quarto, já era manhã já. Quando ela saiu, eu senti um calafrio por todo o corpo.
    E uma saudade imensa.
    Ela me preguntou por que tinha umas roupas minhas no chão, eu respondi que não sabia. Quando voltei do transe, as roupas estavam lá no chão, e eu não tinha visto elas lá, antes de dormir.
    Algo muito difícil de explicar.
    Me ajude! Por Favor.
    Não sou espírita, mas conheço e leio bastante sobre e gostaria de conhecer melhor esse mundo.
    E realmente acredito em vidas passadas.
    Aguardo sua resposta.

  10. Flor, não posso fazer diagnósticos. Qualquer coisa que eu dissesse seria apenas especulações. Procure ajuda, peça atendimento num centro espírita – sem esquecer que isso pode ser apenas algum problema físico, que só um profissional poderá avaliar.

  11. Olá, boa noite! Eu acordo muito dolorida sempre quando durmo, o que pode ser? Tomos chás relaxantes, oro, e ainda assim muito dolorida ao acordar, tenho sonhos surreais e muito estranhos. Como pinturas de Salvador Dalí às vezes.

  12. Olá! Desde criança tenho a sensação de sair do corpo ao dormir… Não são sonhos, parece que estou lúcida mas não consigo me mexer. Também não é sempre que acontece, mas ao longo de minha vida já foram muitas vezes. E sempre foi muito perturbador o medo de não acordar nunca mais. Nesta noite foi muito diferente… Eu estava entre outras pessoas e voava sobre um rio… Foi uma sensação maravilhosa, ao mesmo tempo em que me sentia surpresa por voar senti como se já tivesse feito isso há muito tempo… Me senti tão livre! Mas de repente, me veio a consciência de que deveria voltar, e imediatamente comecei a tentar recuperar os meus sentidos… Eu tinha pressa, por causa do medo de não conseguir, mas meu “corpo” se deitava lentamente sobre meu corpo… E quando acordei, ao mesmo tempo em que senti alívio, senti também um certo arrependimento por não ter aproveitado mais rs… Estou muito confusa, não sou espírita mas sempre tive muita simpatia por esta religião… Há um tempo venho sentindo vontade de saber mais, mas não sei onde procurar… Além da falta de tempo, moro atualmente no Japão e aí fica mais difícil… Tenho muitas dúvidas e gostaria muito de esclarecê-las mas, apesar de me identificar muito com o espiritismo sempre foi muito difícil deixar o ceticismo de lado e me permitir acreditar…

  13. É interessante saber que quando dormimos podemos conhecer ou visitar outros lugares, já tive em sonho algumas oportunidades de visitas, o ultimo que tive foi muito interessante, eu me via no espaço e sabia que estava longe da Terra, quando dei por mim estava em um lugar muito simples, as ruas eram de terra e as casas ficavam na beira da rua sem quintais, havia pessoas, todas parecidas, todos eram morenos de cabelos lisos e pretos, havia mulheres, homens e crianças que moravam nas casas, sei porque entrei em uma a convite, quando fui procurar saber onde eu estava, uma senhora me disse que lá não era a Terra, e iria me levar para ser orientada, fomos à casa de um senhor de mais idade, ali próximo então ele me disse que lá não era a Terra, mas o espiritual que ficava acima do Polo Norte, ele pediu para um casal e uma criança me acompanhar mais adiante, passamos por um lugar como se fosse uma catraca e forma de espanador, ela me disse que era para limpar, seguimos adiante e em um lugar muito estranho, escuro, dava medo, vieram pessoas diferentes em nossa direção, então o rapaz que estava junto me disse para fugir, eu e a criança nos escondemos no mesmo lugar, quando tudo ficou silencioso, nós saímos o os vimos levando o casal, tinha um buraco no chão, onde colocaram os dois, aí percebi que eram tipo canibais, quando de repente veio uma senhora idosa, semelhante a eles e também não falava nossa língua, disse algo e todos se afastaram e nós fomos levados por ela a uma casa, onde havia muitas crianças, mas também pareciam zumbis, elas nos olhavam como se não estivéssemos ali, aquela senhora não falava minha língua mas eu entendia, ela disse que a carne não era nada, por isso não tinha problemas em se comer a carne, mesmo a de pessoas, e falou outras coisas que esqueci, mas ficamos na casa por algum tempo, só não podíamos falar nada perto dos outros que não fosse aquela senhora, voltamos novamente ao lugar de antes e eu estava satisfeita, com aquelas pessoas tão agradáveis, aquela temperatura como se fosse uma brisa morna, pensei em minhas filhas, que elas iriam adorar viver ali, e depois tive medo de não mais conseguir voltar, mas graças a Deus eu voltei para contar a história, só que detalhe, pesquisei na internet em temas espíritas e não achei nem uma colônia relatada acima do Polo Norte, bom, é interessante, eu queria compartilhar esse sonho mesmo, obrigada!

