Espiritismo e o ciúme | Espírito Imortal

Espiritismo e o ciúme

Espiritismo e o ciúme

Ouça este artigo na voz do autor

O espiritismo é insistente em nos apontar o orgulho e o egoísmo como os geradores de todos os defeitos humanos. O ciúme não escapa a essa regra.

Você conhece alguma pessoa ciumenta? Não me refiro ao ciúme comum, aquele que dizem que é o tempero do amor. Falo do ciúme doentio, que foge dos limites do aceitável. O espírito imortal traz consigo, ao reencarnar, suas características adquiridas no curso de muitas vidas. Essas características desabrocham logo na infância na forma de tendências. Se a educação e o acompanhamento familiar não souberem detectar e modificar essas tendências desde cedo, essas características se desenvolverão livremente.

O espírito imortal mantém um padrão comportamental que lhe acompanha a bagagem milenar. Fruto da sua lenta e gradativa evolução. A sua maneira de pensar e de sentir, o seu modo de ação e reação você traz de outras existências. A formação da sua personalidade, na infância, apenas utilizou o seu material espiritual.

O espiritismo é insistente em nos apontar o orgulho e o egoísmo como os geradores de todos os defeitos humanos. O ciúme não escapa a essa regra. Como sentimento egoísta, o ciúme procura roubar a liberdade do outro, tenta obrigá-lo a seguir por um caminho delimitado ou simplesmente aprisioná-lo. O ciúme é um exercício enlouquecido de poder, de dominação e de aprisionamento do outro.

A pessoa ciumenta não sabe diferenciar imaginação e realidade, não sabe distinguir fantasia e certeza. Qualquer dúvida em sua cabeça logo se transforma em delírio. A vítima do ciumento se sujeita a ter seus pertences revistados em busca de vestígios que nem imagina do que seja. O ciumento tem ciúme do passado do outro, dos seus relacionamentos anteriores, e vive imaginando detalhes sobre fatos verdadeiros ou não.

O que o ciumento quer é o controle total e absoluto dos sentimentos, da atenção e do comportamento em geral do outro. O outro passa por situações vexatórias e bizarras, isso quando não impera a violência. Quantos crimes passionais devem sua origem ao ciúme doentio? Quantos casos de mulheres que se sujeitam à violência doméstica por depender emocionalmente ou economicamente do parceiro?

Ciúme não é amor. Pode estar relacionado a amor, mas a um amor que está doente. É um sentimento profundamente egoísta que envolve um medo insuportável de perder o parceiro para outra pessoa. Mesmo que essa pessoa só exista na imaginação do ciumento. O ciumento é alguém com a autoestima baixíssima, que não confia em si e nos seus sentimentos. Julga o outro pelos seus pensamentos mórbidos.

O ciúme, assim como outros sentimentos como raiva, mágoa, inveja, desencadeia uma série de doenças. Essas doenças podem se manifestar já nesta encarnação ou acompanhar o espírito imortal até uma próxima oportunidade na matéria para expurgar essas energias negativas, esse lixo mental e emocional.

É importante que o ciumento e sua vítima se conscientizem da necessidade de ajuda. Parece claro que, além da própria personalidade desajustada do ciumento, há interferência de espíritos obsessores nessas situações. Mas de nada adianta tratamento desobsessivo ou ajuda profissional se não houver o propósito firme de uma reforma íntima urgente. Só com a vontade real de se ajudar, de colaborar consigo mesmo, pode ser efetivada uma melhoria significativa. Isso vale para o ciumento e também para o seu parceiro, que é vitimado pelo seu ciúme. Nunca é demais lembrar que ninguém é vítima por acaso. O acaso não existe. Tudo o que nós colhemos é o que um dia nós plantamos…

Costumo responder a todas as questões que me são dirigidas. Peço, apenas, que antes de perguntar consulte os comentários anteriores e minhas respostas a eles. A resposta que você procura pode estar lá. Conheça o meu canal no Youtube

57 comentários para Espiritismo e o ciúme

  1. Espiritualista, respondo o seu comentário, que você não vai ler (não vai, né?), mas que pode ser útil a outras pessoas. Você se diz cansado da “farsa espírita”. Ora, se você está cansado, é porque agiu muito no meio espírita, pois ninguém se cansa por nada. Imagino que você tenha se decepcionado, o que é compreensível. É provável a decepção quando criamos expectativas. De minha parte, vejo o Espiritismo como o meio espiritualista maia avançado da atualidade, embora, certamente, longe da perfeição.
    O que você fala sobre o animismo é, até certo ponto, verdadeiro. É praticamente impossível delimitar um marco entre mediunismo e animismo. Por isso a importância do estudo por parte do médiuns, para perceberem suas limitações e não interferirem indevidamente com seus próprios recursos nas comunicações mediúnicas. Não interferirem INDEVIDAMENTE, pois uma interferência pontual e benéfica é bem vinda. Há boa literatura para tratar dos cuidados com o animismo. Destaco Mediunidade, de Edgard Armond; Mediunismo, de Ramatis; Estudando a Mediunidade, de Martins Peralva; e Nos Domínios da Mediunidade, de André Luiz.
    Há espíritas hipócritas, assim como há hipócritas em todos os meios. Sendo os espíritas espíritos, têm todos os defeitos inerentes a estes.
    Quanto à sua preferência por Jung, eu a respeito; cada um tem a sua.
    Estudo constantemente. Se meus dizeres são “bonitinhos”, é um talento desenvolvido (ou uma pobreza de linguagem; depende do ponto de vista).
    Quanto ao resto, é agressividade barata de sua parte. Em vez de acusar-me de vaidoso e ignorante, por que não se dedica a esclarecer a quem estiver disposto a ser esclarecido? Certamente você teria muito a acrescentar com o seu ponto de vista, se deixasse o seu azedume de lado.

