Comportamento

Marcos Feliciano e os homossexuais – opinião espírita

beijo gay

Morel Felipe Wilkon

Como espírita, divirjo do posicionamento do pastor deputado Marcos Feliciano em inúmeros aspectos. Isso não me impede de respeitar o seu ponto de vista, embora a maneira como o faça provoque reações. Alguns homossexuais sentem-se atingidos pela opinião ou pelas manifestações de Feliciano. Não seria melhor ignorá-lo? Será que acreditam que o farão mudar de ideia, ou que ele irá se retratar? Se houvesse tolerância de parte a parte tudo seria mais fácil… 

O fundamentalismo tem sua origem no protestantismo norte-americano, surgido na primeira metade do século XIX. Era o surgimento de uma tendência de os religiosos, tanto os teólogos como os pregadores e seus fiéis,  tomarem as palavras da Bíblia ao pé da letra.

lésbicas
Feliciano sentiu-se afrontado…

Desde Lutero que o fundamento de tudo para a fé protestante se resume na Bíblia. Partem do princípio de que se Deus nos deu como sua revelação a Bíblia, então tudo o que está nela é sagrado. Para os fundamentalistas cada palavra, cada passagem é tida com verdadeira, literal e imutável. Nada de interpretações, nada de contextualização histórica, nada de hermenêutica. Não importa, para eles, que a Bíblia tenha sido escrita há alguns milhares de anos. Tentar buscar um sentido oculto por trás de passagens obscuras, para eles, é uma blasfêmia. Não adianta argumentar que a ciência demonstra coisas diferentes do que está exposto na Bíblia. Não adianta invocar a História. Só o que vale é o que está na bíblia.

Hoje, ainda, há quem sustente que o mundo foi criado em sete dias, e que Adão e Eva são os ancestrais de toda a Humanidade, e que Noé levou um casal de cada animal para a arca. Para eles, Jesus é o salvador, e quem não está com ele está contra ele, ou seja, com o diabo. São rigorosos nos aspectos que dizem respeito à sexualidade e à família, são intolerantes com os homossexuais.

A Igreja Católica também tem a sua ala fundamentalista, representada principalmente pelo papa Bento XVI. Se opõe à modernidade, às liberdades que acompanham a modernidade. Para eles a Igreja Católica é a única Igreja, é a verdadeira Igreja, é a Igreja de Cristo. “Fora da Igreja não há salvação”.

Há tempos que acompanho de longe as trocas de gentilezas entre o pastor deputado Marcos Feliciano e alguns homossexuais. Há exageros de ambos os lados. Uma guerrinha sem sentido. Ninguém sai ganhando com isso. Me chamou a atenção a manchete do Correio do Povo, de Porto Alegre:

Jovens são presas após se beijarem em culto de Feliciano

Duas estudantes, de 18 e 20 anos, foram presas na noite deste domingo, após se beijarem durante evento evangélico realizado em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. O protesto foi realizado enquanto o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) iniciava sua pregação a cerca de cerca de 2 mil fiéis.

O culto foi na rua, em local público, não numa Igreja. Não há nada que proíba duas pessoas de se beijarem em público. Beijos, em geral, não podem ser considerados como afronta, mas é preciso reconhecer que houve provocação por parte das meninas. Nada justifica a violência, e o fato delas se beijarem não é, de forma alguma, motivo para algemar e prender. Houve quem lembrasse do artigo 208 do Código Penal, que prevê pena de detenção de um mês a um ano ou multa ao cidadão que […] impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso.

Peço que você se manifeste, dê a sua opinião a respeito. Eu acho que foi um ato infantil e desnecessário por parte delas.  Por causa de atitudes como essa é que Feliciano se torna cada vez mais popular. Era isso que elas queriam? Certamente não. Mas é isso o que ocorre. Se elas se opõe a ele, deveriam saber que muitos aplaudem o posicionamento dele, e que a cada episódio como esse ele se fortalece com o seu público.

