Colaboradores

Os animais têm alma – uma opinião espírita

macaco com cachorro
Os animais têm alma

ARTIGO DE AUTORIA DE SANDRA LEONI

Estudiosos de algumas correntes espiritualistas, ao fundamentar suas opiniões baseadas na afirmativa de que os animais não possuem uma alma, geralmente não se reportam, ainda que de passagem, àqueles humanos sem coração que nem mesmo algum princípio inteligente manifestam quando praticam atos de selvageria e barbárie com outros seres vivos. Seus procedimentos hediondos até cobririam de vergonha e repulsa os animais que de modo algum e sob nenhum pretexto a eles se entregariam, à despeito de sua condição considerada “inferior”.

Evidenciam-se, perfeitamente, nesses casos, atitudes provenientes do instinto bestial ainda latente no racional, nem sempre superior, mas geralmente sujeito a erros e quedas lamentáveis; porque humanos, quando  se dão a estas práticas desapiedadas, parecem comungar a mesma índole nefasta (ou pior) de selvagens ou feras em degraus muito subalternos da Evolução.

Por outro lado alguns animais mais evoluídos exteriorizam atitudes tão enternecedoras quanto inteligentes no trato com os de sua espécie ou não, que se equiparam, sem dúvida, a seres humanos em idêntico patamar de nobres e santas aspirações.

Considerando-se a Alma a geradora dos sentimentos por excelência, muito transparente se torna a afirmativa de que os animais a possuem, quando manifestam atributos dela oriundos, além de sabiamente utilizá-los após reflexões mais ou menos profundas, com a finalidade de escolhas,  arbítrios e deliberações em nada condizentes com o que se possa chamar de instintos.

O sentimento de afetividade nos humanos é sempre considerado uma faculdade de sua alma, não ocorrendo o mesmo quando se trata desta avaliação no tocante aos animais, ou seja, nunca um “ser inferior” seria capaz desta manifestação superior porque age por instinto, apenas.(!)

Não é de se admirar, já que apontamentos históricos nos dão conta de que o orgulho de um patriarcado arcaico, ignóbil e ignorante não atribuía à mulher e aos negros a existência de uma alma, sendo os portadores de pele negra considerados animália à disposição de seus senhores para uso, abuso e exploração ilimitados, com o aval da Santa Madre Igreja.(!)

No tocante ao tópico alma dos animais, também, por quanto tempo ainda precisaremos decantar este absolutismo medieval, sempre que ocorrências meritórias, da autoria dos animais, são relegadas à margem de comentários aprovatórios, sendo sempre o instinto atribuído a todas estas manifestações benévolas, aleatoriamente?!

Por que esta dificuldade, emperrada e enferrujada, de aceitar que, do mesmo modo que alguns animais agem com sentimento, existem humanos que se guiam apenas pelo instinto!?

Em qual imaginária linha demarcatória de conduta moral termina o instinto e principia o sentimento reflexivo do bem e da ética, seja com referencia a humanos e não humanos?

Em qual espécie animal mais adiantada poderemos dimensionar ou não a intensidade destas luzes beneficiadoras da vida se os atos de racionais e “irracionais” se confundem, misturados em algum degrau evolutivo inexpugnável à nossa condição de simples mortais?

Onde o primeiro impulso para atos de abnegação e renúncia, quer eles partam de uma ou outra condição hierárquica evolutiva?

Em que altura o ser humano se despenca do céu de suas aquisições inalienáveis para o abismo de seus instintos primitivistas e, em qual degrau, simetricamente demarcado, um animal se eleva, acima de sua condição “menor”e se destaca, por causa de uma ação superior àquela que seria esperada com os da sua própria espécie?

Que experimentações científicas e/ou compêndios podem, sem o risco de serem tachadas de retrógrados em médio ou longo prazo, desconsiderar fatos comprobatórios dessa realidade, já que, diariamente  noticiários destacam ações de animais doando a própria vida em favor de humanos, nem sempre merecedores desta preciosa dádiva?

Aqueles que tem o privilégio de conviver com seus animais de estimação, em seus lares conhecem, perfeitamente, a diferença de aptidões e temperamentos entre animais da própria espécie (às vezes de uma mesma ninhada), particulares a cada qual, oriundas, não do instinto, mas de uma organização mais complexa e mais nobre: A ALMA.

Em nenhum momento esses tutores questionam a sensibilidade característica de cada qual, já que os podem muito bem compreender, ainda que sem palavras, quando este amor sincero e puro, veemente e cristalino é capaz de se transbordar em ondas de inefável carinho dos olhos reconhecidos de seus protegidos.

Enquanto o tempo não passa, destruindo absurdas convicções do orgulho humano, os animais continuarão aqui ou acolá, salvando humanos de precipícios ou córregos, desabamentos ou inundações, guiando cegos, pajeando bebês, auxiliando em terapias, doando o melhor de si, abnegados e bons, sem se darem conta de seu valor e mérito, apenas pelo prazer de serem úteis – ENQUANTO DEUS OS APLAUDE.

