Reencarnação, Temas abordados

Lei de causa e efeito e os compromissos cármicos

Deus não nos dá um fardo que não possamos carregar

Ouça este artigo na voz do autor

Todos nós temos os nossos compromissos cármicos. E nascemos com todas as condições necessárias e ajustadas para atendermos aos princípios da Lei de causa e efeito.

Você se considera uma pessoa forte? Nos períodos de turbulência da vida, você consegue dar conta do recado?

Quando tiramos os olhos de cima do nosso próprio umbigo, podemos perceber que há pessoas com muito mais atribuições que outras, e podemos ver que as que mais fazem não são as que mais se queixam. Acho que foi Paulo, numa epístola aos Coríntios (epístola quer dizer carta, que é o nosso e-mail hoje… dá pra imaginar Paulo mandando um e-mail pros Coríntios? E Coríntios é um pessoal lá da Grécia, não tem nada a ver com o time…), Pois parece que foi o Paulo que disse que Deus não nos dá um fardo que nossos ombros não possam carregar.

E é por aí. Cada um com suas atribuições, cada um com seus compromissos cármicos. Esses compromissos que trazemos de outras existências foram gerados por nós mesmos, são pequenos ou grandes equívocos que cometemos e que agora devem ser reparados. O hoje é o momento mais propício para reparar erros do passado. Nascemos com todas as condições necessárias e ajustadas para atendermos aos princípios da Lei de causa e efeito. Dificuldades financeiras, problemas familiares, possíveis enfermidades, tudo o que trazemos na bagagem foi colocado em nossa mala existencial por nós mesmos, então não adianta esperneio e choradeira.

Que coisa ridícula viver se lamuriando! É claro que não usamos esses termos na frente dos chorões, eles precisam de outra abordagem, precisam se fortalecer para perder a pena que sentem de si mesmos. Mas não podemos nos deixar contagiar. Pena é um sentimento inútil, não resolve nada. Podemos fazer algo? Façamos esse algo, então! Mas ter pena não adianta, é um sentimento que gera energias pesadas, densas.

Você deve se sentir um privilegiado pelo fato de a vida exigir muito de você! Esteja certo de que a vida não lhe exigiria esse esforço se não pudesse contar com você. A vida só exige muito daqueles que têm a capacidade de vencer, de dar conta do recado. Nos processos que regem a reencarnação, só nos é proposto/exigido/sugerido fazer aquilo que está de acordo com nossa capacidade, de acordo com nossas forças.

A dramatização dos problemas é responsável por grande parte do peso do fardo que carregamos. Muito desses “fardos” já poderiam ter sido deixados em qualquer lugar, mas às vezes insistimos em carregá-los conosco. São as dores de estimação, as antigas ofensas, as contrariedades que não foram superadas. É preciso perdoar, relaxar, ser feliz.

Mesmo pessoas caridosas, humildes, de princípios morais sólidos, cometem erros banais como esses, de passar a vida carregando pesos inúteis. Quando não são reencarnacionistas, não entendem a simplicidade e implacabilidade da Lei de causa e efeito, e chegam a duvidar da Justiça Divina. Realmente, sem compreender a reencarnação, tudo parece injusto.

Não estou querendo dizer que somos melhores ou mais certos por compreendermos a reencarnação. Mas se não fosse por esse entendimento, eu, de minha parte, seria ateu, e convicto. Não há Justiça se desconsiderarmos a pluralidade das existências. Mas isso é pessoal; há ateus e religiosos de todos os tipos que carregam seus fardos com alegria, sem lamúrias e lamentações. E é isso o que importa, né? Alegria e responsabilidade.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

22 Comentários

  1. Morel, boa noite. Primeiramente, parabéns pelos textos, tenho acompanhado o seu trabalho e só tenho a agradecer.

    Sobre o tema abordado, tenho passado por uma situação que a única explicação cabível é que se trata de um relacionamento cármico e minha indagação é o seguinte: como a doutrina espírita nos orienta quando devemos prosseguir e deixar tal situação cármica? Isso é possível?

    Por um tempo, orava muito por essa pessoa e me afastei, todavia, sinto-me, por diversas vezes, impotente. São sonhos que me aproximam, são tao reais, que o peso do afastamento parece que dói mais em mim, pois sinto que ele também sente que nossa convivência não é possível. Ele vive na linha tênue, ora muito próximo, ora distante, indiferente a tudo.

    Por isso vejo essa necessidade de prosseguir, por mais que tenha sido uma das relações mais turbulentas que vivi, sinto também que foi a que mais me aproximou do meu eu, a que numa análise ampla, me trouxe mais conhecimento próprio. Mas agora sinto um desejo profundo de seguir.