Será que é tão difícil diferenciar um homem da religião que ele representa? Mesmo que não concordem com determinada religião, é preciso respeitá-la. Enquanto estivermos no campo das ideias tudo merece respeito. Ao se beijarem num culto religioso, essas duas meninas não estão dando uma demonstração de amor, não estão conquistando a tolerância por parte de quem as condena ou o respeito por parte da sociedade. Estão afrontando uma religião e seus fiéis, quando sua intenção, provavelmente, era afrontar um único homem, Feliciano.

O fundamentalismo, que citei lá em cima, pode se enraizar profundamente no Brasil se seus líderes receberem tanta atenção como estão recebendo. Isso é combustível para a fogueira do fundamentalismo. 

Há pessoas e grupos de pessoas que não aprovam a homoafetividade. Não é por meio de provocações, nem de explicações, nem de forma alguma que se conseguirá fazer alguém assim mudar de opinião. Essas pessoas só vão mudar de opinião se perceberem que todas as pessoas são iguais em essência, e isso só pode acontecer por meio de comportamentos. É pelo exemplo que se convence. Não se convence ninguém na marra. 

Nunca discuto religião com pessoas de outra religião. Nunca vi, até hoje, uma pessoa convencer outra através de uma discussão. Mas conquisto o respeito de vários religiosos com o meu exemplo, com a minha conduta. Não há porque se incomodar com alguém que pense diferente do que pensamos. Quem não aprova a homoafetividade deve ser tolerante. É um dever de sociedade. Mas não há como fazê-lo gostar de homossexuais. Não por meio de provocações.

Deixe a sua opinião. Não publico comentários ofensivos.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

45 Comentários

  1. Creio eu que o fato de se nascer com tendências ao homossexualismo já é por si só uma expiação para o espírito reencarnante que vem assim para burilar, resgatar de vidas pregressas erros ou desatinos cometidos na área genésica, já sofre pela situação e ainda tem pessoas que reforçam este sofrimento com comentários lamentáveis e preconceituosos que em nada vão ajudar os possíveis dramas que vivem os homossexuais. Deveriam estes políticos era criar leis adequadas a esta grande parte da população que viessem minorar seus conflitos e sofrimentos existenciais. Enquanto se discute se é certo ou não, se é pecado ou não, milhares de criaturas que vêm assim com o consentimento da espiritualidade, pois tudo tem sua razão de ser e Deus sabe todas as coisas, então estes políticos e dirigentes perdem-se em discussões sem fundamento e deveriam era criar leis que protegessem de atos de violência os homossexuais e de exclusão e bullings etc. porque muitos desencarnam assim e vão continuar no plano espiritual sofrendo e as questões não foram resolvidas. Acho que se um espírito de homossexual que não teve orientação, ajuda, apoio, educação na vida enquanto encarnado, imagine desencarnado, se for um espírito revoltado ou muito desequilibrado poderá obsediar outros encarnados que talvez nem tenham tendências, sabemos que há espíritos capazes de tudo, principalmente os rebeldes, imagine eliminar o corpo de homossexual, o espírito sobrevive aí continua errante e pode até se vingar na própria sociedade. É um tema muito complexo, mas cabe reflexão e sabedoria para lidar com questões emocionais e afetivas e dramas vivenciados pelos homossexuais.

  2. Na minha opinião, julgar as pessoas é um dos piores defeitos do ser humano. Como podemos julgar alguém por ser gay, macumbeiro, bruxo, etc., se não conhecemos o passado espiritual daquela pessoa? Além disso, o Espírito não tem sexo: o que valem são os laços eternos de amor que unirão os seres da criação no futuro.

