Ainda queima o incêndio de Santa Maria... | Espírito Imortal

Ainda queima o incêndio de Santa Maria…

Às vítimas de Santa Maria..

Às vítimas de Santa Maria..

Recebi muitas manifestações de leitores insatisfeitos com meu posicionamento em relação a possíveis culpados no incêndio na boate Kiss, em Santa Maria. Você pode ler o artigo aqui:

A tragédia na boate Kiss em Santa Maria

Não publico nada que contenha palavras ofensivas a qualquer pessoa. Opiniões em alto nível, mesmo que opostas às minhas, são sempre bem vindas. Não tenho acompanhado o noticiário. Não assisto televisão há quase dois anos. Tenho me mantido informado através de leitores e amigos. Aliás, nas redes sociais não há como não se manter informado.

Reitero minha opinião acerca de supostos culpados. Todos estão abalados, todos estão sofrendo. Que a polícia e o Ministério Público trabalhem com tranquilidade, sem pressão psicológica em busca de culpados.  Sempre aparece alguém pra dizer “ah, mas se fosse teu filho que estivesse lá…”. Não gosto nem de pensar nessa hipótese, você por certo também não. Mas também não gosto de pensar na possibilidade de crucificar alguém que também está envolvido, que também ficará com sequelas pelo acontecido.

Penso na complexidade da vida humana, penso na epopéia espiritual que é viver. Viver, vida após vida, atravessando dificuldades em busca da ascensão espiritual. Porque é lógico que há uma causa que gerou essa consequência. Na opinião abalizada de Emannuel, situações como essa encobrem carmas coletivos. Mas isso também não importa agora.

O que importa são os milhares de pessoas atingidas. Os bombeiros, os policiais, os profissionais da saúde, da imprensa, os funcionários da boate, vizinhos, amigos e parentes das vítimas. E, acima de tudo, seus pais e mães.

Quanto tempo será necessário para curar essas feridas? O que será preciso para confortar e consolar esses pais e mães? Por quantos séculos guardarão em suas memórias espirituais as duas últimas vezes em que viram seus filhos: antes de sair de casa e depois da tragédia? Que fortaleza de fé para segurar o ânimo desses pais e mães!

Jovens morrem todos os dias, nas mais variadas condições. Neste exato momento há um jovem entre a vida e a morte em algum hospital por aí. Os pais e mães sempre sofrem. É contra a natureza as mães e pais enterrarem seus filhos. É contra a ordem natural das coisas. Mas uma tragédia desse porte parece que multiplica a dor de cada um pelo número de vítimas. Como se cada mãe e pai perdesse mais de duas centenas de filhos.

A tragédia de Santa Maria e o sentimento de culpa

Tenho certeza que os espíritos trabalhadores estão sendo pródigos em cuidados. Não faltarão esforços para que todos aceitem o socorro que lhes é oferecido.

Agora é esperar que o tempo passe. Só o tempo para estancar sangrias como essas nos corações desses pais e mães.

Minha amiga Raquel Beghini me fez uma sugestão de artigo: “Sobre o incêndio em Santa Maria, o que leva um ser humano, por instinto de sobrevivência e desespero, a pisotear outras pessoas para sair e tentar sobreviver; e outras com instinto de ajudar que parece ser mais forte que o instinto de sobrevivência. Sem julgamentos, óbvio (…) 

Como eu disse acima, não tenho acompanhado o noticiário. Não sei de detalhes. Mas sei de casos de heroísmo que se sobrepõe ao instinto de fuga. Num momento de forte emoção é comum agirmos por instinto. E o instinto provocado pelo medo, pelo pânico, é o instinto de “lutar ou fugir”. Como não é o caso de luta, pois não há um agressor, resta a fuga. Sempre que há acidentes em grandes aglomerações de pessoas há casos de pisoteamento. Num momento assim não há raciocínio, é o instinto que comanda o cérebro. Não há como lamentar, não há como contestar essas condutas. Por outro lado, há casos raros de pessoas que se preocupam em primeiro lugar com o próximo, numa demonstração prática do mais autêntico sentimento de caridade, de renúncia de si mesmo. 

