Artigos mais lidos, Comportamento

Espiritismo e as doenças

doencas-espiritismo


Pelo que depreende do estudo do Espiritismo, as doenças nascem do Espírito. Os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a inveja, o sentimento de culpa. São esses sentimentos que provocam as doenças do corpo físico.

Todos os dias os jornais divulgam novas pesquisas sobre os benefícios ou malefícios de determinados alimentos em nossa saúde. Também tem sido muito difundida a recomendação da prática de exercícios físicos para a manutenção e melhora de nossa saúde física e emocional.

Assim como muitas pessoas, tenho cuidados com a alimentação e pratico exercícios físicos regularmente. Desde que sem exageros, sabemos que esses hábitos só têm a contribuir para o nosso bem-estar.

O que é bem menos divulgado é que, do mesmo modo que somos responsáveis pela saúde, também somos responsáveis pelas doenças. As doenças nascem não só do descuido com o corpo, mas principalmente do descuido com as nossas emoções.

Os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a inveja, o sentimento de culpa. São esses sentimentos que provocam as doenças do corpo físico. As emoções atingem imediatamente o corpo físico, que serve como um dreno por onde escoam essas energias negativas. Só que muitas não escoam, não fluem, ficam presas ao corpo físico e se manifestam em algum órgão em forma de doença.

Espiritismo e as doenças
Espiritismo e as doenças

Todas as doenças se originam do espírito. O que não tem origem nesta vida tem origem em reencarnações passadas. Muitas pessoas não aceitam este fato, ou só o aceitam parcialmente. Mas não há como fugir a essa constatação. O corpo físico é apenas reflexo do corpo astral (ou perispírito). Tudo o que está registrado em nosso corpo astral se manifesta em nosso corpo físico.

Você conhece pessoas que são viciadas em doenças. Falam de suas doenças com carinho, com uma espécie de orgulho. No ambiente de trabalho, em casa, na fila do banco, em qualquer lugar é possível ver pessoas competindo para ver que é mais doente. Trocam informações, nomes de remédios, não omitem nenhum detalhe de seus sintomas e dores.

A doença é o modo que muitas pessoas carentes de afeto acham para chamar a atenção. Quanto mais detalhes mórbidos, mais atenção despertam. É um modo de serem ouvidas, consideradas. Se apaixonam pelas próprias doenças. Quando você encontra alguém assim, a primeira coisa que ela faz é lhe passar o relatório completo de suas doenças. Onde dói, como dói, o que ela tomou, o que o médico disse, o que o outro médico disse.

Se algumas dessas pessoas ficassem curadas de repente, perderiam o sentido da vida. Claro que não são todas as pessoas doentes que gostam de suas doenças. Há pessoas que nascem com doenças graves, com limitações físicas que terão que suportar pela vida toda. Outras adquirem qualquer moléstia ou enfermidade no decorrer da vida, e a cura nem sempre está ao seu alcance.

Nem todos se conformam. Muitos se acham injustiçados, acham que a vida está errada e questionam a Justiça Divina. Não aceitam o fato de que são elas mesmas que causaram ou escolheram suas doenças.

Mesmo dentro do Espiritismo há quem ache essa abordagem muito dura. Acham cruel generalizar. Ficam comovidas com casos de doenças graves em crianças ou pessoas sabidamente boas. A dor dessas pessoas dói nelas.

Não sou insensível. Com a popularização das redes sociais, todos os dias nos deparamos com imagens de pessoas que sofrem de doenças terríveis. Mas se aceitamos que somos os responsáveis pelos nossos atos, que colhemos o que plantamos, que nossos males morais foram provocados por nós mesmos e que compete a nós modificá-los, por que seria diferente com os males físicos?

São as nossas emoções que provocam as doenças. A cura também passa pelas nossas emoções. Não estou dizendo que devemos abrir mão da medicina, pelo contrário. Temos que aproveitar os avanços que conquistamos.  Mas a cura, real, verdadeira e definitiva para qualquer mal que atinja o nosso corpo está no controle das nossas emoções. 

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

95 Comentários

  1. É muito lindo quando se fala da imortalidade da alma, e que o espírito que anima nossos corpos é imortal, realmente isto é verdade e que o sofrimento tem varias origens seja de outras vidas ou da presente devido a comportamentos e atitudes etc…
    Por outro lado as pessoas estão sofrendo aqui e agora, neste mundo e procuram soluções para os seus problemas, seja ele material ou relativo a saúde que às vezes está crítico e sem esperanças pra viver neste mundo. Cada pessoa tem um tipo de sofrimento, alguns mais outros menos, não dá tempo pra ficar doutrinando e depois obter a cura, já pensou se Jesus ficasse explanando pra todos antes de curar ou mesmo ressuscitar uma pessoa não teria feito nem a metade dos milagres que a Bíblia nos relata.
    Creio que se deve fazer a cura, dar o pão pra saciar a fome e depois a doutrina.

  2. Boa tarde, Morel
    Já sou conhecedora da Doutrina Espírita, algumas vezes frequento Centros Espíritas, tomo passe e água fluida… gosto de ler livros e revistas desta Doutrina e dentro do possível e minhas limitações, procuro melhorar intimamente.
    Tenho um problema que me angustia e me faz sofrer muito: Tenho fobia a agulhas, injeções… Vou procurar ajuda com psicoterapia, mas gostaria que você pudesse me ajudar, indicando também um Site, livros espíritas, que falam sobre este assunto e se posso ter ajuda espiritual em algum Centro espírita. Grata, fique com Deus.

