Evangelho

A todo o que tem se lhe dará

castelo da nobreza

Morel Felipe Wilkon

Ouça este artigo na voz do autor

“A todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.”

Você acha que um espírito pode regredir? Acha que ele pode desaprender, tornar a um estágio anterior de evolução? A questão 118 do Livro dos Espíritos afirma que o espírito pode permanecer estacionário, mas jamais retrogradar. A questão é retomada outras vezes no livro, e as instruções dos espíritos são claras: O espírito pode ficar algum tempo sem progredir, pode reencarnar em condições inferiores, mas os valores que ele adquiriu são seus, são conquistas suas que ele não perde mais.

Ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.
Ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.

Quando vemos barbáries que acontecem no mundo, quando tomamos conhecimento de crimes chocantes que chamam a atenção pela brutalidade e frieza, nos questionamos sobre essa questão do progresso do espírito. Se ele não retrogradou, se não se tornou inferior ao que já foi, concluímos que ou ele está assim há muitos séculos ou ele já foi pior que isso. Porque melhor ele não pode ter sido, então ou ele já era assim ou era pior ainda.

Mas compreendemos. Eu, pelo menos, compreendo que há espíritos que não reencarnam há séculos ou milênios; há espíritos que voltam à matéria com provas pesadas para o seu estágio evolutivo em que ainda predomina o mais puro egoísmo, há espíritos que não têm experiências de amor como nós temos. Porque por mais dura que a nossa vida seja, algumas vezes, nós conhecemos o amor, que pode não ser o amor ideal, mas já é alguma coisa. São amostras grátis do amor verdadeiro que ainda não nos habilitamos a experimentar.

Violeta Parra, compositora chilena, na canção “Volver a los diecisiete”, fez um verso assim: “Al malo solo el cariño lo vuelve puro e sincero”. Só o carinho, só o amor para transformar o mal em bem, o mau em bom.

Concordo, então, que o espírito não retrograda. Mas não retrograda em relação a si mesmo. Porque em relação aos outros espíritos, em relação ao planeta, ele regride sim. Se o meio em que você vive e as pessoas com quem você convive progridem e você permanece estacionário, sem progredir, você pode não ter regredido em relação a você mesmo; mas em relação ao meio e aos outros você regrediu, porque a distância entre você e eles aumentou.

A Parábola dos Talentos é um bom exemplo disso. Lembra dela? Um senhor foi viajar e chamou três servos para que cuidassem do seu dinheiro. A um deles deixou cinco talentos (talento era o nome de uma moeda da época), a outro deixou dois e a outro deixou um, de acordo com a capacidade deles. Quando voltou, o que ficou com cinco tinha feito bons negócios e arranjou mais cinco. O que recebeu dois também fez bons negócios e ganhou outros dois. O que ficou com um achou melhor enterrar o talento, com medo de perder. O dois primeiros foram recompensados pelo homem, ficando com os talentos. O servo que enterrou teve que entregar o seu talento ao que tinha dez, pois “a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.

O que não multiplicou os talentos permaneceu estacionário em relação a si mesmo. Não progrediu e não regrediu. Começou a parábola sem nenhum talento e terminou a parábola sem nenhum talento. Mas, em relação aos outros servos, ele regrediu, pois eles progrediram. O que já era mais adiantado, mais capacitado, progrediu mais; o segundo progrediu menos e o terceiro não progrediu nada, mas ficou mais distante dos outros.

Um espírito que não reencarna há muitos séculos: No tempo de sua última passagem pela matéria era comum a barbárie, a brutalidade, a escravização do semelhante, os sacrifícios humanos. Ele não retrogradou, aquilo que ele já alcançou, moral e intelectualmente, é dele. Mas o mundo mudou, o planeta evoluiu, a humanidade aperfeiçoou-se, os espíritos estão muito adiantados comparando com aquele estágio em que ele permaneceu estacionário. Comparado aos outros, ele regrediu.

Por isso o atraso de alguns nos choca tanto, por isso algumas vezes é difícil de entender que o espírito não retrograda. Mas, por mais que isso seja distante, o destino de todos é a felicidade. E nunca é demais lembrar que somos todos filhos de Deus, creados à sua imagem e semelhança, portanto, perfectíveis.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

13 Comentários

  1. Ana, uma dia estes espíritos saberão utilizar a sua capacidade de liderança positivamente. Há inúmeros criminosos tão ou mais crueis que estes que são anônimos por não terem as qualidades de organização e convencimento das massas que os outros têm. É claro que a responsabilidade deles é enorme, mas ninguém escapa ao progresso. Pode demorar milênios, mas eles vão despertar para a Verdade.

  2. Morel,
    Li o seu artigo e ainda há pouco tempo estava a precisamente a pensar no tema de reencarnação. personalidades que abalaram este mundo de forma catasforfica, tais como Hitler, Estaline e tantos outros líderes que governaram países de forma tão ditadora e cruel. E perguntava me se esses, após o desencarne, teem merecimento de reencarnar de forma a evoluir e o quanto pesado deve ser a ” sua bagagem” … Pensava, como esses seres puderam mandar e desmandar na vontade de milhões de outros, seus semelhantes. Difícil perdoar esses atos, ainda mais pensando, como você referiu, somos todos filhos de Deus!