    Obrigada, desde já.

  2. Marlène, não vou entrar no mérito do que essa taróloga disse. Carma quer dizer ação. A cada ação corresponde uma reação. No tocante aos relacionamentos, portanto, se houve ações equivocadas, o resultado disso são reações que temos que reparar. Mas isso não determina, de jeito nenhum, se temos que permanecer com essa pessoa ou não. Cada caso é um caso, e tudo pode ser alterado. Há relações que realmente são muito complicadas, pelas características das pessoas, não pela relação em si.
    Desaconselho totalmente a consulta a qualquer forma de “consulta ao futuro”. Isso nos condiciona. E se a pessoa que faz essa previsão estiver totalmente equivocada? Mesmo assim ficamos condicionados à sua “previsão”. Você deve decidir por si mesma, de acordo com a sua razão e os seus sentimentos, o que serve para você e o que não serve.

  3. Olá 🙂
    Andava à procura de respostas, depois de uma taróloga me dizer que o meu relacionamento com a pessoa de quem eu gosto era cármico e me deparei com esta página. O artigo é muito bom, mas continuo com algumas dúvidas. Durante a minha pesquisa o que encontrei dizia que todos os relacionamentos cármicos de vidas passadas são devidos a situações que não se conseguiram resolver e que vêm para vidas presentes para se resolver. Até aí tudo bem, só que frisavam bastante que a única solução era perdoar, e seguir em frente sem essa pessoa. O que queria saber é se tem de ser assim? Se não há uma possibilidade de fazer com que o carma seja alterado para que a gente consiga superar o que nos causa agora dor em felicidade. Se não dá para alterar num final feliz, juntos. Ou pelo menos em amizade. Ou a única solução do carma é mesmo por um fim?
    A minha relação com ele sempre foi atribulada, ora estamos bem, ora passamos dias ou meses sem falar, e assim que nos vimos ficamos logo atraídos e bem. Mas acima de tudo somos amigos e tenho pena pelo menos que a amizade terminasse por ser cármica. Beijo.

  4. Dinalva, “carma” é uma palavra do sânscrito que quer dizer “ação”. A cada ação corresponde uma reação. Repense o seu conceito de “relação cármica”. Independentemente de duas pessoas terem relações desde outras existências ou não, compete a cada um, através do seu livre-arbítrio, decidir se quer levar uma relação adiante ou não. Não reencarnamos para sofrer, reencarnamos para aprender. Se uma relação, por mais difícil que seja, é necessária para o seu aprendizado, o melhor é aprender com ela. Mas isso é você quem deve analisar.

  5. Gostaria de saber se quando suspeitamos estar em uma relação cármica devemos desistir dela mesmo sentindo que não é fácil se afastar da pessoa porque há amor e algo na personalidade da pessoa que faz com que você a admire – Mas não quero continuar sofrendo.

  6. Karen, não temos missão. Quem tem missão são espíritos mais evoluídos, nós temos, no máximo, tarefas.
    Mas não podemos encarar as relações familiares como tarefas. São oportunidades de reajuste e de aprendizado. Nossos lares não são formados por acaso. São reunidos os espíritos que precisam rearmonizarem-se consigo mesmos e uns com os outros. A palavra carma que dizer ação, e a toda ação corresponde uma reação. É provável que o seu envolvimento com o seu pai tenha se iniciado bem antes desta atual existência. Não há injustiça, não há inocentes. Muitas vezes somos corresponsáveis pelo fato de algumas pessoas terem se tornado difíceis, como é o caso do seu pai. Então não se sinta injustiçada. Se vocÊ nasceu como sua filha é porque contribuiu de algum modo para que ele se tornasse assim ou porque ele é o tipo de pai que você merece ou precisa, no seu atual estágio evolutivo, para se desenvolver espiritualmente.
    Mas isso não quer dizer, de modo algum, que você tenha que aturar tudo da parte dele. O seu dever moral é estar disponível para ajudá-lo, mas para isso ele precisa querer ser ajudado. Nem sempre nossos cuidados extremados para com os mais próximos são benéficos.

