Evangelho, Pensamento e disciplina

Perdoar a si mesmo

auto-perdao

Morel Felipe Wilkon

Ouça este artigo na voz do autor

Artigo publicado originalmente em 16/05/2012

Perdoar a si mesmo é mais urgente que perdoar ao próximo. Se você não perdoar a si mesmo, como vai ter condições de perdoar a quem quer que seja? Se não perdoar seus próprios erros, suas próprias faltas, como conseguirá perdoar os erros e faltas alheias? Perdoe primeiro a si mesmo, logo, urgentemente, se possível ainda hoje, pois ninguém merece viver carregando culpas velhas de erros cometidos no passado. Não faça essa injustiça consigo mesmo, perdoe-se!

Perdoar a si mesmo é necessário

O sentimento de culpa age como autopunição, mas a autopunição só é válida quando lhe faz querer reparar o mal cometido. Para chegar a esse ponto, você deve passar pelo estágio do remorso, que é o reconhecimento do mal realizado e consequente sofrimento; e do arrependimento, que é a ânsia de reparar ou compensar o mal que foi causado por você. Se você já passou desse ponto, a autopunição não tem mais serventia para você. É um peso morto. Se você não chegou a arrepender-se, não acha que seja necessário reparar ou compensar o mal que causou, talvez esteja entrando ou já entrou num processo de vitimização e autopiedade. Reconheça seus erros, levando em conta que muitas vezes erramos tentando fazer o que nos parece melhor em determinadas circunstâncias.

Reconheça seus erros, reveja os sentimentos e valores que o levaram a cometer deslizes e adotar comportamentos errados, abra-se consigo mesmo. Você certamente já se deu conta disso, mas não custa perguntar: Você já se deu conta de que você mesmo é sua única companhia obrigatória? Que você vai acompanhar você para o resto dessa vida e para além dela, para sempre? Você já percebeu que você está com você em todos os momentos da sua vida, bons e maus, aproveitando os benefícios e sofrendo os malefícios? Se importe mais consigo mesmo. Respeite mais a si mesmo. E, acima de tudo, seja seu melhor amigo! Abra-se consigo mesmo, conte de seus velhos medos, de suas vergonhas, fraquezas que só você conhece. Cure essas feridas, seja amoroso consigo. Você precisa de você.

Perdoe-se! Faça as pazes com você, e comece já a mudar seu padrão de pensamentos e sentimentos. Controle seus pensamentos, eles são determinantes para o que você faz de você. Ame mais, comece por amar a você mesmo. Se não amar a você, como vai amar a seu próximo? Devemos amar o próximo como a nós mesmos, e devemos amar muito ao nosso próximo. Isso quer dizer que você deve amar-se muito, muito mesmo. Devemos perdoar ao próximo: “Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.” A quem você acha que está pedindo para perdoar as suas ofensas do mesmo modo que você perdoa a quem o ofendeu? Quem você acha que julga seus erros e ofensas? Deus? Não, Deus não julga, essa parte compete a nós mesmos, manifestações de Deus que somos.

Somos nós que nos julgamos, somos nós que nos condenamos e somos nós que na maioria das vezes nos esquecemos de nós mesmos no fundo do cárcere da autopunição. Depois de já ter cumprido a pena a que inconscientemente nos impomos, ficamos esquecidos na masmorra suja do remorso inútil esperando por nossa própria clemência. Então tenha consideração por você mesmo, reveja seus conceitos, tome mais cuidado com suas atitudes para com você mesmo e para com o próximo. Acima de tudo, seja um vigilante atento dos seus pensamentos. Conduza seus pensamentos para o lado positivo das coisas, pois tudo na vida tem seu lado bom, quando queremos vê-lo. É muito importante que você perdoe ao próximo. Na verdade, é imprescindível. Mas antes disso, perdoe a si mesmo. Já está mais do que na hora.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

72 Comentários

  1. Eu cuidei da minha mãe e do meu pai antes deles morrerem e minha mãe me fez jurar cuidar de um sobrinho que ela criava como um filho de um irmão meu que faleceu com 23 anos. Acontece que ela faleceu dia 30 de setembro e eu
    peguei a guarda dele estava cuidando perfeitamente dele foi quando no mês de julho deu um febrão nele e em menos
    de 24 horas veio a falecer com septicemia do nada fizeram a autopsia descobriram que foi uma super bactéria fui no enterro dele a mãe dele me xingou muito ela sabe que eu era vitima pediu desculpa depois só que eu não vivo em paz de não ter cumprido o desejo de minha mãe, hoje sou casada e tenho uma filha linda mais não vivo em paz me ajude

  2. Boa noite,

    Primeiramente, gostaria de agradecer pelos seus artigos e vídeos, tem me feito aprender muito mais sobre o espiritismo. Apesar disso nunca comentei e nem pedi conselhos, mas neste momento estou me sentindo muito mal, suja. E sinto que sozinha não vou conseguir me perdoar, falando o que está me acontecendo talvez pareça pequeno, mas está me afligindo muito, acho que é exatamente pelo motivo que disse neste artigo, pela moral e crença que sempre tive e agora estou agindo contrária a ela, e isso tem me deixando chateada e com raiva do que me tornei. Espero que leia o que tenho a dizer e me ajude a me aceitar.
    Bom, eu (acho que como a maioria das mulheres) cresci com a ideia de que devemos seguir um certo padrão e caso não sigamos seremos rotuladas por inúmeros adjetivos horríveis. Eu tenho 25 anos e namorei durante 4 anos (isso não é relevante pra história), pra mim seria certo ter um homem na vida somente. Mas o namoro terminou e estou há 3 anos solteira, neste tempo conheci outras pessoas, me apaixonei e não deu certo, até aí apesar de tudo, tudo bem. Tive alguns homens mas foi pq eu gostava deles, mas foram poucos também. Hoje me sinto mal pq há dois dias tive relações com um cara que mal conheço e que não sentia nada, só por prazer, mas a questão é que depois me veio a culpa, como se eu tivesse feito algo errado..na verdade foi, até pela doutrina espírita não é algo legal. Mas me sinto muito inferior por isso, pq tive homens que não eram nada meus, e o pior foi ter deixado acontecer com esse último que nem paixão sentia..queria somente satisfazer uma necessidade, que na verdade acho que era só por carência..a procura de amor, sabe?! A procura de atencao..
    Não consigo me olhar no espelho direito, me sinto culpada o dia inteiro, tentei reparar isso, mas foi pior. Não sei se consegui ser explícita e expressar tudo que To sentindo. Quero dizer que nunca quis me ver fazendo essa coisas com pessoas aleatórias e hoje me vejo tão perdida..pq isso acaba afetando os outros setores da minha vida. Pra mim, eu fiz algo errado, entreguei o meu corpo, onde aqui na terra como encarnados é um presente, para uma pessoa qlqr. Estou me sentido uma vagabunda (desculpa o termo) e outras nomeações que são melhores não dizer. Eu acabei agindo como a maioria das pessoas fazem, mas isso não é de mim..não consigo me perdoar por ter sido tão suja comigo mesma. Às vezes penso que ninguém mais vai querer nada comigo por eu estar assim..desculpa o desabafo rs. Fico pensando no que eu me tornei..sinto vontade de “sumir de mim mesma”, se fosse possível. Sei que cobro demais de mim, em tudo, trabalho, família, tudo! E quando cometo um erro no qual poderia ter evitado e, principal, sabia que me daria mal é inevitável o autoflagelo. Não aguento mais ser assim comigo mesma, não consigo me aceitar..
    Bom, só de desabafar assim já me ajudou um pouco.
    Se eu tiver a sorte de você me responder já ficarei mais contente. rs
    Obrigada!

