Ecologia e meio ambiente, Vegetarianismo

Gostar dos animais

Gostar de cachorro e gato não faz de alguém um defensor dos animais

Você gosta dos animais? Você faria alguma coisa para diminuir o sofrimento animal no mundo? Sei que você gosta de cachorro, todo mundo gosta de cachorro (todo mundo é exagero, né?). Mas gostar de cachorro não é gostar de animais, é gostar de cachorro.

Tenho visto campanhas em benefício dos animais. Recentemente vi uma de cunho quase oficial. Mas não era em benefício dos animais. Era em benefício de alguns cachorros. Você não é um defensor dos animais por proteger ou criar meia dúzia de cachorros. Você pensa que é defensor dos animais, e gosta tanto dos animais que come alguns pedaços deles todos os dias.

Sim, eu sou vegetariano. Mas não pense que tenho a pretensão de me achar melhor ou mais certo que alguém por isso. Só estou dizendo que gostar de cachorro e gato não faz de alguém um defensor dos animais.

Eu tenho algumas plantas em meu apartamento. Isso não faz de mim um ecologista, defensor da natureza! Dois de meus cinco filhos não são meus filhos biológicos. Isso não faz de mim um protetor das criancinhas! Colaboro com instituições doando minhas notas fiscais. Mas isso não tem custo algum para mim; logo, não sou nenhum doador! Doo sangue todos os meses. Isso não faz de mim um abnegado doador de órgãos!

Você gosta de cachorro, gato e talvez simpatize com cavalo. Sorte deles. Se tivessem nascido bois, galinhas e porcos, seu destino seria o estômago! Se você come carne, você não é um defensor dos animais. Pode gostar de alguns deles, só isso.

Acredite, não quero convencê-lo de nada. Nem poderia fazer isso, já que ninguém convence ninguém a nada. Você só se convence de alguma coisa quando você quer. Ninguém tem o domínio da sua vontade, só você mesmo. Como eu poderia querer convencê-lo de qualquer coisa? Não tento convencer nem a meus próprios filhos. Oriento-os, esclareço-os, nada mais.

Mas se conseguir fazer você refletir um pouco, terei feito alguma coisa. Você sabe de onde vêm os cachorros que se compram por aí? Sabe como são criados? Sabia que muitos são criados em péssimas condições, e que já há uma verdadeira indústria estabelecida em torno de produtos para cães?

Você sabe que a criação de gado é a principal causa do desmatamento da Amazônia? Você sabe que são necessários em média dezesseis quilos de soja e duzentos litros de água para produzir um quilo de carne? Você pode não se importar com nada disso. Concordo com você que há coisas mais urgentes e mais importantes para se preocupar. Mas você precisa saber.

Você precisa saber das condições em que são criados os animais que você come, você precisa saber que existem muitos artigos que você consome no dia-a-dia, como produtos de limpeza e cosméticos, que são testados em animais, levando todos os dias milhares de animais ao sofrimento, à dor e à morte. Agora, neste instante em que você está lendo e pensando se concorda ou não concorda, há bois levando marretadas na cabeça, frangos tendo seus bicos cortados para não se bicarem uns aos outros, porcos sendo atirados dentro de caldeirões ferventes ainda meio vivos, para dar uma cor “mais bonita” à sua carne. Nesse exato momento coelhos têm seus olhos mantidos abertos com clipes de metal para testarem diversos produtos em seus olhos. Macacos e cachorros são imobilizados para testes de maquiagem.

Diferentemente do que possa parecer, não sou um defensor da causa animal.  Considero qualquer pessoa mais importante e digna de cuidados do que um animal. Nossa consciência está milênios de evolução à frente deles. Acho que devemos cuidar de eliminarmos nossos defeitos humanos, antes de mais nada.

Mas, por favor, não pense que você tem algum mérito por doar meia dúzia de reais para algum eventozinho em prol de cãezinhos abandonados. Não que você não possa doar. Doe seu salário inteiro, se quiser. Mas você não se torna um defensor dos animais por causa disso. Você tem internet. A internet lhe oferece um mundo de informações. Se você se importa com os animais, acha que é realmente importante cuidar e se preocupar com eles, pesquise. Procure no youtube vídeo de testes em animais. Veja quais são as principais marcas que testam seus produtos em animais. Se quiser ir mais longe, assista aos documentários A CARNE É FRACA e TERRÁQUEOS

 


E, se tem algo a manifestar, contra ou a favor, comente; o espaço é seu!

