Comportamento, Reforma íntima

Os nossos erros numa visão espírita

janela quebrada

Artigo publicado originalmente em 18/12/2012

Ouça este artigo na voz do autor

Uma visão espírita das consequências dos nossos erros; porque cada vez que cometemos um erro nos sujeitamos à fraqueza.

Você se esforça pra fazer a coisa certa? Você procura sempre agir corretamente? Se dependesse da sua vontade de agora, você deixaria de errar para sempre?

O fato é que nós cometemos erros todos os dias. Fazemos tanta coisa errada que nem vale a pena comentar sobre elas. Até porque devemos valorizar os nossos acertos, devemos nos alegrar com as coisas boas que conseguimos fazer.

Há uma frase atribuída ao Chico Xavier que diz que não devemos cobrar dos outros virtudes que não temos. Não tenho a pretensão de cobrar virtude alguma de você. As minhas virtudes são poucas e acanhadas. Mas isso não me tira a vontade de querer melhorar a mim mesmo e de fazer refletir quem esteja disposto a isso.

Todo erro traz fraqueza

Dei essa explicação toda pra dizer que todo erro traz fraqueza. Cada vez que cometemos um erro nos sujeitamos à fraqueza. Esse erro pode ser de propósito ou não. Desde que você perceba que o erro existe, desde que você note que o que você fez foi um erro, você dá abertura para que a fraqueza se instale em você.

As pessoas mal humoradas sofrem muito com seu mau humor, inclusive fisicamente. Elas são mal humoradas porque pensam mal dos outros, ou falam pelas costas, ou são ingratas, não valorizam a vida. Esses erros fazem delas pessoas ranzinzas, e isso é fraqueza.

As pessoas que trabalham de má vontade sentem-se sempre visadas, como se houvesse uma perseguição sobre elas. Elas trabalham de má vontade por não gostarem do que fazem, ou por não gostarem de trabalhar, ou por não valorizarem sua função, ou por simples desleixo. Por causa do seu descuido e relaxamento, esperam por alguma crítica, ou cobrança, ou reclamação, e com o tempo acham que o ambiente de trabalho é um complô para as derrubar. Isso é fraqueza.

Cada vez que desejamos mal a alguém, ou que mentalizamos brigas com alguém, ou que travamos discussões em pensamento, estamos nos predispondo a agir com fraqueza com essas pessoas ou outras pessoas em situações semelhantes. Ao nos depararmos com essas pessoas, agimos como se a discussão ou briga imaginária tivesse acontecido de verdade. É que nossa mente subconsciente não distingue realidade e imaginação…

Sempre que cometemos um erro enfraquecemos nossa confiança em nós mesmos. A cada pequeno deslize, a cada mentira pra nós mesmos, a cada história mal contada, a cada desonestidade ou deslealdade desperdiçamos um pouco da nossa força de caráter. É por isso que pessoas boas, evoluídas, são tão seguras de si, tão tranquilas e destemidas. Nada as assusta, pois nada devem a si mesmas.

Em nosso íntimo nós percebemos que não temos moral pra exigir, pra cobrar, pra esperar consideração, respeito. Quem erra muito sabe, mesmo que seja lá no fundo, que não é merecedora de dádivas da Vida, que não deve esperar muito das pessoas, pois não oferece nada de bom a elas.

É assim também com os vícios. A cada tentativa frustrada de parar de fumar, ou de beber, ou de comer doces, ou de fazer regime, a cada recaída que se comete, mais difícil fica, porque o erro traz consigo a fraqueza.

Você tem uma verdadeira fortaleza de caráter no seu íntimo. Tudo o que há de mais admirável e respeitável está dentro de você, esperando que você desenvolva a sua Vontade. Vontade é o rumo que você determina para os seus pensamentos, palavras e ações. Você está no comando. Você pode mudar quando quiser.