  3. Boa Tarde

    Eu sinto que Deus falou comigo neste momento, ele usou a minha própria voz, e o que estava no meu subconsciente Deus tirou, eu não sabia o que estava acontecendo comigo, mas Deus me mostrou, e que a culpa que eu carregava a 4 anos era de não ter estudado, de não ter dado o meu melhor, estava me culpando por isso, me doeu tanto, porque o estudo ele sempre foi importante, mas no passado eu não queria tomar a frente tanta responsabilidade, queria deixar para o futuro, mas o ” futuro” chegou e eu precisei acordar, que está na hora de agir, depois de ter passado por tantos médicos eu não descobrir nada, mas foi a minha falta de confiança em Deus que fez não tinha feito eu enxergar. Então eu entreguei minha vida a Deus, e disse que somente ele pode curar, e assim se cumpriu sua palavra, hoje mesmo Deus falou comigo, foi tão profundo que eu comecei até chorar. Quero deixar meu testemunho aqui, Deus fala conosco a partir do momento em que temos Santidade em nosso coração, fé muita fé, quando eu decidir ter uma comunhão forte com DEUS ele falou comigo, Deus faz muito mais que a ciência, fala muito mais do que um médico, ele nos ouve, ele cura e ” tudo posso, naquele que me fortalece”
    Obrigada meu Deus muito obrigada meu senhor !

  4. Bom dia Felipe. Você me parece jovem, mas pela leitura de seus conselhos, vejo que possui grande sabedoria.
    Há 4 meses atrás tomei uma decisão de ordem profissional. Escolhi um cargo público em detrimento de outro, e logo após fui tomado por um sentimento de arrependimento sem precedentes na minha vida. Sinto que me iludi, e que não dei prioridade ao meu bem estar. O mais irônico que é que passei 1 ano e 7 meses nesse cargo que escolhi e nunca me dei conta do lugar ruim onde estava trabalhando. Daí quando tive a oportunidade de mudar de vida, andei para trás, pois dei prioridade a assuntos que hoje já não mais me interessam tanto (plano de carreira, aposentadoria, etc). Sinto que fui medíocre comigo mesmo. Sinto que tive uma visão muito pequena do mundo e que não me permiti ser feliz. Sinto que perdi a oportunidade da minha vida! Sinto que me sabotei. Não está sendo fácil conviver com esse sentimento de arrependimento e culpa. Já procurei psicologo, centro espirita, já li inúmeros textos de autoajuda, mas parece que esse sentimento de culpa é mais forte. Muitos aqui falam sobre os seus problemas relacionados a vida amorosa. Eu já tive esses problemas mas consegui superar. Mas este que estou passando é muito difícil. Eu fico revoltado comigo. Muitas pessoas falam pra mim: “ah cara, para com isso, pelo menos você está empregado”, ou “ah cara, mesmo tendo feito uma escolha errada, você está num ótimo emprego”. Eu acho que o problema acontece quando se tem opções. Eu tive opções, realizei ela e depois me arrependi. Parece que a ficha caiu muito tarde, a ponto de eu não poder mais voltar atrás. Fico pensando que tudo foi de certa forma conspirado pra que eu tomasse a decisão que hoje eu reputo errada. Eu fiquei preocupado com assuntos banais e essa preocupação foi tomando uma proporção tamanha que acabei entrando num estado de ilusão e obsessão. Algo que me consola é saber que hoje eu tenho uma visão de mundo diferente da que eu tinha ha 4 meses atras. Eu não sou mais a mesma pessoa. O problema é que sinto que estou pagando um preço muito alto por isso. Sinto vergonha do que fiz e hoje criei uma enorme repulsa ao meu trabalho. Parece que cada dia de trabalho é um dia de “pena” que cumpro. Fico preocupado com esse meu sentimento, pois é muito provável que eu tenha vários anos pela frente nesse emprego. Hoje, o que eu mais quero é praticar o autoperdão, é esquecer o meu erro e o meu passado. Quero aceitar a minha realidade. Quero ficar de bem com o meu trabalho. Quero me livrar de toda a angustia e do vazio que se apoderou de mim. Quero voltar a ser como era antes, alegre, disposto, esperançoso. Na teoria é tudo fácil, mas na prática é outra coisa. Sinto que minha mente sempre tende para o lado do arrependimento. Por mais que eu leia, releia e escute conselhos. É difícil pra mim. Uma hora ou outra entro em estado depressivo. Acho que isso já foi longe demais. Eu quero ficar bem e em paz e me livrar disso.

  5. Priscila, isso é uma outra etapa. Você terá a oportunidade de reparar o mal cometido, não se preocupe com isso. O que importa, no seu momento atual, é compreender a si mesma, se conceder novas chances e avançar, procurando sempre ser útil ao próximo.

  6. Olá Morel, muito obrigada por propagar tantos ensinamentos.
    Hoje tenho 32 anos, e estou em busca da minha reforma íntima e com isso acabo remexendo em coisas do passado. Quando eu tinha 13 anos fiz umas coisas erradas a outra pessoa e que prefiro não comentar. Perdi totalmente o contato com essa pessoa e gostaria profundamente de pedir desculpas, pois me arrependo profundamente do que fiz e se pudesse voltar atrás teria feito diferente.
    Entendi que o perdão começa em nós, mas como posso me perdoar se não consigo o perdão da outra parte?

  7. Olá Morel, eu comentei há algumas semanas sobre algo ter acontecido comigo e quase que apareci aqui pra dizer que dei a volta por cima, me perdoei e vim servir de exemplo para alguns outros. Porém eu tentando me reajustar, eu acabei cedendo os limites e me descontrolando, apesar de não ter cometido outro erro. Mas às vezes me sinto culpado por algumas coisas. E a pessoa que eu namoro, eu a amo bastante. E quero me recuperar de vez disso, eu estava quase bom e tive uma crise e fico na dúvida se realmente ainda quero ela comigo, mas na verdade não me imagino sem ela e meu coração aperta se eu pensar em ficar longe dela. É claro que eu gosto muito né? Se não estaria me sentindo assim. Essas crises de vez em quando, fazem parte da recuperação? Por que eu já estava quase 100 %, aí fui tentar ser o que sempre fui com defeitos e qualidades, e assim exagerei um pouco na dosagem, isso faz parte? Tudo isso faz parte de eu me curar do sentimento de culpa e viver minha vida?

  8. Morel Felipe Wilkon.
    O que o senhor poderia dizer sobre isto:
    Sabe-se que Mozart reencarnou em 2002.
    E agora atuará no campo da ciência.
    Entre neste Site.
    Achei muito interessante.
    Será Reencarnação de um grande músico.
    Ou cera que é Montagem?
    Menino chinês de 5 anos toca música clássica no Piano.
    https://www.youtube.com/watch?v=n-xEHdz6O3I

  9. Tiago, com o tempo isso passa, sim. Mas quem determina quanto tempo vai levar para passar é você mesmo. Não há outro meio de mudarmos nossos sentimentos a não ser a nossa vontade. Use a sua vontade, concentre-se nela, desligue-se do erro. Procure um centro espírita e tome passes para reequilibrar-se energeticamente. Você vai melhorar.

  10. Olá, eu gostaria de dizer que cometi um erro grave, e por mais que tenha ficado no aprendizado eu não consigo esquecê-lo ainda e me auto-perdoar. A minha história é parecida com a de umas pessoas acima, eu namoro há um bom tempo e sem querer permiti que outra pessoa me tocasse, devia ter evitado mas permiti. Sei que a pessoa que eu namoro já entendeu isso, até porque eu contei em partes e até não liga mais, sempre que eu esqueço disso que acho que me perdoei eu lembro de como somos felizes juntos e ao mesmo tempo o sentimento da culpa me domina. Eu sinto vontade de contar tudo por querer de fato ser muito honesto. Mas até que ponto eu estaria interferindo na nossa felicidade? Eu sei que o ideal é eu deixar tudo isso de lado e ser feliz com quem realmente amo. Mas é difícil! Com o tempo isso passa?

