Evangelho, Pensamento e disciplina

Devemos aceitar as coisas como elas são?

Devemos aceitar as coisas como elas são?

Ouça este artigo na voz do autor

Você é aberto a mudanças? Você busca suas próprias respostas? Se a resposta for sim, você é uma pessoa que aceita as coisas como elas são. Isso soa mal para você? O que você entende por aceitação?

Talvez você confunda aceitação com submissão, desistência, fraqueza. Não é nada disso. Pelo contrário. A aceitação é uma demonstração de força. É preciso ser forte para saber lidar com situações que fogem ao nosso controle. É preciso ser sábio para encontrar respostas e crescer nas adversidades. É preciso ser humilde para não se revoltar com as contrariedades que a vida impõe.

Por que algumas vezes achamos que aceitação é covardia? Porque somos extremamente orgulhosos, esse é o nosso problema. Todos os pequenos e grandes defeitos que temos derivam do orgulho. É por orgulho que nos revoltamos, é por orgulho que nos deprimimos. Aceitar é um ato de coragem. Aceitar as pessoas como são, sem querer mudá-las; aceitar as circunstâncias, sem querer ditar as regras do jogo; aceitar fatos inesperados, estando disposto a mudar, se for preciso.

Por que há pessoas que se drogam? Porque não aceitam as coisas como são, não aceitam a vida como ela é, não aceitam a realidade. Por que há pessoas que desistem da vida? Porque se negaram a dançar conforme a música, porque não aceitaram situações que os contrariaram.

Quem resiste a tudo, quem está sempre pronto para combater, cheio de pedras na mão, nunca está disposto a rever seus conceitos, nunca está disposto a reavaliar suas referências. Vive escravizado às suas fantasias a respeito da vida a das pessoas. Só que a vida e as pessoas não se adaptam aos nossos caprichos e desejos. Somos nós que devemos ser flexíveis e aceitá-los.

Aceite os seus próprios erros, aceite os erros dos outros, aceite as circunstâncias da vida. Se você quer realmente que ocorram mudanças, seja em você mesmo, nos outros ou na vida, o primeiro passo é aceitar a realidade.  De nada adianta a revolta, de nada adianta ter pena de si mesmo.

Quando você sente pena de si mesmo você vê o problema maior do que ele realmente é. Age como se a vida se resumisse nesse momento e esquece que é espírito imortal. E esquece o poder infinito que existe dentro de você. Talvez você não possa mudar determinada situação, mas pode mudar a sua maneira de lidar com ela. E isso independe de fatores externos, nada pode impedir você de mudar o seu pensamento. Nada!

Se você não está pronto para agir certo o tempo todo (e quem está?), não tem desculpa no que se refere ao pensamento. Ninguém disse que é fácil. Mas é plenamente possível. Só depende de você, você está no comando. Tenha pensamentos vitoriosos, construtivos, bons e elevados. Se esforce para mantê-los.

Há dois milênios o Mestre ensinava: “Tendes ouvido o que foi dito: Não cometerás adultério. Mas eu vos digo: Todo aquele que olhar para uma mulher com mau desejo já cometeu no seu coração adultério com ela”. Fique tranquilo, não estou dando lição de moral. Não é sobre adultério que estou falando, mas sobre pensamento. O fato é que nós somos responsáveis não só pelo que fazemos, mas também pelo que falamos e pelo que pensamos. E tudo começa pelo pensamento, por isso sua importância. Somos o que pensamos, lembra?

Pra gerar pensamentos nossa mente produz energias, essas energias dão vida às formas-pensamento, que, dependendo do grau de concentração com que foram geradas, podem ficar atuantes por muito tempo. O pensamento é criador, acredite nisso.

Faça sua própria experiência. Controle firmemente seus pensamentos, mantenha-os o mais elevado que puder, você verá como as coisas de repente parecem mais fáceis, sem que para isso você precise mudá-las, sem que para isso precise se revoltar, sem que para isso precise fazer um revolução. A aceitação é uma demonstração de força.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

7 Comentários

  1. Tudo que a vida ou as circunstâncias nos impõem, mais cedo ou mais tarde, mais dia menos dia, serão empurradas goela abaixo. Há pessoas que passam a vida inteira relutando, para no final, irem para os 7 palmos. Independente de filosofia ou religião, a lógica nos conduz à seguinte conclusão: tudo cairá no esquecimento. Portanto, não aceitar algo e relutar é perder tempo. O melhor a se fazer e viver no seu mundo particular, evitar qualquer tipo de laço com aquilo que te faz mal. Demorei muitos anos para entender e hoje mesmo tiro lições. Precisamos ser neutros na vida. O fato de sermos positivos demais ou negativos demais nos conduz a laços com pessoas ou situações desagradáveis. Seja neutro, nem que para isso precise apertar a mão do inimigo ou rir para quem não gosta de você. Aceite as coisas politicamente, como a vida apresenta.

