Colaboradores

Espiritualidade, mediunidade e animismo na igreja evangélica

Oração no monte
Fenômenos mediúnicos na oração no monte

ARTIGO DE AUTORIA DE RODRIGO PNT

Há manifestações na igreja evangélica que, se estudadas à luz do Espiritismo, trariam uma compreensão muito boa sobre a espiritualidade, a mediunidade e o animismo.

No meio evangélico tudo é muito mistificado. Os dons, as aparições e outras manifestações mediúnicas, muita coisa é demonizada. Na verdade, tudo o que não se entende e que não está escrito na bíblia é atribuído a satanás. O crente em geral é uma pessoa com muita experiência mediúnica e espiritual, porém com quase nenhuma compreensão sobre isso. É uma pessoa dotada de uma força mediúnica e anímica incrível. Muitas manifestações ocorrem nesse meio; pena que caia tudo no campo místico e nada seja estudado à luz da razão.

No princípio da minha caminhada espiritual no meio evangélico eu era também um sectário e um dos mais fanáticos pela religião do meu grupo. Embora possa não parecer, na verdade nasci em berço protestante materialista ferrenho, daqueles em que só acreditar em espíritos já é motivo para a condenação. Porém, aos vinte e três anos, migrei para o movimento pentecostal, onde comecei a ter contato com a espiritualidade. Daí para frente, me inteirar do Espiritismo foi um pulo.

Mas o que quero relatar neste artigo não é minha autobiografia, e sim, os processos mediúnicos que ocorrem no meio pentecostal. Na igreja pentecostal se ganha muito status espiritual com orações e jejuns. Na verdade, é imposto pelos espíritos que ali exercem domínio. Através dos dons mediúnicos que se manifestam, eles, os espíritos, afirmam esbravejando que não se deve deixar de orar e jejuar. Quanto mais oração e jejum, mais poder. Isso se ouve nas preleções e revelações intituladas de mensagens do Espírito Santo.

É claro que orar é importante, mas já vi pessoas que têm os joelhos calejados de tanto orar ajoelhado, e isso as tornam orgulhosas e arrogantes, mistificadas pelos outros irmãos. São os que enchem a nave do templo quando vão pregar, cheios de mediunidade mas sem um pingo de caridade. São os poderosos, os profetas, que fazem descer fogo espiritual do céu na vida dos irmãos. Isso tudo poderia ser muito bom se fosse aproveitado para o aprendizado e não para a autopromoção e a mistificação.

Mas o que quero realmente tratar é sobre as orações que se faz nos montes ou matas fechadas, visando entrar em um maior contato com a espiritualidade. Nessas orações geralmente reúne-se um grupo de pessoas que tenha o intuito de orar bastante para que o prosseguimento dos cultos seja cheio de manifestações como curas e profecias, que são mensagens entregues pela espiritualidade através da psicofonia mediúnica, como já falei em outro artigo.

Eu acho, pela minha experiência, muito boas essas orações. É claro, desmistificando elas, pois realmente a espiritualidade se abre para o indíviduo. Há manifestações tremendas que, se estudadas à luz do Espiritismo, trariam uma compreensão muito boa sobre a espiritualidade, a mediunidade e o animismo. Sim, se a igreja se abrisse a esses conceitos e deixasse de lado o fanatismo, penso que teríamos um salto gigantesco no progresso espiritual humano, pois não se pode negar que as igrejas evangélicas têm alcançado um número muito grande de pessoas sem entender essas verdades, imagine entendendo-as.

Poder-se-ia tratar doenças da alma com um conhecimento muito elevado, educar espíritos perdidos nas trevas morais há milhares de anos, enfim, as utilidades são múltiplas e o avanço moral seria quase completo. Se fosse estudado o movimento espiritual no meio pentecostal à luz da razão, do enfoque científico e aos moldes do Espiritismo, a humanidade saltaria logo para a próxima etapa do progresso mundial.

Como vinha dizendo, essas orações envoltas em misticismos no meio das matas, segundo minha experiência nos coloca em contato com espíritos muito antigos que zelam pela natureza. Eu mesmo já tive alguns contatos com esses espíritos. Geralmente são índios que por curiosidade ou por cuidado da natureza que lhes foi confiada, aproximam-se dos grupos pentecostais quando estão orando, alguns até participam desse momento cuidando dos encarnados que se encontram ali, protegendo-os de animais peçonhentos. Interessante é que eles deixam o chão da mata, que é geralmente forrado de folhas secas e galhos, todo aceso como se houvesse fogo neles, por causa do seu poderoso magnetismo.

Numa dessas vezes um irmão trouxe para casa um galho e colocou no quarto da sua filha, que ficou iluminado durante toda a noite. Outras vezes, eles são vistos por alguns que possuem mediunidade mais ostensiva, que pensam tratarem-se de anjos ou demônios. Sim, são espíritos, seres incríveis que pairam pelas matas e rios, uns rudes e extremamente sérios, outros graciosos e simpáticos, mas nenhum deles totalmente mau. Eu penso que se trata dos nossos antecessores nessa terra, as tribos indígenas, que estão ainda apegados à matéria e por isso aprisionados nessa natureza.

Há alguns anos estive em um monte próximo da minha cidade junto com alguns irmãos no intuito de orar, nós havíamos nos perdido do grupo e perambulávamos só iluminados pela lanterna que trazíamos. De repente o céu ficou claro como noite de lua cheia, o que iluminou totalmente o carreiro onde andávamos e assim pudemos encontrar o grupo que estava a alguns passos de nós, já nervosos pela nossa demora. Outra feita, quando orávamos, vi chegarem alguns indivíduos no local onde estávamos, mais ou menos em número de vinte, e se puseram também a orar. Eles eram muito altos e pareciam que eram liderados por um mais alto que eles, o qual se pôs bem à minha frente e ficou me olhando por alguns momentos. Não tive medo dele.