  7. Gostaria de entender algumas coisas que acontecem na minha vida em relação ao meu pai! Ele sempre foi ausente em nossas vidas, vivi em um lar desajustado devido às brigas dos meus pais, ele bebia muito, e sempre agredia a minha mãe! Vivi vendo isso tudo, e além disso, sempre foi um péssimo pai, faltando com amor, amizade e até mesmo alimento, onde minha mãe trabalhava para sustentar-nos. Há 3 anos meus pais se separaram devido a uma outra mulher, ele humilhou muito a minha mãe, e se desfez de mim e do meu irmão. Minha mãe foi embora da cidade e eu já morava fora (devido aos estudos), apenas meu irmão ficou na mesma cidade. Nesse período a mulher que ele estava o abandonou e ele começou a trabalhar com meu irmão, mas devido a mentiras (como fez a vida toda) ele foi mal caráter com meu irmão. Desde então ele foi morar com os irmãos dele, pessoas que ele se afastou a vida toda. Sempre que podia, ajudava financeiramente, dava apoio moral, atenção, carinho, mas sempre lembrava de mim quando precisava de algo. Atormentou minha mãe por algum tempo e depois só a mim. Comecei até a ser acompanhada por uma psicóloga para me ajudar a me relacionar com ele. Ele sempre mentiu, nesse período disse que não era mais meu pai umas 4 vezes. Fala mal de mim, do meu irmão e mãe! E agora depois de fazer tanta besteira eu disse que era a última chance dele, e ele simplesmente não me liga mais, nem me procura! Bom, hoje eu não sofro mais devido à sua ausência, nem a forma que ele nos trata. Mas de acordo com o espiritimo, ele era um carma para nossa família, mas ele escolheu se afastar de nós, e olha que sempre demos amor a ele. Na visão espírita, eu abandonei? Ou já cheguei e tenho que deixá-lo seguir sua colheita sozinho? Às vezes me pergunto se minha missão acabou aqui, mas é justo sofrer tanto com a injustiça e rejeição de uma pessoa, só porque ele é meu pai e acho que tenho obrigação de estar ao lado dele, mesmo quando ele me renega e se afasta de mim? Por favor, me ajude! Obrigada.

  8. Quase todas as nossas relações íntimas são cármicas. Não há meio metódico de reconhecer se a relação já vem do passado ou não. Isso não nos seria útil, pois poderia nos induzir a reservar tratamentos diferentes para as pessoas.

  9. Bianca, apenas procure perdoar. Por mais que seja difícil estar de algum modo ainda ligada a ele, perdoe; perdoar é desligar-se. O não-perdão não permite que você se liberte da mágoa. Ore por ele; você vai se sentir melhor. Fique com Deus.

  10. Olá, vivi um relacionamento cármico com um rapaz, como já me foi sabido através da espiritualidade, que consistia nele me menosprezar e me usar. Na época, eu não percebia isso com clareza, me sentia presa a ele e sem amor-próprio para reagir, até que um dia, saí dessa relação e fiquei me sentindo muito mal. Depois de 2 anos, ele me procurou querendo reatar uma amizade e acabamos fazendo um contrato de prestação de serviço, ele conseguiu mais uma vez me enganar falando que gostava de mim e queria voltar… eu acabei me permitindo acreditar nele e até a tentar uma nova relação. Depois dele me ver cedendo, me rejeitou por mais uma vez e me humilhou com palavras como nunca havia feito, chegando a assumir que nunca gostou de mim e que mentia para mim. Nessa época, eu já havia feito o pagamento da prestação de serviço e tenho que suportá-lo como meu advogado. É muito difícil para mim, hoje sei que ele não é uma pessoa boa e o afeto se acabou, transformando-se em decepção e raiva. Foi bom saber a verdade, mas me sinto mal comigo mesma por ter sido tão tola e acabo por desejar o mal a ele.

  11. Ana, carma quer dizer ação. Para os espíritas é a Lei de ação e reação. Relação cármica seria aquela gerada no passado, em outras reencarnações, com algum desajuste que precisa ser rearmonizado hoje. Por que deveríamos desistir de uma relação que é uma oportunidade de reajuste?

  12. Gostaria de saber se quando suspeitamos estar em uma relação cármica devemos desistir dela mesmo sentindo que não é fácil se afastar da pessoa porque há amor e algo na personalidade da pessoa que faz com você a admire.

  13. César, sua participação neste espaço é sempre de grande relevância. Comentários como este me permitem por alguns momentos ser apenas leitor do site. obrigado, César.