  3. Caro Morel.

    Venho novamente solicitar o seu auxilio. Apesar evidenciam que possa ser uma doença genética, Gaucher talvez.
    Mas na verdade ainda não descobriram, cada dia a mais nos deixa angustiado.
    O nome do meu filho é Nicolas Mathias de Oliveira.

    Obrigado.

  4. Alex, nada que seja para o bem, nosso ou de nosso próximo, é contra a vontade de Deus, Não sabemos da trajetória e dos vínculos que esse espírito traz consigo. É possível que ele necessite de forças externas para se fortalecer. Vou orar por ele.

  5. Morel, boa tarde!

    Meu filho tem 20 dias de vida, e está internado na UTI, com sepse neonatal (infecção no sangue) e um amarelão ainda por causa desconhecida, nos quais os exames não deram reagente.
    Minha crença em Deus e nos médicos, seguem inabaláveis.
    Devo também solicitar auxílio espiritual para o meu filho em algum centro espírita, seria ir contra a vontade de Deus ou ajudaria?

    Desde Já obrigado.

  6. Olá, gostaria de obter tratamento espiritual à distância, você pode me orientar? Tenho dores inexplicáveis e crises de depressão.

  7. Katia, você não está perdida. Compreendo sua preocupação, mas olhe para os lados e verá problemas muito mais graves que o seu. Seja forte e dê exemplo ao seu filho.
    A cirurgia espiritual é realizada por espíritos trabalhadores. Certamente, se houver obsessão, será observada por eles. Não resuma sua busca por solução a uma cirurgia espiritual. Leve-o frequentemente ao centro espírita, para que ele se evangelize. Aproveite a oportunidade que a Vida lhe oferece e espiritualize-se. Estude, se esclareça, ajude o próximo.

  8. Bom dia. Passo há 5 anos com problemas com meu filho de 11 anos, sofre de ansiedade com sintomas físicos como palpitação, náuseas, dores no peito e de cabeça, medo e outras, estou buscando uma cirurgia espiritual, mas me disseram que ansiedade é problema de obsessão. Estou perdida, a cirurgia espiritual pode ajudá-lo? Desde já obrigada.

  9. Luciane, espíritos que passam por tantas provas e não desistem estão dando um grande salto, estão superando antigas fraquezas, adquirindo experiências que os fortalecerão muito. Lembre-se sempre de que essa existência é só uma passagem. Nós permanecemos sempre, e nos sentimos muito felizes quando nos damos conta de que superamos um desafio e cumprimos o dever.
    O êxito resgate de espíritos que desencarnam em situação de violência depende da sua não revolta, da sua aceitação do desencarne. Ore sempre por ele, mas sem tristeza ou mágoa – nossos sentimentos são transmitidos através do pensamento.

  10. Oi Morel, sempre gostei do espiritismo, sinto que preciso me aprofundar, tenho a necessidade e curiosidade de saber cada vez mais… fico me questionando por tudo que tenho passado. Tive um câncer de mama, o nódulo foi retirado, perdi uma parte da mama, junto com a perda da mama, dos cabelos e durante o tratamento, perdi meu marido violentamente assassinado na nossa frente em um assalto, claro que ele contribuiu pra isso, pois era ex-militar e claro que reagiria, 2013 foi pra mim uma tragédia, tantas perdas, tratamento, sozinha… lembrando que ele era um marido, pai maravilhoso, meu primeiro namorado, meu amor de vidas passadas com certeza, questionei muito por que estou passando por tudo isso, como todo mundo faz, sinto tanta falta dele, mas sei que ele está em um bom lugar e foi resgatado logo e rezo sempre por ele, porém sinto um vazio enorme e o meu consolo é a minha filha, cuida tanto de mim que já deve ter sido minha mãe… rsrsrsr em outras vidas, agora estou curada, mas minha DOR e Angústia é muito grande, tenho a curiosidade em saber para qual colônia ele deve ter ido, já que foi assassinado… beijossssssss

  11. Daniela, essas questões são a base da Doutrina Espírita. Sugiro que estude O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec. Outras obras primárias importantes são O que é o Espiritismo e O Evangelho segundo o Espiritismo. Você os encontra em PDF neste site na aba LIVROS do menu. Bom estudo!

  12. Boa noite.
    Acho que é uma abordagem bonita e com semelhanças à Psicologia.
    Gostava de esclarecer algumas duvidas;
    Pessoas que nascem em países com fome e miséria eram esbanjadoras/opressoras/negativas?
    Quando nos é atribuída a alma?
    A população está a aumentar. Quer isso dizer que o numero de almas também? Nesse caso, de onde vêm as almas “novas”. E as velhas, ficam sem “trabalho” depois de se aperfeiçoarem?
    Como reconhecer uma alma nova e uma velha?

