Colaboradores

Ressurreição ou reencarnação?

ressurreicao
reencarnar, ressuscitar, ressurgir…

ARTIGO DE AUTORIA DE RODRIGO PNT

Ressurreição, reencarnação, ressurgimento. Ressuscitar ou ressurgir? Eis a questão.

Jesus falou que todos os que morreram, para Deus estão vivos e é fato que muitos vivos entre nós estão mortos, a própria bíblia nos mostra isso.

“Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),

E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, no Cristo Jesus;” Efésios 2: 5, 6.

Portanto todos os que estão seguindo seus ensinamentos já ressurgiram e ressuscitaram, porque entenderam aquilo que lhes importa para alcançar o esclarecimento. Doravante não importa mais a morte física, ou seja, o desencarne, porque estes já alcançaram a ressurreição entre os mortos que estão vivos aqui no mundo e a morte física já não lhes afetará, e é isso que os cristãos primitivos pregavam, eles queriam que todos entendessem que não precisavam temer a morte já que Jesus lhes havia mostrado que esta não existe verdadeiramente. 

Quando estamos encarnados, os que não possuem ainda a percepção espiritual compreendem que a verdadeira vida é aqui habitando nesse invólucro material e partilhando das suas similaridades, mas quando acordamos no outro lado e nos vemos mergulhados em energia segundo a composição do perispírito, entendemos que ressurgimos para a verdadeira vida de fato e isso seria compatível com a ressurreição, já que os Espíritos mais perfeitos, quando na carne, trazem essas percepções em sua lembranças e falam de uma forma particularmente sua, enquanto os menos perfeitos não conseguem lembrar dessa peculiaridade, por isso propõem a teoria da ressurreição da carne visando um corpo transformado. Derivam daí e de outras facetas da evolução pessoal os diversos conceitos, teorias e concepções dessa e de diversas outras verdades espirituais e divinas que forjamos nessa escalada monstruosa em direção à cristianização do eu interior.

Assim também ocorria com os primeiros cristãos, já que havia os mais evoluídos e os menos evoluídos e até mesmo entre os discípulos do Cristo, razão pela qual parecia que Jesus tinha os seus preferidos, não que fossem preferidos de fato, porém o mestre conhecia até onde ia a capacidade de compreensão de cada um deles, e os mais capacitados pelas longas reencarnações o mestre mantinha mais próximos a si. Dessa forma também foi a razão pela qual se mantiveram por longos séculos as escrituras sagradas sem mutação nenhuma ou quase nenhuma, ela precisava ser transmitida como palavra de Deus e o próprio Cristo precisava ser olhado como uma divindade, por isso as cerimônias e os catecismos, as tradições e os seminários teológicos, não porque fosse imprescindível o aprendizado dentro da igreja, mas sim porque os símbolos do próprio cristianismo precisavam ser conservados até que a promessa feita pelo Cristo fosse cumprida, a de enviar o Consolador, aquele que ensinaria todas as coisas e faria lembrar de tudo que ele, Jesus, disse ( João 14: 26) e se preciso era lembrar é que mesmo com todas as tradições e ritualísticas inseridas pelos cristãos ao longo de vinte séculos não bastariam para que as palavras do Cristo não fossem esquecidas ou suplantadas pelo egoísmo e materialismos dos homens, os quais cada qual agia dentro de sua própria evolução e compreensão divino-espiritual.      

“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.

Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.” Daniel 12: 2, 3

O nosso orbe terrestre está em regeneração desde o século dezenove e muitos não sabem que isso foi anunciado por um profeta daquele século chamado Guilherme Miller. Na verdade o que ele anunciou foi a volta do Cristo em 1845, mas o que Miller não entendeu é que tratava-se do fim do período profético de Daniel e o advento do Espírito da Verdade prometido pelo Cristo, o que se deu conhecimento pela primeira obra de Kardec intitulada O Livro dos Espíritos, liderada pelo Espírito da Verdade no ano de 1857. Guilherme Miller entendeu pelas profecias de Daniel 8: 14 e, em prosseguimento, todo o quadro de visões, que em 1845 se findaria o período das visões mostradas a Daniel e deduziu erroneamente, assim como muitos no tempo do próprio Cristo deduziram, que o Ungido viria para salvá-los das nações estrangeiras, também Miller achou que Jesus viria como redentor e salvador dos fiéis e aí entram muitos outros assuntos como purificação do Santuário e diversos assuntos de ordem cerimonial judaica que se nos prendêssemos agora a isso tornaria esse artigo muito extenso.