Conheça meu canal no Youtube!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

33 Comentários

  1. Alessandro, quando escrevi o artigo citado por você eu não consumia nada de carne e estava pensando em abolir da minha dieta qualquer produto de origem animal, como derivados de leite e ovos. Cheguei a pensar em me tornar vegano, que, se você não sabe (muita gente não sabe), não consome nada que se relacione a animais, como couro ou vacinas produzidas com proteína do ovo, como a tríplice viral.
    Com o passar do tempo percebi, por um lado, a dificuldade de se manter uma dieta sem nada de origem animal. Tenho atividade em dois centros espíritas. Se quero comer um doce qualquer, dificilmente o encontro sem leite.
    Por outro lado, embora eu considere essa bandeira importante, não sou um carregador de bandeiras, não sou do tipo que abraça uma causa sem abrir mão dela. Um vegano não almoça na casa de amigos ou parentes, nem da sua mãe, se a sua comida não for vegana. Nada contra, mas percebo mais desvantagens éticas do que vantagens. O bem-estar de uma mãe servir um prato ao seu filho é, para mim, mais importante do que proteger o bem-estar da galinha que botou o ovo. Se um vegano ler isso que escrevi, vai defender a galinha com unhas e dentes. Esse radicalismo não me serve.
    Atualmente não posso me dizer vegetariano, pois voltei a comer peixe. Peixe é carne, logo, não sou mais vegetariano. Peço perdão aos veganos e vegetarianos mais entusiasmados, mas nunca consegui ter pena do peixe.
    Quanto à alimentação, há sites específicos sobre isso, é bem fácil de achar. Basicamente, dou preferência a alimentos integrais, como mais frutas e verduras.
    O seu comentário me levou à decisão de escrever algo, novamente, sobre essa questão. Qualquer hora escreverei um artigo atualizando meu ponto de vista.
    Um abraço.

  2. Prezado, boa tarde.

    “Sem querer”, mas com certeza orientado por alguma força, digamos, imperceptível aos olhos humanos, achei seu site na internet.
    Estava pesquisando um assunto relacionado ao Espiritismo e me deparei com esse site que o achei muito interessante e educador.
    Claro que, muitos dos artigos publicados, na minha humilde concepção, geram muitos debates e opiniões diversas, da mesma forma que em alguns dos artigos divirjo das suas opiniões ou afirmações.
    Enfim, em um desses artigos, especificadamente sobre ser ou não vegetariano e a visão espírita sobre o assunto, concordo, digamos, com 90% do exposto.
    Apesar de não ser “fã” da comida animal, isso por vários motivos, um deles pelo sabor, ainda consumo, mas, penso seriamente abdicar.
    E, lendo seu artigo, surgiu-me uma dúvida.
    No caso do peixe, poderíamos considerar que o peixe também não poderia ser consumido por quem é vegetariano? Da mesma forma os frutos do mar, camarão, lula e outros aquáticos.
    A minha dúvida resume-se em que esses animais aquáticos não são consumidos por pessoas vegetarianas?
    No seu caso, você consome esses animais aquáticos?
    Parabéns pelo site e estarei sempre pesquisando no mesmo em busca de aprendizado e opiniões a respeito de diferentes assuntos.
    Se não for exigir muito de você, nesse assunto sobre vegetariano, poderia postar alguns pratos relacionados ao seu dia a dia, visto que você informa que hoje, após abandonar o hábito de comer carne, sente-se mais forte e com mais saúde, assim, podemos, para aqueles que querem tentar aderir ao vegetarianismo, ter algumas opções, rs.
    Obrigado.

