Perguntas dos leitores

Existe hora de morrer?

destino-espiritismo

Morel Felipe Wilkon

Existe hora certa para morrer? A morte é predeterminada ou depende de nosso livre-arbítrio? Uma pergunta nesse sentido me foi feita pela leitora Alice.
Olá, Morel!
Gostaria que me esclarecesse, se possível, sobre o homicídio pela visão espírita.
Eu sei que ninguém nasce para ser assassino e, consequentemente, ninguém nasce para ser assassinado.
A questão é: se só morremos se chegada a hora, então uma pessoa que foi assassinada morreria de qualquer maneira?
Então um bebê abortado morreria de qualquer maneira?
Eu levei essa discussão para o grupo de estudo que frequento e as respostas não me convenceram.
Eu acredito que uma pessoa pode sim ter a vida interrompida por outra antes da hora, deixando de cumprir sua missão ou resgate…
Mas no centro espírita que frequento, as pessoas me disseram que se você não tiver de morrer, pode levar 10 tiros na cara que não vai morrer.
Eu creio que não caia uma folha sem que Deus permita mas, assim como o suicida consegue interromper sua vida, eu creio que pessoas morram antes da hora.
Acho que pessoas sobrevivem “milagrosamente” a certos acontecimentos porque é uma reencarnação mais complexa onde seria mais difícil reunir todos os espíritos ligados a essa pessoa novamente. Mas isso é reflexão minha.
Você já leu sobre isso, já fez algum estudo mais profundo sobre o assunto? Poderia me ajudar a respeito?
Desculpa se estiver abusando de sua boa vontade. Se não lhe interessar o assunto não vou ficar aborrecida. Desde já agradeço sua atenção. Abraço fraterno.
Alice, não sou dos espíritas que consideram O Livro dos Espíritos como Verdade única e absoluta. Nossas verdades são relativas ao nosso grau de entendimento. Mas, nesta questão 853 a resposta é tão enfática que, mesmo analisada em conjunto ou por comparação a outras questões do mesmo e de outros livros da codificação, não deixa muita margem a dúvidas:
853. Algumas pessoas só escapam de um perigo mortal para cair em outro. Parece que não podiam escapar da morte. Não há nisso fatalidade?
“Fatal, no verdadeiro sentido da palavra, só o instante da morte o é. Chegado esse momento, de uma forma ou doutra, a ele não podeis furtar-vos.”
a) — Assim, qualquer que seja o perigo que nos ameace, se a hora da morte ainda não chegou, não morreremos?
“Não; não perecerás e tens disso milhares de exemplos. Quando, porém, soe a hora da tua partida, nada poderá impedir que partas. Deus sabe de antemão de que gênero será a morte do homem e muitas vezes seu Espírito também o sabe, por lhe ter sido isso revelado, quando escolheu tal ou qual existência.”
Esse posicionamento é reforçado na questão 738, ao afirmar que “venha por um flagelo a morte, ou por uma causa comum, ninguém deixa por isso de morrer, desde que haja soado a hora da partida.”
Ao reencarnarmos, temos, devido a fatores genéticos e energéticos, uma expectativa de vida. Podemos alterar esta expectativa para mais ou para menos, conforme os cuidados com o corpo físico e com as energias e emoções. André Luiz, um exemplo clássico, foi considerado, até certo ponto, suicida, pois encurtou a sua passagem pela matéria pelo descuido. Os principais eventos de nossa existência estão, de certo modo, previstos pelas características de nossas vidas:
258. Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?
“Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.”
hora de morrer
Existe hora de morrer?

Quanto a acidentes, tragédias, homicídios, não posso acreditar em acaso puro e simples. Tudo e todos estão interligados. Temos que considerar que a soma de tudo o que pensamos, falamos e fizemos até hoje, em todas as nossas reencarnações e nos intervalos entre elas, forma o que nós somos hoje. Cada um de nós tem um campo energético único de atração ou repulsão que atrai ou repele pensamentos, imagens, palavras, intenções e ações. A lei de atração e repulsão, que Allan Kardec, utilizando-se de um vocabulário científico de meados do século XIX, chamava de Lei de assimilação e repulsão dos fluidos, age invariavelmente. Nós exteriorizamos, invariavel e continuamente o reflexo de nós mesmos, nos contatos de pensamento a pensamento, sem necessidade de palavras para as atrações ou repulsões essenciais.

É claro que temos que considerar os atentados contra o livre-arbítrio, como o aborto, mas, mesmo aí, a hipótese de ele se concretizar já existia antes da concepção. Reencarnamos com um conjunto de possibilidades a desenvolver. As condições em que reencarnamos – tempo, lugar, meio, pessoas – somadas às nossas características, já deixa quase estabelecido o que pode ou não pode acontecer.
Nos exemplos que você citou, o bebê tinha uma grande probabilidade de ser abortado, mas não uma certeza. Onde há livre-arbítrio não há certeza. Ninguém nasce pra ser assassino ou assassinado, mas a tendência que o espírito tem de tirar a vida alheia, somada ao meio e às influências que há de sofrer, faz dele um assassino em potencial; do mesmo modo que há grande probabilidade de alguém com histórico semelhante ao do assassino, mas em estágio de arrependimento e regeneração, ser assassinado. Em seu subconsciente há a culpa, e o sentimento de culpa atrai para si irresistivelmente o alvo da culpa que nutre. Isso sem contar a influência direta dos espíritos, que, conforme nos indicam as questões 459 e 461,   é muito maior do que costumamos imaginar. “Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem”. Influenciamos e somos influenciados continuamente, e muitos dos pensamentos e ideias que passam por nossas cabeças são sugeridos pelos espíritos, “dando a impressão de que alguém nos fala”.
Tratei, no meu site, há pouco mais de um ano, da tragédia de Santa Maria, em que muitos jovens morreram em decorrência de um acidente.