  2. Espiritualista disse:

    Sou espiritualista, cansei da farsa espírita. Nem se dê ao trabalho de responder pois não vou voltar aqui.
    Animismo é um fenômeno descontrolado no meio kardecista. Fábulas e mais fábulas são argumentos toscos para elucidarem verdades morais que quase sempre são o reflexo da hipocrisia dos espíritas.
    Reuniões mediúnicas já foram diversas vezes desafiadas pela parapsicologia. Carl Jung, cheio das fábulas familiares, estudou a relação entre o consciente e o subconsciente, explicando brilhantemente a comunicação desta última por meio de arquétipos e do próprio inconsciente coletivo. Coitado dele, pois os espíritas o utilizam pra comprovar suas máximas circenses em reuniões mediúnicas.
    Estude, tenha coragem, não alimente a sua e a ignorância alheia com dizeres bonitinhos que enganam os mais incautos e a si próprio. Consulte seu guia e me mande sua resposta para meu e-mail ou continue mentindo pra si próprio. Tenha vergonha na cara, se sua vaidade lhe permitir!

  3. GPR, um tratamento com terapeuta pode lhe ajudar. Compreenda que ajuda, mesmo, é só você quem pode oferecer a si mesma. É você quem tem a responsabilidade sobre os seus próprios sentimentos e pensamentos. É difícil controlar os sentimentos, mas os pensamentos nós podemos, pelo, menos, conferir e tentar mudar o seu rumo. Ao perceber que um pensamento de ciúme passa pela sua cabeça, não o deixe se instalar, pense imediatamente em outras coisas, faça afirmações positivas, desvie o foco, nem que precise mudar de atividade imediatamente, A oração, feita com sinceridade, é a melhor ferramente de controle sobre os pensamentos que temos à nossa disposição. Querendo, de fato, você consegue mudar.

  4. GPR disse:

    Sou muito ciumenta. Mas não era assim. Amo meu namorado, estamos há mas de dez anos juntos e sou imensamente Feliz com ele. Apesar de todas as barreiras que enfrentamos, pois eu sou mas nova que ele 31 anos. Tenho 28. Enfrentamos pré conceito e filhos dele e minha família. Mas eu de repente me tornei ciumenta demais. Sinto que às vezes meu namorado se sente cheio disso. Não quero perdê-lo mas sinto que preciso de ajuda. Na cidade onde estou não tem nenhum centro espírita, pois comecei a ler sobre isso e sinto que posso ser ajudada. Sou uma mulher bonita e muito querida. Não entendo por que me tornei assim. Antes eu era segura de mim. Apesar de meu namorado ter suas amizades ele nunca me deu um motivo sequer para que eu sentisse ciúmes. Preciso de ajuda, não sei mais o que fazer ou a quem recorrer. Sinto que esse sentimento tem afetado até a alegria do meu namorado, pois ele tem feito de tudo para me agradar. Preciso sair dessa paranóia. Sinto que de repente eu mudo, não sou ciumenta o tempo todo, são alguns momentos que me atacam e eu fico cega e sinto um grande ódio. E depois passa, meu namorado diz que pareço outra pessoa.

  5. Carol disse:

    Morel, boa tarde. Sempre me interessei pelo espiritismo , porém somente agora, com 30 anos e que estou procurando conhecer melhor a doutrina e o seu site está me ajudando muito.
    Gostaria de pedir ajuda a você, já deixei esse comentário, mas percebi que deixei o comentário no artigo errado..rsrsrs..
    Depois de um relacionamento conturbado, conheci uma pessoa pela qual me apaixonei, estávamos noivos e bastante felizes, apesar de ele ser ciumento (não em níveis extremos, mas me sufocava, às vezes) ele também parecia estar apaixonado, carinhoso e fazia tudo que estava ao alcance dele para me agradar. Um dia ele resolveu colocar uma escuta, que ele havia ganho, na minha bolsa, sem eu saber, desde então minha vida virou um inferno, ele acredita e ninguém tira da cabeça dele que ouviu eu o traindo dentro de uma Van a caminho de casa. Ele me acusa, me chama de nomes, me provoca, está totalmente diferente do homem pelo qual me apaixonei. Várias pessoas chegaram a cogitar que isso talvez seja algum mal agindo na vida dele, pois o relacionamento anterior dele também terminou com ele acusando a ex-namorada. O engraçado que o antigo relacionamento também acabou depois de 3 anos – apesar de todos afirmarem que eles não tinham uma sintonia como a nossa – eu sentia que se o nosso relacionamento passasse de 3 anos ficaríamos para sempre juntos e o noivado acabou após 3 anos. Não sei o que eu poderia fazer, estou sofrendo muito pois o amo e sinto que ele também me ama. Estive em um centro e na entrevista me disseram para eu ter paciência, e essa palavra parece me acompanhar, mas já fazem 1 mês e meio e ele continua me atacando, estou triste pois ele foi o homem que escolhi para passar a vida. Penso em ir a casa dele para conversarmos mais tenho medo de mais ataques verbais e de piorar as coisas, no momento estou mantendo a distância e até sendo fria, ás vezes. Não sei o que fazer , poderia me dar a sua opinião.
    abs e parabéns pelo site , tem sido reconfortante ler as suas palavras.