  11. Olá meu irmãozinho.
    Meu nome é Heitor.
    Gostaria de saber se eu posso colocar o teu Site nas mensagens que eu costumo colocar no YouTube.
    Para o Senhor ter uma ideia, entre neste Site abaixo.
    Depois que entrar neste site, entre no comentário abaixo que esta escrito – Para ser feliz.
    https://www.youtube.com/watch?v=rshXIGZU4GQ
    Aguardo uma resposta.
    Obrigado.

  12. Elian, você cometeu um erro e sabe disso. O importante é não repetir o erro. Temos que aprender com os nossos erros. Você aprendeu que os erros fazem com que nós nos sintamos mal. Você está triste por isso.
    Você precisa mudar o foco. É bom que você tenha essa preocupação agora, enquanto ainda é jovem. Entenda que durante a vida várias vezes ocorrem situações que ficam nos atormentando a cabeça. Só você mesmo pode mudar isso. Procure manter a cabeça ocupada com outras coisas. Faça coisas diferentes, leia – se não gosta de ler, aprenda a gostar. Ore, orar sempre ajuda. Procure fazer exercícios de movimentação energética: procure vídeos do Saulo Calderón e do Wagner Borges. Você vai ficar bem.

  13. Olá, tenho 14 anos. Um dia minha tia bebeu e chegou em casa bêbada, ela usa shorts muito atraentes, e aí eu não consegui me segurar e passei a mão na vagina dela quando ela dormiu. Não emfiei meu pênis nela, só passei a mão mesmo. Na hora você fica com tesão, sua carne fica fraca, mas depois que você que você solta o espermatozóide seu mundo acaba, então por favor me ajude, estou muito triste, não consigo comer nada mais, já pedi perdão a Deus, sei que Ele me perdoará, mas eu fico só pensando nisso. Me ajude por favor, obrigado.

  14. Nossa vida exterior costuma refletir a nossa vida interior. Estando interiormente desarmonizada, a tendência é que você experimente a desarmonia fora de você. Culpar-se não adianta nada. O que adianta é você conscientizar-se de suas responsabilidades, mudar suas atitudes e propor-se à espiritualização. Mude o foco da sua vida. Comece a frequentar um centro espírita, leia bons livros espíritas ou espiritualistas, ore sempre, perdoe, se esforce para ser uma pessoa melhor.

  15. Olá Morel.
    Há cerca de uma semana briguei com meu pai (nosso relacionamento é quase impossível). Minha mãe foi em minha defesa e eles brigaram feio. Ela decidiu viajar e eu teria de ficar sozinha com ele em casa. Repudiei a ideia. Assim que ela saiu liguei para o meu namorado e ele me sugeriu que eu ficasse na casa da irmã dele. Peguei umas coisas e fui. Depois de três dias lá ela foi ficando ríspida e jogando indiretas que sugeriam que ela me queria fora da casa dela. Contei ao meu namorado e ele ficou revoltado, porém não disse nada. Fui pra casa e um dia depois ele bebeu e bateu na irmã dele, na mãe dele, na avó e no avô com a justificativa de que a irmã me humilhou. Estou me sentindo muito culpada. Sinto como se o fato de eu existir fizesse mal aos outros. A culpa não sai de mim, não sei o que fazer. Estou desesperada.

  16. Dandira, se você não a prejudicou propositadamente, não há o que perdoar. Compreendo perfeitamente que você se sinta mal pela situação que se criou, mas não é o caso de alimentar culpa – isso só atrapalha. Procure a sua amiga e esclareça tudo, sem esperar compreensão imediata. Se achar muito difícil falar com ela pessoalmente, escreva – a escrita permite nos expressarmos melhor, dando tempo para rever o que escrevemos e não deixar passar nada impróprio. Não conte com o perdão imediato dela. O que importa é a sua consciência estar tranquila. Situações assim devem servir de aprendizado para todos os envolvidos.

  17. Olá, preciso de uma luz e encontrei em sua página uma saída. Errei com minha melhor amiga e ela comigo, na mesma época praticamente e hoje não nos falamos. Hoje vivo um relacionamento com o homem que ela amava, pois éramos e somos muito amigos, e hoje nos amamos. Porém, não consegui contar isso a ela, que acabou descobrindo de outra forma. Estou triste comigo, pois não queria fazer nada que a fizesse se sentir mal, mas fico com esse nó dentro de mim e não tenho coragem de ir até ela conversar e tentar explicar o que houve, não tenho palavras. Como agir pra tirar esse peso de mim e me perdoar?

  18. Elisa, a magia, simplificadamente, é a manipulação do pensamento e do poder mental para a obtenção de um objetivo. O que você fez, sem saber, foi um ato de magia. Você atingiu seu objetivo, mas, como tudo o que geramos em nossa mente atinge primeiro a nós mesmos, você foi atingida…
    O seu propósito de perdoar é importante. Entenda que perdoar não é esquecer ou passar a morrer de amores pela pessoa que queremos perdoar. Perdoar é desligar-se, deixar para trás. Esse é o significado da palavra grega aphíemi, utilizada por Jesus nos Evangelhos, e traduzida como perdão. Desligue-se. Evite pensar nela. Quando a lembrança dela vier à sua mente, procure outro pensamento. Se a lembrança persistir, repita em pensamento palavras como “eu te amo”, “me perdoa”, “eu te perdoo”. O que você fez já cumpriu seus efeitos, resta a você superar isso e colocar o aprendizado que essa lição lhe deixou. Todos os problemas que enfrentamos são oportunidades que a vida nos oferece para nos tornarmos pessoas melhores. Isso pode parecer algum tipo de consolo barato, mas não é. Não tenho propensão para consolar. O fato é que são essas dificuldades, que todos nós enfrentamos, de um modo ou de outro, que nos fazem refletir, nos levam ao questionamento, nos induzem a mudar alguma coisa em nós mesmos. Então, mais importante do que perdoar ou ser perdoada, é você ser GRATA pelo que lhe aconteceu. Se não fosse por este episódio da sua vida, você não estaria dando esse passo decisivo na sua evolução que é a necessidade íntima de melhorar-se. Quanto ao fato específico da traição, compreendo a dor, mas isso é passageiro. Imagine-se velha ou já desencarnada, no outro plano, e verá que isso não significa grande coisa. Por outro lado, o aprendizado que você está tirando disso lhe acompanhará permanentemente.
    Um abraço; seja feliz e faça os outros felizes.

  19. Oi Morel,
    Meu marido me traiu com uma colega de trabalho… por quase 1 ano ele manteve um relacionamento com ela.
    Eu descobri e te confesso que pra mim, foi mais fácil perdoar ele do que ela!
    Ela continua trabalhando na mesma empresa que ele e isso me incomoda muito, mas eu sei que ela precisa de um trabalho pois é mãe solteira e tem dois filhos pra sustentar… eu peço a Deus em todas as minhas preces que ela saia da empresa e vá para outro lugar… não desejo mal a ela… porém:
    Com o intuito de que meu marido sentisse raiva e nojo dela, fiz um perfil em uma rede social “falso” e comecei a me enviar mensagens desaforadas e provocativas.
    E consegui o resultado desejado… só que estou arrependida.
    Quando eu a vejo ou até mesmo quando eu penso nela eu sinto raiva…
    Tenho lido muito sobre perdão!!!
    Mas na verdade acho que preciso começar pelo autoperdão, não é mesmo?!
    Me sinto perdida, quero perdoá-la e também gostaria de reparar o meu erro… mas não sei o que fazer!!!
    Grande abraço.

  20. Diego, eu ia elaborar uma resposta especialmente para você, mas o que você precisa saber já foi dito por mim nas respostas aos comentários anteriores. A solução para o seu problema também passa por isso: Se você não viu que tinha comentários anteriores e que eu já respondi a eles, vocÊ não procurou suficientemente, e para encontrarmos a solução para os nossos problemas devemos nos esforçar para procurar e achar. Se você viu que tinha comentários anteriores e mesmo assim quer uma resposta para você, você deve achar que o seu problema é especial. Não é. O seu problema é como o dos outros. Todos passamos por situações semelhantes. Analise mais a si mesmo, analise os outros e perceba isso.

