Evangelho, Mentalismo

A fé move montanhas

a-fe-move-montanhas

Artigo publicado originalmente em 01/10/2012

Ouça este artigo na voz do autor

“Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.” Mateus 17:20. – A fé move montanhas…

Eu nem sequer imagino quantos livros já foram escritos baseados nos ensinamentos de Jesus. Os evangelhos dão margem a muitas interpretações diferentes, e cada livro extrai deles o que melhor se adapta aos conceitos e crenças de seus autores.

Um aspecto muito explorado do ensino de Jesus é o poder do pensamento. Mas esse assunto fica restrito aos chamados livros de autoajuda. Há pessoas que têm coceira só em pensar em livro de autoajuda. Eu confesso que durante muito tempo tive esse preconceito.

Tudo o que se fala e se escreve sobre pensamento positivo é o que foi ensinado por Jesus. Cada autor desenvolve sua linha de raciocínio, cada livro acrescenta exemplos pessoais. Mas de novidade, mesmo, nada.

A fé move montanhas

Um tema que sempre me chamou muito a atenção foi a escravidão. Lembro que quando eu era criança não entendia como era possível que muitos fossem dominados por poucos. Não entendia como centenas se deixavam mandar por meia dúzia. Havia uns poucos exemplos de insubordinação, como Zumbi dos Palmares, Spartacus ou o Ben-Hur do filme, interpretado pelo Charlton Heston.

Só bem mais tarde fui compreender que para haver uma revolta bem sucedida, é preciso união. É preciso que todos se unam, juntem suas forças numa só força. E isso, infelizmente, não é tão fácil como eu pensava na infância…

Jesus nos deixou seu ensinamento há dois milênios, e ainda estamos procurando a melhor maneira de interpretá-lo e praticá-lo. Se fosse possível a união, se fosse possível que todos juntassem suas forças numa só força, como no caso da escravidão, conseguiríamos colocar em prática o que ele nos ensinou.

Se seguíssemos o ensino moral de Jesus, não haveria desconfiança, pois todos seríamos sinceros. Não haveria discórdia, pois todos seríamos compreensivos. Não haveria fome, nem frio, nem sede sem saciar, pois olharíamos por nossos irmãos como olhamos por nós mesmos. Não haveria mágoa nem rancor, pois perdoaríamos qualquer ofensa. Isso se houvesse ofensa, pois agiríamos para com o próximo de acordo como gostaríamos que ele agisse conosco.

Sim, haveria paz no mundo. Mas isso é apenas parte das consequências do seu ensino. Pois tudo isso se refere ao seu ensinamento moral. Mas há outra parte importantíssima de seu ensino, que mencionei acima, que é o pensamento, a força do pensamento, a fé que move montanhas.

No dia em que você for capaz de acreditar em si mesmo, será capaz de qualquer coisa. O seu pensamento é determinante para tudo em sua vida. O que a sua mente subconsciente aceita como verdadeiro, ela atrai, invariavelmente. Você sabe por que você não cria tudo o que quer? Porque quase sempre, ao mesmo tempo em que você “quer” criar, você “teme” não conseguir. Ao mesmo tempo em que você “deseja” ardentemente, você “duvida” intimamente que vá conseguir alcançar. O resultado é que um pensamento anula o outro.

Por isso a importância de aprendermos a controlar o pensamento. O pensamento é criador. Jesus nos ensinou isso claramente, várias vezes. Isso é tão importante, tão verdadeiro, tão grandioso, que praticamente não foi comentado e estudado por quase dois mil anos, sendo mantido como um segredo nas mãos de poucos. Somente em meados do século XX é que começaram a dar uma maior ênfase a esse aspecto do ensino de Jesus.

O domínio sobre o pensamento confere muito poder a quem o conquista. Quem exercer o controle sobre o próprio pensamento terá em mãos uma força incalculável, que pode ser usada para o bem ou para o mal. O poder do pensamento é neutro, somos nós que determinamos sua direção. Por isso Jesus nos ensinou tantos preceitos morais. Para que ao longo dos séculos fôssemos nos aprimorando e reformando intimamente, para que pouco a pouco fôssemos apreendendo conceitos espirituais elevados, princípios morais sólidos. Só assim teremos responsabilidade para utilizar corretamente esse imenso poder que temos dentro de nós, e que cada vez mais vem sendo despertado e ativado. Domine seu pensamento. O pensamento é criador.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

14 Comentários

  1. Eu gosto de ler, periodicamente, essa sua exposição, querido Morel. Ajuda-me muito.
    Às vezes sinto falta de outras citações de Jesus sobre a força da fé. Não digo falta no seu texto. A necessidade é pessoal, para que eu possa reforçar as ideias em mim.
    Se puder nos indicar alguma passagem em especial, agradeceria!
    Gratidão.

  2. DEMAIS, MOREL. OBRIGADO PELA MENSAGEM. OU MELHOR, PELA LEMBRANÇA DO QUE JESUS NOS DISSE, PENSAMENTO FIRME.
    O PENSAMENTO CRIA, O DESEJO ATRAI, A FÉ REALIZA.

