Temas abordados

Espiritismo e a abolição da escravatura

espiritismo abolição da escravatura

Morel Felipe Wilkon

Artigo publicado originalmente em 13/05/2013

Quando da abolição da escravatura no Brasil, fazia apenas 31 anos que o Espiritismo havia surgido na França. Talvez você não dê importância à data comemorada hoje. No entanto, 125 anos atrás, quase um milhão de espíritos encarnados no Brasil deixaram de ser propriedade de outros espíritos encarnados no Brasil. 125 anos atrás era legalmente abolida a escravidão no Brasil, a maior aberração de que se tem notícia neste planeta. Nada se compara à escravidão. Um ser humano ser propriedade de outro ser humano. Nenhum crime, por mais bárbaro que seja, é tão vergonhoso à condição humana quanto a escravização do seu semelhante.

Oficialmente, havia pouco mais de 700 mil escravos na data da abolição. Em poucos anos, mais da metade deles havia morrido. Acostumados ao trabalho nas fazendas, em sua maioria, foram se aventurar nas cidades, sem ter recursos ou paradeiro. Muitos caíram no alcoolismo, na criminalidade, na mendicância. Tiveram início as primeiras favelas. Milhares de idosos e crianças ficaram abruptamente sem proteção, sem cuidado, sem nada. As sequelas dessa época duram até hoje.

Abolição da escravatura
Havia escravos no Brasil…

O Brasil foi construído a braço negro. Somos um país de bases negras. Somos um país onde durante séculos o trabalho era considerado ofensivo aos brancos dominantes.

O 13 de Maio já foi feriado nacional. Até 1930 era a data da fraternidade dos brasileiros. Sua comemoração foi proibida por Getúlio Vargas, em sua tentativa de integração nacional. Getúlio também proibiu os descendentes de imigrantes europeus de falarem suas línguas de origem, caso dos alemães do Sul. Getúlio pretendia uma nação brasileira autêntica, unificada. Foi nessa época que firmou-se o Brasil do futebol e do carnaval.

Espiritualmente, reencarnaram no Brasil muitos milhões de espíritos com a prova rude da escravidão. Muito ódio foi gerado, muitas perseguições continuam até hoje em forma de obsessões.

Mas não podemos deixar de reconhecer o quanto de amor nasceu da dor do cativeiro. Famílias de escravos que desenvolveram o amor entre seus membros superando o sofrimento; o carinho e a amizade que havia muitas vezes entre senhores e escravos. Crianças cresciam brincando juntas, e muitas dessas amizades venceram as diferenças de condição social. Muitos amores proibidos, muitos filhos gerados clandestinamente. Muitos exemplos de amor e perdão na figura dos pretos velhos, em sua maior parte espíritos bastante evoluídos incumbidos de zelar pelos seus irmãos de amargura e de incutir o amor fraternal no coração dos senhores.

Nada justifica homens submeterem homens. Mas nosso planeta não se caracteriza pelo ideal, mas pelas provas a que somos todos submetidos em nossa escalada evolutiva. A História é uma coleção de injustiças e atrocidades. A História foi escrita e protagonizada por nós, espíritos imortais ligados a Terra. Fomos nós os responsáveis por tudo o que já se fez neste planeta, através de múltiplas reencarnações. Muitos de nós fomos escravos e senhores.

Nos encaminhamos para um Brasil mais justo num mundo mais justo. Me atrevo a duvidar de que exista país mais amoroso do que o nosso. Duvido que em outro lugar do mundo haja a miscigenação, o convívio harmonioso, o respeito que há entre tão diversas etnias como aqui. Em Porto Alegre, onde moro, árabes e judeus são vizinhos de loja. Sei que há discriminação. Mas os que se apressam a falar mal do país talvez não saibam que preconceitos e discriminações são falhas de caráter do espírito, não dos brasileiros em particular. Não são características de uma sociedade ou povo. São traços negativos de que devemos nos livrar.

Sei que muitos asseguram que ainda há escravidão, só que disfarçada. Que o negro ainda é marginalizado pela sociedade. Há muita verdade nisso. Mas lembro a esses que os antepassados dos negros de hoje não considerariam as condições atuais dessa forma. E que estamos brancos, ou negros, ou índios, mas somos espíritos. Há uma condição de igualdade mais ampla e perene do que as diferenças impostas pela transitoriedade da matéria. 