    Muito Obrigada,
    Felicidades

  13. Ana, todas as doenças são originadas pelo espírito, mas isso não quer dizer que tenhamos que abrir mão da medicina. No seu caso, que vem enfrentando dificuldade em obter melhoras, convém procurar ajuda espiritual. Procure algum centro espírita que trabalhe com curas espirituais ou com apometria.
    Doenças são sinais de desarmonia interior. Procure, acima de tudo, espiritualizar-se, harmonizar-se, perdoar, amar, cultivar bons sentimentos, pensamentos sadios e hábitos que lhe façam bem. não adianta tratar o sintoma (a doença física) se não tratarmos a causa (o desequilíbrio mental-emocional).

  14. Bom dia! Eu estou com um problema de estômago há um ano, tudo o que como me faz mal, comecei a ter também intolerância a lactose que nunca tive, já fiz diversos exames, já tomei vários remédios, nada cura completamente. Eu havia apresentado uma melhora, mas agora no final do ano tudo voltou de novo, não na mesma intensidade, mas tão ruim quanto. Recentemente fiz exames e eles constataram que meu corpo não está digerindo direito nenhum tipo de carne e amido e por isso o meu desconforto, mas isso nunca melhora, é horrível, pois afeta tudo o que eu faço, não tenho mais ânimo para nada por conta desse problema, tenho 20 anos, gostaria de saber se isso que eu estou pode ser de causa espiritual.

  15. Daphne, a cura é do espírito, através da mudança de sentimentos, pensamentos e atitudes. Mas acho estranho que tenham dito a você que seu problema é no perispírito e que não o tenham resolvido…
    Deixo para você um link para atendimento à distância. Leia as instruções atentamente e as siga. Não esqueça de que a seriedade com que nos dedicamos ao tratamento espiritual é decisiva para a eficácia do tratamento.
    Você vai melhorar; tenha certeza.

  16. Olá, adorei seu texto. Tenho uma dor no abdome inferior do lado direito há 8 anos e nunca nenhum médico descobriu o que era. Nenhum exame consta nada! Esse ano decidi focar no espiritismo, coisa que tinha abandonado. Uma pessoa me falou que estava com os chacras obstruídos e então fui fazer uma cirurgia espírita e foi quando me disseram que eu não tenho nada, que meu problema é no perispírito.
    Estou meio perdida, sinto muitaaaaa dor e não sei como melhorar isso, vivo vigiando meus pensamentos e tudo mais!!
    Leva um tempo até a “cura”?

  17. Vanessa, a resposta é no mesmo sentido da outra resposta que lhe dei a respeito de uma possível influência espiritual sobre os drogados. Assim como no meio evangélico há a tendência de atribuir todos os nossos males ao diabo ou demônio, no meio espírita há a tendência de atribuir nossas fraquezas a um espírito obsessor.
    Nós somos os responsáveis por nós mesmos. Qualquer influência que porventura venhamos a sofrer só acontece porque estamos abertos a ela. Uma pessoa equilibrada e boa dificilmente sofrerá influências negativas.

  18. Oi Morel, bom dia!
    Minha cunhada sofre de crises de pânico, e estas acontecem repentinamente e não tem um lugar certo. Como ainda sou nova na doutrina, eu procurei saber sobre esta doença no modo de ver do espiritismo. E descobri que poderia ser uma perturbação sofrida pela presença de um espírito. Você poderia me explicar mais sobre isso? E o que posso fazer para ajudar?
    Obrigada mais uma vez!

  19. Gabriel, o Espiritismo não propõe curas físicas, mas renovação espiritual que pode levar à cura do espírito. Conheço casos de doenças tidas como incuráveis e que desapareceram através de tratamento em centros espíritas ou em igrejas. Mas esse não é o objetivo da Doutrina Espírita. A causa é sempre o espírito. Isso fica claramente demonstrado ao observarmos que de várias pessoas expostas aos mesmos riscos, apenas algumas se contaminam. Isso pode ser atribuído à genética, mas mesmo a genética é consequência, e não causa. Somos hoje o resultado de incontáveis milênios de evolução, somos a soma de nossos erros e acertos. A doença, embora tenha uma conotação de castigo, é na verdade uma maneira de purgar as nossas impurezas. Aliás, a palavra “castigo” vem do latim “castus”, que quer dizer “puro”. Castigo, então, originalmente, quer dizer purificação. Agregamos impurezas ao espírito por conta de atitudes reiteradamente equivocadas. Geralmente quando o espírito começa a sua fase de conscientização inicia automaticamente a sua purga, a sua limpeza, e essa limpeza só pode ocorrer através dos seus veículos de manifestação. Como o nosso veículo mais exterior é o corpo físico, é através dele que ocorre a purga, a depuração.
    Tendo consciência disso, e evitando a revolta, que representa um atraso no processo evolutivo, convém não desistir da cura. Se lhe atrai a ideia espírita, procure um centro espírita em que se sinta bem e passe a frequentá-lo. Mesmo não ocorrendo a cura definitiva, uma melhor qualidade de vida pode ser alcançada, em todos os sentidos. Dentre as técnicas utilizadas em tratamentos espirituais, recomendo a Apometria. São poucos os centros espíritas que a adotam. Não me peça maiores informações a respeito; ainda não as posso dar.

  20. Morel, boa noite. Tenho HPV e a proliferação do fungo cândida (candidíase). Existe uma maneira disso ter se manifestado por atitudes de outras vidas? Pois não tive relação para contrair o vírus HPV, sendo assim, existe alguma maneira de curar apenas com o Espiritismo?