  6. Ajude-se. Procure ajuda profissional e espiritual. Se não fizer nada, nada mudará.

  7. FERNANDA disse:

    Sou ciumenta possessiva. Reconheço que o meu marido não faz nada de errado. Mas tenho ciúmes dele com qualquer mulher, principalmente as bonitas e atraentes. Tenho vontade de me separar só pra nunca sofrer com o ciúme. Sentir ciúme machuca muito. Nunca me senti desanimada com meu casamento, como agora…

  8. Sara, ninguém é capaz de provocar em nós algo que nós não temos dentro de nós. Por exemplo: alguns homens dizem que as mulheres os provocam sexualmente e por isso são estupradas. Um homem que não tenha propensão para o abuso sexual não vai estuprar ninguém por mais que seja provocado. Isso não está nele. Com o ciúme é a mesma coisa. Se alguém que não é ciumento sofre uma provocação, vai sentir raiva, desprezo ou compaixão de quem o provoca, mas não vai sentir ciúme. O ciúme é seu, e cabe a você controlá-lo. Se você é provocada pelo parceiro, isso é outra história: ele deve respeitá-la e você deve exigir ser respeitada.

  9. Sara disse:

    Boa noite, eu sou ciumenta, mas por vezes são atitudes do meu parceiro que me deixam insegura. A minha questão é: e quando nos provocam ciúme?

  10. Lia, espiritualize-se, frequente um centro espírita e estude o Espiritismo. Vai compreender melhor que a causa de sermos como somos está dentro de nós, conhecendo-nos a nós mesmos, fica mais fácil de nos reformarmos. Acredito que a ajuda especializada com um terapeuta seria positivo para você. Ajude-se. Deixar de procurar ajuda, quando sabemos que precisamos, é boicotar-se a si mesmo.

  11. Lia Mendes disse:

    Bom dia.

    Escrevo pois sofro com um ciúme doentio.
    Sinto que vivo à procura de algo para ter ciúme, ou para “desmascarar’ meu marido, que é uma pessoa maravilhosa, amorosa e muito atenciosa.
    Porém não consigo confiar em ninguém.
    Desde adolescente, mesmo sem estar com um menino, já sentia ciúme dele.
    Tive 2 relacionamentos anteriores, em ambos eu sofria por esse ciúme, mesmo sem ter motivos.
    Não sei se é bom ou ruim, porém não falo do meu ciúme para meu marido. Sofro em silêncio.
    Apenas procurando e esperando um deslize para poder jogar na cara dele que ele é igual a todos os outros homens.
    Rezo muito para isso passar, porém está cada vez pior.
    Tenho 3 anos de casada, e tenho medo de meu relacionamento acabar por conta disso.

  12. Continue seguindo seus princípios, R. C.

  13. R.C. disse:

    Sou separada. Meu marido era muito ciumento. Eu, pelo contrário, nunca tive ciúme e isso era um motivo a mais para que ele não acreditasse no meu amor. Cheguei, num determinado momento da vida, a pensar em fingir ciúmes, mas não consegui. Não consigo acreditar na máxima de que onde há ciúme há amor, pelo contrário, penso que onde há amor de verdade não existe espaço para ciúme, mas isso custou meu casamento. Não estou lamentando. Sou feliz com meus sentimentos e princípios.

  14. M. L., independentemente de ela ter tendências ao ciúme ou não, parece claro que o responsável por essa situação é o pai dela. Sabemos que os filhos são espíritos como nós, e que compete aos pais burilarem as boas tendências e cortarem as más tendências pela raiz, ainda na infância. Assim, mesmo que ela seja um espírito razoavelmente bom, ela está apenas pretendendo, legitimamente, continuar vivendo da mesma maneira que viveu até você passar a fazer parte da vida dele. Se ela fosse um espírito muito maduro, com um grau de compreensão acima do normal, teria se dado conta de que agora deve dar mais espaço para você. Mas sabemos que poucos estão neste nível. Você e eu, no lugar dela, muito provavelmente agiríamos da mesma forma, mesmo inconscientemente.
    Entendo que a situação pode ser desagradável, e como é delicado abordar esta situação com ele (ou eles). De qualquer modo, quem deve compreender é você. Quem entrou para o grupo familiar é você. Quando você o conheceu o quadro já era este. Você não tem o direito de sentir-se incomodada. Quando conseguimos determinado emprego ou quando nos mudamos para uma casa nova geralmente ficamos muito felizes. Tempos depois, notamos que o patrão é explorador ou que as condições de trabalho não são as melhores, ou notamos que o encanamento da casa está entupido ou que os vizinhos escutam música num volume exagerado. Não podemos exigir que tudo mude porque nós chegamos.
    Não acredito que possa haver uma mudança neste comportamento de maneira forçada sem gerar ressentimentos. Se você gosta realmente dele e pretendem ficar juntos, o tempo há de jogar ao seu favor. Ela vai formando novos compromissos e a situação se ajeita naturalmente. A mais básica das virtudes é a paciência. Aceite a situação, assim não sofrerá e não fará sofrer.

