Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo | Espírito Imortal

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo

Play
Ouça este artigo na voz do autor

Você lembra como Jesus resumiu os mandamentos? “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo“. Existem dezenas, centenas, milhares de livros tratando dos mesmos temas sob os mais variados pontos de vista. Páginas e mais páginas pra desenvolver raciocínios e conclusões as mais diversas. E todas acabam se resumindo nos mesmos pontos. É que as coisas aparentemente mais simples são as mais difíceis de se colocar em prática.

 - Amar a Deus sobre todas as coisas: Você ama? Mas como amar o que não conhecemos? Não adianta dizer que Deus é infinitamente Bom e Justo, e infinitamente Misericordioso, e outros tantos infinitos. Isto é o conceito máximo que fazemos de Deus. Deus é a maior ideia que o homem pode conceber. Mas amar a isso é amar conceitos, e é mais ou menos isso que nós fazemos ou nos esforçamos pra fazer.

Amamos as manifestações de Deus: a Vida, a Natureza, o Amor. Deus, mesmo, não conhecemos; e, quando em momentos mais elevados, O pressentimos, não sabemos descrevê-lo, pois ele simplesmente “É”. Podemos dizer que O amamos acima de todas as coisas. Como um exercício de afirmação, isto é válido e necessário. Mas desconfio de quem acha fácil amar a Deus sobre todas as coisas.

 - Amar o próximo como a si mesmo: Isso já parece mais fácil, pelo menos não depende de qualquer questão conceitual. Ou se ama ou não se ama. Mas será que é assim tão simples? Porque como consequência vem a ação desta máxima, que é fazer ao próximo o que gostaríamos que nos fizessem. Parece um parâmetro perfeito, e provavelmente seja. Mas como fica quando tratamos o próximo da maneira que gostaríamos de ser tratados?

Por exemplo: se eu não gosto de conversar e o meu próximo gosta? Eu parto do princípio de que não sei se ele gosta ou não de conversar. Se eu fizer como gostaria que fosse feito a mim, fico calado, não converso com ele.

Outro exemplo: se eu tenho por princípio que sempre que preciso de ajuda eu peço, mas antes de pedir tento me virar sozinho. Vou agir para com o meu próximo de acordo com o que eu considero certo. Mas ele, talvez, seja do tipo que espera por pessoas prestativas, solícitas, que oferecem ajuda.

Na verdade, isso é um falso paradoxo. Na verdade, se trata apenas de ouvir a consciência. Esta parece que não falha. Às vezes não gostamos de prestar atenção a ela. Quando eu comecei a fumar, aos quinze anos, sabia que era errado. Fui influenciado pela mídia, é verdade. Ainda existia propaganda de cigarros na televisão, os atores das novelas e filmes fumavam, todo mundo fumava. Não interessa, isso não serve como desculpa. Eu sabia que era errado. A consciência dizia, lá no fundo, que eu estava dando um passo errado.

Para ouvirmos a consciência, precisamos nos despir de preconceitos, abandonar opiniões que podem ter sido úteis um dia, mas que hoje são entulho, embora nos sejam tão caras… Há opiniões e conceitos arcaicos aos quais somos tão arraigados que nem parecem abstrações, parecem coisas concretas, parecem objetos de grande estima. Você tem atualizado os seus conceitos?

Os artigos escritos por mim expressam a minha opinião. Baseiam-se nos conhecimentos do Espiritismo, no Evangelho de Jesus e em meus próprios conhecimentos e experiências. Não aceite minha opinião sem se questionar. Reflita. Comente. Compartilhe.

19 comentários para Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo

  1. Jorge, Jesus não esqueceu nada. Se ele não disse é porque não era necessário ou porque não seria compreensível. Deus é a maior ideia que cada um de nós pode desenvolver. De todos os bilhões de espíritos que habitam a Terra, nenhum fará exatamente e mesma ideia de Deus, pois todos são diferentes. Os exemplos citados por você, muito bem elencados, são uma pálida ideia do Creador.