  21. G, atribuir as causas a determinados acontecimentos ou comportamentos específicos pode ser leviandade. Não posso generalizar. Qualquer coisa que se diga a este respeito é especulação. O que sabemos é que não há efeito sem causa. Você sabe tanto quanto eu como são raras as curas de doenças graves. Eventualmente acontecem; não faltam exemplos. Mas a doença é muitas vezes um “mal necessário”. É a oportunidade de o espírito purgar as impurezas que aglomerou em si.

  22. Bom dia, sr. Morel!

    Ok, entendi que as doenças podem ser reflexo de carmas de encarnações passadas.
    Qual seria a razão da cegueira e da surdez? Existe meio para sua cura na atual encarnação?
    Obrigada.

  23. Gostei muito de seus comentários. Adorei conhecer o seu site, passarei a visitá-lo sempre.
    Abraços Fraternos.
    Feliz Ano Novo.

  24. Isabel, não há efeito sem causa. Nada acontece sem uma causa que a provoque. Quando nos deparamos com pessoas com doenças inexplicáveis, muitas vezes pessoas de bom caráter, ou mesmo crianças, parece não haver nada que explique a dor que sentem. Bata olhar para o seu passado, muitas vezes anterior a essa existência, para verificarmos que o mal que elas colhem é o mal que elas plantaram. Somos espíritos imortais. Uma existência é uma fração de segundo na eternidade. Através de inúmeras reencarnações colhemos o que plantamos, sempre. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Isso vale tanto para as boas como para as más ações. Sem considerarmos a reencarnação, tudo parece injusto e inexplicável.

  25. Estou para completar 15 anos de aprendizagem diária com um ser de luz que Deus me emprestou e me confiou para minha melhora como ser humano e amadurecimento espiritual. E ao ler seu texto gostei muito da colocação sobre aceitação e sobre o uso que alguns fazem das suas condições físicas e ou emocionais nas redes sociais. Aprendo a por em prática a gratidão, modéstia à parte, mas me sinto agraciada por Deus.

  26. Josiane, a ajuda de um profissional da psicologia ou um terapeuta reencarnacionista pode ser útil. Mas, mais importante do que buscar causas específicas, é sanar quais quer causas trabalhando em benefício do próximo. Quando damos de nós mesmos nos tornamos mais plenos, e grande parte dos nossos conflitos se resolvem. O trabalho voluntário, o trabalho no centro espírita, a participação em grupos de oração, tudo o que fazemos pelos outros o estamos fazendo para nós mesmos.

  27. Boa tarde, gostei muito da colocação, pois eu acredito que nosso corpo manifesta tudo que sentimos. Eu, particularmente, luto contra minha própria dor, que às vezes é física, outras vezes chega a ser na alma, como uma aflição mesmo, um incômodo insuportável, e o triste é que mesmo eu fazendo muita reflexão, não consigo achar o ponto ou as questões pra serem trabalhados e assim poder melhorar. O que fazer?

  28. Ana, não temos missão na Terra. Quem tem missão na Terra são os grandes espíritos. Nós temos que superar nossas dificuldades e aprender a amar.
    Só podemos ajudar quem quer ser ajudado. Uma ajuda espiritual eficaz requer a receptividade da pessoa que queremos ajudar. Deixe de se preocupar com sua mãe e ocupe-se com você. É você quem deve superar o que você sente em relação à sua mãe e à diferença de tratamento que ela reserva a você e ao seu irmão.

  29. Desde criança sempre tive problemas com a minha mãe. Sempre a amei e ainda amo muito! Apesar de tanto amor que tenho por ela sempre amou e ama muito mais o meu irmão do que a mim, só que nunca me importei com isto! Sempre achei o meu irmão uma pessoa muito egoísta e só pensava nele, tanto que assim que se formou casou, e como o casamento não deu certo foi embora para outra cidade passando mais de 10 anos sem aparecer, só fazia ligar para minha mãe. Resumido: até hoje a minha mãe só dá valor a ele e não tem muito respeito por mim. Ela gosta muito de ficar me humilhando por qualquer besteira fico com o astral muito baixo, pois sou espírita, frequento um centro espírita e faço tratamento por ela, tenho que ter muito paciência, pois sei que ela não se sente feliz e muitas vezes quando está nesta fase fica sem falar comigo e com meu filho. Ainda estou fazendo tratamento por ela, às vezes sinto melhora, e tem dias que ela continua a mesma, faço o evangelho do lar, ou seja, faço tudo para que possa ajudá-la, já que eu tenho conhecimento espiritual. Me diga o que mais posso fazer por ela? Será que esta é a minha missão aqui na terra, como posso ajudá-la mais?

  30. Olá Morel, estava pesquisando em seus textos algo que me explicasse a relação entre obesidade, transtornos alimentares e espiritismo. Esse texto veio a calhar, pois a ansiedade que sinto, que me leva a comer e depois ficar com remorso e raiva de mim mesma, é algo que devo trabalhar e controlar. Exatamente esses sentimentos que acumulo em meu ser: frustração, impotência, desânimo, raiva e tristeza por simplesmente não ter conseguido realizar meus desejos, que agora vejo que são egoístas. Esse artigo foi muito esclarecedor, pois para mim ainda é difícil e estou procurando uma casa espírita para obter auxílio, pois sei que sozinha não terei forças. Muita paz e luz! Que Deus continue te fazendo um instrumento da verdade!

