Evangelho, Temas abordados

Vós sois a luz do mundo

Vós sois a luz do mundo
Vós sois a luz do mundo

Ouça este artigo na voz do autor

Foi Jesus quem nos disse: “Vós sois a luz do mundo.” Você tem alguma dúvida a este respeito? Você nasceu para brilhar! Você não nasceu pra viver escondido dentro de si mesmo, como um caracol assustado. Você tem qualidades que vem desenvolvendo há séculos; são seus pontos fortes, são os aspectos em que você mais se aproxima da perfeição.

Por que motivo você deixaria de compartilhar com o mundo o que você tem de bom dentro de você? Por mais humildes que sejamos, sempre temos algo a acrescentar, sempre podemos contribuir com alguma coisa única, que só nós temos. Afinal, somos seres individuais.

Sei de pessoas que confundem a humildade pregada pelo Espiritismo com o sacrifício de seus talentos, de seu saber, de sua alegria.

“Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”

Nós somos a luz do mundo, disse Jesus. E não devemos esconder a nossa luz, pelo contrário; devemos fazer com que a nossa luz brilhe e resplandeça, à vista de todos, pra que todos a vejam. Nossa luz são nossos valores internos, são o pouco que conseguimos expressar de Deus, que habita em cada um de nós.

Ao fazermos brilhar a nossa luz, ao expor o que temos de melhor, estamos demonstrando na prática a nossa gratidão a Deus. Quando você dá um presente a alguém, você espera que este alguém use o presente que você deu. Pois nós também devemos usar os presentes que recebemos de Deus. Nossos talentos, nossas capacidades, são dádivas que devemos honrar utilizando-as em benefício dos outros.

Não fomos criados para sermos seres apagados e escondidos. Não importa se temos muitas coisas a reajustar com o passado, não importam as dificuldades que criamos para nós mesmos nesta ou em outras reencarnações. Em qualquer circunstância podemos dar o melhor de nós, sempre podemos fazer melhor.

Você não vai se livrar dos problemas, você não pode apagar o passado. Os erros que você cometeu são fatos estabelecidos. O que você plantou, tem que colher. Mas isso não o impede, de maneira alguma, de fazer brilhar os seus talentos, de superar a si mesmo cada vez mais, de surpreender aos outros e a si mesmo com o seu crescimento espiritual.

Está certo que habitamos um planeta de provas, que temos muito o que aprender, que somos muito pequenos espiritualmente. Mas temos um potencial infinito de crescimento. Somos herdeiros de Deus e somos co-criadores com Ele. 

Busque dentro de si mesmo o seu melhor. Lembre-se de que um dia você foi uma criança. Uma criança com alegrias espontâneas, com prazeres simples, com gosto pela vida. Você não deixou de ser aquela criança que você foi. Você apenas cresceu. Mas a criança ainda vive dentro de você, com a sua simplicidade e confiança na Vida.

Mostre-se, viva, sorria, brilhe e faça brilhar!

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

21 Comentários

  1. Debora, impossível não se sensibilizar com a tua história, mas através das tuas palavras consigo sentir uma doçura nos teus sentimentos, e acho que o maior objetivo você alcançou, não existe revolta, existe amor; não existe abandono, existe acolhida; e principalmente não existe rejeição porque você está buscando. Minha linda, olhe para o teu passado como uma escada que está te levando para o céu, para bem perto de Deus. Um abraço açucarado para você.

  2. Que depoimento lindo, é grande o teu galardão que Deus te ilumine mais e mais querida Débora.

  3. O materialismo é um estágio que você já superou; isso é ótimo. Não acho que isso seja ingenuidade. É sentimento desenvolvido à custa de muito esforço e tempo.

  4. E meu pai me dizia: Béba (meu apelido para meu pai) acostume-se porque na vida você vai ter que lidar com dinheiro senão a gente não vive.”
    Mas eu não sou materialista nem um pouco. Nem nunca fui. Seria mesmo uma índia numa boa …

  5. Obrigada Morel, e não é por nada, mas passei na Fuvest sem fazer cursinho em bacharelado em matemática; apenas estudando sozinha direto porque era a forma que eu encontrava de “sair” de tudo isso; fora o que não convém dizer que já passei pois tem muito mas muuuito mais. Mas estou triste com as lembranças, sabia? Abrir tudo isso me fez chorar agora. Mas desabafei. Pela primeira vez.
    Quanto ao amor, amor é o que mais tenho e sempre tive, Morel. Tanto que meu pai vivia me dizendo que as pessoas confundem… e que era para eu deixar de ser tão ingênua, mas não adiantou muito: sou ingênua até hoje. Lembro também que eu queria virar uma índia e pedia para meu pai (meu grande amigo até hoje) para morar no mato e trocar as coisas e não lidar com dinheiro. rs Mas não sou uma índia. Né?
    Abraços.

