Comportamento, Reforma íntima

O espírita e os políticos

pessoas diferentes

Morel Felipe Wilkon

Artigo publicado originalmente em 16/08/2012

Ouça este artigo na voz do autor

Você acredita na boa intenção das pessoas? Você costuma confiar nos outros? É muito comum encontrarmos, mesmo no meio espírita, alguém que não confia em ninguém, que acha que todo mundo tem uma segunda intenção. Tanto em suas relações pessoais como a respeito de classes de pessoas. Políticos, por exemplo.

Você provavelmente já ouviu alguém dizer (ou você mesmo diz?) que político não presta, que político é tudo igual, que não escapa um. Não é minha intenção defender a classe política. Faz tempo que me decepcionei com a política partidária e me tornei o que os ativistas chamam de “alienado”.

Precisamos ver o lado bom das pessoas

Não faço a defesa dos políticos, mas de alguns seres humanos que seguiram a carreira política. Não acredito que todos entrem na política pensando em se locupletar com o dinheiro público. Não posso conceber sequer que a maioria dos políticos comece sua carreira urdindo maracutaias. Creio na boa intenção inicial. Acredito no idealismo que leva um jovem a se interessar pela carreira política.

Não, não sou ingênuo; esteja certo disso. É por não ser ingênuo que sei como as pessoas se deixam influenciar pelo meio. É por não ser ingênuo que sei que um meio onde haja o predomínio de lideranças pérfidas é capaz de desviar pessoas de boa índole. Todos somos falhos. Todos temos defeitos. Todos já nos deixamos influenciar negativamente em algum momento da vida.

Será que você não se deixaria corromper pelo poder? Será que você sairia imaculado ao receber uma proposta indecente mas tentadora? Será que você não se sentiria obrigado a fazer negociações e alianças? Os políticos, como qualquer outra classe, não são seres à parte da criação. Todos são pessoas, como você e eu. Será que só eles são desonestos e corruptos? Ou será que muitos de nós, no fundo, pelo menos algumas vezes, não invejou sua posição, seu status, seu poder, sua visibilidade, sua capacidade de influência, e até suas benesses econômico-financeiras lícitas e ilícitas?

O meio corrompe quem não é suficientemente forte. E poucos são fortes o suficiente. As pessoas passam por muita coisa, por muitas situações que nós não sabemos. As pessoas enfrentam problemas e dificuldades de que nós não tomamos conhecimento. E se transformam. Deixam aflorar o que tem de mau, de negativo. Adoecem. A maldade é doença. Os criminosos, os preguiçosos, os mendigos, os colegas vagabundos, os vizinhos implicantes, os motoristas histéricos, os maledicentes, todos estão doentes.

Isso não é maneira de dizer. É fato. Estão espiritualmente doentes. São dignos de compaixão. Pode ser difícil conviver com pessoas assim. E não somos obrigados a aceitar suas diatribes calados e passivos. Não estou dizendo que temos que passar a mão na cabeça de todos os pilantras. Mas estamos aptos a julgar? Somos tão melhores que eles? Acho que não. Acho que o que nos diferencia é apenas uma boa vontade incipiente, uma necessidade que sentimos de realizar a reforma íntima. Depois de apanhar muita surra, reencarnação após reencarnação, o espírito imortal pensa duas vezes antes de errar. E mesmo assim, muitas vezes, erra igual.

A diferença que nos separa dos vagabundos e safados de todos os tipos é mínima. Se fôssemos tão melhores que eles, os compreenderíamos melhor. Se não conseguimos compreendê-los é porque mal saímos do seu estágio moral. Por isso não os compreendemos. Você acha que eles compreendem o que fazem? Eles sabem o que a lei terrena diz. Mas espiritualmente, moralmente, você acha que eles percebem seus próprios erros? Ninguém se torna corrupto ou bandido de um dia pro outro. É um longo processo, em que vão se permitindo falhar. Vão enfraquecendo a guarda sobre os seus próprios defeitos. Então começam a procurar desculpas para si mesmos. A princípio como um modo de conformar a consciência; com o tempo passam a acreditar em suas próprias desculpas, em suas próprias mentiras, e a doença está instalada.

