Leis cósmicas

O limite do livre-arbítrio

linha do trem

Morel Felipe Wilkon

Ouça este artigo na voz do autor

Você compreende qual é o limite do livre-arbítrio? Vivemos na dimensão espaço/tempo. Espaço infinito e tempo eterno. O espírito imortal está destinado ao progresso, à ascensão espiritual, à felicidade. Quanto a isso não há escolha. Todos alcançaremos a felicidade, mais cedo ou mais tarde.

É aí que está o nosso livre-arbítrio. Quem decide se alcançaremos a felicidade mais cedo ou se a alcançaremos mais tarde somos nós. A ascensão espiritual é certa. Não há como escapar a ela. Nosso destino como espíritos é para cima. Nosso caminho é para cima, e quanto a isso não temos escolha.

Mas para seguir este caminho podemos levar muitos milênios. A escolha é nossa. O tempo que despenderemos no caminho ascensional que leva a Deus depende do nosso livre-arbítrio. O livre-arbítrio nada mais é que um propulsor da ascensão. Não temos escolha entre subir e não subir. Nossa escolha se restringe ao tempo que gastaremos na subida.

escalando a montanha
Você decide quando subir

Essa escolha está vinculada às nossa obras. São nossas obras que determinam a maior ou menor dificuldade de progresso espiritual. Nossas obras ficam conosco, nós as carregamos através de múltiplas reencarnações. Colhemos os frutos bons e maus das sementes que plantamos. Somos herdeiros de nós mesmos. Você hoje é o resultado das suas obras de ontem. Você herdou construções suas do passado, de outras vidas, que tanto podem ser recentes quanto muito distantes no tempo.

Somos herdeiros de nós mesmos. Mas isso não deve ser visto apenas como explicação do porquê do nosso sofrimento atual. Não importa, hoje, por que sofremos, mas para quê sofremos. Não convém que desperdicemos energia buscando causas, mas finalidade. Para quê, com que fim, com que propósito sofremos.

Basta um pouco de boa vontade para perceber que todas as grandes mudanças internas que experimentamos foram ocasionadas pelo sofrimento. Não louvo o sofrimento. Acho mesmo que ele não é necessário. A dor é inevitável, o sofrimento não. Mas negar que mudamos impulsionados pelo sofrimento é negar nossa imaturidade moral, e isso é uma presunção gritante. Ou burrice.

Quando estivermos mais adiantados moralmente seremos impulsionados pelos bons exemplos, pelo incentivo dos mais experientes, pela aquisição e vivência do conhecimento.  Hoje ainda somos muito teimosos, ainda olhamos mais para nós mesmos do que para o todo, ainda estamos apaixonados pela nossa imagem, pelo nosso ego.

Nosso livre-arbítrio permite tudo isso. Nosso poder de escolha possibilita que transitemos por inúmeras situações diferentes até que nos convençamos de que andar para os lados é perda de tempo, e que é preciso andar para cima, é preciso subir.

No tempo do Império Romano dizia-se que todos os caminhos levam a Roma. Ouço pessoas dizerem que todos os caminhos levam a Deus. Sim e não. Se tivermos em vista que não há alternativa além da ascensão, e que só podemos escolher o tempo maior ou menor que levaremos para isso, podemos concordar. Mas considerar que de qualquer modo se chega a Deus é mentir para si mesmo. Só se chega a Deus pelo caminho reto, ascensional,  do cumprimento das Leis de Deus. Qualquer tentativa de burlar estas Leis, de achar caminhos alternativos, é infantilidade espiritual, teimosia juvenil ou burrice.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

16 Comentários

  1. Costumeiramente me questiono : ” Tenho o meu livre arbítrio, estou regida pela lei da causa e efeito, minhas escolhas construirão meu amanhã, mas e Deus? Ele intercede de alguma forma por mim? Se sim, de que forma seria sem burlar as leis cósmicas? ”
    E você me respondeu com esse texto: O limite do nosso livre arbítrio está na nossa destinação ao progresso, à ascensão espiritual …
    Independente das escolhas que fizermos, e dos frutos que colhermos, todos trarão o mesmo resultado: Ensinamentos para nossa ascensão espiritual! A diferença está nas boas escolhas que “encurtam” o caminho, e nas más escolhas que só dificultam…
    Obrigada!
    Muita luz!

  2. Olá, então quando nós evoluirmos e não precisarmos mais reencarnar, o que o nosso espírito fará? Vamos morar no paraíso e ficar por lá? Nós vemos Deus quando morremos? Existe mesmo anjo da guarda? (desculpe tantas perguntas, tenho muitas dúvidas). Um abraço!

