Comportamento, Temas abordados

A ambição numa visão espírita

ambição

Morel Felipe Wilkon

Ouça este artigo na voz do autor

Todos somos defrontados, em algum momento da vida, com a nossa própria ambição. Numa visão espírita, a ambição pode ser positiva, pode nos levar para a frente, pode ser o estímulo necessário para o nosso desenvolvimento. Sem ambição, não progrediríamos, estaríamos condenados à estagnação. Do mal aparente, que é a ambição, surge o estímulo à pesquisa, que esclarece o espírito.

Acontece que, falíveis que somos, facilmente nos deixamos dominar pela ambição, e com ela vem a sede de poder, a busca por status, o apego a títulos, cargos, posição. E isso, no caso de uma pessoa obstinada, consome uma reencarnação inteira.

Dai a César o que é de César, a Deus o que é de Deus

avareza
Cuidado com a ambição…

Acho que é preciso muita honestidade para consigo mesmo para deixar bem claro o que pretendemos com a nossa ambição, o quê ambicionamos. Algumas pessoas – poucas, muito poucas – têm missões para as quais trazem, em sua bagagem milenar, as características necessárias. Pessoas com grande capacidade de liderança e ideais determinados, destinados a oferecer benefícios à coletividade. Outros, embora talvez não tenham como meta serem úteis aos outros, exercem de tal forma construtiva e ética a sua carreira, função ou profissão, que adquirem confiança em si mesmos, aprimoram suas qualidades e acabam se tornando pessoas melhores, espalhando sua positividade no seu círculo de convívio.

Você pode harmonizar e pacificar as pessoas

O que ocorre com a maioria, entretanto, é unicamente a obediência ao egoísmo. A vontade de ser importante, de aparecer, de se sobrepor aos demais, de ser reconhecido, respeitado, paparicado, elogiado, acatado, admirado, até invejado. Muitos dos que aparentam serenidade e resignação são ambiciosos fracassados. Não tiveram capacidade de perseverar, por falta de talento ou coragem, e preferiram vestir a máscara da simplicidade.

Cada um faz da sua vida o que bem entender. Mas quem está desperto para a realidade do espírito imortal, quem sabe que estamos aqui para adquirirmos disciplina, para angariarmos conhecimentos e experiências, para lapidarmos nossos sentimentos, para vencermos nossas falhas de caráter e, principalmente, para buscarmos Deus dentro de nós, este não pode perder seu tempo e despender as suas energias em ambições terrenas.

Sempre surgirão oportunidades de fugir ao programa original. Quem está desperto para as coisas do espírito já reencarnou com o propósito de voltar-se para dentro de si mesmo, de procurar o autoconhecimento, de contatar, mesmo que timidamente, com o Deus que habita dentro de si. A Vida há de apresentar o que na oração que Jesus nos ensinou é chamado de “tentação”, que são os problemas, as provações que devemos enfrentar e vencer se quisermos continuar no caminho.

Não nos deixeis cair em tentação

A auto-honestidade é indispensável para delimitar com clareza até onde vai a força moral, até que ponto é possível resistir aos chamados do mundo, aos encantos da materialidade, à ambição que acompanha o espírito humano. Quem não se garante não pode se expôr ao perigo. Para preservar a caminhada pode ser necessário evitar ambientes, pessoas ou situações capazes de despertar e provocar demasiadamente a ambição terrena.

Isso pode parecer covardia, uma espécie de fuga das dificuldades. Mas há diferença entre evitar problemas e fugir deles. Há diferença entre evitar a proximidade de um animal feroz, desviando do seu caminho, e provocá-lo para depois fugir.

Jesus teve, entre seus seguidores, publicanos e prostitutas. Publicanos eram os cobradores de impostos, representantes de Roma, o dominador detestado. Há um forte simbolismo nas figuras dos publicanos e prostitutas; a sede de dinheiro e o sexo desregrado. Para Jesus isso não representava perigo algum. Ele não se contaminava com o contato de quem quer que fosse, pelo contrário. Contagiava a todos que estivessem abertos ao seu ensino de amor e de verdade.

Mas não somos páreo pra Jesus. Nos deixamos influenciar pelo meio em que convivemos. E, por isso, um descuido maior pode acarretar na perda da oportunidade de elevação moral em troca de uma aventura material envolvendo o poder, a fama, a ilusão da matéria.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

15 Comentários

  1. Boa Noite Morel! Parabéns pelo seu talento, que é a inteligência e as palavras que contaminam a todos. Que Deus sempre abençoe você.
    Conheci você através do YOUTUBE. Me encanto com suas palavras sinceras e profundas, que levam mensagens de paz e lição de vida. Você é bem direto em suas palavras que são muito verdadeiras, eu adoro ouvir o que você fala… concordo com tudo. Adorei em especial a palestra que você fez sobre o adultério. Passei e estou passando por uma fase difícil da minha vida, já me recuperando, de uma grande traição que sofri do meu ex-marido. Mas Deus é maravilhoso, tem me abençoado, a mim e ao meu filho. A vida é assim, cheia de lições e aprendizado. Agradeço muito a você, e desejo tudo de bom a todos que participam do seu site da Internet. Que Deus abençoe a todos, é o que deseja – Sandra M.