Sandra Leoni é protetora de animais, espírita e vegana

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

14 Comentários

  1. Amo os meu gatinhos.
    Quando eles adoecem oro a Deus, chamo por São Francisco de Assis (isso me acalma), aplico passes , faço mentalizações para eles… São meus filhinhos,meus irmãos de alma mesmo, mesmo…Eles me entendem com o olhar. Deve ser egoísmo, mas prefiro a companhia deles do que estar entre algumas pessoas.
    Abraços! Esse site é uma luz na vida de cada leitor!

  2. Everton, a pergunta não é infantil, de jeito nenhum. É uma dúvida que muitos têm e muitos tentam explicar. É importante considerarmos, sempre, que quando tratamos dessas questões que fogem do nosso conhecimento direto estamos tratando de teorias. Essas teorias podem ser baseadas na razão e na observação, mas ainda assim são teorias. Quem se dispuser a apresentar uma resposta definitiva a uma questão como essa está enganado e enganando.
    O princípio inteligente estagia em todos os degraus evolutivos necessários para o seu desenvolvimento até conquistar a individualidade e a consciência dessa individualidade. Uma borboleta, ou a planta de que se alimenta a borboleta, não têm a menor noção de si mesmas, estão ainda muito longe de começarem o seu processo de individualização. Quando morrem, o princípio inteligente que as animava animará outros seres. Os cães, assim como outros mamíferos, já iniciaram o seu processo de individualização. Acredito que o princípio inteligente que os anima já tenha se individualizado, e passe a acumular as experiências adquiridas a cada experiência material. Devem, então, reencarnarem na mesma espécie até que esgotem o aprendizado proporcionado por esta espécie, passando, então, ao nível evolutivo seguinte, num plano intermediário entre os animais e o homem, o que não acontece na Terra.

  3. Tenho um amor incondicional por animais, ver um cão largado na rua ou então um pássaro preso em uma gaiola faz eu sentir-me muito mal. Sempre procurei ler, assistir e saber tudo que a Doutrina Espírita fala sobre animais. Meu cachorrinho de estimação está doente, sofrendo dores. Vou “aproveitar-me do artigo” para fazer uma pergunta que sempre desejei fazer. Em uma palestra espírita que assisti no Youtube a palestrante falou que os animais não apresentam a “dor expiação”, pois não possuem livre arbítrio, mas possuem a “dor evolução”. Então vem a pergunta, que evolução é essa? O cão desencarna e volta como um cão melhor? Ou então, a borboleta desencarna, volta como um roedor que desencarna voltando como um felino, que desencarna e volta como um primata (o mais inteligente dos animais). Por favor, não entenda a pergunta como infantil, gostaria muito de uma resposta.

  4. Nessa relação formam-se vínculos afetivos, é não apenas porque os alimentamos… senão era só outra pessoa o alimentar (no caso dos cães que adoecem e acabam até morrendo após perderem seus donos) e pronto. Um bom exemplo é o caso daquele cão, o Hachiko, lá do Japão, que acabou virando filme até (“Sempre ao seu Lado”). Ele ficou esperando seu dono voltar do trabalho (o que não ocorreu, devido à sua morte) na praça em frente ao metrô. Ficou ali, até o final de sua vida, ao relento, passando fome, se contentando com migalhas que algumas pessoas lhe davam. A família até tentou ficar com ele, mas ele sempre dava um jeito de fugir e voltar para a praça, que hoje tem uma estátua em sua homenagem.

  5. Tive um cão pastor muito bravo e anti social. Quando o alimentava ele lambia minha mão e me olhava nos olhos. Por motivos pessoais precisei doá-lo. Não conseguia quem ficasse com ele por ser bravo. Entrei em desespero e conversando com ele comecei a chorar. Ele parou de comer, deu uma volta no canil e se voltou para mim… com uma lágrima grossa rolando do seu olho esquerdo, chorei mais ainda e tentei fotografar mas ele virava o focinho e não consegui a foto. Consegui quem ficasse com ele e estou tranquila.Como explicar aquela lágrima? Quando falo disso me emociono. Concordo que os animais tem alma, sim. abraço.

  6. Sou um grande admirador dos animais, particularmente acredito que eles tem alma sim, no entanto a grande questão é que nós, COMPROVADAMENTE somos possuidores de uma, logo é inconcebível que continuemos cometendo as atrocidades gratuitas contra esses seres, que com ou sem alma têm muito a nos ensinar e têm tanto direito à vida e a serem respeitados assim como nós humanos, que mesmo providos de alma muitas vezes nos aproximamos da barbárie.