Para mim é evidente, dadas as características que envolveram o fato, que se trata de um resgate coletivo. Nem precisamos imaginar que haja um planejamento para que isso aconteça. Sabemos que os semelhantes se atraem e que isso se dá, antes de mais nada, pelo pensamento. As condições que uniam estes espíritos os reuniram automaticamente, assim como dentre milhões de espermatozoides, um é atraído para o óvulo. O que determina a seleção do espermatozoide é a natureza do espírito, um determinado espermatozoide, o mais adequado,  sintoniza com ele.

Entre os jovens vitimados provavelmente havia espíritos que não pertenciam ao mesmo “carma”, que foram vitimados pela fatalidade de outros; mas, ainda assim, algo em seu passado, algum traço de sua natureza os impeliu para este episódio.

Não posso acreditar em acaso. Não creio que tudo que se relacione à morte esteja escrito, pois há o livre-arbítrio, mas há forças muito maiores que a nossa pequena consciência. A maior parte de nossos pensamentos, palavras e ações são comandadas pelo nosso subconsciente. Agimos com consciência plena uma mínima parte de nossas vidas. Tente concentrar-se numa palavra qualquer deste texto por um minuto. Um minuto apenas…

Você não consegue, porque não tem o domínio dos seus pensamentos. É o seu subconsciente que faz quase tudo por você. O controle sobre as nossas vidas pela nossa consciência é muito menor do que queremos aceitar. Não somos apenas o que aparentamos ser; temos outros níveis de consciência sobre os quais o nosso controle é muito menor ou nulo. Uma evidência disso são os sonhos em que, mesmo com algum grau de lucidez, agimos de forma bem diferente do que agiríamos em estado de vigília.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

53 Comentários

  1. Morel durante grande parte da minha vida eu tenho que lidar com a perda de pessoas que se aproximam de mim e pouco depois desencarnam. Pessoas desconhecidas, que por vários motivos e coincidências eu conheço e depois descubro que desencarnaram. Isso é comum? Ou por eu ter um grau de mediunidade ainda não educado eu acabo atraindo essas pessoas de alguma forma?

  2. Boa noite, preciso de um esclarecimento. No centro espírita que eu frequento, em uma segunda feira de doutrina, apos o término da mesma, eu vi uma colega de doutrina sofrer um acidente de carro, eu e demais pessoas a socorremos. Hoje uma semana após o ocorrido, e dia de doutrina, minha colega que sofreu o acidente, compareceu, e o Médium que rege a casa participou, coisa rara de acontecer, durante a conversa ele afirmou: – A irmã iria partir, ela iria desencarnar, mas eu intercedi, junto aos irmãos de luz!
    Me senti muito triste com o que ele disse pelo fato de me soar como mentira, afinal não temos todos a hora de partir? Quem tem poder de interferir na hora da morte? Se é chegada a hora nada nem ninguém mudará isso, estou errada?

  3. Ola Morel. Queria saber se pode me ajudar! Perdi uma pessoa muito querida a um mês, se trata da minha comadre foi assassinada. Fico muito curioso em relação a como ela esta como espirito. Na noite passada ao deitar pra dormir sentir tipo uma presença, um vento gelado bateu em mim fiquei perturbado e tendo intervalos de sonhos, eram sonhos curtos e todos ligados a ela. E hoje foi minha esposa que sentiu e mesmo e esse vento gelado vinha da minha direção. pode ser ela? será que precisa de algo? não entendo nada do assunto. e se for ela o que podemos fazer para ajudar? Agradeço muito se puder ajudar! Obrigado.

  4. Olá! Sou nova na página.
    Tenho uma tia de 73 anos que não tem casa própria, devido esse motivo principal ela mora em minha casa. Ela tem câncer de ovário metástase, anemia profunda e recentemente teve um AVC. Devido essas doenças ela sofre bastante com dores que os remédios não fazem efeitos. E recentemente ela se encontra no hospital, todos achavam pela segunda vez que ela iria morrer, porém está sendo ao contrário ela está se recuperando cada dia a mais. Minha mãe, tem 41 anos , cuida dela desde seus 50 e poucos anos. E no momento está cansanda de sofrer com essa minha tia, assim como toda a família. Porque ela não faleceu ainda? Oque a prende tanto na terra ? E oque Deus quer com minha família?Por favor me ajudem, ja não aguento mais viver com essas perguntas sem respostas.

  5. Dia 24.06.2016 perdi uma pessoa maravilhosa, ele foi assassinado 🙁 2 horas antes de recebe a triste notícia agente se fala brincamos e ate mesmo brigamos isso me DOI muito pois ele partiu sem eu poder pedir desculpa da minha ignorância TDs os choro pedindo desculpas…. Sei que me bate uma dor pois em saber que fui arrogante com ele sem necessidade a última MSG dele foi OK rafaela

  6. Gostaria de saber por que eu senti e chorei o dia todo, como se previsse a morte de um antigo namorado e amigo, que morreu em acidente automobilístico!? Teríamos alguma ligação?! Não senti isso nem com meus avós!