Sei que não é coisa simples deixar de errar. Todos os dias cometo erros, assim como você e todo mundo. Mas não podemos nos conformar com os erros como se fosse normal errar. Quanto menos erros, mais força interior; quanto menos erros, mais lucidez, mais coragem de olhar pra dentro de si mesmo.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo Anterior

23 Comentários

  1. Sempre que preciso de uma ajuda, de algum modo eu consigo, e hoje lendo este texto não foi diferente. Era o que eu precisava, errei muito com uma pessoa que amo, mentindo e escondendo algo com medo de perdê-la, sei que isso não justifica o que fiz, e hoje estou sofrendo com as consequências. Estou perdendo a pessoa que amo por erros meus por minhas fraquezas.

  2. A vida é complexa. O ser humano está em constante evolução. A oração e a vigília devem ser diárias. Confesso, tenho errado demais. E prejudicado minha família. Estou no abismo.

  3. Ler este texto me vez refletir sobre muita coisa na vida. Vi que estava desviando do foco, perdendo minha essência de outrora. E em um dos meus erros, fiz a pessoa que amo sofrer. E isso me aflige demais. Vejo que jamais deveria fazer isso, pois ela entregou a vida dela a mim. Ela é uma pessoa maravilhosa, com um coração doce. Mas apesar dessa infelicidade, isso está me ajudando a mudar as minhas condutas, parar de errar. E se ela aceitar o meu perdão, tentarei exaustivamente ser a melhor pessoa do mundo pra ela.
    Ela merece mais do que todo mundo. E lendo esse texto, tocou bem na ferida. Mas como disse certa vez Chico Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”
    Paz a todos!!!

  4. Morel querido,
    Muito obrigado por suas palavras, foram um bálsamo para o meu coração. Depois desse acidente eu realmente percebi que as coisas materiais não tem valor nenhum, pois eu daria tudo para que ela se recuperasse. Agradeço muito a Deus por ela não ter desencarnado e rezo para que ela possa se recuperar totalmente e acredite que realmente eu mudei muito, muito mesmo, aprendendo com a dor… Que Deus continue iluminando o seu caminho e que você continue sendo esse farol a iluminar por onde você passa… com certeza fui encaminhada para que você pudesse me ajudar… Fique com o amor divino.

  5. Alguém que sofre, não se culpe. Se este acidente não foi por irresponsabilidade sua, não porque se culpar. E, mesmo que você tenha sido indiretamente o responsável, aproveite o que essa lição tem pra lhe ensinar. Quase sempre depois de coisas assim nós nos abrimos mais para a espiritualidade, para os valores eternos, e nos damos conta de que tudo o que se refere à matéria é frágil, perecível, passageiro. Fique bem. Vou orar por todos.

  6. Eu tive um acidente, ou seja, eu sem querer cometi um deslize no trânsito e machuquei duas pessoas e uma delas ficou muito doente e ainda está se recuperando e pode até perder a visão e eu desde então só choro, rezo e peço perdão a Deus. Eu dei e dou todo o apoio necessário, mas não consigo me perdoar. Gostaria de uma orientação e de muitas orações por mim e pelas minhas vítimas.

  7. Lena, mudamos quando realmente queremos. Mas esse querer não é apenas desejar ou achar interessante, é a concentração de nossos pensamentos, sentimentos e energias. Quando falamos em mudar e não mudamos é porque ainda temos outros interesses mais importantes do que estes.

  8. E quando são erros bobos, falhas que só fazem mal a nós mesmos e não é premeditado? Como parar de se prejudicar apesar de todos os dias prometer mudanças e nunca conseguir mudar.