  31. Bette, não se trata de “culpa”, mas de responsabilidade por si mesmo. Não se trata de “julgamento”, mas de alerta. Ajudar, sim; passar a mão na cabeça, não. Esclarecer sobre a responsabilidade que nossos sentimentos e emoções exercem sobre nós mesmos é um modo de ajuda. Eu percebo assim. Você pode discordar.

  32. Estou indignada. Que artigo irresponsável. Já existem diversas pesquisas questionando a psicossomática e realmente culpar o doente pela doença é um erro inimaginável. Prejudica inclusive nosso trabalho como voluntários. Fica aqui minha livre expressão de discordância pelo Bem Comum: não julgue as pessoas, ajude-as sempre.

  33. Euler, assim como na física, uma lei interfere nos resultados de outra. A Lei de causa e efeito ´r lei de Deus, e, portanto, irrevogável. Mas Jesus nos ensinou, e o apóstolo Pedro nos lembrou, que “o amor cobre uma multidão de pecados”. O amor manifestado em ações interfere positivamente nos resultado da Lei de causa e efeito. Quando amamos e agimos com amor, a colheita de nossos atos equivocados é mais branda.

  34. Tenho uma dúvida, Cristo nos ensinou que deveríamos abandonar a lei de talião e nos trouxe o conceito do perdão.

    Mas se eu devo sofrer pelos meus maus atos na mesma proporção que eu os cometi, não estaria Deus praticando esse tal lei de talião, combatendo o mal com o mal?

  35. Josiane, não se descobre isso numa conversa superficial através da internet. É você quem deve analisar a si mesma, aos seus sentimentos e emoções. É bom contar com ajuda profissional ou investir profundamente na espiritualização. Não existem respostas fáceis. Pode ser necessária um existência inteira para obter uma resposta satisfatória.

  36. Em 2010 eu percebi um nódulo na glândula da tireoide que evoluiu muito rápido, foi depois de um stress traumático. Uma briga muito grande com minha cunhada e meu irmão, da qual nunca pude me defender, até hoje não pude dizer o mal que isso me fez. Tive em 2011 um nódulo na mama, e no tratamento tivemos uma palestra na qual foi falado que as doenças da alma se refletiam no corpo. Aí da mama ela perguntou se eu tinha algum problema com a minha mãe; e sim, senti muito a falta dela, ela morreu quando eu tinha 6 anos, nunca me senti completa, amada… Então ligamos a mama à mãe. Liguei o nódulo na garganta como uma mágoa que não consegui engolir, pra vencer eu devo colocar isso pra fora? De tocar novamente no assunto para me livrar disso? Por favor me ajude.

  37. Maína, a esquizofrenia revela um espírito perseguido pela culpa a ponto de não distinguir realidade física e imaginação ou realidade espiritual. É comum que pessoas diagnosticadas como esquizofrênicas sejam vítimas de perseguições espirituais graves, quase sempre provocadas por elas mesmas em outras existências. São obsessões graves que acabam atingindo o corpo físico.
    É possível ajudar tentando esclarecer. Se o esclarecimento não for possível, pode-se manter uma tratamento ou acompanhamento à ditância num centro espírita. Nossas orações e boa vontade para com o próximo sempre ajudam.

  38. Pessoas com o mal de esquizofrenia também fazem parte desse artigo ou pode ser alguma prova de Vidas Passadas? Meu namorado tem um tio com essa doença, e o tio dele já pôs até fogo na casa da Avó do meu namorado é até filho dela!!! Não tem como ajudá-lo porque meu namorado vive com medo de um dia o tio dele incendiar a casa da avó dele inteira e alguem acabar morrendo… Obrigada pela atenção desde já.

  39. Boa tarde Morel!

    Aproveitei o artigo, muito bem explanado para ver se consigo uma orientação ou indicação do que fazer ou de como pensar (de maneira mais conclusiva)… Conheci minha esposa e logo no primeiro encontro ela me deixou claro que tinha um problema de saúde e me explicou o que era e como acontecia… óbvio que àquela altura, já apaixonado, jamais iria me afastar ou rejeitar tal situação… pelo contrário, amei a maneira transparente e sincera dela ser.
    Ela tem epilepsia, e de tempos em tempos ocorrem as crises, sempre dei todo o suporte a ela e faço tudo o que posso para ajudá-la a amenizar este problema… pois bem, não sou o tipo de pessoa que fica de braços cruzados esperando as coisas acontecerem, então fui pesquisar na internet, matérias especializadas no assunto, clínicas, vários médicos, inclusive tirar dúvidas no centro espírita… enfim ninguém consegue ou conseguiu me dar uma resposta conclusiva sobre a causa. Pois tratando a causa, posso obter a cura. Ou não?! Se for dos desígnios de Deus que isso se perpetue, porém eu preciso saber se a causa é física ou espiritual, se é fruto mesmo como dizem de obsessão, se é fruto de algum problema físico… enfim quero pelo menos saber o que posso fazer para ajudá-la ou contribuir para a cura…
    Conheci ao longo da vida algumas pessoas que tiveram o problema… “tiveram”, e hoje em dia não têm mais nada… com o tempo a doença se extinguiu. Porque com ela é diferente?? Porque até hoje ela ainda sofre deste mal?!