  7. Te agradeço pela sua atenção. É bom saber a opinião de outras pessoas. Pois quando nos deparamos com uma situação dessas, os assuntos a respeito são os mais variados. Pensamos de um jeito, mas logo pessoas querendo ajudar acabam fazendo comentários que machucam ainda mais. Assim acabam nos confundindo. Creio nas tuas palavras. Penso assim também. Acho que é a explicação mais lógica que temos nessa vida. Leio muito a respeito, sempre procurando o lado espírita, acaba aliviando um pouco mais essa dor. Muito obrigado pelas tuas palavras. Abraço.

  8. Ana Lúcia, todos nós somos espíritos comprometidos com os erros que cometemos no passado. Acabamos reencontrando nossos desafetos e revivendo situações que nos prenderam às forças negativas da Vida. A morte nunca é igual para ninguém. Depende do adiantamento do espírito, do seu grau de conscientização, das suas amizades espirituais… é importante haver o perdão, por parte das vítimas. O perdão liberta, permite o entendimento mais amplo do que aconteceu e o consequente preparo para a continuação da vida.

    É importante que os que ficaram não se revoltem. A vida continua, sempre. E esses choques são passageiros – se lembrássemos de nossas existências anteriores, verificaríamos que todos já experimentamos algo parecido. A oração por todos os envolvidos é o melhor remédio. Sem mágoas, sem egoísmo, com compreensão e amor. Somos todos filhos do mesmo Pai. O perdão e o entendimento entre todos os envolvidos nessas tramas seculares proporciona um grande alívio e desperta o verdadeiro amor divino.

  9. Minha sobrinha foi assassinada no dia 22 de novembro de 2015 juntamente com o namorado e o sogro. Logo o assassino que era seu cunhado se suicidou. Fico me perguntando o porquê? Ela com apenas 20, cheia de sonhos, o namorado entrou na universidade como também era o sonho dele com apenas 21 anos. O cunhado tinha problemas psicológicos. Fico a imaginar como ela está? Se há possibilidade de os dois estarem juntos neste novo plano? Não queria que ela sofresse. O que acontece num desencarne assim?

  10. Lucy, a morte não dói. Num acidente o espírito fica algum tempo perturbado. E, se não tiver nenhum esclarecimento, pode manter por bastante tempo a impressão do corpo físico, inclusive com dor. Tudo vai depender da sua capacidade de desligar-se dos vínculos que o prendem à matéria.

  11. Olá bom dia! Eu quero saber se na hora do desencarne sentimos dor física já que é comum ouvir falar sobre a dor da morte, essa dor em si é da morte ou do mal que aflige a pessoa prestes a desencarnar? Já vi pessoas dormirem e simplesmente não acordar mais sem nenhum sinal de sofrimento ou dor! E o desencarne por acidente o que sente a vítima? Obrigada!

  12. Cinara, somos espíritos. Lá ou aqui, somos espíritos. Se o espírito está bem, tanto faz estar encarnado ou desencarnado. Se há planos diferentes, é porque eles oferecem diferentes tipos de aprendizado. Se ele ainda está parcialmente preso ao plano físico, seu aprendizado por aqui ainda não terminou. Nossa tendência é ver as coisas de um ângulo muito estreito. O que nos parece dor e sofrimento pode ser exatamente o tipo de experiência capaz de abrir definitivamente os horizontes do espírito.

  13. Meu avô está há quase 20 anos debilitado por causa de uma sequência de avc’s e paradas cardio-respiratórias, não entendo por que ele não consegue partir dessa encarnação e finalmente atingir o descanso, sinto muita pena dele e peço a Deus que o leve para o outro lado. Poderia me esclarecer?

  14. Luciana, compreendo o seu sentimento, mas não há motivo para você se sentir culpada. Você agiu corretamente ao não incentivar a vitimização tão comum em pessoas doentes. Somos espíritos imortais e habitamos, temporariamente, corpos físicos. Estes corpos são máquinas, são, portanto, perecíveis. Nos acostumamos a dramatizar a doença, mas a doença é o desgaste natural de uma máquina perecível. Sei que esta abordagem parece dura, mas estes são os fatos.
    A morte por doença, como foi o caso de sua mãe, tem a grande vantagem de preparar o espírito para o desencarne. Ela deve estar bem; não se preocupe com isso. O que você pode fazer é orar por ela, mas, por favor, sem culpa ou tristeza. Ela irá sentir o que você sentir durante a oração. A oração, portanto, deve ser de gratidão, de agradecimento por ter tido a oportunidade de conviver intimamente com ela, e desejando a ela (incentivando fortemente) a manter-se firme, adaptando-se o mais rápido possível ao seu novo plano.
    Deus te abençoe.

  15. Olá, meu nome é Luciana, eu perdi a minha mãe há 18 dias.
    Ela tinha um câncer no estômago, fez uma cirurgia de sucesso, estava fazendo a quimioterapia para prevenção. Na última quimioterapia acompanhada de radioterapia ela ficou muito debilitada, e como não tinha febre achei que era reação do medicamento, eu fui dura com a minha mãe, achei que ela estava se entregando. Quando a levei para o hospital eles demoraram no atendimento e logo me disseram que ela estava com uma infecção generalizada. Me sinto muito responsável, está doendo muito. Estou sem forças, eu queria muito saber se ela está bem. Obrigada de todo coração.