Pois bem, o que nos interessa é que houve um movimento muito abrangente no meio protestante anterior ao Espiritismo no século dezenove começado por Miller e se estendeu por todo o mundo, e esse movimento anunciava o advento do Cristo baseado no fim do período profético demarcado por Daniel em suas visões. Desse movimento surgiram diversas seitas religiosas das quais algumas sobrevivem até hoje, e não digo que haja fundamento para elas a não ser o de Miller, o qual foi um movimento verdadeiramente inspirado pela espiritualidade para que demarcasse o princípio da regeneração terrena e o advento do Espiritismo como terceira revelação trazendo o conhecimento da justiça divina que é a reencarnação e restaurando o evangelho primitivo e o evoluindo para os séculos seguintes.

Muitos podem me perguntar, então porque a revelação das verdades espíritas não deu prosseguimento dentro das denominações protestantes? E eu respondo: Pelos mesmos motivos que as verdades ditas pelo Cristo não foram aceitas dentro do judaísmo. Caridade, sim, é isso mesmo, a verdadeira caridade do supremo autor da vida. Deus em sua infinita compaixão pelos seus filhos, os vendo mergulhados em suas disciplinas religiosas quando essas têm algum proveito evolutivo, jamais tira o doce da sua boca. Não é Deus que julga nossos ideais religiosos, somos nós mesmos que nos julgamos pelas nossas convicções, todo novo tempo que se inicia nesse orbe, centenas de religiões se iniciam juntas e isso há milhares de anos, todo acontecimento que possua algum alcance mundial gera um novo ideal de vida e isso vem seja por concepções, religiões, governos ou organizações, em outras palavras tudo o que é bom para nós é verdadeiramente bom, não importa a embalagem que nós demos ao bom.  

“E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim.

Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão.

E desde o tempo em que o sacrifício contínuo for tirado, e posta a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa dias.

Bem-aventurado o que espera e chega até mil trezentos e trinta e cinco dias.

Tu, porém, vai até ao fim; porque descansarás, e te levantarás na tua herança, no fim dos dias.” Daniel 12: 9-13.

Eis agora nós, os ressurgidos do pó, eis a ressurreição, tudo se cumpriu, o que muitos de nós que vemos no Espiritismo a terceira revelação não entendemos é o obvio, é a terceira revelação, antes tiveram duas outras revelações e se tanto buscamos por conhecimento então abracemos o todo, porque lhes garanto que todo o que aceita essa doutrina como verdade um dia já foi um mestre ou sacerdote do antigo testamento, e se queremos o real conhecimento precisamos conhecer e compreender os sinais, as cerimônias judaicas e cristãs e judaico-cristãs e tudo aquilo que está ligado às três revelações. Deixarei um versículo da bíblia para que aquele que entende, entenda que ele se refere a nós que nos dizemos espíritas hoje.

“Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. 

E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades.” Romanos 11: 25,26.

ESPÍRITAS, O ISRAEL ESPIRITUAL DE DEUS.

Rodrigo Pnt é presbítero evangélico e estudioso da Doutrina Espírita.

Para ler a repercussão gerada por este artigo, clique aqui: A reencarnação na Bíblia

Para ler a continuação e maior explicação deste artigo, clique aqui: As profecias e o Consolador prometido: o Espiritismo

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

12 Comentários

  1. Olá, eu nasci católica, após a morte de minha mãe comecei a frequentar um centro espírita e a ler muitos livros sobre espiritismo, incluindo os de Kardec, só que nunca me sentia conectada a Deus, não sentia a fé que muita gente sente, sofria muito com ansiedade e outras coisas. Há dois anos, encontrei uma igreja evangélica muito legal, e lá aprendi a ter relacionamento com Deus, a confiar, a ter a fé que sempre quis ter, e desde então me sinto mais feliz. Porém, a reencarnação é a única coisa que não consegui deixar de acreditar. E ela é algo tão forte em mim, que isso ultimamente tem me incomodado muito, pois nenhum amigo evangélico acredita, e vem com os argumentos que Jesus não tem como julgar várias vidas de um espírito, ou que não existem espíritos, são anjos e demônios. Então ler esse artigo do Rodrigo me deu uma luz e eu gostaria de ter mais informações, mais esclarecimentos, pois esse conflito entre as duas religiões dentro de mim não está me fazendo bem. Agradeço se puder ter um retorno.

  2. “APRENDA a amar a todos, indistintamente, para conseguir encontrar a luz que tanto anseia.
    Procure não distinguir o sábio do ignorante, o rico do pobre, quando se trata de ajudar.
    Saiba levar aos tristes a consolação, aos que lutam, o incentivo da compreensão e do carinho.
    A quanta gente você pode ajudar com sua palavra, incentivar com um pensamento!
    Ame a todos, indistintamente.”

  3. Bom dia a todos.

    Mais uma vez eu venho agradecer ao Rodrigo e elogiar o quão grande é a vossa sabedoria de relacionar seus conhecimentos como Presbítero Evangélico em junção com a Doutrina Espírita.

    Antes gostaria de pedir ao Morel Felipe para que exclua se entender que meu comentário seja inconveniente.

