Temas abordados

Espiritismo e a Páscoa

Espiritismo e a Páscoa
Espiritismo e a Páscoa

A Páscoa tradicionalmente comemora a ressurreição de Jesus. O Espiritismo explica que Jesus a pareceu aos discípulos com o seu corpo perispiritual.

Tenho boas lembranças de páscoas na infância. Diferente de outras datas, como Natal e Ano-novo, que em alguns anos foram difíceis pela pobreza material em que vivemos por um tempo, as páscoas foram sempre boas. Minha tia Marise garantiu páscoas doces e alegres como ela. Também lembro que minha avó guardava cascas de ovos vazias, durante o ano. Nos dias que antecediam a Páscoa, pintávamos as cascas e ela as recheava com amendoim açucarado. Era muito bom.

Depois da infância, nunca mais vi sentido na Páscoa. O Natal já é uma data essencialmente comercial mas tem a particularidade de tornar as pessoas mais sensíveis, talvez por coincidir com o final do ano, final de um ciclo.

Mas a Páscoa é só comércio. Claro que para os católicos e alguns protestantes, como luteranos e batistas, a Páscoa tem um significado religioso que deve ser respeitado. Mas o que fala alto, mesmo, é o comércio.

Minha filha Sofia tem quatro anos. Eu me recuso a comprar um ovo de chocolate por vinte reais quando o preço de uma barra de chocolate com o mesmo peso custa quatro reais. Tenho dinheiro suficiente pra comprar muito chocolate. Mas me recuso. Por que cometem esses abusos? Porque as pessoas permitem. Se depender de mim, a Sofia não ganha ovo…

Vivemos uma ditadura do consumismo. A Sofia frequenta a escolinha desde um ano de idade, tem seus colegas, influencia e é influenciada por eles. Como explicar a uma criança de quatro anos que comprar um ovo de chocolate caríssimo é um insulto ao bom senso? Minha sorte é que nem todos na família pensam como eu. Alguém vai dar um ovo pra ela…

A Páscoa comemora a ressurreição de Jesus. Ressurreição seria o retorno à vida no mesmo corpo, no corpo que morreu. Algo que o bom senso e as noções primárias da ciência não aceitam. O Espiritismo explica que Jesus apareceu aos discípulos com o seu corpo perispiritual, provavelmente se materializando ou tornando seu perispírito mais denso. 

Na época de Jesus já se comemorava a Páscoa, mas por outros motivos, ligada a outros fatos. A Páscoa dos judeus, que é o povo de Jesus, era uma data para lembrar a libertação do povo judeu da escravidão no Egito.

O povo judeu foi escravizado no Egito durante quatrocentos anos. Moisés foi o líder da libertação do povo. Em meio às tentativas de convencer o faraó a libertar o povo, Javé, como era chamado o deus do Antigo Testamento, um deus muito brabo e vingativo, que gostava muito de sangue e guerra, prometeu a Moisés dez pragas contra o Egito. Uma dessas pragas era a morte de todos os primogênitos, de todos os filhos mais velhos, desde o filho do faraó, até os filhos dos escravos, até os filhos dos animais.

Para que os filhos dos judeus não fossem atingidos, já que Javé mataria a todos, Javé mandou que os judeus sacrificassem um cordeiro por família e marcassem as portas de suas casas com o sangue dos cordeiros, para que Javé, quando passasse por ali matando, reconhecesse as casas dos judeus e não matasse os seus filhos também. Como se nota, há muita diferença entre o deus retratado no Antigo Testamento e o Deus de que nos falou Jesus. Para que esse dia fosse sempre lembrado, Javé instituiu a Páscoa. Isso está nos capítulos onze e doze do Êxodo, o segundo livro do pentateuco.

Assim como os cordeiros foram sacrificados para salvar os filhos dos judeus, dizem que Jesus, a quem chamam “O Cordeiro de Deus” foi sacrificado pra nos salvar…

Não conseguiria gostar de um deus que exigisse sacrifícios de seus filhos para salvar outros filhos. Respeito as manifestações religiosas, respeito os pensamentos religiosos, respeito os religiosos. Mas tem coisas que a mim parecem extremamente absurdas.

Além da comemoração da Páscoa por crenças religiosas, do Antigo e Novo Testamento, há uma misturança de símbolos na maneira como se comemora a Páscoa hoje. A data em que se comemora coincide com a chegada da Primavera na Europa. Os povos bárbaros comemoravam esse começo de estação com muita alegria. Depois de um Inverno rigoroso, cheio de frio e neve, a vinda da Primavera representava fartura e conforto, e, consequentemente, mais chances de sobrevivência. O simbolismo do coelho (originalmente, era lebre) vem dessa época. Pela sua grande capacidade de procriação, o coelho simbolizava fertilidade, prosperidade, fartura. O costume de se presentear com ovos, símbolo de vida, era comum em muitos povos em muitas épocas.

Mas o que se sabe, hoje, é que na Sexta-feira se come peixe e se bebe vinho. Eu, que não como carne e não bebo, estou de fora deste ritual. E no Domingo as crianças têm uma indigestão de chocolate, não importa o preço. Estranhas festas as nossas.

Poderia falar que o simbolismo da Páscoa deve ser vivido todos os dias, essas coisas que se diz nessas datas. Mas já falei demais. Feliz Páscoa, se você comemora a Páscoa. Aproveite o feriado, a família, as crianças, se tiver.  Até Segunda-feira!

