Você é muito importante!

Morel Felipe Wilkon

homens robôs

Em essência somos iguais…

Artigo publicado originalmente em 23/08/2012

Play
Ouça este artigo na voz do autor

Você se considera uma pessoa importante? Olhando pra você mesmo, você reconhece valores que as outras pessoas não notam? Há um mecanismo praticamente desconhecido no universo a que chamamos “humanidade”. Uma pequena parte, uma mínima fração da humanidade é a parte que lhe coube. Trata-se de uma individualização da humanidade que, além de Deus, só você percebe realmente, uma parte que só você acompanha todo o tempo. Essa parte da humanidade é você.

Você tomou conhecimento de si mesmo há alguns milênios. Vem aperfeiçoando essa “consciência de ser” uma reencarnação após outra, cada vez melhorando um pouquinho. Ninguém lhe conhece a fundo, fora você mesmo. Só você conhece suas verdadeiras intenções, os seus desejos secretos, os seus reais anseios. Os seus sonhos, que é claro que você tem, e nunca contou a ninguém. As suas velhas dores, de que você precisa se livrar com coragem. Tudo isso é só você que sabe, é só você que conhece, é só você que sente.

Você é espírito imortal, único, diferente de todos. Não há no mundo ninguém igual a você. Como não gostar de você mesmo? Você sabe como você é especial. Você sabe como tenta fazer o melhor, como gostaria que reconhecessem seu valor, suas qualidades.

Você. Só você? E os outros? Não há ninguém igual a você, mas também não há ninguém igual a nenhum dos outros. Todos são únicos em sua individualidade, e todos são um só em essência, em humanidade.

Você alguma vez já olhou pela janela do ônibus e viu aquele monte de rostos passando, um diferente do outro? Cada um tem sua história, talvez tão rica ou mais que a sua. Não sei se na sua cidade tem trem, mas no vagão de um trem cabe um monte de pessoas. De manhã cedo é um exercício de empatia olhar algumas daquelas centenas de pessoas e imaginar que por trás daqueles semblantes sérios, ou tristes, ou carrancudos, ou debochados, ou assustadiços, há tanta atividade mental e emocional quanto em qualquer um de nós, eu, você…

Todos percebem o mundo, as pessoas, as coisas, conforme seus olhos, conforme seu ponto de vista. Assim como você sabe mesmo é de si mesmo, eles todos também; o que sabem, realmente, é sobre eles próprios. Todos têm a mesmíssima importância que você. Ninguém, em sua essência, é menos ou mais do que você.

É dessa percepção individual que nasce o individualismo. É dessa noção privilegiada de si mesmo que surge o egoísmo. É da identificação com suas idiossincrasias, com suas características próprias, com suas benesses e mazelas que advém o orgulho. O maior dos males.

O orgulho nos impede de notar o outro como uma continuação de nós mesmos. Ou melhor, uma outra parte de nós mesmos. Um outro “eu”. É maravilhoso gostar de si mesmo. Devemos amar a nós mesmos o mais e melhor que pudermos. Jesus nos disse que devemos amar ao próximo como a nós mesmos. É evidente que devemos amar muito ao nosso próximo. E nós somos o parâmetro desse amor. Conforme você se ama, deve amar ao seu próximo. Sua reforma íntima exige isso.

Porque o próximo é um outro você, uma outra versão de você. Mas somos tudo a mesma coisa. A mesmíssima massa humana. Como você respondeu à pergunta lá em cima? Você se acha importante? Tomara que sim. Tomara que você se considere muito, muito importante. E que perceba, e aceite, que os outros são tão importantes quanto você.

Olhe para a primeira pessoa que aparecer na sua frente, qualquer uma. Se você estivesse sozinho numa ilha deserta, como Robinson Crusoé, você não imploraria por ter essa pessoa como companhia?

Quando ocorre uma catástrofe e há desaparecidos, não ocorre uma grande e espontânea mobilização para resgatá-los, mesmo sem saber quem sejam?

É porque as pessoas são importantes, todas elas. Trate-se como tal. Você é uma pessoa muito importante. E lembre-se de que o outro também é importante, e também gosta de ser tratado como tal.

Mensagem de Emmanuel – Maus obreiros

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: MAUS OBREIROS

“Guardai-vos dos maus obreiros.” – Paulo. (Filipenses, 3:2.)

Paulo de Tarso não recomenda sem razão o cuidado a observar-se, ante o assédio dos maus obreiros.

Em todas as atividades do bem, o trabalhador sincero necessita preservar-se contra o veneno que procede do servidor infiel.

Enquanto os servos leais se desvelam, dedicados, nas obrigações que lhes são deferidas, os maus obreiros procuram o repouso indébito, conclamando companheiros à deserção e à revolta. Ao invés de cooperarem, atendendo aos compromissos assumidos, entregam-se à crítica jocosa ou áspera, menosprezando os colegas de luta.

Estimam as apreciações desencorajadoras.

Fixam-se nos ângulos ainda inseguros da obra em execução, despreocupados das realizações já feitas.

Manuseiam textos legais a fim de observarem como farão valer direitos com esquecimento de deveres.

Ouvem as palavras alheias com religiosa atenção para extraírem os conceitos verbais menos felizes, de modo a estabelecerem perturbações.

Chamam covardes aos cooperadores humildes, e bajuladores aos eficientes ou compreensivos.

Destacam os defeitos de todas as pessoas, exceto os que lhes são peculiares.

Alinham frases brilhantes e complacentes, ensopando-as em óleo de perversidades ocultas.