  14. Ingryth, o que acontece com você é relativamente comum e não há motivo algum para ficar com medo. É claro que falo isso hoje, após compreender e controlar isso. Mas já passei pelo que você passa. Isso acontece com quase todo mundo, mas poucos têm consciência disso. O nosso diferencial é que mantemos consciência quando afastados do corpo físico. Enquanto o nosso corpo físico repousa, ficamos relativamente mais livres e saímos em corpo astral. Essa dificuldade em acordar e se mover é chamado pela ciência de “catalepsia do sono”; é a dificuldade de reacoplar os corpos físico e astral. É preciso que você estude a respeito para aprender a controlar. Essa capacidade pode ser muito útil se você aprender a controlar, desenvolver e estiver disposta a auxiliar espíritos necessitados.
    Visite o site do IIPC. O IIPC foi fundado pelo Waldo Vieira, antigo parceiro de Chico Xavier que preferiu se dedicar ao estudo da projeciologia, que é o fenômeno que ocorre conosco quando dormimos.
    Fique com Deus.

  15. Olá. Sempre visito este site para ouvir as menssagens, pois sao muito esclarecedoras, está realmente de parabéns :). Mas lendo este post me lembrei de um “sonho” que tive algumas vezes e que está acontecendo novamente com frequência depois de muito tempo. Coloquei sonho entre aspas porque para mim não me parece um sonho, sonho que não consigo acordar e nem me mover e é desesperador, fico orando a Deus para acordar e Às vezes consigo me mover, aí me levanto e para minha surpresa quando olho para trás está lá meu corpo dormindo e isso me dá mais desespero ainda, eu só conssigo pedir para acordar. Teve uma vez que foi pior, pois eu deitada olhava e me via em minha frente com uma roupa preta (geralmente me vejo com a mesma roupa que estou quando fui dormir e vejo tudo igualzinho ao meu redor) mas dessa vez estava com uma roupa preta e e eu era bem ruim no sonho e eu sentia medo de mim mesma. Ouvia a voz de minha mãe e meu pai converssando e ela estava fazendo a janta, quando acordei era exatamente o que estava acontecendo, fiquei muito assustada e chorei de medo naquele dia. Pedi para nunca mais ter esses sonhos e fui atendida, pois nunca mais tive, mas agora comecei a sonhar novamente, só que não me vejo, só não conssigo me mover e é muito ruim. O que pode ser isso? Se puder me responder ficarei grata. Obrigada.

  16. Ah, gostei do fato de você anotá-los… e como sou metida a poetisa, os anotarei também para identificar algo ou não. Sem problemas. Ideia bem nota 10 a sua.

  17. Debora, minha ideia é justamente não ocupar muito tempo com a leitura. Cinco minutos diários é a minha proposta.
    Não me atrevo a interpretar sonhos alheios. Eu anoto meus sonhos como um modo de conhecer seus simbolismos. Mas cada símbolo pode ter valor diferente de pessoa pra pessoa. Quem percebeu e divulgou a importância de identificarmos os símbolos de nossos sonhos foi Carl Gustav Jung, que estudou mais de 80.000 sonhos.

  18. Então… tenho muitas vezes um sonho; de muita água e eu no meio da água. Às vezes até surreal como tem ondas de água dentro de um túnel de carros… mas há espaço para as águas, e eu estou lá. Algumas vezes estou num barco subindo as ondas e eu me canso pacas rs … mas a maioria estou numa boa dentro da água: não me afogo nem tenho medo. Parece água do mar pelo volume e porque sempre lembro do mar quando estou dentro do sonho. E estes sonhos me são comuns. Sabe de algo a que possa se referir este tipo de sonho?
    Saudações, Morel. E Parabéns pelo seu site. Ótimo e bem compactos os textos.

  19. Parabéns, nobre amigo Morel, suas ponderações acerca do “sonho” são autênticas, são próprias de quem detém uma compreensão espiritual sobre o caso. Seria ideal que as pessoas, de maneira geral, se compenetrassem bem na ideia de que o chamado sonho é, de fato, uma ótima ou dolorosa realidade; o encontro amistoso, ou, o duelo implacável, são ocasiões em que nos defrontamos com o nosso mundo íntimo atual, ou por vezes, que carreamos na velha e inseparável bagagem de nossas vidas pretéritas. Um grande abraço, meu bom amigo Morel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.