  16. Isaura, por mais difícil que isso possa parecer num primeiro momento, é importante que todos fiquem tranquilos, que procurem aceitar o acontecido e manter a paz. A pessoa que morre nessas condições mantém, por algum tempo, as ligações energéticas com os que ficaram – e sentem os efeitos do que sentimos. Se houver muita tristeza e revolta, ele vai sentir isso e o seu encaminhamento para o socorro será mais difícil. É bom orar por ele, mas com amor e paz; sem muito choro e revolta. Sugiro que procure um centro espírita e encaminhe o seu nome para atendimento.

  17. Meu cunhado apareceu morto na via pública, a polícia acha que foi assassinado. Como o podemos ajudar a encontrar a luz?

  18. Dayane, quem falou isso para você é um charlatão mentiroso e sem-vergonha. Não existe nada disso; você não tem nenhuma responsabilidade no que aconteceu. Sugiro que você estude a Doutrina Espírita para compreender essas questões e não ser enganada por pessoas mal-intencionadas.

  19. Olá, meu marido morreu num acidente de trabalho, eu tinha 23 anos e tinha um filho de 2 meses!! Fui num médium e ele disse que a culpa foi minha, por eu ter adiantado meu ciclo da vida! Pois meu ciclo só começa com 26 anos e teve que acontecer esse “acidente”!! Agora me sinto culpada!
    Isso pode realmente acontecer? E o ciclo dele foi interrompido por minha culpa?
    Obrigada.

  20. Sandra, a morte pode ser antecipada ou postergada, mas dentro de limites bem estreitos. Compreendo o seu inconformismo, afinal, sabemos que sempre podemos fazer melhor. E, em relação à morte física, não teremos outras chances.
    Mas a vida é uma continuação, somos nós que a “fatiamos”. Todas as pessoas envolvidas continuam existindo, cada uma delas evoluindo de alguma forma.
    Não perca tempo se lamentando. As qualidades que você teria que ter exercido com a sua mãe você as pode e deve desenvolver agora, pois ainda há tempo. Esses erros que cometemos, em si mesmo, não têm grande importância. Sua importância está em nos despertar para a necessidade de nos melhorarmos.

  21. Minha mãe faleceu há um ano e quatro meses. Foi tudo muito rápido, em dois meses ela adoeceu e morreu. A doença não foi diagnosticada a tempo, os médicos erraram várias vezes e nós (eu e meus irmão) não vimos que ela estava indo. Penso que estava cega, acho que fizemos muito pouco, ela tinha grandes chances de cura, mas ela acabou desencarnando. Desde então frequento um centro espírita e leio muito. Mas essa culpa, essa mágoa não passa, não acredito que era a sua hora. Penso que foi erro médico que atrasou o tratamento, porque não acredito neste determinismo. Acredito que já nascemos com tendências, vícios e sofremos influências de espíritos bons e ruins e que tudo isso somado ao livre arbítrio podem alterar nossa vida e até a hora da morte.

  22. Mayhara, nos acostumamos a ver Deus como um ser que interfere em nossas vidas, mas não é assim. Temos livre arbítrio, e, consequentemente, temos responsabilidades. O que conhecemos, efetivamente, de Deus, são as Suas Leis, perfeitas e imutáveis.
    Não sabemos se existe alguma tendência para a hora ou o modo da nossa morte ou não. O que sabemos é que a vida continua sempre, em toda parte. É normal que você sinta falta dele, mas ele está tão vivo como antes, apenas em um plano diferente. Também é normal nos questionarmos acerca dos erros cometidos, mas, mais importante do que os erros, são os acertos. Nos cobramos, realmente, quando desencarnamos, sobre o que fizemos de bom, pois é para isso que reencarnamos. Todos cometemos erros, principalmente na juventude. O importante é aprendermos com os erros e estarmos sempre dispostos a progredir.
    Mantenha sempre uma lembrança positiva dele. Evite se preocupar ou lamentar. Nossos sentimentos são importantes para os entes queridos que partiram há pouco tempo. Nossas orações, nosso amor e confiança fazem bem a eles. Por outro lado, a saudade doentia, a revolta e as lamentações os prejudicam.
    Fique com Deus.

  23. Morel, estou gostando e tem me ajudado muito as perguntas e respostas que encontrei em seu site.
    Perdi meu único irmão há um mês e meio em um acidente de moto, onde ele morreu na hora e o rapaz que estava com ele nada sofre!
    Ele tinha 21 anos, fico me perguntando qual era o propósito dele em vida! Apesar de ser um irmão, tio, filho e amigo carinhoso, atencioso, adorava crianças, ajudava as pessoas, levava comida para os amigos que necessitavam, chegou a levar cobertor da minha mãe a um amigo que passava frio… mesmo com tanta humildade e bondade no coração ele também fazia coisas erradas, estava envolvido com droga com a intenção de ter uma vida melhor, parou de estudar ainda novo, entrou para o quartel (como nosso pai) e não quis seguir carreira, trabalhou em dois empregos… enfim vejo que ele não se encontrava, entende, não sabia o que queria… mas ao mesmo tempo sentia nele um coração sereno…
    No momento do acidente ele estava correndo muito, porém uma mulher atravessou a preferencial que era DELE. Fico me perguntando: será que era mesmo para ter vida curta por isso não se encaixava em nada? Será que ele estava correndo outros riscos de vida e por isso Deus permitiu que ele morresse neste acidente? Já que seu amigo nada sofreu! Será que Deus pode permitir que determinada pessoa morra de alguma maneira para proteger as pessoas que a amam caso morresse de alguma outra forma mais traumática?!