Semeiam a dúvida, a desconfiança e o dissídio, quando percebem que o êxito vem próximo.

Espalham suspeitas e calúnias, entre os que organizam e os que executam.

Fazem-se advogados para serem acusadores.

Vestem-se à maneira de ovelhas, dissimulando as feições de lobos.

Costumam lamentar-se por vítimas para serem verdugos mais completos.

“Guardai-vos dos maus obreiros.”

O conselho do apóstolo aos gentios permanece cheio de oportunidade e significação.

Curso de Educação Mediúnica em Porto Alegre

estudar-espiritismo-porto-alegre

Curso de Educação Mediúnica

Você mora em Porto Alegre? Se interessa em aprender sobre Espiritismo? Gostaria de fazer parte de um grupo de educação mediúnica?

Então você está convidado a participar de encontros de estudo semanais voltados para a formação de servidores em duas instituições: A Casa do Jardim e a Casa da Volta do Campo.

Em 2015 estaremos acompanhando nova turma às quintas-feiras, a partir de Março, na Casa da Volta do Campo, no bairro Tristeza. Mesmo que você não tenha interesse imediato de trabalhar num centro espírita, será bem recebido no curso, que tem duração de cinco anos. Nos três primeiros anos  a ênfase do curso é sobre os Evangelhos, sem descuidar de aspectos doutrinários. Se você se interessa em conhecer mais profundamente o ensino de Jesus, sob ângulos diferentes do que é normalmente apresentado, este é o curso certo pra você. 

Se você tem pouca ou nenhuma noção da Doutrina Espírita e gostaria de começar o seu estudo do zero, a Casa do Jardim, no bairro Menino Deus, oferece, antes do Curso de Educação Mediúnica, dois anos de educação espírita. Aliás, se o bairro Menino Deus é mais acessível pra você, você pode optar por estudar na Casa do Jardim, que é onde a escola está estruturada há mais tempo. O curso é o mesmo nas duas instituições.

Estou à sua disposição, para qualquer dúvida sobre horários ou conteúdo do curso, no e-mail morelfw@yahoo.com.br

Será um prazer estudarmos juntos, trocarmos ideias, opiniões, movimentarmos o conhecimento do Evangelho de Jesus. Conhecimento sem movimento é conhecimento estagnado. Precisamos compartilhar o que sabemos. E sempre temos algo a contribuir com nossos pontos de vista. Aguardo você. Um abraço!

Você é importante!

Morel Felipe Wilkon

nenê se olhando no espelho

Você é importante!

Artigo publicado originalmente em 22/08/2012

Play
Ouça este artigo na voz do autor

Você é importante! Você tem potencialidades que nem sequer imagina! Você é imagem e semelhança de Deus; portanto, perfectível.

Você costuma notar mais diferenças do que semelhanças nas pessoas? Você acha que algumas pessoas são mais importantes que outras? É claro que há pessoas que se destacam mais, que fazem mais sucesso, que são mais populares, ou mais bonitas, ou mais ricas do que as outras.

O que faz uma pessoa parecer importante? Não será a importância que ela dá a si mesma? Afinal, somos o que pensamos. O grau de importância que nos damos é determinante para a imagem que passamos.

Analise, mesmo que por alguns segundos, as pessoas que você conhece, as pessoas com quem você tem convivido. O que predomina entre elas: as diferenças ou as semelhanças? Somos criados simples e ignorantes e vamos pouco a pouco, reencarnação após reencarnação, desenvolvendo nosso livre arbítrio.

É daí que surgem as diferenças. Vamos enveredando por inúmeros caminhos, nos diferenciando uns dos outros pelo desenvolvimento de nossa individualidade, pelos passos que damos em busca de nossa reforma íntima. Mas você, como bom observador, já deve ter notado que as diferenças são mais aparentes do que verdadeiras.

Todos gostamos de conforto, de boa comida, do aconchego familiar. Todos gostamos de usar uma roupa nova e bonita, todos gostamos de ser elogiados e valorizados, todos gostamos de subir na vida. Todos gostamos de ser respeitados, todos gostamos de ser bem atendidos em qualquer lugar, todos temos nossos problemas, todos gostamos de descansar quando estamos cansados. Escreveria um livro citando semelhanças entre todo mundo. Todo mundo é espírito imortal, se despojando de velhos defeitos e buscando acrescentar valores à sua bagagem milenar.

A verdade é que somos todos muito parecidos. Pense na pessoa mais importante que você conhece. Lembre o ser mais arrogante que você já conheceu. Eles não fazem o mesmo que você e eu quando sentam no “trono”? Não têm eles as mesmas necessidades e características humanas que nós?

No entanto, todos somos importantes. Se você não se considera importante hoje, é devido às crenças que você foi adquirindo ao longo do tempo. Você é importante, tão importante quanto qualquer outra pessoa. Você tem potencialidades que nem sequer imagina! Você é imagem e semelhança de Deus; portanto, perfectível. E único. Somos todos iguais em essência e únicos em consciência. Como você, espírito imortal único e insubstituível, não há ninguém! Há algo, neste mundo, que só você pode fazer.

Somos todos importantes, e devemos nos tratar uns aos outros como pessoas importantes que somos. Você não deve baixar a cabeça pra ninguém, pois ninguém é mais importante que você, a não ser que você queira isso. Também não convém que você olhe pra alguém de cima pra baixo, com ar de superioridade. Você não é mais do que ninguém, e não tem o direito de humilhar a quem quer que seja.