  15. M. L. disse:

    Olá Morel, boa tarde!

    Primeiramente, obrigada pela sua atenção e cooperação na nossa evolução espiritual.

    Sou trabalhadora em uma casa espírita na cidade onde resido, por isso tento trabalhar em minha evolução espiritual diariamente.
    Mas, eventos novos acontecem e, às vezes, não sabemos lidar com a situação.
    Estou em um relacionamento há um ano e meio, depois de 8 anos divorciada. Não tenho problemas em relação à pessoa que namoro, nos relacionamos muito bem e somos muito “afinados” um com o outro. Ambos temos filhos, o meu 19 e a filha dele 18, e é neste quesito que surge a dificuldade.
    Mesmo eu e a filha do meu namorado nos relacionando muito bem, com boa aceitação por parte dela, tendo bom diálogo e colaboração mútua, em alguns momentos, tenho sentido um sentimento de ciúme muito forte dela.
    Por exemplo, se estamos juntos e ela liga para lhe dizer que algo vai mudar nos planos dela (porque ele faz tudo para ela, uma vez que a mãe não liga nem um pouco para a filha, na verdade, ela mora com ele) eu fico incomodada. Tudo que vamos fazer, primeiro tem de saber os planos que ela tem com o namorado, para depois vermos os nossos planos.
    Tenho feito prece, pedido auxílio ao meu mentor, mas queria algumas dicas de atitudes mais práticas para eu lidar com essa situação.

    Obrigada pela atenção!

  16. Fernando, o único modo de não termos as nossas falhas de caráter despertadas é vivendo sozinhos no deserto. Não é possível desencadear uma reação em nós se nós não tivermos dentro de nós os ingredientes desta reação. Compreendo perfeitamente que a situação não é exatamente fácil, mas explosões de ciúme nunca resolvem nada. O que desencadeia o ciúme é o sentimento de posse, e isso é egoísmo e insegurança. Se gostarmos suficientemente de nós mesmos jamais sentiremos ciúme. Temos que nos conscientizar de que não dependemos de ninguém para sermos felizes. A felicidade que tenhamos com alguém deve ser apenas complemento da nossa felicidade pessoal.

  17. Fernando disse:

    Olá, Morel, sou muito ciumento e acho que perdi minha namorada, a mulher que eu sempre sonhei para minha vida devido ao ciúme. Li todos os depoimentos abaixo, e gostaria de fazer uma pergunta a todos. Eu já fui traído em um relacionamento passado. Meu relacionamento atual estava 1000 maravilhas até eu descobrir alguns ex-namorados dela ficavam procurando por ela. O ciúme de vocês desencadeou devido há algum “gatilho”… teve alguma situação determinante para o ciúme vir à tona? Eu frequento centro Espírita, mas tenho consciência dos meus defeitos, de tudo que tenho que aprender e buscar melhorar, ciúme é um desses pontos. Mas é muito difícil, somos colocados sempre à prova em nossa caminhada. Meu relacionamento passou por mil situações de prova durante estes 2 anos, foi muito difícil, perdemos um bebê, teve a família dela interferindo, ex-noivo causando muita briga, em um ponto eu evoluí, eu não arrumei uma briga, ignorei a todos completamente, e isso foi o que manteve ela comigo nestes 2 anos. Mas agora no final eu explodi com essa situação de ex-namorado enviando sms com papo furado.

  18. Cris disse:

    Muito obrigada. Bastante esclarecedor!

  19. Sofia disse:

    Obrigada pelas palavras, Morel.
    Vou seguir à risca as suas orientações e tenho certeza que vou conseguir me controlar e ser mais feliz.
    Você não imagina como os seus conselhos são importante para nós… Obrigada, obrigada e obrigada…

  20. Sofia, esse “não consigo” é muito cômodo. Quem determina o que você consegue e o que não consegue é você mesma. Ninguém pode mudar você além de você mesma. Compreendo que possa ser difícil, mas, se você quiser de verdade, você consegue.
    Nosso pensamento é criador. Ao sentir ciúme você imagina cenas, e essas cenas tomam forma no plano astral, tornam-se reais, com maior ou menor intensidade, conforme a força da sua imaginação. Essas imagens, que ganham “vida própria”, têm endereço certo: vão direto para as pessoas que são alvo da sua imaginação: neste caso, o seu marido e essa menina. Mesmo que eles não tenham segundas intenções um para com o outro, as imagens geradas na sua mente podem ser captadas pelas mentes deles, incentivando-os a se verem de maneira diferente.
    Você não tem o direito de ter ódio dela. Quando fazemos algum coisa mesmo sem ter esse direito, pagamos o preço. E o preço do ódio é envenenar-se com o próprio veneno. Quem sente as vibrações negativas do ódio é você mesma, é você quem fica cada vez mais perturbada e infeliz bebendo do seu próprio ódio.
    Como você vê, o ciúme é totalmente irracional e prejudicial.
    Dedique um momento do seu dia, sempre no mesmo horário, para orar por ela. Peça perdão e perdoe em pensamento. Deseje todo o bem do mundo a ela. Faça isso até que se torne uma coisa sincera. Quanto ao seu marido, em vez de incomodá-lo com o seu sentimento possessivo, cuide bem dele, trate-o com carinho e respeito. Agradeça a Deus, em suas orações, por ele fazer parte da sua vida. Seja boa e tudo ficará bem.

