Vídeo

Relacionamentos amorosos e a moral cristã

Os relacionamentos amorosos podem desconsiderar a moral cristã? Neste vídeo retomo um tema abordado algumas vezes neste site. As relações sexo-afetivas e suas consequências em relação à Lei de causa e efeito ou “carma”.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

12 Comentários

  1. Bom dia Morel, antes de sua resposta liguei para ele e disse que mesmo muito triste com o término de nossa união eu desejo que sejam felizes, pois lembrei a ele que quando estávamos casados fazíamos todos os domingos o evangelho no lar e que Deus só escuta
    as nossas boas intenções. Acho que ele ficou mais calmo e eu para dizer a verdade fiquei ainda com muita tristeza. Eu o amo de todo meu coração, mas não somos prisioneiros de ninguém.
    Muito obrigada por suas palavras doces e fáceis de entender.

  2. Cris, a dor é inevitável, o sofrimento não. Você pode gastar o resto da sua vida buscando respostas e remoendo mágoas ou pode recomeçar a sua vida e ser feliz. Acredite, é possível.
    Leia Sexo e Destino, de André Luiz. Você encontrará respóstas lá. http://www.espiritoimortal.com.br/espirito_imortal/sexo-e-destino.pdf
    Tenha certeza de que tudo o que nos acontece na vida é para o nosso aprendizado. Não há vítimas. Estamos todos, de alguma forma, interligados. Tenha compaixão dele. Ele sufocou a própria consciência, mas isto não dura para sempre. E quando ele olhar para dentro de si mesmo a dor do arrependimento será grande. Não guarde mágoas. Mágoa adoece. Perdoe. Perdoar é desligar-se. Ore todos os dias, de preferência nos mesmos horários, para que eles sejam felizes, para que eles possam aproveitar a sua união, para que construam uma boa vida juntos. Peça perdão a eles em suas orações. Não lembramos do que fizemos nas existências anteriores, mas certamente não somos pobres vítimas.
    Se você conseguir fazer isso todos os dias com sinceridade, em pouco tempo você estará liberta e poderá recomeçar a sua vida. Você pode – e deve – ser muito feliz.
    Frequente o centro espírita, tome passes para equilibrar as suas energias, peça um tratamento.
    Mude o foco. Cuide de você, da sua espiritualidade e da sua vida material. Tudo vai dar certo. Existem pessoas maravilhosas em todos os lugares. Conviva com novas pessoas, busque novos ambientes e novos interesses.
    Você tem o poder de escolha. Perdoe.

  3. Olá Morel,
    Preciso de sua ajuda, me divorciei há seis meses, não por vontade minha, ficamos juntos por vinte anos, fomos felizes, mas depois que perdi a gravidez de gêmeos no sexto mês de gravidez, ele se distanciou de mim. Se apaixonou por uma colega de trabalho, fiquei arrasada. Pedi para nos dar uma chance, disse me que queria essa mulher que é mais jovem e poderia lhe dar filhos. Estou tão decepcionada, pois ele além de me deixar por outra, me deixou numa situação financeira péssima, escondeu dinheiro na conta do pai, da irmã, só para não dividir comigo. Triste.
    Quando nos conhecemos éramos dois jovens juntando dinheiro, economizando, sempre fiz tudo em casa, trabalhava fora, para chegar agora ele gastar com outra.
    Infelizmente a conta do cartão veio para mim também, gasta muito com ela, em lugares que nunca me levou porque era caro!
    Estou sem trabalho fixo e sem casa para morar.
    Ele me disse que recomeçou a vida com ela mesmo estando casado comigo.
    Estou sofrendo muito, dói fisicamente.
    Parece que morri e não me enterraram, perdi a vontade de tudo.
    Outro dia o vi com ela, ele mudou até o visual para parecer mais jovem. Estamos com 42 anos.
    Ela tem 25 anos e trabalha com ele. Nos finais de semana viajam para lugares caros.
    Para que estou passando por tanto desprezo e desamor? A irmã dele me disse que ele nunca mais tocou no meu nome, acho que já esqueceu de mim e de nossa história.
    Obrigada

  4. Piula, todas as pessoas do mundo enfrentam alguma dor moral. Ninguém pode sentir a sua dor por você. Ela é o seu aprendizado. É você quem deve estudar a si mesma, perceber o porquê de estar sofrendo, arcar com a responsabilidade para com você mesma e para com a sua filha e afastar-se do que lhe está causando este sofrimento. Só o tempo para curar desilusões. Quanto mais você se lamenta, mais vai sofrer, pois assim você alimenta a dor. Procure novas ocupações, faça coisas úteis, vá ao centro espírita, leia, distraia-se, caminhe, ore. Desfoque-se da dor. Não tenha pena de si mesma. Nem tudo o que nos acontece se deve a erros cometidos no passado. A vida nos apresenta situações com as quais temos oportunidade de aprender sobre nós mesmos e crescer. Cresça. Não precisamos de ninguém para sermos felizes. Valorize-se e siga em frente.