Sempre iremos encontrar pessoas despreparadas, iludidas, que pensam ser mais importantes que as outras. São os arrogantes, os pretensiosos, os autoritários. A única maneira de provarmos a nós mesmos que superamos esse estágio é através da compreensão. Se conseguirmos compreender que essas pessoas estão enganando a si mesmas, e que terão um longo caminho para trilhar no rumo da humildade, conseguiremos manter a calma e a compostura. Essa compreensão não é uma forma de amor?

Mensagem de Emmanuel – Falatórios

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: FALATÓRIOS

“Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade.” – Paulo. (II Timóteo, 2:16).

Poucas expressões da vida social ou doméstica são tão perigosas quanto o falatório desvairado, que oferece vasto lugar aos monstros do crime.

A atividade religiosa e científica há descoberto numerosos fatores de desequilíbrio no mundo, colaborando eficazmente por extinguir-lhes os focos essenciais.

Quanto se há trabalhado, louvavelmente, no combate ao álcool e à sífilis?

Ninguém lhes contesta a influência destruidora. Arruínam coletividades, estragam a saúde, deprimem o caráter.

Não nos esqueçamos, porém, do falatório maligno que sempre forma, em derredor, imensa família de elementos enfermiços ou aviltantes, à feição de vermes letais que proliferam no silêncio e operam nas sombras.

Raros meditam nisto.

Não será, porventura, o verbo desregrado o pai da calúnia, da maledicência, do mexerico, da leviandade, da perturbação?

Deus criou a palavra, o homem engendrou o falatório.

A palavra digna infunde consolação e vida. A murmuração perniciosa propicia a morte.

Quantos inimigos da paz do homem se aproveitam do vozerio insensato, para cumprirem criminosos desejos?

Se o álcool embriaga os viciosos, aniquilando-lhes as energias, que dizer da língua transviada do bem que destrói vigorosas sementeiras de felicidade e sabedoria, amor e paz? Se há educadores preocupados com a intromissão da sífilis, por que a indiferença alusiva aos desvarios da conversação?

Em toda parte, a palavra é índice de nossa posição evolutiva. Indispensável aprimorá-la, iluminá-la e enobrecê-la.

Desprezar as sagradas possibilidades do verbo, quando a mensagem de Jesus já esteja brilhando em torno de nós, constitui ruinoso relaxamento de nossa vida, diante de Deus e da própria consciência.

Cada frase do discípulo do Evangelho deve ter lugar digno e adequado.

Falatório é desperdício. E quando assim não seja, não passa de escura corrente de venenos psíquicos, ameaçando espíritos valorosos e comunidades inteiras.

O sono e a vampirização sexual

agora vai

Play

Para onde você vai quando está dormindo? Você sabia que enquanto seu corpo físico repousa você continua em atividade? Você é espírito imortal. Você é um espírito encarnado, revestido dum corpo físico que dificulta seu acesso ao plano astral. O corpo físico só permite experiências com o plano físico.

Quando você dorme, o corpo físico fica deitado, repousando, enquanto você, muitas vezes, aproveita essa liberdade provisória para fazer coisas que normalmente não se permite. Hoje vem se tornando cada vez mais comum o fenômeno da projeção consciente. Em tese, qualquer pessoa pode treinar e desenvolver a capacidade de se manter lúcido enquanto o corpo físico repousa. Nesse caso, a consciência acompanha o corpo astral (ou perispírito).

Mas a projeção acontece quase sempre. Para nos projetarmos, ou seja, para atuarmos com o corpo astral, não precisamos estar conscientes disso. A maioria de nossos sonhos se trata de experiências no plano astral. Como o cérebro físico não participa dessas experiências, já que o corpo físico está dormindo, as lembranças que temos dos sonhos são confusas, dispersas e quase sempre sem nexo.

Muitas pessoas mantêm durante o período de sono as mesmas atividades rotineiras. Agem como zumbis. Mas quero abordar o caso de quem se aproveita (inconscientemente) desses momentos de relativa liberdade, para praticar coisas que aqui no plano físico são inviáveis. Inviáveis por não estarem ao alcance ou por serem contra a lei, contra a moral, contra as conveniências.

A literatura espírita nos mostra, e é algo que eu pude constatar pela observação e experiência, que grande parte dos encarnados vai em busca de prazeres quando projetados. O sexo é, disparado, o maior atrativo para esses festeiros. Mas também é comum a procura por vícios de toda espécie; como álcool, drogas, jogo, negócios escusos. Inimigos se encontram para brigar, criminosos voltam ao local do crime, ladrões roubam, fofoqueiros fazem intrigas, invejosos sabotam, rancorosos praticam vinganças.

Leitura pesada, né? Prefiro tratar de assuntos mais leves, mas há verdades que não podemos ignorar. Dorme-se grande parte da vida. É muito tempo. Esse tempo não pode simplesmente fugir ao nosso controle. Mas como controlar? Isso é quase óbvio. Nossas atividades astrais seguem o padrão de nossos pensamentos no estado de vigília. O que pensamos durante o tempo inteiro, quando acordados, determina o lugar para onde vamos e as companhias que teremos durante o período de sono.

Por isso a atração quase irresistível que o sexo provoca nos encarnados desdobrados do corpo físico. O apelo sexual está ativo como nunca. Nunca se teve acesso tão fácil à pornografia como hoje. Pesquisas têm apontado para o fato de que a quase totalidade dos homens com acesso à internet consome pornografia. Fora a internet, o erotismo está na televisão, para quem quiser ver. Estou parecendo puritano? Sou tão humano quanto você que está lendo. Mas não podemos nos acostumar a isso e pensar que a busca por pornografia é normal.