Após a oração descemos o monte e eu perguntei para o pastor que tinha organizado a reunião no monte por que aqueles irmãos haviam se atrasado e ele respondeu que não havia mais ninguém lá, só nós, que éramos oito. Os outros irmãos também não tinham visto nada, aí eu deduzi que eram espíritos que ali vieram confraternizar conosco.

Certamente é muito latente a espiritualidade na igreja. Mas como disse, mal compreendida, mediunidade abusada e mistificada, médiuns endeusados e o evangelho de Jesus meio esquecido produzindo pessoas destituídas de caridade e sem nenhuma análise racional. As reuniões no lar, que a minha denominação faz, é uma coisa muito boa, mas poderia ser melhor se houvesse o estudo de tais fenômenos. Os alimentos que são recolhidos e distribuídos não deixa de ser obras de piedade, mas se com os alimentos estivesse a instrução que o Espiritismo nos dá, certamente que essas almas evoluiriam em sua caminhada.

Rodrigo PNT É presbítero evangélico e admirador e estudioso da Doutrina Espírita.

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

53 Comentários

  1. Oie! Era a resposta q estava procurando a dois anos e acabei de achala ..No meu caso, minha mãe e mediun, o problema e seria a solução se caso ela entedesse e pq ela e envangelica e na igreja dela qualquer tipo de coisa relacionada a espiritismo e coisa do demonio entao isso dificultou mto a vida de toda nossa família ..ja estamos lutando com isso a dois anos e nada de fazermos ela entender que ela médium e precisa se cuidar por ela ser envangelica e a igreja n aceitar ela TB n aceita, nesse caso a vida dela esta totalmente arrasada, alias nossas vidas pq e uma coisa q afeta toda a família, hj a um mes ela esta separada do meu pai ,saiu de casa largou emprego, largou tudo sem nenhuma explicação, fomos em uma pessoa q e espírita e ele nos falou q enquanto ela n aceitar o q ela realmente é a vida dela vai ser assim pertubarda pelos espíritos.. Te peço que me diga algo que a gente possa fazer pra ela poder entender que mesmo sendo evangélica ela TB pode endender de mediunidade e espiritismo pq ambas falam de Deus, me mande uma resposta por favor ,nossa família esta devastada 😢

  2. excelente artigo este, há muito eu procurava algo assim, realmente nos meios pentecostais há muitos médiuns e não sabem disso e para aqueles que criticam basta dizer que o nosso Deus não é limitado, ele usa como quer, quando quer e quer quer. E qualquer um que já leu as escrituras ( o Velho e o Novo Testamento) nas línguas originais sabe que há muitas manifestações mediúnicas que foram propositalmente obscurecidas ao serem traduzidas para o nosso idioma.

  3. Rodrigo, parabéns pelo discernimento! Sou nascido e criado numa denominação pentecostal e também sou pastor auxiliar de uma comunidade pentecostal atualmente com postura ecumênica. A mais de um ano venho estudando o Espiritismo e tenho encontrado grande convergência com a teologia cristã. Desde março deste ano estou frequentando um Centro Espírita, assistindo os Estudos e reuniões públicas. Estou sendo profundamente impactado e revendo muitos conceitos.
    Muita Paz!

  4. Coitado desse presbítero…. se ele é admirador da doutrina espírita, com certeza não sabe nada mesmo da Palavra de Deus.
    os dois principais pilares do Espiritismo (Reencarnação e consulta aos mortos) são refutados facilmente pela Bíblia Sagrada.

  5. Olá irmão!
    Muito pertinente esse assunto, cheguei ao seu site justamente quando procurava sobre manifestações mediúnicas em igrejas pentecostais.
    Talvez a sua pesquisa se torne mais interessante caso comece a estudar a forma como orixás incorporam na Umbanda. Em alguns vídeos de manifestações em igrejas, me parecem perfeitamente afinadas com incorporações das orixás Iansã, Oyá Tempo (Logunan) e Egunitá. Egunitá, inclusive é a orixá do fogo purificador, e acho pertinente que suas manifestações ocorram em igrejas pentecostais.
    Quanto aos espíritos na mata, se alinham perfeitamente com os caboclos de Umbanda. Se o irmão se aprofundasse nesse assunto, veria que existe muito mais espiritualidade e fundamento por trás desses arquétipos (orixás e caboclos), do que supõe o Espiritismo, dizendo que tratam-se de irmãos atrasados e apegados à matéria (lembrando que espíritos evoluídos apresentam-se na forma desejada e necessária para o momento). Minhas pesquisas deram um salto quando, depois de estudar o Espiritismo, passei a estudar a obra de autores umbandistas, como Rubens Saraceni.
    Abraços!

  6. Bom dia Rodrigo,
    Por acaso me deparei com o seu texto e fiquei impressionado, pois as coisas que você relatou, principalmente quanto à oração no monte, são exatamente as mesmas experiências que tive.
    Meu pensamento hoje está evoluindo para aceitar que o espírito age de indepedentemente das denominações e dos nossos conceitos.
    Um abraço.

  7. Caroline, o centro espírita deve primar pelo estudo e o esclarecimento, pois esta é a sua função primordial. Não há mal nenhum em esclarecer as suas dúvidas no centro espírita, pelo contrário. É importante que você peça atendimento e faça o tratamento indicado.

  8. Morel, bom dia! Muito obrigada por este site maravilhoso. Minha dúvida é a seguinte: desde pequena sinto que devo trabalhar na caridade. Desviei-me do caminho, segui em igrejas evangélicas, foi pouco pra mim. Voltei ao centro espírita há pouco tempo e a leitura, sinto como se fosse um conhecimento que sempre tive, o espiritismo está muito natural pra mim. Porém, desde que voltei, sinto agitação, inquietação, angústia. Algo na minha mente diz que a mediunidade está atrasada. Nunca vivi nada paranormal. Existe a chance de ser médium, sem nunca ter vivido nada paranormal? Como devo proceder, tenho muita vergonha de cogitar esta ideia num centro espírita sem nunca ter vivido nada paranormal. Muito obrigada!!