  24. BELAS E BONITAS PALAVRAS APRESENTADAS NAS APRESENTAÇÕES. OBS.: DEVEMOS DAR ATENÇÃO AO I- PRELUDIO DO RETORNO (LIVRO DOS ESPÍRITOS 340 – ALLAN KARDEC) TEMOS O LIVRE ARBÍTRIO (NÃO PODEMOS ESQUECER). “O VIAJANTE QUE EMBARCA SABE A QUE PERIGOS SE EXPÕE, MAS NÃO SABE SE ENCONTRARÁ A MORTE NAS ONDAS QUE ENFRENTA.” É ASSIM COM O ESPIRITO: ELE CONHECE O GÊNERO DE PROVAS ÀS QUAIS SE SUBMETE, MAS NÃO SABE SE SUCUMBIRÁ. O ESPIRITO NÃO TEM CONSCIÊNCIA SENÃO NO ÚLTIMO MOMENTO, QUANDO A HORA DESEJADA É CHEGADA. OU SEJA: ENTENDIMENTO EM POUCAS PALAVRAS. ABRAÇOS E PARABÉNS, MOREL, POIS É ÓTIMO DE LER E MUITO ESCLARECEDOR E CONSTRUTIVO.

  25. Gostei muito de suas palavras, eu acredito realmente que a nós foi dado o livre arbítrio, portando DEUS não mata ninguém mesmo, principalmente nosso corpo, acredito que seja tudo uma questão de fatalidades, o que pode acontecer em muitos casos é sermos presenteados por uma energia muito grande a qual nos permite ficar aqui mais um pouco evoluindo nosso espírito, como no caso de algumas situações que as pessoas não perdem seu corpo devido a alguma energia que as proteja permitindo a este espírito continuar neste mundo inclusive dando-lhes uma prova de que DEUS e toda a sua energia existe.

  26. Morel, desculpe a demora em responder, mas quero te pedir muito obrigada pela resposta dada as minhas indagações. Foram como um bálsamo em minha dor. Estou lendo entre a Terra e o Céu conforme me sugeriu e esta leitura tem confortado um pouco meu coração. Ainda sofro pela saudade de meu filho, mas tento não mais perguntar o porquê desta tragédia em minha vida e sim me pergunto para que preciso disto para me tornar uma pessoa melhor. Também li outros textos seus que têm me ajudado a tentar transformar minha dor em algo de bom. Muito obrigada e que Deus lhe abençoe hoje e sempre.

  27. Obrigada, Morel.
    Ando muito triste depois disso tudo, sabe?
    Sensação que eu poderia ter feito algo por ele. E no dia que isso tudo aconteceu ele me disse ao telefone: – Viu, obrigado tá? – Nunca entendi aquelas palavras.
    Saudades eternas dessa pessoa maravilhosa.

  28. Angela, não por que se culpar. Arrepender-se, sim. Sempre temos que nos arrepender de todo e qualquer pensamento, palavra ou ação negativa de nossa parte. Mas o arrependimento não pode levar ao sentimento de culpa. O arrependimento é a constatação de que nossa atitude não foi a mais correta e a íntima necessidade de reparar a atitude equivocada. Ora, a Vida sempre nos proporciona novas oportunidades, é para isso que reencarnamos tantas vezes, é por isso que existem o dia e a noite. Cada dia é um novo ciclo, uma nova chance de sermos pessoas melhores. Não se culpe. Se você cometeu erros, ele certamente também cometeu, pois ambos, assim como todo mundo, são aprendizes. Agradeça a Deus por ter convivido com ele, por terem uma filha em comum, pelos últimos dias em que conviveram e que lhe deixaram essa imagem mais favorável dele. As Leis de Deus estão gravadas em nossa consciência. Para alcançarmos a paz, temos que estar em harmonia com a nossa consciência. Para isso temos que reparar o mal que fizemos e o bem que deixamos de fazer. Mas isso não precisa, necessariamente, ser feito com as mesmas pessoas com quem erramos. Aproveite a chance que Deus lhe dá, através da sua consciência, de se tornar uma pessoa melhor. Seja útil ao próximo, faça trabalho voluntário, participe de um centro espírita ou igreja, seja boa com quem permanece ao seu lado.

  29. Morel. Que a Paz esteja contigo.
    Tenho uma filha, hoje com treze anos, passou internada por quase uma semana por conta de uma anemia hemolítica que, seu pai, uma pessoa que durante a sua infância não foi um pai presente, esteve com ela nesses dias de internação me ajudando com os cuidados com ela, coisa que de outro modo nunca aconteceu. Fiquei muito admirada com a sua preocupação e atenção com o problema da minha menina. Estava sereno, brincalhão, nossa relação que outrora era digamos difícil nesse momento estávamos nos entendendo com conversas e respeito mútuo. Vale lembrar que nós já reconstruímos nossas vidas, ele com a sua esposa e filho, eu com meu marido já há dez anos. Porém no último dia do internamento da nossa filha, quando me foi dado o diagnóstico dela, e que recebeu alta, viemos embora, coloquei minha filha pra dormir. Ligam para nós dizendo que haviam assassinado ele. Desde então, não ha um só dia em minha vida que não me arrependo das vezes que discutimos por coisas vãs, peço perdão em minhas orações. Peço a Deus para me dar uma luz. Pois ando muito triste. Confusa.
    Me ajude por favor.
    Que Deus te proteja.
    Paz!!