  21. Boa noite.
    Bom, gostaria de pedir uma luz para meu problema. Me identifiquei muito com o texto, pois diz letra por letra o que acontece comigo, o meu auto-perdão é devido ao meu fracasso em um relacionamento… até hoje não entendo muito bem o que aconteceu, pois agia de forma tão boa, na minha vida o meu maior sonho sempre foi ter uma família, e então encontrei uma pessoa que me fez perceber que esse era o momento. O problema foi que essa pessoa partiu sem nem me dar motivos, e até hoje (já faz 1 ano) me culpo tentando encontrar a resposta para isso, e consequentemente não consigo perdoar outra pessoa na minha família que necessita muito disso, essa pessoa já mudou, já se transformou, mas eu não consigo perdoar, e se isso já não bastasse acabei por magoar uma pessoa que me ama muito, e temo não conseguir o seu perdão, para você ver… minha vida está presa no passado devido a eu não conseguir perdoar a mim mesmo, que não consigo perdoar meu pai, que temo não receber o perdão da minha mãe… uma corrente de mágoas, mas o que você me aconselha? Como buscar o auto-perdão? Agradeço desde já, fique com Deus!

  22. Andresa, quando o Espiritismo surgiu como Doutrina, na segunda metade do século XIX, um de seus efeitos foi destruir, em muitas pessoas, a noção de ceu e inferno que existia até então: o ceu como um lugar beatífico, uma espécie de paraíso, e o inferno como um lago de fogo e enxofre cheio de diabos nos torturando. Há um livro de Allan Kardec que trata especificamente deste tema: O ceu e o inferno. Para muitas pessoas ainda é difícil de imaginar o que seja o sofrimento moral que os espíritos relatam neste livro, e que para eles é tão terrível quanto o sofrimento físico do inferno. Realmente as dores morais são muito fortes. A impossibilidade de voltar atrás e evitarmos os erros que cometemos é uma grande dor.
    Mas, se não podemos voltar no tempo e fazermos diferente, podemos e devemos fazer diferente a partir de agora. Não adianta se lamentar. Você é espírito imortal, vai viver para sempre, e um dia essa dor será superada. E o tempo que você levará para superar essa dor só depende de você. Não existe uma fórmula mágica para esgotar a sua dor. A dor é proporcional à gravidade que o erro que cometemos representa para nós. Há pessoas que fizeram o que você fez, ou pior do que você fez, e que não se culpam, nem sequer se questionam. O sentimento de culpa é o início do despertar da consciência, é um estágio de aprendizado sobre nós mesmos perante as Leis cósmicas. As Leis cósmicas são Leis de Deus. Não podemos infringir as Leis de Deus. Quando infringimos as leis dos homens, podemos passar despercebidos, mas as Leis de Deus estão escritas em nossas consciência e ninguém consegue se esconder indefinidamente da sua própria consciência.
    Mas o sentimento de culpa só é útil para nos despertar. Depois que percebemos claramente o tamanho e as consequências dos nossos erros, para nós e para os que foram atingidos por eles, não adianta mais nos culparmos. Você não pode desfazer o mal que fez, mas pode reparar o seu erro dando o melhor de si a partir de agora. Você reconhece o seu erro porque percebeu que existem valores maiores do que o imediatismo. Siga estes valores. Coloque em prática o que você sabe ser o certo. Não desperdice a oportunidade de aprendizado que a Vida está lhe oferecendo. Não precisamos, necessariamente, errar para aprendermos. Mas temos que reconhecer que o erro é, em nosso estágio evolutivo, um excelente mecanismo de aprendizado. Aprenda com o seu erro. Torne-se um ser melhor em todos os sentidos. Perdoe e peça perdão. Dedique-se ao próximo. Cresça espiritualmente. Se você fizer isso, deixará essa existência com uma importante bagagem evolutiva.

  23. Oi. Nunca escrevi nem me abri com ninguém até hoje, queimo dia após dia por um arrependimento que me consome, me transforma a cada dia numa pessoa mais triste, amargurada, acho que só não caí de vez porque tenho três filhos a quem eu amo por demais. Fui casada por 12 anos com meu primeiro marido com o qual tive dois filhos. Casamos muito jovens, ele me traiu bem no início do casamento e depois mais no final, mas ele era um pai maravilhoso e um ótimo chefe de família, e se ele me traiu tinha minha parcela de culpa, pois era muito chata, ciumenta e dominadora… passou um tempo e me apaixonei perdidamente pelo meu segundo marido com o qual tive minha filha, larguei meu casamento para ficar com ele, isso já faz 6 anos, mas aos poucos fui me desgostando e me culpando de ter abandonado minha família que tanto amava e que era a base de tudo para mim, e desde então me culpo e fico presa ao passado. Meu ex-marido sofreu 4 anos atrás de mim, não se conformava com a situação, e eu nunca tive coragem de voltar atrás, meus dias eu vou empurrando, em alguns momentos consigo esquecer, mas na maioria das vezes a culpa bate na minha cabeça. Sonho todos os dias com meu ex-marido, me julgo, me destruo por ter afastado ele dos meus filhos, impedindo de vivermos como família de verdade! Tento, tento, mas não consigo me perdoar e seguir em frente!

  24. Olá… coloquei esse texto em áudio, e sua voz me acalmou muito. Ontem, me sentindo injustiçada e ferida, incompreendida, acabei agredindo minha própria mãe. Que sempre, de uma forma ou de outra, quis o meu melhor, apesar dos seus erros também. Em um acesso de cólera, cometi esse ato terrível, que é a violação de um dos mais sagrados mandamentos, honrar pai e mãe. Logo após o ato, senti impulsos muito fortes de me suicidar por culpa, remorso, angústia e incapacidade de seguir em frente. Isso aconteceu ontem, minha mãe não se machucou, não está com ódio de mim, mas extremamente magoada, com total razão. Quero pedir perdão, redimir pelo resto da vida o ato horrível que cometi, mas sinto que antes disso, preciso me estruturar e me perdoar… seu texto foi um bálsamo para meu espírito inquieto. Muito obrigada.

  25. Marcelo, essa busca intensa de amor é falta de Deus. Isso não conversa religiosa, não é nada disso. Mas nós, como espíritos imortais, ansiamos para a nossa volta para Deus, sentimos falta de completude, nada preenche o vazio. O amor conjugal é apenas um treino, são experiências que aos poucos nos dão a noção do que seja o verdadeiro amor.
    Falo isso porque hoje é fácil você dizer que ama a sua ex-esposa, mas na época em que estavam juntos você não tinha essa certeza, e se voltassem hoje talvez em pouco tempo você se desiludiria de vez.
    Você está certo em não querer repetir o mesmo erro. Mas a sua situação conjugal não pode ser misturada ou confundida com a sua relação de pai. Uma coisa independe da outra. Você pode ser um pai muito presente mesmo morando em casas separadas. Nada impede você de participar ativamente da vida dos seus filhos, se você quiser isso realmente.
    Os anos passam rápido, logo seus filhos serão adultos. Se você quer mudar essa situação, não se lamente; aja. Procure apoio espiritual. Espiritualize-se, evangelize-se, desligue-se dos interesses imediatos. Doe-se. Seja um pai presente e amoroso, seja um marido exemplar, seja amigo (na medida do possível) da sua ex. Não adianta nada se encher de culpa. A energia que você gasta sentindo pena de si mesmo você deve canalizá-la para a ação. Passe mais tempo com seus filhos, não limite seu convívio às visitas, crie atividades em que vocês participem juntos, acompanhe a vida escolar deles, seja um pai como se vocês morassem juntos. Se você for um marido exemplar sua esposa irá entendê-lo e apoiá-lo. Jogue limpo. Você consegue.