  21. Sofia disse:

    MEU MARIDO NUNCA ME TRAIU, MAS TENHO UM CIÚME DOENTIO DELE COM UMA MENINA DO SERVIÇO DELE. ELA É A JOVEM MAIS BONITA DO SERVIÇO DELE. E ELE TEM AMIZADE COM ELA HÁ ALGUNS ANOS. SEMPRE ME INCOMODOU UM POUCO, MAS AGORA VEIO À TONA O CIÚME… TENHO ÓDIO DELA… ÀS VEZES DELE… NÃO QUERIA QUE ELE NEM CONVERSASSE COM ELA… SEI QUE ESTOU ERRADA, MAS NÃO CONSIGO ME CONTROLAR…

  22. Sugiro a leitura deste artigo. Há links de outros artigos pertinentes e um vídeo do Youtube. Os comentários dos leitores e minhas respostas a eles também podem ser úteis.
    http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-os-relacionamentos-amorosos/

  23. Sueli disse:

    Tenho um relacionamento com um homem casado, mas tento me libertar disso e não consigo, parece algo mais forte que eu, arrumei um namorado para fugir disso e ele atrapalhou tudo por ciúmes, mas como pode se ele nunca foi capaz de deixar a esposa para ficar comigo, preciso de ajuda, não quero destruir um lar, por isso queria seguir minha vida em paz, encontrar alguém e ser feliz.

  24. Sara, esta ajuda você deve buscar em si mesma. O ciúme é um hábito mental milenar que deve ser vencido pelo uso da razão. Racionalize os fatos que ocorrem em sua vida e busque o domínio sobre os seus pensamentos. Não permita pensamentos de desconfiança. Não há outro meio de controle sobre o que se passa em nosso íntimo além da advertência de Jesus: “orai e vigiai”. Ore para elevar os seus sentimentos e vigie os pensamentos para não permitir que a desconfiança tome conta de você.

  25. Sara disse:

    Felipe, peço ajuda para clarear minha mente e meu espírito. Sou praticante da doutrina, mas por várias vezes encontro-me angustiada por ciúmes. Tenho alguns motivos pretéritos para desconfiança… mas além de querer voltar a confiar quero cuidar do meu coração… da minha auto-estima!

  26. josé disse:

    Nossa, esse texto era o que faltava eu ler para entender melhor a minha situação! Obrigado.
    Namorei por 3 anos uma pessoa extremamente ciumenta, me controlava em tudo, sempre com pensamentos absurdos sobre qualquer coisa!
    Como diz ali no final, a gente planta o que colhe, e realmente eu me deixei levar por essa situação, hoje ela que me deixou por algumas coisas idiotas que ela julga ser errado mas não entende que fiz por conta do extremo ciúme!
    Nunca traí, jamais faria isso, pois respeito muito quem está comigo, mas em muitas vezes me senti atraído por outras pessoas por imaginar como minha vida seria com tal pessoa!

  27. Meiri, ninguém pode “acabar” com um sentimento do outro. Só quem pode mudar é ele. O que você pode fazer é ser amável, compreensiva, conversar com ele a respeito, deixar claro em suas atitudes que não há motivo para ele ter ciúme, ser uma esposa exemplar e orar por ele.

  28. MEIRI disse:

    Quero acabar com esse ciúme do meu marido. Me ajudem.

    Obrigada,
    Meiri

  29. Morel Felipe Wilkon disse:

    Le, nós somos espíritos imortais, já tivemos inúmeras existências antes. Mesmo que encontremos alguém, nesta existência, que nunca tenha se relacionado com outra pessoa, como espírito este alguém já teve muitas experiências. O que importa é o presente, a vida é um eterno agora. Aprenda a controlar os seus pensamentos. Quando um pensamento de ciúme surgir em sua mente, pense imediatamente em outra coisa, procure outra atividade, afaste o pensamento. Não crie imagens em sua cabeça, não formule histórias imaginárias, não fique pensando em possibilidades. Apenas viva o momento. É importante o tratamento psicológico, mas quem pode e deve controlar os seus pensamento é você. Comece a tentar e não desanime.

  30. Le disse:

    Busquei no site algo específico sobre ciúme e achei este texto. Eu achava que era ciumenta a partir da minha adolescência, mas pensando melhor recordei que sempre fui ciumenta (com objetos e pessoas) desde pequena. Bom, eu já faço terapia com psicóloga, mas nunca dei atenção sobre o ciúme. Atualmente estou interessada em uma pessoa, mesmo eu não tendo tido nada com essa pessoa, mas só de pensar que ele já foi casado, teve muitas outras pessoas em sua vida já me faz pensar se vale a pena (morro de ciúme). Eu sei que isso não é bom pra mim, pois quem sofre sou eu. Minha psicóloga sempre me diz que é difícil achar uma pessoa que não teve passado, mesmo eu sabendo disso estou tentando superar, mas é algo difícil para mim. O problema é que são situações que sempre se repetem. Eu espero um dia conseguir superar esse defeito.