  9. Muito bom o texto! Precisamos ter mais conhecimento sobre o mundo espiritual, as igrejas atuais são muito fechadas a esses assuntos! Eu mesmo deixei a igreja há um ano porque as coisas não acontecem, os líderes colocam muito medo nas pessoas em vez de ensinar como funcionam realmente as coisas de Deus. Hoje eu não culpo essas pessoas por isso mesmo porque foi o que eles aprenderam e acabam repassando aos outros… Legal, gostei muito,valeu!!!! Mas nas igrejas Evangélicas não é muito diferente a manifestação espiritual do espiritismo!!! tudo isso tem ramificações do Egito, egipcianos, é só estudar um pouquinho você vai encontrar várias situações, inaceitáveis e aceitáveis por muitas gente. obs. pense só um pouquinho você vai entender melhor!!

  10. Rodrigo também está de parabéns por ter a mente aberta e ser flexível aos conhecimentos da Doutrina Espírita.

    Um grande abraço!!!

  11. Ricardo, transfiro o seu elogio ao Rodrigo Pnt, ele é leitor do site e colaborou com alguns textos. O texto em questão é dele.
    Um abraço!

  12. Bom dia, Morel Felipe.

    Seu site é muito bom, me sinto bem aqui.
    Fortalece os conhecimentos, virou prática diária.
    Você é um gênio e pode contar comigo para tudo.

    parabéns pela iniciativa.

    Obrigado.

    Abraços fraternos !!!

  13. Olá, bom dia a todos.

    É minha primeira vez aqui, venho agradecer ao Morel Felipe, ao Rodrigo, e a todos aqui presentes.
    Sobre o tema em questão, “Espiritualidade, mediunidade e animismo na igreja evangélica”:

    Eu sou cristão espírita, tendo enorme respeito aos evangélicos e todas as religiões.

    Gostaria de tomar atenção especial da Carla, parabenizando-a pelo interesse em buscar os conhecimentos da Doutrina Espírita, inclusive eu recomendo a você para iniciar com o Evangelho Segundo Espiritismo e depois partir para os outros. O ESE de imediato, está mais próximo dos teus conhecimentos bíblicos, é um livro que coleta os principais assuntos da bíblia contendo muitas das máximas de Jesus Cristo.

    Para motivá-la melhor, vou contar que quando iniciei o Estudo Sistemático da Doutrina Espírita, junto de nós havia um irmão católico estudando, não sei por quais motivos, talvez ele não encontrou respostas satisfatórias na Doutrina Católica e as buscou na Espírita, pode ser um equívoco meu também, não sei.

    Convidei uma vizinha que é da Igreja Pentecostal a conhecer a Fraternidade Espírita que frequento, ela gostou, pretende ir mais vezes e assim como o Rodrigo, que não deixou de ser evangélico, ela também não.

    Eu também, mesmo sendo espírita, busco respostas em outras religiões. Tenho um acervo de conhecimentos de várias origens, inclusive mesmo existem passagens na Bíblia (não me recordo quais agora) que dizem que o importante é trazer conosco aquilo que é útil, e tudo que é reconhecidamente edificante.

    E assim, Carla, reconheço o que você pode ter sentindo aqui, talvez se sentiu excluída ou ofendida, entendeu que disseram que sua fé é irracional, no meio espírita pode ter pessoas irracionais também. Na verdade nada é irracional, Deus nos criou inicialmente simples e ignorantes para que possamos nos desenvolver e evoluirmos fisicamente e espiritualmente. Digo para jamais se sentir assim, porque eu como espírita também me sentia assim no meio de irmãos evangélicos e católicos, pensava em abandonar o espiritismo, é triste para nós quando um irmão diz que não somos Cristãos, que não praticamos o que está na bíblia, ou que somos filhos de Satanás etc… Acontece muito de pessoas migrarem para outra religião.

    Acredito que tudo depende do grau de evolução de cada ser nos planos físicos e espirituais, estamos todos aqui na terra juntos e misturados, foi assim que Deus nos fez e permite ter várias religiões para que cada pessoa busque da forme que melhor lhe convém. Independente de sua crença, existem pessoas com a mente aberta e outras fechadas. Sendo que quando chegarmos do outro lado nós não seremos julgados pela religião e sim pelas nossas obras.

  14. Ao meu entender o animismo se manifesta muito no meio pentecostal, principalmente no dom de linguas estranhas se bem que é difícil saber onde termina o animismo e começa a mediunidade, já que a mediunidade só se faz possível por causa do ânima do médium, é o que eu penso segundo algumas observações minhas.

  15. Silvio, agradeço a contribuição ao tema. Apenas lembro que a manifestação anímica pode ser entendida como provocada por personalidades vivenciadas pelo próprio médium em outras reencarnações. Prova disso são as diferentes características assumidas quando dessas manifestações. Entendo o “eu” como inacessível em nosso estágio evolutivo.
    Peço desculpas por não divulgar os links que você inseriu. Alguns links prejudicam os mecanismos de busca.