  26. Morel, obrigado pelo seu texto. Gostaria de pô-lo em prática, mas não sei como. Fui fiel durante anos de casamento, mas sofria pelo ciúme descontrolado, violento até, de minha esposa. Num desatino, me permiti um relacionamento extraconjugal em que a outra pessoa acabou, devido a minha fraqueza, a me convencer a abandonar a esposa e 2 filhos. Casei com essa pessoa sem ter certeza de que era isso que queria e tivemos um filho. Depois de muito tempo concluí que fiz tudo errado e realmente amo minha primeira esposa, apesar de tudo. Vivi longe de meus filhos, perdi seu crescimento e os privei de várias oportunidades, além da própria presença do pai. Isso me dói tanto, até hoje, que é quase uma dor física. A falta de afinidade e a tristeza da culpa me afastaram de minha atual esposa. Não vejo futuro ou realização em ficarmos juntos, mas não quero repetir o doloroso erro com meu filho mais novo. Queria demais voltar à minha ex-esposa, reunir meus filhos todos, mas o medo de errar de novo e aumentar a dor e a culpa me congelam. Meu coração pede, mas o espírito teme demais. Agora, minha esposa foi diagnosticada com uma doença grave e não tenho coragem de deixá-la, mas também não tenho força para amá-la. Não vejo saída e tudo me parece consequência do primeiro erro, cuja culpa me esmaga diariamente. Acredito que se pudesse me perdoar conseguiria paz para analisar melhor minha situação. Mas como se perdoar se diariamente a distância dos filhos está a lhe lembrar que você permitiu que seu bem mais caro – sua família – fosse destruído?

  27. Maria Luisa, isso é auto-obsessão. Esse acontecimento provavelmente encontrou eco dentro de você mesma, é um erro que você já cometeu outras vezes, em outras existências, e que deve ter causado estragos significativos em sua vida. Seu erro atual, então, é amplificado pela soma de outros erros iguais que você cometeu no passado. Seu erro atual trouxe isso tudo à tona.
    Seja racional e perceba a total inutilidade de sentir culpa agora. Essas cenas só atormentam você porque você se culpa. Tenha consciência de que seu erro não teve consequências trágicas, funestas, como deve ter acontecido em outras oportunidades, em outras existências. Tenha consciência de que no seu passado espiritual você agravou o seu erro por lidar de maneira equivocada com a culpa. Hoje, então, você já está superando a si mesma em relação ao seu passado, pois o arrependimento pelo seu erro não levou você a cometer nenhum desatino. Conscientize-se disso e fique contente consigo mesma, pois sua superação é um passo importante.
    Não lute contra as lembranças que vêm à sua mente. Transforme-as. Quando as imagens surgirem, modifique-as, agindo sobre elas com amor, perdão e compreensão. Envolva com amor, perdão e compreensão as pessoas envolvidas.
    Não tente voltar atrás ou se colocar à frente. Viva o hoje. Todos os dias são novas oportunidades. Ao longo de nossa trajetória espiritual já cometemos erros terríveis. Graças à reencarnação podemos esquecê-los momentaneamente, até termos melhores condições de lidar com eles. Mas esses erros ainda estão dentro de nós, fazem parte de nossa bagagem espiritual. Então não se lamente tanto por um erro cometido agora. Aproveite que você tem a oportunidade de repará-lo e pare de se lamentar. Não faça da sua meta de fazê-la feliz uma obsessão. Isso já não seria amor, mas apego excessivo. Seja feliz você, e reparta a sua felicidade com os outros. Torne-se um ser melhor a partir da conscientização de que todos falham, de que todos cometem atos impensados, de que todos gostariam de exercer um maior controle sobre si mesmos. Não concentre seu amor em uma só pessoa. Isso é egoísmo, não é amor. Alcançamos o equilíbrio sendo úteis ao próximo, não a uma pessoa determinada. Fique bem.

  28. Morel, não sei se ainda responde a comentários, mas se responder por favor, me dê uma luz.
    Eu cometi um erro. No momento do erro não me dei conta da sua grandeza. O tempo passou e eu reconheci o quanto estava errado o que eu fiz, não consegui viver com a culpa de ter traído quem eu mais amo. Contei para ela. Mas contei digamos que metade do que aconteceu, na verdade aconteceu um pouco a mais (porém já era o suficiente para magoar).
    Ela então me perdoou, em uma atitude tão sublime, disse que continuaria ao meu lado.
    Eu hoje luto para recompensar o erro, minha meta é fazê-la feliz. A amo mais que tudo e hoje dou valor ao que tenho.
    Porém a culpa ainda não me sai, eu luto por meses, dia e noite luto para fixar pensamentos bons e deixar o passado no passado.
    Ouço constantemente suas palavras, busco focar no futuro.
    Porém o tempo todo flashs do meu erro me vêm à mente.
    O tempo todo mesmo, de minuto a minuto, todos os dias.
    O que fazer?
    Será que devo contar todos os detalhes do meu erro?
    Como impedir esses pensamentos ruins involuntários?
    Eu quero muito melhorar a mim mesma, para poder assim dar meu amor a ela como ela me dá o seu. Sem medo de ser feliz. Obrigada desde já, Morel.

  29. Um texto esplêndido!
    Mesmo as verdades que já conhecemos e tentamos implementar em nossas vidas, precisam ser reforçadas para imprimir força de vontade e clareza de raciocínio e ações.
    Muito obrigado, Morel, Deus te abençoe e enriqueça os seus conhecimentos e aptidão para divulga-los.
    Euleir Eller
    Fortaleza-Ce

  30. Thiago, somos falíveis. Estamos aprendendo, este planeta é nossa escola. A conscientização dos erros é o começo do progresso efetivo, da libertação dos erros. É perda de tempo e desperdício de energia ficar se culpando. Se você está convicto de que tem condições de fazer melhor do que já fez, isso basta. A oporunidade de você se redimir consigo mesmo aparecerá. Temos que reconhecer a nossa pequeneza. Nos cobrarmos, sim, mas cintes de nossa falibilidade.

  31. Olá amigo Morel, eu passo exatamente por essa situação não conseguir perdoar de fato a mim mesmo.

    Meu relacionamento terminou há cerca de 2 anos e meio, por erros e mais erros de ambos os lados, mas na epóca eu só tinha olhos pra enxergar os erros da outra pessoa, e depois que terminamos durante um tempo ainda continuou assim, eu só tendo olhos para as mágoas que sentia por ela, mas hoje depois de um tempo, as mágoas que sentia por ela foram sufocadas pelo grande amor que não termina, pois amor creio que não termina nunca.

    E o que me tortura hoje cem vezes mais são os erros que eu cometi, é algo que atualmente é mais forte que eu, às vezes me pego em sonhos sentindo uma tristeza profunda incontrolável, penso eu que pelo desprendimento temporário do corpo físico esse sentimento se liberta totalmente e por isso o sinto com muito mais intensidade nesses momentos de sonhos.

    Não nos falamos mais, tenho na mente o desejo de um dia nos reencontrarmos para que possamos resolver essa situação inacabada, para que eu possa pedir perdão pela minha parte errada.

    Mas hoje eu enxergo de uma forma tão clara que só com uma nova chance, um novo começo, dessa vez fazendo certo num novo relacionamento o que tanto fiz de errado no velho poderei me libertar por completo, e me perdoar por completo, mas a questão e a dificuldade estão aí, como lidar comigo mesmo nesse sentimento de culpa até lá, essa é minha dificuldade.