  9. Diz o velho ditado popular que errar é humano, permanecer no erro é burrice. Somos humanos, portanto sujeitos a cometer falhas, ninguém é um androide programado só para acertar, só para agradar, se fôssemos perfeitos não haveria razão para estarmos encarnados num planeta considerado inferior, de expiação e provas perante o cosmo, se estamos aqui estamos sendo colocados a todo instante a provas e Deus nos testa, creio eu, tanto nas grandes como nas pequenas coisas. Tem pessoas que têm problemas psicológicos causados por situações que elas cometem por compulsão ou obsessão e sofrem logo após terem cometido, exemplo pessoas que tem transtorno compulsivo obsessivo o popular TOC, sofrem por não conseguirem deixar de ter hábitos repetitivos e meio paranoicos, como mania de limpeza, para sair tem verificar se fecharam a porta ou o registro de gás, dezenas de vezes. Tudo isto parece erro, e acaba gerando sofrimento, assim vale para pessoas que não conseguem deixar de pensar em sexo, ou não conseguem parar de fumar, beber, ou até pessoas que não conseguem viver ou conviver com pessoas pobres, ou feias, ou sem instrução, ou seja, cheias de melindres e preconceitos, estamos sempre tendo que rever algo que ainda temos que vem de outras vidas e que está enraizado em nós, como erros cometidos adquiridos nesta vida mesmo. Fato é que a luta é diária, não podemos é acomodar nos nossos erros e defeitos e achar não tem jeito, nem vou preocupar, o mundo está cheio de gente imperfeita mesmo, para que vou esforçar tanto para isso, aí é que está a prova, a luta é com nossos defeitos, não do próximo, mudemos a nós e tudo muda ao nosso redor.

  10. Rita, nosso caráter está sendo permanentemente moldado. Cometemos deslizes todos os dias, pois não somos perfeitos. Temos que aprender com os erros e não repeti-los.
    Mas há uma sensível diferença entre manter segredos e manter a privacidade. Sua afirmação de que “um casal que se ama não deve existir segredos” é só um jargão. Todos têm “segredos”. Mesmo espíritos mais evoluídos que nós mantém determinados aspectos de sua trajetória em caráter privado.

  11. Escutei o telefone de meu namorado dar o bip de mensagem enquanto ele estava tomando banho e peguei a ver quem era. Sou uma pessoa justa, verdadeira e me considero pessoa de caráter. Mas ele colocou em dúvida todo isso por causa desse deslize, me disse palavras horríveis. Até que ponto meu deslize de ciúme comprometeu meu caráter, tendo em mente que para um casal que se ama não deve existir segredos?

  12. “Se errar é humano, perdoar é divino”. Estamos acostumados a encontrar desculpas pelos nossos erros através dos velhos ditados, no entanto assumir de fato a culpa é para poucos, para os fortes!
    Reconhecer o erro é sinal de humildade e crescimento, dar início ao regime da língua, ótimo, estamos avançando, esta é a missão de todos, buscar, aprender e retribuir passando à frente o que aprendemos.

  13. Belo texto, me ajudou a refletir e pensar melhor daqui pra frente. Me fez forte novamente. Basta eu acreditar que eu posso, que eu consigo controlar o que faço.

  14. Idalina, pelo seu relato é evidente que você não teve culpa. Mesmo que você tivesse sido negligente, o sentimento de culpa só tem serventia até nos conscientizarmos do nosso erros e da necessária correção. Aprendemos com a experiência.

  15. Olá, boa tarde. Sim, é bom quando reconhecemos que erramos e podemos reparar o mal. Mas quando o mal não pode ser reparado? Como viver com o sentimento de culpa? Estou muito mal, porque mudei de casa e deixei andar os meus gatinhos à solta e um soltou o portão e foi atropelado ontem. Nem queria acreditar quando o vi morto. Este gato acho que foi um presente do céu que eu não soube cuidar. Ele parecia um anjo, de tão meigo e inofensivo, mas eu fui negligente, porque via que ele saltava o muro e atravessava a estrada, primeiro pensei em pôr uma proteção nos portões e muro, mas depois mudei de ideia, deixar estar na sala mesmo que estragasse os sofás. Mas depois ele mudou de sofá, e pensei que os condutores travassem ao vê-lo, por isso nessa noite fechei a sala, porque ele agora também dormia noutra cadeira, de manhã levantei-me, não o vi, mas pensei que ele aparecesse como noutras vezes, deixei passar horas até que o vi morto. Fui eu que causei sua morte?