  16. Animismo não é mistificação.
    Muitos espíritas confundem animismo com mistificação e isso é um erro.
    Animismo é quando há a “manifestação” do próprio médium de uma forma involuntária enquanto que na mistificação há a voluntariedade, isso é, uma encenação com plena consciência de que está com a intenção de enganar.
    O animismo não pode ser confundido também como uma “outra” personalidade, é na realidade o “eu” do médium se manifestando mais livremente.
    Mas o médium não sabe que é ele mesmo? Conscientemente não.
    Em uma comparação bem simples e grosseira, como o sonambulismo. O sonambúlico realiza atividades como andar pela casa, alguns casos até mesmo conversar e quando desperta de nada se recorda.
    No animismo o fluxo de informações “preenche” o campo cognitivo do médium, essas informações são transmitidas através da “fala” como na psicofonia ou na “escrita” como a psicografia.
    O médium como qualquer outra pessoa também necessita tratar as “feridas da alma” provocadas de forma voluntária ou não em existências anteriores. Devido à sua sensibilidade possui mais “canais” no campo psicológico e espiritual para essa finalidade, a do tratamento.
    Muitos espíritas acham isso uma forma de desequilíbrio, mas é uma forma da qual a espiritualidade se utiliza para auxiliar o médium na superação de suas imperfeições. Desequilíbrio é manter o dedo apontando e buscando, por motivos que for, as imperfeições alheias.
    As manifestações anímicas são mais comuns que imaginamos, e possuem suas finalidades para a evolução do ser. Alguns espíritas pensam que o tratamento para isso é apenas o passe e pensar assim é um equívoco. Pensam que isso é um absurdo para um médium o rotulando logo de desequilibrado, como se Deus não fosse amparar os padres, as madres, pastores, etc.
    Nem todas as manifestações anímicas são apenas de dores e ranger de dentes, há manifestações anímicas em que o médium traz instruções interessantes devido às suas experiências nas existências anteriores. Mas nesse caso os mesmos dedos que apontam, equivocados, pensam ser apenas a mensagem de um instrutor do plano espiritual.
    Como mediunidade não é um atributo exclusivo da doutrina espírita, o animismo também ocorre em todas as outras reuniões religiosas. A mediunidade é um canal, se não fossem os preconceitos humanos seria uma ótima ferramenta para a humanidade tratar e compreender por exemplo inúmeras causas das doenças psicossomáticas, esquizofrenia, etc. Há estudos sérios e não religiosos com outra denominação sobre o que chamamos mediunidade.
    Mas eu sou médium ( meio )?? Sim todos somos. Somos um “meio” para que Deus através da oração, nos fortaleça para combatermos nossas imperfeições morais e mais maduros possamos auxiliar de forma efetiva quem necessita.
    “Médium eu? não sou não” é sim, veja o atributo da inteligência que Deus lhe proporciona, é uma forma de manifestação do criador em nossas vidas e através dela desenvolvemos o nosso planeta. Veja como éramos há 500 anos atrás e veja como estamos agora, por exemplo no campo de medicina. Nós seres-humanos somos um meio para que Deus através da inteligência se manifeste evoluindo pouco a pouco nossa capacidade de compreendê-lo e de executar seu plano para nosso planeta, que é de um MUNDO cada vez melhor.
    “Ah, mas a inteligência também pode ser usada para o mal” é verdade mas o próprio Cristo já ciente dessa nossa deficiência moral temporária que possuímos, já nos deixou orientações sobre os resultados que o mau uso dessa e de outras ferramentas que Deus nos proporciona pode nos causar. E veja, lembre-se de que como se comportavam os seres-humanos em relação a séculos atrás e como nos comportamos hoje, por exemplo nas relações sociais.
    Mas é isso, irmãos e irmãs, apenas deixar esse resumo sobre as diferenças entre animismo e misticismo.

  17. Tudo bem, amigo! Serei imparcial quando eu começar a ler o livro. Lembre-se: Eu não critico religião alguma, tampouco vou buscar motivos para descrédito, assim que eu terminar de ler a obra. Tenha uma boa tarde!

  18. Carla, não sou favorável à crítica. E sou um ardoroso defensor do elogio. Não foi minha intenção criticar você. Fique em paz.

  19. Não vejo por que alguém sentir-se incomodado com opiniões diferentes. A Carla propôs debate; poderíamos ter debatido. Não podemos rotular pessoas por suas crenças ou por quaisquer características. Evangélicos, católicos, umbandistas, espíritas, todos estão em busca da verdade, todos tentam se tornar pessoas melhores. Se há muitas pessoas dentro dessas denominações religiosas que citei que destoam do conjunto, isso não faz regra. Temos que nos basear no melhor, temos que debater por cima, não por baixo.
    A Carla afirmou que vai estudar para poder debater. A decisão de estudar antes para debater depois é ótima, e se aplica a qualquer um de nós. Mas depois de algum mal-estar e desentendimento, a imagem que ela faz do Espiritismo e dos espíritas faz com que ela já não seja isenta. Não vai estudar com isenção de ânimo. Vai buscar motivos para descrédito. Esse é talvez o principal motivo de desavenças ideológicas. Em vez de buscarmos o que temos em comum e construirmos conhecimento a partir desta base, busca-se as diferenças e se faz delas questões intransponíveis.
    Acima de tudo, nos inspiramos nos ensinamentos do Cristo. Tentemos a paz…

  20. Josiane, amiga. A única fanática aqui é você. Não gosta de ser contrariada, julga a todos que discordam das suas ideias, enfim, sem comentários. O Rodrigo e os demais são amáveis, caridosos, humildes. Você, minha cara, no entanto, é arrogante. Pessoas como a Sra, que ofendem as outras pessoas por causa da sua crença, dão mostra – estas sim – do grau primitivo em que se encontram espiritualmente. Reveja seus conceitos. Parabéns Rodrigo Pnt, por ao menos, tentar me compreender. A Ana Paula também que é muito bondosa (preciso ser que nem você, querida.) Felipe, se Deus permitir, começarei a ler o Livro dos Espíritos a partir de hoje. Obrigada por colocar em prática as coisas que você estuda. Elogios são bons, mas é com a crítica que crescemos e evoluímos cada vez mais.