  3. Boa tarde Morel, eu acredito que muitas pessoas não aprenderam a ler corretamente a Bíblia, lembrando que este livro sagrado é um conjunto de coletâneas que vai aproximadamente do ano 4000 antes do Cristo até o ano 3000 após Cristo, tem epístolas, contos, parábolas, poesias etc., e mesmo assim as pessoas leem como se fosse uma coisa só, sem contar as adulterações e deturpações, mais erros de traduções que fizeram do texto original que vem do hebraico, enfim antes de virem com críticas, julgamentos e preconceitos se utilize da fé raciocinada e não da fé cega que leva a um fanatismo religioso. Com relação à união entre pessoas do mesmo sexo ou de sexos diferentes eu acredito que o que deve prevalecer acima de tudo é a preservação dos sentimentos nobres como o amor e o respeito, por exemplo. Acho muito mais valioso e construtivo um amor verdadeiro entre homossexuais do que por exemplo uma relação entre heterossexuais baseado na prevalência das imperfeições humanas, abraço.

  4. Douglas, não sou porta-voz do Espiritismo, só posso oferecer minha opinião. Não podemos generalizar. Uma pequena parte é fundamentalista, os demais não devem ser rotulados pelos exageros de uma minoria. Qualquer regime fundamentalista é catastrófico, sempre. Ainda há espaço para crescimento desse fundamentalismo dito evangélico no Brasil. Haverá, nas próximas duas décadas, um forte e crescente antagonismo entre extremos: os pretensos defensores dos costumes e os integrantes radicais de algumas ditas minorias.
    Nada justifica a violência, mas a provocação só faz aumentar o poder e a influência dos fundamentalistas.
    Por outro lado, temos que ter muito cuidado com o que é propagado pela grande mídia. Quase tudo o que é noticiado tem interesses por trás. Sabemos que há uma guerrinha entre emissoras de TV.

  5. É possível que algum dia o Brasil se transforme numa teocracia evangélica, num talibã evangélico?
    Eu fico com medo, porque prenderam essas duas jovens porque se beijaram em meio público, já expulsaram de um congresso um ateu que não quis rezar, pra onde estamos indo? Para um novo Irã? Eu não tenho nada contra os evangélicos, mas eles simplesmente querem impor sua religião e menosprezam o que é diferente deles. Segundo os fundamentalistas evangélicos, aquele que não crê ou aceita Cristo está contra ele e precisa ser banido. Eu posso estar tendo uma visão errônea, mas é isso que a mídia tem mostrado, e que a intenção deles é justamente essa, evangelizar o Brasil e matar os direitos humanos em nome de CRISTO, pode isso, qual é a posição do espiritismo quanto a isso?

  6. Olá bom diaaa, este assunto é muito polêmico e vai demorar algum tempo para aprendermos a conviver com as diferenças. Sugiro que pesquisem o trabalho do doutor Andrei Moreira, da associação mineira espírita. Acho que muitos ficarão supresos e perceberão que muitos paradignas terão que ser quebrados, inclusive no meio espírita.
    Um abraço e fiquem com DEUS.

  7. Todas as questões que tangem os ajustes morais, intelectuais e até científicos, na história da humanidade, sempre tiveram seus ciclos de intensidade e declínio na saturação e “aceitação”, o que imagino não será diferente dos temas polêmicos, evidentes hoje em debates acalorados. O tempo sempre foi e será o senhor de todas as coisas. Portanto, a tolerância e paciência com aqueles que hoje transitam por reajustamentos na matéria, precisam tão somente serem ouvidos e respeitados nas suas convicções temporais. Porque, não nos enganemos, cada um sabe das fraquezas de caráter que possui, e amanhã poderemos nos tornar a principal vítima daquelas ideias que com furor e intolerância sumariamente julgamos. Sejamos razoáveis uns com os outros, na seara que plantamos a colheita é justa e pertinente ao nosso adiantamento. Que o amor do divino mestre nos inspire, hoje amanhã e sempre!

  8. Em 1 ano haverá eleições e o que o Feliciano quer é divulgação. Fazer evento religioso em local público faz parte do marketing na espera de reações como a que ocorreu. Ele continuará com estas armadilhas e jovens inexperientes cairão na jogada outras vezes provavelmente.