Instado por esse pedido da Raquel, li sobre o caso de um rapaz de 24 anos que salvou 14 pessoas e não conseguiu escapar com vida. Que exemplo que dispensa palavras! Enquanto muitos, como eu, consomem pilhas e mais pilhas de livros para aprender alguma coisa sobre caridade, esse rapaz demonstra com a vida o que vem a ser renúncia, abdicação de si mesmo. Certamente o Vinicius foi muito bem recebido por seus amigos espirituais…

Se você busca maiores esclarecimentos sob o ponto de vista do Espiritismo, leia este trabalho:

A TRAGÉDIA DE SANTA MARIA SOB A ÓTICA DO ESPIRITISMO

20 comentários para Ainda queima o incêndio de Santa Maria…

  1. Morel Felipe Wilkon disse:

    Aparecida, justamente hoje, agora, quando escrevo estas linhas, estou me preparando pra escrever sobre esses sentimentos de culpa que nos fazem tanto mal. Estava em dúvida se relatava uma experiência pessoal; o seu depoimento me esclareceu.
    Vocês certamente se encontrarão em situações muito felizes. Isso não é consolo, é uma constatação. Nos momentos de grande dor, quando a separação é recente, às vezes nem convém dizer isso. Mas você, apesar da falta que sente dele, deve agradecer a Deus pelo privilégio de ter convivido lado a lado com um espírito bom e agradável. Agradeça a Deus pelo amor que vocês sentem um pelo outro, agradeça pela oportunidade que terão de se encontrarem novamente, espiritualmente mais maduros e preparados para passos maiores. Obrigado, Aparecida!

  2. aparecida mota disse:

    Boa noite! Lendo o depoimento da Juliana Bagatin, estava pensando, dia 26 deste mês, faz oito anos que meu irmão desencarnou, foi muito difícil, ele tinha somente 38 anos, eu sou a irmã mais velha, nunca pensei sepultar meu irmão, ele estava bem, era uma pessoa que se preciso fosse daria sua vida para salvar outra pessoa, era um amigo, companheiro, não tinha inimigos. Ele simplesmente tomou um tombo no banheiro, bateu a cabeça foi dormir após o tombo e não acordou mais, teve uma hemorragia, entrou em coma e faleceu em seguida. Passei anos querendo achar um culpado, não aceitava a morte de uma pessoa tão especial, tão iluminada. Eu ficava arrumando desculpas, me culpava achando que se eu estivesse com ele isso não teria acontecido. Sinto muita falta do meu irmão querido, mas hoje entendo que chegou a hora dele. Mas sinto muita saudade dele que chega doer, ele faz tanta falta, estou me interessando pelo espiritismo pois é onde eu fortaleço minha fé. Um abraço a todos!

  3. Morel Felipe Wilkon disse:

    Celia, nem todos têm condições de escolher; há muitas reencarnações “compulsórias”. Mas um caso como esse não deixa dúvidas de que houve um grande planejamento espiritual. A origem disso, no passado, não sabemos. Teremos muitas informações nos próximos dias/semanas. É preciso algum cuidado antes de acatar qualquer informação que nos chegue como verdade. Obrigado, Celia.

  4. celia disse:

    Não teria esse caso (essa morte coletiva) a ver, talvez, com a inquisição? Tantas pessoas foram mortas em fogueiras na inquisição, em 1200. Não sou espírita (meus pais eram kardecistas) mas acredito piamente que não estamos aqui por acaso e acredito também que nada acontece por acaso. De alguma forma escolhemos, antes de reencarnar, como queremos viver e morrer. Estou certa disso. Concorda?

  5. Morel Felipe Wilkon disse:

    Kelly, eu que agradeço pela sua contribuição.