  21. Queridos, cada igreja, seja evangélica ou católica, é um mundo novo, eu nunca generalizei, eu sou evangélico e de uma ótima igreja, assim como sei que existem diversas outras denominações evangélicas genuínas na caridade. Nunca foi minha intensão ferir convicções religiosas de ninguém. Também sou um teólogo, mas acho que sou muito mais estudioso do espiritismo por que me responde melhor minhas perguntas e dessa forma tento conciliar ambos os pensamentos, não sei se isso é bom ou ruim, só faz bem a mim fazer, desculpe.

  22. Carla, você está se comportando fielmente como uma evangélica, parabéns querida… Não vou perder meu tempo com fanatismos e também não vou pagar na mesma moeda porque isso vai contra o que eu acredito, pois acredito sim que o que eu não gosto que façam para mim, eu não faço para os outros. Jamais eu teria uma atitude como a sua, de entrar em um site evangélico para somente trazer transtornos, desavenças, desrespeitando sim as crenças das pessoas. Fique em paz, pois você está precisando e muito!

  23. Bem, esqueci de dizer mais uma coisa: Antes de criticar a conduta dos evangélicos, a mim que apenas me defendi, à nossa doutrina, procure se informar melhor. Estude e depois venha criticar! Eu vou fazer isso a partir de hoje. Percebeu o quão ingênuas fomos? Falei de uma coisa baseada em conhecimentos superficiais e você? Conhece nossos ensinamentos? Estudou nossos livros e nossas revistas? Passou a maior parte da sua vida estudando com teólogos do meio evangélico? Ou seja, você pode achar que sabe, porém não conhece 10% da nossa doutrina. Quer que eu respeite suas crenças? Respeite a minha primeiro…

  24. Absurdo é achar que somos obrigados a “sorrir amarelo” e bater palmas para tudo que vem do espiritismo. Sabe o ditado “fala o que quer, ouve o que não quer”? Não me incomodo com a Doutrina Espírita. Nunca comentei aqui. Se é um site espírita, deveria abordar temas que não envolvem outras crenças. “pimenta nos olhos dos outros é refresco”, não é Josiane? Se afirmar certas coisas sobre nós é válido para você por qual razão seria inválido eu afirmar outras coisas sobre sua crença? Sim, infelizmente o charlatanismo existe em algumas igrejas, entretanto você é a dona da verdade? O que faz você pensar que não possa ocorrer o mesmo na sua religião? Outra coisa, errei ao dizer que o espiritismo não é conhecimento. Ele é mas não como um todo. A Sra também errou ao afirmar que somos atraídos por uma certa “troca”. Que falta amor em nossas igrejas. Saiba que dou o dízimo por amor, não por interesse. Também fazemos caridade. Existem clínicas para dependentes químicos que é mantido com nosso dinheiro, você sabia? Beijos

  25. Por que uma pessoa que se diz evangélica com tanta firmeza entra em site espírita para debater dogmas? Será que realmente tem tanta certeza das suas convicções? Achei um absurdo afirmar que o espiritismo não é conhecimentto, onde está o respeito nas religiões e/ou nas crenças do próximo? Francamente…

  26. Carla, a palavra dogma vem do grego e significa, originalmente, opinião. Em filosofia e religião adquiriu o sentido de princípio doutrinário. Há uma diferença fundamental entre o dogma religioso e o dogma filosófico. O dogma religioso é artigo de fé e não pode ser contraditado, pois advém da Revelação de Deus. O dogma filosófico é racional, nasce da razão, é princípio de uma doutrina estruturada racionalmente. No Espiritismo e em todas as doutrinas filosóficas existem dogmas de razão, como o dogma da existência de Deus. Usamos no Espiritismo o dogma no sentido filosófico original de convicção, postulado, princípio. Nasce da razão e passa pelo bom senso. Lembro a você que quando você fala em “comprovação científica” está se referindo aos postulados cartesianos, que se ligam estritamente às coisas materiais. Um leitura do capítulo IV do Livro dos Espíritos daria a você noções sobre a reencarnação, pois você está analisando sem conhecer o que está analisando.
    A bíblia, como o nome diz, “biblos”, é um conjunto de livros que contém princípios e ensinamentos religiosos adotados por várias vertentes religiosas através dos tempos. Sou cristão, Carla, pois sigo os ensinamentos do Cristo que nos foram legados nos Evangelhos. O Espiritismo não acabou na França. Mantém-se, timidamente. O Espiritismo encontrou solo fértil no Brasil por ser o povo brasileiro, devido às suas características culturais, mais propenso a aceitar o novo, a estudar sem preconceitos (pré-conceitos; conceitos pré definidos, conceitos estabelecidos antes do exame). Foi no Brasil que o Espiritismo adquiriu conotação religiosa. Quanto ao que outros espíritas dizem sobre católicos e protestantes, pergunte a eles.
    Carla, não sei o que a incomoda no Espiritismo. Se a ideia não lhe agrada, afaste-se dela. Se a ideia a inquieta, estude-a! Você parece ser uma pessoa esclarecida, no entanto, está questionando princípios que não se deu ao trabalho de estudar. Não posso discutir sobre a eletricidade com um engenheiro, pois não estudei nada sobre o assunto. Não seria mais sensato e honesto estudar primeiro e, se for o caso, criticar depois?

  27. Felipe, antes de tudo saiba que não li quaisquer obras de kardec. Assisti algumas palestras e nada mais. Leio artigos espíritas (principalmente do Jorge Murta que são ótimos), faço algumas perguntas relacionadas ao Espiritismo ao meu professor de Filosofia (o qual também é espírita). E me pergunto: Se a Doutrina Espírita é racional como tantos afirmam veementemente, por qual razão ela aceita certos dogmas mesmo sem comprovação científica? Por quê é irracional acreditar na pureza de Maria, na Ressurreição, na Trindade mas é racional crer na Reencarnação? Os espíritas acreditam na Bíblia como palavra de Deus? Se o termo “Kardecismo” é impróprio pois a doutrina é dos Espíritos e não de Allan Kardec seria correto os espíritas serem chamados de Cristãos (pois a doutrina é de Deus e não do Cristo)? Por quê o Espiritismo acabou na França? Por quê muitos Kardecistas (?) afirmam que católicos e protestantes não evoluíram suficientemente para compreenderem a Doutrina Espírita? A sabedoria humana é exaltada nesse sentido?