  3. Que dizer que, ao passo que evoluímos, conquistamos esse equilíbrio que se faz à medida em que aprendemos e praticamos atitudes corretas recheadas de bondade, frutos de uma reforma íntima efetiva vamos nos libertando se certas ligações inferiores? Entendo que há três etapas de evolução 1º quando fazemos o mal sem consciência, a 2º quando fazemos e reconhecemos e nos esforçamos para evitar, e a 3º quando fazemos o bem e não percebemos, automaticamente. É assim? abraço carinhoso!!

  4. Josineide, respondendo a sua primeira pergunta, acho que nem uma coisa nem outra. Nem só bons pensamentos e sentimentos nem grandes realizações e sacrifícios. Devemos em tudo buscar o equilíbrio. Só pensamentos não adiantam, pois é necessário ação. Por outro lado, não estamos no estágio de conseguir realizações incríveis, passando por cima de nós mesmos. Chegaremos lá, mas não nessa encarnação. Devemos nos esforçar sempre, todos os dias, começando pelo pensamento. O pensamento é determinante porque toda criação ou transformação começa por meio dele. Mas só o pensamento não é o bastante, precisamos agir, mudar comportamentos e atitudes. Deixar de fazer algumas coisas e começas a praticar outras. Não podemos atropelar etapas em nosso desenvolvimento. É possível progredir muito trilhando um caminho seguro, constante, devagar e sempre. O importante é não se descuidar, não desistir, não fraquejar. Cobrar de si mesmo, mas sem culpa. A culpa é um grande atraso de vida. Devemos nos cobrar para tentar fazer sempre melhor, cada vez mais certo. Mas com capacidade de perdoarmos a nós mesmos. Lembrando que perdoar é se permitir uma nova chance e procurar reparar o mal cometido.

  5. Morel, você acha que para nos libertarmos de hábitos perniciosos alimentados em encarnações passadas é possível através de esforço nos bons pensamentos e sentimentos ou não é tão fácil assim? Será que só com sofrimento ou grandes realizações e sacrifícios é possível a libertação de certos carmas? Entendo que o “amor cobre uma multidão de pecados” e que “quando a misericórdia divina nos pega fazendo caridade adia a cobrança de nossas dívidas por tempo indeterminado” mas eu gostaria de entender como se cura de certos vícios da alma; como se liberta de certos efeitos de sombras do passado sem regressão de memória? É possivel só com estudo e esforço, força de pensamento?

  6. Morel é mesmo verdade tudo que você colocou sobre os nossos pensamentos incontroláveis. Ainda há muito a saber, muito a ser clareado! Obrigado por tanto esclarecimento. Muita paz amigo…

  7. Márcia, para usar uma imagem simples, nossa consciência é apenas a “ponta do iceberg” de uma mente que estamos muito longe de compreender. Somos muito mais do que percebemos, e pensamos muito mais do que notamos. Milhares de pensamentos passam pelas nossas cabeças sem que notemos conscientemente. Pensamentos produzidos por nós e pensamentos emitidos de outras mentes, de encarnados e desencarnados. Por isso é tão difícil o controle dos pensamentos. Não temos acesso à maior parte dos pensamentos que vem à nossa mente. Prova disso é nosso comportamento em sonhos. Muitas vezes nos sonhos temos atitudes bem diferentes das que costumamos ter no estado de vigília. Obrigado pela participação, Márcia.

  8. Olá amigo Morel! Confesso que o não domínio do pensamento me reporta a profundas reflexões. Na verdade, sempre me questionei: como pode que mesmo diante de tanto esclarecimento, mesmo diante da vontade de estar em sintonia com o que nos é correto, do necessário, teimamos em pensar coisas negativas, pequenas. Contudo, compreendi que o pensamento continuado no bem, é uma conquista que ainda estamos buscando. Comprendi ainda que o grande diferencial é não alimentar tais pensamentos que em nada acrescentam, que nos direcionam a fazer o percurso inverso da justiça, do não fazer a outrem o que não gostaria que o fizesse etc… O que fica de lição dessa consciência é que somos lúcidos, aptos a discernir a grandeza de nossos pensamentos que uma vez alimentados, materializam situações e nos direcionam a escolhas infelizes não condizentes com a nossa vontade de seguir o caminho do crescimento e do aprendizado… da iluminação interior… Somos seres pensantes, um turbilhão de pensamentos assolam nossa mente, e ainda que nos custe vamos aprendendo pouco a pouco e reprimi-los, discipliná-los no bem, no amor e nos princípios do mestre Jesus…

  9. Concordo plenamente, dentro das minhas limitaçoes de aprendizado (nada sei) imagino que nós temos um potencial de força muito grande, que infelizmente não sabemos usar, porque também é necessário tempo de reflexão, para se harmonizar e daí começar a usar o que todos nós temos: “NOSSO POTENCIAL MAGNÉTICO, NOSSA MENTE.” Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.