Reforma íntima

Coragem pra ser bom

criancas-sorrindo

Artigo publicado originalmente em 25/10/2012

Ouça este artigo na voz do autor

É preciso coragem pra ser bom. Se você quiser ser bom de verdade, terá que abandonar essa imagem que você criou com tanto apego.

O Espiritismo ensina que existem dois grandes defeitos humanos; o orgulho e o egoísmo. Todos os outros defeitos, grandes e pequenos, derivam destes dois. O orgulho e o egoísmo são os grandes males da humanidade.

O que chamamos de reforma íntima é uma tentativa de desenvolver as qualidades opostas a esses defeitos. A humildade é o oposto do orgulho e a caridade é o oposto do egoísmo. Provavelmente você se esforça, assim como eu me esforço, para realizar a reforma íntima, para desenvolver as virtudes que lhe faltam.

Coragem pra ser bom

Mas pode-se ver a coisa por outro ângulo. O que nos falta é humildade e caridade? Sim, parece não haver dúvida em relação a isso. Mas se quisermos admitir outro ponto de vista, podemos chegar à conclusão de que o que nos falta é coragem.  Coragem é o que precisamos. Você concorda? Você não acha que é preciso muita coragem para vivenciar o cristianismo? Eu, particularmente, não sei de nada que exija mais coragem.

Não tenho medo de briga, de assalto, de acidente, de tragédia, nada disso me amedronta. Nada disso tira meu sono, nada disso me preocupa. O que me dá medo, e medo de verdade, é ser bom. Nada é mais terrificante do que a ideia de me tornar bom. No entanto, me esforço pra isso todos os dias. Você também se esforça? E acha fácil? Se você quiser ser bom de verdade, terá que abandonar essa imagem que você criou com tanto apego. Essa imagem da qual você tanto se orgulha, essa imagem que você tanto defende, essa imagem que faz você ficar de mal com quem ousa não respeitá-la ou não admirá-la.

Pra ser bom de verdade você terá que desconstruir o personagem que você criou, esse personagem que foi erguido com tanto trabalho. Você demorou pra tomar essa aparência que tem, esse jeito que tem, essa personalidade que você usa. Agora que está acostumado a interpretar esse personagem, terá que desconstruí-lo, pois ele não aceita que você seja bom de verdade.

Confesse que isso dá um medo terrível! Ser caridoso é dar de si mesmo pra alguém que você não conhece; ser humilde é  reconhecer sua pequeneza frente ao Universo infinito, admitir que espírito imortal como você existem bilhões. Você não tem medo disso? Não lhe dá medo fazer o que deve ser feito? Fazer o que deve ser feito e que você sabe fazer? Se não é por medo, por que você não faz? Discorde, se quiser. Mas me permita afirmar que se você não tem medo de ser bom ou você é muito melhor do que eu, quase um São Francisco, ou você ainda não entendeu o que é ser bom e o que isso exige.

Nós criamos uma imagem de nós mesmos que não condiz com caridade, não combina com humildade. Nós passamos a vida interpretando um personagem que fingimos considerar muito importante. E quando conseguimos convencer mais pessoas da importância desse personagem, nós mesmos chegamos a nos enganar com ele. E abandonar tudo isso dá medo.

Isso é semelhante ao caso de um operário qualquer, muito zeloso e ambicioso, que todos os meses investe suas economias em material para construir a sua casa. Vai erguendo sua casa pouco a pouco, e ao final de alguns anos ela está pronta. Ele a ergueu com muito trabalho, com muito esforço, com muito capricho. Por isso, ele fecha os olhos para os seus defeitos e remendos. Assim que ela fica pronta, ele ganha um inesperado financiamento para uma casa nova, em melhores condições. Mas para construir a casa nova, é preciso derrubar a casa velha.  Sua razão manda que ele escolha a casa nova, melhor que a atual. Mas e o envolvimento emocional com a casa que ele mesmo construiu com tanto zelo?

É preciso coragem pra derrubar a casa velha. Eu venho ensaiando essa coragem todos os dias. E você?