  3. O Livre arbítrio
    O Livre arbítrio é a liberdade moral que o ser humano tem para praticar o bem ou o mal, não existem fatalidades morais na vida do Espírito.
    Nenhum espírito se reencarna no mundo Terra ou plano material, para ser fraco, covarde, derrotado, viciado, malandro, picareta, corrupto, bandido.
    Não existe predestinação para o mal.
    O Espírito se reencarna no plano terreno é para VENCER as suas imperfeições morais e Evoluir, pela sua luta e esforço pessoal.
    O mal não é obra de Deus e nem fatalidade cega do Destino.
    O mal é obra do próprio homem, que usa seu livre arbítrio de forma errada, a pessoa se entrega às suas imperfeições morais e às influencias negativas da matéria, e passa a cometer erros, vícios e faltas.
    O nosso DEVER é lutar contra as nossas imperfeições morais e contra as influências negativas da matéria, para podermos crescer espiritualmente e Evoluir.
    Ninguém está PREDESTINADO para o fracasso, para a derrota, para os vícios, para os crimes, para a corrupção, estamos no mundo Terra é para lutar e Vencer, é para Brilhar a nossa Luz.
    A Evolução é Obra nossa, temos que Construir essa Evolução mediante o nosso aprimoramento Moral e Intelectual. O mesmo tempo e energia que gastamos para fazer o mal, podemos usar para fazer o Bem, é uma questão de livre arbítrio e não de Destino traçado.
    Repetimos, não existe predestinação para o fracasso moral.
    Nenhum Espírito se reencarna no mundo Terra para ser um derrotado na vida moral e material.
    Nós somos DONOS da nossa mente, do nosso pensamento, do nosso sentimento e da nossa atitude, portanto, somos DONOS do nosso destino e da nossa Evolução.
    Livre arbítrio é a liberdade que eu tenho para pensar, sentir e agir.
    Portanto o Bem ou o mal quem Constrói sou eu e não o Destino, a vitória ou a derrota quem Constrói sou eu, a Virtude ou o Vício que constrói sou eu, Luz ou a escuridão quem escolhe sou eu, ser forte ou ser fraco quem escolhe sou eu, subir ou cair quem escolhe sou eu, um Destino de paz ou de sofrimento, quem constrói sou eu.
    Eu sou DONO de mim mesmo, isso é Livre arbítrio, liberdade para eu Construir ou destruir ou se destruir.
    Deus não criou nenhum Espírito fraco, derrotado, covarde, doente, picareta, viciado, malandro, bandido, corrupto.
    Deus não criou o mal, nem a miséria, nem as guerras, nem os crimes, nem o sofrimento, nem as enfermidades, nem as favelas, nem a exploração, nem o racismo, tudo isso é obra das enfermidades morais do homem, ou seja, o mal uso do Livre arbítrio, o cenário social e político do mundo é Obra dos homens, nós plantamos e depois colhemos.
    Quem planta pimenta vai colher pimenta.
    Quem planta morangos vai colher morangos.
    Essa é a Lei, não para punir, mas para reajustar ou disciplinar os espíritos faltosos.
    Tudo isso se resume no uso do Livre arbítrio.

  4. Rodrigo, nós sabemos que o que importa, mesmo, é a prática. Essa questão da salvação po Cristo ou não é apenas o modo como nós organizamos o nosso pensamento…

  5. A lei de Deus se resume no amor ao próximo? Se sim, então poderia dizer que é no exemplo do Cristo que chego a Deus? Por que que é tão difícil me livrar de alguns dogmas como da salvação por Cristo e pela sua morte?

  6. Ana Paula, o livre arbítrio é a nossa liberdade de escolha. Nossas escolhas determinam nossas provas e expiações.

  7. Penso!!! Se eu tivesse feito outra escolha eu seria mais feliz? Não estaria sofrendo hoje? Às vezes acho que tudo que viemos aprender ou recordar é independente de escolhas. Se temos provas e expiações a cumprir, ela baterá à nossa porta de qualquer jeito.
    O livre arbítrio para mim seria fazer uma escolha que eu sofra menos, sem fugir das responsabilidades.
    Será que consegui me expressar?…

  8. Ari, gostei muito da sua exposição. Para diminuir a diferença entre a teoria e a prática precisamos de disciplina. Sem uma disciplina rígida é complicado incorporar novos hábitos e internalizá-los. Penso como você em relação à provisoriedade de nossa maneira de enxergar as coisas. Estou sempre disposto a mudar de opinião e conduta se for para evoluir mais harmoniosamente. Força e paz.

  9. Muito bom o texto, Morel. Desde que iniciamos (eu e minha esposa) na doutrina espírita, tenho modificado minha forma de orar. No início achava que não merecia tal sofrimento, depois tentava entender o porquê (do sofrimento) e hoje já tenho a plena consciência de que tenho que perguntar: “para que tal sofrimento?”. No fim das contas já sabemos também a resposta dessa pergunta. O problema é que entre e teoria (entender) e prática (exemplo) existe uma diferença muito grande. Vejo em todas as religiões e doutrinas pessoas que têm um conhecimento maravilhoso da palavra de Deus, mas infelizmente a prática não condiz com esse conhecimento. Preciso urgentemente praticar o perdão, pois me é necessário. Senão como poderei pedir perdão dos erros que já cometi se não consigo perdoar? Preciso praticar meu livre arbítrio, de forma a crescer, mas mesmo com toda consciência, não é fácil fazê-lo, pois a dor ainda corrói. Entendo que o livre arbítrio é a lacuna que existe entre teoria e prática. Quando deixarmos de lado o orgulho (como você sempre diz), o egoísmo e tantos outros sentimentos que nos servem de “freio”, o livre arbítrio deixará de ser uma lacuna, para ser a vontade de Deus em si. Hoje, essa é minha forma de enxergar as coisas, talvez amanhã eu vejo de forma diferente. Boa tarde para todos.

  10. Também achei muito bom o texto. Eu particularmente costumo medir meu livre-arbítrio na mesma medida do respeito, desta forma eu penso que esse limite acaba quando as minhas atitudes possam de alguma maneira invadir o espaço ou até mesmo prejudicar a alguém!

  11. Muito bom texto e muito esclarecedor, parabéns! O livre arbítrio é seta para nossa evolução ou estacionamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.