Reforma íntima

Religião não resolve problemas

velas

Artigo publicado originalmente em 08/11/2012

Ouça este artigo na voz do autor

Religião não resolve problemas. Religião não cura doenças. Religião não acaba com vícios. Religião não põe suas contas em dia. Religião não resolve seus problemas familiares nem reconcilia casais briguentos.

Você se considera uma pessoa religiosa? Você espera alguma coisa da religião que você segue? Tenho muitos leitores não espíritas, o que me deixa duplamente honrado: por acompanharem o site e por desenvolverem a tolerância para com pensamentos que divergem dos seus. São leitores que gostam dos temas que abordo e da maneira como eu os abordo. Mas entendo que para católicos e evangélicos deva ser difícil a aceitação do meu ponto de vista quando falo em reencarnação.

No entanto, este é um ponto de entendimento essencial, imprescindível para a compreensão do Espiritismo. Eu conheci várias religiões. Algumas com certa profundidade, outras apenas superficialmente. E confesso que durante bastante tempo busquei algo na religião que religião nenhuma oferece; esperei que ocorressem mudanças na minha vida.

Religião não resolve problemas

Eu não me considero religioso, não vejo o Espiritismo como uma religião. Mas isso não vem ao caso. Discutir isso seria discutir conceitos, e não é este o nosso propósito. Mas, sendo ou não sendo religião, é como religião que a maioria das pessoas o busca. E a maioria das pessoas procura no Espiritismo uma solução para os seus problemas, quase sempre materiais.

Muitos, por preconceito ou desconhecimento, evitam o Espiritismo. Só procuram um centro espírita quando se esgotaram as outras possibilidades de resolver os seus problemas. Quando a sua religião de origem não resolve seus problemas financeiros, amorosos, familiares; quando a religião que estão acostumados a frequentar não curou suas doenças ou seus vícios, então procuram o Espiritismo, como um último recurso, como quem procura um milagre, uma solução sobrenatural.

Não estou aqui pra defender religião nenhuma. Mas não adianta deixar de frequentar e se dedicar à igreja ou templo a que se está habituado se não se estiver disposto a uma mudança interna. As religiões pregam mais ou menos as mesmas coisas. Algumas diferenças de palavras, de conceitos, mas os objetivos são muito próximos. Aliás, se fossem realmente diferentes, não haveria tanta disputa entre elas. Só há divergência e discussão entre aqueles que têm muito em comum.

Não quero decepcionar ninguém, mas se você ainda pensa que pode conquistar qualquer coisa através da religião, é hora de saber que você está enganado. Religião nenhuma faz nada por ninguém. Elas podem se prestar a este papel, quando a pessoa não acredita em si mesma, quando a pessoa tem necessidade de alguma coisa maior que ela própria para direcionar a sua fé.

Religião não cura doenças. Religião não acaba com vícios. Religião não põe suas contas em dia. Religião não resolve seus problemas familiares nem reconcilia casais briguentos. Só você pode fazer isso. Só você pode resolver seus próprios problemas. Você precisa da religião pra buscar Deus? Mas se Ele está dentro de você! Deus está em você, Deus está com você, Deus é você, porque você é filho de Deus, criado à sua imagem e semelhança, portanto, perfectível.

E só você mesmo pode desenvolver essa perfeição, deixando que Deus se manifeste através de você. O oxigênio que você precisa para se manter vivo está no ar, à sua volta. Você só precisa permitir que seus pulmões absorvam-no, você só precisa deixar que o ar preencha você, naturalmente. Se você fechar o nariz, não tem jeito; não adianta culpar o ar. A mesma coisa acontece em relação a Deus. Ele está em toda parte, Ele está em você. Você só precisa permitir que Ele se manifeste. Jesus disse: “Vós sois Deuses!”.

A essa permissão o Espiritismo dá o nome de reforma íntima. Não é mudar de religião, ou de igreja, ou de cidade, ou de família, que vai resolver seus problemas. Os seus problemas nascem de você. Os seus problemas são o resultado de seus pensamentos, palavras e ações. Por isso o seu processo de mudança deve ser interno, íntimo, você deve mudar a sua estrutura de pensamento e posicionamento em relação à vida, às pessoas, ao mundo. Você nunca deixará de ter problemas. Os problemas são nossas oportunidades de aprendizado. Mas o modo como você encara os problemas pode ser modificado. Acredite mais em você. Você tem plenas condições de resolver os seus problemas.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

24 Comentários

  1. Olá , concordo quando você diz que a religião não resolve por si só os problemas, mas ajuda muito a iniciar a resolvê-los. Visto que, conforme você mesmo afirma, preciso começar a me reformar interiormente para buscar as condutas certas, que levarão à melhoria da minha condição de vida. Entretanto, a orientação, os conselhos, os exemplos que vivenciamos quando frequentamos cultos, (seja qual for o credo) presididos por pessoas realmente comprometidas com os ideais do Cristo, acabam direcionando nosso caminho, abrindo nossas perspectivas e, consequentemente nos ajudam a reerguer-nos. Sozinho é muito difícil, para a maioria de nós, realinhar nossa conduta, rever nossas idéias. Acho que as religiões (sérias) ainda tem uma grande importância nesse aspecto. Tudo de bom pra você.