  31. Morel Felipe Wilkon disse:

    Ma, a soma de tudo o que pensamos, falamos e fizemos, em todas as nossas reencarnações e nos intervalos entre elas, está tudo gravado em nosso subconsciente. Somos a soma de todas as nossas experiências, e isso faz de nós seres únicos, ninguém é igual a ninguém. Cada um de nós emite um padrão vibratório que atrai padrões semelhantes. Como esquecemos do passado ao reencarnarmos, não compreendemos o fato de atrairmos para nós pessoas e situações que achamos que não combinam conosco ou que não as merecemos. Mas tudo o que nos circunda somos nós que atraímos. Cada um tem exatamente aquilo que fez por merecer. Se não achamos as razões na existência atual, elas estão em existências anteriores.

  32. Ma disse:

    “Nunca é demais lembrar que ninguém é vítima por acaso. O acaso não existe. Tudo o que nós colhemos é o que um dia nós plantamos…” O que quer dizer com isso ? Como atraímos homens ciumentos ?

  33. Morel Felipe Wilkon disse:

    Vendramini, isso é pode ser ciúme ou apenas insegurança. Muitas vezes as pessoas próximas são espíritos que se reúnem há bastante tempo, com os quais já tivemos outras ligações. Por isso tantos sentimentos inexplicáveis. Procure controlar isso. É bom perceber sentimentos negativos enquanto ainda não estão entranhados. Eles podem tomar proporções exageradas. Ore antes de dormir e ao acordar para que este sentimento se modifique. Compreenda que há sentimentos entre a avó e o neto que você talvez não perceba.
    Fique com Deus.

  34. Vendramini disse:

    Morel, pode me ajudar, é possível ser ciúme o sentimento que tenho quando minha sogra pega minha filha bebê no colo ou para brincar, eu sinto como se ela fosse roubar minha filha! Tento não demonstrar, mas está dificil, cada vez que a sogra vem visitar a neta fico nervosa, engraçado que só sinto isso com a sogra, não sinto isso com o sogro e nem mais ninguém! Me ajude a me entender por favor! Abraços!

  35. d.o.s disse:

    Vivo com um homem há 15 anos e ele não me deixa sair com ninguém a não ser com ele, tem horas que não suporto ele perto de mim, não sei mais o que fazer, é horrível essa situação, já saí de casa várias vezes, e ele sempre fala que vai mudar mas não muda, já chegou até me agredir fisicamente e moralmente.

  36. Morel Felipe Wilkon disse:

    Anônima, acredito que casos severos de ciúme requerem acompanhamento psicoterápico. Você deixa perceber que espera, inconscientemente, motivos para despertar o seu ciúme. Sem que este seja o seu propósito, nenhuma relação é “completa” se não tiver o ingrediente do ciúme. Atraímos para nós pessoas e situações que se afinizam com os nossos desejos e temores. Tudo o que ocupa a nossa mente com emoção é atraído até nós. Enquanto você não tratar isso, irá atrair sempre mais situações semelhantes. O acompanhamento espiritual num centro espírita é necessário, mas para que você perceba os padrões de pensamento que você formula é bom procurar um psicoterapeuta.

  37. anonima disse:

    Morel eu sou uma ciumenta e já não sei o que fazer… sou espírita, tento ter um entendimento sobre tudo que pode prejudicar minha evolução, mas não sei se é algo que tenho que superar, cumprir, mas ainda com meu ciúme parece que sempre me relaciono com a pessoa errada. Eu gosto de estabilidade, confiança e proporciono isso para as pessoas esperando receber isso em troca. Acredito na Lei de ação e reação, do retorno, e sempre tento me doar para as pessoas como gostaria que se doassem para mim. Tento dar liberdade, confiar, mas parece que o menor deslize que indique mentira ou traição parece que um monstro sai de mim. As pessoas dizem que tenho muita paciência e que não perdoariam metade do que eu deixo passar… será que sendo boazinha demais as pessoas acabam confundindo com outra coisa, que podem ter uma ação e eu não vou fazer nada? Fiquei assim depois que tive uma relação muito conturbada, nesse ciúme doentio. Passados anos me vi na mesma situação, passei por maus bocados, esse novo relacionamento me traria mais dor, com muitas traições, desrespeito. Passei algum tempo sob influência psicológica dessa pessoa que era mais nova que eu, quando me desliguei totalmente me senti aliviada. Hoje estou com uma pessoa que a princípio me passava confiança, até ele dar o deslize de falar coisas num site para uma pessoa vulgar, que queria ela e tudo mais… tentou me esclarecer que foi alguém da família, mas vi outras coisas que me deram ainda mais desconfianças. Essa pessoa também é mais nova que eu. Estou tentando lidar com isso mas não consigo. Pediria que me indicasse leituras que me ajudassem ou me respondesse por e-mail porque apesar de ser fiel, rezar, tentar ser melhor como pessoa, não consigo me livrar disso.