O desejo sexual descontrolado envolve hormônios, emoções, imaginação, fantasias e fraquezas de todo gênero. Tudo o que você coíbe durante a vida de relação, quando está acordado, você libera durante o período do sono físico. Você acha que quem consome pornografia faz isso sozinho? Os espíritos estão por toda parte, lembra? Por que você acha que deixariam você só nessas horas? Talvez para respeitar sua privacidade!? Seria muita ingenuidade pensar assim.

Há verdadeiras redes no astral inferior (ou umbral) especializadas em sexo sujo. Essas redes têm sua contraparte física aqui. Você ainda não se deu conta do poder e alcance da internet como rede conectora de mentes e pensamentos? Pois se é assim para as amizades virtuais, também funciona assim com os sites pornográficos. Seus frequentadores logo fazem “amizades” espirituais que os aguardam à hora do sono. Tão logo adormecem, esses frequentadores são recepcionados por seus iguais, ansiosos por lhes vampirizarem as energias.

Não existe truque para escapar a isso. Apenas o controle sobre os pensamentos, palavras e ações. Você sabe o que é o certo. Você está no domínio. Você escolhe.

Artigo publicado originalmente em 21/08/2012

Recomendo que você assista o vídeo abaixo. Se achar que pode ser útil a outras pessoas, compartilhe!

Mensagem de Emmanuel – Não as palavras

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: NÃO AS PALAVRAS

“Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas a virtude.” – Paulo. (I Coríntios, 4:19.)

Cristo e os seus cooperadores não virão ao encontro dos aprendizes para conhecerem as palavras dos que vivem na falsa concepção do destino, mas sim dos que se identificaram com o espírito imperecível da construção evangélica.

É indubitável que o Senhor se interessará pelas obras; contudo, toda vez que nos reportamos a obras, geralmente os ouvintes somente se lembram das instituições materiais, visíveis no mundo, ricas ou singelas, simples ou suntuosas.

Muita vez, as criaturas menos favorecidas de faculdades orgânicas, qual o cego ou o aleijado, acreditam-se aniquiladas ou inúteis, ante conceituação dessa natureza.

É que, comumente, se esquece o homem das obras de santificação que lhe compete efetuar no próprio espírito.

Raros entendem que é necessário manobrar pesados instrumentos da vontade a fim de conquistar terreno ao egoísmo; usar enxada de esforço pessoal para o estabelecimento definitivo da harmonia no coração. Poucos se recordam de que possuem idéias frágeis e pequeninas acerca do bem e que é imprescindível manter recursos íntimos de proteção a esses germens para que frutifiquem mais tarde.

É lógico que as palavras dos que não vivem inchados de personalismo serão objeto das atenções do Mestre, em todos os tempos, mesmo porque o verbo é também força sagrada que esclarece e edifica. Urge, todavia, fugir aos abusos do palavrório improdutivo que menospreza o tempo na “vaidade das vaidades”.

Não olvides, pois, que, antes das obras externas de qualquer natureza, sempre fáceis e transitórias, tens por fazer a construção íntima da sabedoria e do amor, muito difícil de ser realizada, na verdade, mas, por isto mesmo, sublimada e eterna.

O que é o livre arbítrio?

Morel Felipe Wilkon

livre arbítrio espiritismo

O que é o livre arbítrio?

Play
 Ouça este artigo na voz do autor

Um dos termos mais utilizados no Espiritismo é livre-arbítrio. O livre-arbítrio faz você co-creador com Deus.

Você é responsável pelos seus atos. Você tem a liberdade de pensar. Ninguém é capaz de impedir ou controlar os seus pensamentos. É através do pensamento que você manifesta a sua liberdade. Se você é livre para pensar, é igualmente livre para falar e agir.

Você pode ser momentaneamente impedido de falar o que gostaria ou de agir de acordo com a sua vontade. Mas esses impedimentos são circunstanciais. Como ser individual que você é, como espírito imortal criado à imagem e semelhança de Deus, portanto, perfectível, você tem ampla liberdade de escolha. Você é o construtor do seu destino.

De acordo com o seu grau de adiantamento moral, você pode se sentir compelido a praticar determinadas ações. Quanto menos adiantado, mais propenso a obedecer aos seus instintos. Conforme você vai se desenvolvendo moralmente, os instintos vão perdendo a autoridade sobre você, sobre suas escolhas. Porque, mesmo aqueles que se deixam guiar pelos instintos, mesmo eles poderiam resistir aos apelos instintivos, se essa fosse a sua vontade. Ninguém é obrigado a ceder aos seus desejos e caprichos.

O livre-arbítrio é a característica que faz de você co-criador com Deus. Nós herdamos de Deus a capacidade de criação. E exercemos essa capacidade pelo nosso poder de escolha. Podemos fazer ou deixar de fazer de acordo com a nossa vontade. Isso nos torna responsáveis pelos atos que praticamos e pelos atos que poderíamos praticar e não praticamos. Responsáveis pelo mal que fazemos e pelo bem que deixamos de fazer.