  28. Obrigada Rodrigo. Seguirei seu conselho.
    Li agora o debate da irmã Carla, e entendo e respeito o que ela quis dizer.
    Mas,…
    É tão glorioso aprender cada vez mais…
    Nenhuma religião sabe da verdade, e se a nossa consciência estiver aberta para novos aprendizados quem sabe chegamos ao UM.
    “A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original” (Albert Einstein)
    Paz a todos.

  29. Carla, não me sinto ofendido de modo algum. Jamais diminuo quaisquer religiões, você não encontra isso em nada que eu tenha escrito. Também não acho ruim quando alguém ataca o que acredito; são apenas ideias. Sempre publico e respondo o que se refere a ideias, só não publico ofensas pessoais. Mas, mesmo que eu desse importância a ataques ao que acredito, não estaria ofendido, pois não me senti atacado por você.
    Carla, a comunicação é uma arte das mais difíceis. Nem sempre expressamos o que queremos expressar. Não acredito que o Rodrigo tenha tido a intenção de ofender a ninguém, muito menos a evangélicos, já que ele é evangélico. Também acho que você não quis dizer que Espiritismo não é conhecimento, pois, mesmo que você não concorde com nada do Espiritismo, o conhecimento é conhecimento sempre, independentemente de nossa opinião sobre ele. A não ser que você atribua a essa palavra um sentido novo que eu desconheça.
    Respondi ao seu comentário para lembrar isso, que conhecimento independe de crença ou opinião. E para saber o que você gostaria de debater; embora este não seja o objetivo no meu trabalho com este site, posso atender ao seu pedido, se isso lhe faz bem.

  30. Parabéns pelas sábias palavras, Felipe! Agora sim “falamos a mesma língua”. Nós evangélicos somos sempre rotulados de burros, ignorantes, analfabetos, e outros adjetivos degradantes. E outra, existem muitos espíritas (falo porque convivo com muitos deles) que nos olham com pena e desprezo! E agora dizer que temos uma fé irracional? Viu como é ruim quando alguém ataca o que acreditamos? Pois bem, acho que o diálogo é o melhor caminho. Não entendi o porquê de se sentir ofendido. Simplesmente contra-argumentei (??!!) o que o Sr. Rodrigo declarou, ofendendo a minha religião. Se você, Felipe, se sentiu desrespeitado com opiniões contrárias, evite falar das outras religiões, principalmente com intenção de diminui-las. Não foi você quem fez o artigo, e mesmo assim me respondeu…

  31. Carla, tenho por princípio respeitar todas as crenças. Gosto que repeitem as minhas, e procuro fazer o que gostaria que me fizessem. Falei em crenças. O Espiritismo tem muito de crença, sim. Sou tentado, algumas vezes, dialogando com ateus, a tratar o Espiritismo como ciência – que é -, mas não há argumento que sustente essa afirmação abstraindo a crença. Isso porque quando falamos em ciência nos referimos à ciência cartesiana, e alguns postulados espíritas, como a reencarnação, citada por você, não pode ser provada – ainda – por meios cartesianos.
    Não vou ler as teses a que você se refere. Leria, talvez, se tivesse mais tempo disponível. Também não vou sugerir que você leia Allan Kardec, mesmo acreditando que você seja capaz de fazer sua própria análise da obra kardekiana ou de qualquer outra, sem precisar recorrer a opiniões alheias. Se for para debater opiniões ou crenças podemos nos pautar sobre qualquer base. Os argumentos utilizados por Allan Kardec são, em grande parte, consistentes e acatáveis por pessoas desprovidas de prevenção. Mas reconheço que os postulados científicos de meados do século XIX não são incontestáveis hoje. No entanto, dizer que Espiritismo nunca foi conhecimento é desconhecimento do conhecimento espírita. Pesquisadores de renome, como o químico inglês Willian Crookes, Alexandre Aksakof, Ernesto Bozzano, Cesar Lombroso, Gabriel Dellane, o prêmio Nobel Charles Richet, entre muitos outros, dedicaram a maior parte de suas vidas ao estudo dos temas abordados pelo Espiritismo como ciência. São vastas obras em que não faltam provas pelos únicos meios aceitos pela coletividade; os meios cartesianos.
    A reencarnação, que você chama de dogma, foi estudada durante décadas pelo Doutor Ian Stevenson, que publicou muitos livros, mais de duzentos artigos e analisou mais de três mil casos sugestivos de reencarnação, baseados em relatos de lembranças inatas de crianças e evidências físicas como marcas de nascença. Claro que isso não prova nada em meios cartesianos. Também não podemos provar a existência de Deus, da alma, da ida do homem à lua…
    Isso envolve crença, sim. E, por esse ponto de vista, a palavra “dogma”, utilizada por você, pode estar correta.
    Não, Carla, não se pode provar a reencarnação. Milhares de espíritas, dentre os quais eu humildemente me incluo, SABEM que animamos outros corpos, outros personagens, antes da encarnação atual. Sabemos, por experiência, por estudo e conhecimento, através da mediunidade, do que se convencionou chamar de regressão de vidas passadas, ou de projeção consciente. Não tenho o menor interesse em provar nada a ninguém. Mesmo que tivesse esse interesse, não tentaria provar nada a alguém como você, que tem sua própria crença, é segura do que sabe, pensa e sente. Só respondi a você, invadindo um artigo que não foi escrito por mim, para dizer que Espiritismo é conhecimento, sim. Você tem o seu conhecimento. Eu tenho o meu. Alguma coisa do nosso conhecimento é comum aos dois. Se quiser falar sobre isso, falemos.
    Fique com Deus.

