Ecologia e meio ambiente

O Espiritismo e o futuro do planeta

O futuro do Planeta e a criação de gado

O Espiritismo trata da Lei de destruição no capítulo VI do Livro dos Espíritos.

Você se preocupa com o futuro do planeta? Ou está ocupado demais com as coisas ao seu redor que nem tem tempo pra pensar tão grande? Seja qual for sua resposta, você está certo. Qualquer posicionamento sem radicalismo é digno de respeito. O radical que se preocupa com o planeta muitas vezes ignora o seu próximo; ama o planeta mas desconsidera o indivíduo. É o mesmo caso de quem gosta dos animais e não gosta das pessoas. É muito louvável e bonito defender os animais. Mas o ser humano em primeiro lugar; afinal, a Vida investiu milênios de evolução em cada um de nós.

Peço aos defensores do meio ambiente que não me atirem pedras, mas confesso que nunca levei muito a sério a preocupação com o aquecimento global. Sinceramente, não me preocupo.  Não me preocupo por vários motivos. Primeiro, porque sempre houve catástrofes naturais e oscilações de temperatura sem a interferência do homem. Segundo, porque nunca levo muito a sério os assuntos preferidos da grande mídia mentirosa e manipuladora. Terceiro, porque os meios científicos de averiguação são novos demais. As medições de temperatura nos mais diversos meios e condições são recentes, não são capazes de provar nada.

Já li muito a respeito, e conheço bons argumentos dos dois lados. Por favor, não me peça para citar fontes. Fugiria ao propósito deste site. A internet está aí, com inúmeras matérias e artigos científicos à disposição de quem se dispôr a pesquisar. E não diga que a internet não é digna de credibilidde. Esse argumento é verdadeiro quando é dito por um professor do ensino fundamental aos seus alunos. Para quem tem um mínimo de conhecimento e discernimento, a internet é ótima.

Não estou preocupado com as calotas polares, com o efeito estufa, com o buraco na camada de ozônio. Preferiria que isso não estivesse acontecendo e faço a minha parte para que não aconteça. Sou vegetariano, não uso automóvel e consumo o mínimo possível de produtos industrializados. O que considero realmente importante é o básico. O imprescindível: Água e comida. O ser humano tem como uma de suas principais características a capacidade de adaptação. Tenho certeza de que nos adaptaremos a quaisquer mudanças climáticas que venham a ocorrer.

Mas não vivemos sem água e comida. É o que faz nossa máquina corporal funcionar. E isso é um problema. Não é uma hipótese.  É uma certeza. Se não mudarmos nossos hábitos em pouco tempo, as próximas gerações não terão acesso às comodidades que nós tivemos.

A água potável está altamente comprometida. Se você tem mais de trinta anos, sabe que algum tempo atrás comprar água era uma coisa extravagante. Hoje, pela desconfiança com a água que sai de nossas torneiras, quem pode compra água. Já há cidades com racionamento de água, pois os rios estão secando ou estão muito comprometidos com a poluição. Isso que temos o privilégio de viver no país com a maior parte da água doce do mundo. Em poucas décadas muitos países, no mundo inteiro, enfrentarão uma drástica ausência de água.

Nós estamos acabando com nossos rios. Pela poluição das indústrias, pela poluição dos automóveis e pela criação de gado. Chamo a atenção para a criação de gado.

O Brasil tem muito mais gado do que gente. A maioria dos dejetos animais vai direto para os rios, sem tratamento. Isso acaba com a água. Sem falar que cada boi ou vaca consome em média duzentos litros de água e dezesseis quilos de soja para produzir um quilo de carne. A quantidade de grãos destinada ao gado daria pra acabar com a fome no mundo. A maior parte dos milhões de toneladas de grãos, principalmente soja, que produzimos, é destinada à exportação, para virar ração para o gado. As grandes plantações levam nossa água para fora do país! Mais da metade do desmatamento no mundo é por causa da criação de gado. A Amazônia está sendo desmatada para virar pasto para o gado. Estão destruindo a maior floresta do mundo, que é predominantemente brasileira, para criar gado.

Não há nada mais poluente do que a criação de gado. Nada é mais degradante para o meio ambiente do que a criação de gado. Pra não dizerem que não falei de espiritismo, cito a pergunta 735 do Livro dos Espíritos:

–  Que pensar da destruição que ultrapassa os limites das necessidades e da segurança?