  16. É exatamente como você acredita, Ana. A pessoa que comete um erro sem consciência de que está errando tem menos responsabilidade. As consequências de seus atos não serão tão duras quanto as de quem erra conscientemente. Mas um erro é sempre um erro. Obrigado pela contribuição, Ana.

  17. Olá, lindo texto pra refletir…
    Nunca tinha visto por esse ângulo, que errar enfraquece, e realmente faz sentido. Eu sempre pensei que é somente errando que se acerta.
    O Espiritismo é no mínimo encantador, nos faz refletir, pensar, e realmente tentar se reformar.
    Outro dia li um frase atribuída a Chico Xavier em que diz: Aprenda com os erros dos outros, pois não temos tempo nesta vida pra cometer todos os erros.
    Achei incrível, porque apontar um erro do próximo é mais que fácil, difícil é refletir sobre o erro dele, o que o levou a cometê-lo, sem acusá-lo, sem julgá-lo.
    Fácil também acusar os outros pelos erros que nós mesmos cometemos, para simplesmente camuflar o sentimento de culpa…
    Existe um pensamento que deve andar sempre conosco para minimizar nossas falhas: Vou prejudicar alguém com esta atitude? Se for, então eu já sei que não é a que devo tomar, e se ainda assim tomar, aceitar as consequências sem lamentações, pois você estava ciente.
    Tem um amigo meu que costuma sempre dizer que se a pessoa errou porque não sabia, essa pessoa é inocente. Mas eu penso ao contrário, não acredito que exista alguém inocente, acredito que exista alguém menos culpado. Porque erro é erro independente se você sabia ou não das consequências.
    Abraço

  18. Denise, é exatamente como você diz. Se engana quem pensa que existe algum atalho, algum segredo ou truque para resolver nossos problemas morais. Cada um de nós reencarna inúmeras vezes tendo de conviver e enfrentar os mesmos problemas. O sentimento de culpa é um grande erro, que nem sempre sabemos evitar. Como você afirma, somente o perdão nos liberta. Devemos perdoar, em primeiro lugar, a nós mesmos pelos erros cometidos. E seguir em frente. Obrigado pela participação, Denise.

  19. Boa tarde
    O erro enfraquece? Nunca tinha pensado assim, mas você tem razão! Enfraquece mesmo! Mas como mudar? Se a culpa persegue, se esse erro persegue, parece um pesadelo. Estou tentando seguir adiante, e tentar de novo nos meus objetivos que eu sempre erro, porém essa fraqueza do erro insiste em ficar. A solução é lutar e tirar esse monstro do nosso inconsciente, pois é lá que se instalam as mentiras e verdades que nos dizemos. Pedir a Deus força pra não errar. Realmente é um tema delicado e triste, porém tem solução… basta a gente tirar a culpa e colocar o perdão.
    Abraço, Felipe. Gosto muito dos seus textos.

  20. Perfeita a analogia, Raquel. É uma pena recairmos no sentimento de culpa, pois a culpa não resolve nada, pelo contrário. É muito mais construtivo nos arrependermos e nos dispormos a recomeçar com novo ânimo. Obrigado, Raquel!

  21. A sensação de quem errou muito é a mesma de uma pessoa que ficou um tempo sem usar drogas e tem uma recaída. Em vez de aceitar que cometeu um deslize, levantar a cabeça e persistir na luta diária, ele sente tanta culpa que usa o máximo que puder porque sente que simplesmente não há jeito mais pra ele. É difícil pensar que sempre temos o outro dia para nos redimir e seguir o conselho de Jesus quando disse: – Vá e não peques mais”. A culpa corrói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.