  6. KELLY CRISTINA DIAS DE BARROS SANTANA disse:

    Penso como você Morel; e após o acontecido fiquei assustada com a forma com que as emissoras de televisão instigavam a culpar ALGUÉM pelo ocorrido. Nós, ainda na nossa imperfeição como seres humanos, necessitamos sempre de achar um culpado (como se, achando, traríamos os entes queridos de volta). Julgamos, condenamos e decepamos as pessoas com o nosso poder implacável! Mais tarde soube que um dos sócios que se encontrava também internado havia tentado o suicídio ainda no hospital; já pensou? E se ele estava hospitalizado por haver ajudado no socorro aos frequentadores da casa? Provavelmente as péssimas vibrações de ódio e os amigos obsessores estavam influenciando-o. ACHO QUE QUASE SEMPRE ESQUECEMOS: “AQUELE QUE ESTIVER SEM PECADO QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA”. Obrigada amigos, bom fim de tarde!

  7. Morel Felipe Wilkon disse:

    Obrigado pela contribuição, Lise.

  8. Lise disse:

    Embora seja difícil o certo é que as pessoas que faleceram nesta tragédia devem ser deixadas em paz para trilharem este seu novo caminho.
    Todos fomos e seremos em algum momento pais e filhos um dia. A morte não escolhe idade, sexo, cor ou etnia, pois todo ser é puro espírito e usa da matéria conforme for necessário para desenvolver o plano divino que lhe foi dado.
    Uma simples oração e um pensamento de paz é o suficiente para que estas pessoas que faleceram percebam melhor, se for o caso, a luz divina como farol da evolução.
    Tudo que é vivo fatalmente se finda, independente de seu tempo de vida nesta dimensão, mesmo as pedras se fragmentam, quanto mais seres feitos de mero aglomeramento cárneo. Temos nos concedido por Deus o tempo exato para nosso desempenho dentro deste mundo. Muitos que faleceram não estão resgatando erros de vidas passadas, pois muitos espíritos se comprazem em servirem de professores a nós que estamos por aqui neste momento. Eles não temem a morte, usam desta para difundir a sabedoria divina a nós criaturas irmãs que estamos nesta senda de vida.
    Assim devemos ter pensamento positivo e fé na sabedoria divina e na evolução de nossos irmãos agora na luz do Pai a nos observar. Há lições nisto tudo e cabe a nós refletirmos sobre elas.
    Só o homem como ser vivente pode refletir sobre seus atos.

  9. Morel Felipe Wilkon disse:

    “A morte vem de qualquer forma, seja na cama, no meio da rua, tomando um banho… o modo não importa.” Há um filme que retrata isso. Não é um filme espírita, pode haver conceitos estranhos ao espiritismo, mas dá uma boa ideia sobre isso que você afirma. Chama-se “Depois de partir” e o link no youtube é este: http://www.youtube.com/watch?v=RMfTLXdXA68 . Obrigado pelo comentário, Lise!

  10. Lise disse:

    Quem estuda o que os espíritos dizem sabe que estas pessoas que faleceram em Santa Maria já haviam tratado de seu passamento naquelas condições enquanto espíritos, em pagamento por algum dano em outras vidas. A morte vem de qualquer forma, seja na cama, no meio da rua, tomando um banho… o modo não importa. A prevenção é um modo de ter amor ao seu próximo, compaixão e este acidente revelou mais uma vez a necessidade da prevenção às pessoas. E outra coisa, também revelou que a criação que vem sendo dada aos jovens (ou melhor – a não criação, dentro de valores morais) apenas tem tornado mais selvagens as pessoas, sem respeito por si e pelos seus semelhantes. Jovens em bebedeiras, drogas, promiscuidades tal qual pessoas de séculos passados. A mensagem de Deus usando esta tragédia foi dada. Cabe a todos ouvirem e apenas desejarem paz e luz a todos atingidos. Nada mais, porque Deus sabe da necessidade de cada ser deste imenso universo. A morte é porta para vida eterna e nada vivo neste universo deixará de passar por ela.