    Pois bem, eu tento ser 100% espírita, mas ainda tenho muito que evoluir ainda. E é quando surge uma pessoa assim como a Carla que chega atirando suas pedras, com críticas injustificáveis querendo construir muros ao invés de pontes, isso me enegrece os olhos e eu já quero bater de frente.

    Então vamos lá.

    Disse a Carla:

    “Rodrigo, o Sr.é mesmo um teólogo? Parece que você nunca estudou as Escrituras… Seu texto é pobre de conteúdo bíblico e cheio de contradições. O Sr mente ao afirmar ser evangélico. Seu artigo é inapelavelmente ruim. Me reservo o direito de refutá -lo sem muito esforço. Me dê um e-mail qualquer pois ao comentar seu texto vou devolvê-lo para você. Tenha um bom dia.”

    Bom dia Carla, venho respeitosamente conversar contigo sei que não deveria me intrometer no assunto, mas por esses comentários serem abertos ao público.

    Peço que justifique para nós aonde o Rodrigo não representou no contexto de seu artigo e não simplesmente diga que faltou isso ou aquilo.Eu como Cristão Espírita vi no rapaz uma sabedoria de grande valor moral.

    Obrigado a todos.

    Abraços fraternos.

  4. Olá Morel Felipe Wilkon, aprendo muito com o site. Quero dizer que já fui Adventista do Sétimo Dia. E já fui um profundo estudioso do Movimento de Miller. Deixo um trecho do livro da profetiza desta mesma igreja salientando que existe o Espiritismo puro, mas ele ao mesmo tempo no livro é negado. Veja:
    “O Senhor me proporcionou uma vista de outros mundos. Foram-me dadas asas, e um anjo me acompanhou da cidade a um lugar brilhante e glorioso. A relva era de um verde vivo, e os pássaros gorjeavam ali cânticos suaves. Os habitantes do lugar eram de todas as estaturas; nobres, majestosos e formosos. Ostentavam a expressa imagem de Jesus, e seu semblante irradiava santa alegria, que era uma expressão da liberdade e felicidade do lugar… Pedi ao meu anjo assistente que me deixasse ficar ali. Não podia suportar o pensamento de voltar a este mundo tenebroso. Disse então o anjo: ‘Deves voltar e, se fores fiel, juntamente com os 144.000 terás o privilégio de visitar todos os mundos e ver a obra das mãos de Deus.'” Primeiros Escritos, p. 39-40.
    ( Ellen White).

  5. Não há pontos falhos, querida Carla. Todos são senhores do saber, o saber ensoberbece mas a caridade é perfeita.

  6. Enviei o artigo comentado para o e-mail do Morel Felipe. Espero que o Sr Rodrigo faça uma análise e julgue os pontos falhos dos meus comentários. Fiquem com Deus!

  7. Rodrigo, o Sr.é mesmo um teólogo? Parece que você nunca estudou as Escrituras… Seu texto é pobre de conteúdo bíblico e cheio de contradições. O Sr mente ao afirmar ser evangélico. Seu artigo é inapelavelmente ruim. Me reservo o direito de refutá -lo sem muito esforço. Me dê um e-mail qualquer pois ao comentar seu texto vou devolvê-lo para você. Tenha um bom dia.

  8. Israel foi o nome dado por Deus a Jacó, (Gênesis 32:28), filho de Isaac e neto de Abraão. Israel teve 12 filhos, que deram origem às chamadas 12 tribos de Israel, tratadas no Antigo Testamento como o povo escolhido de Deus. Quando se fala em povo hebreu ou povo judeu, na bíblia, está-se referindo ao “povo de Israel”, ou seja, ao povo escolhido de Deus. Falar em Israel, no contexto bíblico, é falar nos escolhidos de Deus. Se o Rodrigo diz que os espíritas são o Israel espiritual de Deus, acredito que ele queira dizer que os espíritas representam os escolhidos espirituais de Deus.

  9. Boa tarde a todos.
    Muito bom o texto, Rodrigo.
    Desculpe-me a ignorância, mas só não entendi o final, ao que se refere-se aos espíritas. Talvez eu não tenha entendido pelo fato de estar estudando a doutrina há pouco mais de 3 meses, sendo que também não frequentava religião nenhuma, anteriormente (apenas algumas poucas missas).
    Aproveitando a oportunidade, gostaria de parabenizar os presbiterianos pela agradável hospitalidade que tivemos em um encontro de casais (ECC) em Belo Horizonte. Foi simplesmente maravilhoso!!!!!! Quebramos (eu e minha esposa) muitos paradigmas com relação aos evangélicos.
    Colocaram a importância de Cristo na vida de todos sem colocar a religião na frente. Muita dedicação por parte de todos os envolvidos para realização do evento. É muito bom ver pessoas trabalhando no propósito de Deus sem se preocuparem com a religião e sem querer IMPOR suas preferências sobre os demais.
    Fica aqui meus agradecimentos, novamente.
    Paz a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.