  3. Laura, se fosse para acreditar na imagem de Deus que geralmente as pessoas têm, de um velho barbudo severo e vingativo, eu também seria ateu. O Universo é infinito. A Terra é um grãozinho de poeira insignificante. O tempo não existe como o concebemos. Levamos bilhões de anos para adquirirmos consciência. O que consideramos dor é um desconforto ilusório, porque passageiro. Eu, particularmente, já experimentei dores consideráveis, físicas e morais. Hoje elas não representam nada. O curto espaço de tempo que elas duram (mesmo que isso seja anos) é uma fração de segundo se comparado à eternidade. Tudo o que experimentamos é passageiro, só o que é real, porque é permanente, é a nossa natureza divina. Este é um planeta-escola, temos na dor um importante mecanismo de aprendizado. São estímulos de calor, frio, umidade, vento, que fazem uma planta se desenvolver. A dor é um estímulo para o desenvolvimento do princípio inteligente que anima os animais. Os animais não são espíritos como nós, por não terem desenvolvido a consciência, mas têm um princípio inteligente como o nosso, que um dia vai desenvolver a percepção da sua individualidade.
    Parece difícil compreender por nos colocarmos numa perspectiva muito presente. Uma criança pequena também não consegue compreender por que ela deve tomar injeção. A vacina fortalece a criança; a dor fortalece o princípio inteligente, desenvolvendo a resistência, o esforço para manter a vida, e outras coisas que estão fora do alcance da nossa capacidade de compreensão atual, mas que nem por isso são menos importantes.
    Um abraço.

  4. Boa tarde!
    Uma questão sempre me intrigou e agora que faço parte de uma Ong que protege e cuida de diversos animais (inclusive pombos e galos de rinha) intriga ainda mais.
    Temos acompanhado muitos casos de maus tratos, abandono, casos de pura maldade, eu fico me perguntando uma coisa, se os animais não têm vontade própria porquê sofrem tanto?
    Você sabe que muitos dos meus companheiros de Ong se tornaram céticos ou ateus, por não suportarem verem tanto sofrimento?
    Eu me considero espiritualista.
    Se você puder me dar uma explicação simples sobre o assunto, te agradeço imensamente!
    Abraços.

  5. OBRIGADA, MOREL. ESTOU APRENDENDO MUITO COM VOCÊ.

    EU TAMBÉM LEMBRO DOS OUTROS ANIMAIS E PRINCIPALMENTE DOS PASSARINHOS PRESOS NAS GAIOLAS, ACHO TUDO ISSO UM ABSURDO, O QUE OS “HOMENS” FAZEM AOS ANIMAIS EM GERAL, É MUITO TRISTE CONVIVER SABENDO DE TUDO ISSO À NOSSA VOLTA. ABRAÇOS FRATERNOS.

  6. Milene, nem os cachorros nem qualquer outro animal vieram ao mundo para nos ensinar nada. Todos os seres aprendem uns com os outros, mas isso é uma decorrência do processo evolutivo. Os cachorros atravessam o seu próprio estágio evolutivo, e o que nós conhecemos como “dor” é parte integrante deste processo.
    Os cachorros nos chamam mais a atenção por serem próximos do homem. Mas há outros animais, como bois, porcos e galinhas, que fazem parte dos pratos de bilhões de pessoas e quase ninguém se lembra deles.
    O processo evolutivo é longo; se olharmos só o hoje tudo parece fora de propósito.
    Um abraço.

  7. OLÁ MOREL,

    GOSTARIA DE SABER SE ALGUM DIA ALGUNS SERES HUMANOS IRÃO PARAR DE MALTRATAR TANTOS OS ANIMAIS, PRINCIPALMENTE OS CACHORROS. LÁ EM CASA, TENHO VÁRIOS CACHORRINHOS QUE TIREI DAS RUAS E AINDA CUIDO DE MAIS ALGUNS QUE SEMPRE VÃO ATÉ MINHA PORTA PARA SE ALIMENTAR E BEBER ÁGUA, ENTRE OUTROS. SOFRO MUITO EM SABER QUE A CADA DIA, SEMPRE TEM MAIS UMA INFINIDADE DE CACHORRINHOS SENDO ABANDONADOS OU SENDO MALTRATADOS. POR QUE ESSES BICHINHOS SOFREM TANTO NAS MÃOS DOS HOMENS, JÁ QUE ELES NÃO TÊM PECADO E VIERAM AO MUNDO PARA NOS ENSINAR AMAR E SERMOS HUMILDES?

    ABRAÇOS FRATERNOS,

  8. Epitacio, compreendo seu posicionamento e o respeito. Vegetais são vidas, sim. Mas são um estágio mais primitivo de vida. Há uma frase atribuída a Léon Denis que diz “a alma dorme no mineral, sonha no vegetal, agita-se no animal e acorda no homem”.
    Não se pode comparar a sensibilidade dos vegetais com a sensciência dos animais. Um pé de alface não grita nem tenta fugir quando o colhemos. São milhões de anos de evolução que os separam dos animais, assim como são milhões de anos de evolução que separam os animais do homem.
    Quanto aos pesticidas, é preciso lembrar que para cada quilo de carne bovina “produzida” são necessários 16 quilos de soja e 200 litros de água. Portanto, seu argumento corrobora a preocupação com o meio ambiente por parte de quem não se alimenta de carne. Eu, particularmente, não como carne por respeito aos animais. Há outros alimentos à disposição que me mantém ainda mais saudável do que quando me alimentava de carne. Mas isso são questões de foro íntimo.
    Um abraço.