Somos influenciados constantemente. Influenciados pelos nossos pais, pela família, pela mídia, pelos livros, pelos ambientes em que vivemos e desenvolvemos nossas atividades. Mas isso não diminui a nossa responsabilidade. Cada um de nós é uma consciência pensante dotada de livre-arbítrio. Sempre temos condições de aceitar ou não as influências que chegam até nós. Ninguém implanta ideias em nossas cabeças sem a nossa permissão. Não existe espírito encarnado ou desencarnado com poder de nos ditar o que pensar, o que falar e o que fazer. Para isso é indispensável o nosso consentimento.

A compreensão do livre-arbítrio nos dá a dimensão real da consciência do que fazemos. Podemos enganar as pessoas, podemos burlar as leis, podemos mentir, enganar, disfarçar, lesar muitas pessoas sem que ninguém perceba. Mas nós sabemos. Nossa consciência está acompanhando tudo. Nossa consciência é a partícula de Deus que nos cabe. E não há como enganar a Deus.

Antes de você reencarnar, você provavelmente tomou resoluções e participou do planejamento das características principais da sua vida atual. Mas isso não quer dizer, de maneira alguma, que tudo esteja escrito em sua vida. Você planejou aspectos importantes como o seu lar, o seu ambiente, as condições em que se deram os seus primeiros anos, algumas questões relacionadas ao corpo físico. Mas você tem pleno poder de modificar o rumo da sua vida, para melhor ou para pior.

O seu livre-arbítrio é o seu poder de escolha. É a sua capacidade de ser o comandante de sua própria existência. Você manda. Você decide. Cada decisão sua produz uma consequência. Sempre. E você tem que arcar com as consequências dos seus atos.

Mensagem de Emmanuel – Em nosso trabalho

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: EM NOSSO TRABALHO

“Porque toda casa é edificada por alguém, mas o que edificou todas as coisas é Deus.” – Paulo. (Hebreus, 3:4.)

O Supremo Senhor criou o Universo, entretanto, cada criatura organiza o seu mundo particular.

O Arquiteto Divino é o possuidor de todas as edificações, todavia, cada Espírito constrói a habitação que lhe é própria.

O Doador dos Infinitos Bens espalha valores ilimitados na Criação, contudo, cada um de nós outros deverá criar valores que nos sejam inerentes à personalidade.

A natureza maternal, rica de bênçãos, em toda parte constitui a representação do patrimônio imensurável do Poder Divino e, em todo lugar, onde exista alguém, aí palpita a vontade igualmente criadora do homem, que é o herdeiro de Deus.

O Pai levanta fundamentos e estabelece leis.

Os filhos contribuem na construção das obras e operam interferências.

É compreensível, portanto, que empenhemos todo o cuidado em nosso esforço individualista, nas edificações do mundo, convictos de que responderemos pela nossa atuação pessoal, em todos os quadros da vida.

Colaboremos no bem com o entusiasmo de quem reconhece a utilidade da própria ação, nos círculos do serviço, mas sem paixões destruidoras que nos amarrem às ilhas do isolacionismo.

Apresentemos nosso trabalho ao Senhor, diariamente, e peçamos a Ele destrua as particularidades em desacordo com os seus propósitos soberanos e justos, rogando-Lhe visão e entendimento.

Seremos compelidos a formar o campo mental de nós mesmos, a erguer a casa de nossa elevação e a construir o santuário que nos seja próprio.

No desdobramento desse serviço, porém, jamais nos esqueçamos de que todos os patrimônios da vida pertencem a Deus.

Você pode harmonizar e pacificar as pessoas

Morel Felipe Wilkon

Você pode harmonizar e pacificar as pessoas

Artigo publicado originalmente em 20/08/2012

Play
Ouça este artigo na voz do autor

Você tem a capacidade e a responsabilidade de harmonizar e pacificar as pessoas que compõe seu grupo de convívio.

Você está satisfeito com a sua contribuição ao mundo? Você acha que a sua parte já está de bom tamanho? Seria um erro pensar que somos pequenos para contribuir com o mundo. Você é espírito imortal, não é? Jesus Cristo, Ghandi, eu, você, o presidente dos Estados Unidos, todos somos espíritos imortais. Todos nós temos a mesma natureza de filhos de Deus, feitos à sua imagem e semelhança. Portanto, somos perfectíveis. Podemos contribuir. Se consultarmos a consciência, não só podemos, como devemos contribuir.

Talvez você já esteja se esforçando bastante, talvez suas responsabilidades já estejam exigindo muito de você. Há situações que realmente nos consomem bastante energia. Só não devemos esquecer que a energia é potencialmente infinita.

Existem pequenas coisas que podemos fazer em nosso pequeno mundo sem precisar de condições especiais. Uma dessas coisas é a harmonização dos ambientes em que permanecemos a maior parte do tempo. Nossa casa, nosso local de trabalho ou estudo.

Você contribui com o seu pequeno mundo à medida que faz algo em benefício das pessoas à sua volta, das pessoas que convivem com você no cotidiano. E isso só depende de você!

Nós somos protagonistas desse momento histórico! Por que “nós”? Por que nós despertamos para a realidade da reencarnação, que demonstra os resultados da Lei de causa e efeito. Colhemos o que plantamos. Estamos imbuídos da necessidade de realizar nossa reforma íntima. Se você não tivesse o menor interesse em ajudar o próximo, se você só se preocupasse consigo mesmo, não estaria perdendo o seu tempo lendo um assunto como esse; não gastaria cinco minutos do seu precioso tempo visitando este site.

Você tem a capacidade e a responsabilidade de harmonizar e pacificar as pessoas que compõe seu grupo de convívio. Como você faz isso?

