Comportamento, Mídia e sociedade

Natal e consumismo – uma visão espírita

arvore de natal

Morel Felipe Wilkon

Artigo publicado originalmente em 11/12/2012

Natal é sinônimo de consumismo. A mídia enlouquece nessa época. E grande parte das pessoas se deixa influenciar por seus desatinos mercantilistas. Mas o Natal ainda é a maior data cristã do planeta. Por isso esta reflexão, minha visão espírita do Natal….

Lembro-me que quando era criança a professora mandava fazer redação sobre o Natal. Por exemplo: “Qual o verdadeiro sentido do Natal?” Pra que a nota fosse boa, todos se puxavam no sentimentalismo, dizendo que o Natal não era só ganhar presentes, que simbolizava o nascimento de Jesus. Não sei se alguém era sincero no que escrevia. Acho que todos queriam mesmo era festa e presentes.

Natal e consumismo

Não há como separar o Natal do seu significado material. É uma data de confraternização, talvez a mais importante. E não há como pensar em Natal sem pensar em presentes. Nem que seja com preocupação com os gastos com presentes para todos…

Não vejo nada de errado em festa de Natal e troca de presentes. Só acho uma pena que o consumismo tenha chegado a tal ponto que muitas pessoas ficam frustradas por não comprarem tudo o que gostariam. Comprar já não é um prazer, já não é uma válvula de escape para desilusões com a vida; comprar é um dever, uma obrigação. A mídia enlouquece nessa época. E grande parte das pessoas se deixa influenciar por seus desatinos mercantilistas.

Sinceramente, não acredito que a alegria do Natal esteja ligada ao número ou ao preço dos presentes. Não acredito que alguém goste ou valorize mais uma pessoa por causa de um presente melhor. Isso existe, é claro, mas é um sentimento que fica longe do que se espera do Natal.

Você já se deu conta de que acaba sempre fazendo o que a mídia sugere que você faça? Você percebe que segue os conselhos, as modas, os valores propagados pela grande mídia? Você pode ler mais sobre isso aqui: A grande mídia e você“.

Não estou sugerindo, de maneira alguma, que você deixe de comemorar ou que deixe de trocar presentes no Natal. De jeito nenhum. Nem estou propondo algo que eu mesmo nunca fiz. Nas redações do colégio, dizíamos que o Natal devia ser uma data de reflexão, de pensarmos em Jesus, de amarmos ao nosso próximo, essas coisas todas que rendem boas notas na matéria de Religião.

Não temos esse hábito, não chegamos a esse ponto. A própria época do ano em que comemoramos o Natal, em pleno verão, não é muito propícia para recolhimentos íntimos. Faça sua festa, divirta-se. Mas não esqueça (Já falei pra você que escrevo em frente ao espelho? Pois é. Algumas coisas eu só escrevo depois de me olhar no espelho; essa é uma delas), não esqueça de valorizar mais as pessoas do que os presentes. Não esqueça de que a festa é ótima, mas mais importante é o que você está comemorando.

Note as pessoas que estão com você neste Natal. Embora você possa não perceber, na hora da festa, você e estas pessoas estão se reunindo na maior festa cristã. Vocês estão se reunindo porque são cristãos. Não importa o que fazemos do Natal. É uma festa de consumo? Sim. Mas é o maior evento cristão do planeta.

Se você lembrar disso por um momento que seja, provavelmente vai achar um sentido novo para o Natal. Vai perceber, nem que seja por um momento, que você e mais alguns espíritos encarnados junto com você, estão unidos nesta data não por um acaso, não para fazerem uma festa juntos, mas porque há fortes ligações entre vocês. Vocês são companheiros de jornada, e há razões para isso. Entre bilhões de encarnados no planeta, você faz parte deste pequeno grupo de pessoas.