  9. Não sou hipócrita… não tenho nada contra animais, tanto é que apenas vejo 2 lugares para eles: livres na natureza ou muito bem temperados numa panela repleta de legumes, seja este de qualquer espécie. Amo mais estes seres do que esses que dizem amá-los por entender que deixá-los livres é a única é irrefutável prova de amor. Mantenho uma certa distância destes “protetores” de animais comedores de carne e não tenho dúvidas de que são pessoas carentes movidas pelo egoísmo. Quanto aos vegetarianos, apenas respeito e entendo a preocupação com o desmatamento, mas espero que não se esqueçam do problema com pesticidas etc.; apenas queria lembrá-los que vegetais também são vidas.

  10. Morel, entendi sua colocação, não é radical, é verdade. Às vezes a verdade nos choca. A minha mãe é defensora dos animais, das pessoas, e às vezes acho ela exagerada, mas ela é assim, ela age, isso é natural para ela. Não come nada animal faz muitos e muitos anos, simplesmente não gosta. Eu ainda não consigo ser assim, gosto dos animais, mas não sou defensora deles. Cuido dos que cruzam meu caminho apenas. Não gosto muito de carnes, mas ainda como elas, não vou ser hipócrita. Admiro quem não sente necessidade de comer carne ou derivados de animais. Esse deve ser nosso destino. Minha mãe diz que vale mais o que sai da boca e do coração, do que o que entra em nosso corpo, apesar de ser vegetariana. Beijos e fiquem com Deus.

  11. Suzi, apenas lamento que algumas pessoas pensem que porque deixaram de comer carne são melhores que as outras. É um gesto, é um passo, claro que é. Mas não é transformador, não nos torna melhores só por isso. Quanto à Bíblia, é realmente triste que pessoas instruídas se apeguem a conceitos ultrapassados, sem perceberem que o que há de eterno e verdadeiro são os ensinos de Jesus, as Leis de Deus, e não os costumes de um povo.
    Obrigado pela participação.

  12. Perfeito esse artigo, ainda como animal mas um dia irei parar de comer. É uma coisa difícil, pois desde que me conheço por gente eu como carne, hoje estou há 8 meses sem comer a carne vermelha, como por enquanto os outros. Acho um vegetariano superior a mim sim, pois deixar de pensar só nele e pensar nos animais é um gesto nobre demais, coisa que ainda não consegui, gosto de todos os animais mas AMO GATOS e antes eu achava errado a China comer gatos e cachorros. Antes, porque agora entendo que é cultura do país, e odeio quem usa a bíblia pra justificar a matança, porque nem tudo é pra ser assinado em baixo, são varias questões que tenho e sei que irei conseguir um dia ser vegetariana, eu faço um pecado NO MEU MODO DE VER que é ainda comer um animal que sofre igual Eu.

  13. Renato, eu consumo mais proteínas que antes. Como grãos, cereais e massas integrais, tahine, sementes, amendoim… Sou mais forte e saudável hoje.

  14. Eu como carne. Mas acho que você está certo. Não acho errado matar animais pra comer, mas o modo como as indústrias alimentícias vêm fazendo isso é desprezível. Não existe respeito pela vida do animal que se tira. Por isso, já tentei virar vegetariano e não consegui. Fiquei uns 4 meses sem comer carne, mas aí vem o problema de que proteínas comer para substituir a carne. Eu escolhi a soja. Me dou muito bem com a soja. Mas recebi informações que a soja em excesso pode fazer mal a saúde e por medo, voltei a comer carne. Também achava que uma dieta vegetariana ia me impedir de praticar esportes intensos, como as artes marciais que gosto tanto. Mas hoje, coincidentemente, vi que existem lutadores profissionais do UFC que são vegetarianos, segue o link:http://www.vidavegetariana.com/site/especiais.php?page=especiais/atletas/ufc
    Descobri que existe até bodybuilder vegetariano:http://www.shelterpub.com/_fitness/_weight_training/Bill_stand_pose.jpg
    Acabo de descobrir que querer ter músculos e ser saudável não é desculpa pra não ser vegetariano. Vou tentar me instruir mais e me preparar para uma transição em uns 3 anos quem sabe…

