Ecologia e meio ambiente, Pensamento e disciplina, Transição planetária

Espiritismo e ecologia

Espiritismo e ecologia: o que você faz do Planeta, está fazendo pra você mesmo!

Ouça este artigo na voz do autor

Você cuida do Planeta em que vive? Sabe que pode voltar a ele muitas vezes? O que você faz do Planeta, está fazendo pra você mesmo.

Quando se fala em cuidados com o meio ambiente geralmente se usa o argumento de que devemos preservá-lo para os nossos filhos e netos. É verdade, mas não é a verdade completa. Devemos cuidar do Planeta, antes de tudo, para nós mesmos. Pode me chamar de egoísta, mas é que sou reencarnacionista. Voltarei aqui, e quero reencontrar a casa o menos bagunçada possível.

A Terra está passando por um momento de transição

Permita-me dizer que você também voltará. Muitas vezes ainda. Não estamos com essa bola toda de carimbar o passaporte pra um planeta mais evoluído, sinto muito. E você sabe que a Terra está passando por um momento de transição. Está deixando de ser um planeta de provas e expiações para se tornar um planeta de regeneração. Isto significa que aqueles que não se ajustam moralmente com a nova categoria planetária terão que deixar a Terra… para um mundo inferior, onde terão que ajudar no desenvolvimento dos seres locais, muito atrasados em relação a nós.

Moro no sul da América do Sul

Mas isso é assunto pra outra hora. Só citei a transição pra deixar claro que o que nos resta é nos esforçarmos pra permanecer aqui, na velha e boa Terra. Eu, particularmente, gosto muito daqui. Moro no sul da América do Sul, onde é um forno no verão e um freezer no inverno, mas gosto daqui. Tem geada, temporal, ventania, umidade, enchente, mas eu gosto daqui. Esse é o Planeta em que estamos evoluindo há muitos séculos, talvez muitos milênios.

Se analisarmos dessa forma, é muita falta de vergonha na cara não cuidarmos do Planeta. Muita burrice e imprevidência. Todo o estrago que produzimos hoje, se não colhermos os resultados funestos ainda nesta existência, colheremos na próxima!

Não estou dizendo que você deve se tornar um ativista ecológico, que deve mudar radicalmente seus hábitos. Estou sugerindo que não despreze as informações que chegam até você aconselhando pequenos cuidados no dia-a-dia; estou pedindo que seja grato à internet, por tudo o que ela nos oferece de informação, e procure descobrir uma ou duas coisas que possa fazer todos os dias sem que isso exija um grande esforço.

Fazemos o que podemos

Nosso maior problema, talvez, seja achar que pequenas ações não vão adiantar nada. Realmente, as ações isoladas de cada um não acrescentam muito. Mas fazemos o que podemos. E o que podemos fazer é a nossa parte. Não se preocupe com os outros. Oriente-os, se puder. Mas o que importa é a sua parte. Não vou sugerir nenhuma dica específica. Nem vou colocar link nenhum. Mas é só digitar no Google qualquer coisa como “dicas ecológicas para o dia-a-dia” que aparecem dezenas de coisas viáveis para se colocar em prática sem muito esforço.

O espiritismo nos orienta incessantemente para que controlemos nossos pensamentos. Claro que não é só o espiritismo que recomenda o controle dos pensamentos, muitas outras correntes de pensamento também têm esse enfoque. Só que o

Os nossos maus pensamentos e o umbral

espiritismo vai além da simples recomendação e investiga os impactos que os miasmas astrais, as formas-pensamento, os “pensamentos poluídos”, de um modo geral, causam no plano astral. Você já ouviu falar de umbral, é claro. Valendo um café: O que você acha que é responsável pela existência e manutenção do umbral? Quem respondeu “os nossos maus pensamentos” acertou.

Mudei de assunto? Não. Apenas quis demonstrar que o espiritismo nos ensina a não poluirmos o “meio ambiente astral”, e a ecologia nos demonstra, cada vez mais, que não devemos poluir o meio ambiente material. Tudo está interligado. E somos nós os responsáveis por tudo. Você já se deu conta da responsabilidade que temos? Porque não vale colocar Deus na história. Nem Jesus, nem santo, nem anjo, nem espírito protetor. Deus criou o Planeta e nos emprestou. Nós devemos cuidar dele. Só nós. Você concorda? Por quê?

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

15 Comentários

  1. Olá Morel… pedindo permissão para compartilhar sua mensagem em minha página, desde já agradeço, estarei dando os créditos conforme sua solicitação. Um abraço!!!

  2. Hiago, não li essa obra. Tenho uma série de leituras obrigatórias em função de estudos; afora isso, não sobra tempo pra ler mais nada..