  6. Que história de vida…
    E você sempre se esforçando pra tirar nota dez, mesmo em meio a tantas dificuldades. Você deve sentir-se muito bem consigo mesma. Poucos, muito poucos, conseguem perseverar em situações assim. Todos temos nossos reajustes a fazer, mas você certamente deu conta do recado. Muito bom sentir amor por todos, compreender e perdoar, sobretudo a si mesmo.
    Você é uma vitoriosa, Debora.

  7. A minha infância foi rica e louca. Tive minha mãe internada em hospícios, via meu pai pela janela pedindo para entrar em casa e minha mãe não abria a porta, minha mãe se cortava os pulsos, quando alguém ia em casa eu tinha que ficar na sala de som com meu irmão rezando o Pai Nosso até a pessoa ir embora, minha mãe correu nua pelas ruas, meu pai se separou dela e fiquei com meus irmãos, todos mais novos que eu, sozinha, e ainda ia no hospital psiquiátrico visitá-la sozinha em São Paulo com 15 anos… Tinha dores de cabeça terríveis durante anos e não falava para ninguém, ia me apagando como pessoa e malhando nos estudos que era o que eu mais adorava fazer. Estudei muito para tirar nota dez sempre.
    Era assim, e quando nas férias, minha avó me levava para a casa dela no interior, pois sabia o que eu passava. Depois meu irmão teve meningite, era normal e tornou-se excepcional, e hoje com 43 anos tem mentalidade de 6 anos. Ele é meu lindo. Mas sim, aprendi muito na tormenta e sem orientação. Não quero mais falar. Eu devo ter pecado muito outrora. Isso deve ser um tipo de resgate. Sei lá… mas não reclamo. Eu amo minha mãe. E meus irmãos, todos os três. Eu sou a mais velha. 🙂 Isso tudo deixou sequelas em mim. Admito. Mas já superei bem algumas coisas… porque antes eu lembrava e ficava rígido o meu corpo.

  8. Eu também tive a infância e a adolescência muito difícil, porém hoje entendo o motivo. Sabe, era difícil termos comida e hoje entendo por quê, é que já fui um glutão em outra vida e essa fase me ajudou a livrar-me da grutonaria, também fui muito tímido e quase não tive namorada, na verdade casei com a primeira rss, mas isso me livrou de me perder em lascívia, pois reconheço que fui um fornicador em outra vida. Enfim, sei que os germes dos vícios antigos ainda estão em mim, mas as dificuldades pelas quais passei me moldaram o caráter graças ao nosso Pai que me disponibilizou o reencarne desse jeito, talvez como eu mesmo pedi.

  9. Debora, a minha infância foi muito difícil, pobre e trabalhosa. Hoje eu valorizo as coisas boas que ela teve, que também foram muitas. Em tudo há pontos positivos para focarmos nossa atenção.

  10. Então… apagar o passado para mim é deveras difícil mas estou trabalhando isso porque sim; fui criança “com prazeres simples, com gosto pela vida” porém não tão feliz. Minha infância foi apagada, tanto que a deletei de mim. Mas bola para frente.
    Gostei do que o Rodrigo, o Samuel e a Silvia escreveram. Muito lindo.

  11. Obrigado, Silvia, por perceber a verdade dessa afirmação de Jesus e por reconhecer que somos nós que, às vezes, a escondemos.

  12. Sempre achei essa passagem muito linda, onde Cristo nos afirma sermos luz. Pena que em muitos momentos das nossas vidas a escondemos debaixo de uma insegurança, de uma timidez, de medos que criamos por não acreditarmos que somos capazes, e consequentemente atravessarmos momentos de completa escuridão. Obrigada Felipe por mais uma vez irradiar sua luz ate nós.

  13. Eu que agradeço o seu carinho, Samuel. Todos nós somos instrumentos de Deus quando nos propomos firmemente a isso. A luz está em todos nós, é Deus em cada um.

  14. Estou acompanhando há alguns meses o site, acho que você, Morel, é uma pessoa que tem muita luz, servindo com um “pequeno sol”, que recarrega as energias alheias voltando assim, a brilhar como antes… quando crianças. Que Deus e os bons espíritos o iluminem sempre. Obrigado.

  15. Se você quiser posso mandar por e-mail. Poderá dar um melhorada com o seu conhecimento talvez possa me ajudar com os erros.

  16. Terei o máximo prazer em ler o que você vem escrevendo, Rodrigo. Quem sabe não está surgindo aí um colaborador para o site?

  17. Eu estou começando a por em prática isso. Sabe aquele conselho que você me deu de começar a escrever as minhas idéias? Pois é, já estou na oitava página e quanto me surpreendi comigo mesmo, pois as idéias fervem na minha cabeça. Estou muito feliz mas sei que não são minhas todas essas ideias porque me sinto inspirado pela espiritualidade. Obrigado, Morel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.