  5. Bom dia a todos, há um tempo atrás conheci um rapaz, no qual vim a me apaixonar. Ele era galanteador, e foi se chegando de mansinho e de repente parecia que a gente tinha sido feito um pro outro. A ligação espiritual era muito forte, a gente se completava em tudo. Muita coisa ficou pra trás, inclusive uma amiga na qual eu tinha grande consideração, que deixou de falar comigo por causa desse rapaz,ela gostava dele quando nos envolvemos. Ocorre que um certo dia por conta de bebedeiras fiz algo que machucou muito. Passamos um tempo separados, dei motivos a ele de não querer nem falar mais comigo. Depois de um certo tempo, acho que uns quatro meses mais ou menos, voltamos a nos falar. Voltamos a conversar, sair, e toda aquela sensação maravilhosa, estamos juntos parecia ter voltado. Porém nesse tempo que ficamos separados outra pessoa entrou na vida dele. Ele mentiu pra mim dizendo que queria ficar comigo, que era de mim que ele gostava quando na verdade ele estava com ela. Me sinto extremamente magoada, traída. Porém sinto um amor por ele inexplicável, sinto que doí muito, sinto muito a falta dele. Gostaria muito de ajuda. Não aguento mais me sentir assim. Fico triste, tenho vontade de chorar, não tenho vontade de fazer nada. E tenho uma filha pequena de 4 anos que precisa muito de mim. O que eu faço? Será que estou pagando por algum erro?

  6. Ola Morel

    Obrigada pela resposta!

    Ha anos sinto o chamado em meu coracao em estudar a Doutrina Espirita.

    Estou orando pedindo que Jesus me oriente sobre estes sonhos

    No meu coracao sinto que eu nao deva ficar com estes sentimentos de arrependimento sobre eu ter tomado a atitude de expor como me sentia para ele.

    Embora eu tenha ficado constrangida, eu tive muita coragem em fazer o que fiz. E foi de pureza de sentimento!

    Afinal se eu pensar, eu tentei e ele nao teve muito tempo aqui na terra depois do nosso encontro.

    Quando penso nele, eu sinto carinho e orgulho, pois ele era uma pessoa exepcional!

    Sem falar que era um profissional excelente!

    Fico feliz em saber que no plano espiritual, ele esta ajudando outras pessoas com o que sabe de melhor! Ensinar e Inspirar!

  7. Raquel, a vida após a morte do corpo físico continua muito semelhante ao que conhecemos aqui. Continuamos sendo os mesmos seres, com os mesmos sentimentos, emoções, conhecimentos, experiências e qualidades morais.
    Quando dormimos nos libertamos parcialmente do corpo físico e vamos para onde o nosso pensamento é atraído. Você está se desdobrando conscientemente para onde ele está, uma colônia ou cidade no plano astral. Isso é muito comum, acontece com quase todos, embora muito não lembrem. É provável que a ligação de vocês venha de outras existências, por isso a atração e os sentimentos inexplicáveis.

    Sugiro que leia dois artigos meus e os respectivos comentários e indico para você dois livros imprescindíveis para que você conheça o Espiritismo.

    http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-sonhos-eroticos
    http://www.espiritoimortal.com.br/espiritismo-e-sonhos-lucidos
    http://www.espiritoimortal.com.br/espirito_imortal/o-livro-dos-espiritos.pdf
    http://www.espiritoimortal.com.br/espirito_imortal/nosso-lar.pdf

  8. Olá, meu nome é Raquel. Em 2005 eu conheci um homem com quem me envolvi. Ele era professor de uma das materias que eu cursava na Universidade.

    Sem nenhuma explicação e sem ter experenciado anteriormente algo do tipo, uma série de eventos ocorreram que eu nunca consegui explicação. Hoje o que vem acontecendo, mesmo após anos, eu me sinto confusa e preciso entender o porquê disso.

    Quando conheci a pessoa em questão, sem nenhum tipo de explicação racional eu senti instantaneamente uma forte atração em estar perto dele, de ter contato. Ao mesmo tempo eu percebia uma tensão entre nós.

    Existia quase uma força sobrenatural envolvendo aquela pessoa. Eu conseguia prever quando ele se aproximava. E eu nao conseguia olhar dentro dos olhos dele sem tremer. Ele mal conseguia olhar diretamente para meus olhos.

    Com o passar do tempo eu interpretei que eu estava afetivamente interessada nesta pessoa e passei a nutrir sentimentos, mesmo que platônicos, pois eu não tinha coragem e também minha posição nao me permitia me declarar.

    Depois de meses eu tomei coragem, e fui até ele e tentei demonstrar como eu me sentia. Para minha surpresa fui correspondida e tivemos alguns encontros.

    Porém após o último encontro que tivemos, sem explicação, ele se afastou e nunca mais falou comigo. Esta situação ficou desta forma até o final. Ele me tratava como se não me conhecesse, e para meu azar, o destino sempre arrumava um jeito de nos colocar na mesma hora e local, mesmo que eu ou ele tentássemos evitar. Eu nunca o confrontei e respeitei os motivos dele em ter decidido que não queria levar adiante o que foi iniciado.