  2. Oi Morel, obrigada pelo feedback!
    Quero te dizer que seus artigos têm provocado transformações em mim. Meu marido, pessoa que amo e admiro, por vezes me diz para ser mais otimista, tinha o péssimo hábito de esperar sempre o pior. Penso que se eu me preparar para o pior, o melhor será lucro! Mas como receber o melhor se eu já aceitei o pior?! Aprendi lendo aqui que o mundo não é o caos que a mídia pinta, pelo contrário, que estamos evoluindo como seres humanos e que os meios de informação que possuímos hoje aceleram o processo, como é libertador oxigenar os pensamentos e pensar coisas melhores!
    Estava refletindo ao olhar minha bela roseira de rosas vermelhas. Sempre que visito minha avó, ela me oferta uma rosa, certo dia ela me deu um galho sem flor, espinhos ou folhas, somente o galho. Fiquei sem entender, então ela me disse que quando eu chegasse em casa espetasse aquele galho em um vaso e molhasse regularmente e em breve teria uma bela roseira. Incrédula e sem habilidade, fiz como me instruíra e depois de alguns meses eis que surgia a minha roseira. Cuidando-a regularmente, pude perceber que estava com placas brancas e estava completamente debilitada e seca, descobri que era uma espécie de fungo e então comecei minha saga para recuperá-la. Lavei suas folhas com água e sabão na esperança de remover os fungos, depois coloquei um adubo pra ver se ela ficava mais forte e foi tudo em vão. Resolvi podá-la, tirei todos os galhos e folhas e deixei somente 10 cm de tronco, fiquei triste pensando que ela retornara ao status quo, mas continuava molhando e um belo dia alguns meses depois, ela ressurgiu mais bela e florida. Quatro lindas rosas vermelhas mais belas do que antes! Da mesma forma ocorre conosco, nossas raízes que são compostas pelas nossas experiências, dores, alegrias, erros e acertos e acima de tudo de Deus, que é a Lei e que está gravada em nossa consciência (aprendi aqui, rs!) nos dá o alimento, a força necessária para vencer os dias trevosos. E mesmo com o livre-arbítrio se pararmos para ouvir a Lei que ressoa em nosso ser, saberemos o melhor caminho a trilhar. Não há porque se envergonhar dos erros se somos melhores hoje e se eles estão sendo reparados!
    Abraços!

  3. Melissa, não seja tão dura consigo mesma. Nosso comportamento é uma máscara, sim, mas essa máscara pode ser bem real, pode retratar com fidelidade o que acreditamos. Se não há hipocrisia, se não há fingimento, não há porque se incomodar com a “máscara”. Quanto à “lama” que embaixo, a lama nutre a vegetação. Lembra das enchentes do Nilo? Foram as enchentes do Nilo, que enchiam a superfície de lama, que permitiram o surgimento do Egito. Assim também com nossas qualidades, com as qualidades que devemos desenvolver. Elas nascerão justamente como fruto das nossas experiências – muitas delas compatíveis com essa “lama”.

    Fique bem, siga em frente com força e alegria.

  4. Às vezes precisamos nos apegar em alguma coisa, concordo com os pontos que o Rodrigo Pnt levantou, a religiosidade é algo que se tenta combater em nosso meio. É tão frustrante perceber que as pessoas não vivem o que pregam, quando vou à igreja quero ouvir falar de Deus, algo com propriedade, inteligência e estudo, mas na maioria das vezes são apenas falácias e achismos. Teologia da prosperidade e muitas vezes fala-se mais no Diabo do que em Deus. Sempre me recusei acreditar em tal ideia, de que por mais que a pessoa fosse criminosa, promíscua e leviana se aceitasse a Jesus e se batizasse seus pecados seriam apagados e poderia recomeçar uma nova vida, seria tão injusto! sob esse prisma acho a ideia da reencarnação mais eficiente. É tão difícil desconstruir crenças, estou muito confusa ultimamente, tive sonhos perturbadores. Sonhos esses que evocaram um forte conteúdo emocional e fico muito tentada a acreditar! Oro todos os dias, peço a Deus para me libertar, transformar em um ser humano melhor e agora está tudo revirado aqui dentro. Está muito difícil colocar a casa em ordem, leio essas mensagens, muito construtivas por sinal, mas que soam uma realidade muito dura para mim. Sempre fui uma pessoa tão orgulhosa de mim, sempre fui boa filha, esposa amorosa, nunca frequentei lugares que me desabonassem, não tenho vícios, gosto de cumprir a lei, de ser ética. E descobrir que isso é só uma máscara, que por debaixo tem muita lama. Estou tentando assimilar tudo, vivendo uma análise profunda de mim, sempre fui questionadora e introspectiva. É um desabafo, já que ninguém do meu convívio entenderia, talvez um assunto para ser tratado mais pra frente com terapia! Mais uma vez Morel, obrigada por mostrar a verdade.