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

9 Comentários

  1. Boa noite estimado irmão Morel Felipe Wilcon.

    “… Com o EGOÍSMO E O ORGULHO, que andam de mãos dadas, essa vida será sempre uma corrida favorável ao mais esperto, uma luta de interesses, em que as mais santas afeições são calcadas aos pés, em que nem mesmo os sagrados laços de família são respeitados”.
    Do livro: O Evangelho Segundo o Espiritismo, CAP. XI.

    Agradeço por partilhar os seus postes que nos levam a refletir sobre a nossa “Reforma Intima” que por vários motivos e muitas vezes embasados em falsos valores ficamos postergando dia após dia.
    Eu intuo que para viver o Cristianismo na prática não é nada fácil! Mas não é impossível quando se envolve todos os sentidos para o que realmente tem significado como seres viventes, cada qual na sua especificidade, representando os seus papéis na sociedade no tempo e espaço, focando mais o que dá sentido a VIDA passageira, ou seja, viver os justos valores humanos. No entanto, devido as diferentes culturas existenciais no mundo, que vêm arraigadas de pais para filhos, cada um traz a sua história de construção de identidade, desta e outras existências para se respeitar, mas ampliar partindo da onde se encontra, avaliando o que já conquistou refletir singularmente e desconstruir falsos valores, confrontando com os devidos estudos do Evangelho pela Transformação Moral Interior, seguindo o Evangelho de Cristo tão coerente com a finalidade da nossa existência, neste plano terreno para o bem, o amor incondicional, a paz na união e compreensão sobre si mesmo em processo de desenvolvimento espiritual singular, amando-se, respeitando-se, estendendo as atitudes de valores morais ao próximo. Embasado sob a luz da Doutrina Espírita. A Paz de Cristo.

    Sempre na luta para vencer a matéria, o egoísmo filho do orgulho, lembrando sempre para seguir os exemplos Cristo. Louvado seja.
    Irmã Sonia Gallego

  2. Maravilha de artigo, amigo. Estamos sempre aprendendo, é difícil ser bom, sim, mas tentando, tentando, a gente chega lá. Gratidão sempre!

  3. Sim. Como é difícil deixarmos essa imagem. Crescemos, estudamos e ganhamos uma profissão. Quando alguém nos pergunta o que somos, geralmente respondemos com a nossa profissão ou nosso cargo. Não sabemos quem somos nós. Talvez seja essa a busca incessante que deveríamos travar. Como ser eu, entendendo e analisando minhas falhas e buscando praticar no dia a dia um pouco do aprendizado deixado pelo mestre Jesus. Como deixar para trás velhos conceitos, condecorações, status, reconhecimentos. Como diminuir nosso orgulho e ganhar a verdadeira humildade. Como servir com amor o próximo, independente de qualquer coisa. Como ser bom e justo a todos independente do ciclo que vivem. Há muito que se aprender e com certeza amigo é a coragem certamente que precisamos para nos desafiarmos nessa busca. Fique em Paz e obrigado em compartilhar esse conhecimento conosco.

  4. Silvana, acredito que um erro grave que cometemos é criar espectativas em relação às pessoas. Se não esperarmos nada das pessoas, não haverá decepção. Mas é como tu disseste, a vida é uma escola. Estamos aqui pra corrigir nossas falhas e pra tentar a melhor harmonização possível com aqueles que nos cercam. Obrigado pelo comentário, amiga.

  5. Olha concordo com você Morel não é fácil ser bom eu tento admito mesmo, mas não é fácil porque você é bom com as pessoas principalmente pessoas próximas como amizades… mas vou te falar eu me surpreendo cada vez porque acabo vendo atitudes das pessoas às vezes elas não são boas com a gente a gente faz de tudo olha é de se surpreeder com as atitudes, mas claro às vezes algumas retribuem com bondade veem o lado bom das nossas atitudes, eu estou sempre me corrigindo tento dar o máximo de bom de mim, mas enfim é a vida nos ensinando não é por acaso que estamos aqui para aprender, como diz o ditado a vida é uma escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.