  7. Com ou sem alma, já está passando da hora de impedirem a exploração (charretes e outro trabalho), maus tratos e tudo o mais que os prejudiquem. Também acho desnecessário nos alimentarmos de sua carne; sou vegetariana, mais por compaixão dos mesmos e me sinto até mais feliz e forte, em todos os sentidos e espero, tão logo, vê-los amparados por leis que os favoreçam. Isso dependerá de pessoas como nós que paramos um pouco para pensar neles, nossos irmãos, com amor! Somente quem já possuiu um animal para entender do sentimento a que nos referimos…

  8. HOJE , QUANDO CHEGUEI EM CASA DO SERVIÇO MEUS CAES VIERAM CORRENDO, COMO SEMPRE, SORRINDO, NO FRIO , NA DOR, NO CALOR , EM TODAS AS OCASIOES EM QUE NÃO HÁ DOENÇA É CLARO, E ENCONTRAM SORRINDO E AOS MEUS PÉS , SE CURVAM QUERENDO UM AFAGO , UMA PALAVRA, UMA ATENÇÃO, HOJE QUANDO FUI DAR UM ALIMENTO NA BOCA DO MEU CACHORRO ELE PEGOU DE MINHA MÃO COM MUITO CUIDADO SEM QUASE ABRIR A BOCA PARA NÃO ME MACHUCAR, ENTÃO NOVAMENTE DEI O ALIMENTO E ELE ME OLHOU COM OLHOS DE GRATIDÃO E PEGOU LENTAMENTE O ALIMENTO, SE O ANIMAL NÃO TEM ALMA…. DE ONDE VEM AQUELE OLHAR TÃO PROFUNDO, DO INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA ….ENTÃO O INSTINTO ANIMAL ANDA MAIS EVOLUÍDO QUE A ALMA DOS HOMENS, PORQUE ELES TEM QUALIDADES EM SEUS INSTINTOS , QUALIDADES AS VEZES MAIS APURADAS QUE AS NOSSAS, A HUMILDADE, A GRATIDÃO, O COMPANHEIRISMO, TD ISSO SÓ PODE SER MANIFESTAÇÃO DE DEUS ENTÃO ISSO É ALMA QUE FAZ CADA UM MANIFESTAR O AMOR EXCLUSIVAMENTE CADA UM A SUA MANEIRA, E NÃO ACREDITO QUE QUEM NÃO TEM ALMA POSSA CANTAR AS CANÇÕES MAIS PERFEITAS DESSE PLANETA , COMO FAZEM OS PÁSSAROS,SEI LÁ … ACHO QUE COM ALMA OU SEM ALMA, ESTÃO AQUI PARA QUE POSSAMOS OLHAR MAIS COM OLHOS MAIS VOLTADOS PARA O CRIADOR DE TUDO ISSO.

  9. Enquanto o Homem continuar maltratando os animais, a Terra devolverá toda esta agressividade.
    Quem consegue ser violento com os animais não consegue ver alma nos mesmos, são Zumbis, prestes a serem devorados por sua capacidade ilimitada de transcender suas limitações como ser desprezível.

  10. Olá, creio que no tempo de Jesus era tudo mais primitivo, e o entendimento também, mesmo sendo um profeta, acredito sim que os animais têm alma, hoje e sempre.
    Um animal criado com muito carinho por um dono, se afastado do mesmo por um período longo, pode vir a morrer, desculpem a pobreza de palavras na opinião, mas amo meus 09 cães, 01 gato, 03 equinos, e tenho a certeza que são reencarnações de todos os animais que já tive na minha vida.

  11. Acredito na Evolução dos seres: mineral, vegetal e animal antes de atingir as fases hominal e angelical, por isso não descarto a possibilidade dos animais terem alma, pois são seres que caminham para a Evolução assim como nós…

  12. “Muitas das ações dos animais consideradas maravilhas por nós hoje em dia nada mais são do que apego ao dono que lhe alimenta.”
    Por mais que isso seja desconfortável, concordo…

  13. Se os animais possuíssem alma, matá-los para comer seria um crime hediondo. No entanto, Jesus jamais falou contra se alimentar de animais. Não teria o mestre nos alertado contra tamanho crime? Se utilizar o argumento de que na época não seria possível viver sem carne, mas hoje é possível, não teria ele nos alertado de forma a antecipar este momento assim que possível? Ou poderiam eles ter alma, mas sua função na Terra ser servir de alimentos para outras espécies? Não sei. Não estou convencido de que eles não têm alma, nem de que possuem, continuo assim como o Morel postou recentemente, em dúvida. Muitas das ações dos animais consideradas maravilhas por nós hoje em dia nada mais são do que apego ao dono que lhe alimenta.
    Como disse, tenho dúvidas, não estou convencido por nenhum dos lados, mas obrigado pelo artigo que incentivou a reflexão. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.