  32. Aline, precisamos ser racionais. Se não há nada que você pode fazer neste momento para mudar o posicionamento dele, mude pelo menos a si mesma. Isso é seu dever. Você é responsável por você, e ninguém ganha nada com o seu sofrimento. Se nos conscientizássemos de que todos nós estamos interligados, e que o nosso estado de espírito influencia no meio em que vivemos, talvez fôssemos mais éticos e cuidássemos mais de nós mesmos.
    Tudo passa, Aline. Tendo consciência disso e querendo melhorar, consegue-se.
    Ore todos os dias, no mesmo horário, pedindo perdão a ele, perdoando ele, perdoando a pessoa que está com ele. Agradeça a Deus por ser consciente como é. Muitas pessoas se desesperam e têm atitudes intempestivas. Desenvolva cada vez mais a consciência, perceba que você é a única responsável por como você se sente.

  33. Eu vivo em busca do perdão do meu ex namorado. Ele vivia indeciso entre ficar comigo e com outra pessoa que ele conheceu em uma das nossas brigas. E em um ato impensado, depois de não suportar mais a indecisão dele, eu procurei ela e contei o quanto ele falava mal dela para mim. Ele disse que essa atitude fez com que ele se decidisse, hoje em dia eu busco o perdão dele e ele diz que não vai me perdoar nunca, por ter contato tudo para ela, o que ele me confiava em segredo, trair a confiança dele e nunca vai me perdoar por isso. Eu perdi o amor da minha vida. Ele disse que eu o humilhei e ele sofreu muito, hoje em dia ele está com ela e não me perdoa, e eu me sinto muito culpada por ter feito ele sofrer tanto

  34. Preciso ouvir algo sobre meu erro. Eu já percebi que preciso me perdoar, mas cada vez que peço o perdão da pessoa que machuquei ele diz que não vai me perdoar, e isso doi muito, e me sinto cada vez mais culpada. Meu ex-namorado estava indeciso sobre eu e outra pessoa, a atual namorada dele hoje em dia, e hoje ele sente muita raiva de mim, por ter procurado ele e falado o quanto ele falava mal dela para mim. Ele disse que eu trai a confiança dele, que eu poderia ter procurado ela, mas não tinha o direito de contar o que ele me falava em segredo. Disse que me amava de verdade, só estava confuso e que eu só fiz ele se decidir, hoje ele está com ela, e tem raiva de mim. E eu reconheço meu erro, agi sem pensar nas consequências e perdi o amor da minha vida.

  35. Compreenda a si mesma. Aprenda com a experiência de outras pessoas. Procure ler sobre o assunto. Comece pelos comentários anteriores.

  36. Sergio, compreenda que os erros que você cometeu foram o melhor que você conseguiu fazer na ocasião. Se hoje você vivesse as mesmas situações que viveu, é possível que agisse diferente. Digo que isso seria possível, mas não certo. A maior parte de nós repete os mesmo erros durante séculos, através de várias existências. Todos somos falíveis. Mas o mesmo Sergio que errou é o Sergio que está em busca de melhorar-se a si mesmo. Olhe-se de fora, seja compreensivo para consigo mesmo. Não passamos de crianças espirituais. Não adianta lamentar o que já passou. Temos que tratar de evoluir. E isso só é possível superando os erros que cometemos.

  37. Adorei o seu texto, já passei por todas as fases do texto acima, mas me diga como eu posso perdoar a mim mesmo.

  38. Maravilhoso esse texto! Noto que por diversas vezes nenhuma outra pessoa foi tão severa comigo tanto quanto eu mesmo. Cobrei de mim uma perfeição que erroneamente enxerguei nos outros. Obrigado por suas palavras de luz! E muita luz e paz para os que visitaram, leram, ouviram ou que vierem a estar nesta página! Um abraço!

  39. Nayara, não sou conselheiro. O único conselheiro confiável é a sua própria consciência. Talvez você deva estudar melhor a si mesma, perscrutar o seu íntimo para saber como, realmente, você é. Será que você agiu dessa forma com essa sua “amiga” só por ciúme? Ou o ciúme foi um pretexto para você dizer verdades a ela e e deixar claro o seu posicionamente em relação ao comportamento dela? Se há algum conflito entre o seu “querer ser” e o seu “ser”, você precisa fazer análise… a menos que tenha creteza de como quer ser. Se você acha que, mesmo pensando o que pensa sobre as pessoas, não deve dizer a elas o que pensa, a questão é só de atitude. A leitura e a prática dos livros O Poder do Subconsciente, de Joseph Murphy, e O Poder Infinito da sua Mente, de Lauro trevisan, resolveriam o seu problema.
    Note que, ao morar com a família dele, você está se sujeitando aos costumes dele, ao ambiente dele, sem estar preparada pra isso. Não acho aconselhável pra ninguém morar com a família do cônjuge.
    Analise melhor a si mesma e à situação que você criou.
    Fique com Deus.

  40. Olá Morel,

    Estou passando por uma situação difícil, e por mais que eu enxergue nitidamente tudo o que está à minha volta, muitas vezes me descontrolo emocionalmente, acabo causando desconfortos emocionais, e a frustração que chega depois me arrasa.

    Tenho um namorado de 2 anos, atualmente estamos morando juntos (no caso estou morando na casa dele com a família dele). Eu o amo, muitas vezes repenso se devemos estar juntos, mas no final das contas concluo que quero continuar. Porém, pela segunda vez, desenvolvo um ciúme fora do normal com alguém que nos rodeia. Da primeira vez foi com uma amiga dele, e acabamos o relacionamento por 4 meses. Dessa vez, o meu ciúme aconteceu com uma amiga minha que malha na academia em que ele trabalha.

    Ela se divorciou recentemente, e no momento está se envolvendo com várias pessoas, inclusive um homem casado. Quando ela me revelou seu caso com o homem casado, eu falei que não confiava nela. Fui extremamente sem tato, falei coisas que me arrependo em ter dito, como que ela “se oferece” para os homens, que ela quer se autoprovar como mulher e por isso fazia esse tipo de coisa.

    Sempre fui contra traição, pois quando criança meu pai traía a minha mãe e tenho muito medo que aconteça algo parecido comigo. Mandei mensagem para essa amiga pedindo desculpas pela forma que me expressei, mas ela não me responde e respeito o tempo dela. Porém me dói muito que a situação tenha ocorrido pelo meu ciúme. Ela me relatou diversas vezes que na época da escola e da faculdade não conseguia fazer amigas (inclusive ela não tem nenhuma dessa época) e me pergunto se é pelo fato que ela as traía.

    Não conseguia confiar nela tanto com a amizade que vínhamos construindo como com o meu namorado. Depois dessa situação, me arrependo por não ter me controlado e falado coisas ruins para ela. Tenho muito medo também de acontecer novamente e eu machucar a mim e a outra pessoa e também de me afastar de outros ou até acabar novamente com meu relacionamento.

    Gostei muito dos seus conselhos e acredito que possa me ajudar. Agradeço desde já.

    Nayara

  41. Gil, para isso existe a reencarnação. Pra que tenhamos a oportunidade que reparar erros que hoje são irreparáveis. O que você pode fazer hoje é manter-se com esse sentimento de perdão, pedir perdão em pensamento aos que foram indiretamente prejudicados por você e ter sempre em mente que somos falíveis, todos são, e graças à nossa consciência despertada pela erro temos condições de nos colocarmos no lugar do próximo e sermos mais compreensivos e tolerantes. Essas coisas não começaram aqui; esteja certa disso. E também não terminarão por aqui… Há ligações entre grupos de espíritos que se arrastam por muitas reencarnações, até que haja total harmonia. Cultive a paz de espírito e o amor.