Procure vê-las, por um instante que seja, como irmãos em Cristo, como parceiros de evolução. Se quiser e puder comprar tudo o que a televisão mandar você comprar, fique à vontade. Mas não deixe de lado o sentimento, não esqueça de que não há nada mais importante do que o amor. E talvez não haja oportunidade tão boa para reunir pessoas que você ama ou que você está aprendendo a amar.  

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

24 Comentários

  1. Olá Morel, não lembro como achei seu site, mas desde o primeiro texto gostei bastante da sua maneira de ver as coisas, sempre com respeito, com bastante estudo e esclarecimento em suas palavras, apenas apresentando sua visão baseada nos seus conhecimentos. Acompanho seu site e estou assistindo seus vídeos no Youtube junto com meus pais, agradeço pelo que você faz e pelo conhecimento que você passa a todos nós, que você continue aprendendo e evoluindo sempre.

    Feliz Natal atrasado e Feliz Ano Novo, muita luz para você e sua família, abraço.

  2. Não acredito em determinismo, Elias. somos quem quem determinamos o que nos acontecerá com as nossas atitudes. Quanto à questão do tempo, embora a percepção do mesmo possa não ser igual nos planos astral e físico, o planejamento para o nosso plano se dá respeitando os nossos padrões.

  3. Mesmo vindo de uma família tradicional judia, sempre tive simpatia pelo natal. Sentia que a atmosfera ficava menos densa, havia algo de diferente.

    Sabemos que a criação de um calendário é totalmente arbitrária, pois a trajetória de uma elipse não tem começo nem fim, a não ser que se defina.

    Sendo assim, tenho dificuldade de comemorar/desejar um bom ano novo, pois ele não necessariamente o é.

    Lembro que o querido Chico uma vez profetizou que se não houvesse uma guerra nuclear nos próximos 50 anos, então a humanidade passaria pela transição planetária de forma muito mais harmoniosa.

    Sendo assim, usa-se no plano espiritual o mesmo calendário que o nosso? O tempo passa igual nas duas dimensões?

    A religião judia diz que no ano novo (rosh hashaná), no caso no mês de outubro, tudo se define, quem vai viver, morrer, ficar rico, pobre, saudável, doente, por isso reza-se muito nesses dias. Concordo que não existem “palavras mágicas”, mas ocorreria de fato um planejamento do destino das almas na Terra antes de se iniciar o próximo ano? Até que ponto esse determinismo de fato existe?

  4. Boa Tarde a todos os irmãos que frequentam a página.
    Nunca saio deste site sem acrescentar algo de muito positivo em meus conhecimentos. Obrigada, Morel Felipe, por nos proporcionar tais reflexões. E que texto magnifico do Cesar Mendes.

    Um grande abraço e Feliz Natal.

  5. Infelizmente as pessoas estão perdendo o sentido do Natal e acabam se deixando levar pelo bem material e prazeres termináveis, mas o bom é ainda existem pessoas como você que sabe o que diz e acima de tudo sabe que a vida é uma verdadeira escola e que a melhor nota ou recompensa é o amor…
    Feliz Natal a todos…
    Fiquem com Deus…:)

  6. Olá Morel, obrigado por suas palavras, me ajudou muito… espero que neste Natal de 2014 você e sua família recebam tudo o que Cristo deseja para todos nós, e peço permissão para usar algumas de suas elucidações para colocar em uma palestra que farei essa semana, obrigado e fique com Deus.

  7. Morel

    Concordo com você.

    O Natal é a data máxima da cristandade. É o despertar da consciência.