  2. Jorge Gonçalves do Couto disse:

    Jesus resumiu os mandamentos em “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Por quê?
    Jesus esqueceu de dizer que Deus nos criou porque ele deseja também ser amado por seus filhos. Deus não necessita de nada, Ele é Magnificente, Poderoso, infinitamente amoroso, justo, Onisciente. Mas, Ele nos criou para ser amado por nós! É a primeira razão. Mas para chegarmos até Ele temos que ser perfeitos, tal como Ele é. Para conhecer Deus é muito fácil. Ele se manifesta no sorriso de um bebê, nas cores e nas formas das flores, nas paisagens magníficas de nosso planeta. Ele toca em nosso coração através de músicas suaves e ternas, através de palavras amorosas e gestos gentis que nossos semelhantes (seus filhos) dispensam a nós. Para amar a Deus basta amarmos nossos semelhantes, através do respeito, da ajuda mútua, dentro do possível, da palavra e do gesto gentil. Se cada habitante deste planeta seguisse essa norma, a Terra seria uma primeira amostra do que nos aguarda no Céu.

  3. Morel Felipe Wilkon disse:

    Arley, agradeço a sua solicitude e boa vontade. Mas devo lembrá-lo que quando Jesus resumiu a Lei nestes dois mandamentos, não estava inovando, não estava inventando novos mandamentos, mas selecionando mandamentos que já existiam. A primeira parte é uma citação de Deuteronômio, 6:4 e seguintes, que, resumindo, querem dizer exatamente isto: amar a Deus sobre todas as coisas; a segunda parte é uma citação de Levítico 19:18.
    A propósito, lembro Paulo em 2Cor3:6: “A letra mata; o espírito vivifica…”

  4. Arley disse:

    Amar a Deus sobre todas as coisas…

    Se os comentários são sobre esse texto gostaria de informá-los que ele não existe na Bíblia! O que Jesus disse foi:

    Mestre, qual é o grande mandamento na lei?
    E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
    Este é o primeiro e grande mandamento.
    E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
    Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.

    Mateus 22:36-40

  5. Sou evangélica mas não sou hipócrita, porque se eu amasse Deus sobre todas as coisas eu viveria só para o outro, amigos ou não, porém a carne e a vaidade estão juntos. Isso leva à vontade do eu se concretizar.

  6. Morel Felipe Wilkon disse:

    Marta, lembro que a palavra para designar Deus no Antigo Testamento, Javé, ou, originalmente YHVH quer dizer EU SOU. Há que diferenciar o EU do EGO. Isso a que você se refere é o Ego. O Eu é a partícula de Deus que habita em cada um de nós.
    Obrigado pelo comentário.

  7. Marta disse:

    Creio que amar a Deus sobre todas as coisas é amar a Deus antes até mesmo do meu Eu. Porque meu Eu é tudo que quero fazer e ser. Independentemente de certo ou errado. O meu Eu pode falhar, mas Deus nunca falha, porque Ele é o criador e Eu a criatura. Deus não podemos ver por sua plenitude, mas o espírito Santo podemos sentir. Deus não é história, Ele é Real, por mais que não tenha carne. Deus é amor. E se Eu tiver o Amor por mim, pelo meu irmão, terei Deus e Ele habitará em mim. Mas se não vivo sua palavra e se nem procuro vivê-la, terei realmente dificuldade em saber que é o Pai e onde está o Pai. Deus sonda nossos corações e sabe de todas as coisas.

  8. Rodrigo Pnt disse:

    Por isso a máxima é amar a Deus sobre todas as coisas e não sobre todas as pessoas, já que manifestamos o amor a Deus quando amamos os seus filhos, pois Deus não vemos, o que vemos são as pessoas, as quais devem ser amadas acima das coisas para que se cumpra esta máxima.

  9. Morel Felipe Wilkon disse:

    Ótimo exercício, Maria. Obrigado pela contribuição.