  42. Querido Morel, sou casada há 22 anos, quando conheci meu marido eu tinha 18 anos e ele 48, enfim, ele era casado, tinha 4 filhos desse casamento e largou sua esposa para ficar comigo. Eu por muito tempo me senti muito culpada por isso, tinha vergonha de dizer aos outros o que realmente havia acontecido, também fui muito retaliada pela minha família e amigos. Fiz muita terapia e consegui olhar para tudo que havia acontecido comigo de maneira mais caridosa, percebi que eu havia sim errado em me relacionar com um homem casado, mas também percebi que naquela época eu era apenas uma adolescente inconsequente e que estava realmente apaixonada, e resolvi me responsabilizar por tudo que eu havia feito, minhas filhas estavam crescendo e queriam saber como é que eu tinha conhecido o papai, resolvi contar, minha filha mais velha na época já tinha uns 12 anos e me perguntou se o que eu havia feito não era errado. Disse a ela que sim, mas o amor entre nós era maior. Hoje temos uma vida muito feliz, nossas filhas estão grandes, 20 e 12 anos, somos espíritas, temos a consciência do erro, mas nos perdoamos por isso, embora ainda pense no mal que causei à sua ex-mulher e em seus filhos na época.
    Como reparar esse erro?

  43. Vanessa, perdoar é desligar-se, quando perdoamos não nos sentimos mais incomodados com a situação que nos incomodou, pois nos desligamos dela. Sei que isso não é coisa muito simples, e que às vezes o afastamento é necessário como uma tentativa de perdoar. Mas isso ainda não é perdão…

  44. Olá! Tudo bom? Considero meu atraso espiritual, minha dificuldade em perdoar setenta vezes sete vezes e me sinto mal por não conseguir vencer isso em mim, vou até relevando, mas chega uma hora que me afasto dessas pessoas para não me machucar mais, isso em relacionamentos afetivos e de amizades também, pelo menos não sinto raiva, rancor ou desejo mal, oro por essas pessoas. O que me incomoda é que perdoo de longe. Isso é perdão? Gosto muito de suas publicações.

  45. Carol, não é muito simples ajudar concretamente alguém em relação à sua realidade íntima. A sua parte á ser compreensiva, paciente. Quem pode ajudar ele é ele mesmo. Não acho que paguemos por nossos erros. Acredito que nosso compromisso com o universo é rearmonizar o que desarmonizamos, e isso ode levar muito tempo e exigir uma compreensão das coisas que hoje não temos. Não acho, de modo algum, correto qualquer tipo de relação clandestina, escondida, furtiva. Mas o sentimento de culpa não adianta em nada. Temos que aprender com a experiência, procurar não repetir os erros cometidos e firmarmos o propósito de nos tornarmos pessoas melhores.
    Ele deve compreender que nada vai mudar o que já aconteceu. O que ele fez, na época, pareceu a decisão mais acertada. Certamente ele irá perdoar a si mesmo um dia, mas o tempo que isso vai demorar depende exclusivamente dele. Seria bom que ele buscasse apoio religioso, frequentasse as reuniões de sua religião, procurasse leituras edificantes. E orar muito. O modo mais prático e eficiente de nos conectarmos com Deus é através da oração. Que ele ore sempre, o mais que puder, na certeza de que Deus não critica nossas atitudes. Nós é que somos os nossos próprios juízes.
    Fique com Deus.

  46. Olá,
    Eu fui casada por 7 anos quando me apaixonei por outra pessoa. Traí o meu marido, mas não tive sentimentos de arrependimento porque o nosso casamento estava muito ruim. Contei a ele (sem detalhes para não lhe causar mais sofrimentos) e decidimos nos separar. Esse processo todo durou 2 anos. Nesse tempo, não tínhamos mais relacionamento de casal apenas estávamos amadurecendo a decisão.
    Nesse tempo continuei me relacionando com essa outra pessoa. Ele também era casado, se apaixonou por mim e também se separou.
    Hoje estamos juntos, mas o nosso relacionamento é muito pesado. Ele não consegue se perdoar pela traição e por essa razão não consegue assumir para todos que estamos juntos. Ele me disse que não sabe direito o que sente, mas que é um remorso muito grande um sentimento muito ruim.
    Já chegamos a quase terminar tudo por conta disso.
    Em nossa última conversa onde quase terminamos disse a ele que vou ajudá-lo a buscar esse perdão.
    Disse para ele que eu pedi perdão a Deus pelo que eu fiz e que me sinto perdoada e pronta para seguir em frente. Mas eu sofri muito durante estes dois anos que passamos juntos em adultério. Sofri pela ausência dele, por vê-lo com a esposa…por muitas coisas. Fiz terapia e acredito que já paguei pelos meus erros.
    O que posso fazer para ajudá-lo?
    Ele é uma pessoa muito fechada e não gosta de se expor.
    Agradeço muito sugestões ou críticas.
    Abraços

  47. Pamela, você colhe o que você plantou, e está consciente disso. O maior problema é quando não conseguimos assumir que erramos e não nos arrependemos. Aceite que você é falível, que cometeu um erro primário mas é digna de compreensão. Não entendi se você falou a verdade para ele. Seria bom se falasse; é um modo de redimir-se consigo mesma. Perdoe-se, ore por ele e pela sua ex-noiva. Liberte-se. Perdoar é desligar-se, e orar com sinceridade por pessoas com quem tempos diferenças nos eleva. Fique com Deus.

  48. Eu levo comigo há seis meses a culpa, a dor.
    Meu ex-marido tinha uma ex-noiva antes de mim, e eu temia muito que eles voltassem, pois o amava muito. Comecei a mandar a ele e-mails anônimos, se passando pela ex-noiva, falando mal de mim, falando que ia estragar a nossa relação. Ele ficou transtornado, procurou ela e ela afirmou que não era ela quem mandava os e-mails, embora tivesse vontade de voltar com ele. Eu, quando soube que ele foi procurar ela e tiveram contato pessoalmente, terminei com ele. Depois disso, ele e ela ficaram duas ou três vezes, hoje não tem como nos acertarmos mais… nos separamos por um erro que eu comecei a cometer e hoje perdi o amor da minha vida. Não consigo me perdoar por isso.

  49. Gika, eu entendo, sim. Mas você já tem o diagnóstico. Não se cobre tanto. A cobrança interna é salutar, sem ela não vamos pra frente. Eu me cobro todos os dias. Mas ao lado da cobrança e da disposição para melhorar sempre deve haver a compreensão de que provavelmente essa determinação de autoaperfeiçoamento é nova em nós. Não estamos habituados a isso. Passamos milênios desenvolvendo nosso egoísmo; não há como atingirmos a perfeição de uma hora pra outra…
    Não desista; continue se cobrando, mas seja mais compreensiva para consigo mesma. Agradeça todos os dias da sua vida pela oportunidade que está tendo. A gratidão nos torna mais receptivos, inclusive para aprendermos sobre nós mesmos.
    Fique com Deus.

  50. Olá Morel. A culpa é um verdadeiro tormento em minha vida. Sinto culpa em dois sentidos. Primeiro: Pelas inúmeras coisas boas que existem em minha vida. Tenho uma mãe maravilhosa, um marido MUITO evoluído (para os padrões da Terra), moro em uma boa cidade e sou financeiramente segura, ou seja, disponho de certo conforto. Isso tudo me faz sentir culpada pelo fato de tantas pessoas não terem tudo isso.
    O segundo tipo de culpa é aquele por eu errar todos os dias. Eu quero ser melhor, quero exterminar os meus defeitos, minhas más inclinações, mas não consigo. Por exemplo, sou uma pessoa de pouca paciência… todos os dias sou desafiada por situações que exigem paciência e sempre fico irritada. Ou seja, isso me gera um sentimento de culpa ENORMEEEE! Fico me cobrando o tempo todo e me sinto uma verdadeira “criminosa” por não conseguir me sair bem nessas “provinhas”. Você me entende? Às vezes tenho a impressão de que exijo demais de mim… parece que quero atingir a perfeição em uma única existência. Sei lá! Grande abraço e obrigada por nos ajudar com esse texto.

  51. Obrigado por sua resposta! Pela sua atenção. Fiquei tocada com suas palavras, me ajudou muito! Você está coberto de razão!!! Resta eu mudar meus pensamentos para por em prática todos os dias seus sábios conselhos!!! Que Deus continue te iluminando sempre! Grande abraço.