Com o exemplo: Supere a si mesmo, nem que seja um mínimo de cada vez. A capacidade é um estado de espírito como qualquer outro. Acredite em sua capacidade e dê bons exemplos de conduta. Faça o que sabe que deve ser feito. Não tenha vergonha de ser bom. Não se preocupe se você parecer sem graça no começo. Poucas pessoas estão acostumadas com a ética e as atitudes corretas.

Com atitude positiva: Você pode, em pouco tempo, se tornar conhecido por sua atitude positiva diante da vida. Enaltecendo as qualidades do próximo ao invés dos defeitos; evitando falar mal dos outros; vendo o lado positivo das pessoas e das situações; valorizando a saúde e não a doença; elogiando em vez de criticar.

Com amor: Você conhece a diferença entre amar e gostar? Amar é desejar todo o bem possível, e isso você pode fazer. Deseje só coisas boas para todos os que o cercam, independente de gostar deles ou não.

O amor move o mundo, pois o amor é ação. Gosto muito do pensamento oriental, de suas filosofias e meditações. É realmente fascinante. Mas nossa realidade é extremamente dinâmica. Precisamos resolver as coisas através da ação. E amar é agir. Desejar o bem firmemente para os que convivem conosco, mesmo (e principalmente) para os mais difíceis, é um poderoso antídoto contra o desânimo e a falta de energia.

Já disse há pouco que a energia é potencialmente infinita. Ela está em toda parte. Nós temos a capacidade de absorvê-la pelo poder da vontade. Experimente! Imagine seu corpo absorvendo energia do Cosmos, do mar, das estrelas, do Sol. Sinta-se como um grande e potente ímã, atraindo irresistivelmente a energia esparsa no universo. Do mesmo modo, você é capaz de exteriorizar energia para o ambiente e para as pessoas que o cercam.

Talvez você já faça a sua parte, quem sabe até esteja sobrecarregado. Mas nenhuma dessas atitudes citadas dependem de condições especiais. Dependem da sua vontade. Se você parar para pensar, poderá se surpreender com quantas coisas dependem exclusivamente da sua vontade.

Mensagem de Emmanuel – Guardemos o ensino

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: GUARDEMOS O ENSINO

“Ponde vós estas palavras em vossos ouvidos.” – Jesus. (Lucas, 9:44.)

Muitos escutam a palavra do Cristo, entretanto, muito poucos são os que colocam a lição nos ouvidos.

Não se trata de registrar meros vocábulos e sim fixar apontamentos que devem palpitar no livro do coração.

Não se reportava Jesus à letra morta, mas ao verbo criador.

Os círculos doutrinários do Cristianismo estão repletos de aprendizes que não sabem atender a esse apelo. Comparecem às atividades espirituais, sintonizando a mente com todas as inquietações inferiores, menos com o Espírito do Cristo. Dobram joelhos, repetem fórmulas verbalistas, concentram-se em si mesmos, todavia, no fundo, atuam em esfera distante do serviço justo.

A maioria não pretende ouvir o Senhor e, sim, falar ao Senhor, qual se Jesus desempenhasse simples função de pajem subordinado aos caprichos de cada um.

São alunos que procuram subverter a ordem escolar.

Pronunciam longas orações, gritam protestos, alinhavam promessas que não podem cumprir.

Não estimam ensinamentos. Formulam imposições.

E, à maneira de loucos, buscam agir em nome do Cristo.

Os resultados não se fazem esperar. O fracasso e a desilusão, a esterilidade e a dor vão chegando devagarinho, acordando a alma dormente para as realidades eternas.

Não poucos se revoltam, desencantados…

Não se queixem, contudo, senão de si mesmos.

“Ponde minhas palavras em vossos ouvidos”, disse Jesus.

O próprio vento possui uma direção. Teria, pois, o Divino Mestre transmitido alguma lição, ao acaso?

Meu estudo do Evangelho de Lucas numa visão espírita – Livro em pdf

Morel Felipe Wilkon

comentario evangelho lucas

Meu estudo do Evangelho

Durante o ano de 2014 publiquei semanalmente, no meu canal no Youtube, uma série de 30 vídeos sobre o Evangelho de Lucas. Apresento, agora, o conteúdo deste estudo em formato PDF, devidamente revisado.

Todas as religiões do mundo buscam a mesma coisa: a religação do espírito com Deus. No mundo ocidental, em que predomina o Cristianismo, há séculos se busca a compreensão do ensinamento de Jesus. Embora muitos, ainda, se apeguem à forma, valorizando mais a aparência do que a essência, temos condições, hoje, de começarmos a compreender o conteúdo mais profundo dos ensinamentos de Jesus.

Os Evangelhos, durante mais de um milênio, foram “propriedade” de uns poucos. Só recentemente, com a popularização do livro e o acesso à educação de massa, é que a população em geral tem acesso aos textos evangélicos. É importante que se saiba que os melhores manuscritos dos Evangelhos, no seu idioma original, o grego, só foram descobertos nos últimos 100-150 anos. Hoje é possível chegar-se bem próximo da mensagem original dos Evangelhos.

Embora todas as tentativas de assimilação do ensino de Jesus sejam válidas, só com o advento do Espiritismo, desvendando fenômenos que eram considerados mistérios ou milagres, revelando leis naturais, dando a conhecer a nossa verdadeira natureza de espíritos imortais, é que se conseguiu uma visão dos Evangelhos realmente condizente com a grandeza de Jesus.

Este trabalho é só um começo, um esboço, um ponto de partida para um estudo do Evangelho que satisfaça nossa sede de saber, nossa vontade de transformação, nossa capacidade de assimilarmos o ensino de Jesus em maior profundidade.