  30. Karla, não se culpe, isso não tem nada a ver com culpa. Sim, todos temos nossa hora (isso não isenta a condutora do veículo da sua responsabilidade). Acredito que os dois filhos que faleceram sejam o mesmo espírito. É comum que, por algum motivo, certos espíritos precisem de uma curta estadia pela matéria, seja para corrigirem aspectos relacionados à saúde, seja para corrigirem processos de memória de existências anteriores. Muito provavelmente vocês são ligados desde outras existências, e essas novas ligações são um aprendizado para vocês.
    Perdoe e ame. Perdoe a si mesma e perdoe a condutora do veículo. Agradeça a Deus por ter tido a oportunidade de ser sua mãe, de terem desenvolvido laços de amor. Somos espíritos imortais, e a nossa estadia pelo plano material é um período de fixação de aprendizados.
    Sugiro a leitura de Entre a Terra e o Céu, de André Luiz. Não se impressione com as personagens, apenas perceba como nossas existências estão interligadas e como tudo tem um porquê: http://www.espiritoimortal.com.br/espirito_imortal/entre-a-terra-e-o-ceu.pdf
    Fiquem com Deus.

  31. Em 12 de dezembro meu filho de apenas 2 anos faleceu. Foi esquecido dentro de um carro de transporte escolar. Todos os dias fico pensando o que eu poderia ter feito para que isso não ocorresse. Não sei se realmente era a hora dele partir ou se a partida dele foi antecipada pela irresponsabilidade da condutora do veículo. Antes dele perdi também outro filho ainda bebê que nascera prematuro e não resistiu. Penso que com a morte de meu primeiro filho eu deveria ter aprendido alguma lição, mas devo ter falhado e então meu segundo filho teve que morrer para que eu aprendesse. Será isso possível? É muito sofrimento perder 02 filhos nesta vida sendo que eu sempre quis ser mãe e minha vida sempre foi para os meus filhos.

  32. Renato, não existe um determinismo para morrer. O que existe, antes de reencarnar, é uma forte tendência devido às características de cada um. Eu tenho cinco filhos. Aprendi, pela experiência, a “adivinhar” as atitudes e as consequências das atitudes dos meus filhos enquanto eles eram pequenos. Não por sabedoria de minha parte, mas porque as coisas mais básicas são previsíveis. Assim, antes de nós reencarnarmos, os espíritos responsáveis pelo grupo de espíritos que evolui em conjunto já têm previsões sobre o que vai acontecer. Seu irmão, reencarnado no meio em que nasceu e viveu, com as tendências que ele já trazia de outras existências, tinha grande probabilidade de passar pelo que passou. Mas isso não quer dizer que ele nasceu para isso; pelo contrário. Sua prova era resistir às más tendências.
    Deus sempre nos concede novas oportunidades. Ele certamente aprendeu coisas importantes nesta existência. É importante a oração por ele e o desejo de coisas boas.
    Fique com Deus.

  33. Meu irmão foi assassinado em 21/03/2012, ele era um dos irmãos mais velhos, pois são gêmeos. Ele tinha envolvimento com tráfico, não vou julgar os atos dele pois não tenho direito, ele morreu aqui em casa onde estou nesse momento, um assassino chegou e efetuou os disparos. O curioso é que ele dizia que ia morrer cedo, que teria vida curta, e nos últimos dias antes da morte ele estava diferente, triste ao meu ver, ele era bonito, engraçado, gostava muito de criança, morreu aos 23 anos, deixou um filho que está com 5 anos. Estou sempre me perguntando se ele está bem. Ontem à noite, devido à morte de um conhecido pensei nele e pedi a Deus que me mostrasse onde ele está, e hoje minha prima sonhou com ele, no sonho ele estava no hospital sangrando e dizendo que não era a sua hora da morte, e pedia para ajudá-lo, aí pesquisei no Google e achei essa matéria. Será que realmente estava na hora dele morrer, será que pelas falhas cometidas nessa vida Deus tirou a vida dele para ele não cometer mais erros? Se puder dar uma resposta eu te agradeço. Já li seu blog algumas vezes e já li a matéria da boate a algum tempo também. Forte abraço e parabéns pelo trabalho!

  34. Arlete, isso só Deus sabe. O que você deve fazer é viver bem a sua vida. Há pessoas que precisam de você. Você pode e deve, ainda, fazer muitas coisas úteis. O que você sente, embora seja compreensível, é fruto do egoísmo. Pare de pensar só no seu próprio sofrimento. O seu marido está passando por uma nova fase espiritual e o que ele precisa neste momento é de equilíbrio, e a sua atitude não o ajuda em nada, pelo contrário. Ore por ele, agradeça a Deus pela oportunidade de vocês dois terem convivido juntos, saiba que vocês vão se encontrar quando for o momento certo e agradeça a Deus pela sua vida. Ore, procure um centro espírita, peça atendimento.