Eu insisto em ver o lado bom das pessoas. Não conheci ninguém que não tivesse nada de bom. No fundo somos todos muito parecidos. E um dia todos nos elevaremos.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

9 Comentários

  1. Morel, agradeço, entendo e concordo com todas suas colocações. Você foi preciso em explicar o Delta X entre uma nota 4,9 e outra de 5. O gap é mínimo mas realmente é decisivo. E na hora infalível da seleção de almas, não haverá aquele famoso jeitinho do estudante em pedir aquele meio ponto a mais para o professor passar o aluno de ano. Como sou um ser imperfeito, fico incomodado e não aceito gaps de bilhões de reais entre as contas de políticos ladrões em paraísos fiscais em comparação às contas bancárias das pessoas trabalhadoras e honestas e pagadoras de impostos fiéis aos cofres municipais, estaduais e federais. É realmente muito injusto e difícil em aceitar e se conformar em vermos todos os dias nas mídias impressas, irradiadas e televisivas a enorme e incontáveis falcatruas promovidas pelos homens de colarinho branco, cuja cartilha e conduta de vida segue o Código 171, bem diferente do que se prega no evangelho. É inaceitável ver os petralhas esquerdopatas avermelhados enriquecerem obscuramente seus rebentos… neste momento que escrevo, estou assistindo um canal de notícias, mostrando um posto de saúde com mais de 30 pessoas esperando serem atendidas, mas não há médicos, nem remédios, nem enfermeiras, nem macas… ter paciência é fundamental para nós espíritas, mas estes últimos 12 anos de governo federal é um insulto à nossa razão e inteligência. Talvez por sorte nossa, não nos jogaram ainda nas arenas para sermos devorados por leões, pelo simples fato que o LEÃO já está devorando nossos bolsos. Com a palavra a “Tabela do IR”, não corrigida pela ex-guerrilheira Dilma do PT, esta ainda ocupando a República do Não Sabe de Nada. Saúde e Paz a todos!

  2. Nilton, um posicionamento não exclui o outro. A compreensão para com as falhas de caráter do próximo não nos impede, de modo algum, que utilizemos dos benefícios da lei, que não existiam no passado.
    Quanto à sua primeira pergunta, a diferença, é, sim, mínima. Você usa o ótimo exemplo, de “passar de ano ou ser reprovado. Imaginando uma média 5, a diferença entre 4,9 e 5 é mínima, mas é decisiva.
    Quanto ao seu segundo questionamento, não se trata de sermos como os mártires do Cristianismo: O fato é que os governos, por piores que sejam, não nos mandam para a arena. Negar o nosso progresso é um exagero de revolta. Mantenhamos as coisas em seu lugar: seu posicionamento é justo e deve ser seguido. Mas é só isso. Não podemos nos achar muito melhores do que os que estão no poder; grande parte dos que berram agora fariam o mesmo se estivessem lá. E também não podemos desfazer dos progressos já alcançados.

  3. Uma correção de meu post anterior, o Leão da Montanha pega a saída da direita e não da esquerda.

    E também alguns complementos em relação à minha narrativa sobre o assunto “Políticos”:

    Li aqui neste site que o planeta está em transição, saindo da fase de expiação e indo para o ciclo de regeneração. Os maus irão para um planeta inferior e os bons irão aqui continuar a reencarnar ou se forem muitíssimos bons, irão subir uma escala planetária.

    Se a diferença que nos separa dos vagabundos e safados de todos os tipos e da vasta quantidade de políticos corruptos e canalhas é mínima, será então que todos, bons e maus, não seriam reprovados de ano e rebaixados para um planeta inferior?

    Isto pergunto pois os maus não irão com certeza passar de ano e se dirigir a um astro superior.

    Participo como consulente não frequente de um centro de Umbanda, onde lá minha esposa e meu filho são mediuns semi-conscientes aprendizes. O Diretor Espiritual da Casa foi quem informou que os “moradores” de nosso planeta, ou seja, nós, estamos atrasando o ciclo de evolução espiritual como um todo, pois muito poucos estão subindo de fase e ganhando uma nova moradia planetária mais evoluída que o nosso mundo.

    Nosso orbe terrestre está funcionando como uma engrenagem emperrada, como um ralo entupido, não dando escoamento de vazão suficiente para os espíritos subirem de escala. Somos 6 bilhões respirando e 18 bilhões na fila para aqui reencarnar, foi o que me disseram… e o indicador de performance de subida? quantas almas estão partindo para um planeta superior?

    Falta coragem à humanidade, mais fácil ficar por aqui numa zona de conforto… sem se sacrificar muito… pegar o caminho da porta larga e não se estressar em tentar a passagem pela porta estreita. Vejo a falta de coragem como resultante direta da falta de fé.