  11. Morel Felipe Wilkon disse:

    Pra você também, Fernando; obrigado!

  12. fernando marion disse:

    Perfeito em tudo… abraço… bom final de semana.

  13. Morel Felipe Wilkon disse:

    Não teria essa pretensão de corrigir você, Mário. Mas é isso mesmo, eu não tenho dúvida. Um abraço, grande Mário!

  14. Mário Penaforte disse:

    Com certeza o Vinícius resgatou algo do passado… Assim como todos ali envolvidos, encarnados e desencarnados, têm seu “carma”, débito a pagar… Como os espíritos socorristas… Também tem seu preço, resgates a saldar… Nada, absolutamente nada é por acaso. Tudo tem sua razão de ser.
    Caro Morel, caso eu esteja errado, favor me corrigir!
    Forte abraço.

  15. Morel Felipe Wilkon disse:

    Juliana, agradeço sensibilizado o seu depoimento, e admiro a maneira como alguém com uma bagagem existencial como a sua consegue tratar disso com lucidez e amor. Muito obrigado, Juliana; um abraço carinhoso!

  16. juliana Bagatin disse:

    Morel, meu irmão morreu asfixiado com fumaça de pólvora dos fogos de artifício, numa explosão nos fundos de uma casa. Ele e mais sete amigos se foram, tudo teve uma ampla cobertura das emissoras, pois um helicóptero da Record estava sobrevoando a área quando a explosão começou. Foram cenas que até hoje não assisti, mas filmaram até meu irmão gritando por socorro na janela do banheiro… Fiquei arrasadíssima, pois era o terceiro irmão que eu estava enterrando. E em meio aos prantos visitando o túmulo do meu irmão uma semana depois, muito comovido, um coveiro antigo se aproximou e com seu jeito humilde e grande sabedoria me disse:`moça, você nunca vai ler num atestado de óbito: morreu porque chegou a hora, a morte tem sempre uma desculpa…´ Palavras tão simples mas que me aliviaram tanto. Gostaria então, de olhar para cada um dos familiares, amigos, namorados que perderam seus queridos nessa tragédia e dizer que a dor vai passar e que só ficará a saudade das boas lembranças. O acidente foi em 2001, o nome do meu irmão era Luciano, pode pesquisar que você vai encontrar alguma coisa. Um grande abraço!

  17. Morel Felipe Wilkon disse:

    Franco, agradeço pela sua contribuição. Você tem total razão quando afirma que “precisamos deixar de querer encontrar culpados em tudo. Senão, de nada serve repetirmos nas igrejas e templos a oração máxima que Jesus nos ensinou”. Um abraço.

  18. Boa tarde Morel,
    Assim como toda a comunidade espírita, que sugere calma e paciência à sociedade nessa hora tão difícil e dolorosa a todas as vítimas, tanto encarnadas quanto desencarnadas, integro-me às suas colocações. Considero-as como opiniões sinceras e oportunas.
    Vivemos em momentos de muitas tribulações sociais. Que deus nos auxilie com aceitação e compreenssão porque tais acontecimentos não são nem uma vírgula diante dos muitos que se sucederão.
    Somente a paz, o amor e a fé de que o alto é quem está no leme de nossa trajetória, nos fortalecerá os sentimentos mais profundos. Porém, em primeiro lugar é preciso aprendermos a perdoar. Enquanto vivermos buscando justiça nas parcas e frágeis mãos humanas, continuaremos irresolutos em baixos sentimentos e dores profundas.
    Precisamos deixar de querer encontrar culpados em tudo. Senão, de nada serve repetirmos nas igrejas e templos a oração máxima que Jesus nos ensinou.

    Abraço fraterno

  19. Morel Felipe Wilkon disse:

    Sou eu quem agradeço, Raquel.

  20. Raquel disse:

    Foi justamente esse rapaz de 24 anos que me deixou apreensiva com a capacidade que nós seres humanos podemos ter de sobrepor o instinto de sobrevivência para se preocupar com o próximo. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>