    Amanhã irei representar a Doutrina Espírita em um culto ecumênico sobre o Natal e vou usar muitas de suas reflexões. Obrigada. Feliz Natal juntamente com a família. Eliza

  8. Boa Noite Morel Felipe
    Em primeiro lugar achei seu faceboock maravilhoso, como também a mensagem do Natal.
    Concordo plenamente que as pessoas estão muito materialistas e não pensam na fé neste dia maravilhoso.
    Muita Luz

  9. Adorei o artigo. Por equilibrado, proporcionado, sensato, inteligente e arguto. E por ter logrado pôr os “pontos nos is” sem exageros, histeria ou desmandos. O que nos obriga a reflectir como deve ser, de forma calma, fluida e informada. Atingiu, assim, e sem margem para dúvidas, o seu objectivo primordial. Aliás, foi deste modo que tomei conhecimento dele, pelo debate sério numa rede social. Um bem haja ao seu autor.
    Alice Gomes da Silva (Portugal)

  10. Amigos, que compõem o quadro de amizade deste nobre companheiro, Morel Felipe, boa tarde; a você, meu amigo Morel, sou grato mais uma vez por suas elegantes reflexões, desta vez, sobre o natal.
    Permitam-me, prezados leitores, alongar-me um pouco em meu comentário trazendo à memória, lembranças de um verdadeiro benfeitor de nossa estimada literatura, o poeta Oswald de Andrade, _“Ouro terra amor e rosas,”_ que certamente diria em um de seus versos caso estivesse ainda encarnado entre nós: _“Não gosto de rimas, mas, natal é uma data legal, combina com comercial.”
    Amigos, onde estamos? Abrimos os olhos às ofertas encantadoras que locupletam as vitrines neste período natalino e esvaziamos a vitrine dos sentimentos humanos, engolfados como estão na pasta dos anseios financeiros. Os laços da fraternidade foram quebrados, e a razão os coloca na casa de câmbio, onde se desvaloriza na proporção que se valoriza o ter, o posso comprar. E, se posso comprar, logo existo.
    Amigos, que neste natal reflitamos um pouco sobre cada situação a que nos depararmos, situações falo aqui, em que haja desperdícios e pródigos exageros nos presentes e nas famosas mesas que simbolizam as ceias natalinas, por vezes, tão fartas de guloseimas e tão carentes de amor, de valor humano.
    Que neste natal, antes de acendermos as luzes que adornam nossos lares, acendamos a centelha divina que reside em cada um de nós. Um abraço a todos, um abraço a você, meu amigo Morel Felipe. Cesar

  11. Olá amigo Morel Felipe, suas mensagens são edificantes, cada uma que leio, me emociono mais, pois estão sempre inseridas dentro do evangelho do Cristo, esse sobre o Natal e o Consumismo é um verdadeiro convite à reflexão, sobre certos valores que estamos deixando se perder com o tal consumismo e a bela desculpa de estar agradando nossos entes amados: filhos, esposa, esposo e parentes, para que se esqueça o principal que é o AMOR verdadeiro como Jesus nos cansou de ensinar, meus filhos AMAI-VOS uns aos outros como eu vos AMEI. Aproveito esse tema para complemento da aula de Evangelização de hoje, abraços fraternos..
    NATAL ILUMINADO
    grata

  12. É verdade que estamos muito longe do verdadeiro sentido do Natal. Pra mim é um momento em que leio e reflito sobre o seu verdadeiro sentido e deixo-me influenciar. Divaldo fala que é fácil dar o presente, o difícil é tornar-se presente. FELIZ NATAL Morel Felipe Wilkon. Obrigada.

  13. Boa tarde!

    Como sempre, as suas mensagens são de grande valia. Se cada ser humano pudesse ler, acredito eu que muitas mudariam. Sou felizarda por isso.
    Feliz Natal pra você e toda família. Abraços.

  14. BOA TARDE!!!!

    MOREL FELIPE, QUERO PARABENIZÁ-LO PELA MARAVILHOSA MENSAGEM, REALMENTE VOCÊ SINTETIZOU TUDO NA MESMA. CITOU O MAIS IMPORTANTE E QUE REALMENTE O SER HUMANO ESTÁ SE ESQUECENDO DO VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL, QUE TRISTE…ADOREI ESSE TRECHO : não esqueça de valorizar mais as pessoas do que os presentes. Não esqueça de que a festa é ótima, mas mais importante é o que você está comemorando. FELIZ NATAL PARA VOCÊ E A SUA FAMÍLIA!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.