    Fiquei um bom tempo triste, ainda pensando por que eu queria tanto me relacionar com um desconhecido que me rejeitava!

    No final de 2006, ele falece por uma bala perdida. Eu decido que estes sentimentos por ele realmente não têm por que existir. Fico inclusive questionando meu equilíbrio emocional em ter me envolvido com alguém sem saber se aquilo realmente era correspondido.

    Anos se passaram e atualmente tenho tido sonhos com este homem. Eu não penso mais nele, e quando penso eu lamento ter tomado a atitude de me declarar.

    Porém ultimamente tenho tido sonhos lúcidos com ele. Nos sonhos que ele aparece e interagimos. O local é sempre em um ambiente aonde existem salas de aula, professores, pessoas transitando, só que o local é desconhecido, não é minha Universidade.

    Eu o encontro no sonho e ainda lucidamente me comporto na frente dele de forma desconfortável com a rejeição dele em vida, fico sem graca na frente dele. Porém ele conversa comigo, diz que entende como eu me sentia e que ele também sente o mesmo por mim.

    Em alguns sonhos ele me abraça e eu sinto todo aquele sentimento voltar.

    No último sonho (ontem) eu entrava em um local que parecia novamente ser uma Universidade, ele estava ministrando uma aula para várias pessoas. Eu o encontro e tenho o pensamento, aonde estou? Como ele está vivo? Ele me diz que está vivo. Ele me abraça e beija. Eu fico sem saber como reagir.

    Novamente ele diz que também sente algo por mim. Eu pergunto: por que você está dizendo isso? Ele diz que “amigos” disseram para ele que eu era uma boa pessoa, só que ele não quis entender isso. Que ele deveria ter tentado comigo (essas foram as palavras exatas).

    Eu acordo lembrando do que ele fala e dos detalhes do toque e abraço e sinto uma dor no peito, passei o dia pesando nele.

    Isso é espiritual? Será que o que eu experienciei com ele no final de sua vida está se extendendo em sua vida no plano espiritual?

    Eu gostaria de conselho baseado no Espiristismo, pois eu nunca frequentei nenhuma casa espírita, porém tenho uma afinidade e curiosidade pelos ensinamentos.

    Agradeco a oportunidade em compartilhar minha história!

  9. Obrigada pelo retorno!
    Não moro mais no Brasil e infelizmente aonde moro não tem nenhum centro espírita, frequento um Christian Church para ouvir a palavra de Deus de certa forma porém não consigo encontrar o conforto que o espiritismo proporciona. Meu canal de estudo atualmente é o seu site, que agradeço imensamente por existir!
    Realmente é impressionante certas coisas que meu marido e eu já passamos
    juntos, tantas coisas que nao tem explicação. Sempre peço a Deus para me ajudar a encontrar o que devo fazer, uma vez também que larguei tudo no Brasil para acompanhá-lo devido ao seu trabalho, fico mesmo perdida no que posso contribuir ao mundo uma vez que não trabalho mais e estou em um lugar com uma cultura tão diferente da nossa.
    Obrigada Morel! Muita luz para você!

  10. Erika, isso acontece, sim. Muitos espíritos estão ligados por pactos firmados há muitos séculos; outros, mais recentemente. Quando já esclarecidos e antes de reencarnarmos, tomamos resoluções para quando estivermos novamente na matéria, e nisso podemos estar acompanhados de um ou mais espíritos, encarnados e desencarnados.
    Elimine esse pensamento de “está bom demais pra ser verdade”. A inquietação que você sente é a reminiscência do dever que você se impôs. Embora conscientemente você não lembre, em seu subconsciente há o chamamento para que você ponha em prática o que planejou.
    Esclareça-se mais, estude, procure participar de um grupo de estudos em um centro espírita. De algum modo irá despertar dentro de você aquilo que você deve fazer.
    Força e paz pra você!

  11. Ola Morel,

    Acompanho suas publicações que têm sido de grande valor para mim até mesmo no dia a dia que com pequenas mudanças já vejo grandes resultados. Parabéns pelo trabalho!
    Acompanhando algumas matérias, aprendi que não temos uma alma gêmea, uma vez que já somos espíritos completos e que nos conectamos com espíritos que estão em uma mesma sintonia. Minha dúvida é: Já frequentei diversos centros espíritas e para minha surpresa a maioria comentou comigo que meu marido e eu estamos juntos por um “pacto” realizado no plano espiritual, aliás em um dos centros até mesmo me disseram que conseguiam ver o momento que realizamos isso.
    Esse tipo de pacto seria mesmo possível? isso é o que podemos chamar de missão? Talvez resgatarmos algo pendente um com o outro?
    Somos muito unidos, estamos juntos há 7 anos e tenho que admitir e aprender que se estamos bem pode ser por merecimento (talvez?), pois infelizmente ainda tenho aqueles medos de que “está bom demais para ser verdade”, sempre achando que alguma prova terrível está por vir… ainda mais depois que falam que tínhamos programado de nos encontrarmos.
    Fique com Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.