  9. Às vezes me pego pensando por que as pessoas precisam impor suas opiniões, se sentirem aceitas, se defendo uma bandeira seja ela de que carácter for, preciso proclamar e convencer todos que meu modo de pensar é único e o verdadeiro… Essas meninas perderam uma ótima oportunidade de deixar o “Pastor” no seu cantinho, ele, ganhou mais simpatizantes, a causa que elas supostamente defendiam ficou, pela grande maioria das opiniões, renegada ao um plano que tenho certeza não era o pretendido, afinal saíram machucadas, ofendidas nos seus direitos e o que é pior, com a síndrome das coitadinhas, particularmente não gostaria desse tipo de propaganda. O que Deus espera de cada um de nós é que subamos a escada da evolução um degrau de cada vez, não importando minha condição sexual ou religiosa.

  10. Morel, só hoje consegui ler seu post, e gostei muito de tudo o que li. Concordo com você. Penso que quem quer ser respeitado precisa primeiro respeitar, e isso vale para os dois lados. Não é com afrontas e provocações que convenceremos os outros. Nosso exemplo, antes de tudo, é o maior argumento. Obrigada!

  11. Muito boa sua elucidação, Morel, e obrigado por ter atendido meu pedido, eu penso que tanto de um lado quanto do outro as provocações só vão piorar tudo, não compactuo com as atitudes do Marcos mas também não compactuo com as atitudes dos ativistas fanáticos. O que eu acho é que toda ação tem uma reação e quanto mais fanatismo existir em torno da opção sexual também existirá do lado religioso porque uma coisa faz contrapeso para a outra já que as leis divinas promovem o equilíbrio em tudo, muita paz.

  12. Mayra, sou eu quem devo parabenizá-la pela postura e pela maneira clara como a expressa. Para defendermos uma causa não precisamos de um opositor, de um inimigo.
    Que Deus nos ilumine sempre.

  13. Tenho muitos amigos ativistas políticos (etc etc) que acharam “linda” essa provocação das moças, que acham que só através do embate direto as coisas vão mudar e não tiveram pudores em dizer que odeiam evangélicos.
    Fico muito triste, porque luto no meu dia-a-dia pela causa homossexual, feminista, racial, etc – a causa humana é a minha causa. Acho importante a gente se posicionar na vida e perante a sociedade, mas fui fortemente atacada por esses “amigos” quando me coloquei contra a atitude dessas moças e defendi o respeito e a moderação. Inclusive alguns chegaram a dizer que, por eu me declarar cristã, não se poderia esperar de mim outra postura que não a mansidão *risos*
    Qual era a necessidade de ir afrontar uma “nação religiosa” em um momento de culto, ainda que fosse em um lugar público? O que a causa dos homossexuais ganha com isso? O que a sociedade ganha com isso? Alguém ganha alguma coisa com isso além desse dito Pastor, que ganha muita mídia e cada vez mais simpatia dos seus seguidores?
    Achei tudo muito infantil, muito bobo e perigosamente desrespeitoso.
    Parabéns pelo texto e pelo posicionamento, Morel!

  14. Ana Paula, havia alguns comentários em nome do Rodrigo que era um fake. Já os deletei. O Rodrigo está tão famoso que já tem até fake
    Obrigado por estar atenta, Ana Paula.
    Muita força e paz pra você, sempre.

  15. Desculpe Morel o que vou comentar, simplesmente não entendi todos esses comentários que foram escritos até agora. Parece que muitos não entenderam o seu intuito com este site. Confesso que decepcionei com alguns.
    Que Deus continue te guiando. Luz.

  16. Sem o mérito de doutrinas e conhecimentos, vivemos em um país democrático, que nos dá livre escolha e direito de sermos o que somos. Porém a ousadia das pessoas e o abuso de poder é que gera atritos e conflitos, gerando um grande desconforto para quem assiste a tamanha barbárie como essa. Como Morel citou, ninguém muda ninguém através de discussões e atritos, a força só serve para destruir e nunca construir. Parabéns mais uma vez pelo texto Morel, sempre com muita ponderação e luz divina.