  14. Prezado amigo Felipe, prezados amigos comentaristas, aqui mais uma vez vos escreve um amigo de sempre que, por motivo de quefazeres outros, tem por vezes, a justa necessidade de ausentar-se deste honrado espaço dedicado aos seus humílimos comentários. Bem! Caríssimos companheiros, o tema do nobre colunista, nos invade a alma, porque: perquire as causas, analisa os efeitos e, acima de tudo, abranda as revoltas; sim, uma vez que nos leva a trilhar a vertente das contravenções que permeiam nossas vidas, conduz-nos ao resignado silêncio, ilumina os muitos cantos obscuros do nosso raciocínio e, desabrochando a entravada razão, faz-nos mais coerentes aos desígnios do Eterno, mais compreensíveis, mais humanos; qualidades contidas no conjunto universo da harmonia geral, preceitos da caridade largamente difundida no evangelho de Nosso Mestre Jesus. Uma vez compreendida que, a causa de nossos sofrimentos, não encontrando motivação na atual encarnação, esta está vinculada a uma outra existência; deste modo, passamos de uma vivência passiva para uma vivência ativa; enterramos de vez, o pessimismo e damos vida ao otimismo. Amigos, ah! Meus caros amigos, a verdade é que o nosso passado insiste em não ficar para trás; não nos esqueçamos que somos herdeiros de nós mesmos; colhemos apenas os frutos que insensatamente, semeamos em algum lugar da longa estrada e, se não nos harmonizamos com esta colheita, é porque somos ainda, espíritos recalcitrantes nas largas vias da ignorância; elos entre fazes mais densas ou menos densas de orgulho na busca contínua da nossa evolução. Um abraço a todos, César.

  15. Xana, o que eu observo é que nosso estado de espírito influencia as pessoas ao redor. E muito. No ano passado me dediquei a fazer vários testes neste sentido e os resultados foram surpreendentes, inegáveis. Não estou negando o fato de que algumas dessas pessoas possam de fato ter pensado algo menos lisonjeiro a teu respeito. Também não posso negar que, sob forte emoção, “percebemos” reações que nem sempre correspondem à realidade. É o caso de alguém furioso que vê uma pessoa rindo e pensa que está rindo dela.
    Mas não há como negar a influência que exercemos no meio. Cada um de nós é um universo. Se o teu universo passa por um momento turbulento, é natural que tudo que pertença a ele (as pessoas com quem tu convives, segundo a visão que tu fazes delas) reflita essa turbulência.
    É horrível ser criticado. Sou um crítico da crítica. E sei como dói o ego ferido (nos achamos muito importantes, não nos permitimos falhar). Mas é só um erro, provavelmente tu já cometeste outros mais graves em tua vida que hoje não representam nada ou quase nada. Também não será o último…
    Procura entender aqueles que te criticaram, procura algo de bom neles e valoriza isso. E o resto é com o tempo, no final tudo dá certo. E, acima de tudo, não seja tão severa contigo mesma. É o pior erro que cometemos, achar que somos infalíveis. Os erros mais graves que já cometi se deram a isso. Fica com Deus!

  16. Oi Morel, vou aproveitar o teu post para desabafar.
    Não desempenhei bem uma tarefa que me foi designada, fui muito criticada e fiquei arrasada. Parece que as pessoas que antes me olhavam com admiração, começaram a me desdenhar.
    Não sei se isso é verídico ou resultado de minha imaginação, ou meu ego ferido.
    Enfim, estou tendo a oportunidade de redimensionar o meu erro, aprendendo que posso errar e que não devo supervalorizar meus erros.
    Estou precisando muito me perdoar, relaxar e ser feliz novamente.
    Tomara que amanhã eu já consiga fazer isso, hehe.
    Abração.

  17. Zé, você tem capacidade, sim. Quando você quer alguma coisa mais do que as outras coisas, você consegue. Continue tentando, uma hora dessas você vai cansar de resistir ao que sabe que é certo e vai superar esses vícios facilmente. O importante é não desistir. Desistir é para os fracos, e nós somos fortes. Obrigado, Zé.

  18. Puxa que alegria estou sentindo de me deparar com este texto lindo, tenho minhas tendências espirituais, mas não consigo ser um espírita convicto da doutrina, não tenho capacidade de me libertar de muitos vícios da matéria, vivo tentando, quem sabe um dia eu não consiga, pois acredito que tudo pode naquele que nele crê.
    Abraços do Zé.

  19. Terezinha, bom dia! Todos nós temos forças de que nem sequer suspeitamos, e só as experimentamos justamente nos momentos mais difíceis. Você tem razão em se considerar vitoriosa, se encontrou forças para superar os problemas sem se revoltar. Um abraço, Terezinha.

  20. Bom dia!!!!Felipe, diante do que você colocou…eu às vezes me surpreendo de onde vem tanta força que por diversas e constantes provas tive que passar em minha vida…Só por uma força sobrenatural …eu poderia ter tido toda força que até hoje tive…Fico olhando pra minha vida …até hoje e me sinto muitas vezes uma vitoriosa..não que eu seja tão forte…ao contrário…sempre fui é muito sensível..mas quando as provas chegam… as forças..chegam juntas..isso eu sou testemunha viva…Consigo por todas elas sair mais forte…com mais sabedoria..lucidez…em fim saímos é fortalecidos…Por isso afirmei vitoriosa…com a força que vem do alto…habitar em mim ..me fornecendo toda força que necessito…Somos mais que vencedores NAQUELE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.