  5. Boa noite Morel.
    Moro em Jundiaí/SP. Frequento um Lar Espírita chamado Inter Reinos. Um amigo e eu colocamos um site no ar há pouco tempo (www.interreinos.com.br).
    Já faz algum tempo que acompanho suas publicações e gosto muito. Por isso, gostaria de publicar alguns artigos seus, a começar por este; claro, citando a fonte.
    Já vi você dizer que não se importa, desde que cite a fonte, mas mesmo assim, gostaria da sua aprovação.

    Muito obrigado,
    Rogério Batistioli

  6. Morel, práticos e assertivos seus textos, estou sentindo muito conforto e aprendizado com o espiritismo. Ontem ouvi uma palestra em que o expositor havia conversado com com um Pastor evangélico, e este Pastor pegou o Livro dos Espíritos e o analisou item por item, com a finalidade de contradizer o expositor espírita. Após analisar a fundo este livro, falou com o expositor que ele não acreditava nesta doutrina dos espíritas, o palestrante confirmou que acredita sim, e o Pastor disse se vocês acreditam mesmo, vocês dominariam o mundo, e o espírita respondeu não estamos interessado em dominar o mundo, e sim ajudar as pessoas em tudo que relaciona com o ser humano, fique com Deus.

  7. Que é isso, Morel, eu que tenho muito a aprender com você e obrigado por deixar eu compartilhar minha experiências e opiniões aqui com vocês meus irmãos de crença, a paz a todos.

  8. Olha, no meio onde convivo nós também combatemos a religião, pregamos o novo nascimento que ao meu modo de ver não deixa de ser uma reforma íntima, pregamos os dons do Espírito que não deixa de ser a mediunidade, levamos uma vida de serviço ao próximo que não deixa de ser a caridade tão priorizada, fazemos o que chamamos de células nas casas onde há a pregação do evangelho no lar, onde existem doações de alimentos e roupas que são doadas para os mais necessitados, onde repartimos o pão com os outros, enfim, vivemos em uma comunhão muito boa na comunidade e quando alguém precisa de ajuda por um pecado que não consegue vencer todos se juntam e oram por aquela pessoa para que ela receba forças para vencer. Talvez não sejamos espíritas, mas fazemos as mesmas coisas, só que penso que por muitos serem ainda espíritos com pouca evolução, não que eu me considere mais evoluído que eles, não posso esplanar as doutrinas pra eles, pois não entenderiam, mas vejo ali um povo subindo, ainda que vagarosamente, os degraus da evolução. Eu sempre acreditei na reencarnação como algo que se sente no espírito, não sei bem explicar, vivia tentando convencer os outros do meu convívio mas notei que eles não estavam preparados, às vezes me sinto sozinho, pois ninguém aceita a nossa verdade no meu convívio, mas depois que estudei o pentateuco da doutrina entendi que não posso forçar ninguém a aceitar, cada um tem seu tempo, é por isso que sinto tanta necessidade de escrever aqui, por que me sinto só ao acreditar.

  9. Concordo plenamente com tudo que disse no texto.
    Fico muito feliz em entrar aqui e ler estes artigos, que têm me trazido boas reflexões.
    Que Deus o ilumine, para que continues seu trabalho tanto interno, quanto de auxílio ao próximo.
    Abraço fraterno.

  10. BOA NOITE!!!!!!!!!!!!!!
    A essa permissão o espiritismo dá o nome de reforma íntima. Não é mudar de religião, ou de igreja, ou de cidade, ou de família, que vai resolver seus problemas. Os seus problemas nascem de você. Os seus problemas são o resultado de seus pensamentos, palavras e ações. Por isso o seu processo de mudança deve ser interno, íntimo, você deve mudar a sua estrutura de pensamento e posicionamento em relação à vida, às pessoas, ao mundo. Você nunca deixará de ter problemas. Os problemas são nossas oportunidades de aprendizado. Mas o modo como você encara os problemas pode ser modificado. Acredite mais em você. Você tem plenas condições de resolver os seus problemas. MAGNÍFICO TEXTO, REALMENTE SE FAZ NECESSÁRIO PARAR PARA UMA GRANDE REFLEXÃO……

  11. Nasci em uma família católica e sendo os meus pais muito severos, em casa só podíamos conversar sobre a religião católica e nada mais, sempre eu dava um jeito para ler livros espíritas escondidos. Não conheço muito sobre os espíritas mais adoro ler e estou sempre aprendendo um pouco. Parabéns Morel excelente texto..

  12. Bom texto. Apesar de não frequentar igrejas, nem centros, acho que já tinha essa ideia em mente. Ela se tornou mais clara recentemente, e com seu texto. Obrigado Morel :D.

  13. texto maravilhoso!
    Nasci em uma família católica e sendo os meus pais muito severos em relação a ir às missas e tudo que englobava o calendário católico..e sempre me senti vazia e perdida nesse meio…
    foi quando comecei a ler livros espíritas e ver essa questão de religião, obrigação ou não de outra forma…
    definitivamente Deus está conosco todo o tempo e precisamos nos ajudar para poder ajudar o próximo, evoluir…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.