  15. Neiva, não acho que tenha sido radical. Quem gosta de cachorro e gato gosta de cachorro e gato. Porque são bonitos, dóceis, domesticados. São apenas duas espécies. E as outras? E aquelas espécies que são servidas em pedaços nos pratos? Defensor de animais não pode comer animais. Se isso é radicalismo, eu sou radical, sim.
    Quanto às diferenças evolutivas, elas são evidentes. Animais não têm pensamento contínuo, logo, seu raciocínio é prejudicado. O mesmo se dá com os sentimentos. Seus sentimentos são instintivos, não são pautados em conhecimento. Ao que tudo indica, os animais não têm consciência individual. Hoje publiquei este artigo: http://www.espiritoimortal.com.br/o-melhor-livro-espirita-de-todos-os-tempos/ – No oitavo parágrafo disse que o Livro do Espíritos não me tirou APENAS UMA dúvida. No artigo eu não disse qual é, mas digo pra você: É justamente em relação aos animais. Não há nada concludente, nada que tenha me convencido, mas pelo que estudei até agora, em várias fontes, eles não tem consciência individual.
    Neiva, isso são apenas opiniões, não verdades absolutas.
    Fique com Deus!

  16. Posso estar meio equivocada, mas acho que este tema você foi totalmente radical……. tb gostaria de saber sobre essa tua citação: Nossa consciência está milênios de evolução à frente deles (animais)… fico pensando pq muitos animais ou quase maioria representa que tem consciência do que está acontecendo ou o que vai acontecer com eles….. e até por vezes demonstram ter sentimentos, ou é impressão?? Por favor se puder responder..

  17. Mauricio, não mereço os seus parabéns, pois não defendo causa nenhuma. Não luto por forma de vida nenhuma, aliás, não luto. Por nada. Também não sei de onde você tirou termos como algoz, carrasco, má pessoa, homem das cavernas, crápula. Isso tudo saiu da sua cabeça. Apenas chamo a atenção para um monte de pessoas que se dizem defensoras dos animais, promovem campanhas para arrecadar fundos, mas comem carne. Quem diz que defende os animais e come carne vive um estranho paradoxo. Quanto à criação e ao abate, ao falar em automatização você já está esclarecendo como são tratados os animais; como coisas, produtos. Repito: não defendo esta causa e não tenho nada, absolutamente nada contra quem se alimenta de carne. Mas acho que estou melhor informado que você sobre o tema. E se você come carne você é, sim, um matador de animais. Não mata pessoalmente mas compra pedaços do cadáver.
    Comi carne a maior parte da vida, faz parte dos costumes, da cultura, da economia, da gastronomia, dos prazeres. Não posso e não pretendo condenar ninguém por isso. Existe um milhão de coisas mais importantes do que isso. Mas você é responsável pelas vidas que você come, não é? Some quantos quilos você come num ano e faça as contas de quantos animais morreram para que você comesse. Nem falo sobre isso no artigo, foi você quem puxou o assunto…
    Fique com Deus, Mauricio. Obrigado pela participação.

  18. Com todo o respeito que eu possa lhe oferecer, Morel, mas acho que posso expressar minha opinião. Primeiro, eu jamais pretendi ser defensor dos animais, ou mesmo ser chamado de defensor. Nem sei se fiz algo pra isso. Quando vejo um animal sofrendo, procuro ajudar sim, amo cães e gatos sim, cavalos e também amo os bovinos. Se eu como carne? Sim, como sim e adoro churrasco… isso me faz então um algoz? um carrasco? Se ter plantas em casa não o faz um ecologista, não é? Se gostar de animais não me faz um defensor deles. E gostar por exemplo de comer churrasco me faz um matador de animais? Desculpe, mas os parâmetros utilizados no seu artigo não possuem o mesmo peso e medidas. Minha esposa e eu somos extremamente apaixonados. Às vezes ela chega a chorar de saudades de mim. De verdade! Isso então me faz um crápula, pois quando ela chora, não deixa de sentir dor e sofrer. A forma de abate dos animais, do jeito que você citou, só ainda existem nas fazendas clandestinas com seus matadouros ilegais. Hoje em dia tudo é automatizado e os animais criados especificamente para abate não sofrem ou sentem dor. Pesquise e verá como a tecnologia e a própria medicina veterinária conseguiram minimizar a violência conhecida do abate de animais para consumo.
    Mais uma vez, meus respeitos e com toda a educação que eu consiga transmitir apenas por meio das teclas do meu pc, agradeço o espaço, parabenizo pela publicação e pela coragem de lutar por uma forma de vida tão repelida pelas pessoas. Mas eu vou continuar indo na churrascaria, viu! Isso não me faz uma má pessoa, um homem das cavernas, um ser sem compaixão ou mesmo uma má pessoa… abração a todos desse debate.