  17. Estamos em estágios diferentes de evolução. Devemos, nós, espíritas, dar o exemplo da total tolerância para com as escolhas de nossos irmãos. Muita Paz a todos !!!

  18. Tudo isso é política, esse Feliciano só quer se promover às custas dos seus fiéis que se deixam manipular. Não é só contra os homossexuais que ele se opõe. Mas as atitudes das meninas infelizmente só dão mais poder para ele, mas é isso mesmo que ele quer.

  19. Confesso que nas primeiras polêmicas divulgadas pela imprensa, fiquei revoltada com as declarações do Pastor. Na medida em que as coisas foram acontecendo, comecei tentar colocar em prática as lições do evangelho, principalmente o respeito e o amor ao próximo. Se ele tem uma visão que, para os espíritas, é uma que não acho que seja correta (digo quanto ao RESPEITO que não é levado em conta nas suas declarações), eu devo respeitar. Achei uma falta de maturidade das meninas que se beijaram no culto, e estou prevendo falta de maturidade e respeito em um evento que ocorrerá na minha cidade, em que ele estará presente. Particularmente, digo que seria muito triste se pessoas alheias à nossa doutrina atingissem o evento organizado. Um ato de total ignorância.

  20. Em verdade, eu até reflito um pouco. Mas então começo a bocejar. Eu não posso bocejar. Minha dentadura pode cair. Minha avó Alise achava você emocionante. Digo que ela achava porque ela morreu. Você pode achar que ela ainda acha você emocionante. Eu não teria tanta certeza se fosse você. Ela gostava quando você escrevia sobre sexo. Ela achava você corajoso. Em verdade, um espírita não tem por costume falar de sexo. Eu acho entediante. Entediante e aborrecido. Porque você não marca posição firme. Você não coloca aquelas pessoas que comentam nos seus artigos que falam de sexo no lugar que elas deveriam ocupar. Você devia colocá-las no seu lugar. Elas traem e querem assunto. Elas falam das coisas vergonhosas que fazem e você não as coloca no seu lugar. Elas não deviam fazer o que fazem. Minha avó Alise era uma santa. Por isso ela gostava de você. Eu não sou santo. Estou de olho em você. Um dia vou contar para você o que aconteceu com meu tio Osni, que Deus o tenha, e com a minha tia C. Ela ainda não morreu. Ela é sua fã. Ela não vai querer que eu lhe conte o que aconteceu com ela e com o meu tio Osni, que Deus o tenha.

  21. Morel, há anos que acompanho o trabalho que você realiza. Em verdade, não aprecio muito. Falta, digamos, posição firme. Creio que você tem medo de se indispor. Só sei que você existe porque minha tia e minha prima e minha cunhada, viúva do meu finado irmão, são suas fãs. Mas eu não sou seu fã. Vivo entrevado numa cama sem ter o que fazer. Penso e leio. Leio muito. Quando quero dormir, leio o que você escreve. Tem vezes que durmo, tem vezes que perco o sono. Aprecio mais o pastor Feliciano do que você. Ele é mais emocionante. Aprecio mais os gays e as lésbicas e os transsexuais e os travestis e os trangêneros e os trangênicos do que você. Eles são mais emocionantes. Em verdade, não é nada pessoal. Até gosto um bocado de você. Mas você precisa marcar posição firme. Pelo menos vai ficar mais emocionante.

  22. O fundamentalismo surgiu como uma reação ao avanço da ciência, principalmente à publicação de “A Origem das Espécies”, por Charles Darwin, em 1859 (dois anos depois da primeira edição do Livro dos Espíritos) e do desenvolvimento do criticismo alemão. Temendo que a ciência abalasse a fé, tentaram salvar sua identidade religiosa.
    Obrigado pela contribuição, Tiago.