  32. Tudo bem. De qualquer forma lhe devo desculpas pelo meu tom agressivo. Sobre a veracidade da Reencarnação… nem é preciso falar… Eu não me refiro ao ponto de vista religioso, mas científico. Estudos espíritas há milhares, porém nada que comprove de fato essa tese. O Espiritismo está errado? Leia o artigo que mencionei anteriormente e tire as suas conclusões. Se desejar (o que eu duvido muito) me mande o seu e-mail que vou lhe enviar 30 teses que que “derrubam” a Reencarnação. Não se esqueça: Somos eternos aprendizes, não é? Devemos ser questionadores, ok? Então espero que não se ofenda. Como o Sr. mesmo disse: “A verdadeira ênfase do Espiritismo não é o debate tentando comprovar a sua opinião, mas sim análise racional…” Bem, fico por aqui. Espero que seja receptivo com ideias que contrariam sua crença (acredite, Espiritismo nunca foi conhecimento). É duro para mim agir dessa maneira pois essas põe em descrédito tudo que acredito, mas se o Sr. prefere a lógica devo fazer isso. Beijos.

  33. Rodrigo, admiro muito sua boa vontade e desejo de expressar suas experiências evangélicas à luz do espiritismo. Porém não devemos nos esquecer de que dentro de todas as denominações existem mentores responsáveis pelo bom andamento do culto. Animismo existe em qualquer lugar, até mesmo dentro de centros conceituados, pois principalmente no início do desenvolvimento mediúnico o médium encontra muitas dificuldades para filtrar suas emoções das do espírito que quer se comunicar. Apesar de conhecer e ter frequentado muitas denominações evangélicas, também já presenciei manifestações eloquentes, mas tenho aprendido que a boa vontade somada com a Fé funciona como uma usina de forças que tem o poder de realizar grandes obras. Conheço grandes médiuns no meio evangélico, com dons sublimes, que se a espiritualidade desse exclusividade somente aos que adquiriram conhecimento, eles ali não estariam, realizando trabalhos tão importantes no meio de pessoas carentes de direção, curas e libertações. Me desculpe, entendi e compreendi seu texto, mas também tenho muitas experiências boas para compartilhar do meio evangélico. Fique com Deus.

  34. Querida Carla, eu não acho ninguém preguiçoso e nem desmereço nenhuma fé. O que me coloco contra são os aproveitadores das religiões e charlatães que abusam dos seus dons para prender as pessoas mais simples. Também não disse que discutir com católicos e protestantes é como discutir com crianças, já que não discuto com ninguém, simplesmente tento mostrar a minha fé com o raciocínio científico-espírita, o que consta em minha opinião particular, pois não sou dono da verdade. Quanto ao espiritismo estar errado tenho certeza que se isso for verdade o próprio espiritismo se inteirará do seu erro futuramente, já que o mesmo é evolucionista e evoluirá para se inteirar de mais luz. Sobre a reencarnação você sabe e todos os que conhecem as escrituras bíblicas que a doutrina foi desvirtua lizada pelos numerosos concílios da igreja, já que ela fazia parte da fé dos primeiros irmãos. Te desejo muita paz, minha irmã.

  35. Sr. Rodrigo, antes de tudo saiba que não é meu intuito perturbar a paciência. Todavia me recuso a aceitar ser chamada de ignorante. Suas belas palavras nada mais são do que puro preconceito doutrinário, pois é notório a sua preocupação em deslegitimar os ensinamentos das nossas Igrejas em prol do Espiritismo. Saiba que nós, que estudamos as Escrituras com seriedade, mesmo que vocês nos achem preguiçosos e acomodados nessa questão, não precisamos dos Livros de Allan Kardec para compreendermos a espiritualidade, porque temos a Bíblia Sagrada, a qual é suficiente.

  36. Caro Rodrigo, assim como muitos espíritas, você subestima a capacidade de raciocínio do outro que vai contra as suas convicções. Crença, cada um tem a sua (OBS.: Por favor, comentários do tipo “debater com um católico ou protestante é como discutir com uma criança, ela nunca vai entender” já virou clichê). O Sr. nos ofendeu ao fazer essas declarações. Já leu o artigo “A Ciência desmente o Espiritismo”? Pois é. O autor leu TODOS os livros do nosso amado codificador Allan Kardec. E adivinha? Encontrou declarações que contrariam toda a LÓGICA, sobretudo a Ciência. Irmão, como um conhecedor da Doutrina Espírita você deveria saber (ou mostrar que sabe) que: O Espiritismo não é a verdade absoluta e muito menos científico, pois o mesmo possui dogmas, como a Reencarnação a qual até os dias atuais não foi comprovada. Quando o site católico divulgou o artigo vários espíritas “lançaram mísseis” contra ele. Agora o Sr. faz conosco o mesmo que fizeram com vocês em 2003. Eu o pergunto: Isso é justo?

  37. Edson, você tem um dos meus sobrenomes. Sabe, muita gente acha ruim os rituais, porém te digo que nem todos os rituais são assim tão ruins, há rituais bons e bíblicos. Desculpe, eu sou evangélico ainda e acho que sempre serei, tenho que defender aquilo que eu acredito. Mas além de defender os rituais eu acho que muitos rituais não devem ser descartados assim tão rápido e isso nem pelos espíritas, visto que ainda não aprendemos todos os significados embutidos ou escondidos em muitos rituais. Já viu um batismo? Digo um batismo à luz do evangelho, quando uma pessoa já entende o que quer e se batiza pela sua vontade. Pois é, ele representa a reencarnação, estou elaborando um texto que fala sobre isso, tá? Só que logicamente respeitando cada opinião, fique com Deus.