  19. Boa noite Morel. Mais uma vez, excelente tema.
    Não posso colocar-me como defensor de animais, apesar de amá-los, respeitá-los e ter, em minha vida, convivido com cachorros, gatos, peixes, tartarugas, gaviões, corujas, tatus, lagartos, hamsters, porquinhos-da-índia, pássaros de criação, enfim, muito mais que cães e gatos.
    Por que não me incluo neste rol? Porque ainda como carne. E não tenho talento para hipocrisia.`
    É bem verdade que vou, gradativamente, tornando-me menos carnívoro. A Natureza não dá saltos.
    Tenho o entendimento que todos os animais têm uma essência espiritual em evolução ao reino hominal, que as espécies domésticas e os primatas já possuem bruxoleios de individualidade, assim como os cavalos e elefantes, e que por isto são nossos irmãos menores na escala evolutiva e que temos a responsabilidade de ajudá-los em sua escalada. Mas ainda como carne…
    Consolo-me um pouco com uma frase de um amigo espiritual que diz “ser preferível um carnívoro imbuído em fazer o Bem que um vegetariano recalcitrante no Mal”. Hitler era vegetariano…
    Enfim, o que mais me entristece e revolta, é a crueldade humana, capaz de requintes inimagináveis de torturas físicas a seres que deveria proteger.
    Concordo com todas as frases postadas pela Monique em seu comentário.Temos que fazer, mesmo que seja muito pouco…

  20. BOA TARDE
    MAS JÁ POSSO ME CONSIDERAR UMA DEFENSORA DOS ANIMAIS, POIS FAZ 10 ANOS QUE NÃO COMO NADA DE ORIGEM ANIMAL. TENHO UM GATO DE 16 anos DUAS CACHORRAS,uma ENCONTREI ABANDONADA COM 06 FILHOTES …Ja RESGATEI 02 FILHOTES DE UM PET ,POIS ESTAVAM SOFRENDO MAUS TRATOS,E OS ENCAMINHEI PARA ADOÇÃO PARA PESSOAS QUE GOSTAM DE ANIMAIS. MAS VOLTANDO AO ASSUNTO DEFENSORA,COMO ALGUEM PODE AMAR UNS E COMER OUTROS, POR ISSO NÃO COMO CARNE DE ESPECIE NENHUMA.

  21. Obrigado, Bruno. Realmente, a sociedade será forçada a modificar seus hábitos. Assim como acontece com os indivíduos, a sociedade também reage mais certeiramente quando é provocada a isso por alguma grave crise.

  22. Mais uma vez excelente artigo!
    Uma boa notícia ou ruim para alguns, é que nós como sociedade seremos forçados a lidar com isso
    nas próximas décadas. A população mundial irá por estimativas dobrar pelo ano de 2050, e como sabemos não há terra e água suficiente para alimentar a indústria da morte, pois alimentos de origem animal consomem quase dez vezes mais água que o vegetal, e também é muito ineficiente.
    Como foi dito para produzir 1kg de carne você necessita várias vezes o mesmo kg de vegetais que poderiam estar sendo direcionados diretamente para consumo humano. Portanto nas próximas décadas ou a sociedade muda a base de sua alimentação para vegetariana, ou muitos morrerão de fome, talvez até guerras pela disputa da água, como já é previsto, será o novo petróleo.

  23. É muito fácil ser defensor de causas, bandeiras, valores quando essa defesa não implica mudanças no seu dia a dia. Incorporar novos hábitos, fazer “sacrifícios”, sair do conforto e da rotina requerem comprometimento REAL com o que queremos mudar. Faz parte do processo evolutivo, e, como todo processo, é gradual e exige esforço, dedicação e tempo.