  52. Ana Paula, é um absurdo você se culpar por não ser como alguém gostaria que você fosse, por você não fazer algo que alguém gostaria que você fizesse. A sua consciência é o seu juiz. Você fez algo para prejudicá-los? Você casou de propósito com alguém que os desagradaria só para afrontá-los?
    Você é responsável pela sua vida. E hoje deve dar atenção e cuidados ao seu marido e ao seu filho. São eles que convivem diretamente com você e é com eles que você constrói a sua vida. Não deixe que cobranças de alguém, mesmo sendo pai e mãe, interfiram no seu modo de pensar e agir. É sempre melhor vivermos em harmonia com todos. Mas se essa harmonia não é possível POR ALGO QUE NÃO É CULPA SUA não se deixe abalar e entristecer por isso.
    Seja racional: Você não vai mudar seus pais, mesmo que queira. Então não desperdice tempo e energia com isso. Canalize as suas energias no seu marido e filho e construa uma família feliz, não repita os erros dos seus pais.
    Ore por eles todos os dias. Quando orar, agradeça a Deus por eles. Agradeça como se eles fosses os melhores pais do mundo. Enquanto estiver orando, imagine-os felizes, sorridentes e alegres com você e sua família. Perdoar é desligar-se. Desligue-se do que você não quer para a sua vida.
    Fique com Deus e seja feliz!

  53. Minha família é muito complicada, meus pais vivem brigando desde que me entendo por gente e ficam jogando comigo e meu irmão numa disputa eterna pela nossa atenção. Eu saí de casa pra estudar aos 18 anos e não consegui voltar mesmo após algumas tentativas. Hoje tenho 35 anos, tive meu filho em março de 2013 e achei que as coisas pudessem melhorar com meus pais mas eles não aprovam a escolha que fiz do meu marido por ele não ter dinheiro, assim eles nem ligaram muito para o único neto que têm. Sempre me senti muito culpada por querer ficar longe dos meus pais, tentei me aproximar agora com meu filho mas eles condenaram meu marido. Minha vida me deixa mal e não vou mudar porque eles não concordam. Mas ainda assim não consigo ser feliz com a culpa que sinto de não ser quem eles gostariam que eu fosse, de não estar casada com quem eles imaginam… Choro muito por tudo isso…

  54. Lina, todos cometem erros ridículo e grosseiros algumas vezes. Lamentar não adianta. Aproveite este problema causado por você mesma para fortalecer os seus valores internos. Fique com Deus.

  55. Esta mensagem de perdoar-se é muito linda!!! Que Deus Pai te ilumine hoje e sempre!!!! Traí a confiança de uma amiga que divide a casa comigo falando mal dela pra minha ex namorada e por fim a entreguei de bandeja dando o celular dela pra minha amiga pra testa-lá e depois perdi o emprego dia 03/06… Amigo, estou me sentindo um lixo e muito mal, já perdi 6 kg desde o dia 30/05/13 quando tudo isso veio à tona. Só choro por não acreditar que fui eu quem fez tudo isso e por ciúmes. E não imaginava que minha ex iria contar pra minha amiga tudo que falei dela. Não consigo entender porque fiz isso. Minha amiga “me perdoou” mas está tudo superficial, mas minha ex que poderia ser atual não quer me ver pintada de ouro e ainda fala com minha amiga, talvez até já se encontraram.

  56. Para que esquecer, se é exatamente a lembrança do que você fez que pode lhe proporcionar o aprendizado necessário? João, o espírito imortal não regride, não adquire fraquezas que antes não tinha. Os erros que você cometeu, e que gostaria de esquecer, são os erros que você vem cometendo há séculos. Aprenda com eles. Aprenda com a dor. Reforme-se. não repita os mesmos erros. Se você aprender isso, terá dado um grande passo nesta reencarnação. É por isso que a dor ensina…
    Fique com Deus.

  57. Tive um relacionamento onde o causador do fim fui eu… era tão lindo… e eu pus tudo a perder com traições contínuas… hoje não consigo me perdoar pelo que fiz… sinto tanta saudade de tudo o que eu vivia com ele e o pior de tudo é saber que ele já está namorando outro; e me sinto vazio agora, pois não tenho ânimo para fazer nada. Foi um relacionamento de 5 anos que acabou em um dia e em uma semana ele já estava namorando outro. Tento me perdoar e seguir mas não consigo; não sei o que fazer para reparar o que fiz… simplesmente não vejo como reparar! Sinto imensa vergonha, pois várias pessoas conhecidas ficaram sabendo do que fiz… o que faço pra esquecer tudo isso e seguir? Choro quase todos os dias… não aguento mais…

  58. Eu sempre pensei assim. Compreendo o perdão que você se refere: O perdão sincero. Porque se Deus quer que perdoemos ao próximo, quer também que nos perdoemos. Mas foi muito bom ler esse seu artigo, clareia mais as nossas mentes quanto ao perdão. Muito boa e interessante abordagem, Morel.

  59. Sempre tenho comigo papel e caneta. Não podemos desperdiçar as ideias que nos vêm através da intuição. Anotar essas ideias, como as palavras-chaves a que você se referiu, é a melhor maneira (pelo menos a mais prática) de desenvolvermos a intuição. Obrigado pelo comentário, Márcia.

  60. Interessante que hoje durante a madrugada, no final do expediente em meu trabalho, comecei a pensar e anotei algumas palavras chaves, todas estão bem relacionadas e explicadas em seu texto. Maravilhoso!!!
    Estou refletindo e conseguindo me perdoar.
    Beijos.

  61. Devemos perdoar sempre, Marco. Claro que nem sempre é fácil. Mas como não perdoar a si mesmo? Deus é infinitamente misericordioso. Deixar que Deus se manifeste através de nós é também perdoar-se quantas vezes forem necessárias. E persistir sempre, como você vem fazendo.

  62. Tem como perdoar verdadeiramente mais de uma vez? Digo, eu nao aguento ficar sempre comentendo os mesmos erros, parece que meus comportamentos nunca irão mudar, sei que já começo mal pensando assim, faço esforços para mudar, mas um vacilo, pronto, cai novamente. Mas uma coisa me deixa feliz, eu nunca consegui desistir, não consegui desistir de mudar, não consigo desistir de mim, é como se no fundo eu soubesse que eu vou conseguir, é so uma questão de tempo. Até lá vou me perdoando. rs

  63. Cleuza, essas coisas que chamamos “coincidências” acontecem com frequencia, nós é que muitas vezes não percebemos. Mas o acaso não existe.
    Mas sim, Cleuza, é preciso se perdoar. Em última análise, não existe maldade, o que existe é muita ignorância. E os erros que cometemos são isso, frutos da ignorância. Não medimos consequencias. Mas o sentimento de culpa é prejudicial, não só a você mesma, como aos seus próximos, que de alguma forma, mesmo que remotamente, sofrem as consequencias do SEU sofrimento. Isso não leva a nada. Ninguém sai ganhando. Se você não esqueceu esse erro por todo esse tempo, é porque compreendeu a gravidade do ato praticado. Essa é a primeira lição que você deve aproveitar. A segunda lição é a tentativa de reparação. Há coisas que não têm reparo em si mesmas, mas a vida oferece essas chances de reparo em outras oportunidades, através de outras pessoas. Pense nisso e fique com Deus.

  64. Ah como DEUS é bom. Ele usou você para falar tudo o que eu precisava ouvir ou melhor, ler. Parece até que me conhece a fundo. Não tem uma frase escrita que não serve para mim.Há exatamente 22 anos cometi um erro muito grave. Arrependimento? Enorme. Culpa? Grande demais para ser esquecida. Perdão? Não consigo. Vivo esse erro quase todos os dias desde então em pensamento. Vou colocar em prática tudo isso pois tenho certeza que você entrou na minha vida para me alertar e foi ELE quem permitiu. Obrigada de coração. Abraços fraternos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.