O Evangelho é para ser estudado todo. Ele foi escrito como uma coisa só, sem divisões artificiais. Os capítulos e versículos só foram estabelecidos muito tempo depois. Percebe-se, numa leitura contínua, o seu brilho que ofusca, mas que permite ver o que antes não víamos com clareza. Há ensinamentos transformadores que não são notados nos estudos e análises convencionais.

Meu preito de gratidão eterna a João Pedro Farias Rodrigues, que me reapresentou  os Evangelhos, e aos amigos espirituais que superam os obstáculos das minhas inúmeras deficiências para me inspirarem boas ideias.

Acesse o estudo clicando aqui: EVANGELHO SEM MISTÉRIOS – O Evangelho de Lucas sob a ótica espírita

Natal e consumismo – uma visão espírita

Morel Felipe Wilkon

Natal e consumismo

Artigo publicado originalmente em 11/12/2012

Natal é sinônimo de consumismo. A mídia enlouquece nessa época. E grande parte das pessoas se deixa influenciar por seus desatinos mercantilistas. Mas o Natal ainda é a maior data cristã do planeta. Por isso esta reflexão, minha visão espírita do Natal….

Lembro-me que quando era criança a professora mandava fazer redação sobre o Natal. Por exemplo: “Qual o verdadeiro sentido do Natal?” Pra que a nota fosse boa, todos se puxavam no sentimentalismo, dizendo que o Natal não era só ganhar presentes, que simbolizava o nascimento de Jesus. Não sei se alguém era sincero no que escrevia. Acho que todos queriam mesmo era festa e presentes.

Não há como separar o Natal do seu significado material. É uma data de confraternização, talvez a mais importante. E não há como pensar em Natal sem pensar em presentes. Nem que seja com preocupação com os gastos com presentes para todos…

Não vejo nada de errado em festa de Natal e troca de presentes. Só acho uma pena que o consumismo tenha chegado a tal ponto que muitas pessoas ficam frustradas por não comprarem tudo o que gostariam. Comprar já não é um prazer, já não é uma válvula de escape para desilusões com a vida; comprar é um dever, uma obrigação. A mídia enlouquece nessa época. E grande parte das pessoas se deixa influenciar por seus desatinos mercantilistas.

Sinceramente, não acredito que a alegria do Natal esteja ligada ao número ou ao preço dos presentes. Não acredito que alguém goste ou valorize mais uma pessoa por causa de um presente melhor. Isso existe, é claro, mas é um sentimento que fica longe do que se espera do Natal.

Você já se deu conta de que acaba sempre fazendo o que a mídia sugere que você faça? Você percebe que segue os conselhos, as modas, os valores propagados pela grande mídia? Você pode ler mais sobre isso aqui: A grande mídia e você“.

Não estou sugerindo, de maneira alguma, que você deixe de comemorar ou que deixe de trocar presentes no Natal. De jeito nenhum. Nem estou propondo algo que eu mesmo nunca fiz. Nas redações do colégio, dizíamos que o Natal devia ser uma data de reflexão, de pensarmos em Jesus, de amarmos ao nosso próximo, essas coisas todas que rendem boas notas na matéria de Religião.

Não temos esse hábito, não chegamos a esse ponto. A própria época do ano em que comemoramos o Natal, em pleno verão, não é muito propícia para recolhimentos íntimos. Faça sua festa, divirta-se. Mas não esqueça (Já falei pra você que escrevo em frente ao espelho? Pois é. Algumas coisas eu só escrevo depois de me olhar no espelho; essa é uma delas), não esqueça de valorizar mais as pessoas do que os presentes. Não esqueça de que a festa é ótima, mas mais importante é o que você está comemorando.

Note as pessoas que estão com você neste Natal. Embora você possa não perceber, na hora da festa, você e estas pessoas estão se reunindo na maior festa cristã. Vocês estão se reunindo porque são cristãos. Não importa o que fazemos do Natal. É uma festa de consumo? Sim. Mas é o maior evento cristão do planeta.

Se você lembrar disso por um momento que seja, provavelmente vai achar um sentido novo para o Natal. Vai perceber, nem que seja por um momento, que você e mais alguns espíritos encarnados junto com você, estão unidos nesta data não por um acaso, não para fazerem uma festa juntos, mas porque há fortes ligações entre vocês. Vocês são companheiros de jornada, e há razões para isso. Entre bilhões de encarnados no planeta, você faz parte deste pequeno grupo de pessoas.

Procure vê-las, por um instante que seja, como irmãos em Cristo, como parceiros de evolução. Se quiser e puder comprar tudo o que a televisão mandar você comprar, fique à vontade. Mas não deixe de lado o sentimento, não esqueça de que não há nada mais importante do que o amor. E talvez não haja oportunidade tão boa para reunir pessoas que você ama ou que você está aprendendo a amar.  

Mensagem de Emmanuel – No serviço cristão

Play
 Mensagem em áudio

Mensagem de Emmanuel no livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier: NO SERVIÇO CRISTÃO

“Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.” – (I Pedro, 5:3.)

Aos companheiros de Espiritismo cristão cabem tarefas de enormes proporções, junto das almas.

Preocupam-nos profundos problemas da fé, transcendentes questões da dor.

Porque dão de graça o que por graça recebem, contam com a animosidade dos que vendem os dons divinos; porque procuram a sabedoria espiritual, recebem a gratuita aversão dos que se cristalizam na pequena ciência; porque se preparam em face da vida eterna, desligando-se do egoísmo destruidor, são categorizados como loucos, pelos que se satisfazem na fantasia transitória.