  24. Obrigado pela participação, Monique. Se todos soubessem a satisfação proporcionada pela prática daquilo que se acredita, as mudanças seriam mais rápidas.

  25. Parabéns! Vamos seguir os ensinamentos do Gandhi: “Nós devemos
    ser a mudança que queremos ver no mundo” e, também, os de Luther
    King, que disse: “Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam
    nada” e, ainda, os do Edmund Burke, que esclareceu o seguinte:
    “Ninguém cometeu maior erro do que aquele que não fez nada só porque
    podia fazer muito pouco”. Façamos, portanto, o que pudermos fazer.

    Paz. Monique

  26. Tomate, como quaisquer outros vegetais, não têm sistema nervoso, logo, não sentem dor. Se você colher um tomate irá notar que ele não tenta fugir, não grita, não esperneia, não reage. O assunto abordado nada tem de sentimental. É todo pautado a partir de raciocínio simples. Eu compreendo a sua preocupação em relação ao quê fazer com os animais criados para produção. Você sabe perfeitamente que eles não seriam soltos, nem no pasto, nem em lugar nenhum, já que o abandono do uso da carne não ocorrerá de um momento pro outro. É um processo lento, gradativo. Teremos décadas de preparo, de gradual diminução da produção. Apenas não concordo com você quanto à questão da fome, aliás, uma preocupação legítima, de sua parte, mas carente de informação. Está no artigo que publiquei, e é facilmente verificável, que para produzir um quilo de carne são precisos em média 16 quilos de soja e 200 litros de água. 16 quilos alimenta mais que 1 quilo. Não? Devemos sair do tempo das cavernas, Dacio. Não voltar às cavernas.

  27. Putz sacanagem esmagar uma porção de tomates pra fazer molho,será que as plantas não tem dor???
    Besteira essa retórica sentimental,pois o que fazer com tantos animais criados para produção? Soltando-os no pasto eles vão comer o seu milho,a sua soja,o seu pepino,etc,etc,etc!!! E depois fazer o quê quando VOCÊ estiver passando fome???? Haja Paciencia!
    By the way….pare de usar maquagem,usar shampoo,escovar os dentes,limpar a casa,usar amaciante e sabão…isso ou vem ou tem animais sendo usados como teste! Voltemos ás cavernas!!!!

  28. Márcia, a preferência por determinados animais é uma questão cultural; em outros países, em outras culturas, outros animais são domesticados, outros são comidos. Entendo que pensa diferente sobre esse assunto. É um tema que nunca é abordado pela grande mídia, não é abordado nas escolas, nem nas igrejas, nem em qualquer lugar representativo da sociedade. Desde crianças, percebemos que existem animais que são tidos como amigos e animais para comer. Isso não se muda de um momento pro outro. Agora, com a internet, esse tema vai sendo aos poucos disseminado. Há muita informação disponível, basta procurar. Muito obrigado por participar, Márcia. Um bom fim de semana pra você e pros seus.

  29. Meu amigo não sei nem o que dizer, simplesmente mergulho numa tristeza ante tudo isso que você colocou nesse texto. Uma realidade tão brutal. Sinceramente você tem toda razão, existe preferências por animais, encabeçando é claro a lista os cães e gatos. Na verdade penso que todos os animais merecem respeito e direito à vida, pena que é uma minoria que pensa dessa forma. Mas fazer o que né Morel. Sabe que essa é uma questão que me toca fundo, entro em longas e profundas reflexões acerca do assunto e claro as conclusões são solitárias, pois não tenho com quem partilhar certos assuntos, ainda bem que encontrei você meu amigo pra abordar assuntos ignorados nesse nosso mundo escola, onde impera a desigualdade de pensamentos e sentimentos. Obrigado por tantos esclarecimentos e por descobrir que mesmo sendo minoria defendendo essas idéias não sou única. Bom fim de semana pra você e a família.

  30. Obrigado, Claudia. Só temos que ter cuidado para não adotarmos atitudes radicais. Noto que há essa tendência em vegetarianos, provavelmente pelos argumentos surrados que ouvem, pelas piadas fracas que escutam. O radicalismo é sempre negativo.

  31. EXCELENTE! Realmente o ser humano tem que aprender que os animais são também obra de Deus, assim como nós. Eu também sou vegetariana e me sinto muito bem assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.