  38. Morel Felipe Wilkon disse:

    Nada que já não tenha referido em comentários anteriores…

  39. maHma disse:

    Olá, também tenho todos os sintomas citados acima, estou no relacionamento há 3 meses e temos a certeza que nascemos um para o outro. Porém todo esse meu ciúme esta me deixando louco, talvez por ele ser mais velho acho que ele vai me trair, imagino muitas coisas o dia todo. Teria algum conselho ou uma dica para me ajudar e para eu utilizar no meu dia a dia.

  40. Regina disse:

    Vou procurar, com certeza.
    Obrigada

  41. Morel Felipe Wilkon disse:

    Regina, percebe-se que racionalmente você compreende a sua condição. Mas não resolvemos um problema sentimental apenas com a razão. Você já procurou algum tratamento em centro espírita? Me parece que seria muito adequado pra você. Fique com Deus.

  42. Regina disse:

    Estou em um relacionamento há 5 anos e há 5 anos sinto muito ciúme e todas as características acima.
    Já tomei remédios, fui ao psiquiatra, centro espírita e nada de resolver. Comecei a ir à psicóloga há um mês e já vejo mudanças significativas.
    Converso muito com a minha esposa e ela nunca me traiu ou fez algo para me magoar de propósito.
    Todos os sintomas relatados acima são os que eu sinto, já senti com mais intensidade, hoje sei que estou melhorando, quero melhorar, não aguento ficar pensando, imaginando e fazendo histórias na minha cabeça.
    Comecei a melhorar quando me conscientizei que eu não sou dona dela e não posso controlar as coisas que ela faz e que os outros fazem para ela. Hoje em dia eu simplesmente tento confiar e acreditar, pois é a unica coisa que eu posso fazer.
    Quem quer trair vai trair com ciúme ou sem ciúme, então por quê desse sofrimento ???
    Pra mim chega, não aguento mais, eu quero mais é ser feliz!!!
    Vou continuar o meu tratamento com a psicóloga e todas as vezes que um pensamento ruim se aproximar eu na hora tentarei me ocupar com outras coisas.
    Eu desejo que todos que passam por isso sejam compreensivos e tolerantes, se vocês amam os seus parceiros e parceiras ciumentos tentem ajudar, pois fazemos coisas das quais nos arrependemos e muito quanto fica tudo bem.
    Entramos num delírio inexplicável, e quando passa o furação vem a vergonha e raiva por ser assim.
    Quero resolver esses problemas nessa vida para não precisar carregar essas dificuldades, posso carregar outras, mas essa eu não quero mais.
    Abraços para todos e muito obrigada pelo texto, me identifiquei muito.

  43. Morel Felipe Wilkon disse:

    Tulio, essas características negativas que ainda temos nos acompanham há muitos séculos, as trazemos há muitas reencarnações. Não nos livraremos delas a não ser pelo esforço diário, permanante. Já é um grande passo o reconhecimento por parte dela. Os que convivem com ela devem exercitar a compreensão e tentar esclarecer, sempre que possível, a realidade, já que o ciumento vê a realidade deturpada. Havendo a vontade da pessoa em modificar-se, é aconselhável o acompanhamento psicoterápico, preferencialmente abordando a temática reencarnacionista.

  44. Tullio Rangel disse:

    O assunto foi muito bem abordado, mas não encontrei os conselhos suficientes para inicar uma busca pela melhora do ciumento.
    Tenho uma filha de 15 anos, extremamente ciumenta, e que sofre por ser assim. Reconhece que isso é ruim, mas não sabe por onde começar, e tampouco tem conseguido.
    Vocês indicam algum artigo mais específico sobre qual melhor tratamento para esses casos?
    Obrigado!

  45. Morel Felipe Wilkon disse:

    Telma, perdoar é desligar-se da situação e oferecer nova chance. Você só cumpriu o segundo item, você perdoou pela metade, e isso não é perdão. O que determina que haja uma relação afetiva entre duas pessoas? Você sabe o que você espera deste relacionamento? Pense e responda para si mesma.
    Seja o que for que você esperar dessa união, ela não sobreviverá sem confiança mútua. Confiança é o mínimo que se espera de qualquer relação, seja ela qual for. Numa sociedade, numa relação entre pais e filhos ou entre marido e mulher. Você precisa se ajudar. Procure um centro espírita, faça um tratamento, comece a estudar o Espiritismo. Se não gostar da ideia, faça psicoterapia. Você precisa saber o que prende você a essa relação, se ela é realmente importante pra você. O passado passou; se você naõ consegue se desligar do passado, irá se desligar do presente.

  46. telma disse:

    Oi, no caso eu sou a ciumenta da relação. Namoro há quase três anos. Há um ano descobri a traição dele, até então não era ciumenta, confiava na relação, e sempre pedia: se acontecer de encontrar outra pessoa, ser sincero e acabar o relacionamento seria melhor do eu descobrir. Infelizmente aconteceu, pediu perdão, que foi um erro, pediu para recomerçar.
    Perdoei, mas virei um monstro, vivo olhando e-mail, facebook, tenho crises de ciúmes, fico relembrando o passado, já fiz várias coisas.
    Ele fala que me ama, que compreende, que com o tempo vai passar.
    Eu não sei, peço seu conselho, vivo angustiada, triste, quero mudar mas parece mais forte que eu.
    Agradeço a atenção, obrigado.