–  “A predominância da bestialidade sobre a natureza espiritual. Toda destruição que ultrapassa os limites da necessidade é uma violação da lei de Deus. Os animais não destroem mais do que necessitam, mas o homem, que tem livre-arbítrio, destrói sem necessidade. Prestará contas do abuso da liberdade que lhe foi concedida, pois nesses casos ele cede aos maus instintos”.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

10 Comentários

  1. Meu Deus, quantos horrores, quantas atrocidades! Eu não sabia, Senhor. Me perdoe por estar cega e ignorante a tudo isso e muito mais. Pai, nesta manhã o Senhor tirou as vendas. Terça-feira dia 14/4/2015 eu, Creusa Ferreira, serei vegetariana, não comerei carne vermelha, carne branca nem peixe e nem aves e não usarei nada que seja de couro, e peço perdão a Deus e aos os animais, peixes e aves e todos os frutos do mar, rios e oceanos, meu Deus. Fiquei desnorteada ao saber de tais atrocidades e mostruosidades. Gostaria que esses vídeos passassem em todos os canais de televisão, TV a cabo, todos os canais pagos. Olha, meu querido anjo, amigo e irmão, não consigo nem me espressar, desculpe-me e muito grata por ter sido liberta de tudo isso e muitas coisas mais com a sua ajuda e desempenhos através desses videos. Obrigado, Deus os abençoe mais e mais vossas vidas.

  2. Geovanna, moro no centro de Porto Alegre. Meu trabalho é próximo e a escola das filhas também. Frequento dois centros espíritas. A um deles vou a pé, uns 50 minutos de caminhada, e ao outro vou de ônibus. Quando preciso, ando de táxi. Conheço muitas pessoas que poderiam utilizar transporte público com facilidade mas que fazem questão de andar no seu próprio carro. Não vejo sentido nisso. O carro é necessário quando o transporte público é deficitário. Mas, para que haja melhorias no transporte público, é necessário que a classe média o utilize.
    É uma característica de países em desenvolvimento a ânsia por automóvel. Na Europa todas as classes sociais usam o transporte público.
    Um abraço!

  3. Achei o seu artigo muito elucidativo! Outra questão que me faz confusão é precisamente onde o dinheiro muitas vezes é investido. Na parte do texto onde você citou que muito do dinheiro que é gasto na criação de gado, esse mesmo contribuiria para amenizar a fome de muitas pessoas. concordo plenamente. E também acho estranho o ser humano procurar vida em outros planetas, tais como Marte, gastando milhões de dolares, euros, enfim… Porquê fazer isso, se nós nem conseguimos cuidar das vidas que existem aqui na Terra?! Milhões de crianças passando fome em Africa e noutros países subdesenvolvidos, tudo a favor da Ciência!Não há como negar o nosso Ego inflamado e que ajuda a acobertar a nossa baixa auto estima. Temos ainda muito que evoluir enquanto seres humanos e irmãos espirituais. Bem haja!

  4. Boa noite Morel! Participo pouco por aqui. Sou simpatizante do espiritismo, ainda estou “construindo um alicerce” nos meus conhecimentos a respeito, mas de pronto, posso afirmar que sou árdua leitora(e grande admiradora) das suas exposições por este canal. Mas passando por este texto, algo que você colocou me chamou um pouco à atenção:
    “não uso automóvel…”
    Como pode se dar isto nessa época em que vivemos???
    Obrigada. Força e Paz para você!

  5. Boa tarde, Morel. Realmente a criação de animais em larga escala, para consumo humano, é um problema muito sério.
    Tem um documentário no Youtube muito bom que se chama UMA VERDADE MAIS QUE INCONVENIENTE (Meat the Truth).
    Muita paz para todos.

  6. Obrigado, Heverton. Entendo a tua contrariedade a respeito de priorizar o ser humano em detrimento dos animais. Fundamento minha opinião na visão espírita e evolucionista. Visitei teu site observatorioambiental.com.br e gostei muito. Um abraço.

  7. Muito boa a sua reflexão, Morel. E parabéns pela clareza do texto, coisa que anda difícil por estes ciberespaços.
    Só gostaria de deixar minha opinião quanto ao receio de pensar que devemos colocar “o ser humano em primeiro lugar”. Tenho sérias dúvidas quanto a isto.
    Obrigado.

  8. Cléo, não há o que desculpar; não sou dono da verdade. O que exponho aqui é minha opinião. É claro que não se pode generalizar. Mas sustento meu posicionamento. A destruição que ocorre hoja na Amazônia se deve à criação do gado bovino. E os rios vem sendo poluídos, entre outros fatores, pela criação animal. Em Santa Catarina, por exemplo. 95% dos rios estão comprometidos preponderantemente devido à criação de suínos. Obrigado pela participação, Cléo. O contraponto é importante.

  9. Morel, me desculpe mas não concordo que a criação de gado venha afetar o meio ambiente, pois nem todos os criadores de gado tem rios em suas propriedades e os que tem rios, nascentes, grutas, são obrigados por lei cercarem o local para preservar a mata ciliar, não estou aqui querendo defender os criadores de gado, não é por ser um deles que devo ir em defesa quero deixar bem claro que nem todos os criadores de gado são iguais obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.