Comportamento, Mídia e sociedade

A vida não é uma luta

armas e flores
Você acha que a vida é uma luta?

Ouça este artigo na voz do autor

Não, a vida não é uma luta. Pensar que é preciso lutar é distorcer o foco.

Você é daquelas pessoas que acham que é preciso lutar para vencer na vida? Você pensa que cada dia é uma batalha e que a vida é uma guerra?

A sua vida é como você pensa que ela é. Pense nela como uma guerra e ela será uma guerra. Pense nela como uma aventura e ela será uma aventura. A cultura norte-americana durante décadas nos torpedeou com filmes de todos os gêneros. O que quase todos eles têm em comum é essa ideia de que é preciso lutar, que a vida é uma grande disputa em que vence o mais forte e onde os fracos não têm vez.

O mundo tem espaço pra todos. E não acho, de maneira alguma, que a vida seja uma luta. A vida pode ser nada fácil, às vezes. Todos enfrentamos períodos de crises que testam nossas forças. Mas não é uma luta. Pelo contrário. A vida é cooperação. Uns precisamos dos outros. Em qualquer modelo de sociedade: capitalista, socialista, monarquista, sempre seremos interdependentes.

A ideia de luta, de batalha diária, de matar um leão por dia, é fruto de um egoísmo primitivo que está entranhado na sociedade. Não estou dizendo que o mundo não seja competitivo. Claro que é. Mas se nós sentirmos a vida como uma luta viveremos constantemente em tensão, preparados para a defesa ou o ataque.

Temos que superar a nós mesmos. Nosso maior empecilho somos nós mesmos, não são os outros. Às vezes temos que competir, às vezes temos que nos espelhar em alguém e procurar superá-lo. Para crescermos. Para sermos melhores. Não para diminuir esse alguém. Mas numa luta, seja qual for, não queremos apenas vencer. Queremos que o adversário perca. Para sobrepujar o adversário tanto faz ser melhor que ele ou fazer dele pior que nós.

Não, a vida não é uma luta. Pensar que é preciso lutar é distorcer o foco. Se a Vontade for suficientemente exercitada, não é preciso luta alguma. O que ativa as nossas forças internas é a Vontade. Quem não tem Vontade firme e forte se apoia no espírito de luta.

Deus está em você. Você permite a manifestação de Deus através de você quando você exercita a Vontade. Você provavelmente já exercitou a sua Vontade algumas vezes. Quem não consegue exercitar a Vontade normalmente, faz isso pelo menos quando chega ao FUNDO DO POÇO.

Conheço pessoas que se referem ao trabalho como uma luta. “Vou batalhar” é o que elas dizem quando vão ao trabalho. “A vida é dura”, não é fácil’, “sempre na batalha”, “suar pra ganhar o pão” e outras expressões menos recomendáveis demonstram a ideia que se faz do cotidiano.

A imagem que você faz da Vida é uma escolha sua. Ela será como você a vê, como você a concebe em sua mente. Temos que vencer a nós mesmos, às nossas fraquezas de caráter, aos nossos vícios de comportamento; temos que vencer desafios no dia-a-dia, temos que progredir sempre, e isso às vezes requer competição. Mas toda essa superação se dá pela Vontade, não pela disputa renhida contra tudo e contra todos.

Cada dia, por mais monótono que possa parecer, nos oferece oportunidades de aprendizado que só percebemos se estamos dispostos a aprender, a aproveitar os ensinamentos que nos chegam, as pequenas chances de transformação.

Sou de um Estado que cultiva como heróis duas dúzias de políticos guerreiros assassinos. Olhando pela História é muito bonito. Mas não precisamos de luta, guerra, batalha, disputa. É muito mais humano, saudável e produtivo desenvolver a Vontade, ser grato a Deus e permitir a manifestação de Deus através de si mesmo.  

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

7 Comentários

  1. Desde quando saí de uma cidade menor e fui para a capital comecei a mudar meus pontos de vista em relação à vida, hoje parece que preciso estar em defesa constantemente, as pessoas procuram o mais fraco para poder descarregar. No meu trabalho, por exemplo, sofro constantemente com ataques de bullying. Hoje consigo me impor mais, ser mais autoritário, mas daí percebo que preciso ficar ligado e com armas na mão para poder sobreviver, é horrível isso, mas infelizmente é fato. Nos finais de semana procuro sempre poder ir na casa de amigos em cidades pequenas aqui perto, logo quando vejo os raios de sol por entre árvores, iluminando por entre as folhas, chegando de encontro com o chão jorrando luz por todos os lados, o sorriso doce dos moradores, a simplicidade, me recordo realmente que a vida é bela.

  2. Ótimo ponto de vista, ótima percepção dos acontecimentos. Temos em comum a análise das coisas no contexto histórico da evolução da humanidade. Qualquer dia destes vou escrever sobre isso, e a sua participação foi de grande valia. Não acompanho noticiários. Tudo o que sei é de ouvir falar. Sei que há exageros por parte de Feliciano. Num aspecto, porém, o defendo. Eu não baseio meus pensamentos e crenças no Antigo Testamento. Ele sim. É um homem da Bíblia. Ele está sendo coerente com o que acredita. E todos têm o direito de expressar sua opinião. Parece que o agravante, no caso dele, é que ele está no lugar errado…

  3. Eu creio que posso responder sobre o Marco Feliciano, em todos os meios existe extremismo e até acredito serem necessários os extremistas, há pouco tempo estava forte o movimento feminista extremo onde as ativistas eram mulheres que por muitas gerações foram dominadas e feitas de escravas dos homens, por isso acredito que as feministas extremas tiveram a sua importância na sociedade no começo do movimento visando destruir todas as bases antigas e enraizadas do machismo, porém sabemos que o extremismo feminino também é destrutivo já que o feminismo é o antônimo do machismo. Com o movimento da diversidade penso que se dá o mesmo, veio com toda força visando destruir as antigas bases da discriminação, mas não vai permanecer com o mesmo extremismo, as coisas vão se encaixando nos seus devidos lugares a longo prazo e todo movimento extremista é destrutivo e isso não foge à regra com a da diversidade, já que esses movimentos sempre vêm botando tudo abaixo e são necessários de tempos em tempos para que a sociedade evolua, eles também vêm acompanhados de certos freios, digamos assim, para que não aconteça uma guerra civil até mesmo. Podemos pensar no Marco Feliciano e nos demais tradicionalistas como sendo esse freio que a espiritualidade permite nesse meio, momentaneamente, até que tudo se encaixe em seu devido lugar, por isso não podemos julgar ninguém, cada pessoa tem a sua função na evolução da nossa sociedade, até aquelas que menos achamos que poderiam. Apesar de tudo que estão falando dele, ele se constituiu um empecilho para que os ativistas da diversidade agissem à sua maneira provocando quem sabe uma queda da sociedade em vez de seu erguimento já que muitos ainda não estão prontos para entender tudo o que está acontecendo e poderiam encolerizar-se provocando quem sabe uma guerra civil por discordar da diversidade.

  4. Marco Feliciano… Desculpa, mas me é pertinente falar sobre essa pessoa… QUE ALMA É ESSA? Não quero julgar, mas perdão se já o estiver fazendo… Eu quero entender qual a contribuição que essa alma traz ao mundo com idéias tão fortes e perturbadoras. É uma questão de conhecimento que faço essa pergunta e nada mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.