    Também li aqui neste site que nosso mundo está melhorando, comparado ao passado, onde havia inúmeras barbáries praticadas por reis e imperadores.

    Fazendo um exercício mental em se voltar ao passado, imaginemos que as novas arenas da Copa 2014 transformam-se em uma espécie de Coliseu Romano.

    Apenas se restringindo à população brasileira, digamos coisa de 150 milhões de cristãos encarnados, quem iria confirmar sua fé e aceitar virar comida das feras na arena?

    Santidade e Mártires que morreram por sua determinação e comprovação de fé é para poucos e estes já evoluíram e estão em planos superiores.

    Teremos que encontrar em nosso íntimo a coragem em enfrentar o mal, que a meu ver é algo mais exigente que apenas uma reforma íntima e silenciosa, pois quem fica apenas calado com o errado, acaba então consentindo com o erro.

    Temos que acreditar nas autoridades federais, na Justiça e no Ministério Público, muita gente honesta nestes órgãos aguardando a denúncia da população contra políticos desonestos, que estão inundando de lama as escadarias do Planalto em Brasília e em nossas empresas estatais.

    Finalizo com mais uma frase, que sintetiza estes meus dois posts:

    Ousadia – Arnaldo Jabor

    Tudo vai melhorar quando a maioria das pessoas de bem forem mais ousadas que as canalhas.

  4. Sei que não podemos julgar e não é fácil para mim seguir tal regra à risca, uma vez que vivemos tempos de obscuridade e de plena corrupção sendo praticada pelos que nos representam e nos governam. Aliás, nada muito diferente das repúblicas passadas, sejam até as antigas e milenares antes de Cristo. Do abominável e nefasto partido atual que ocupa o poder em nossas terras tupiniquins, denominado de PT, e voltando ao passado, de imperadores romanos a chineses, de faraós egípcios, a “pilantragem” sempre esteve presente, por fazer parte talvez da natureza humana de quem está no poder levar vantagem sobre os mais fracos. DELATAR é muito melhor e mais eficaz de que DISCUTIR com canalhas que vêm nos usurpando. Porém, para DELATAR deve haver coragem e esta virtude anda meio que em falta e ausente na maioria dos corações das pessoas de bem. Estamos cercados e o mundo lotado de pessoas de boas intenções e normais, que não têm impulsos malignos, que não são maldosas e nem criminosas. Mas a maioria são pessoas sem coragem, são verdadeiras cagonas… Talvez por isso a fila para reencarnar esteja já batendo a casa dos 25 bilhões de espíritos, fora os 6 bilhões aqui respirando ar e ainda bebendo água que está em extinção. Muitíssimo poucos estão subindo para planetas mais evoluídos, pois a maioria, num momento crucial de serem testadas contra o mal, ficam caladinhas e dão macha a ré para sair de cena. Praticam a covarde mesmice do personagem Lippy da Hanna-Barbera, aquele Leão da Montanha que acaba sempre pegando a saída pela esquerda… em vez de enfrentar o problema de frente.
    E aí a coisa sobra para o amigo dele, a Hiena Hardy Har Har ficar se lamentando Oh Vida Oh Miséria…

    Somos mais 2 dezenas de bilhões entupindo a fila da evolução, espremidos como gados em nosso planetinha… Precisamos de mais coragem e mais determinação!!!

    Finalizo com dois de meus pensamentos preferidos:

    O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.
    Martin Luther King

    “Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado.” Tiago 4.17

  5. Eu na minha optica, há políticos honestos e políticos desonestos, assim como há políticos corruptos e políticos não corruptos. São seres humanos, pecadores, mas há políticos que são pessoas de bem, procurando resolver sem distinção os problemas da população. Por isso esta questão deverá ser bem analisada do ponto de vista material e espiritual. Todo aquele que faz o bem será recompensado pelo bem e o que praticar o mal será julgado de acordo com a lei de Deus.

  6. Ótimo texto.
    Eu costumo falar que quem fala que todo político é corrupto, que é tudo farinha do mesmo saco, acaba não analisando os candidatos e fazendo uma das piores escolhas. Parece até desculpa para não se inteirar mais sobre política… Acredito que para tudo, não se pode generalizar… Assim como uma mulher que fala que todo homem não presta, acaba namorando e casando com homens infiéis. Mais ou menos assim, pela minha visão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.