  2. Prezado amigo Felipe, prezados comentaristas, permitam-me aportar aqui minhas singelas ponderações sobre este tema, que por si só, já traduz controvérsias nos parâmetros da justificação dos nossos atos concernentes à convivência com o próximo, e, o que é pior, conosco mesmo. Mudar, ou deixar as coisas como estão? Tentar mudar, é válido desde que haja embasamento sólido no agente e na necessidade da mudança; optar por mudança desde que a voz da razão encontre eco no âmbito da melhoria social e do progresso moral como um todo. Deixar as coisas como estão, é omissão, e o peso dessa falha pode se encravar na consciência, e torcer lembranças a verter lágrimas. A sabedoria maior está justamente na busca do equilíbrio no momento da exteriorização dos nossos argumentos, que muitas vezes, já nascem inflamados, desejosos de uma calorosa disputa, lancinantes em suas intenções e esperançosos de ferir a suscetibilidade alheia. Procuremos sim, descerrar o véu de nossos pensamentos salutares, dividir opiniões, estender a audição e sobretudo, silenciar quando preciso for. Não fiquemos parados no porto da vida a ver o navio das oportunidades naufragar em nossa praia sem sequer soarmos o alarme do socorro. Um abraço a todos.

  3. José, somos todos aprendizes. Mas é como você falou, o aprendizado exige esforço. Aliás, tudo na vida, todas as coisas sérias e salutares exigem esforço. E perseverança, que você já desenvolveu. Obrigado pela participação.

  4. Estudando o Espiritismo, devagar estou compreendendo as lições e o caminho do homem até Jesus. A cristianização estava oculta em meu subconsciente, clarear a compreensão no “aprendizado” exige esforço de minha parte, passo a passo vou perseverando. Estou com 64 anos e começando aprender! Abraços

  5. Terezinha, os acessos ao site aumentam dia-a-dia e logo, talvez terei que tomar cuidado para não parecer “sentimentalista” ou coisa parecida. Mas estou dizendo isso porque hoje, ainda, me atrevo a confessar que fiquei com lágrimas nos olhos ao ler seu comentário… é edificante, pra dizer o mínimo. VOCÊ NÃO ESTÁ OCUPANDO ESPAÇO, ESTÁ ENRIQUECENDO esse espaço. E você acrescentou um ponto importante: as neuroses. As neuroses surgem justamente disso, da não aceitação da vida como ela é. Obrigado, Teresinha.
    Minhas férias terminam esta semana, terei que voltar a responder os comentários, na maioria das vezes, só à noite.

  6. Olá Felipe, bom dia…Mais um artigo ótimo…é muito bom pra gente se reavaliar…ou ver que estamos equilibrando…naqueles valores que norteiam nossas vidas…Não quero que pense que seja elogio nenhum…apenas é concordância da maneira de pensar…Para se ter essa aceitação é necessário ter uma mente aberta ao novo..ao inesperado…,e isso é muito bom…para nosso crescimento…seja mental, espiritual,físico ou material….Ou aceitamos …ou desenvolvemos em nós …as neuroses.. Como você colocou aceitar não é sinônimo de fraqueza, submissão..é sim um ato de coragem mesmo…quero aqui deixar meu testemunho de vida ,pois toda ela se pautou nesse ponto…desde minha infância, juventude e agora…a agora…estou com 64 anos..viúva de um casamento de 48 anos….e fui mais uma vez aceitando minha realidade de vida ..que comecei a dirigir… entrar pra esse mundo virtual…olhar para mim e perceber que a vida esta aí pra ser vivida…tenho que acompanhar a dinâmica da vida…com todas suas mudanças e desafios…não posso parar em mim mesma…sempre dar um novo passo…e aceitar a mim , aos outros.., a vida…sem mascarar …Desculpe ocupar esse seu espaço..para falar um pouco sobre minha expêriencia de vida…mas com isso posso ver que tudo valeu muito a pena…e que continuará valendo…desde que eu ACEITE. Obrigada mais uma vez Felipe, que Deus abençoe você e esse seu belo trabalho… abraço fraterno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.