  10. Maria disse:

    Para mim desde criança foi complicado amar a Deus, pois me foi pintado um Deus perverso, carente de sacrifícios humanos e animais, o qual deveria temer. Depois lendo os mandamentos vi que o Primeiro era “Amar a Deus sobre todas as coisas”, aí deu um nó na minha cabeça, devido a minha falta de conhecimento do que era Deus. Quando ingressei no Espiritismo descobri um Deus Justo, que nos ama incondicionalmente, mas para mim era ainda muito difícil amá-lo sobre todas as coisas, todavia veio a maturidade e refletindo vim entender que só podemos amar a Deus sobre todas as coisas quando primeiro nos amarmos. Como cheguei a essa conclusão? Refletindo sobre o segundo mandamento “Amar ao próximo como a si mesmo”, se o primeiro mandamento é amar a Deus sobre todas as coisas, onde é dito que precisamos nos amar para que possamos amar ao próximo como a si mesmo? É quando amamos a Deus sobre todas as coisas, pois a nossa essência é divina e só dá para amar alguém, quando amamos a nós mesmos.

  11. Morel Felipe Wilkon disse:

    Ana Maria, nossa consciência é a partícula de Deus que nos cabe, por enquanto.

  12. ana maria disse:

    Sabe, descobri que Deus é a nossa consciência, quando estamos errados ela nos incomoda, por isso sei quando estou em pecado. Por isso que dizemos que Deus está dentro de nós, ele é a nossa cosciência, falando o tempo todo.

  13. Morel Felipe Wilkon disse:

    Hideki, embora nem Moisés nem Jesus tenham dito isso a que você se refere, o sentido da oração que Jesus nos deixou, o “Pai Nosso”, corrobora a sua afirmação. Na Bíblia a palavra “nome” significa a manifestação externa da essência interna de um ser. O “nome de Deus” é a manifestação de Deus no mundo. “Santo”, originalmente, quer dizer “todo”, “inteiro”, universal”. Então, “Santificado seja o vosso nome” quer dizer: “Que o universo e tudo o que nele existe seja reconhecido como a manifestação da Tua divindade.”

  14. Hideki Oshiro disse:

    Amar a Deus sobre todas as coisas,

    O que Jesus e Moisés antes dele deixaram a mensagem de que a forma de amarmos a Deus é amando todas as coisas que se manifestam na Natureza, seja na Terra, nos mares, nos rios, nos ares, abaixo da terra, sejam elas seres animados de vida orgânica (Vegetais e animais desde os insetos aos animais domésticos) ou inorgânica (água, rochas), pois elas são parte de nossa vida e a falta de quaisquer uma delas desequilibra a vida no mundo.
    Poderíamos orar assim:

    Amai a Deus que está presente em Todas as Coisas do Mundo, e ao próximo como a Ti mesmo.

  15. Morel Felipe Wilkon disse:

    Obrigado pela contribuição, David; vou assistir.

  16. David Coelho disse:

    Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo;
    Um exemplo para todos nós:
    http://www.tribunadoceara.com.br/videos/barra-pesada/heroina-irma-maria-da-conceicao-desenvolve-trabalho-com-criancas-com-cancer/

  17. Ana disse:

    Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. (I JOÃO 4:8) Na realidade, o amor é uma pessoa: Deus. Se nos comprometêssemos de verdade com Deus, faríamos o que ele nos pediu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento”. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:37-39

  18. Morel Felipe Wilkon disse:

    Obrigado pelo comentário, Miracy; abraço em você também!

  19. Miracy Leite dos Santos disse:

    Legal seu texto, nós amamos Deus através da natureza, tudo que existe no mundo que não foi criado pelo homem
    então dizemos que foi Deus. Em o Livro dos Espíritos na 1ª parte, capítulo I, pergunta-se: Que é Deus?
    “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas” ,então é dessa forma que conhecemos Deus, e se amamos Deus, não devemos maltratar, destruir a sua criação, inclusive nós seres humanos, somos a natureza mais bela que Deus criou, então quando dizemos amar a Deus e não amarmos uns aos outros, estamos falando da boca pra fora, por isso temos que a cada dia trabalharmos nossas más inclinações e buscar amar a natureza. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>