Comportamento

Opinião formada sobre tudo

Opinião formada sobre tudo
Opinião formada sobre tudo

Ouça este artigo na voz do autor

“Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.” Não vou tão longe como o Raul Seixas, mas também não tenho opinião formada sobre tudo.

Como você encara as opiniões diferentes da sua? Você aceita? Analisa? Pensa a respeito? Quando um leitor elogia algum artigo que escrevo, geralmente diz mais ou menos assim: “Parabéns, eu penso exatamente como você!”

Este elogio é para mim ou para ele mesmo? Nós parabenizamos quem pensa como nós. Porque consideramos a nossa opinião muito importante. Então, quando aparece alguém que tem a mesma opinião que a nossa, esse alguém deve ser muito especial. Merece os parabéns!

Não é mais ou menos assim? Devo esclarecer que não sou um homem imune à vaidade. Gosto de ser reconhecido pelo meu trabalho. Além disso, sou totalmente favorável ao elogio, sou um entusiasta do elogio.

Mas não é com os elogios que eu costumo aprender. Nem com as críticas. Não acredito muito nesse negócio de crítica construtiva. Crítica é crítica, e ninguém gosta de ser criticado. Não aprendo com elogios nem com críticas. Aprendo com as opiniões diferentes das minhas.

Quando alguém sabe expor seu pensamento de maneira clara e objetiva, sem a pretensão de fazer prevalecer a sua verdade, esse alguém está me fornecendo campo de pesquisa, material de estudo, trabalho para o pensamento.

Não estamos acostumados a aceitar as opiniões dos outros. Quem tem o costume – péssimo – de discutir, dificilmente, muito dificilmente, consegue analisar a opinião do seu contendor oponente. Quem discute nem sequer cogita de avaliar a opinião do outro. O objetivo da discussão não é chegar a um denominador comum, não é alcançar o consenso. O objetivo da discussão é fazer prevalecer a sua opinião. E ponto final. Se você acha que não é assim, procure lembrar das últimas vezes em que você discutiu.

As opiniões diferentes das nossas são as melhores oportunidades de crescimento de perspectiva, de ampliação dos horizontes cognitivos, de empatia e amadurecimento emocional. Não é com as opiniões iguais às minhas que eu aprendo. Adoro ouvir opiniões iguais as minhas. Me sinto inteligente. Mas o que elas podem me acrescentar, se eu já as conheço?

É com as opiniões diferentes que eu aprendo e me desenvolvo. As opiniões diferentes, se as admitimos como hipóteses de verdade, se ousamos pensar a respeito delas com frieza e imparcialidade, nos ensinam sobre o assunto em si, sobre a pessoa que emite a opinião e sobre nós mesmos. Principalmente sobre nós mesmos.

O aprendizado começa no recebimento da opinião. Como somos egoístas e gostamos muito de estar com a razão e de posse da verdade, não é coisa muito fácil receber uma opinião diferente. Só o estudo da nossa reação frente à opinião diferente já é uma importante fonte de autoconhecimento. Estudar cuidadosamente  o que sentimos, como sentimos e por que sentimos tais reações.

E depois aceitação de que a outra opinião é válida, é digna de consideração, é possivelmente mais acertada que a sua. E, se for o caso, a sua adoção. A troca da sua antiga opinião pela nova.

Opinião diferente não é necessariamente divergente. Diferentes visões sobre determinado assunto podem convergir para um ponto em comum. Não é preciso que todos tenham a mesma opinião, não é necessário que todos pensem da mesma forma sobre determinado tema. Todos saem ganhando se o enfoque estiver na convergência e não nas divergências.

Aceitar opiniões diferentes é um exercício prático de humildade. É o reconhecimento da falibilidade de nossa condição humana.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

13 Comentários

  1. Estou aprendendo isso. Mas, infelizmente, parto pra discussão. Mesmo sem levar a sério, eu altero a voz. Dominar isso é um dos meus desafios.

  2. As pessoas quase não escutam o que o outro diz (falar mais do que escutar).
    Reparo que a maioria das pessoas não quer saber como você está, e sim contar a sua estória, quase sempre motivada na sua própria dor (pessoas que pensam muito em si).
    Discutir um assunto é sempre algo que provoca ressentimentos, porque quem fala pensa ter razão e quem escuta quer ser admirado pela contrariedade de opinião.
    Trocar ideias a respeito de um mesmo assunto é sempre importante, para isso precisamos ter respeito, conduta e principalmente conhecimento do assunto.
    Bom tema este teu.
    Paz e luz para você também!

  3. Morel, lendo teu texto e refletindo, fica claro que somos acostumados a discutir, pois em regra, no dia-a-dia, sempre tem um pessoal tentando te “empurrar” um produto ou algo que você não necessita.
    O que falta é aprendermos a trocar opiniões ou debater sobre um determinado produto ou assunto. Noto que algumas pessoas usam a discussão como uma ferramenta para se impor.
    Gosto de ler teus textos, pois me remetem à reflexão e este é um bom exercício para a mente.
    Grande abraço.
    att.,
    Mauro.
    maurocpires@hotmail.com

  4. Parabéns, você pensa como eu!
    Brincadeiras à parte, em especial, achei muito interessante o parágrafo que fala da diferença entre discussão e diálogo. Certa vez participei de um encontro de jovens espíritas (CONJES, do noroeste aqui do estado do RS), e o tema central era a diferença entre as duas atitudes no âmbito familiar e das demais relações. Sugiro mais textos com essa temática. Morel, muitas vezes nos identificamos com os teus textos, acredito eu, porque tu demonstra o correto a se fazer, porém, salientando que ainda não conseguimos fazer tudo de forma plena. Sempre são textos explicativos do que a doutrina preza e ao mesmo tempo demonstram que tudo tem solução apesar dos nossos defeitos. Vemos o quanto estamos errados em muitas atitudes e quando lemos, nos sentimos consolados e esperançosos. Um abraço.

  5. Patricia, isso passa pelo exercício da empatia; colocar-se no lugar do outro… É um longo processo, não é com palavras que se aprende. Mas com vontade chegaremos lá.

  6. Nossa, super concordo também, acho que troca de idéias é muito útil ao crescimento, mas confesso que quando me sinto criticada fico super magoada e na defensiva, parece que estão me dizendo que o que acho ou faço está errado e é incrível que as pessoas normalmente fazem isso quando a decisão já foi tomada, preciso realmente aprender a lidar com isso melhor mas não sei como, alguma dica pra não se ofender tanto com críticas? Isso é realmente um problemão pra mim…
    Beijos.

  7. Morel, concordo contigo. Vou falar por mim: muitas vezes discuto algo com alguém e sempre acho que a minha opinião é o que vale. Sei que não deve ser assim. Mas no fundo, no fundo, ninguém quer sair por baixo. Realmente é importante ouvir opiniões diferentes das nossas e saber respeitá-las (é tão difícil) como as nossas são respeitadas. Tenho muito o que aprender ainda nessa vida… Muita paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.