Quanto maior, porém, a incompreensão do mundo, mais se deverá intensificar naqueles as noções da responsabilidade.

Não falamos aqui dos estudiosos, dos investigadores ou dos observadores simplesmente. Referimo-nos aos que já entenderam a grandeza do auxílio fraternal e a ele se entregaram, de coração voltado para o Cristo. Encontram-se nos círculos de uma experiência nobre demais para ser comentada, mas a responsabilidade que lhes compete é igualmente muito grande para ser definida.

A ti, pois, meu irmão, que guardas contigo os interesses de muitas almas, repito as palavras do grande apóstolo, para que jamais te envaideças, nem procedas “como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”

Bem-aventurados os mansos, pois eles herdarão a Terra

Morel Felipe Wilkon

Você é do tipo que não leva desaforo pra casa?

Artigo publicado originalmente em 17/08/2012

Play
Ouça este artigo na voz do autor

Jesus era manso. No entanto, era enérgico, forte, falava o que era preciso falar e fazia o que devia ser feito. Nunca foi bobo de ninguém. Bem-aventurados os mansos, pois eles herdarão a Terra.

Você é do tipo que não leva desaforo pra casa? Você reage impetuosamente quando se sente desrespeitado ou ofendido? Certamente você conhece a lei mosaica, que diz “olho por olho, dente por dente”.  Muitas pessoas seguem à risca esse princípio. Devolvem tudo na mesma moeda.

Esse é o comportamento ditado pelo orgulho. O grande mal da humanidade, o defeito por excelência, que nos mantém presos à Terra, purgando reencarnação após reencarnação os males provocados por sua prática. A prática do orgulho é que nos faz agir impetuosamente quando nos sentimos atingidos em nosso ego.

Por nosso grau evolutivo, pelos costumes arraigados em nossa sociedade, a mansidão de comportamento é confundida com ingenuidade. No entanto, a mansidão é uma das bem-aventuranças citadas por Jesus no Sermão da Montanha. É que o mau observador pensa que o manso é fraco, sem atitude.

Você já viu um cavalo xucro, que não foi domado? É a imagem viva da bravura, da intrepidez. É uma força desgovernada. Depois de domado, o cavalo fica manso. Perde ele suas qualidades de força, vigor, bravura, agilidade, coragem? Não! Só que então essas qualidades podem ser direcionadas. Sua força está sob o controle do cavaleiro. Isso é a qualidade de ser manso. Aliás, a palavra mansidão vem do latim e quer dizer exatamente isso: estar acostumado à mão; se referindo aos animais domesticados pela mão do homem.

Isso é ser manso. Ter o domínio da sua própria força. Ter o controle das suas emoções. Quem é manso tem suas reações plenamente controladas diante das pessoas. Quem é manso tem a capacidade de escolher a reação mais adequada para cada circunstância. Você conhece qualidade mais forte? Conhece prova mais evidente de grandeza interior, de autodomínio? Você acha que pode confundir mansidão com fraqueza ou ingenuidade?

Como qualquer outro traço de caráter, só vamos interiorizar a mansidão depois de muito praticá-la. E podemos fazer isso no dia-a-dia. Cada vez que você perde a paciência com uma injustiça, real ou imaginária, você está agindo por impulso. É o seu orgulho animal que está no comando. Ser manso não é sofrer injustiças calado. É ter frieza de ânimo para buscar a melhor solução. Se você calcular o custo/benefício de todas as vezes em que você se vê confrontado com situações antagônicas,  vai chegar à conclusão de que quase sempre vale mais a pena ficar calado.

É o mau atendimento no restaurante, é alguém furando a fila no banco, é o preço errado no produto do supermercado, é o motorista que fecha a sua frente, é o colega preguiçoso, é o vizinho barulhento, é o filho, marido, mãe, cunhada, que interpreta mal alguma coisa que você fez ou disse. Tudo isso são coisas que fazem com que você se sinta injustiçado e queira colocar as coisas no seu lugar. Você quer ter os seus direitos respeitados.

Você pode discordar disso tudo sem se exasperar, sem cometer mais injustiças, sem tomar atitudes precipitadas que o levem a se arrepender depois. Se amanse! Aprenda a dominar sua força, aprenda a controlar suas emoções! Espere três ou quatro segundos antes de reagir a uma situação que o desagrada, antes de responder a alguma coisa que não soou bem aos seus ouvidos. Não se precipite! Você vai passar por bobo algumas vezes, vão pensar que você é ingênuo, ou fraco de caráter, ou que raciocina devagar. Mas você cometerá menos injustiças, magoará menos pessoas, comprará menos brigas, arranjará menos confusões. E o principal: Você vai se acostumando, pouco a pouco, a ter atitudes mais equilibradas, a discordar agradavelmente, a ter disposição para aprender.  Jesus era manso. No entanto, era enérgico, forte, falava o que era preciso falar e fazia o que devia ser feito. Nunca foi bobo de ninguém. Mas não perdia a paciência, não perdia o domínio de si mesmo, não ficava histérico. Você é espírito imortal, como Jesus. A reforma íntima consiste em interiorizarmos essas qualidades tão evidentes na figura de Jesus. Só existe um modo de conseguir isso: Através da tentativa. Sem tentar, você não consegue nada. “Bem-aventurados os mansos, pois eles herdarão a Terra…