    Quero ajudá-la, tem uma voz lá no fundo que me diz que é possível livrá-la, e por isso ainda não desisti. Faço qualquer coisa (Lícita) para ajudá-la ou livrá-la (contribuição), não sou absolutamente nada para ter o poder de livrá-la, mas conto com o todo poderoso nessa luta… Ela é uma pessoa amável, meiga, doce, educada, solidária com as pessoas, NÃO É ESPÍRITA, mas é mais espírita de alma, que muitos frequentadores do centro, levamos uma vida normal, com muito amor e dedicação um ao outro, mas dói em mim este problema. Gostaria de saber se há um centro espírita em especial que tenha “cura espiritual” ou se não se trata disso e é mesmo uma doença física do corpo… eu ficaria infinitamente feliz se a visse livre deste mal.

    Mas se não acontecer, sempre estarei ao lado dela para o que der vier.

    Agradeço sua atenção Morel. Muita paz.

    Sergio

  40. Dizem que não existem doenças, e sim doentes.
    Somos herdeiros de nós mesmos, portanto cultivar pensamentos doentios atrai quem está na mesma situação, ou seja, doente.
    E é complicado conviver com pessoas lamentando, falando em doenças, elas costumam roubar até nossas energias.
    Pensar positivo, e não deixar-se influenciar, nem ficar à mercê da situação, pode nos ajudar.

  41. Maria, talvez num tratamento específico para a saúde, realizado em centro espírita, você possa saber isso.

  42. Olá Morel, sinto muitas dores nos braços, nas costas e nas pernas e também muita depressão, o que esses sintomas tem a ver com espiritualidade?

  43. MOREL, ESTOU PASSANDO POR ESTA FASE DESCRITA NO TEXTO. ME SINTO REALMENTE CARENTE DE TUDO, ATÉ DE MIM MESMA. ESTOU PASSANDO POR UM PROCESSO MEDICAMENTOSO DESDE 2010, QUANDO PENSO QUE ESTOU SAINDO VÊM AS DÚVIDA, AS INCERTEZAS, DAÍ RECOMEÇA: DORES, LÁGRIMAS, UM SOFRIMENTO SEM EXPLICAÇÃO. AH! QUANDO ALGUÉM ME DÁ CHANCE, AHAM… AÍ É QUE CONTO TUDO. QUANDO DOU CONTA, JÁ FALEI ATÉ PELOS COTOVELOS.

  44. Acredito que sim, Ana. A mágoa só termina quando há o perdão. Índigo seria a cor da aura de algumas pessoas nascidas de algumas décadas pra cá; pessoas que teriam características especiais. A primeira observação nesse sentido foi feita por psicólogos norte-americanos, mas alguns espíritas adotaram a ideia.

  45. Morel, obrigada pela sua resposta. Mas não concorda que as pessoas melhoravam, com pedido sincero ?! Ontem escrevi a frase “sinto-me tão sozinha” e fui dar um site casa indigo, eram várias pessoas sentindo a mesma sensação ao longo do percurso aqui na vida. Fiquei um pouco mais tranquila e acompanhada. Já ouviu falar? Indigo!? Um dia de paz * para si* para todos nós*

  46. Ana Maria, não existem truques para ajuda rápida. A ajuda deve partir de si mesmo, e esse é um longo processo. Somos seres milenares. Se considerarmos apenas a reencarnação atual, tudo parece injusto e incompleto. Por isso a dificuldade de se aceitar que as crianças de hoje são os adultos de ontem e de amanhã, são espíritos tão ou mais velhos que eu e você, com erros e acertos. Não pagamos pelos erros do passado, apenas nos rearmonizamos com as Leis cósmicas que infringimos.

  47. Olá Morel, boa tarde a todos participantes. Estou gostando muito de seu site! Obrigada por toda ajuda e informação. Eu penso que se houvesse um arrependimento sincero por parte das pessoas que provocaram a dor que com o tempo se transformou em mágoa, se houvesse um pedido desculpa sincero nunca chegaria a raiva que transforma depois em doença! Porque quem fica com depressão sofreu ( a inveja é diferente pois já tem maldade, penso eu), não acho fácil livrarmos desses males quando há tanta dor. Ex: relacionamentos. Poderia explicar às pessoas uma forma rápida de ajuda. Quanto às doenças em crianças não gostaria de acreditar que se paga por vidas passadas, ou mesmo outros males que acontecem.

  48. Amei esse artigo, isso é real mesmo, tem gente que trata as próprias doenças como se fossem um troféu, em vez de procurar a cura na medicina e em si proprio, ficam usando de doença para sua autopiedade e para as outras pessoas terem piedade, sendo que não é uma coisa certa a se fazer porque não melhora nada na doença, só leva a pessoa a ser mais doente. Mas isso serve pra gente mesmo porque num momeno de enfermidade a gente pode lutar contra isso e não ficar só lamentando. Obrigada Morel, ótimo artigo, bjosss

  49. Sim, Regina. É preciso adquirir o hábito de vigiar os pensamentos. É o único modo de se saber o que se está passando com nossos sentimentos para tentar controlá-los.