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

8 Comentários

  1. Aurora, diz o ditado que Deus escreve reto por linhas tortas. O processo de escravidão foi decisivo para a transformação de milhões de pessoas. Aliás, a escravidão africana nos marcou muito por ter sido recente, mas a escravidão sempre existiu e isso foi um dos fatores que colaboraram para a troca de conhecimentos e experiências entre pessoas e povos.
    O espírito jamais retrograda. Só reencarnaremos numa tribo indígena se tivermos algo específico a espiar nesse meio ou se nos dispusermos ou formos incumbidos de uma tarefa específica, como, por exemplo, a evangelização.
    A dor faz parte do aprendizado deste planeta; ela atinge a todos. É a dor que nos tira da inércia.

  2. Eu já ouvi uma pessoa dizer que a escravidão foi a melhor coisa para o povo da África, pois lá até hoje não foi inventada a roda, há muita fome, guerras e praticamente nenhuma tecnologia, e também porque houve uma “seleção” genética, onde só os mais aptos e fortes sobreviviam às terríveis condições de vida e que isso melhorou os negros geneticamente, fazendo-os mais resistentes. Achei essa opinião muito peculiar, mas não pude discordar totalmente pois tem sua lógica, por mais politicamente incorreta que seja. Não nego que eu preferiria mil vezes ser um descendente de escravo vivendo numa favela do Rio de Janeiro do que viver na Somália… mas ao mesmo tempo fico pensando: será que um espírito mais desenvolvido não iria querer encarnar numa tribo indígena ou africana? Acredito que todo aprendizado é válido, mas em um país com um grau de desenvolvimento um pouco mais elevado como o nosso ou como um país europeu pode oferecer um aprendizado mais complexo. Não seria a colonização ou a escravidão uma “aceleração” para o desenvolvimento desses espíritos, apesar de todo sofrimento e coisas terríveis que isso gerou? Ou não tem nada a ver e nós que estamos aqui com acesso à internet e provavelmente vivendo em uma região urbana, podemos na próxima vida encarnar em uma tribo indígena? Ultimamente tenho feito questionamentos assim, principalmente quando penso no sofrimento que existe em alguns países… acredito que essas pessoas tem um motivo para passar por isso, assim como nós que temos uma vida muito privilegiada em relação a muitas pessoas, passamos por dificuldades para crescer e aprender.

  3. Meu irmão, não desmerecendo os outros textos, mas gostei muito deste, muito lindas as suas palavras, é uma pena que já estão esquecendo dessa data, o que não deveria acontecer jamais. Obrigada!

  4. Caro Morel, esse certamente foi mais um dos escândalos a que Jesus se referia… a escravidão foi responsável por pelo menos 600 anos de atraso na evolução moral do país, agravando sobremaneira o carma individual e planetário. Tomara tenhamos absorvido a lição, embora o preconceito ainda reine de maneira camuflada entre alguns, boa semana.

  5. Bom dia, o progresso sempre vem, mas como você falou, muitos desses escravos após serem libertos se perderam vagabundos pelas ruas, outros encontraram o seu caminho enquanto escravos, pois muitos afetos lhes foram despertados. Eu penso que a escravidão foi justamente isso, uma maneira de progredir os espíritos nativos africanos e os que não puderam alcançar esse progresso perderam-se após a sua libertação, quem sabe recebendo novas oportunidades de progredirem futuramente aqui na Terra ou em outros planetas. Mas o importante é que as sementes que já haviam amadurecido com o sofrimento tiveram expurgados seus erros e puderam adentrar um novo tempo de consciência, embora seus algozes terão se endividado para com a consciência cósmica, como foi dito sobre os escândalos. Um ótimo dia pra todos e paz.

  6. Silvoni, só não podemos pensar que as coisas deveriam ter acontecido como aconteceram. É que o progresso vem de qualquer modo, com ou sem a colaboração dos homens. Jesus nos alertou a respeito disso: ” Ai do mundo, por causa dos escândalos; Porque é inevitável que venham escândalos, Mas ai do homem pelo qual vem o escândalo.” Ou seja, quem incorreu em erro, mesmo que esse erro tenha servido para o progresso, terá que se reajustar com a Lei de causa e efeito, se rearmonizar com o Universo. Uma ótima semana pra você, Silvoni.

  7. Bom dia, Morel. Muito bem lembrado, nada é por acaso. Todos esses desmandos tinham um objetivo, a lei divina é perfeita.
    Fique em paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.