  35. Na minha opinião, existem dois tipos de mortes: A morte antecipada e chegada a hora. Bem, nós seres humanos erramos desde o começo dos tempos, pois na época a.c. e até mesmo d.c as pessoas viviam por muitos anos.
    Isto prova que na mesma época não existiam muitas guerras como tem hoje em dia e não existiam máquinas fabricadas pelo homem, armas, indústrias como o automóvel, o avião e assim por diante.
    Nos tempos antigos as pessoas viviam mais, porque não tinham tudo isso que existe hoje. Vou citar um exemplo: Arma na época era espada e hoje são armas pesadas fabricadas pelo o homem, o meio de transporte era o camelo ou jumento, hoje é avião, automóveis, motocicletas. Os alimentos eram sem agrotóxicos, tudo era orgânico que hoje em dia comemos essas porcarias que nos provoca o câncer.
    Será que realmente com tudo isso é por que é chegada a hora? Não, nós mesmos é que antecipamos a morte.
    E chegada a hora, são pessoas velhas que os organismos não resistem mais, e morre aos 90 e 100 anos a mais. Por isso Deus nos castigou pela desobediência do homem.
    Abraço, espero ter ajudado. E esse é o meu ponto de vista.

  36. Laura, a ligação entre os espíritos se dá por afinidade, Quanto mais o espírito for semelhante a você, quanto mais pensamentos, ideias, desejos, sentimentos e tendências vocês tiverem em comum, mais fácil será o acesso dele a você. Uma pessoa muito boa e elevada está naturalmente imune à influência indesejada dos espíritos. É possível, sim, que um espírito tome conhecimento de coisas que escondemos dos outros e até de nós mesmos. Para evitar isso temos que nos esforçarmos todos os dias para nos tornarmos pessoas melhores.
    O estudo e a prática do Evangelho de Jesus é o caminho para a nossa imunidade contra as influências negativas.

  37. Bruna, se você sabe que somos nós que determinamos as nossas companhias espirituais, não faz muita diferença saber se há influência espiritual ou não. Para quê procurar saber o efeito se você sabe a causa?
    Nosso padrão de pensamentos pode ser modificado sempre que quisermos, desde que REALMENTE queiramos. Isso exige esforço, dedicação e perseverança. Evie toda e qualquer programação de TV onde haja violência, sexo e moral duvidosa, evite consumir noticiário sensacionalista, evite fofocas, não fale mal de ninguém, leia livros espíritas ou de alta espiritualidade, policie os seus pensamentos e peça perdão a si mesma sempre que tiver um mau pensamento. Procure, a todo momento, ver algo de positivo nas coisas. Não durma sem antes anotar num caderno pelo menos um coisa positiva que lhe aconteceu durante o dia. Agradeça a Deus a todo instante, mentalmente, pela oportunidade da Vida. Ore muito.
    Se você fizer isso, que parece difícil, mas não é, garanto que seu padrão de pensamentos vai mudar.
    Se você estiver disposta a fazer isso, procure antes um centro espírita e faça um tratamento espiritual; tome passe com regularidade para normalizar as suas energias. O tratamento no centro espírita só tem eficácia real se nós estivermos dispostos a mudar. Caso contrário, o benefício é apenas temporário. Mas, para quem está disposto a modificar-se para ser melhor e viver melhor, o tratamento espiritual é muito útil por afastar ou neutralizar as companhias negativas.

  38. É possivel o espirito ENTRAR no nosso subconsciente? Saber de todas as nossas fraquezas, medos, receios, e com isso ”brincar” conosco??

    Obrigada

  39. Morel, gostaria de fazer uma pergunta: ultimamente eu ando tendo umas “crises”, sempre acho que as pessoas estão agindo contra mim, na verdade, EU NAO ACHO ISSO, mas tem horas que começo a pensar e me vem uns pensamentos assim, de que os outros nunca são o que dizem, e eu ultimamente estou tendo uma dificuldade muito grande em acreditar no que os outros dizem. Outra coisa também que vem acontecendo é que estou com pensamento muito negativo, eu tento pensar o positivo mas o que eu mais incorporo é o negativo, como se fosse alguma obsessão ou sei lá, isso é possivel? eu sei que cada um é responsável e que somos culpados e não os espíritos, porque nós os atraímos, mas pergunto, é possivel que isso seja a influência de um espírito? porque estou EM CONFLITO sobre certas coisas, uma hora eu penso uma coisa, outra hora penso outra, mas sempre acredito mais no negativo, e o pior de tudo é que isso está pirando minha cabeça, isso me deixa muito mal.

  40. Newton, muito obrigado pelo recado à nossa irmã Cris. É tudo o que eu não soube dizer.
    Parabéns; fique com Deus.

  41. Cris, algumas pessoas têm evidências da existência de outro mundo ou plano, seja através da experiência de outras pessoas, seja através da sua própria experiência. Eu tenho através das duas. Pelos livros, sempre soube da existência de outro plano. E, pelas experiências de projeção consciente, já estive inúmeras vezes no plano astral – vamos para lá todos os dias; nem sempre lembramos.
    Os laços de amor, se forem realmente amor, são eternos. Nosso amor ainda é um apego egoístico. Amor pressupõe liberdade. E a morte pode parecer estúpida porque a olhamos muito de perto. Enquanto vivenciamos um problema nossa visão sobre ele é muito reduzida. O que chamamos de morte é um fenômeno biológico necessário. As sementes das plantas precisam morrer para que uma nova planta nasça.
    É perfeitamente compreensível a sua dor; mas compete a você libertar-se da revolta e da não aceitação.