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

20 Comentários

  1. Muito bom seu texto, amigo Morel. Meu genro tem uma filha de 6 anos, a Ana Julia, este ano ela já não quer o ovo de páscoa, apenas o chocolate e um brinquedinho, aprendendo o desapego e já sabe também que o ovo é mais caro, e principalmente conhecendo o verdadeiro sentido da Páscoa; é uma manifestação religiosa. Assim também ensino meus evangelizandos, claro que fizemos uma pequena comemoração na casa espírita, mas sem chocolates: um filme educativo contando a história do nosso mestre com ênfase em seus ensinos de amor e fraternidade. Um domingo cheio de bênção e harmonia para ti e família.

  2. Márcia, há tantas pessoas totalmente desinformadas de Jesus, que considero essas encenações como uma forma válida de levar a elas uma primeira informação da passagem de Jesus sobre a Terra. Acredito que isso ainda possa “tocar” algumas pessoas. Obrigado!

  3. Na verdade, Morel, o sentido de algumas datas, como você citou, o Natal, Páscoa etc. se restringe a puro comércio. Um fato interessante me ocorreu na quinta-feira. No meu trabalho, todos se abstendo de carne, afinal é quinta-feira santa.
    Mas olha só o absurdo: matar as aves para o alimento do sábado pode, normal. Fiquei pensando, Morel: Quanta incoerência. Pra começar, todos os dias são santos, todos os dias temos que nos lembrar de Jesus, mas principalmente pelo significado de sua mensagem. Acho sinceramente um exagero tantas encenações sobre o suplício a que foi submetido o mestre.
    Mas nem todos pensam assim, né, Morel? De minha parte não dou valor a rituais e, assim como você, não vou comprar um ovo de páscoa para o meu filho, compro sempre barras de chocolates pra ele, independente de datas. Aqui, nas minhas reflexões, analiso o significado da data e pronto. Não é interessante copiar manias e hábitos, prefiro criar os meus. É isso, companheiro. Bom fim de semana pra você e família.

  4. O texto é realmente bom. Muito informativo, embora a história registrada no Pentateuco tenha todo um contexto que, se analisado com mais cuidado, não apresenta Javé como um “deus vingativo e brabo”, pelo menos nao do meu ponto de vista. O consumismo exagerado está impregnado e, a cada dia, criam-se novas e esdrúxulas datas para que ele se sobressaia e pire a cabeça das pessoas.
    No geral, a Páscoa deve nos fazer pensar em como podemos renovar nossos pensamentos e ações. Amar e respeitar o nosso próximo de todo os nosso coração é uma boa maneira de começar.
    Parabéns pelo texto. 🙂

  5. É, achei interessante o deus com d minusculo para Yavé. Sabemos que há só um Deus eu o costumo chamar de “o Criador”, mas no antigo testamento realmente Yavé não se parece com o nosso Deus. Eu, particularmente, creio que a primitividade daqueles povos e também da própria espiritualidade pintaram um deus tão encolerizado como aquele. Sobre a páscoa, concordo que o consumismo desenfreado e o capitalismo tomaram conta não só da páscoa mas do nosso próprio cotidiano e infelizmente nossos filhos são reféns dessa situação. Porém, o que realmente simboliza a páscoa para mim é o fato de um ser divino para nós, para vocês um espírito puro, descer abaixo das mais negras nuvens morais e ter se doado por seres infinitamente pequenos e perdidos em seus ciclos cármicos reencarnatórios para que os mesmos pudessem achar, ainda que tateando, o caminho da vida. Não foi Deus que exigiu a morte desse cordeiro, porém Ele mesmo quis se doar inteiramente por aqueles que precisavam de um avatar exemplar. João Batista dele testificou, “eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, por causa de seu exemplo hoje nós podemos ter esperança em sair daquele emaranhado de reencarnações em que vivíamos, não esqueçam que fomos muitos de nós mesmos os espíritos que naqueles dias estiveram predominando aqui na Terra e no plano espiritual e pintaram aquele Yavé tão carrasco, por isso Ele Jesus veio até nós para mostrar o verdadeiro caráter de Deus, o AMOR. Que Deus abençoe a todos e feliz páscoa.

  6. Como em tudo, o apelo à matéria prepondera sobre o espírito.
    Façamos a nossa parte como fez o nosso irmão; resistamos às imposições midiáticas e comerciais. Esclareçamos as nossas crianças.
    Um abraço

  7. Você está certo, muita gente segue o fluxo sem se questionar que sentido tem o que fazem, muita gente fala “eu como peixe na sexta porque todo mundo come”, mas muitos nem sabem o porquê do ritual, enquanto ao consumismo eu tento mostrar às minhas filhas que o melhor caminho sempre é o bom senso. um bom feriado a todos.

  8. Sempre leio e me esclarece de uma forma simples alguns pensamentos que, às vezes, imagino serem somente meus. Neste texto em especial algo me chamou a atenção e me fez orar por minha amada avó que fazia exatamente como a sua… “minha avó guardava cascas de ovos vazias, durante o ano. Nos dias que antecediam a Páscoa, pintávamos as cascas e ela as recheava com amendoim açucarado.” Saudade da minha infância. Obrigada por mais essa recordação que me aproximou dela de uma forma agradável.

  9. Precisamos combater esse consumismo com a boa informação; estou certo de que os esclarecimentos deste belo texto irá ajudar muitos de nossos irmãos a lutarem contra a ignorância, permitindo-lhes ocuparem seu tempo livre (o feriado) com o estudo para o melhoramento pessoal. Abraço fraterno a todos!

  10. Todos os dias quando chego ao meu trabalho, antes de começar as minhas atividades passo por aqui… e que bom que sempre tem um tema interessante nos fazendo refletir. A respeito desse assunto específico eu comungo do mesmo pensamento. A mídia já introduz essa idéia consumista em nossos filhos e nós enquanto pais precisamos combatê-los. Paz pra todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.