  3. Felipe, essa passagem pode se aplicar também àquelas pessoas que nunca estão satisfeitas, sempre querem mais, e de tanto querer mais e mais não vêem o que já tem? Eu acho que sim, infelizmente muito tempo eu fui uma pessoa assim, não parava pra apreciar e olhar o que eu já adquiri, o que tinha, porque queria mais e ter mais era o que importava, agradeço pela resposta, o que me deixava extremamente infeliz, beijos.

  4. Estamos evoluindo ou estamos parados. Acho que vai de cada um.
    Hoje tenho a Fé e o evangelho de Jesus como guia. E também sei que hoje sou melhor que ontem.
    Reconheço minhas mudanças, mas… são evolução ou verdades adormecidas!

    Josiane, nunca estamos sozinhos, seu mentor está sempre com você, é melhor conversar com ele o tempo todo do que escutar asneiras que não nos acrescentam em nada.
    Desculpe, mas passo pela mesma situação e senti e sei da sua angústia. Beijos no coração.

  5. Karla, já passei por situação idêntica e sei o quanto é desgastante. Mudar de casa pode ser a melhor solução. Mas Deus não tem nada a ver com isso. Esses desentendimentos são fruto de nossa imperfeição. É verdade que vizinhos barulhentos são desrespeitosos, mas quando nos elevarmos um pouco mais perceberemos com clareza que hoje nos deixamos incomodar por coisas muito pequenas…
    De qualquer modo, temos que ver em tudo oportunidades de aprendizado e progresso. Quem sabe se não será muito melhor morar em outro lugar?

  6. Gostei muito do post. Às vezes me sinto mal porque sinto raiva de pessoas que fazem coisas ruins, prejudicam o próximo (sou apenas um espírito aprendiz, mas me esforço para não perturbar ninguém), mas é como se eu estivesse julgando as atitudes dos outros. Por exemplo, eu moro em apto e os vizinhos de cima vivem fazendo barulho até meia-noite (às vezes até mais tarde), já pedimos várias vezes para que eles parassem com isso e nada, pedimos ajuda ao síndico (que se omitiu). Enfim, nós sofremos com essa situação, e fica difícil não sentir raiva de gente tão egoísta assim… mas estou me esforçando para mudar de sintonia e não revidar o mal que nos fazem. Acho que a única solução será nos mudarmos para outro lugar. Estamos errados ao querer um pouco de paz? Às vezes fico me questionando porque Deus permite que pessoas tão nocivas tenham o poder de perturbar tanto a vida dos outros…

  7. Jorge, crear é a manifestação da essência na existência Criar é a transição de uma existência para outra existência. Deus é o Creador do Universo, um artista crea a sua obra de arte, pois manifesta sua essência na existência da arte. Um fazendeiro é criador de gado.

  8. Bom Dia, tenho há tempos uma curiosidade:

    Por que você fala creados ao invés de criados? existe diferença entre criar e crear?

    Abraços

  9. Não acho que isso seja orgulho, Josiane. É questão de afinidade. Obrigado pela participação.

  10. Belo texto, eu costumo refletir muito sobre isso, não me acho perfeita, pelo contrário, reconheço minhas falhas e sei que preciso ainda de muito tempo para minha reforma íntima, mas muita coisa me choca, parece que para muitas pessoas é tudo normal, como roubar, mentir, caluniar, prejudicar o outro e por aí vai… Para falar a verdade eu sofro muito por isso, atualmente estou longe da minha família e dos meus queridos amigos e estou em meio a um grupo que não fecha comigo, não sei se isso caracteriza orgulho da minha parte, mas não consigo conviver em meio a estas pessoas, parece que estou traindo minhas convicções e meus princípios, me sinto sozinha porque prefiro me isolar. Quando consigo retornar à minha cidade me sinto plenamente feliz perto da minha família e dos meus amigos! Fique em paz!

  11. Entendi perfeitamente, Rodrigo. E o exemplo da moto ilustra bem a situação. Força e paz, irmão.

  12. Outro dia vi um vídeo bem divertido que poderia meio que ilustrar essa verdade, os soldados fizeram uma moto de vários materiais e os outros ficavam passando com arbustos e placas na mão, o que dava a impressão que a moto estava andando, é interessante, já que ela estava parada com um dos soldados em cima. Às vezes também podemos pensar que estamos evoluindo e na verdade estamos parados, pois olhamos para o mundo e os espíritos que estão reencarnando, como você disse, Morel, alguns são atrasadíssimos e por isso pensamos que estamos evoluindo quando na verdade estamos parados como aquela moto e são eles, esses espíritos, que são atrasados. Será que deu pra entender? Muita paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.