Temas abordados, Vídeo

O arrebatamento de Elias numa visão espírita

arrebatamento de Elias

Uma das maiores evidências da reencarnação na Bíblia nos é oferecida pelo próprio Jesus quando ele explica a Pedro, Tiago e João que João Batista é Elias.
 
Aqueles que não aceitam a reencarnação alegam que Elias não morreu, que Elias foi arrebatado. Evidentemente, isso é uma interpretação ao pé da letra. Há os que defendem que Moisés e Enoque também não morreram, embora a Bíblia mostre que eles morreram.
 
Philo de Alexandria, já no tempo de Jesus, entendia a Bíblia (na verdade só o Antigo Testamento, pois o Novo Testamento não existia ainda) como uma linguagem simbólica. Se nós entendermos a Bíblia ao é da letra, Deus fez o mundo em seis dias; Eva foi feita do báculo de Adão (isso mesmo, báculo – o osso do pênis; não tem nada a ver com costela); um casal de cada animal do mundo entrou na arca de Noé, e aí por diante. Se formos levar a bíblia ao pé da letra teremos que matar os filhos desobedientes, teremos que cortar a nossa mão quando ela for motivo de escândalo, teremos que carregar sempre conosco uma pazinha pra enterrar o nosso cocô, pois Deus pode visitar o nosso acampamento à noite, e se estiver tudo cagado já viu… 
 
Elias foi um grande profeta do antigo testamento. Elias viveu durante o reinado do rei Acabe, uns 900 anos antes de Cristo. Elias zelou pela lei e pelo culto a Javé – como era chamado na época o Deus dos Judeus; Elias denunciava o rei e queria recuperar o verdadeiro culto a Javé.
 
Alguns religiosos acham que Elias não morreu. Sustentam que Elias foi arrebatado vivo aos céus, baseando-se nesta passagem:
 
“Sucedeu que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: peço-te que haja porção dobrada do teu espírito sobre mim. Elias disse a Eliseu: coisa difícil pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará, porém, se não vires, não se fará. E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro e Elias subiu ao céu num redemoinho.” 2 Reis 2
Aqui não é dito que Elias não morreu. O que é dito logo depois, apenas, é que Eliseu nunca mais viu Elias.
Nós vimos que Eliseu pede “uma porção dobrada” do espírito de Elias. O que seria esta “porção dobrada” do espírito de Elias?
 
O que Eliseu está pedindo a Elias são seus poderes mediúnicos, já que ambos, Elias e Eliseu, eram grandes médiuns – e isso explica por que logo depois está escrito que “o espírito de Elias pousava sobre Eliseu”. Elias, em espírito, passou a agir sobre Eliseu, passou a ser o guia espiritual de Eliseu – e com isso Eliseu adquiriu maiores poderes mediúnicos, adquiriu a “porção dobrada” do espírito de Elias.
 
O que nós percebemos neste chamado arrebatamento de Elias foi que Elias, pelo seu maior adiantamento espiritual, não passou por nenhum estágio intermediário depois de desencarnar; não passou pelo que hoje os espíritas chamam de umbral ou o que os católicos chamam de purgatório. Elias era um espírito adiantado para a época e logo se tornou o mentor espiritual de Eliseu. 
 
Quem presenciou o chamado arrebatamento de Elias foi Eliseu. Eliseu, que tinha a faculdade de vidência bem desenvolvida, viu Elias desencarnar e ser auxiliado no seu processo de desencarnação por outros espíritos desencarnados. O carro de fogo e os cavalos de fogo pertenciam ao plano astral (que é para onde nós vamos quando nós morremos ou quando nós dormimos). É o equivalente ao hades dos gregos. Jesus menciona o hades ao contar a parábola do homem rico e do pobre Lázaro. A tradução geralmente é “inferno”, mas no original grego do Evangelho a palavra é hades.
 
Nós vemos muitos relatos de visões semelhantes nas chamadas EQM, ou experiências de quase morte. O Doutor Raymond Moody dedicou a sua vida a estudar e registrar casos de EQM. É muito comum haver casos de visão quando o espírito está se desligando do corpo físico, quando está quase desencarnando – foi o que aconteceu com Elias e Eliseu.
 
Aproximadamente dez anos depois deste episódio, depois deste chamado arrebatamento de Elias (que foi a morte de Elias), mais ou menos uns dez anos depois Jeorão, que era rei de Judá, recebe uma carta de Elias. Nós temos então duas hipóteses: ou Elias foi arrebatado para algum lugar – aqui mesmo, no plano físico – e escreveu essa carta; ou Elias realmente desencarnou e essa carta foi psicografada – uma carta de Elias psicografada, talvez, pelo próprio Eliseu.
 
O que não pode ter ocorrido é Elias ter sido arrebatado para o céu (ou para o plano espiritual) com o seu corpo físico. O que Elias iria fazer com o corpo físico no mundo espiritual?
 
Os que defendem que Elias foi pro céu com corpo e tudo apegam-se nesta passagem:
 
“Ora, enquanto seguiam pela estrada conversando, de repente apareceu um carro de fogo com cavalos também de fogo, separando-os um do outro, e Elias subiu para o céu no turbilhão”. 2 Reis 2,11
 
Se Elias subiu ao céu, como ele escreveu a carta? Só se foi mesmo uma psicografia. Será que Elias desceu do céu pra escrever a carta? Veja o que Jesus diz aqui:
 
“Ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu: o Filho do homem”. João 3,13
E o que Jesus disse ao desencarnar?
 
“Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”. Lucas 23, 46 – Por que ele não entregou o corpo?
Como diz o Eclesiastes:
“O pó volte à terra, onde estava, e o espírito volte para Deus, seu autor”. Eclesiastes 12, 7
Paulo disse a mesma coisa:
“Pois, se há um corpo animal, há também um corpo espiritual”. 1 Coríntios 15:44 – e pouco depois:
“Mas isto vos digo, irmãos: a carne e o sangue não podem possuir o Reino de Deus, nem a corrupção herdará a incorrupção”. 1 Corintios 15, 50
É evidente que Elias morreu como todo mundo morre. Morreu como Elias e reencarnou como João Batista. Duas pessoas diferentes, mas o mesmo espírito. Duas personalidades diferentes (embora muito semelhantes), mas a mesma individualidade. O espírito atravessa os milênios, experimentando múltiplas reencarnações, aprendendo a cada reencarnação e nos intervalos entre elas e cada vez mais se aproximando de Deus.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

5 Comentários

  1. Ola Morel, seus textos tem sido o meu equilíbrio nos últimos meses, esclarecendo o caminho que devo seguir, me dando forças e me lembrando também de agradecer as dádivas e os sacrifícios que temos aqui na Terra. Falando sério, você escreve muito bem e isso me atinge como muitos outros livros espíritas não conseguiram. Agradeço muito e espero que você tenha sempre muita energia para continuar seu trabalho. Agora, indo direto ao assunto: como faço, no dia-a-dia, para mudar meus pensamentos? É impressão minha ou isso é um combate segundo a segundo? Por várias razões, sou aquela pessoa que sempre acha que está errando, que não é digna de ser amada e coisas assim. Por mais que estude o espiritismo, esses pensamentos me bloqueiam. Como mudamos o pensamento mesmo, na prática? Obrigada desde já pelo seu tempo. Mônica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.