  42. Muito boa explicação, coerente e clara…
    “Acaso não programado”, “a morte apaga”, são citações incoerentes na minha opinião…
    A irmã que perdeu o filho e o marido na minha opinião pode ter escolhido e já sabia muito bem do acontecido antes de reencarnar (lá atrás no seu plano reencarnatório) e porque não justamente para aprender a lidar com o sentimento de “perda”, de “morte” e saber e aprender que a “morte” não apaga e que o amor vale a pena independente do tempo, pois esse se transcende, tempo, amor, “morte”… certeza de reencontrar ou não os entes queridos é uma questão de merecimento, necessidade e vai muito além da mera vontade de satisfazer um desejo de saudade… saudade é um sentimento que se tem dos 2 lados (já dizia o grande Chico)
    Irmã, pense se seu filho e seu marido estão felizes com a forma triste, arrastada e descrente que você vive aqui? Se você sofre daqui eles também sofrem de lá com sua forma de encarar suas “perdas” aqui e ainda abre uma brecha para o sentimento de culpa de seu filho e seu marido por terem “partido” e terem “deixado” você para trás… e isso também não é justo e nem bom para eles… cada um tem um caminho e independente do desfecho, o objetivo é aprender, evoluir e saber que nada se apaga e que o fim é relativo e temporal (mesmo que não seja claro e nem fácil de assimilar e lidar com isso).
    Já o tal “acaso não programado”, se houve negligência era porque de alguma forma isso tinha que ocorrer, se escolheu pular e ser paraquedista foi porque em alguma hora no seu plano reencarnatório isso foi escolhido, o carma não lhe persegue como um justiceiro implacável, isso sim é relativo… somos carma e darma constantes, e pra mim NENHUM grão de areia é movido sem um motivo claro.
    Da mesma forma que citaram abortos… assassinos… assassinados… balas “perdidas”… nada se perde e nem se acha, nada se ama ou se odeia, nada se mata ou morre sem um motivo…

  43. Olá amigo,

    Meu esposo e meu filho querido voltam para sua pátria espiritual, ele com 23 anos, foi um acidente, fatalidade, caixão fechado pela Polícia Rodoviária Federal, nem pude me despedir, mas acredito que mesmo dentro deste contexto, há sim a interferência de Deus, vejamos: pessoas que se colocam em risco todos os dias por anos em perigo, vivem felizes por toda a sua existência, outras levam 20 tiros e saem ilesas, sim nós podemos adiantar a nossa existência com nossa irresponsabilidade, no meu entendimento, quando Deus chama, nada pode deter o curso da morte, porém essa decisão é de Deus, depende das circunstâncias, como diz o Evangelho Espírita: – quem disse que se nosso ente querido que se foi, seria mais feliz na terra? Muito egoísmo nosso, ter aquela pessoa que amamos para sempre, nunca me conformarei com a morte do meu filho, talvez quando eu desencarnar nem encontre com ele, ou que ele reencarne como um membro familiar e eu não saiba, fico sempre em dúvida quanto a este desequilíbrio, então do que adianta viver e ter laços de amor se um dia estaremos à mercê da estúpida morte, que tudo apaga! Hoje toda vez que saio de casa penso que posso não voltar, fiquei traumatizada com a morte, vivo com ela todos os dias, a morte só me ensinou a desesperança, a dor, costumo dizer que vivo uma prisão do amor, gostaria de ser como as outras pessoas que superam, mas eu me sinto sem uma parte do meu coração e isso dói, uma realidade física, o meu sorriso é triste, e a única compensação para tanto sofrimento, é saber que ainda temos ao nosso lado a família. São muitas dúvidas; mesmo Chico Xavier ainda não nos deu a certeza de outro mundo, não se comunicou nem com seus parentes, a morte pra mim é a coisa mais ridícula da vida! Me desculpem os que têm outra opinião. Atenciosamente.

  44. Não há fatalidade no assassinato ou no aborto voluntário citados. O determinismo divino respeita e preserva o livre-arbítrio. O assassino contrai uma dívida espiritual com o assassinado, que será resgatada por intermédio da Lei de Ação e Reação ou de Causa e Efeito espiritual. Abraço.

  45. Irmão Marcio Sunshine, para mim esse ”Acaso programado” ou o que eu tambémm chamo algumas vezes de”SORTE” ou ”FALTA DE SORTE” faz parte de um certo limbo entre o Acaso Genuíno, a famosa roleta russa, e a programação da vida feita antes de reencarnar, digna dos médios e grandes projetos reencarnatórios
    Esse ”LIMBO” filosófico creio que seja temporário e com o passar dos tempos e da evolução do espírito da terra como um todo será aos poucos respondido.
    O que eu não acredito é na existencia no ”ACASO” ou ”SORTE” nos seus sentidos literais, pois isso pra mim está em total incompatilidade com uma força Criadora e suprema que regula o universo por meio de suas leis universais.
    Mas enquanto ainda nos falta conhecimento para tal eu dou esse nome provisório e simbólico de sorte ou acaso.

  46. Sim, existe hora certa, a hora programada. Mas existem os acasos não programados. Exemplo: pulou de paraquedas que não abriu e morreu. Se não quisesse ser paraquedista não morria assim, mas a culpa direta poderia ser de quem dobrou mal o paraquedas que não abriu. Algumas coisas podem ser acaso. Todavia poderia ser carma por ter negligenciado alguma responsabilidade em outra existência que levou outrem a morte. Tudo é muito definido e relativo ao mesmo tempo, difícil demais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.