  23. Questionar é fazer papel de juiz, querida? Coitados filósofos julgadores (rsrsrs rsrsrs)!!! Afirmar que uma pessoa “usa seus membros para obter vantagens” sem ao menos conhecê-la é sim um julgamento. Confesso estar adorando estudar a Codificação kardequiana. Vejo o quão bela e esclarecedora ela é. Mas… é uma pena que poucos, assim como o Felipe, colocam em prática os ensinamentos da Doutrina Espírita…

  24. Morel, acredito que foste feliz em citar o fundamentalismo como originário do protestantismo. Isso até parece estranho, mas o fato é que um movimento que pretendia acabar com os grilhões dogmáticos da Igreja Católica, acabou por criar outra armadilha: a interpretação literal da Bíblia.
    Relacionando isso com a questão atual do Dep. Feliciano e sua posição sobre homossexualidade, pode-se perceber que aqueles que levantam a bandeira da ‘diversidade’, deveriam por obviedade aceitar a opinião de quem não deseja fazer apologia dos homossexuais. Uma coisa é aceitar o outro como ele é, respeitando a sua diferença, outra é defender um determinado modo de vida como único. Parece haver fundamentalismo dos dois lados.

  25. Ops… eu ainda não acabei. Bem, nós não concordamos com o modo que o pastor expõe a sua opinião em relação aos homossexuais, mas defendemos suas ideias. Não somos manipulados por ele ( a não ser um evangélico analfabeto que nunca tenha estudado a Bíblia, de fato), o qual tem bíblico para tal afirmação. Como a irmã Ana Paula disse: “Como é glorioso aprendermos cada vez mais! Ninguém sabe de nada…” Por essa razão, ainda que façam jus contra, respeito a opinião de todos que desmerecem nossas interpretações bíblicas, expondo-as ao ridículo. Enquanto olharmos para o homem, para seus defeitos… jamais vamos agradar a Deus. Ninguém conhece as Escrituras de fato. São apenas interpretações humanas. Nem católicos, nem espíritas, nem evangélicos são donos da verdade. Felipe, parabéns por esse texto maravilhoso. Fique com Deus!

  26. Carla, quem se incomoda com alguma coisa é você que não respeita a opinião dos outros, da qual você mesma reprisou “…particularmente” – “Quem somos para julgá-lo?” – Resposta: Você própria está julgando e fazendo papel do “juiz” (e concordo) sempre teremos divergências sem necessidade. – “O pastor Marcos Feliciano tem a opinião dele. Temos a nossa.” … e eu tenho a minha, assim como você tem a sua!!! “Ele não se coloca como líder, ele é!” – Você é quem está afirmando, ele é um líder para você, já para mim não! “Eu me questiono do porquê de os evangélicos incomodarem tanto pessoas que se acham tão esclarecidas (??!!).” Você é quem está afirmando mais uma vez e fazendo papel de juiz. Fique em paz, mais uma vez!

  27. Carla, acho que os dois comentários do Thiago ponderam muito bem a questão. Há exageros e jogo de interesses dos dois lados. As posturas radicais insuflam o ódio e a intolerância. É plenamente possível cada qual viver de acordo com a sua consciência, externando os seus valores, sem que para isso precise acender os ânimos. Não me sinto incomodado com ninguém por sua religião. O fato de Feliciano ser evangélico não é incômodo nenhum para mim. Mas, justamente por concordar com você a respeito da indiscutível liderança de Marcos Feliciano é que acho que ele poderia adotar e propor uma postura mais tolerante.
    Obrigado a você e a todos que têm comentado. A troca de opiniões nos ajuda a refletir e rever nossos posicionamentos.

  28. “…particularmente acho que esse pastor faz tudo em prol da política, usa os membros da própria igreja para obter vantagem. “Vantagem de quê? Quem somos para julgá-lo? Enquanto certas pessoas continuarem a fazer o papel do “juiz” sempre teremos divergências sem necessidade. O pastor Marcos Feliciano tem a opinião dele. Temos a nossa. Ele não se coloca como líder, ele é! Eu me questiono do porquê de os evangélicos incomodarem tanto pessoas que se acham tão esclarecidas (??!!).