  47. Morel Felipe Wilkon disse:

    Carol, você deve ter certeza de que ele quer realmente se ajudar. Nada é por acaso, mas devemos ter muito cuidado para que não nos responsabilizemos por algo que absolutamente foge ao nosso controle. Se você se sente de alguma forma envolvida no problema dele (parece que sim), cuide para não desenvolver sentimento de culpa. Viemos à matéria para nos rearmonizarmos, não para pagar. Não temos que pagar nada, nãos temos que ser punidos por nada. Deus não pune. Deus nos proporciona a possibilidade de nos reajustarmos. Só isso. Ele tem que fazer a parte dele. Não passe por cima de você mesma. Paciência, tolerância, compreensão, temos que ter sempre, com qualquer pessoa. Mas NUNCA DEVEMOS PASSAR POR CIMA DE NÓS MESMOS. Não se apague.
    Muita força e paz pra você.

  48. Carolinr disse:

    Estou num relacionamento com uma pessoa muito ciumenta que faz terapia e toma remédios. Pela mãe dele descobrimos o espiritismo. Eu leio muito sobre o assunto e cada vez mais tenho certeza de que não nos conhecemos por acaso. No primeiro dia que eu o vi sabia que íamos nos relacionar. Só não imaginava que ele teria todos os sintomas que o senhor descreveu. Ele já melhorou muito, mas passamos por tantas coisas que às vezes penso no que tudo isso vai dar. Rezo muito para que ele melhore e sejamos felizes. Sei que devo estar respondendo por algo que fiz no passado a ele, mas fica difícil me redimir por não saber exatamente o que foi. Também sei que não podemos reerncarnar com lembranças, então só rezo para que Deus nos ilumine e mostre o melhor caminho para nós.

  49. Morel Felipe Wilkon disse:

    Maria, ninguém é vítima nem vilão numa relação amorosa. Cada um tem o que merece. E o ciúme é doença, independe de parceiro, de atenção, de carinho, de qualquer coisa.

  50. maria disse:

    Acho que o ciumento só é ciumento quando o parceiro não dá atenção ao outro e isso só acontece porque o parceiro na verdade não é uma vítima, mas o vilão que sempre deixa na reta fazendo o outro de bobo.

  51. Morel Felipe Wilkon disse:

    Ademir, obrigado pela participação, que abre espaço a outras linhas de raciocínio, outras correntes de pensamento. Respeitáveis, sem dúvida, mas com as quais eu não compactuo; pelo menos não completamente.

  52. Ademir Ladislau disse:

    Achei interessante a matéria, mas existe controvérsias:
    1) O espírito quando reencarna, por um acordo divino, não assume o comando da experiencia física em que se envolve. Portanto por mais que tenha acumulado conhecimentos em outras vidas, jamais poderá impor ou utilizar nada da sua estrutura mental, nem tampouco interferir de forma direta ou indireta, na vida que está se desenvolvendo com sua presença; a não ser que o ser físico comandante busque o alinhamento vibrátil devido e autorize a sua participação. Mas isso dificilmente ocorre.
    2) A questão de ciume doentio varia sempre em cada elemento e notadamente, acontece com maior frequencia em pessoas de determinados signos; ou seja: nascidos em algumas épocas do ano e sob a influencias diretas da energia de astros existentes no universo. Num estudo recente sobre o tema, se comprovou que os maiores ciumentos são os nascidos sob os signos de Leão; Áries e Escorpião. Será que os espíritos ciumentos só utilizam esses períodos para reencarnarem??? Seria muita coincidência se assim fosse.

  53. Anônimo disse:

    Obrigada pelas palavras!

  54. Morel Felipe Wilkon disse:

    O importante é você ter se conscientizado da continuidade da vida espiritual. A maior parte de nossas relações tem laços no passado. Se você fez o que estava ao seu alcance para tentar resolver o problema você tem todo o direito de seguir seu caminho em busca de paz. Ninguém sai ganhando num relacionamento tumultuado.

  55. Anônimo disse:

    Estou em um relacionamento que está chegando ao fim por conta de ciúme doentio, é triste ver um amor se acabar dessa maneira. Quando os problemas gerados por ciúmes começaram a se agravar me perguntava o por que de estar passando por isso, daí me dei conta que poderia ser um acerto de outra vida, passei a ver a situação como uma nova oportunidade de resolver um problema do passado e resolvi lutar. Comecei a incentivá-lo a frequentar sessões de desobsessão em um centro espírita que frequento, mas não foi o suficiente pois precisaria também de ajuda psicológica. E por não reconhecer ou aceitar essa necessidade, não o procurou e o resultado disso foi um desgaste cada vez maior, brigas, agressões verbais, físicas e o fim do relacionamento.

  56. Anônimo disse:

    O mais importante é reconhecer que o ciúme doentio é um problema. Todos nós cometemos erros e nos envolvemos em situações complicadas,mas só a partir do reconhecimento que busca-se a solução!

  57. Anônimo disse:

    e verdade amigo acho que todos tem ciumes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>