Mentalismo, Pensamento e disciplina

O fundo do poço e o poder de Deus

pensamento e vontade
O fundo do poço

Artigo publicado originalmente em 06/12/2012

Ouça este artigo na voz do autor

No fundo do poço a sua vontade se torna bem definida: sair do poço! O seu pensamento não vacila; não há tempo pra isso. Então o poder de Deus se manifesta através de você.

Você acredita na força que você tem? Você acredita que tem uma capacidade imensa de realização? Se você já enfrentou momentos de grande dificuldade você já teve provas da sua capacidade de superação. Talvez você pense que é nos momentos de dificuldade, que é nos momentos mais complicados que você se fortalece. Isso não deixa de ser verdade. Mas não é preciso chegar ao fundo do poço para usar a sua força.

Não fomos educados para aproveitar nossos recursos interiores. As noções de religiosidade que herdamos ensinam a buscar apoio e consolo numa fonte externa, num Deus longínquo e nem sempre acessível.

Toda a força de que você precisa está dentro de você mesmo. Você tem ao seu dispor uma força potencialmente infinita. Foi isso que Jesus indicou quando nos disse que nós somos deuses.

Por que parece que só temos força quando chegamos ao fundo do poço? Porque é preciso sair de lá. Você é obrigado a isso. Ninguém aguenta ficar muito tempo no fundo úmido e frio do poço. Enquanto tudo vai bem, você não faz questão de perceber que você é muito mais do que aparenta ser, que você é espírito imortal vivendo mais uma experiência na Terra, buscando aprendizado e aperfeiçoamento moral. Quando as coisas não andam da forma como você gostaria que andassem, sua tendência é culpar alguém por isso, esperar que as coisas se resolvam por si mesmas ou delegar a solução dos seus problemas a alguém do seu convívio ou a algum santo ou ao espírito protetor.

Mas quando você não vê mais solução no horizonte, quando se esgotaram as possibilidades, quando não há mais chance de que as coisas mudem sem que você mude, então você se decide a mudar. E daí tudo muda.

Na hora do aperto você muda o seu padrão de pensamentos. Você se torna subitamente responsável e dinâmico. Abandona a inércia mental, deixa de lado as ideias comodistas e negativas, põe em movimento a sua vontade, determina para si mesmo o que você quer e age neste sentido.

Agir é importantíssimo, é a ação que produz resultados. Mas de nada vale ação sem direção definida, de nada vale agir sem planejamento. Não adianta nada agir se você não sabe qual é a sua vontade. Isso parece tão simples que chega a ser banal. Mas na maior parte das vezes não sabemos qual é a nossa vontade, não direcionamos nosso querer num fluxo contínuo e firme.

Por isso você encontra forças nos momentos de maior dificuldade. No fundo do poço a sua vontade se torna bem definida: sair do poço! O seu pensamento não vacila; não há tempo pra isso. O desconforto do ambiente é tão grande que não há espaço pra comodismo ou medo de não dar certo. Você quer sair, você quer erguer-se, você quer respirar o ar puro da superfície, você quer sentir na sua pele os raios do sol lhe aquecendo.

Então você tem vontade firme e forte. De um momento pro outro, você é um estrategista veterano. Planeja e pratica, quase simultaneamente. O resultado é rápido e inquestionável. De onde surgiu essa força que fez você se movimentar com tanta facilidade? De você, é óbvio. Mas essa força não surgiu graças à dificuldade. Essa força sempre esteve em você. Essa força está em você agora, essa força estará sempre em você.

Essa força é Deus que age através de você, essa força é você, essa força é Deus, essa força é! Você pode usar essa força sempre, em todos os momentos da sua vida. Não precisa esperar que um período mais difícil de sua vida obrigue você a acessá-la. Acredite em si mesmo, em sua capacidade. Desenvolva a sua vontade exercitando-a com pequenos objetivos. Trace metas fáceis e cumpra-as. Conforme você for adquirindo confiança em si mesmo, conforme você conseguir dominar seus pensamentos, objetivos maiores estarão ao seu alcance. Não espere chegar ao fundo do poço pra  utilizar sua força interior…

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

4 Comentários

  1. Obrigado, Morel. Há momentos em que parece que as palavras mais adequadas nos chegam no momento mais oportuno…

  2. Márcia, é sempre bom contar com a sua participação que sempre acrescenta. Só quem já enfrentou grandes dificuldades reais compreende o que é o fundo do poço. E retiro do seu texto duas verdades: nada é fácil nessa vida, mas sempre saímos dessas dificuldades mais fortalecidos. Eu, particularmente, estou cada vez mais apaixonado por este jogo chamado Vida! Muita força e muita paz pra você, amiga Márcia!

  3. Olá amigo Morel, desejo de coração que a paz do mestre Jesus esteja contigo.
    Esse artigo me fez relembrar situações difíceis que me fizeram chegar ao fundo do poço. Sinceramente, amigo, nessas horas nos falta o chão, nos falta horizonte, nos falta diretriz.
    Tenho que concordar contigo quando afirma estar em nós a força necessária para emergirmos dos escombros de nossas dores, nossas frustrações. Verdade, ainda, que é nessas horas que nos damos conta do potencial de superação que habita nosso íntimo.
    Questão de sobrevivência, de continuar vivendo, afinal, é impossível viver no fundo do poço. É impossível se adaptar às ruínas emocionais. Inegavelmente o desafio é superar a nós mesmos, pois somos nós os agentes necessitados de mudança, sempre. O outro é intermediário de dilemas que muito nos exige, de persistência, de luta, mas a mudança dever ser de postura, de visão, de auto-avaliação, de reconstrução interior, “nossa”.
    Não é um processo fácil, aliás, fácil mesmo é a teoria, a prática é desafio, grande desafio.
    Contudo, uma coisa é certa: nos tornamos mais fortes, mais racionais, mais voltados para nós mesmos. E sempre que o fundo do poço ameaçar surgir à nossa frente, lembrar que somos mais fortes, que podemos superar, encarar face a face os desafios que se apresentam em nosso caminho. Somos fortes se acreditarmos que o somos, se constatarmos que podemos sair ilesos ante as dores, que na realidade têm como objetivo real nos direcionar no caminho do aprendizado e da maturidade espiritual. Não é fácil. Mas nada é mesmo fácil nessa vida. Mas mais difícil que transpor as pedras do caminho, é conviver com elas, se acomodar ao sofrimento, às amarguras, estacionar ante as dores num processo de acomodação injustificável. Muita paz, amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.