  38. Querida Ana Paula, sempre acompanho os seus comentários e sinceramente por causa deles tenho esforçado muito mais a minha humildade, já que você sempre me enche de elogios; obrigado. Você certamente é muito mais abençoada que eu, já que consegue usar esse “DOM” de curas e muitos outros que pelo que me parece usa muito bem, continue, minha irmã, sem tentar expor nada daquilo que entendes como verdade no meio onde estás, se quiser continuar no meio evangélico, pois você sabe o quanto somos perseguidos. Um dia nascerá a luz sobre essa Terra, na igreja do nosso senhor Jesus o CRISTO. MUITA PAZ.

  39. A verdadeira ênfase do Espiritismo não é o debate tentando comprovar a sua opinião, mais sim a análise racional e o estudo científico-religioso-filosófico, enfatizando cada opinião à luz da codificação kardequiana, por isso aquele que não conhece o pentateuco espírita não pode ser um debatente.

  40. Rodrigo, ler os seus artigos e saber que você é evangélico tem sido de grande ajuda para mim. Após 15 anos de doutrina espírita, hoje me encontro evangélica. Bom saber que existem pessoas que como eu gostam ou precisam do ambiente das igrejas mas não deixam se levar só pela emoção e buscam a razão. Parabéns pelo seus textos, são ótimos. Fique na paz.

  41. Gostei do texto, entretanto farei algumas observações: Não SOMOS IRRACIONAIS. Cada um tem uma visão diferente sobre a espiritualidade. Por acaso a Doutrina Espírita é a verdade absoluta? Não. Ela é racional? Não sei pois não sou espírita, mas eu reconheço uma pseudociência e a mesma se encaixa muito bem nesse perfil. Queridos querem debater? Tenho vários argumentos para defender meu ponto de vista, que tal?

  42. Boa noite Rodrigo,
    Esses relatos fazem muito bem a outros que não entendem o que acontece com elas, por falta de conhecimento.
    É maravilhoso quando usamos estas energias para a cura espiritual, física, mental, emocional…
    Um belo depoimento, levanto a bandeira de usarmos a mediunidade para a cura, quando o faço sinto muito próxima de Deus.
    Agradeço todos os dias essa oportunidade que Deus me concedeu.
    Você é abençoado, agradecemos por esta dádiva, que assim seja!

  43. Oração!
    É um momento muito particular!
    Já fui a muitos casamentos, batizados, algumas missas acompanhando familiares ou amigos.
    Mas nunca me senti a vontade nesses lugares!
    Nunca fui adepto de rituais, acho até que já nasci espirita, se me permite falar assim! Apesar de nunca carregar “bandeiras”!
    Enquanto muitos fazem o maior “auê” no momento da oração, eu me pego em alguns momentos em silêncio, conversando com DEUS, com JESUS, com meu mentor!
    Um momento particular, simples e tão sublime.
    Apenas o coração falando!

  44. Bom dia. Excelente texto e uma análise que pode ser muito mais aprofundada e estudada, pois entendo da mesma maneira que você, que se os fenômenos observados nas igrejas pentecostais fossem melhor estudados e além disso compreendidos principalmente pelos fiéis, esses dons seriam muito mais potencializados na prática do bem… A demonização é até certo ponto cultural e hoje uma jogada de marketing também, não podemos negar.
    Da mesma forma, se ao invés de criticar ferrenhamente, a igreja católica e os protestantes tivessem usado o LIVRO DOS ESPÍRITOS como forma de ESTUDO, como um manual da vida espiritual, possivelmente estaríamos num outro patamar…
    E quanto aos espíritos das matas??? Bem, não é preciso dizer que há muito a Umbanda entende e traz estes espíritos para realizar um trabalho com a caridade. Alguns podem estar ainda atrasados? Sim, claro, afinal a evolução espiritual é individual, porém, temos muitos espíritos sábios de índios que contém um conhecimento, principalmente das ervas e folhas que poderiam auxiliar demais nossa humanidade.

    grande abraço.

  45. Um belo texto… acho que o protestantismo ainda hoje é necessário pois muitos sequer têm fé em alguma coisa e as igrejas evangélicas desenvolvem uma fé ardente, ainda que seja irracional, apenas baseada na emoção, em uma vida futura essa fé ardente vai dando lugar à fé raciocinada, os protestantes de hoje são os espíritas de amanhã, tenho certeza disso… eu fiz o mesmo caminho que você, do protestantismo à doutrina espírita, e ainda hoje mantenho o hábito de ler a Bíblia só que com a visão que a doutrina nos oferece… parabéns pelo texto…

    abraços

  46. Obrigado Josiane. Não, eu nunca li esse livro, vou procurar e depois te respondo, mas acho que tudo depende da afinidade do espírito com o encarnado.

  47. Rodrigo, eu fico impressionada com a visão que você tem sobre a espiritualidade, é muito bonita essa sua busca, parabéns! Eu já me questionei o porquê das igrejas evangélicas atraírem tantas pessoas, como convivo com evangélicos fui os analisando e infelizmente me parece que essa multidão é atraída por uma certa “troca”, ou seja, você tem um desvio de conduta, mas se você for à igreja e “comparecer” com o seu dízimo, você terá um lugar no paraíso. Não quero que você me entenda mal, mas vejo claramente, pelo menos com as pessoas que eu convivo, que falta muito essa busca constante de aprendizado e amor ao próximo independente da suas escolhas! Você já leu o livro Aconteceu na casa espírita? Tem uma passagem em que espíritos trevosos conseguem intuir um pastor, qual a sua visão a respeito disso? Obrigada! Fique em paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.