  2. Olá Morel, mais uma vez belas palavras! Este texto está exactamente de acordo com o que eu penso. Outro dia me perguntaram o que eu queria da vida e como eu hesitei por alguns momentos, disseram status. Eu disse logo que não. É o tipo de coisa que não desejo de maneira nenhuma, assim como fama ou riquezas. O que eu quero é ser feliz, ter a possibilidade de trabalhar em algo que eu ame, que me permita ajudar os outros mesmo que de forma indirecta e que me permita viver com dignidade e conforto. A relação que a nossa sociedade tem com a ambição é muito nociva. Se não nos enquadramos nessa ideia da competição, de sermos superiores uns aos outros por pura ambição, olham para nós como se tivéssemos algum defeito grave. O Espiritismo me abriu os olhos para muita coisa, uma delas foi aprender a ver o quão iludidos somos por coisas que não são minimamente importantes, apenas nos desviam do caminho da evolução. Actualmente somos definidos pelo que temos não pelo que somos. É triste ver isso mas espero ver a mudança deste paradigma para um de maior solidariedade, humanismo e amizade. Não precisamos da ambição para avançar, o amor faz isso maravilhosamente.

  3. Olá Georgiana, fico feliz em saber que você compartilha do mesmo pensamento. É difícil ser espírita porque nos cobramos muito, a todo tempo, o que para a maioria das pessoas é normal para nós é imoral, já comentei isso com o Morel. Já dizia Chico… “Reconhece-se o verdadeiro espírita pelo esforço que faz para superar suas más inclinações.” Um grande abraço!

  4. Bom dia a todos e em especial para Morel e a Josiane. Me direciono a você por ter me identificado muito com seu comentário, aonde permanecer nessa época em que as pessoas não priorizam valores de dentro e estes sim são os reais, e preferem seguir por caminhos de ostentação, exageros, aonde até mesmo nos criticam por sermos não os donos da verdade, mas por sermos pessoas que conseguimos desenvolver uma vontade especial de nos conhecermos e realizarmos nossa reforma íntima a fim de podermos caminhar rumo à nossa evolução. Também concordo em planejar o futuro com cautela e amor, sou mãe adotiva, meu filho é minha responsabilidade de caráter, amor e cuidados, foi a mim confiado por Deus que sabia da minha ânsia em ser mãe. No seu aniversário de 1 ano fomos criticadas por não ter bebida alcoólica na festinha, enfim…
    “Ser espírita não é fácil”, mas quem disse que ser bom é fácil??? Se até nosso maior exemplo e modelo JESUS foi perseguido???

    Beijos a todos!!!
    Amo esse espaço aonde cresço e aprendo muito.

  5. Carlos, eu que agradeço pelo seu retorno. Cada dia é uma oportunidade de recomeço, cada dia novo que temos pela frente é prova da misericórdia de Deus, que sempre nos oferece novas chances de recomeço.

  6. Josiane, não há nada de errado em possuir bens, o errado é ser possuído por eles. As redes sociais e a internet, de um modo geral, nos proporcionam o contato, mesmo que remoto, com grupos semelhantes, com pessoas com quem temos afinidades. Nos unimos em pensamento.
    Fique com Deus.

  7. Olá Morel, esse assunto tem muito a ver com a reforma íntima que estamos sempre falando… No meu caso, hoje não tenho muitas ambições, mas confesso que tento me “preparar” para ter uma velhice um pouco mais tranquila, não acho que isso seja errado porque não deixo de olhar para o “horizonte”, apreciar as coisas e procurar evoluir moralmente devido a este fato. Outro fator, como já falamos também, é a influência da mídia, nas redes sociais, as pessoas sentem necessidade de se sobrepor, de estar em “ênfase”, há uma concorrência, uma necessidade de mostrar que se fez a melhor viagem, que se tem o melhor casamento do mundo e por aí vai… Se você postar em uma rede social, algum pensamento, que leva a uma reflexão, as pessoas não leem, não se interessam e isso já é uma boa representação dos interesses atuais, assim como os programas na TV, como o Big Brother, Novelas, tudo isso infelizmente acaba servindo de parâmetro para uma boa parte das pessoas. Sabe Morel, ser espírita não é fácil, eu já me senti excluída de “grupos” por não ter os mesmos interesses, na verdade certas coisas não me fazem falta, mas fico triste de ver como é difícil encontrarmos grupos semelhantes. Obrigada pela reflexão. Abraços!

  8. Obrigado Morel pela reflexão que você me deu hoje com esse texto fantástico que me fez pensar sobre minha acomodação diante da vida. Hoje mesmo mudarei meus pensamentos, minhas atitudes. Obrigado e bom dia a todos.

  9. Morel, os seus dois últimos artigos publicados me fizeram reflexionar sobre o que eu entendia por “Não nos deixeis cair em tentação” ou seja, agora entendo que, não me deixes cair em tentação, não tem nada a ver com o pleito das minhas ambições, a busca por status, o apego, títulos, cargos, posição e poder mas sim, não me deixes cair diante de minhas provações.
    que Jesus nos abençoe a todos.

  10. É tão importante fazer essas reflexões pelo contexto de hoje, que é ”querer ser famoso”, aparecer na mídia e, como você falou, Morel, ser invejado. Principalmente quando tratamos de jovens, que crescem acompanhando o círculo ”pop”.

  11. Eu não tenho ambições de me tornar rica e ganhar muito dinheiro. Fico satisfeita em ter o suficiente para viver bem, mas às vezes penso ser acomodada, que eu deveria ser mais ambiciosa e querer mais. Não sei qual o melhor, já que as pessoas respeitam mais quem tem dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.