  3. Caro Morel, falando de ecologia, você já leu ”Mundo Sustentável”, do brasileiro André Trigueiro? Recomendo em negativa. E, ah, ele é espírita também.

  4. Alessandro, obrigado pelo comentário. E principalmente por manifestar sua discordância a respeito de um ponto específico. Acho que quando concordam com tudo o que a gente diz, corremos o risco de nos deixar levar pela vaidade. E pela vaidade a tendência é nos tornarmos donos da verdade. Não quero isso.
    Estamos de acordo quanto ao fato de que o espírito não regride. Esse é um aspecto fundamental no espiritismo.
    Nunca fui apocalíptico, mas muitas informações dão conta de que espíritos que não se coadunam mais com a vida na Terra estão migrando para mundos inferiores. Se o amigo leu Exilados de Capela (há outros livros com o mesmo tema, não lembro os títulos agora), já soube que muitos espíritos daquela constelação vieram povoar a Terra, milênios atrás, com a missão de nos encaminhar para a civilização. “Missão” sob o nosso ponto de vista; pra eles foi “castigo” por não acompanharem o progresso moral de onde viviam. Algo semelhante estaria acontecendo agora no sentido inverso.
    O espírito não perde o cabedal moral e intelectual adquirido. Isso não impede que ele habite um mundo inferior com a missão de instruir os espíritos menos evoluídos que ele. Lembremos que o progresso moral nem sempre acompanha o progresso intelectual (e vice-versa). Um espírito pode ter desenvolvido a inteligência a ponto de poder instruir outros mais primitivos, sem que essa capacidade signifique que se haja desenvolvido moralmente. Espero ter esclarecido um pouco.
    Um abraço, Alessandro.

  5. Cara adorei sua matéria sobre espiritismo e ecologia. Apenas nao concordei com a ideia de que quem nao está evoluído o suficiente vai pra um mundo inferior, já que o espiritismo prega a evolução e que é impossivel regredirmos. Onde chegamos, jamais voltaremos um passo atrás. Abraços e continue fazendo essas matérias, muito boa, abraços Verdes!

  6. Terezinha, que bom saber da conscientização disseminada no seu município. Um grande problema da população em geral é esperar pelo poder público, é esperar que o governo tome providências. Independente de governo, nós, um por um de nós, temos que fazer a parte que nos cabe. Obrigado, minha amiga.

  7. Olá Felipe, tem tudo a ver mesmo… somos mais que responsáveis por essa Terra tão bela e tão maltratada pelos seus habitantes… se realmente nós tivermos consciência de que nada é nosso e tUdo foi emprestado para nós .. seja o que for…para que soubéssemos administrar da melhor forma…acho que tomaríamos mais cuidado com tudo…nosso ambiente, nossos filhos, etc…Aqui onde eu moro já temos a coleta de lixo seletiva..foi uma lei municipal que favorece os catadores de recicláveis, e lá eles fazem uma cooperativa ajudando a ter uma renda melhor pra suas famílias…Quase todo município participa desse projeto…com isso a cidade se torna mais limpa , o lixo orgânico é separado…e os recíclaveis também ..esses geram renda….O povo daqui está bem conscientizado sobre essa necessidade imperiosa de se cuidar bem do meio ambiente…infelizmente sofremos com as queimadas de cana de açúcar…o que polui muito o ar…com isso gera doenças respiratórias graves….veja como são as consequências da poluição…mas isso é mantido por que iria afetar muitos grupos financeiros da região..e como você sabe …os interesses financeiros falam mais alto do que as necessidades….reais do planeta….mas aos poucos a coisa vai mudando..vejo pelas crianças como elas já tem isso como prioridade…a consciência das crianças já estão voltadas para essa necessidade tão urgente… abraços

  8. Mariangela, essa questão que você abordou de encararmos o planeta como um bem público explica muito bem o descaso com que o tratamos. Esperamos, talvez, que “alguém” faça alguma coisa. Está na hora de percebermos que, como em tudo na vida, devemos fazer A NOSSA parte. Obrigado pela participação; muito lúcida.

  9. Ah, esqueci de falar que, sim, eu concordo, o planeta agradável a todos os sentidos que o Criador nos emprestou é um lugar plenamente indicado para as nossas necessidades. Até as intempéries estimulam nossa criatividade, inteligência e empenho para melhorar nossas condições e nos melhorarmos. Por que não cuidamos com carinho…bem, talvez porque a maioria de nós ainda o considere um “bem público”- é de todos, mas também não é de ninguém…

  10. Olá Felipe!
    Como os demais posts de seu blog, este é esclarecedor, motivador e me faz refletir. Obrigada por continuar compartilhando seus pensamentos e sua experiência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.