  50. Muito bom ! Tenho muitos problemas com sentimento de raiva : não consigo controlar e sinto que pioro com o passar dos anos e tem me trazido novos problemas de saúde. Preciso administrar melhor minhas emoções!

  51. Rosana, o processo de autocura proporcionado pela reforma íntima, pelo controle dos pensamentos, pode não ser tão rápido quanto gostaríamos, mas é certo e definitivo. Obrigado pelo comentário.

  52. Olá Morel! Este texto foi perfeito para mim. Me sinto muito “doente”, com certeza fiquei doente por causa dos meus sentimentos de tristeza, mágoa, raiva, pessimismo, dor na alma… Procurarei me curar.

  53. Anna, essas questões são esclarecidas no Livro dos Espíritos. Tem em PDF na internet. Mas Anna, nós não suportaríamos viver com a carga de nossas experiências passadas, acredite. Obrigado pela participação.

  54. Seu artigo é muito bom, mas muita coisa ainda me intriga. Nem sempre conseguimos controlar internamente os sentimentos. Podemos e devemos até tentar, é um exercício, mas muitas vezes disfarçamos e por dentro… só Deus é que sabe…! Além disso há pessoas totalmente bipolares que num dia sentem raiva e no outro amor. Daí a doença se torna inevitável. Sou simpatizante do espiritismo, mas até hoje, por mais que me expliquem, não consigo entender por que não nos lembramos das vidas passadas para que não repitamos os mesmos erros. De qualquer maneira rezo sempre por mim, pelas pessoas que me são caras e pelo mundo em geral e procuro não radicalizar.

  55. Compreendo e admiro seu ponto de vista, Fernanda. Em ambientes de dores alheias, como os asilos, creches, ou no próprio centro espírita, convivemos com pessoas sofridas com as quais não temos vínculos. Nosso desafio é o convívio diário. Jesus ajudava quem pedia ajuda e se ajudava.

  56. A colocação referente à origem dos males, das doenças, ficou perfeita, mas o texto e alguns comentários me pareceram um pouco insensíveis realmente. Também visito asilos, e é claro que eles têm dores, são velhinhos, é claro que reclamam, mas vamos julgar? Não, vamos dar amor e compreensão aos irmãos em sofrimento.
    A parte abaixo sobre Piedade, do Evangelho segundo o espíritismo vem a calhar…
    “17 – A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos. É a irmã de caridade que vos conduz para Deus. Ah!, deixai vosso coração enternecer-se, diante das misérias e dos sofrimentos de vossos semelhantes. Vossas lágrimas são um bálsamo que derramais nas suas feridas. E quando, tocados por uma doce simpatia, conseguis restituir-lhes a esperança e a resignação, que ventura experimentais! É verdade que essa ventura tem um certo amargor, porque surge ao lado da desgraça; mas se não apresenta o forte sabor dos gozos mundanos, também não traz as pungentes decepções do vazio deixado por estes; pelo contrário, tem uma penetrante suavidade, que encanta a alma.
    A piedade, quando profundamente sentida, é amor: o amor é devotamento, é o olvido de si mesmo; e esse olvido, essa abnegação pelos infelizes, é a virtude por excelência, aquela mesma que o divino Messias praticou em toda a sua vida, e ensinou na sua doutrina tão santa e sublime. Quando essa doutrina for devolvida à sua pureza primitiva, quando for admitida por todos os povos, ela tornará a Terra feliz, fazendo reinar na sua face à concórdia, a paz e o amor”.

  57. É mesmo, né? Então é por isso que eu engordei quando parei de fumar, eu sentia uma ansiedade tão grande que tinha que sair comendo todo instante, hoje eu já me controlo bastante na alimentação e estou até deixando de comer carne. Sabe lá na igreja, como já disse sou evangélico, lá nós estamos fazendo um jejum de quarenta dias sem comer carne de qualquer espécie, mas eu estou pensando em não voltar mais a comer a carne. Acho que isso é muito bom, né, o Espírito tem falado pra mim parar e eu vou obedecer, é claro, por que também sinto prazer em parar.

  58. Sem dúvida que se enquadra, Raquel. A depressão é fruto de padrões de pensamento doentios, e sua raiz pode ser muito longínqua. Eu também já tive isso que você descreveu tão bem de “eu consegui por que você não pode também?”; em relação a outras coisas, mas tive. É normal, agimos como crianças que aprenderam a andar de bicicleta sem rodinhas. As recaídas também são normais, e a associação que você fez com usuários de drogas é perfeita. O que chamamos de cura é apenas o começo da cura. A doença é do espírito. Como o espírito pode curar em meses ou anos algo que está com ele há séculos? O que chamamos de cura é a “cura mental”, ou seja, a determinação de nos curarmos.

  59. A depressão se enquadra nessas doenças? Na minha opinião, uma das mais paralisantes, pois não basta o corpo íntegro se a mente está em turbilhões de pensamentos negativos. Considero um estado de espírito muito difícil de sair, nunca impossível. Mas senti que por ter conseguido melhorar em um determinado período através de muitas lutas (terapias, medicações, orações e etc…), passei a julgar mais as pessoas que sofrem desse mal. Como se “eu consegui por que você não pode também?”
    No entanto, percebo que a depressão parece um estado de usuários de drogas, você tem recaídas e quando percebe está entregue novamente. Talvez pra lembrar dos irmãos que você julgou outrora por sua fraqueza, talvez apenas para mostrar que não podemos nos descuidar do orai e vigiai. Que Deus dê forças a todos que sofrem desse mal…

  60. Sim, Rodrigo. Por má alimentação, pelo uso de drogas lícitas e ilícitas e seus excessos. Mas o que leva ao uso de drogas e ao exagero na alimentação? Não é a ansiedade, o descontrole, a compulsão? E estes não são males do Espírito?