  29. Quanto à postura do pastor, existe um jogo político dos dois lados: temos o pastor querendo angariar votos pelo seu lado e temos o movimento LGBT querendo impor seus devaneios por meio da pressão e do escândalo.
    Não tenho nada contra gays, para mim são seres humanos comuns, e se eles estão certos ou errados, não sou eu que devo julgar o que eles fazem da vida deles; mas não posso concordar com o ativismo descerebrado por parte do seu grupo representante como tem sido feito.
    Muitos erros têm sido cometidos por grupos radicais desse meio, e pior: com apoio do governo querendo angariar votos da comunidade gay.

  30. Bom dia Morel:

    Particularmente, não concordo com a postura das duas garotas. Acho que uma casa religiosa (centro espírita, culto, igreja católica) deve ser respeitada por todos. Existem locais e momentos adequados para tudo. Acredito que não custa usar um pouco de boa vontade e usar o lugar em questão para rezar, refletir suas condutas, ouvir as palavras do orador e procurar agregá-las em sua vida. Acredito que a casa de Deus deve ser aberta a todos, heteros e homos, mas deve se ter respeito pelo local e pelo o que ali é transmitido.

  31. Pra mim é melhor ignorar, acho que se você é e alguém não concorda deixa a pessoa não concordar, às vezes a própria família não concorda e ninguém vai lá brigar com eles, então pra que dar tanto ibope? E achei errado a atitude das meninas, e o Feliciano não acho certo nunca. Mas como disse, cada um com seu cada qual, isso é muito pessoal pra ser discutido.

  32. Morel, particularmente acho que esse pastor faz tudo em prol da política, usa os membros da própria igreja para obter vantagem. Assisti a uma entrevista dele ao vivo no programa do Ratinho e com certeza ele se coloca como um líder, disso eu não tiro o mérito, mas como afirmei anteriormente isso faz parte da política, todos são assim, possuem o dom de manipular as pessoas. Quanto mais as pessoas protestarem, mais força política e poder terá. Quanto aos homossexuais, tenho pleno respeito à sua condição, pois o que importa para mim é o caráter, o resto é o resto. Parabéns pelo texto!

  33. Morel, bom dia. Já tem um tempo que não comento aqui, mas leio todos os dias, todas as publicações. Parabéns a todos com suas contribuições.
    Há poucos dias estava conversando com minha esposa a respeito desse tema e sinceridade não tenho opinião formada a respeito, no que tange à religião e o tema abordado. Acho que toda religião que quer colocar seu ponto de vista a respeito do assunto consegue fazê-lo sem a menor dificuldade.
    Quanto à minha opinião, sem considerar o aspecto religioso, acho que todos têm o direito (livre arbítrio) de fazer suas vontades, claro que, como você disse, respeitando as opiniões de todos. Tudo tem sua hora e lugar adequado para se praticar.
    Acho que “amar ao próximo como a si mesmo” é uma conformidade entre todas as religiões. Se não pudermos amar ao próximo da maneira como ele é, não adianta sentarmos no banco da igreja, seja ela qual for, e ficarmos pregando a palavra de Deus.
    Temos que RESPEITAR a posição de cada um, pois cada um arcará com suas responsabilidades, estando certos ou errados.
    Fiquemos todos em paz. Abraço a todos.
    Todos temos o mesmo Pai, só não temos o mesmo grau de evolução.

  34. Acho que o Pastor Marcos Feliciano está usando sua opinião como homem público para conquistar mais eleitores e alguns homossexuais desinformados estão dando mais motivos para serem discriminados e fortalecendo mais as idéias de repúdio do deputado.
    Como você bem citou: “É pelo exemplo que se convence. Não se convence ninguém na marra.”

  35. Ótima visão, Morel. Acho que o que mais incomoda os homossexuais e bissexuais (e simpatizantes…) é, além da postura homofóbica do Marcos Feliciano, sua posição de poder, ainda mais em uma parte diretamente ligada a esse assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.