  61. Concordo com você que os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a inveja, o sentimento de culpa. Parabéns pelo texto, muita luz pra você.

  62. Como é bom saber que somos responsaveis por nós mesmos! Quando realmente conseguirmos o autocontrole viveremos bem.

  63. Morel! Realmente é difícil oferecer ajuda a quem não deseja recebê-la, ou melhor, para quem não está pronto. As reações quando falamos que é necessário cuidar das emoções, cuidar do espírito, são as mais diversas, desde debochadas até de revolta. Eu costumo convidar uma pessoa bem próxima de mim para assistir palestras, tomar passes, enfim, e ela acha que ficar em casa assistindo televisão é um descanso melhor do que os 40 minutos na casa espírita… é complicado, mas cada um tem sua hora. Um abraço!

  64. Compreendi, Morel… muito importante sua análise, vou refletir acerca da eliminação de toxinas espirituais, sendo assim, é algo benéfico, mas que nunca agradeci, ao contrário, sempre e sempre me agarrei ao sofrimento e não pude ver além… é uma bênção e não um castigo!
    Obrigada por me ajudar a compreender, obrigada de verdade.
    Abraços e muitas bênçãos em sua vida.
    😉

  65. Lilliam, seria leviandade de minha parte especular acerca da origem do seu mal. Mas é preciso esclarecer que nem sempre perdoamos “com o coração”. Você afirma não ter mágoa, e é possível que não tenha. Mas muitas vezes não temos estes sentimentos racionalmente, por causa das coisas que aprendemos e nas quais acreditamos, mas guardamos sentimentos negativos inconscientemente. Não afirmo ser o seu caso, apenas analise. Mas muitos casos de doenças se devem a uma “purga” do perispírito, a uma eliminação de toxinas espirituais, que extravasam através de nosso corpo físico. Em casos assim, por irônico que pareça, a doença é uma bênção.

  66. Muito bom, Morel, você é sempre perfeito em suas colocações. Gosto bastante de seus textos e sempre chegam no momento certo em minha vida. Hoje mesmo me perguntei por que sofro tanto de hemorragia há anos e anos e me deparei com seu texto e me surpreendi neste trecho “Os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a inveja, o sentimento de culpa.”. Outro dia me falaram que sofro deste mal por não perdoar meus pais, que deveria fazer oração de perdão para eles, porém não tenho mágoa, certamente é mágoa de vidas anteriores, o que me diz?
    Muito obrigada sempre.
    🙂

  67. Bom Dia!
    Seu texto foi bem preciso! Por isso que os idosos se queixam tanto de dores, pois é uma maneira de suprir suas carências. Dias atrás oferecemos um almoço e passamos algumas horas em um asilo e a maioria se queixava das dores que tinham. Eram de todos os tipos!
    Boa semana!

  68. Léia, muito obrigado por compartilhar a sua experiência conosco. Paz e luz pra nós todos.

  69. Bom dia iluminado pra ti, Morel. Super importante esse artigo sobre o Espiritismo e as doenças. Em janeiro e fevereiro passei por cirurgia espiritual na coluna e varizes. No dia que fiz a cirurgia o palestrante abordou muito esse tema, explicando como procede a cirurgia espiritual e como temos que eliminar os pensamentos negativos e ruins, alimentando nossa fé com preces e pensamentos positivos sempre. Nem todos os nossos males estão nesta vida, mas muitos somos nós mesmos que provocamos, com a raiva, mágoa, ranços e outros tantos ressentimentos que trazemos escondidos no nosso foro íntimo e pensamentos. Aqui no seu artigo o que mais me chama a atenção é o sentimento de culpa. Antes de conhecer o espiritismo jamais podia imaginar o mal e o transtorno emocional que podemos causar a nós mesmo permitindo isso em nós. Abraço fraterno. Paz e Luz em sua vida sempre.

  70. Silvoni, a maior parte dessas pessoas não está pronta pra receber ajuda. E não é caridade ajudar quem não quer ser ajudado. Se propusermos a elas que se reformem, que exerçam um maior controle sobre os seus pensamentos, que procurem perdoar e não guardarem mágoas, dificilmente irão aceitar o nosso conselho. É preciso tempo. E uma das funções da doença é justamente essa. Fazer com o espírito endurecido “amoleça”, mesmo que isso seja um processo demorado. Se tivermos consciência de que isso é um estado mórbido do espírito, que o normal é a saúde, não seremos contagiados. Com pessoas mais próximas e queridas é mais complicado não nos afetarmos. É um exercício de paciência e compreensão.

  71. Bom dia, Morel! Muito bem colocado como todos seus artigos. Conheço pessoas assim bem próximas e o que fazer pra ajudar e não nos contagiar com tantas lamúrias?
    Tenha uma boa semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.